Jump to content
  • Similar Content

    • By bloko
      Montei um ciclo com as sugestões do @Apollo Galeno que fizemos em outro tópico e vou manter o relato aqui.
      Primeiro ciclo.
      Idade 32 anos
      altura 1,71
      peso 67kg
      Tronco Normal: 96,50 cm
      Cintura: 78,50 cm
      Abdômem: 81,50 cm
      Quadril: 100,50 cm
      Braço Relaxado Dir: 30,50 cm
      Antebraço Dir: 26,50 cm
      Coxa Dir: 50,30 cm
      Panturrilha Dir relaxada: 37,30 cm
      BF 15.09%
      Tempo de treino 2 meses de musculação, faço outros esportes
      objetivo 'ciclo estético', ganhar peso rápido e da forma mais "limpa", que se mantenha o possível após o ciclo sem grandes colaterais. Ganhando pouco volume e mantendo definição
      Aes: cipionato 200mg  GOLD e oxandrolona 10mg GOLD
      - Cipionato 200 mg / semana (3 aplicações por semana )
      - Oxandrolona 20 mg/dia (tomar de 12/12 hs) pretendo aumentar no decorrer
      Devo tomar por apenas 6 semanas, se eu chegar a 71kg ou mais encerro na sexta semana.
      Tenho dúvidas sobre o final do ciclo, se corto abruptamente tudo ou vou aos poucos. Minha testo esta boa agora, mostrei os exames no outro tópico (em 650 se não me engano), quero que ela volte ao normal o mais rapido que der quando terminar o uso.
      Tenho também Anastrozol 1mg GOLD que pretendo usar durante o ciclo. E consigo HCG com um amigo se for indicado pra melhor tpc.
      Treino:
      ABC peito e triceps segunda, costa e biceps quarta, perna e ombro sexta - faço 4 exercícios de grupos musculares grandes e 2 ou 3 exercícios de grupos pequenos. Faço apenas 1 série até a exaustão sendo de 8 a 12 repetições no máximo com 5 segundos na contração e 5 segundos na volta, cada exercício dura em média 80 a 120 segundos (treino que peguei alguns anos atrás de hipertrofia que trabalha muito bem os musculos)
      Terça e quinta Bjj
      Finais de semana surf
      Total 3 dias hipertrofia e 3 dias aerobico
      Dieta:
      259g proteina 368g carboidrato 70g gordura = 3.195kcal
      cafe da manha 4 ovos + banana + 40g de aveia
      almoço 150g arroz + 100g feijao + 2 bifes salada a vontade
      lanche pre treino 250ml agua dose whey top growth  + banana + 20g aveia
      pós treino 250ml agua dose whey top growth  + banana
      janta 150g arroz + 100g feijao + 2 bifes salada a vontade
      ceia 2 ovos + 30g pipoca (geralmente coloco estes ovos nos shakes e na ceia como apenas pipoca)
      Suplementos:
      Tomo regularmente: Vit D 5.000UI, omega 3, creatina glutamina e bcca
      Comprei para o ciclo OPTIMEN multivitaminicio que parece ser paulada - segue foto do suplemento
       
      É isso galera, estando tudo ok por aqui o ciclo deve iniciar segunda feira 20.01.2020
      Aceito todas as opiniões e sugestões, foi exatamente pra isso que criei o tópico e vou fazer o relato.
      Estou fazendo primeiro ciclo e tenho a intenção de que seja o unico. Depos é manter o peso com dieta e equilibrio. Mas agora como tenho trabalho muito corrido e sou ativo, metabolismo acelerado, mesmo fazendo dieta não consigo passar dos 70 "ao natural". Vim estudando bastante e acho que vale a pena fazer este ciclo 🤞💪🙏
      conto com a sugestao dos mais experientes
       


    • By juninho1
      Sei que é impossível ganhar massa muscular e perder gordura.
      Me disseram que chá verde não "emagrece" ele faz com que somente a gordura do corpo "queime" mais rápido. ISSO É VERDADE?
      SEGUNDA PERGUNTA
      Se eu acrescentar chá verde na minha dieta para hipertrofia estarei acumulando menos gordura????????????????????????????????
      Valeu pessoal todo comentário será bem vindo, abraço
    • By ravsk
      Fala galera!
      Existia um tópico aqui no fórum sobre isso a muito tempo atrás. Porém nenhuma das pessoas que fizeram o produto postaram os resultados. Será que vale a pena mesmo fazer esse composto?
      Enviei um email pedindo o orçamento para um Lab aqui do RJ e essa foi a resposta:
      Bom Dia,
      Segue abaixo o orçamento solicitado:
      1 – 60 cap R$ 20,00
      Agradecemos o contato,
      Bioderm.
      Sendo que a fórmula que pedi consistia em: 40mg de magnésio, 240mg de glutamina e 120mg de glicina.
      Essa fórmula foi retirada desse site aqui que produz o medicamento: https://www.fitobrasilis.com.br/index.php/magnesio-glicil-glutamina.html
      Segue abaixo os estudos e apresentações,
      [Composição: O Magnesium Glycyl Glutamine é fonte de magnésio , composta por uma molécula de glicina e outra de glutamina, a fim de oferecer, de forma sinérgica, importantes nutrientes envolvidos na resposta imunológica, estresse físico e mental, síntese protéica e ganho de massa muscular, entre outros.
      Utilização: O Magnesium Glycyl Glutamine é usado na baixa resistência imunológica, em pacientes pós-cirúrgicos ou em tratamento quimioterápico, pacientes queimados ou septicemia, na produção de energia, no ganho de massa muscular, na hipoglicemia e compulsão por doces ou álcool, e na terapia antioxidante.
      A dose sugerida varia de 40 a 200 mg de Mg/dia.
      Absorção: Foi realizado um estudo onde cada participante consumiu por completo uma solução preparada com 400 mg de magnésio glicil glutamina quelato (40 mg magnésio, 240 mg glutamina e 120 mg glicina).
      Apresentação
      O Magnesium Glycyl Glutamine é um composto de magnésio quelado a uma molécula de glicina e outra de glutamina, a fim de oferecer, de forma sinérgica, importantes nutrientes envolvidos na resposta imunológica, estresse físico e mental, síntese protéica e ganho de massa muscular, entre outros.
      Indicações
      Baixa resistência imunológica;
      Pacientes pós-cirúrgicos ou em tratamento quimioterápico,
      Pacientes queimados;
      Septicemia;
      Produção de energia;
      Ganho de massa muscular;
      Hipoglicemia e compulsão por doces ou álcool;
      Terapia antioxidante.
      Descrições dos Componentes
      Magnésio
      O magnésio tem importante papel na conversão de carboidratos, proteínas e gorduras em energia, na síntese de proteínas para o material genético; na remoção de substâncias tóxicas, como a amônia; no relaxamento muscular; na transmissão nervosa e na prevenção de doenças cardíacas e arritmias. É um elemento vital à atividade de numerosas enzimas (mais de 400), principalmente as fosfatases e as relacionadas à produção de ATP (Moura, 1997)
      A atividade física, seja qual for a sua natureza, aumenta a necessidade de energia. A energia para a contração muscular provém da hidrólise de ATP, onde o magnésio participa diretamente. Há três sistemas energéticos que se sobrepõe e que se apoiam mutuamente para fornecer ATP:
      - Sistema imediato;
      - Sistema Não oxidativo (glicolítico) ;
      - Sistema Oxidativo.
      São inúmeras as vias bioquímicas e os sistemas energéticos dependentes de magnésio. Diversos estudos demonstram a influência positiva do magnésio para a produção de energia (Brilla, 1995).
      Glutamina
      A glutamina é o aminoácido mais abundante do organismo. É sintetizada de acordo com as necessidades corporais, a partir do ácido glutâmico, valina e isoleucina ( Bill Philip, 1997). Por essa razão, é considerada um aminoácido não essencial, o que negligencia a sua importância qualitativa e quantitativa.
      Considerando todas as funções desempenhadas pela glutamina nos diferentes tecidos e células, alguns autores chamam a atenção para a sua classificação como aminoácido não essencial. Os relatos atuais discutem a possibilidade de classificá-la como “nutriente condicionalmente essencial”, por torna-se necessária na dieta em muitos estados patológicos ou com necessidades aumentadas, onde sua utilização excede a capacidade de síntese muscular e hepática. O fornecimento adicional de glutamina em estados catabólicos e suas conseqüentes
      etapas de recuperação, poderá ser essencial para otimizar a função fisiológica (Anderson, 1998).
      Funções Relacionadas
      Pode-se afirmar que o magnésio desempenha papéis antagônicos ao cálcio: aqueles que o cálcio estimula, o magnésio inibe (Druta-de-oliveria, 1998). O cálcio promove a contração muscular e o magnésio o relaxamento, por essa razão sua deficiência provoca contrações involuntárias, tremores, cãimbras, arritmias cardíacas, etc.
      O magnésio é importante na função cerebral (Poenaru, 1997). Sua ação é notoriamente fundamental na transmissão de impulsos nervosos e como cofator da enzima glutamina-sintetase, convertendo glutamato em glutamina e detoxificando amônia durante o processo (Fraser, 1999).
      A síntese de glutamina protege o organismo, o cérebro em particular, da toxicidade da amônia. No cérebro, a glutamina também é substrato para a produção de neurotransmissores excitatórios e inibitórios (Glutamato e GABA, respectivamente, além de ser importante fonte de energia para o sistema nervoso ( Miller, 1999). É a principal fonte de energia de várias células do sistema imune, incluindo macrófagos e células T. Exercícios de alta intensidade, infecções virais e bacterianas, stress e traumas em geral, causam sua depleção. A glutamina é um substrato de glutationa, um dos principais antioxidantes, e ajuda a melhorar a resposta imunológica. Células do sistema imunológico, assim como os enterócitos, utilizam a glutamina como substrato energético preferencial. A suplementação, na forma de dipeptídeo estável ( glicil- glutamina), preserva a barreira epitelial e a morfologia intestinal ( Vande Hulst, 1993, 1997).
      Como doador de carbono, a glutamina é um combustível para o músculo, ajudando a repor o glicogênio. No entanto, existe ainda uma função mais importante, doar nitrogêmio e, dessa maneira, participar da síntese protéica e restaurar o músculo de pequenos traumas que ocorrem com a prática de exercício. Assim, a glutamina é considerada um dos suplementos favoritos de body builders.
      A utilização de glutamina auxilia a recuperação de pacientes pós cirúrgicos e queimados, aumentando a velocidade de cicatrização de ferimentos e melhorando o tratamento geral.
      A fim de comprovar os benefícios do magnésio associado a glutamina, foram realizados dois estudos em atletas praticantes de musculação. No primeiro, cada participante consumiu por completo uma solução preparada com 400 mg de magnésio glicil glutamina quelato (40 mg magnésio, 240 mg glutamina e 120 mg glicina).
      A figura 1 mostra as variações médias dos níveis plasmáticos de glutamina no ínicio, 30, 60 e 90 minutos após a administração de magnésio glicil glutamina quelato.
      Fonte: Ashmead, 2002.
      Em outro estudo, foi possível demonstrar que o uso do composto Magnesium Glycyl Glutamine é mais efetio para o ganho de massa comparado-se com esteróide, e sem efeitos colaterais (figura 2).
      Figura 2. Elevaçào média da massa magra no período de 56 dias nos indivíduos que consumiram 400 mg de magnésio glicil glutamina ou 2 mg de testosterona.
    • By Renato França
      Mulheres e dificuldade de ganhar massa
      Muitas mulheres se queixam de dificuldade para ganhar massa muscular (mesmo com treino regular e dieta), flacidez, celulite, retenção hídrica e facilidade para engordar ou dificuldade de perder gordura. Não é novidade para ninguém que alimentação desequilibrada e sedentarismo contribuem para tudo isso. Mas hoje vou trazer algumas informações sobre outro fator, os anticoncepcionais, que pode ter relação com essas queixas e que está presente na vida de boa parte das mulheres em idade reprodutiva.
      Efeitos dos anticoncepcionais
      O uso de anticoncepcionais é muito difundido hoje em dia e é prescrito para diversas finalidades, não só inibir a ovulação e agir como contraceptivo propriamente dito. Mas também, em alguns casos, para controle da oleosidade da pele e acne, síndrome dos ovários policísticos, irregularidades do fluxo menstrual, hirsutismo (produção excessiva de pêlos nas mulheres). O problema é que muitas vezes para controlar um desses aspectos, ocorre a desregulação de todo eixo dos hormônios sexuais e outros sintomas surgem, ou seja, “tampa de um lado e descobre de outro”. 
      Vários desses sintomas e queixas são gerados e/ou piorados por maus hábitos de vida, resistência à insulina, dieta com alta carga inflamatória, deficiências nutricionais, má gestão do stress, etc. Então, se melhorar a dieta e atuar na correção desses desequilíbrios, não haveria necessidade do uso dos anticoncepcionais para fins secundários. Já para o fim primário, a contracepção, há métodos não hormonais que podem ser usados e isso tem de ser conversado e acordado com o ginecologista de acordo com o caso de cada paciente.
      A maior parte dos contraceptivos, seja por via oral (pílula), transdérmico (adesivo) ou anel vaginal, são contraceptivos combinados, compostos de um tipo de estrogênio associado a uma progestina. Ambos são hormônios sintéticos e, portanto, são interpretados de forma diferente do estrogênio e progesterona produzidos pelo corpo, o que leva a uma cascata de alterações hormonais. Vou falar de algumas delas que podem levar a uma maior resistência na obtenção de resultados de hipertrofia muscular e redução do percentual de gordura com a dieta e treino. Mulheres produzem testosterona
      Os hormônios sexuais, como a testosterona, circulam no sangue com uma parte ligada a albumina, parte ligada a globulina ligadora dos hormônios sexuais (SBGH) e uma parte livre (fração ativa do hormônio). É bom salientar que a testosterona é produzida em maior quantidade por homens, mas as mulheres também produzem testosterona (10 a 25 vezes menos) e ela tem funções fisiológicas importantes também no corpo feminino.
      Efeitos dos anticoncepcionais sobre a testosterona 
      Quando uma mulher toma um anticoncepcional composto por hormônios sintéticos, eles se ligam muito mais a albumina sérica do que a globulina ligadora dos hormônios sexuais (SBGH) e ocorre uma resposta exacerbada na produção de SHBG. Com uma quantidade de SHBG muito maior do que o necessário para transportar os hormônios sexuais produzidos pelo corpo, praticamente toda a testosterona fica ligada a SHBG e sobra uma fração ínfima de testosterona livre (fração ativa da testosterona). Essa baixa testosterona livre, mesmo que o valor de testosterona total esteja normal, pode levar a sintomas de deficiência de testosterona como: maior dificuldade para ganho de massa muscular, maior tendência ao ganho de gordura e retenção hídrica, baixa libido, maior sensação de fadiga e cansaço físico e mental.
      Essa alterações hormonais são confirmadas nos exames de sangue que solicito e analiso das minhas pacientes em uso de anticoncepcionais. Algumas delas demonstram maior dificuldade em evoluir em resposta a dieta e treino. Vamos a alguns dados da literatura:
      Um estudo feito por Piltonen e colaboradores (2012), no Departamento de Ginecologia e Obstetrícia de Oulu na Finlândia, verificou que o uso de anticoncepcionais combinados tanto por via oral, transdérmica e vaginal, em mulheres jovens e com peso normal, levou ao aumento de marcadores de inflamação crônica (proteína C reativa), piora da sensibilidade à insulina, aumento da SHBG e consequentemente redução da testosterona livre. Ou seja, independente da via de administração as alterações metabólicas são as mesmas. Lee e colaboradores (2009) analisaram a resposta em mulheres jovens (18 a 31 anos) a 10 semanas de treino resistido e verificaram um ganho muscular 40% menor em mulheres que faziam uso de contraceptivos orais em comparação às mulheres que não faziam uso. Os autores concluíram que esse resultado negativo no grupo que tomava anticoncepcional se deveu aos menores níveis de DHEA e S-DHEA (importantes para síntese de testosterona), IGF-1 (fator de crescimento semelhante à insulina – importante para a construção muscular) e maior nível de cortisol (hormônio do stress, que tem ação catabólica). Além disso, os autores comentaram que outro fator que limitou o ganho muscular foi que as progestinas que compõe o anticoncepcional se ligam competitivamente aos receptores de testosterona, impedindo a ligação da própria testosterona ao seu receptor e assim reduzindo seus efeitos.
      Outros riscos dos anticoncepcionais
      Não comentei sobre o risco de trombose venosa, pois não era o foco do texto. Mas, basta uma lida rápida na bula de um anticoncepcional que você verá o tanto de ressalvas e alertas quanto ao aumento do risco de eventos tromboembólicos. 
      Conclusão
      A minha dica é, pense 2 vezes em tomar ou continuar tomando anticoncepcionais hormonais e converse com um médico ATUALIZADO e com visão global da sua saúde. Também não se engane pensando que os que são de baixa dosagem são inofensivos, pois essas alterações são observadas inclusive nesses casos (vejo isso na prática nos resultados dos exames de pacientes). Se quiser tirar a dúvida, minha dica é que faça regularmente exames de sangue completos para monitorar todas essas variáveis e não colocar sua saúde em risco, nem limitar seus resultados da dieta e treino.
      Por fim, não quero dizer que mulheres que tomam anticoncepcionais não podem conseguir alcançar bons resultados estéticos, porque tenho pacientes que mesmo tomando chegam a excelentes resultados. No entanto, provavelmente se não tomassem chegariam um pouco mais longe.
      Por Nutricionista Renato França
      Sócio-proprietário da Clínica de Nutrição Esportiva e Funcional Renato França em Brasília - DF Diplomado pelo The Institute for Functional Medicine (EUA) Especialista em musculação e treinamento de força pela UnB Instagram: https://www.instagram.com/nutricionistarenatofranca/ Fanpage: https://www.facebook.com/renato.franca1
    • By carloscomp
      Treinamento de Alta Intensidade - HIT e Hardgainer
       
      Introdução

      Olá pessoal, neste tópico estarei postando diversos asssuntos referentes ao sistema HIT de treinamento, método introduzido por Arthur Jones na década de 70 e utilizado por grandes como Mike Mentzer, Casey Viator e muitos outros.

      Um resumo basico para HIT seriam treinos intensos, breves, infrequentes e em boa forma. Rotinas geralmente são fullbody, mas temos tambem as split no estilo pull/push ou upper/lower body, além do método Heavy Duty , criado por Mike Menzter, onde podemos usar até mesmo rotinas split 4X.

      Outra caracteristica marcante do método é a cadencia, o comum 1-1 é considerado como jogar o peso, não permite ideal estimulo ao musculo, Stuart McRobert no seu livro Beyond Brawn recomenda 3-3, ou seja, 3s para erguer o peso e 3s para baixar o peso. Com isso cada serie deve durar entre 40 a 80s, isso permite manter o musculo sob tensão por tempo suficiente para estimular força e hipertrofia.

      Falando em Stuart McRobert, estarei postando rotinas e artigos deste grande autor. Ele pode ser considerado da escola HIT, no entanto ele é mais moderado por que para ele o importante é progressão de cargas e boa forma nos exercicios, treinando sempre com alta intensidade para alcançar os objetivos, ou alcançando a falha ou proximo a falha.

      Aviso importante:

      Todas as rotinas citadas aqui possuem grandes exercicios como agachamento livre, levantamento terra, supino, military press e outros exercicios que exigem tecnica impecavel na execução, além disso se você possui algum problema fisico procure seu médico antes de iniciar qualquer tipo de programa de treinamentos. Estude os exercicios, veja videos, peça para pessoas experientes te ensinar e comece bem leve, não tenha vergonha de por exemplo começar só com a barra vazia.

      Artigos, Rotinas e links:

      Links relacionados
      Dr. Elligton Darden Drew baye Hard Training Pit Stop Dave Draper Dinosaur Training  
       
       
       
       
       
      Considerações Finais

      Os métodos citados nesse topico tem o objetivo de ajudar as pessoas com dificuldade de ganhar massa muscular e força a terem uma alternativa realista de como alcançar seus objetivos. Convido a todos a lerem aos artigos antes das rotinas, pois só assim você terá noção do que está treinando e quais objetivos pode alcançar. Eu treino dessa maneira e acho fantastico pois realmente me permite treinar forte, com progressão e tendo ganhos realistas sem me preocupar com esteróides, nem mesmo suplementos caros que pouco adicionariam a meu progresso.

      Algumas pessoas podem achar HIT um método ultrapassado e sem sentido mas ninguem parou para ler a vasta gama de conceitos e métodos que tal sistema engloba, com o foco em drugs-free. Hardgainer pode ser considerado um braço do HIT, pois não exige treinar até a falha mas exige rotinas abreviadas, treino duro e infrequente.

      Troca de rotinas todo mes, treinar 6X na semana, alguns em 2 turnos, pouco descanso entre treinos, 3 exercicios para biceps com 50-60 repetições em um unico treino, foco exagerado isoladores, overlaping grande entre treinos, supervalorização de suplementos, confusão muscular, e o pior: uso de esteóides, isso tudo não ajuda ninguem a alcançar seus objetivos com saúde, com esteróides você pode acelerar o processo de hipertrofia e força, na verdade enganar seu corpo e sua genética, mas eu pergunto: vale a pena o risco? Seu figado, seus rins, seu coração irão pedir a conta no futuro, não tenha duvidas disso.

      E deixo uma pergunta, se sua rotina não te deu resultados satisfatórios nos ultimos 3 meses, por que ela daria resultados nos proximos 3? Nessa caso, você não tem nada a perder e muito provavelmente alcançará resultados positivos antes do esperado com as rotinas citadas aqui. Give a try!


      Abraços,

      Carlos

×
×
  • Create New...