Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Inibidor de Aromatase na TPC


Mestre
 Compartilhar

Post Destacado

O ciclo de produção de Testosterona Endógena começa no Hipotálamo com a produção de GnRH, que irá informar a glândula Pituitária da necessidade de produzir LH(hormônio luteinizante), e o LH irá até os Testículos informando os Testículos da necessidade de Produzir a Testosterona Endógena(Natural). A isso damos o nome de eixo HPT(Hipotálamo, Pituitária, Testículo)2.

Quando uma pessoa usa, por exemplo, um Anabolizante que aromatiza, vai haver uma ligação do Estrogênio oriundo da Aromatização a nível do Hipotálamo nos Receptores de Estrogênio(RE) que tende a diminuir a liberação do GnRH2.

Bloquear a ação do Estrogênio nos Receptores(RE) do Hipotálamo, na tentativa de retornar a produção normal do GnRH, é o método de funcionamento conhecido dos SERM´s(Moduladores Seletivos do Receptor de Estrogênio)1.

A aromatização é um processo bioquímico onde o Esteroide Anabolizante Androgênico, passa por um processo de transformação em Estrogênios.

Os inibidores de aromatase, atuam bloqueando a enzima aromatase, posteriormente, bloqueando a produção de estrogênio no organismo2.

Uma outra estratégia colocadas por muitos de forma teórica para ajudar na recuperação do eixo HPT e, ajudar assim a restauração da produção de Testosterona endógena, seria usar em certos momentos os Inibidores de Aromatase(IA), que iriam diminuir a Aromatização, diminuindo a quantidade de Estrogênio circulante, e teoricamente iria também diminuir a ligação dos Estrogênio nos Receptores de Estrogênio(RE) no Hipotálamo, criando um ambiente mais propício para a tentativa de recuperação da produção de Testosterona Endógena, fazendo normalizar mais facilmente a recuperação na TPC do eixo HPT, auxiliando assim possivelmente a ação de outras drogas na TPC como os SERM´s.

Alguns exemplos de Inibidores de Aromatase(IA) são: Letrozol, Anastrozol e Exemestano.

Elaborado por Mestre fórum FISIculturismo

Referência:

1 - Inhibition of luteinizing hormone secretion by testosterone in men requires aromatization for its pituitary but not its hypothalamic effects: evidence from the tandem study of normal and gonadotropin-releasing hormone-deficient men. Pitteloud N, Dwyer AA, DeCruz S, Lee H, Boepple PA, Crowley WF

2 - William Llewellyn’s em Anabolics E-Book Edition 2011

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 6 meses depois...
Tudo sobre esteroides

Curso sobre esteroides anabolizantes!

Domine o uso de esteroides neste curso de 8 módulos do médico Dr. Luiz Tintore

Clique aqui para conhecer

(por Mestre FISIculturismo)

 

 

O ciclo de produção de Testosterona Endógena começa no Hipotálamo com a produção de GnRH, que irá informar a glândula Pituitária da necessidade de produzir LH(hormônio luteinizante), e o LH irá até os Testículos informando os Testículos da necessidade de Produzir a Testosterona Endógena(Natural). A isso damos o nome de eixo HPT(Hipotálamo, Pituitária, Testículo).

 

Quando uma pessoa usa, por exemplo, um Anabolizante que aromatiza, vai haver uma ligação do Estrogênio oriundo da Aromatização em nível do Hipotálamo nos Receptores de Estrogênio(RE) que tende a diminuir a liberação do GnRH.

 

Bloquear a ação do Estrogênio nos Receptores(RE) do Hipotálamo, eh o método de funcionamento conhecido dos MSRE(SERM) ou Moduladores Seletivos do Receptor de Estrogênio(Clomifeno e Tamoxifeno).

 

Uma outra estratégia seria usar em certos momentos os Inibidores de Aromatase(IA), que iriam diminuir a Aromatização, diminuindo a quantidade de Estrogênio circulante, e teoricamente iria também diminuir a ligação dos Estrogênio nos Receptores de Estrogênio(RE) no Hipotálamo, criando um ambiente mais propício para a tentativa de recuperação da produção de Testosterona Endógena, fazendo normalizar mais facilmente a recuperação na TPC do eixo HPT e, auxiliando a ação de outras drogas na TPC como os MSRE(SERM).

 

Alguns exemplos de Inibidores de Aromatase(IA) são: Letrozol, Anastrozol e Exemestano.

Mestre, estudando sobre o tema, o que acha da seguinte combinação DURANTE um ciclo  (podendo passar dps do ciclo mas aí acho mais indicado a Serms):

 

1 COMPRIMIDO MANIPULADO DE 12,5MG DE EXEMESTANO + 0,25MG  DE CABERGOLINA de 3 em 3 ou 4 em 4 dias durante o ciclo sendo executado

 

Pesquisando IAs e outras coisas como prolactina, tive essa idéia, é válida???

Abs

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Mestre, estudando sobre o tema, o que acha da seguinte combinação DURANTE um ciclo  (podendo passar dps do ciclo mas aí acho mais indicado a Serms):

 

1 COMPRIMIDO MANIPULADO DE 12,5MG DE EXEMESTANO + 0,25MG  DE CABERGOLINA de 3 em 3 ou 4 em 4 dias durante o ciclo sendo executado

 

Pesquisando IAs e outras coisas como prolactina, tive essa idéia, é válida???

Abs

Pode até ser válido sim, mas no caso da Prolactina eh legal ter certeza mesmo que ela foi aumentada, e o IA dependendo do AE usado pode sim ser interessante.

 

No caso da Prolactina, eh legal fazer um exame quando estiver chegando perto do final do ciclo, e ver se ela está ou não aumentada. Pois se não tiver não há porque usar a Cabergolina, visto tbm o fato de que a Cabergolina tem um preço muito elevado.

 

Sobre a Prolactina tem mais informações abaixo nesse tópico que eu escrevi.

 

 

 

abraços colega.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta 100% gratuita!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
 Compartilhar

×
×
  • Criar novo...