Ir para conteúdo
ShadowMan

séries e repetições - 4x8 é bom?

Avalie este tópico:

Post Destacado

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

  • Conteúdo Similar

    • Por Speaker
      Olá.
      Depois de algum tempo de inactividade física, estou reiniciando nos treinos.
      O objectivo é ganhar massa corporal. 
      Há muitos anos que não treino com pesos, mas não tenho levado uma vida nada sedentária. Faço algum treino de cárdio, e tenho uma profissão de elevado desgaste físico, além de que sou praticante da arte suave: Jiu - Jitsu.
      Estou começando a treinar com TRX e peso livre também, a que tenho acesso no meu local de trabalho (navio). Costumo treinar dois músculos por dia, 4/5 vezes por semana.
      Para ganhar massa, preciso mesmo passar por algum tempo treinando com muitas repetições, como 15/20? Criando resistência, mas sem grandes benefícios para o meu objectivo? Ou posso passar logo para poucas e com muita carga?
      Obrigado
    • Por Levy Cardoso
      Mantenho dieta e treino de segunda a segunda durante 2 anos sério, não bebo não fumo, durmo e descanso bem, faço musculacao sou natural com 38 de braço, agora após alguns meses deixei de ser natural e resolvi comprar minha genética, comprei A "abençoada" trembolona e após a quinta aplicação tive um aumento 40 cm de bíceps, força, agressividade junto com um estresse, aumento da massa muscular, abdome trincado como sempre, todo definido e coxa corpo na simetria, isso natural cheguei no limite natural com 15  de BF e musculatura, já não visualizo desenvolvimento só fico fibrado e muito dividido já estou na simetria e mesmo comendo de três em três horas não engordo. Agora após três a quatro meses sem nenhuma alteração no shape mesmo acima do padrão, Estou decidido aplicar Trembolona comecei agora, comecei, neste momento tenho três bujão cada um 10 ml. Estou na quinta aplicação 1 ml na segunda 1ml na sexta uso o suplemento cápsula duas ao dia de tribulus terrestris até o final do bujão de 10 ml vou usar duas cápsulas Tribulus Terrestris para TPC durante o almoço, E durante o ciclo tô tomando remédio para fígado umas 20 hrs da noite, tem algo que está faltando na TPC ou durante o ciclo ou antes ou após?

    • Por Kennedy Yuri
      Bom, ja treino a 2 anos, mas sem auxilio de profissionais, apenas eu e minhas pesquisas. Já possuo bastante maturidade muscular e faço dieta flexivel a alguns meses. Me mudei e estou em uma nova academia, e o treinador dela me passou essa série abaixo. Achei um pouco estranha, por isso vim aqui para saber a opinião de vcs. 
      Informações pessoais:
      - 18 anos
      - 68 kg
      -1.72 m
       
      Seguda-Feira:
      Dorsal + Tríceps + Panturrilhas
       
      Terça-Feira:
      Quadríceps + Antebraço
       
      Quarta-Feira:
      Aeríboco. -Já faço aeróbicos todos os dias no pós-treino, mas o treinador resolveu deixar um dia reservado apenas para aeróbico
       
      Quinta-Feira:
      Peitoral + Bíceps
       
      Sexta-Feira:
      Ombro + Bíceps Femoral + Panturrilhas
       
      E aí? O que vcs acham desse plano de treinamento?
      Obs: atualmente meu objetivo é perder gordura com o máximo de manutenção da massa magra, famoso pré-contest/Cutting
    • Por Portela
      Voltei  a malhar essa semana, estou a 4 anos sem malhar e no momento só posso malhar no máximo 3x por semana, tenho 1.79, 70 kg, não me alimento muito bem, tomo café da manhã... e almoço... lancho e as vezes janto... =/, perguntando ao professor e alguns colegas que malham a algum tempo, falaram que seria melhor malhar "todos" os músculos no dia... descansava no outro e voltava malhar os mesmos músculos .. o que acham ? e quais seriam estes exercícios? ..
      obs.: comprei 2 produtos um hiper calórico e o outro glutamina...
      desde já agradeço.
    • Por Daniela R Del Giorno
      Olá, amigos do ferro! Embora a resposta para a pergunta que dá título a esta matéria já esteja muito bem consolidada no ambiente científico/acadêmico, nos salões e ginásios eu ainda percebo muitas rodinhas de discussão sobre o assunto. O que eu acho ótimo! Socializa os musculadores, instiga a curiosidade e o estudo e assim nossa comunidade floresce e fortalece.
      Vou responder a pergunta de pronto, porque não tem mistério: ambas as abordagens de treino geram hipertrofia e não, NÃO existe a melhor ou o que hipertrofia mais. Repito: ambas as abordagens de treino geram hipertrofia e não, NÃO existe a melhor ou o que hipertrofia mais.
      Se você só queria o alívio da resposta, pode passar para outro texto aqui do site. Mas, se você gosta de ir um pouco além de apenas treinar, bota mais dez e me acompanha!
      A hipertrofia musculoesquelética é um fenômeno fisiológico de adaptação ao ganho de força. Ela é multifatorial e, para que aconteça, deve haver a sinergia de diversos tipos de ações em nosso organismo. Eu poderia abordar várias destas ações de forma detalhada: endócrinas, metabólicas, neurais, entre outras. Mas, este artigo visa apenas a abordagem mecânica e sobre ela, podemos dizer que não existe um melhor tipo de ação para hipertrofiar. Só que fica falho falar sobre o estímulo mecânico sem observar um pouco de fisiologia.
      A musculação e a gama de exercícios que a compõe são, tradicionalmente, os estímulos usados quando os treinadores desejam “acionar” nosso sistema anaeróbio. Porém, existem várias formas de se ativar este sistema, não é só puxando ou empurrando ferro.
      A ginástica artística ou o crossfit, por exemplo, também são práticas esportivas onde se enfatiza o trabalho anaeróbio e é este sistema, seja na forma ATP-PC ou na forma Glicolítica, o responsável pela sinalização da síntese proteica, tão fundamental para o processo de construção muscular.
      Desde que haja fadiga, falha, acidose metabólica, trabalho máximo dentro do sistema anaeróbio, a sinalização metabólica para hipertrofia irá acontecer, pois haverá aumento de síntese proteica. Seja um agachamento com 3 x 10, agachamento com 10 x 3 ou (argh!) 30s de burpees!
      Contudo, a sinalização é feita nos músculos trabalhados, logo, a sinalização realizada por um agachamento é diferente da realizada por um burpee, mas não é muito diferente da realizada por um pistol. Até 3 x 40 gera hipertrofia, a diferença é que o ganho de força não é o ideal e, consequentemente, conforme vai-se avançando no nível de treinamento, perde-se a oportunidade de otimizar as respostas anabólicas caso se insista nas cargas muito baixas.
      Lembra-se que hipertrofia é colateral de ganho de força? Mas, a esta altura da leitura, você deve estar me questionando: mas, Dani, então os fisiculturistas, por esta lógica, deveriam treinar como powerlifters e sempre buscar a força máxima? Sim e não. Sim, porque o incremento de força é um dos principais fatores que dão continuidade ao processo no longo prazo. Não, porque não é só isso.
      Neste ponto, há dois fatores a serem observados. O primeiro, é a responsividade do indivíduo ao método de treino. Simplesmente há pessoas que hipertrofiam mais com volume e pessoas que hipertrofiam mais com intensidade.
      Há, ainda, aqueles em que isto varia de grupamento para grupamento (EU!!! Rsrsrs)!  O segundo ponto a ser observado é o objetivo final do sujeito, especificidade do treino. Ainda assim, nem powerlifters treinam acima de 90% todo o tempo, pois excesso de sinalização para força máxima gera lesão e compromete a saúde mental.
      O fisiculturista precisa de ajustes radicais na dieta, pois não basta apenas hipertrofiar, tem que mostrar a musculatura de forma detalhada. A dieta radical, com pequenas quantidades de carboidratos e todo o protocolo adotado no culturismo também prejudica o treino de força máxima, logo, 3 x 10 ou 3 x 20 ou 3 x 30 é mais suportável dentro deste cenário. De novo; hipertrofia é multifatorial!
      “Então, @Daniela R Del Giorno, o que eu faço???!!” Os dois! Quando? Depende do seu objetivo principal e, consequentemente, de como seu treinamento será organizado dentro de uma periodização a fim de se obter o resultado esperado. Difícil?
      Para um profissional de Educação Física competente não deve ser. Por isso, digo: consulte um! Treino de inspiração, treino de atleta consagrado, treino de blogueira e estudo pelo Google pode até resolver. 
      Por um tempo muitíssimo curto se você é iniciante. Copiar método de treino é fácil e acessível. Saber o que cada um está sinalizando fisiologicamente e entender qual é o melhor momento para utilizar cada um deles, com cada pessoa, de acordo com cada objetivo. É coisa de profissa!
      Vai ficar dando cabeçada? Procure um professor qualificado e, preferencialmente, especializado no objetivo ao qual você se propõe a treinar para alcançar. Pato voa, anda, corre, nada, até canta. Mas, não sai do laguinho. Qual o tamanho da sua ambição? Bota mais dez!
      Referências:
      MORTON, R. W.; OIKAWA, S. Y.; WAVELL, C. G.; MAZARA, N.; MCGLORY, C.; QUADRILATERO, J.; BAECHLER, B. L.; BAKER, S. K.; PHILLIPS, S. M. Neither load nor systemic hormones determine resistance training-mediated hypertrophy or strength gains in resistance-trained young men. Journal of applied physiology (Bethesda, Md. : 1985), v. 121, n. 1, p. 129–38, 1 jul. 2016. Disponível em: <http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27174923>. Acesso em: 18 dez. 2016.
      FLECK S. J.; KRAEMER W. J. Fundamentos do Treinamento de Força Muscular. Porto Alegre: Artmed, 1999.
      McARDLE, W. Katch, W. Katch. Fisiologia do Exercício. Energia, Nutrição e Desempenho Humano. 7ª Edição. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2011.
×