Ir para conteúdo
Mestre

Farmacocinética dos Anabolizantes e os Equívocos de Interpretação

Avalie este tópico:

Post Destacado

Muitas pessoas na Internet em Academias ou Grupo de Amigos, acabam tendo um equívoco muito grande no que se trata do início de ação de alguns Anabolizantes.

É comum ver em fórums na Internet, usuários dizendo que o uso de Decanoato de Nandrolona(Deca Durabolin) não faz efeito logo, pois "demora para começar a agir".

Essa frase, "demora para começar a agir" é na verdade um grande erro cometido, pelo simples fato de que a pessoa não conhece alguns conceitos.

O conceito que explica isso é a Farmacocinética, que trata de explicar a Absorção, a Distribuição, o Metabolismo e a Eliminação dos Fármacos(lembrando que todo Anabolizante é um fármaco).

Vamos pegar um como exemplo, o Decanoato de Nandrolona(Deca) - Molécula abaixo:

molecula Nandrolona Decanoato.png

As pessoas que cometem o equívoco que citei acima, costumam dizer que o Decanoato de Nandrolona(Deca) "demora para começar a agir" baseado na sua meia-vida que é razoavelmente longa mesmo.

Meia-vida(T1/2) é o tempo que um fármaco demora para cair a metade da sua concentração após a sua administração. Onde um fármaco com meia-vida(T1/2) de 6 horas, cujo sua administração foi de 100mg, teoricamente passadas 6 horas, a pessoa teria metade do que foi inicialmente administrado, ou seja, 50mg.

Agora a meia-vida(T1/2) nos serve de parâmetro para podermos ter a consciência de quando o determinado fármaco atinge sua concentração em estado de equilíbrio, que se chama em farmácia de Css. Quando isso é atingido a eficácia de ação daquele fármaco, pode sim ser melhor, pois sua ação pode ser melhorada pelo fato das suas concentrações no corpo se tornarem mais estáveis, pois ele já atingiu sua Css(concentração em estado de equilíbrio), oque reafirma que ciclo curto com Decanoato de Nandrolona(Deca), costuma não ser muito eficiente mesmo.

A Css é atingida após 4 ou 6 meia-vida(T1/2) do fármaco, desde que ele esteja sendo constantemente administrado no período. 

No caso do Decanoato de Nandrolona(Deca), ele começa sim a agir antes de atingir a Css, e ai entram outros conceitos da Farmacocinética, que são a Biodisponibilidade, a Cmax e a Tmax.

Biodisponibilidade é a quantidade relativa de um fármaco que atinge a circulação sistêmica na sua forma inalterada. Quando um fármaco é administrado por Intravenosa, a Biodisponibilidade dele é de 100%, pois a carga toda aplicada caiu diretamente na corrente sanguínea. Se a administração é Oral ou Intramuscular, essa Biodisponibilidade pode ser diminuída, pois a absorção do fármaco vai depender de outros fatores. Como por exemplo na administração oral, onde os Fármacos sofrem o metabolismo de primeira passagem, e tem ai já um dos fatores que iriam diminuir a sua biodisponibilidade.

Tmax é o tempo que um fármaco leva para atingir seu pico máximo no corpo após a administração, e esse pico máximo que ele atinge é a Cmax, tendo a Biodisponibilidade servindo como parâmetro.

Capturar tmax.JPG

Se após essa primeira administração, novas doses não forem administradas, ele irá decair de acordo com a sua meia-vida(T1/2), até chegar ao seu fim no corpo. E se caso novas doses forem sendo administradas, e isso se tornar constante, a tendência é de passadas cerca de 4 meia-vida(T1/2) de administrações constantes, ele atinja a Css(concentração em estado de equilíbrio).

O equívoco que as pessoas que dizem que Decanoato de Nandrolona(Deca) "demora para começar a agir", é porque eles simplesmente estão confundindo Css com Cmax, e desprezando o conceito de Biodisponibilidade, e desconsiderando que existe um Tmax, que é o tempo que irá demorar um fármaco logo após a sua administração para atingir o Cmax.

O Tmax do Decanoato de Nandrolona, estima-se entre 2-3 dias após a aplicação neste caso, e isso pode variar de acordo com a dose aplicada; a figura abaixo, mostra o Tmax e o Cmax do Decanoato de Nandrolona, com doses aplicadas de 50mg, 100mg e 150mg, onde a linha Horizontal do gráfico é o Tmax, e a linha vertical o Cmax.

tmax Deca.jpg

Só a título de curiosidade, esse mesmo autor que demonstrou essa farmacocinética do Decanoato de Nandrolona, também nessa pesquisa estimou a Meia-Vida do Decanoato de Nandrolona entre 7 à 11 dias, que fica mais dentro dos parâmetros atualmente aceitos por muitos, e colocados em algumas Matérias que postei aqui. E não aquela antiga proposta pelo renomado autor e escritor sobre Anabolizantes Esteroides Bill Roberts, que propunha simplesmente apenas a multiplicação dos átomos de carbono do éster por 1,5. E que no caso do Decanoato de Nandrolona, daria 15 dias de meia-vida.

Bom, acho que assim fica bem exemplificado a Farmacocinética dos Anabolizantes baseado em ésteres, tendo como exemplo ilustrativo disso o Decanoato de Nandrolona.

Elaborado por Mestre fórum FISIculturismo

Referências:

- Bagchus WM, Smeets JMW, Verheul HAM, De Jager-Van Der Veen SM, Port A, Geurts TBP. Pharmacokinetic Evaluation of Three Different Intramuscular Doses of Nandrolone Decanoate.

- Farmacologia Integrada, Roberto De Lucia Jan/2008.

- Pharmacology: Principles and Practice, Miles Hacker, William S. Messer II, Kenneth A. Bachmann jun/2009.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá queria informação eu fiz um ciclo de stanazol , só que eu me falaram que eu cometi um erro grande ,  que  foi que eu ,fazia treino na academia 3 vezes por semana e fazia luta duas vezes por semana e nesta luta o treino era de 2 horas por dia já a academia no máximo 1hora ,,,... Terminei meu ciclo hoje , e não tive ganhos que me falaram que eu era pra ter???  Minha alimentação , foi dieta , só bata e frango durante 45 dias?? 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 minutos atrás, Leandro 9999 disse:

Olá queria informação eu fiz um ciclo de stanazol , só que eu me falaram que eu cometi um erro grande ,  que  foi que eu ,fazia treino na academia 3 vezes por semana e fazia luta duas vezes por semana e nesta luta o treino era de 2 horas por dia já a academia no máximo 1hora ,,,... Terminei meu ciclo hoje , e não tive ganhos que me falaram que eu era pra ter???  Minha alimentação , foi dieta , só bata e frango durante 45 dias?? 

Crie um tópico novo só pra você na seção na seção de Dúvidas(https://fisiculturismo.com.br/forum/forum/10-d%C3%BAvidas-sobre-esteroides/) que vai ficar mais fácil obter ajuda.

Se possível coloque mais detalhes acrescentando a idade, peso, altura, estrutura do ciclo que você fez.

Se possível também, coloque mais especificado a dieta sua e seus treinos.

abraços.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 07/11/2015 at 15:55, Mestre disse:

 

Meia-vida(T1/2) é o tempo que um fármaco demora para cair a metade da sua concentração após a sua administração. Onde um fármaco com meia-vida(T1/2) de 6 horas, cujo sua administração foi de 100mg, teoricamente passadas 6 horas, a pessoa teria metade do que foi inicialmente administrado, ou seja, 50mg.

 

 

 

Vejamos se eu entendi ... Como você disse nessa parte do texto , onde um fármaco tem meia vida de 6 horas ele atingirá metade da concentração do que foi inicialmente adiminstrado ... Então ao atingir 12 horas terá sua concentração zerada no organismo , então será a hora de uma nova aplicação, seria isso ?

Fármaco meia vida 6 horas , 1 aplicação a cada 12 horas pra manter o nivel de concentração alto no organismo ?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
6 minutos atrás, Jean Pauli disse:

Vejamos se eu entendi ... Como você disse nessa parte do texto , onde um fármaco tem meia vida de 6 horas ele atingirá metade da concentração do que foi inicialmente adiminstrado ... Então ao atingir 12 horas terá sua concentração zerada no organismo , então será a hora de uma nova aplicação, seria isso ?

Fármaco meia vida 6 horas , 1 aplicação a cada 12 horas pra manter o nivel de concentração alto no organismo ?

Seria assim:

- Um fármaco de meia-vida de 6 horas, se ingerido 100mg desse fármaco, passadas 6 horas a pessoa teria a metade, ou seja, 50mg desse fármaco. Passadas então mais 6 horas novamente, a pessoa teria então a metade da anterior, que seria 25mg da dose original de 100mg administrada no início. Passadas mais 6 horas teria a metade de 25mg, que era oque ela tinha anteriormente, ou seja, 12,5mg. E assim por diante até o final total da substância no corpo.

Com um fármaco de 6 horas de meia vida, usando ele de 12 em 12 horas, já seria bom para ter uma dose constante dele no corpo, mas pode-se também fazer de 8 em 8 horas, e assim poderia manter a dose mais constante ainda no corpo.

abraços colega.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 04/01/2016 at 17:56, Mestre disse:

Seria assim:

- Um fármaco de meia-vida de 6 horas, se ingerido 100mg desse fármaco, passadas 6 horas a pessoa teria a metade, ou seja, 50mg desse fármaco. Passadas então mais 6 horas novamente, a pessoa teria então a metade da anterior, que seria 25mg da dose original de 100mg administrada no início. Passadas mais 6 horas teria a metade de 25mg, que era oque ela tinha anteriormente, ou seja, 12,5mg. E assim por diante até o final total da substância no corpo.

Com um fármaco de 6 horas de meia vida, usando ele de 12 em 12 horas, já seria bom para ter uma dose constante dele no corpo, mas pode-se também fazer de 8 em 8 horas, e assim poderia manter a dose mais constante ainda no corpo.

abraços colega.

 

Agora ficou bem claro ! Obrigado , abraço parceiro .

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

  • Conteúdo Similar

    • Por tina_bc
      Boa noite !!! (:
      Conforme relatado em um tópico anterior , esperei voltar a uma alimentação mais adequada e treino para iniciar meu ciclo . Neste meio tempo consegui passar com uma endocrinologista , a qual me receitou Oxandrolona manipulada - capsulas de 5mg . A própria me indicou uma farmacia de confiança , então decidi arriscar (sei que normalmente e o melhor seria da Land ), mas no momento farei desta forma .
      Idade : 27 anos 
      tempo de treino : 6 anos (entre idas e vindas )
      Altura : 1,54
      Peso atual : 56,5 kg 
      Bf : não tenho o valor nesse momento 
      Tórax :63
      Bíceps : 29
      Cintura : 74
      Abdômen :79  
      Quadril ::101
      Perna D : 57 
      Perna E : 56
      Panturrilha D:  35
      Panturrilha E : 35
      Ciclos anteriores : oxandrolona e Stano ( em 2012/2013) 
      MEDICAÇÃO EM USO : NENHUMA 
      ANTICONCEPCIONAL : NÃO USO 
      **foi solicitado hemograma e outros exames pela médica , está tudo ok **
       
       
       
      Dieta 
      café da manhã : 2 fatias de pão integral com atum e chá verde + 2 ovos inteiros
      lanche da manhã : 1 maçã 
      Almoço : 80 a 100g de arroz integral + 120 de proteina + salada a vontade
      lanche a tarde : o mesmo da manha (Ou alguma outra fruta )--- tem q ser isso pois nao posso comer no meu trabalho .
      Jantar : 120 de proteina + 60 de carbo + salada 
      ceia : bolinho de aveia com banana 
       
      Treino 
      seguna e quinta 
      Extensora 4x8 a 10
      agachamento no smith 4x10
      leg press unilateral 3x10
      Hack machine 4x10/10/10/08
      adução 4x10
      25 a 30 de elipticon 
      terca e sexta 
      SUPINO COM HALTER + CRUCIFICO 3X15
      PULEY COSTAS + FRENTE SUPINADO 4X8 A 10
      ROSCA DIRETA 4X8 A 10
      ROSCA MARTELO 3X12
      TRICEPS CORDA 3X12
      TRICEPS COICE 3X12
       
      QUARTA E SABADO 
      CADEIRA FLEXORA 4X10
      STIFF 4X8 A 10
      FLEXAO DE JOELHOS NA BOLA 4X12
      SUMÔ COM HALTER 4X8
      ELEVACAO PELVICA 3X12
      GLUTEO SOLO 3X12
       
      CICLO INDICADO PELA ENDÓCRINO : 
      1º SEMANA - 5MG AO DIA 
      2º 10MG AO DIA 
      3º 15 MG /DIA
      4º 15 MG /DIA 
      5º 10 MG /DIA 
      6º 5 MG /DIA 
      Gostaria da opinião sincera sobre tudoooooo , tudooo mesmo e oq devo mudar . 
      Amanhã posto fotos . 
      Obrigadaaaa ❤️
    • Por BigBossFrank
      BOA NOITE, galera vou iniciar um ciclo, ainda estou montando, quando estiver todo estruturado posto aqui, mas minha duvida extrema é que depois de ler alguns foruns eu li sobre HCG, e queria saber se era preciso usar a propria em um ciclo de 5 semanas de dianabol e enantato, aguardo resposta, obrigado.
    • Por vaqueirovaq
      quais são os anabolizantes que se vende na farmácia?? podem me dizer todos??? e os preços...
      valeu
    • Por Nikollas Maximo
      Galera queria saber se existe contraindicação de tomar esses medicamentos para pessoas que ja sofreram convulsão ou algum tipo de problema neurológico , que ainda tomam remedio controlado (Tegretol CR/Carbamazepina) mas que não sofrem nenhum tipo de convulsão ou transtorno faz mais de 5 anos.
      Abraço
    • Por Alisson Kalel Cotta
      O IGF-1, também conhecido como fator de crescimento semelhante à insulina 1 ou Somatomedina, é um hormônio complexo e interessante devido ao seu potencial de ter efeitos benéficos e prejudiciais à sua saúde, dependendo de quanto seu corpo produz. O trabalho mais importante dele é promover o crescimento celular (daí o nome). O IGF é conhecido como um fator de crescimento e faz parte de um grupo de hormônios que constroem tecidos e células, incluindo também o fator de crescimento epidérmico, fator de crescimento derivado de plaquetas e fator de crescimento nervoso.
      Por um lado, o IGF-1 possui certos efeitos antienvelhecimento e de aumento de desempenho – inclusive ajudando a construir e reter massa muscular e massa óssea. Mas, por outro lado, altos níveis têm sido associados a um aumento do risco de desenvolver alguns tipos de câncer e até mesmo a redução do tempo de vida.
      Abaixo, veremos os efeitos bons e ruins e discutiremos os fatores relacionados ao estilo de vida que aumentam e inibem-no.
      O que é IGF-1?
      O que significa o IGF-1? Significa “insulin like growth factor 1”. Qual é o papel dele? É um hormônio peptídeo anabólico que tem o papel de estimular o crescimento e, em menor grau, apoiar a manutenção dos níveis normais de açúcar no sangue.
      Anteriormente era chamado de somatomedina (ou somatomedina C) porque é um peptídeo da família das somatomedinas. Foi determinado que o IGF-1 é um “polipeptídeo de 70 aminoácidos de cadeia única reticulado por 3 pontes de dissulfeto”.
      IGF-1 tem seu nome atual porque tem certas ações semelhantes à insulina no corpo (incluindo a redução de açúcar no sangue), mas não é tão poderoso quanto a insulina quando se trata de controlar os níveis de glicose no sangue. Por mediar muitos dos efeitos do hormônio de crescimento humano, muitas pessoas discutem esses dois hormônios de maneira intercambiável.
      Outro hormônio peptídico que é semelhante que é chamado IGF-2. Ambos os fatores de crescimento têm uma estrutura semelhante à insulina. Ambos são produzidos principalmente no fígado e também em outros tecidos, em resposta à liberação do hormônio do crescimento pela glândula pituitária. Ambas são consideradas extensões do hormônio do crescimento humano porque têm muitos dos mesmos efeitos.
      Como IGF-1 e IGF-2 diferem de outro? Eles se ligam e ativam diferentes receptores, causando o crescimento de diferentes células e tecidos. O IGF-1 estimula principalmente a hipertrofia (aumento do tamanho das células) e hiperplasia (aumento do número de células) em crianças e adultos. Ele faz isso em tecidos, incluindo músculos e ossos. O IGF-2 é altamente ativo durante o desenvolvimento fetal, ajudando no crescimento celular (proliferação) e na formação de tecido, mas se torna muito menos ativo após o nascimento.
      IGF-1: bom ou mau?
      Quais são os benefícios do IGF-1, e eles superam os riscos envolvidos em ter níveis mais altos desse hormônio?
      Aqui estão algumas das coisas positivas que ele faz para nós (mais sobre isso abaixo):
      Ajuda a construir massa muscular e aumentar a força Ajuda a prevenir a perda muscular Pode melhorar o desempenho físico, melhorar a recuperação muscular e ajudar na cicatrização de lesões Pode ajudar a regular os níveis de gordura corporal (tecido adiposo) Cria força em resposta ao treinamento de força. Ajuda a construir ossos e protege contra a perda óssea Pode ajudar a regular os níveis de açúcar no sangue e diminuir os fatores de risco para diabetes Apoia o crescimento e desenvolvimento em crianças Pode ajudar a proteger a saúde cognitiva e lutar contra doenças neurológicas ou perda de células cerebrais, agindo como um fator neurotrófico Apoia o crescimento endotelial vascular Pode ajudar a prevenir o enfraquecimento da pele Pode ajudar a prevenir hipoglicemia (baixos níveis de açúcar) Pode ajudar a apoiar a função renal e a filtração do sangue Por outro lado, aqui estão alguns dos efeitos negativos que ele pode ter em nossa saúde:
      Pode promover o desenvolvimento do câncer Pode levar a uma diminuição no tempo de vida (de acordo com estudos em animais) Para algumas pessoas, quando ouvem a palavra IGF-1, a primeira coisa que vem à mente são as drogas que melhoram o desempenho. É importante ressaltar que a suplementação para aumentar o desempenho não é recomendada e nem necessariamente segura. Isso foi associado a efeitos colaterais, incluindo:
      Metabolismo da glicose prejudicada e hipoglicemia Edema retiniano Fadiga Mudanças na função sexual Dor muscular grave 5 benefícios do IGF-1
      1. Ajuda a construir músculos
      Muitos estudos mostram que o IGF-1 estimula a hipertrofia do músculo esquelético e uma mudança para o metabolismo glicolítico, permitindo que você construa força. Ele também ativa vários canais que ajudam na expressão de outros fatores de crescimento. E pode ajudar a diminuir a perda de massa muscular relacionada à idade (também chamada de sarcopenia ou atrofia muscular), preservando a massa muscular magra.
      2. Ajuda a prevenir o declínio cognitivo em adultos idosos
      Aqui está outra descoberta interessante quando se trata de retardar os efeitos do envelhecimento: maiores concentrações circulantes de IGF-1 em adultos mais velhos podem ajudar a prevenir a perda neuronal e o declínio relacionado à idade nas funções cognitivas.
      Pesquisadores de um estudo disseram:
      “Descobrimos que os níveis de IGF-I estão significativamente associados aos desempenhos no teste de Substituição do Símbolo de Dígito e na Tarefa de Mudança de Conceito, que mede a velocidade de processamento mental e perceptivo-motor. Indivíduos com níveis mais altos tiveram melhor desempenho nesses testes, cujo desempenho é conhecido por diminuir com o envelhecimento ”.
      Os especialistas acham que o IGF-1 pode ajudar a impulsionar a função executiva (um conjunto de habilidades mentais que ajudam a completar as tarefas diárias) e a memória verbal. E em certos estudos com animais, descobriu-se que o IGF-1 pode ajudar a proteger contra a doença de Parkinson e induzir a depuração de betas amilóides no cérebro, que em níveis elevados estão associados à doença de Alzheimer.
      3. Auxilia na Saúde Metabólica e Combate o Diabetes Tipo 2
      IGF-1 e insulina trabalham juntos para manter os níveis de açúcar no sangue estáveis. Dependendo dos tipos de alimentos que você come, eles determinam o que seu corpo usará para energia (gordura ou glicose) e onde o excesso de energia será armazenado. Alguns estudos descobriram que, quando pacientes diabéticos tipo 2 são tratados com IGF-1, os níveis de açúcar no sangue diminuem, a sensibilidade à insulina melhora e os lipídios sanguíneos também melhoram. Também pode ser benéfico quando você está jejuando ou seguindo a dieta cetogênica porque pode ajudar você a queimar gordura como combustível em vez de glicose.
      4. Ajuda a construir ossos e preservar a saúde óssea
      O IGF-1 demonstrou desempenhar um papel na formação óssea e pode ajudar a prevenir a perda óssea na velhice (especialmente em mulheres pós-menopáusicas que correm o maior risco de doenças relacionadas com os ossos, como a osteoporose). Os pesquisadores acreditam que o hormônio estimula a formação óssea por ter um efeito direto sobre os osteoblastos.
      O hormônio do crescimento e IGF-1 também são fundamentais no crescimento do esqueleto durante a puberdade. Um estudo que enfocou a densidade mineral óssea e o conteúdo mineral ósseo (CMO) em 59 afro-americanos e 59 meninas brancas, com idades entre 7 e 10 anos, descobriu que concentrações plasmáticas de IGF-1 mais elevadas estavam correlacionadas com melhor IMC em idade mais jovem também.
      5. Facilita o crescimento e o desenvolvimento
      Estudos descobriram que concentrações mais altas de IGF-1 em fetos resultam em tamanho fetal maior. Em estudos com animais, a deficiência de IGF-1 foi associada a um comprometimento do desenvolvimento neurológico, sugerindo que o IGF-1 tem papéis específicos no crescimento axonal e na mielinização. A deficiência no IGF-1 também tem sido associada à mortalidade neonatal.
      Como o IGF-1 é um promotor de crescimento, faz sentido que os níveis sanguíneos de IGF-1 aumentem progressivamente durante a infância e alcancem o pico na época da puberdade. Após a puberdade, quando o crescimento rápido é concluído, os níveis de IGF-1 diminuem. Os defeitos no gene que ajuda a estimular a produção de IGF-1 causam deficiência de fator de crescimento semelhante à insulina I, que está associada ao crescimento e desenvolvimento atrofiados.
      Perigos do IGF-1
      1. Pode contribuir para o desenvolvimento do câncer
      O IGF-1 é o que alguns chamam de “promotor de crescimento”, porque tem demonstrado promover o crescimento de células cancerosas. Esta é uma razão pela qual a pesquisa sugere que adultos mais velhos que têm níveis mais baixos de IGF-1 também têm um risco menor de desenvolver certos tipos de câncer, incluindo câncer de mama, ovário, próstata, colorretal e pulmão. Alguns estudos encontraram uma associação especialmente forte entre as concentrações circulantes de IGF-1 e o risco de câncer de mama em mulheres na pré-menopausa, mas não na pós-menopausa.
      Ainda não está totalmente claro como o IGF-1 pode contribuir para o câncer. Alguns acreditam que o IGF-1 pode causar aumento da transformação celular, migração celular, metástase e crescimento de tumores. Parece que o IGF-1 não causa câncer, mas pode permitir que ele progrida e se espalhe mais rapidamente.
      No geral, ainda há mais para aprender sobre como o IGF-1 pode afetar o risco de câncer, mas, por enquanto, não é considerado seguro suplementar com o IGF-1 sem ser informado por um médico. É considerado um suplemento ilegal e proibido em esportes profissionais, o que deve ser suficiente para você pensar duas vezes antes de usá-lo! 2. Pode diminuir o tempo de vida
      Em certos estudos em animais realizados em ratos, vermes e moscas, os níveis de IGF-1 diminuíram, na verdade, levando a uma maior longevidade. O aumento do hormônio do crescimento em quantidades significativas tem sido demonstrado, em alguns estudos com animais, reduzir o tempo de vida em até 50%, enquanto a redução dos níveis mostrou aumentar em até 33% o tempo de vida.
      Ainda não está totalmente claro por que isso acontece, e o assunto continua controverso. IGF-1 menor pode promover uma vida mais longa em animais, mas, por outro lado, alguns especialistas acreditam que o IGF-1 pode aumentar a expressão de genes associados à resistência ao estresse e ajudar a combater o estresse oxidativo. O IGF-1 pode ajudar a diminuir as respostas inflamatórias, suprime o estresse oxidativo e diminui a progressão da aterosclerose. Com base nesses achados, ainda não se sabe como os hormônios de crescimento influenciam a longevidade, as respostas inflamatórias e o desenvolvimento de doenças crônicas.
      Como aumentar o IGF-1 vs. Inibir
      Em geral, para manter a saúde ideal, você quer ter um nível normal/moderado, mas não muito ou pouco. Alguns estudos sugerem que ter o que é considerado um nível muito baixo ou muito alto de IGF-1 pode aumentar o risco de morte (também conhecido como risco de mortalidade).
      Então, o que é considerado um nível normal? Depende da sua idade e sexo. Os machos têm níveis mais elevados de do que as fêmeas. A adolescência é o momento em que os níveis devem ser mais altos, antes de diminuir e depois diminuir durante a vida adulta. Aqui estão aproximadamente os intervalos de referências normais de exame de IGF-1, dependendo da sua idade:
      0-3 anos: 18-229 ng / mL 4-8 anos: 30-356 ng / mL 8 a 13 anos: 61 a 589 ng / mL 14 a 22 anos: 91 a 442 ng / mL 23 a 35 anos: 99 a 310 ng / mL 36 a 50 anos: 48 a 259 ng / mL 51-65 anos: 37-220 ng / mL 66-80 anos: 33-192 ng / mL 81-> 91 anos: 32-173 ng / mL Existem Alimentos que aumentam o IGF-1?
      De certa forma, sim. Você pode aumentar a produção de IGF-1 comendo uma dieta saudável que inclui quantidades moderadas de proteína (mas não quantidades muito altas) e pobre em açúcar e carboidratos processados. É importante comer uma dieta não processada e rica em nutrientes que ajude a apoiar a sensibilidade à insulina, uma vez que o IGF-1 e a insulina funcionam em conjunto de várias maneiras e se equilibram mutuamente. A insulina regula o metabolismo energético e também aumenta a bioatividade do hormônio.
      Estudos sugerem que dietas ricas em proteínas podem aumentar os níveis de IGF-1, mas que maior ingestão de gordura, em particular gordura saturada, pode levar a níveis mais baixos. Jejum e “dietas extremas” podem fazer com que os níveis de IGF-1 caiam e permaneçam inativos por um período de tempo. A produção de IGF-1 pode diminuir em resposta a jejum intermitente, restrição calórica ou fome, porque não há combustível suficiente disponível temporariamente para construir novos tecidos. No entanto, de acordo com alguns estudos com animais, os níveis podem se recuperar após 24 horas de realimentação, embora não aos níveis iniciais.
      Coisas que aumentam o IGF-1:
      Exercícios intensos / extenuantes de exercícios e HIIT – Exercícios vigorosos ajudam a liberar mais hormônio do crescimento, especialmente quando você acabou de começar esse tipo de exercício. Com o tempo, porém, à medida que seu corpo se adapta ao exercício intenso, você pode começar a liberar menos. Resistência / treinamento de força – O treinamento de força é uma das melhores maneiras de aumentar o IGF-1 e reter a massa muscular. Ajuda-nos a adaptar ao “stress” que os nossos músculos sofrem quando os desafiamos com pesos pesados. O fato de podermos construir força e massa muscular magra quando treinamos força pode ser parcialmente atribuído ao hormônio do crescimento e ao IGF-1. Comer quantidades elevadas de laticínios e proteínas – Há algumas evidências de que o alto consumo de proteína dos produtos lácteos pode levar a níveis sanguíneos mais altos. Comer bastante calorias para apoiar o seu nível de atividade e necessidades. Dormir o suficiente – A privação do sono pode interferir na saúde geral dos hormônios de várias maneiras. Ter sono de qualidade é importante para a produção de hormônio do crescimento, recuperação do exercício, saúde neurológica, controle do apetite e muito mais. Sessões de sauna – Certos estudos sugerem que sessões de sauna de 60 minutos duas vezes por dia durante uma semana podem aumentar significativamente a produção do hormônio de crescimento, que se acredita também se aplicar ao IGF-1. Para reiterar meu ponto acima, não é seguro complementar com o IGF-1 no momento. A suplementação deve ser feita apenas em circunstâncias muito específicas e quando você está sendo monitorado de perto por um médico.
      Coisas que Inibem o IGF-1:
      Envelhecimento, uma vez que a idade avançada está associada à diminuição da produção de hormônios de crescimento Restrição calórica, jejum, dietas extremas e restrição proteica Altos níveis de insulina, uma vez que isso pode diminuir a necessidade do corpo por IGF-1 Estilo de vida sedentário / falta de exercício Privação de sono Níveis mais altos de estrogênio, como a alta ingestão de lignanas e alimentos fitoestrógenos, como soja. Alta ingestão de álcool Altos níveis de estresse Considerações finais sobre o IGF-1
      É um hormônio peptídeo anabólico, seu papel envolve estimular o crescimento de células e tecidos, incluindo músculos e ossos. O IGF-1 possui ambos os efeitos benéficos, incluindo a luta contra os efeitos do envelhecimento, mas também alguns efeitos potencialmente prejudiciais. Os benefícios incluem: construir massa muscular, prevenir a perda de massa muscular, construir massa óssea, ajudar no crescimento, controlar os níveis de açúcar no sangue e proteger contra distúrbios neurológicos.
      Os perigos do IGF-1 incluem: aumentar potencialmente o risco de alguns cancros e reduzir a esperança de vida.
      Exercício, jejum e outros “estressores benéficos”, como a terapia de sauna, podem aumentar os níveis de IGF-1. Ser sedentário, ter altos níveis de insulina, estresse e privação de sono pode inibir os níveis de IGF-1.
      https://nutrindoideias.com/hormonios/igf-1/
×