Jump to content
paulchess10

Minha pressão sempre cai quando treino perna. O que eu faço?

Rate this topic

Recommended Posts

Olá gente.

Não sei se esse é o lugar certo para eu tirar essa dúvida, mas vamos lá.

Todo dia de eu treinar perna, minha pressão cai e, geralmente, tenho que ir embora da academia antes de terminar minhas séries.

Esses dias eu até joguei o que tinha no estômago fora quando cheguei em casa (embora isso seja culpa não só da queda de pressão, mas também do almoço pesado).

O que será que eu posso fazer?

Já tentei diminuir as cargas, tomar malto durante o treino (até então só estava tomando junto com meu whey pós treino), mas nas últimas semanas a queda de pressão no dia de treino de perna tem sido uma constante.

Falou gente!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Geralmente é mais ou menos isso, com algumas variações:

No café: pão, leite, frios magros, achocolatado...

No lanchinho: frutas, leite...

No almoço: arroz, feijão, legumes, salada, carne...

No lanche da tarde: pão, leite, frios magros, achocolatado, frutas...

Pré treino: malto, creatina, glutamina...

No pós treino: malto, whey, creatina...

A noite: repito o lanche da tarde ou o almoço, em menor quantidade...

Share this post


Link to post
Share on other sites

No momento em preferiria mais secar do que crescer. Mas enfim... E o curioso que isso só acontece dia de treino de perna, às quintas feiras. Nos outros dias da semana, trabalho com uma carga até que legal (pros meus limites, claro), sempre no melhor peso que consigo, e não sinto nada. Pelo contrário, saio da academia melhor do que entrei. Mas dia de treinar perna é esse sufoco.

Share this post


Link to post
Share on other sites

É exatamente assim que acontece Reinaldo. O leg é meu primeiro exercício. Acho que não controlo a respiração direito. Sinto o coração disparado depois do exercício e a pressão cai... começo a suar frio e tal... Já teve dia de eu nem conseguir passar do leg. Hoje ainda eu fix extensora e flexora. Mas não aguentei terminar nem fazer panturillha.

Share this post


Link to post
Share on other sites

já tive isso umas 4 ou 5 vezes ao longo de 15 meses, mas em uma dela seu senti que o coração ia pipocar e parei a tempo :P

da primeira vez eu achei que ia morrer, é muito estranho, mesmo deitado da um cansaço desgraçado, uma dor no peito diferente de qualquer outra coisa, aí de repente o coração da uma estocada violenta e volta a bater normal do nada.

acho que no meu caso foi falta de alimentação, e nunca foi seguido, nem mesmo duas vezes no mesmo mes. e aconteceu até fazendo rosca scott.

inspira na fase negativa e expira na fase positiva do exercício.

no leg press, o limite pra descida é até onde sua flexibilidade permite sem que sua lombar comece a descolar do banco.

pra musculação em geral, e especialmente agachamento e levantamento, respirar com uso consciente do diafragma ajuda demais, mas não da pra ensinar isso por texto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E aê gente! Beleza? Só voltei no tópico pra comentar que nas duas últimas semanas treinei perna de boa. Dei uma reforçada na alimentação durante o dia (treino às 18:00 horas) e estou trabalhando melhor a respiração durante os exercícios. Os problemas de queda de pressão pararam. Vamos ver se continuamos bem.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa tarde, eu também passei por isso. Voltei a treinar essa semana e no meu primeiro treino de perna também me deu queda de pressão, igual como você relatou. Começa a suar, já tinha terminado o treino de perna aí fui fazer desenvolvimento superior só pra dar uma aquecida, sempre com pouco peso, pois é o inicio. Assim que terminei de fazer a primeira série começou a me dar um suador e senti que a pressão estava caindo. Sentei, fiquei aguardando passar a sensação por uns 5 minutos, ainda sim fui no banheiro porque havia me dado também vontade de evacuar; e fiquei no banheiro por mais uns 5 a 7 minutos. Como percebi que já estava melhorando, sai da academia e fui pra casa ainda com um pouco da sensação de esgotamento devido a baixa da pressão. Isso já aconteceu comigo algumas outras vezes, cheguei até a fazer exame cardiovascular com teste de esforço físico e não deu nada, embora vejo que tem alguma coisa de errado. Fui treinar a tarde, fiz a digestão normal do almoço, ou seja estava bem alimentado, não peguei muito peso; a respiração e inspiração controlo muito bem. E acho também o treino de perna muito desgastante, e também quando ocorreu em outras ocasiões foi no treino de perna. Agora o jeito é procurar novamente um cardio para fazer novos exames. Abraços a todos e viva o esporte!!!... 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os músculos do quadríceps são os maiores do corpo, e o treinamento intenso das coxas implica em queda de pressão pelo fluxo sanguíneo que irriga a vasta área muscular trabalhada.

Mas essa queda de pressão é algo momentâneo, que pode gerar um rápido mal estar e bocejos para forçar a irrigação do cérebro.

Arnold relata em seu livro Enciclopédia do Fisiculturismo que se não vomitasse após um treino de pernas isso queria dizer que o treino não havia sido suficientemente intenso.

Portanto, treinar quadríceps é uma tarefa árdua, tanto que a maioria dos homens nas academias não treinam membros inferiores.

Todavia, relatos de esgotamento completo, desmaios, e mal estar mais graves podem estar relacionados com crises de hipoglicemia ou problemas cardíacos. Neste caso, melhor consultar um médico.

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Rodrigo Torres disse:

Boa tarde a todos!

Sou novo por aqui. Nesses casos é interessante isolar o treino de quadríceps? É uma solução para quem passa mal com frequência dividir o treino de pernas?

 

Obrigado.

Dividir o treino de pernas é sim uma opção viável. E com essa divisão, a intensidade do treino pelo fator tempo de treino pode ajudar no bem-estar geral.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 24/01/2017 em 15:00, fisiculturismo disse:

Dividir o treino de pernas é sim uma opção viável. E com essa divisão, a intensidade do treino pelo fator tempo de treino pode ajudar no bem-estar geral.

Eu já tava fazendo isso a um tempo a atrás e realmente funciona, eu por exemplo tenho essas quedinhas de pressão em treino de perna.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu sei o que é passar mal em um treino de pernas. Minha única sugestão seria melhorar a alimentação. Porque foi o que me fez treinar melhor pernas. E acredito que foi seu caso. Também quero secar, e nessa de secar a gente acaba realmente não se alimentando bem pra um treino que requer bastante energia.

Edited by amaralpriscylla

Share this post


Link to post
Share on other sites

Deves procurar um medico antes de tudo. De qualquer forma, particularmente quando tenho sensacao de queda de pressao no treino de pernas. Fico feliz. Certa vez fiz um acompanhamento em mim mesmo com aparelho de medicao de pressao e batimentos cardiacos entre series de agachamento livre . Percebi um aumento significativo dos batimentos cardiacos logos apos a serie. Cheguei até quase 170 batimentos por min em uma serie com pressao 15x 9. Ou seja : tive aumento da pressao arterial e nao queda, mas a sensacao era de queda de pressao....isso me causou estranheza. Passei a estudar alguns artigos cientificos e descobri que isso é "comum" . Devido ao fato dos musculos  das pernas serem grandes. O corpo se mobiliza para maior concentacao sanguinea nas pernas oque implica menor volume sanguineo no cerebro momentaneamente. Gerando sensaçao de "desmaio" .De qualquer forma sempre faça uma avaliacão medica. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Para mim isso é falta de coordenação na respiração. Se não souber respirar é muito provável que isso aconteça.

Muitas pessoas prendem a respiração na hora de fazer força e é isso que faz subir a tenção.

Quando se faz qualquer exercício que seja, devemos expelir o ar no momento de contracção e encher os pulmões no momento de descontração, assim deste modo o treino será mais efectivo e a queda de tenção deixará de existir.( à não ser que tenha problemas com isso claro).

Uma respiração correta fará com que o treino seja mais intenso e menos cansativo.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 07/03/2017 em 07:49, Arnaldo Santos disse:

Para mim isso é falta de coordenação na respiração. Se não souber respirar é muito provável que isso aconteça.

Muitas pessoas prendem a respiração na hora de fazer força e é isso que faz subir a tenção.

Quando se faz qualquer exercício que seja, devemos expelir o ar no momento de contracção e encher os pulmões no momento de descontração, assim deste modo o treino será mais efectivo e a queda de tenção deixará de existir.( à não ser que tenha problemas com isso claro).

Uma respiração correta fará com que o treino seja mais intenso e menos cansativo.

Concordo plenamente, mas no agachamento livre é importante vc descer em apnéia (prender respiração) ajuda a estabilizar a coluna com os pulmões estando inflados. No momento da subida, solta-se o ar vagarosamente.

Edited by AndreV

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, AndreV disse:

Concordo plenamente, mas no agachamento livre é importante vc descer em apnéia (prender respiração) ajuda a estabilizar a coluna com os pulmões estando inflados. No momento da subida, solta-se o ar vagarosamente.

São técnicas.?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Para o movimento de quadriceps

eu sempre faço esse passso: 

- inspirar,destravo a trava do aparelho e flexiono os joelhos ao maximo de modo a leva-los ao nível das costelas da caixa toracica...depois retorno à posição inicial, expirando no final do movimento... antes eu fazia tudo ao contrario e toda vez dava vontade de dormir ou dava queda na pressão...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By Cassio Schoen
      Agachamento
      O agachamento em si dispensa apresentações. É um exercício excelente para o desenvolvimento de glúteos e coxas. Um movimento funcional que qualquer indivíduo pode executar. Desde iniciantes a avançados, mas, claro, que de acordo com os limites de cada um. Mesmo sendo um movimento funcional, precisamos ter alguns cuidados durante a sua execução. O cuidado principal no agachamento é  com a coluna vertebral e com as articulações do quadril, joelho e tornozelo. A execução correta do agachamento está na seção de exercícios.
      Afundo
      Por sua vez, o afundo também surge como uma ótima pedida para quem deseja alcançar coxas e glúteos bem desenvolvidos. O afundo é um exercício multiarticular que se assemelha muito ao agachamento pelos músculos envolvidos. A execução correta do afundo está na seção de exercícios. 
      Agachamento e afundo
      Tanto o agachamento quanto o afundo são exercícios básicos para quem busca hipertrofia de coxas e glúteos (bumbum). Não há fichas de treinos que não incluam esses dois. Ambos são exercícios que possuem diversos tipos de variações para sua execução.
      Vamos analisar apenas o agachamento tradicional (pés alinhados, confortavelmente dispostos na linha dos ombros) e o afundo partindo de uma posição neutra com a projeção de um dos membros a frente.
      Qual é o melhor para hipertrofia?
      Qual é o mais eficiente para hipertrofia: agachamento ou afundo? Vamos comparar a ativação muscular de três grupos musculares:
      glúteos; quadríceps; posteriores de coxa. Utilizamos como base três autores que estão referenciados no final dessa matéria. Cada pesquisa se utilizou de métodos diferentes de realização do estudo,  com cargas e números de repetições diferentes. Em todas as pesquisas foi utilizado o exame de eletromiografia para coleta de dados.
      Ativação do glúteo
      Em relação a ativação do glúteo (bumbum):
      Dois dos autores evidenciaram, por conta de exames de eletromiografia (IMG), que o glúteo máximo teve uma maior ativação durante o exercício afundo. Foi constatada uma diferença acima de 20% em favor do afundo em relação ao agachamento. Todavia, um dos autores destacou que não identificou diferença significativa com relação a ativação do glúteo máximo nos dois exercícios.
      Ponto para o afundo (afundo 1 x 0 agachamento). Ativação do quadríceps
      Em relação ao quadríceps:
      Um dos autores afirma que o afundo tem uma maior ativação do quadríceps. Outro autor novamente relata não haver diferença significativa entre os dois exercícios para ativação do quadríceps. O terceiro estudo não realizou esse tipo de comparação para esse grupo muscular.
      Ponto para o afundo (afundo 2 x 0 agachamento). Ativação dos posteriores de coxa
      Em relação ao grupo muscular dos posteriores de coxa:
      Nesse caso, os autores são divergentes. Um estudo aponta o afundo como maior ativador desse grupo muscular. Outro estudo aponta o agachamento. O percentual de divergência foi pequeno. O terceiro estudo conclui que o agachamento tem uma maior ativação durante a fase concêntrica apenas.
      Ponto para os dois (afundo 3 x 1 agachamento). Conclusão
      Ambos os exercícios são excelentes para os três grupos musculares citados acima. Porém, vale salientar que, segundo esses três autores, o exercício afundo tem um percentual maior de ativação no quadríceps e no glúteo. Há uma pequena divergência em relação ao grupo muscular da região posterior da coxa.
      Independentemente disso, os dois são excelentes exercícios que devemos incluir sempre no nosso treinamento, para qualquer objetivo na musculação. A ativação  das musculaturas nesses exercícios também depende de outros fatores como:
      amplitude de movimento; carga;  cadência do movimento; seu nível atual de treinamento. Tanto o agachamento quanto o afundo também são exercícios que fortalecem outras regiões do corpo, como, por exemplo, a região do core abdominal. Eles podem ser combinados em séries de Bi Set ou Tri Set, por exemplo. Em resumo, faça os dois exercícios.
      Curta, compartilhe e comente no Instagram
       
      Estudos de referência:
      Cinesiologia e musculação / Cláudia Silveira Lima, Ronei Silveira Pinto. - Porto Alegre: Artmed, 2006.
      Comparação da ativação mioelétrica do glúteo máximo e bíceps femoral entre os agachamentos paralelo e com passada à frente - Rev. bras. educ. fís. esporte vol.26 no.3 São Paulo July/Sept. 2012.
      BRADLEY A. DeFOREST, GREGORY S. CANTRELL, BRIAN K. SCHILLING. Muscle Activity in Single VS. Duble Leg Squats. International Journal of Exercise Science 7(4) : 302-310, 2014.
    • By Talles Sucesso
      Ajustar o apoio das pernas um pouco acima da linha da articulação do tornozelo e com o braço em máximo de amplitude possível; Ajustar o encosto de modo que as costas fiquem completamente apoiadas; A parte posterior do joelho deve estar completamente apoiada no assento; Manter a ponta dos pés apontadas para cima; Estender completamente os joelhos, sem realizar o encaixe articular.
    • By Luan Viana
      Ajustar a distância do assento do modo mais próximo possível da plataforma; Ajustar o encosto do modo mais ereto possível; Posicionar o pé de forma neutra (ponta do pé para cima) no meio da plataforma e na mesma linha do ombro do respectivo lado; Apoiar as mãos nos suportes da máquina; Imprimir a força no calcanhar; Manter o tronco ereto e apoiado no encosto; Estender quase completamente, sem realizar o encaixe articular; Trazer o joelho próximo do alinhamento do ombro com o máximo de amplitude possível e com alinhamento constante (sem adução ou abdução).
    • By Talles Sucesso
      Ajustar o braço do equipamento para a maior amplitude possível; Apoiar o braço do equipamento próximo da borda superior do tênis; Manter o tronco e a cabeça apoiados no banco; Manter a ponta dos pés voltadas para baixo (posição neutra); Deixar os pés alinhados com a cabeça do fêmur (posição natural); Flexionar o joelho com amplitude máxima; Fazer a extensão completa na volta.
    • By Luan Viana
      Posicionar-se à frente da barra; Abrir bem as pernas; Apontar os pés para fora; Pegar a barra de modo alternado (uma mão supinada e outra pronada); Olhar para frente; Manter os ombros para trás; Fazer a força no calcanhar; Manter a coluna alinhada (ereta) ao subir; Descer bem (sem tocar as anilhas no chão); Manter os joelhos para fora, alinhados com as pontas dos pés.
×
×
  • Create New...