Carregando...
Ir para conteúdo

Lipostabil (Fosfatidilcolina): intensa propaganda sobre outra substância “mágica”

Avalie este tópico:


Post Destacado

Novamente aparece uma promessa para acabar com a gordura localizada, um dos maiores problemas da sociedade capitalista esteticista. Desta vez ocorreu uma intensa propaganda sobre outra substância “mágica”, a Fostatidilcolina (Lipostabil).
A Fosfatidilcolina é uma lipoproteína encontrada em abundância nas membranas celulares, sua concentração e composição parecem influir diretamente na integridade e funcionamento destas membranas, principalmente no transporte através delas. Supõe-se que o uso deste fosfolipídio aumente a solubilidade do colesterol, trazendo benefícios como alterar a composição de depósitos de gordura e inibir a agregação plaquetária, o que diminuiria os riscos de doenças cardiovasculares. Terapeuticamente ela tem sido usada em distúrbios mentais, doenças cardiovasculares e hepáticas induzidas por medicamentos, álcool, poluição, viroses e outras toxinas.

FÍGADO

A exposição das membranas celulares a substâncias tóxicas pode causar danos às células hepáticas, levando a desequilíbrios na homeostase e posteriormente à morte destas células, o álcool, por exemplo, pode destruir a membrana mitocondrial, prejudicando o metabolismo de gorduras (LIEBER et al, 1994; LIEBER et al, 1996).

Nos casos de danos ao fígado a fosfatidilcolina foi pesquisada em:

Ø Ingestão abusiva de álcool: há vários relatos de sucesso, tanto com o uso oral (PANOZ et al, 1990; SCHULLER PEREZ et al, 1985; KNUECHEL 1979) quanto intravenoso (BUCHMAN et al, 1992).

Ø Na recuperação hepática após danos causados por vírus, como o da hepatite (TSYRKUNOV, 1992; FRIEDMAN et al, 1996; MUETING et al, 1972; HIRAYAMA et al, 1978; YANO et al, 1978; KOSINA et al, 1981; JENKINS et al, 1982; VISCO et al, 1985; HANTAK et al, 1990).

Ø Também há relatos em pacientes que tiveram problemas relacionados ao tratamento da tuberculose e foram ajudados pela fosfatidilcolina tanto pela via oral (MARPAUNG et al, 1988) quanto intravenosa (KUNTZ et al, 1978).

Ø Outras doenças (KUNTZ et al, 1965; ESSLINGER et al, 1966; KLEMM, 1964).

CÉREBRO

Este fosfolipídio é também fornecedor da colina, que por sua vez é essencial na formação da acetilcolina, um importante neurotransmissor envolvido na memória. Nesta área pode-se destacar os estudos dos orientais FURUSHIRO et al (1997) e CHUNG et al (1995) onde o uso de fosfatidilcolina melhorou a memória em animais.

LIPÍDIOS

A colina é também necessária ao metabolismo de gordura, sendo que a ingestão de fosfatidilcolina se mostrou eficiente no tratamento de doenças cardiovasculares e redução dos níveis de colesterol (BIALECKA, 1997; BROOK et al, 1986; MEL'CHINSKAIA et al, 2000; ZEMAN et al, 1995), removendo-o dos tecidos e evitando a agregação de plaquetas. Porém, há controvérsias sobre estes resultados, KNUIMAN et al afirmaram em 1989 que os benefícios encontrados nestes estudos são artifícios causados pelo design experimental e a maneira de análises de dados, sendo mediados por outras mudanças na dieta ou devido ao ácido linoleico. Outro estudo desanimador foi o de SIMONSSON et al (1982), onde dietas ricas em fosfatidilcolina não alteraram positivamente os níveis plasmáticos de lipoproteínas.

Quanto ao acúmulo de gordura só sei de um estudo feito em animais por TAKAHASHI et al, (1982), onde se relacionou a deficiência de fosfatidilcolina com distúrbios na liberação de lipídeos pelas células. Neste estudo japonês, os ratos recebiam ou dietas ricas ou pobres em colina durante duas semanas, quando a quantidade de colina era baixa havia distúrbios na liberação de gordura das células do intestino para o sistema linfático. A suplementação oral de fosfatidilcolina rapidamente corrigiu esta disfunção, confirmando a colina como um fator extremamente importante na absorção de gorduras através da membrana celular.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

A membrana da célula é responsável por controlar o fluxo de substâncias do meio extra para o intracelular e vice-versa, envolvendo também a receptividade à insulina e o equilíbrio hídrico e salino. Pense bem, se algum fator exógeno causa desequilíbrio nesta membrana, qual será a reação a longo prazo? É perigosa e ingenuamente otimista alterar as propriedades da membrana celular e pensar que o único efeito seria a perda de gordura por algumas células. Como não conheço nenhum estudo longitudinal onde se acompanhou o uso subcutâneo prolongado de Lipotsabil com fins estéticos, eu não recomendaria que você se arriscasse tão cedo. Na minha opinião faltam duas informações vitais:

1. Se a redução de medidas é fruto da perda de gordura, de desidratação ou outro meio? Lembre-se que gorduras não são as únicas substâncias a passar através das membranas celulares, água e minerais também são transportados continuamente. Existem, inclusive, patologias geradas por altas taxas do fosfolipídeo em questão, onde os sintomas são desequilíbrios nas taxas de potássio e desidratação (CLARK et al, 1993).

2. Como seu corpo vai responder a esta prática? Vai ficar com a membrana alterada para sempre (o que poderia ser extremamente nocivo ao equilíbrio dinâmico do seu organismo)? Ou vai supercompensar (retornando com sobras às medidas antigas)?

Ah! Tem uma pergunta que me intriga sobremaneira: os estudos que encontrei sempre se referem ao uso oral ou intravenoso da fosfatidilcolina, então quem foi o “gênio” que inventou a injeção subcutânea desta substância com fins estéticos? Se alguém souber, me diga pelo amor de Deus!!! (Pharmabio...acho que essa é com vc...!!!)

Link para o post
Compartilhar em outros sites
A membrana da célula é responsável por controlar o fluxo de substâncias do meio extra para o intracelular e vice-versa, envolvendo também a receptividade à insulina e o equilíbrio hídrico e salino. Pense bem, se algum fator exógeno causa desequilíbrio nesta membrana, qual será a reação a longo prazo? É perigosa e ingenuamente otimista alterar as propriedades da membrana celular e pensar que o único efeito seria a perda de gordura por algumas células. Como não conheço nenhum estudo longitudinal onde se acompanhou o uso subcutâneo prolongado de Lipotsabil com fins estéticos, eu não recomendaria que você se arriscasse tão cedo. Na minha opinião faltam duas informações vitais:

1. Se a redução de medidas é fruto da perda de gordura, de desidratação ou outro meio? Lembre-se que gorduras não são as únicas substâncias a passar através das membranas celulares, água e minerais também são transportados continuamente. Existem, inclusive, patologias geradas por altas taxas do fosfolipídeo em questão, onde os sintomas são desequilíbrios nas taxas de potássio e desidratação (CLARK et al, 1993).

A redução é fruto da emulsificação de gosduras que caem no sistema cisculatorio na forma de ac. graxos livres sedo posteriormente queimadas pelo figado.. Por isso é importante a drenagem linfatica e a alta ingestao de agua e baixa de gorduras. Pra evitar a competição do farmaco pela gordura endovenosa...

2. Como seu corpo vai responder a esta prática? Vai ficar com a membrana alterada para sempre (o que poderia ser extremamente nocivo ao equilíbrio dinâmico do seu organismo)? Ou vai supercompensar (retornando com sobras às medidas antigas)?

Por medidas adaptativas, ocorre a reestabilização da membrana, tanto que o perfil lipidico dos pacientes se mantem estavel a médio / longo prazo...

Ah! Tem uma pergunta que me intriga sobremaneira: os estudos que encontrei sempre se referem ao uso oral ou intravenoso da fosfatidilcolina, então quem foi o “gênio” que inventou a injeção subcutânea desta substância com fins estéticos? Se alguém souber, me diga pelo amor de Deus!!! (Pharmabio...acho que essa é com vc...!!!)

O GENIO foi uma mulher chamada patricia rittes que usou a fosfatidilcolina em bolsas de gordura nos olhos com 100% de sucesso. Daí a tecnica se disseminou APENAS NO BRASIL... SOMO pioneiro e por isso a preocupação em estabelescer o perfil de segurança antes de liberar.. Afinal, nao queremos uam talidomida brasileira né...

Outro fator importante é que não existe ação sistemica significativa da fosfatifilcolina, umavez que apos emulsificar a gordura ela fica complexada, logo apresenta ação local...

A indicação primeira endovenosa era pra desfazer trombos gordurosos nas arterias pelo mesmo processo de emulsificação... A forma oral é também chamada de "enganoato de otariol"... Não presta pra nada disso, a nao ser evitar a absorção de uma pequena parcela de gordura no Trato gastro intestinal...

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
  • Conteúdo Similar

    • Por LadyCr0ft
      Tem como mandar fazer numa farmacia um remedio injetavel com centelha asiatica e + algumas substancias naturais q facam queimar a gordura?
      é tipo um lipostabil..... so q n sei a diferenca entre centelha asiatica e lipostabil.
    • Por fisiculturismo
      Tratamento estético sob suspeita
      Popular redutor de gordura, o lipoestabil foi proibido pela Vigilância Sanitária, que teme efeitos colaterais. Venda do remédio é ilegal
      Guaíra Flor
      Da equipe do Correio
      Destruíram o sonho dourado de nove entre dez mulheres, sem dó nem piedade. Emagrecer sem fazer esforço voltou a ser algo impossível. A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu o uso do lipoestabil — nome comercial da fosfatidilcolina — no Brasil. Até a semana passada, a substância era a sensação das clínicas de estética do país. Ela acaba com a gordura localizada em questão de semanas. O efeito é similar a uma lipoescultura. Com a vantagem de ser menos dolorosa e mais barata. Basta deitar na maca e agüentar algumas picadinhas na região ‘‘problemática’’ (normalmente culotes, cintura, bumbum e barriga). A gordura se dissolve como por milagre. Dá para perder até 7 centímetros de medidas em um único mês. E o melhor: sem necessidade de suar na academia.
      Só tem um problema. Ninguém conhece o preço desse milagre a longo prazo. É fato que a gordura desaparece dos quadris e barriga. Mas não se sabe para onde ela vai. ‘‘Pode ser que ela fique acumulada no fígado ou nas artérias’’, explica Cláudio Maierovitch, diretor de medicamentos da Anvisa. ‘‘Isso aumenta as chances de uma cirrose ou infarto.’’ Outra dúvida dos especialistas é se o lipoestabil queima apenas gorduras localizadas. Teme-se que destrua também as células gordurosas que revestem órgãos vitais como o coração e o sistema nervoso central.
      ‘‘Os riscos são altos demais. Por isso, proibimos o uso do medicamento, ou de seu princípio ativo, para fins estéticos’’, afirma Maierovitch. Segundo a Anvisa, não existem estudos científicos sobre os efeitos colaterais do lipoestabil, quando injetado sob a pele. Motivo? O remédio não foi feito para isso. Originalmente, ele é utilizado no tratamento da arteriosclerose (entupimento das artérias). Nesses casos, é injetado diretamente na corrente sanguínea.
      O uso da droga para acabar com a gordura localizada não é legalizado em nenhum país do mundo. Portanto, segundo a Anvisa, quem adquire essa substância está comprando um contrabando. A multa para a clínica ou médico que fizer esse tipo de aplicação varia de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão.
      RISCO
      Apesar do alerta da Anvisa, muitas mulheres arriscariam o tratamento com o lipoestabil. Entre elas, a modelo, decoradora e pedagoga Juliana Araujo, 26 anos. A jovem — de silhueta cheia de curvas — usou o produto no ano passado e repetiria a dose. ‘‘O resultado foi excelente’’, comemora. ‘‘Passei do manequim 38 para o 36 em um mês’’.
      Cada aplicação custou, em média, R$ 70. Juliana fez quatro, reforçadas por sessões de massagem estética, ultra-som e regime. ‘‘No fundo, não sei se o lipoestabil foi o único responsável pelo meu emagrecimento’’, admite. ‘‘Mas o importante é que fiquei satisfeita, não tive nenhum problema e não voltei a engordar.’’
      Depois da proibição da Vigilância Sanitária, em 8 de janeiro, o lipoestabil sumiu das clínicas de estética da cidade. Muitos médicos aprovaram a decisão. ‘‘Foi bom para acabar com o uso indiscriminado da droga’’, diz Natércia Cunha Viana, especialista em medicina estética. ‘‘Tinha muita gente sem especialização aplicando essas injeções e isso, sim, poderia afetar a saúde de um paciente.’’
      De fato, o tratamento com lipoestabil foi banalizado nos últimos meses. Até mesmo salões de beleza ofereciam as tais ‘‘injeções para queimar gordura’’. Procedimento condenado pelos especialistas, já que esses locais raramente contam com a devida higiene e capacitação profissional. Comprar a droga ilegalmente era mais fácil ainda. Bastava acessar a Internet. O preço era acessível, o frete gratuito e a qualidade do produto duvidosa. Um risco a mais para quem se submetia ao tratamento.
      Mesmo assim, milhares de pessoas experimentaram o lipoestabil no ano passado. ‘‘A maioria eram mulheres entre 20 e 30 anos’’, diz Natércia. Ela própria trabalhou com o lipoestabil durante mais de um ano, em seu consultório. Nesse intervalo de tempo, verificou apenas um efeito colateral em suas pacientes: coceira no local de aplicação. O sintoma passava após alguns dias. E não houve quem reclamasse dos resultados. A própria Anvisa não tem registros oficias sobre queixas de ex-usuárias do lipoestabil. ‘‘Mas isso não quer dizer que a substância seja inofensiva’’, alerta o diretor de medicamentos do órgão. ‘‘Como não temos certezas dos efeitos, é melhor não arriscar.’’
      Tira-dúvidas / Lipoestabil
      O que é o lipoestabil?
      É o nome comercial da fosfatidilcolina, enzima capaz de quebrar moléculas de gordura. O medicamento é usado originalmente para combater a arteriosclerose (entupimento das artérias). Há alguns anos, descobriu-se que também ajudava a acabar com a gordura localizada. O problema é que não existem estudos sobre os efeitos colaterais da substância nesses casos. Principalmente a longo prazo
      Quando ele foi proibido no Brasil?
      No dia 8 de janeiro deste ano. A resolução é da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. É importante esclarecer que o uso do lipoestabil foi proibido apenas para fins estéticos.
      Como era feito o tratamento?
      Por meio de injeções. Aplicava-se a substância na região desejada, a cerca de 5 milímetros de profundidade (na camada gordurosa da pele). O número de aplicações variava de acordo com a necessidade da paciente. Normalmente, esse número variava de 4 a 15 sessões. Em cada uma delas, a paciente levava, em média, 15 picadas. O tratamento não era recomendado para pessoas obesas. O limite era seis quilos acima do peso normal.
      FONTE: Correio Braziliense (link quebrado removido)
    • Por brunomelman
      Galera
      To botando esse tópico para avisar aos interessados em Lipostabil que agora estamos lançando uma novidade no mercado, EXCLUSIVIDADE FÍSICO EM FORMA!!!
      Trata-se do produto Leciferol. Cujo princípio Fosfatidilcolina 500mg é o mesmo do LIPOSTABIL!!
      Porém, o produto é em cápsulas, além de possuir um custo infinitamente menor do que o Lipostabil Injetável.
      Bom galera , espero que gostem dessa novidade que com certeza vai explodir no Brasil !!
      Lembrem-se ... FISICO EM FORMA é o único que possui o LECIFEROL !!
    • Por ricavalim
      Fala pessoal bele...

      Seguinte: Estou começando meu ciclo com Lipostabil hoje (16/12/07)
      Irei tomar 5 ampolas sendo 1 por semana e irei fazer drenagem linfática na segunda-feira.

      Meu treino é bem regado a exercícios aeróbicos como capoeira, esteira, bike, etc.

      Hoje a noite inicio meu ciclo, amanhã cedo posto falando sobre o que senti após a primeira aplicação.

      Só irei continuar postando caso alguém se manifeste que tenha interesse em acompanhar, caso contrário nem irei postar bele

      Até amanhã quando irei falar o que senti após a primeira aplicação...

      []'s

      Ricardo Valim
    • Por Lorrane Gomez
      Entrei na academia a 2 semanas, estou fazendo dieta mas meu corpo não quer perder peso, estou acostumada a ficar tempo sem comer e segundo a nutricionista é normal que meu corpo queira armazenar gordura.
      Então dei uma afrouxada na dieta, e comprei o lipostabil, pois após a cesária que fiz, minha barriga ficou com uma pochete horrível...
      Ontem a noite foi minha primeira aplicação, apliquei 2 ampolas cerca de 10ui pra cada furada, (Região do abdômen e culote). Meu esposo fez a aplicação pra mim, após ver bastante vídeo e estudar bastante os prós e os contras resolvir fazer. 
      No momento da aplicação não senti dor nem uma, apenas algumas picadas (as vezes), fiquei muito nervosa e após 10min da aplicação, minha barriga ficou parecendo que foi picada por várias abelhas rs... Meu esposo fez uma massagem forte para espalhar o produto.
      Após 20min eu comecei a sentir dores fortes, sai um pouco pra distrair e enquanto o tempo passava a dor aumentava, pensei vou morrer. Meu ficou muito preucupado, fui dormir 00:30 tomei 2 analgésico e hoje acordei com menos dor. Ainda está dolorido(bem menos que ontem) e leves roxos surgiram, creio que é assim mesmo, devido aos relatos que já li. Vou postar a evolução, semana a semana. Espero assim poder auxiliar algumas pessoas que possam ter dúvidas assim como eu tive.
      Altura: 1,73
      Peso: 82kg 
      Abdômen 93cm
×
×
  • Criar novo...