Entre para seguir isso  
Seguidores 0
Guerrero

Drauzio Varella fala sobre anabolizantes.

Avalie este tópico:

4 posts neste tópico

Abuso de anabolizantes

Nos últimos anos, o abuso dos anabolizantes se disseminou entre freqüentadores de academias para melhorar a aparência física

Por Drauzio Varella (*)

Durante a Segunda Guerra Mundial, os nazistas administravam hormônios derivados da testosterona para aumentar a agressividade dos soldados alemães. Esses hormônios anabolizantes - chamados de esteróides androgênicos - foram estudados na década de 1950 como agentes promotores de crescimento, mas suas propriedades virilizantes tornaram o uso clínico inviável.

Não é de hoje que alguns atletas usam anabolizantes com o objetivo de melhorar a performance, mas foi nos últimos dez anos que o abuso dos esteróides se disseminou entre freqüentadores de academias sem nenhum interesse em participar de competições esportivas, unicamente para melhorar a aparência física.

Quando andrógenos são ingeridos ou injetados na corrente sangüínea, ao passar pelo fígado, a testosterona é metabolizada e tornada inerte. Para impedir essa inativação surgiram no mercado adesivos transdérmicos, cápsulas de liberação prolongada e preparações contendo modificações estruturais na fórmula da testosterona.

Doses fisiológicas de testosterona e seus derivados, como aquelas empregadas em homens com hipogonadismo (insuficiência de produção de testosterona), não exercem efeitos indesejáveis em homens normais. Por isso, quem abusa de anabolizantes é obrigado a aumentar e escalar as doses para obter o efeito desejado – exatamente como o fazem os usuários de outras drogas.

Doses mais altas (suprafisiológicas) de testosterona estimulam a síntese de proteínas e aumentam a massa muscular, porque o hormônio se liga a receptores específicos localizados nas fibras musculares. Dosagens mais elevadas provocam ainda euforia e resistência à fadiga, facilitando a realização de exercícios mais vigorosos que colaboram decisivamente para hipertrofiar a musculatura.

Alguns estudos mostram que o exercício físico é muito importante para o ganho de massa muscular se for associado ao uso de anabolizantes. Estes, quando administrados a sedentários, provocam aumentos bem mais discretos.

O abuso de anabolizantes provoca distúrbios comportamentais, endócrinos, cardiovasculares, hepáticos e musculoesqueléticos.

Comportamentais: São freqüentes as queixas de agressividade exacerbada, irritabilidade, agitação motora e aumento ou diminuição da libido. Síndromes psiquiátricas como transtorno bipolar (anteriormente conhecida com o nome de psicose maníaco-depressiva), síndrome do pânico e quadros depressivos podem surgir na vigência do uso de doses elevadas.

Endócrinos: É comum aparecerem lesões dermatológicas típicas de acne - principalmente na face -, atrofia dos testículos, calvície, impotência sexual, diminuição do número e da motilidade dos espermatozóides, redução do volume de esperma ejaculado, ginecomastia (crescimento das mamas em homens), masculinização das mulheres e alterações na tolerância à glicose que podem desencadear quadros de diabetes em indivíduos predipostos.

Cardiovasculares: Retenção de líquido que favorece o aparecimento de edemas. Aumento da pressão arterial. Alteração no metabolismo dos lípides que podem levar a aumento do risco de doenças cardiovasculares: aumento do colesterol total, diminuição de HDL (“bom colesterol”), aumento de LDL (“mau colesterol”) e aumento de triglicérides.

Hepáticos: elevação das enzimas do fígado (transaminases, fosfatase alcalina, gama GT, etc.), quadros de icterícia e, mais raramente, câncer do fígado.

Musculoesqueléticos: Lesões osteomusculares por solicitação exagerada (“overuse”). Fechamento precoce das epífises, com conseqüente interrupção do crescimento dos ossos.

Não existe tratamento específico para o uso abusivo de anabolizantes. Como essas drogas são geralmente comercializadas por vias ilegais e administradas em dosagens e concentrações variáveis por pessoas leigas, não há estudos clínicos para nos ajudar a definir esquemas seguros de administração, se é que eles existem.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

Anabolizante é igual a bebida, fumo, droga, quanto mais se fala mal e se torna proibido aí que o pessoal quer usar mesmo...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!
Anabolizante é igual a bebida, fumo, droga, quanto mais se fala mal e se torna proibido aí que o pessoal quer usar mesmo...

concordo....., e tb achei um otimo texto do dr. , tratou o assunto c/ imparcialidade e sem preconceitos...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

(...)não há estudos clínicos para nos ajudar a definir esquemas seguros de administração, se é que eles existem.

Fala pessoal,

Pra mim, esse frase mostra o quanto a medicina desconhece do uso desportivo dos anabolizantes. Posso até estar errado, mas a impressão que deu é que existe um desconhecimento prático da utilização destas drogas para fins atléticos.

Contudo o texto é ótimo, com certeza!

Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora
Entre para seguir isso  
Seguidores 0

Gostou? Compartilhe!