Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Everton Santos

Anatomia do Tríceps Braquial

Avalie este tópico:

Post Destacado

Diante do exposto Everton, oque você sugere de exercícios em relação ao trabalho maior da cabeça longa, por exemplo, se eu trabalhar com o ombro em flexão tipo um triceps testa no cabo, a solicitação seria maior do que em um triceps pulley?

 

E no Pullover então, existe grande solicitação da porção longa do triceps.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Man, dá pra pensar na pré-ativação da cabeça longa do tríceps, que é quando trabalhamos com ela num ponto de alongamento, quanto maior o alongamento, maior o trabalho para tal cabeça.

 

Nesse caso o Testa é um bom exemplo, mas, o Francês por exemplo, vai fazer ele alongar mais ainda. E se analisarmos, o Coice acaba sendo um ótimo exercício também por exigir da cabeça longa do tríceps a sustentação da posição (com o cotovelo alto) fazendo com que ele atue também de forma isométrica.

 

E é normal mesmo vc sentir o tríceps quando faz um Pulldown ou Pullover, acho que só não dá pra dizer que há uma grande participação dele, pq o exercício tem Peitoral e Dorsal como primários.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
Entre para seguir isso  

  • Conteúdo Similar

    • Por Talles Sucesso
      Alinhar os halteres ligeiramente mais abertos do que a linha dos ombros (os punhos devem estar alinhados com os cotovelos no ângulo de 90º); Manter o tronco e quadril encostados no banco (curvatura natural da coluna); Fixar os pés no solo; Flexionar os cotovelos para baixo com o máximo de amplitude possível (descer os halteres além da linha do tronco) e na linha média do tórax; Estender os cotovelos ao máximo mantendo os halteres paralelos (sem encostar os halteres ao final e sem realizar o encaixe articular).
    • Por Talles Sucesso
      Deitar no banco apoiando completamente o tronco, o qual deve se mantido ereto e apoiado durante toda a execução; Manter os dois pés no solo; Pegar a barra com as mãos na largura aproximada dos ombros; Manter os cotovelos fechados; Descer a barra próximo ao diafragma (alinhar a mão e o cotovelo ao vetor do centro de gravidade); Subir a barra com o máximo de amplitude, sem fazer o encaixe articular;
    • Por Talles Sucesso
      Posicionar a polia no ajuste que possibilite o máximo de amplitude possível; Posicionar os pés paralelos com ligeira flexão dos joelhos ou em posição ântero-posterior (um pé à frente e outro atrás); Manter o tronco ereto e estabilizado com ligeira inclinação à frente; Manter os ombros e cotovelos estabilizados; Estender os cotovelos com o máximo de amplitude possível, sem realizar o encaixe articular e sem abrir os cotovelos; Flexionar os cotovelos com o máximo de amplitude.
    • Por Talles Sucesso
      Deitar no banco com a cabeça próxima da extremidade; Manter os pés encostados no solo; Manter as costas totalmente encostadas no banco, com a coluna ereta; Pegar a barra com as mãos em abertura na largura dos ombros; Posicionar a barra com os braços esticados numa linha um pouco atrás da cabeça (ombros inclinados); Flexionar os cotovelos com o máximo de amplitude possível, quase tocando a barra na ponta do banco; Estender os braços quase que completamente, sem realizar o encaixe articular.
    • Por Talles Sucesso
      Manter os pés apoiados no solo; Manter o quadril apoiado no assento; Manter o tronco completamente apoiado no encosto; Manter a cabeça apoiada se o banco tiver esse tipo de apoio; Posicionar os alteres na distância da linha dos cotovelos no ângulo de 90º e manter essa equidistância durante a execução; Estender os cotovelos sem encostar os halteres na parte de cima e sem fazer o encaixe articular; Descer o máximo que puder (amplitude máxima).
×
×
  • Criar novo...