Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Os riscos do excesso de gordura corporal: Brasil e o mundo obesos.


Post Destacado

Se você está gordinho, você não é saudável, independente se seus exames estão bonitinhos. Vou falar bastante sobre esse assunto.

A obesidade e excesso de gordura corporal é extremamente preocupante e é algo que quero estudar até o resto da minha vida. A sociedade está e é doente, e quando o indivíduo quer mudar, ele busca o caminho mais "fácil" ou mais rápido, causando diversos problemas e desordens metabólicas. Farei vários posts a respeito dos meus novos conhecimentos adquiridos e que estão sendo  adquiridos. Abaixo vai a introdução do meu TCC de educação física.

Segundo Conde e Borges (2011), no Brasil nos anos de 2008 a 2009, cerca de 10% da população adulta se encontra com obesidade, é estimado também que cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo estão com excesso de peso, e 300 milhões destas são obesas. Estimativas para o ano de 2025 é de que 40% da população dos EUA, 30% na Inglaterra e 20% no Brasil se encontram obesas. A obesidade está associada ao desenvolvimento de doenças crônicas e aumento de mortalidade precoce. É estimado que as doenças crônicas foram responsáveis por 70% das mortes no Brasil no ano de 2000.

Um terço dos norte-americanos adultos estão acima do peso. Em 1960 o percentual de americanos extremamente obesos era zero, sendo em 2010 6% da população (FRYAR;  CARROLL; OGDEN, 2012). 45% das mulheres e 30% dos homens norte-americanos estão sempre tentando reduzir a massa corporal, e é estimado que a cada ano, 300 mil indivíduos norte americanos morrem de doenças relacionadas com a obesidade (KRAEMER; FLECK; DESCHENES; 2013). Um levantamento telefônico randomizado foi feito com 110 mil adultos norte-americanos e foi constatado que 70% das pessoas se esforçam para perder peso ou apenas para manter o peso corporal, dentre estas, 30% são homens e 40% eram mulheres. Os que tentam perder peso gastam cerca de 40 bilhões de dólares por ano com produtos e serviços destinados a reduzir o peso, sendo a maior parte das vezes utilizando práticas dietéticas e medicamentos potencialmente prejudiciais ao mesmo tempo que ignoram programas sensatos de redução ponderal. Cerca de 2 milhões de norte-americanos gastam mais de 125 milhões de dólares em pílulas dietéticas supressoras de apetite que são obtidas sem receita médica (McARDLE; KATCH; KATCH, 2008).

A obesidade é um problema de saúde pública no mundo, é a principal causa de morte evitável. Ela é resultante da ação de fatores ambientais como hábitos alimentares, atividade física e condições psicológicas, fazendo-se necessária a mudança de estilo de vida (ROCHA, et al, 2014). O consumo de açúcares pode contribuir consideravelmente para o desenvolvimento e prevalência da obesidade (RICCO, 2016). O sono e sua qualidade, tem influência sobre os hábitos alimentares e pode levar a um aumento de consumo de carboidratos simples (CARVALHO, et al, 2016).

A obesidade além de ser um fator primário relacionado a diabetes tipo 2, hipertensão, artrite, gota, e anormalidades menstruais, também tem sido relacionada com diversos outros tipos de doenças como aterosclerose, doença cardiovascular, efeitos negativos no perfil lipídico do sangue, apneia do sono, osteoartrite, complicações na gravidez e cirurgia, alguns tipos de câncer e doença da vesícula biliar. A deposição de gordura corporal na área abdominal é mais fortemente relacionada as doenças anteriormente ditas do que a deposição de gordura concentrada na porção periférica (KRAEMER; FLECK; DESCHENES; 2013).

Estudos apontam que indivíduos obesos metabolicamente normais apresentam maiores riscos de eventos em comparativo com pessoas de peso normal metabolicamente saudáveis. Não existe um nível ou padrão saudável de aumento de peso (KRAMER; ZINMAN; RETNAKARAN, 2013). A mudança desfavorável da composição corporal como redução de massa muscular e aumento do tecido adiposo está associado ao maior risco de morbidade e mortalidade precoce. Em um estudo epidemiológico com 588 369 mulheres e 457 785 homens adultos norte-americanos com idade superior a 30 anos avaliaram a relação entre índice de massa corporal (IMC) e o risco de morte por todas as causas em quatro subgrupos, caracterizados de acordo com tabagismo, raça, histórico de doença e idade. Os resultados deste estudo mostraram que o ponto mais baixo da curva entre índice de massa corporal e mortalidade foi observado no IMC entre 23,5 e 24,9k/m² nos homens e 22 e 23,4kg/m² nas mulheres. Aumento significativo no risco de morte por doença cardiovascular foi observado a partir de 25kg/m² nas mulheres e 26,5kg/m² nos homens (COELHO; BURINI; 2009).

Link para o post
Compartilhar em outros sites
Tudo sobre esteroides

Curso sobre esteroides anabolizantes!

Domine o uso de esteroides neste curso de 8 módulos do médico Dr. Luiz Tintore

Clique aqui para conhecer

Temos o famoso IMC, que não deve ser colocado em prática para indivíduos com boa quantidade de massa muscular, mas é sim aplicável a grande parte da população, cálculo realizado pelos profissionais da saúde para medir riscos associados ao excesso de gordura corporal.

O sobrepeso ou obesidade podem ser diagnosticados utilizando o Índice de massa corporal (IMC), valores entre 25 a 29,9 são classificados com sobrepeso, valores de 30 ou mais, são classificados obesos (KRAEMER; FLECK; DESCHENES; 2013). Podemos também avaliar a relação cintura-quadril para uma classificação de maiores riscos de doenças crônicas não transmissíveis devido a obesidade tipo ginóide ter perfil metabólico mais alterado que a obesidade tipo periférica (McARDLE; KATCH; KATCH, 2008).

A força e consequentemente a massa muscular, tem efeitos protetores contra a prevalência de síndrome metabólica, mesmo entre homens com diagnóstico de sobrepeso e obesidade (COELHO; BURINI; 2009).

Aqui vai a segunda parte do artigo sobre: COMO ACONTECE E COMO QUEIMAR GORDURA. FISIOLOGIA

 

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • fisiculturismo alterou o título para Os riscos do excesso de gordura corporal: Brasil e o mundo obesos.
  • 4 meses depois...
Em 10/04/2019 em 09:13, maurice disse:

Se você está gordinho, você não é saudável, independente se seus exames estão bonitinhos. Vou falar bastante sobre esse assunto.

A obesidade e excesso de gordura corporal é extremamente preocupante e é algo que quero estudar até o resto da minha vida. A sociedade está e é doente, e quando o indivíduo quer mudar, ele busca o caminho mais "fácil" ou mais rápido, causando diversos problemas e desordens metabólicas. Farei vários posts a respeito dos meus novos conhecimentos adquiridos e que estão sendo  adquiridos. Abaixo vai a introdução do meu TCC de educação física.

Segundo Conde e Borges (2011), no Brasil nos anos de 2008 a 2009, cerca de 10% da população adulta se encontra com obesidade, é estimado também que cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo estão com excesso de peso, e 300 milhões destas são obesas. Estimativas para o ano de 2025 é de que 40% da população dos EUA, 30% na Inglaterra e 20% no Brasil se encontram obesas. A obesidade está associada ao desenvolvimento de doenças crônicas e aumento de mortalidade precoce. É estimado que as doenças crônicas foram responsáveis por 70% das mortes no Brasil no ano de 2000.

Um terço dos norte-americanos adultos estão acima do peso. Em 1960 o percentual de americanos extremamente obesos era zero, sendo em 2010 6% da população (FRYAR;  CARROLL; OGDEN, 2012). 45% das mulheres e 30% dos homens norte-americanos estão sempre tentando reduzir a massa corporal, e é estimado que a cada ano, 300 mil indivíduos norte americanos morrem de doenças relacionadas com a obesidade (KRAEMER; FLECK; DESCHENES; 2013). Um levantamento telefônico randomizado foi feito com 110 mil adultos norte-americanos e foi constatado que 70% das pessoas se esforçam para perder peso ou apenas para manter o peso corporal, dentre estas, 30% são homens e 40% eram mulheres. Os que tentam perder peso gastam cerca de 40 bilhões de dólares por ano com produtos e serviços destinados a reduzir o peso, sendo a maior parte das vezes utilizando práticas dietéticas e medicamentos potencialmente prejudiciais ao mesmo tempo que ignoram programas sensatos de redução ponderal. Cerca de 2 milhões de norte-americanos gastam mais de 125 milhões de dólares em pílulas dietéticas supressoras de apetite que são obtidas sem receita médica (McARDLE; KATCH; KATCH, 2008).

A obesidade é um problema de saúde pública no mundo, é a principal causa de morte evitável. Ela é resultante da ação de fatores ambientais como hábitos alimentares, atividade física e condições psicológicas, fazendo-se necessária a mudança de estilo de vida (ROCHA, et al, 2014). O consumo de açúcares pode contribuir consideravelmente para o desenvolvimento e prevalência da obesidade (RICCO, 2016). O sono e sua qualidade, tem influência sobre os hábitos alimentares e pode levar a um aumento de consumo de carboidratos simples (CARVALHO, et al, 2016).

A obesidade além de ser um fator primário relacionado a diabetes tipo 2, hipertensão, artrite, gota, e anormalidades menstruais, também tem sido relacionada com diversos outros tipos de doenças como aterosclerose, doença cardiovascular, efeitos negativos no perfil lipídico do sangue, apneia do sono, osteoartrite, complicações na gravidez e cirurgia, alguns tipos de câncer e doença da vesícula biliar. A deposição de gordura corporal na área abdominal é mais fortemente relacionada as doenças anteriormente ditas do que a deposição de gordura concentrada na porção periférica (KRAEMER; FLECK; DESCHENES; 2013).

Estudos apontam que indivíduos obesos metabolicamente normais apresentam maiores riscos de eventos em comparativo com pessoas de peso normal metabolicamente saudáveis. Não existe um nível ou padrão saudável de aumento de peso (KRAMER; ZINMAN; RETNAKARAN, 2013). A mudança desfavorável da composição corporal como redução de massa muscular e aumento do tecido adiposo está associado ao maior risco de morbidade e mortalidade precoce. Em um estudo epidemiológico com 588 369 mulheres e 457 785 homens adultos norte-americanos com idade superior a 30 anos avaliaram a relação entre índice de massa corporal (IMC) e o risco de morte por todas as causas em quatro subgrupos, caracterizados de acordo com tabagismo, raça, histórico de doença e idade. Os resultados deste estudo mostraram que o ponto mais baixo da curva entre índice de massa corporal e mortalidade foi observado no IMC entre 23,5 e 24,9k/m² nos homens e 22 e 23,4kg/m² nas mulheres. Aumento significativo no risco de morte por doença cardiovascular foi observado a partir de 25kg/m² nas mulheres e 26,5kg/m² nos homens (COELHO; BURINI; 2009).

Maurice, Bom Dia.

Sou novato nos treinos e aqui, mas vamos lá. Tenho 40 anos, acima do peso e iniciei uma rotina de treinos (supervisionada por médico), contudo desde o inicio algo me deixou muito encucado, eu era tabagista, desses de dois maços por dia quase, fui ao médico para exames de rotina e aquela catástrofe, resultado dieta, exercícios e para de fumar. A mudança alimentar e o inicio dos treinos fez com que eu diminui-se e muito o cigarro, mas não conseguia parar, ai resolvi por conta usar um tratamento para parar de fumar , e mantendo tudo, alimentação, treinos e tratamentos parei. Mas por incrível que pareça, ao retornar ao médico e contar que havia parado com o uso do tratamento para o meu espanto o cara surtou.... isso tem uns 06 meses, desde então troquei de médico, porém acredito ter feito o correto,. Estou certo?

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
  • Conteúdo similar

    • Por br3nnr
      Olá pessoal, início pedindo um norte quanto ao que proceder com o shape no momento.
      Minha ideia seria remover um pouco dessa camada de gordura abdominal que me incomoda um pouco e depois subir pra um off-season bem feito.
      Fiquem a vontade pra ajudar!
       
       
       
      Idade: 24
      Altura: 187
      Peso: 80
      Medicações em uso (Anticoncepcional, antidepressivo,anti hipertensivo, etc...): nenhuma
      Problemas de Saúde e história de cirurgias: nenhum
      Exames de sangue hormonais recentes OU que tiver recente= sim
      Tempo de treino: 2/3 anos
      Ciclos FEITOS com dose e tempo: nenhum
       
      Divisão de treino e horario do mesmo: Segunda  a Sexta 17h - 19h (1:20  de treino + aeróbico) Aeróbico: 30 minutos -  Também aeróbico em jejum todos os dias (45 minutos).
      Panturrilha e abdômen dia sim/dia não.
      A- Quadríceps e ombro.
      Mobilidade antes do treino.
      Agachamento livre - 1 série pra aquecimento 10kg cada lado pra 15 repetições, 4 séries pra 8/12 repetições.
      Leg 45° - 4 séries 12/18 repetições 
      Agachamento articulado - 4x12 
      Extensora - 4x15
      Flexora - 4x10
      Cadeira flexora - 4x10
      Elevação lateral
      Puxada queixo 
      Elevação frontal no pulley 
      Desenvolvimento ombro com alteres
      Posterior de ombro na máquina.
      B- Peito + tríceps (4x8/12)
      Peito máquina 
      Fly inclinado 
      Supino declinado 
      Peito no pulley (inferior de peito)
      Máquina peitoral (esse apenas 3 séries pra exaurir o restante do músculo) 
      Tríceps testa 
      Tríceps corda 
       
      C- Costas, Trapézio e e bíceps (4x 8 a 12)
      Barra pra aquecer 4x
      Puxada frente 
      Puxada baixa 
      Remada curvada 
      Remada unilateral 
      Levantamento terra 
      Encolhimento trapézio
      Bíceps máquina 
      Rosca unilateral
      Rosca martelo 
       
       
      Dieta com quantidade de proteina/carboidrato/gordura por dia:
      Proteína: 160
      Carboidrato: 90gr 3 dias pra 250 high 
      Gordura: 60gr
      Obs, com excessão da primeira refeição que não tem carbos, as demais eu dou variada nelas batendo sempre os macros do dia.
       
      Refeição 1: 90 gr frango + 3 ovos brancos
      Refeição 2 (almoço) : Músculo moído 150gr + 100 arroz + caldinho do feijão (esse eu não peso) + legumes e salada 
      Refeição 3: 120gr frango + aveia + banana 
      Refeição 4: 120gr frango + arroz ou batatas 
       
      + Whey da integral que jogo no café sem açúcar pra bater as proteínas (fica bom demais).  
      EU sempre peso todos os alimentos e régulo dentro dos meus macros do dia. O que acontece é que sempre dou uma mudada por comodidade mesmo, tenho total disponibilidade de manter os mesmos alimentos por dia. 
      Proteínas que uso são peito de frango + Músculo moído. Carboidratos são arroz branco, batata inglesa, banana, aveia e pão integral e fonte de gordura gosto de abacate + azeite (tô com 30 pacotes de 120 gramas de abacate congelado no freezer) kkk

       
       
      Líquidos: 4 - 5 litros dia
      Fotos 

       





    • Por Deives Francis
      Esta matéria pretende quebrar paradigmas para que você reveja seus conceitos quando o assunto é saúde, boa forma física e bem-estar.
      Muitas pessoas cometem o engano de achar que contratar um Personal Trainer, pagar uma consultoria para receber melhores orientações, comer comidas mais saudáveis e naturais e suplementar por meses seguidos, para sempre, para o resto da vida, é um gasto muito alto, ou pior ainda, um gasto desnecessário.
      Vou explicar detalhadamente todos estes enganos:
      - Contratar um Personal Trainer
      Nunca é um gasto. É a procura extraordinária pela mudança correta no estilo de vida voltado a saúde e a boa forma física, é um investimento enorme para aquilo que é mais importante para você, “a sua vida, vivida com BEM-ESTAR!” Pense que você irá: dormir melhor, trabalhar melhor, melhorar sua auto-estima, tornar-se mais calmo e tolerante, melhorar sua aptidão física, melhorar sua saúde geral, melhorar aptidão e vigor sexual, e também prevenir ou tratar inúmeras doenças, tais como: câncer, diabetes, coronariopatias e outros problemas vasculares, hipertensão, arteriosclerose, osteoporose, fibromialgia, etc. E tudo isso sendo adquirido em menor período de tempo, e o mais importante, com maior segurança. Isso, é claro, de acordo com a experiência do Personal contratado.
      - Pagar por uma Consultoria
      É uma ótima alternativa para aquele que não tem a possibilidade de treinar com horário marcado com um Personal Trainer, além de ser uma alternativa mais barata para aquele que também quer receber melhores orientações na programação dos treinamentos, nas orientações alimentares e no melhor uso dos suplementos.
      Com esta sinergia, você terá melhores resultados em períodos mais rápidos, e algumas pessoas até podem gastar menos com isso, pois, muitas pessoas compram suplementos e fazem uso de diversos outros recursos para melhorar sua forma física gastando fortunas.
      E quase sempre não funciona ou funciona apenas por um pequeno período de tempo, o que faz com que o individuo desista rapidamente do seu objetivo, pois, o individuo não procurou um profissional para lhe ajudar a mudar seu estilo de vida da forma mais coerente e educacional possível.
      A mudança no estilo de vida é que vai levar a resultados mais rápidos e sólidos, que se perpetuam por toda vida. Todos precisam de um profissional para ajudar nessa tarefa.
      - Alimentos Saudáveis
      Comparar o preço de pão integral com o pão branco comum, assim como outros alimentos das prateleiras mais saudáveis do supermercado, a principio, pode indicar que você irá gastar mais.
      Porém, devemos avaliar um todo, pois, aqui, estamos falando principalmente de uma mudança no estilo de vida, uma mudança em nosso comportamento em nossas escolhas. Pense no quanto irá economizar com outras comidas e principalmente guloseimas no supermercado.
      Pense em como irá economizar quando passar a fumar menos, ou até mesmo parar de fumar. Pense no quanto irá economizar quando passar a beber menos, apenas nos finais de semana, ou até mesmo parar de beber.
      O gasto com alimentos mais saudáveis foi decorre de uma escolha no estilo de vida mais saudável. E isso implica em outras mudanças e escolhas que nos farão, no final, gastar até menos. Some-se a isso que uma alimentação saudável vai te prevenir de inúmeras doenças e poderá lhe proporcionar economias imensuráveis.
      - Utilizar Suplementos Alimentares
      Não é um gasto extra em nosso orçamento, faz parte da nossa nutrição diária com qualidade. É como se estivéssemos no supermercado escolhendo o alimento mais saudável para colocar no carrinho.
      A única diferença é que, neste caso, você estará dentro de uma loja de suplementos. Você apenas optou por escolher por uma fonte diferente de determinado nutriente, por exemplo, no mercado você pode escolher como fonte de proteína o peito de frango ou um corte magro como o patinho, mas também pode optar por um mix protéico na forma de suplemento alimentar ou uma Whey Protein, considerada a melhor proteína para a saúde humana!
      E não posso deixar de mencionar que hoje os suplementos alimentares são classificados como alimentos pelas ultimas determinações da ANVISA.
      Pense naquele trabalhador extremamente atarefado, um plantão médico, um plantão policial, um bancário, etc. Muitas vezes eles não conseguem parar 20 minutos para comer nesse estilo de vida atarefado. Quase sempre este indivíduo, querendo poupar tempo, gasta muito dinheiro sem perceber, comendo besteiras.
      Os fast foods como uma esfirra, pastel, coxinha, sanduíches, MC Donalds, com Coca-Cola, refrigerantes, sucos, entre outras coisas que acabam com a saúde e ainda deixam com uma aparência desagradável aos seus próprios olhos, prejudicando a auto-estima.
      Há outros efeitos deletérios. Essas comidas custam muito dinheiro. Pare e some o quanto você gasta por dia com estas comidas e faça um cálculo mensal. Garanto que muitos gastam mais que 300,00 reais por mês, o que daria para comprar um ótimo suplemento que viesse substituir estes alimentos não saudáveis.
      O gasto seria o mesmo, ou até menor, e, ainda, melhoraria a saúde, forma física e qualidade de vida. Os suplementos contém nutrientes altamente saudáveis e ainda não contém hormônios, agrotóxicos, fertilizantes, maus tratos em sua conservação e transportes, entre inúmeros outros fatores que tornam os alimentos dos dias de hoje menos saudáveis.
      Outro engano é o preconceito que muitos têm em relação ao uso de suplementos alimentares, acreditando que isso possa fazer mal a saúde de algum indivíduo. O mais engraçado é que ninguém pensa se estará prejudicando sua saúde quando vai escolher alguma guloseima no mercado. Garanto que isso é muito pior para sua saúde. Vou mais além. Para mim, é uma ignorância enorme acreditar que comprar um suplemento alimentar em uma loja especializada venha provocar algum mal a saúde, pensamento hipócrita! Quando eu me deparo com a mãe de um garoto na academia que não deixa seu filho de 17 anos comprar suplementos por acreditar fazer mal, vejo que a mesma mãe, quando seu filho ainda criança, dava a ele quatro latas de Sustagem todo mês, comprado na farmácia.
      Agora vou fazer algumas colocações: o Sustagem nada mais é do que um suplemento alimentar. É alimento em pó, assim como qualquer outro vendido em lojas especializadas. Agora, talvez, seja o fato de ele possuir um rótulo com carinhas de bebes sorridentes, desenhos de passarinhos, entre outras figuras amigáveis, que mude a impressão de quem compra,ou, talvez, por ser comprado dentro da farmácia.
      A ingênua mãe associou isso à saúde, mas vamos lembrar que farmácia não é saúde, farmácia é doença, pois, remédio não é para a saúde, e sim para tratar doenças. Por isso o nome Drogaria, onde se vendem drogas. Então mamãe, vou terminar este pequeno artigo deixando-lhe um recado muito especial para você: toda vez que você estiver estimulando seu filho adolescente a ir para a academia, a comer melhor, contratar um profissional para ajudá-lo da melhor maneira, suplementar a cada mês é um estilo de vida.
      Você estará ingressando seu filho em mundo de saúde, em um universo do bem-estar, da boa auto-estima, da disciplina, da determinação, e além disso, estará afastando ele do mundo das drogas alucinógenas ou estimulantes como bebidas alcoólicas, fumo, cocaína, crack.
      Estará o afastando de pessoas e amizades que nada condizem com um bom estilo de vida, que muitas vezes isso o atrapalham muito nos seus estudos, trabalho, etc. Estimular um estilo de vida saudável, como a proposta deste texto, pode ser o melhor para seu filho.
      Desta forma, a escolha é sua. Espero que leiam este texto inúmeras vezes se necessário, e, assim, entendam e quebrem alguns paradigmas a que somos constantemente e erroneamente subordinados. Pessoal, entendam de uma vez que suplementação é comida em seu maior ápice e estado de desenvolvimento.
      Assim como a humanidade inteligente vem cada dia mais se beneficiando da evolução e desenvolvimento da tecnologia com a indústria automobilística, informática, comunicação, agora, também, estamos evoluindo em nossa alimentação.
      A chave desta evolução está no uso dos suplementos alimentares, onde, logo, todos terão quebrados seus preconceitos. É provável que alguns suplementos alimentares já tenham sido incluídos em sua alimentação, até mesmo da dona de casa, do idoso, da criança, do adolescentes e todos, e não apenas dos praticantes de atividade físicas. É um engano achar que apenas eles precisam de suplementos. Suplementos não servem apenas para o otimização da pratica esportiva, suplemento alimentar, por si só, é saúde, independentemente de exercícios físicos.
    • Por fisiculturismo
      É bem sabido que o treinamento com pesos na musculação estimula a produção natural de hormônios anabólicos ou anabolizantes pelo corpo. Existem algumas técnicas de treinamento que podem estimular ainda mais essa produção natural de hormônios, inclusive da testosterona.
      O planejamento das variáveis do treinamento com pesos tem reflexo direto na produção hormonal. Por exemplo, tempos maiores de descanso entre as séries aumentam a produção natural de testosterona (e de massa muscular), enquanto que tempos menores de descanso implicam na maior produção do hormônio do crescimento (GH) (e de definição).
      A seguir, apresentaremos algumas variáveis do treinamento e as respectivas respostas hormonais pelo organismo.
      Exercícios Multi-articulares
      Os exercícios multi-articulares estimulam maior produção natural de testosterona pelo corpo, comparando-se com exercícios não multi-articulares ou isolados. São exemplos de exercícios multi-articulares: agachamento, levantamento terra, supinos e levantamento olímpico. São exemplos de exercícios isolados: extensão de tríceps e burrinho (panturrilha).
      Cargas Elevadas
      Quanto maior a carga ou peso empregado no exercício, maior será a estimulação da produção natural de testosterona. Baseie-se na técnica do 1RM (defina como carga 85 a 95% do peso com o qual você consegue executar uma única repetição com movimento perfeito) e adote séries com aproximadamente 6 a 8 repetições com carga máxima, para fadigar a musculatura em cada série.
      Maior Intervalo entre as Séries - Foco na Testosterona e Hipertrofia
      Quanto maior for o intervalo adotado entre as séries, maior será a produção natural de testosterona. Um estudo científico observou a produção de testosterona em séries de agachamento e supino com intervalos entre 60 (sessenta), 90 (noventa) e 120 (cento e vinte) segundos. A maior liberação de testosterona ocorreu com o intervalo de 120 (cento e vinte) segundos.
      Menor Intervalo entre as Séries - Foco no Hormônio do Crescimento (GH) e Definição
      Quanto menor for o intervalo adotado entre as séries, maior será a produção natural de hormônio do crescimento (GH). O GH é necessário para a síntese protéica, recuperação dos tecidos e queima de gordura. O mesmo estudo mencionado no item anterior revelou que o intervalo de 60 (sessenta) segundos é o que resultou maior liberação de hormônio do crescimento (GH).
      Treinamento com Ênfase na Fase Excêntrica
      Dar ênfase na fase excêntrica do treinamento com pesos implica em maior liberação de GH. Um estudo avaliou a produção natural do hormônio do crescimento comparando um treinamento tradicional (mesma carga na fase excêntrica - movimento a favor da gravidade - e na fase concêntrica - movimento contra a gravidade) e um treinamento com ênfase na fase excêntrica.
      Foram avaliadas as respostas do treinamento de agachamento e supino. O treino tradicional era de 4 (quatro) séries de 6 (seis) repetições com aproximados 52,5% de 1RM. O treino de ênfase excêntrica consistiu em 3 (três) séries de 6 (seis) repetições com aproximados 40% de 1RM para a fase concêntrica e 100% de 1RM para a fase excêntrica.
      Foi significativamente maior a liberação de GH no treinamento de fase excêntrica, e houve melhor resposta de lactato no pós-treino para este tipo de treinamento.
      Portanto, o treinamento com ênfase na fase excêntrica é melhor para definição. Todavia, a execução desse tipo de treinamento é mais difícil, e, normalmente, demanda um parceiro de treino ou um personal trainer.
      Lembre-se que a ênfase na fase excêntrica no treinamento não precisa se dar apenas pela alteração da carga, como se deu no estudo mencionado acima. A execução do exercício com maior tempo na fase excêntrica também serve para enfatizá-la, e provoca maior hipertrofia pela maior liberação natural de hormônios, principalmente o GH, o IGF-1 (fator de crescimento similar à insula) e o MGF (ou IGF-1Ec).
      Treinar com Correntes ou Elásticos
      Os músculos são mais fracos quando estão próximos da contração máxima de movimento. Por isso, a adoção de correntes ou elásticos para aumentar a carga do exercício no momento em que há mais força para execução é uma técnica que é adotada por alguns fisiculturistas aumentar a hipertrofia.
      Não há estudos específicos que revelem maior liberação hormonal pelo emprego dessas técnicas, no entanto, há muitos estudos que indicam que o aumento da hipertrofia aumenta a liberação natural de GH. Logo, treinar com correntes ou elásticos pode aumentar a liberação do hormônio do crescimento.
      Isometria
      Pausas isométricas no treinamento aumentam a tensão instramuscular e elevam a liberação natural de IGF-1. Por exemplo, no supino, você pode segurar a barra quase encostada no peito por 4 (quatro) segundos em cada repetição.
      Treino com Pirâmide Crescente e Descrescente Intercaladas
      A variação do treinamento com técnicas estilo pirâmide (variação de carga e repetição dentro de uma mesma sessão de treinamento) influencia na regulação dos receptores androgênicos e aumenta a resposta da testosterona no organismo. Use pirâmides crescentes e pirâmides decrescentes intercaladas, colocando ainda mais carga na pirâmide crescente posterior.
      Repetições Forçadas
      Um parceiro de treino ou um personal trainer é essencial para se adotar esse tipo de treinamento. As repetições forçadas, após a fadiga, com a ajuda de um terceiro, aumentam a produção natural de GH  e de IGF-1. Foi realizado um estudo avaliando o exercício de agachamento realizado até a fadiga e realizado com repetições forçadas com a ajuda de um parceiro de treino.
      No estudo, o número de repetições foi definido em 12 (doze). O treinamento de repetições forçadas consistiu em 8 (oito) repetições até a fadiga e mais 4 (quatro) repetições com auxílio ou forçadas. No treinamento sem repetições forçadas, deveriam ser realizadas 12 (doze) repetições até a fadiga, sem ajuda.
      O treinamento com repetições forçadas promoveu maior liberação natural de testosterona. Constatou-se que o exaurimento quase que absoluto das fibras musculares pelas repetições forçadas implicou no aumento da síntese protéica por até 72 (setenta e duas) horas após o treino.
      Exaurimento Final
      Findo o treino, outra técnica que pode ser adotada para aumentar a resposta hormonal natural do organismo são exercícios para exaurimento ou esgotamento final. Para promover esse exaurimento você pode combinar as técnicas de pausas isométrica e ênfase na fase excêntrica dos movimentos. Essa promoção de exaurimento final eleva a produção natural de IGF-1 e MGF.
      Por exemplo, para exaurir completamente a musculatura dos braços (num treinamento de bíceps), faça barra fixa com a pegada supinada e a pegada fechada. Suba o corpo até que se forme um ângulo de 90 (noventa) graus no cotovelo e segure a posição por 30 (trinta) segundos. Desça lentamente, e faça quantas repetições conseguir (até não sobrar força alguma nos braços). Use caneleiras se necessário.
      Conclusão
      O aumento dos hormônios anabólicos ou anabolizantes pode se dar naturalmente, pelo treinamento com pesos. Utilize as variáveis do treinamento para aumentar a sua hipertrofia ou definição muscular. As técnicas indicadas nesta matéria dificilmente poderão ser inseridas numa única sessão de treinamento. Planeje com seu professor ou personal trainer as melhores técnicas para cada grupamento muscular, e, também, para o seu programa de periodização de treino. Aproveite ao máximo cada sessão de treinamento na academia!
       
      Fontes:
      7 Smart Ways to Boost Your Testosterone 6 Ways to Increase Testosterone With Exercise All Natural: What Are the Best Protocols to Naturally Increase Hormone Response, Such as Testosterone, with Weight Training?  
    • Por Daniela R Del Giorno
      Olá amigos do ferro! De volta após um hiato maior do que gostaria para mais um pouquinho de conhecimento sobre uma das coisas que mais gostamos de fazer na vida: levantar pesos! A causa foi justa, pois estava estudando, pesquisando, publicando...
      Tudo para trazer conteúdo cada vez melhor para os leitores do site, para os meus alunos e para a sociedade, em geral! Por um mundo com mais saúde, força e ferrugem! =D
      Antes de responder a pergunta que dá título à matéria, gostaria que os leitores registrassem duas informações: uma, que este artigo não vale para quem faz uso exógeno de hormônios. Segunda, que a hipertrofia muscular depende de dois tipos de estresse: o mecânico e o metabólico, onde ambos devem trabalhar de forma a interferir no processo catabólico/anabólico do tecido muscular, priorizando a elevação da síntese protéica e, consequentemente, o anabolismo.
      Em 2014, um dos maiores pesquisadores ocidentais do treinamento de força, William J. Kraemer, liderou um grupo de cientistas que gostaria de respostas sobre como homens e mulheres reagem a um protocolo de treinamento resistido de alta intensidade.
      Para isso, uma das formas possíveis era investigar o que chamamos, na ciência, de biomarcadores. Biomarcadores podem ser entendidos como substâncias-chave que, seja por estarem aumentadas ou diminuidas, nos revelam determinada informação. Biomarcadores de dano muscular, como mioglobina, creatina quinase e testosterona, no nosso contexto, ou seja, após uma sessão de treino, podem nos revelar se o ambiente fisiológico, o nosso corpo, está favorável à hipertrofia, se já podemos dar um novo estímulo ao músculo (treinar de novo), entre outras informações.
      Foi exatamente isso que este grupo fez! Eles submeteram homens e mulheres jovens e ambientados em musculação a um treino de alta intensidade e alto volume e colheram o sangue para fazer medições até 24h após a sessão.
      A sessão foi com 3 exercícios: agachamento, supino e levantamento terra. Após estabelecida a carga de 75% de 1RM, os participantes deveriam realizar um set com 10 repetições de um dos exercícios e imediatamente passar para o próximo.
      Ao finalizar os 3 exercícios, imediatamente retornavam ao primeiro para realizar 9 repetições e assim foram fazendo até terminarem com 1 repetição para cada. Após as devidas análises, foi constatado que:
      Percentualmente, o aumento da mioglobina em mulheres é maior do que em homens. Obs.: Mioglobina alta = efeito negativo para as células assimilarem novas informações, repararem as fibras musculares e assimilarem as células satélites. Traduzindo: atrapalha hipertrofia! A creatina quinase (CK) é substancialmente aumentada nos homens por até 24h após o treino. Já em mulheres, esse aumento só apareceu nas 24h após o treino. Obs: CK = grau de dano muscular. A testosterona aumenta até 150% (depende da pessoa!) durante os 15 minutos após o treino para os homens. Porém, em uma hora após a sessão, ela já retornou aos níveis basais (ao normal do sujeito). Nas mulheres, nada acontece! =( O que isto tudo nos diz na prática? Homens tem respostas inflamatórias mais eficientes e prolongadas, logo, criam um ambiente anabólico mais favorável que as mulheres.
      Meninas, treinar pesado não aumenta sua testosterona, logo, para qualquer problema de saúde que possa ter relação com a baixa deste hormônio, procure um endocrinologista!
      Também lembrem-se que treinar pesado NÃO vai te deixar “masculinizada”, “virilizada” ou seja lá o que for, porque você não tem testosterona suficiente para isso. Você pode até não acreditar no seu personal/coach/treinador/instrutor professor de educação física (sim, é “só” isso que tomos somos!), mas os números não mentem!
      Por fim, homens sofrem mais o efeito do “dano muscular” que as mulheres, portanto, podem ter a necessidade de um período de descanso maior entre as sessões de treino – e “naturais” devem levar isso em consideração mais ainda!
      Parece que mulheres se recuperam mais rápido, provavelmente por não sofrerem tanto o estresse metabólico do treinamento. Periodização adequada é a chave do negócio!
      Então, moças, sem choro e pau na preá, porque para a gente é (muito!) mais difícil! E, claro, bota mais 10!
      Referência:
      KRISTEN R. HEAVENS, TUNDE K. SZIVAK, DAVID R. HOOPER, COURTENAY DUNN-LEWIS, BRETT A. COMSTOCK, SHAWN D. FLANAGAN, DAVID P. LOONEY, BRIAN R. KUPCHAK, CARL M. MARESH, JEFF S. VOLEK, A. W. J. K. The Effects Of High Intensity Short Rest Resistance Exercise On Muscle Damage Markers In Men And Women. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 28, n. 4, p. 1041–1049, 2014. 
    • Por CanuttoFit
      1. Introdução
       
      Salve galera!
       
      Antes de começar o diário, irei me apresentar. Sou Canutto, tenho 19 anos. Comecei a treinar faz 6 anos.
      Me considero iniciante, mas sempre ando procurando estudar e dedicar meu tempo sobre diferentes assuntos envolvendo musculação, desde de treinos a ciclos e assim por diante.
       
      Atualmente curso duas faculdades, nutrição e educação física e concilio com trabalho na academia que gerencio com outra pessoa. Moro atualmente em uma cidade que só tem duas academias, uma da qual eu cuido, e a população da cidade agora anda procurando e sente falta da área na região. Então vai ser um dos meus investimentos futuros.
       
      2020, parei de treinar durante todo ano, então 1 ano sem treinar, sedentarismo total!
      2021, desde 16 de janeiro venho de volta aos treinos, com 110 kg(adquiridos ano passado) e perdi uma parte desse peso já, dessa vez pretendo não parar nunca mais por ter virado meu trabalho. Daqui 2/3 anos pretendo ciclar mas com intuito de competir.
       
      O intuito de criar esse diário é para deixar organizado, e também ter feedback de semelhantes com mesmo objetivo.
       
      Acompanhe-me na minha rotina louca. ☠️
       
      Meu Instagram é https://www.instagram.com/canuttofit/, geralmente posto minha rotina por lá e alguns conteúdos relacionados a musculação e nutrição.
       
      2. Medidas
      Data: 25/04/2021 (Em breve + fotos)
       
       
      3. Treino atual   ABC2x (Vou detalhando diariamente)   A - Peito, Ombros, tríceps (Domingo, Quarta) B - Costas/Bíceps (Segunda, Quinta) C - Pernas completas (Terça, Sexta)   ABS - Domingo, segunda, quarta, quinta Panturrilha - TSD   Cardios: Atualmente parei, pretendo voltar semana que vem. Usarei bike ergométrica que tenho no quarto ou esteira na academia. Geralmente opto pelo AEJ.   4. Dieta   04/04/2021 - 2117 Calorias (start com 2317 calorias) - 26 carb, 212 prt, 129 gord. (Low carb, high fat) - (Sábado, Domingo, Quarta, quinta, sexta) 212 carb, 185/212 prt, 47 gord (High carb, low fat) - (Segunda, Terça)   Start Cetogênica 05/03/2021 - 08/05/2021)   Todos alimentos pesados em uma balança de precisão. #04-04
      Manhã - AEJ Bike ergo (30 min)
       
      Abs (antes de iniciar o treino - Domingo, segunda, quarta, quinta )
       
      Peito, ombros, tríceps + Panturrilhas
       
      #05-04 - Carbo Alto
       
      Manhã: Vacum em pé 5x15seg
       
      Noite:
      Pensamentos e registro do dia 05-04: 
      "Hoje controlei o sódio para 3G, senti uma diferença.
       
      Dieta: 212 carb, 212 prt, **47/67 gord ( passou 20g devido um corte carne diferente)
      Água: 6 Litros + 1 Litro de chá verde + 1 Litro de café
       
      Hoje foi isso, fiz umas compras da dieta hoje. 
      Não fiz antebraço hoje, acabei estimulando ele nas remadas e levantamento terra. Tenho também um Hand Grip, fico apertando aquela porra toda hora KK.
      Amanhã Pernas completas. Pensando em treinar Quadríceps de manhã e posterior a noite.
       
      Amanhã eu teria uma refeição livre programada (Pizzas), mas cancelei por estar com vontade de sujar. Também fui convidado para uma janta na casa de amigos, mas também estou pensando em não ir... Até lá veremos. 😅
       
      Foi isso gurizada, até amanhã!"
       
      #06-04 - Carbo Alto
       
      Manhã: Vacum em pé 3x15seg
       
      Noite:
      Sódio segue controlado;
       
      Dieta: 212 carb, 185 prt (diminui no carb alto), 47 gord + 1 REF LIVRE PÓS TREINO
      Água: 9 Litros + 2 Litros de café passado + 1 Litro de chá verde
       
      Pensamentos e registro do dia 06-04: 
      Treino de pernas hoje, e ABS alguns minutos antes de começar o treino. Fiz todas refeições da dieta e pós treino mandei uma pizza grande de frango c/ queijo inteira, nem senti a pizza na barriga KKK.
       
      Aumentei a ingestão de água e líquidos hoje devido ao sódio da pizza. 
       
      Amanhã volta carbo baixo, gordura alta, com Peito, ombros, tríceps.
       
      Hoje foi isso, sigo com meu diário underground!
×
×
  • Criar novo...