Jump to content

Search the Community

Showing results for tags 'dmaa'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Anabolizantes Esteroides
    • Tópicos sobre esteroides
    • Relatos de ciclos
  • Suplementos Alimentares
    • Tópicos sobre suplementação
    • Relatos de uso de suplementos alimentares
  • Treinamento de Musculação
    • Tópicos sobre treinamento
    • Lesões musculares
    • Diário de treino
  • Nutrição Esportiva
    • Tópicos sobre nutrição
    • Relatos sobre dietas
  • Gente
    • Tópicos de evolução do shape
  • Assuntos Diversos
    • Tópicos diversos

Calendars

  • Campeonatos de Musculação
  • Cursos, Palestras e Feiras

Categories

  • Esteroides
  • Suplementos
  • Treinamento
  • Nutrição
  • Gente
  • Diversos

Categories

  • Esteroides
  • Suplementos
  • Treinamento
  • Nutrição
  • Gente
  • Diversos

Categories

  • Aves
  • Bebidas
  • Carnes
  • Lanches
  • Legumes
  • Ovos
  • Massas
  • Peixes e Frutos do Mar
  • Saladas
  • Sobremesas

Categories

  • Abdominal
  • Antebraço
  • Bíceps
  • Costas
  • Coxa
  • Glúteo
  • Lombar
  • Ombro
  • Panturrilha
  • Peito
  • Pescoço
  • Romboide
  • Trapézio
  • Tríceps

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


Telefone Celular (WhatsApp)


Telefone Fixo


Interesses


Facebook


Instagram


YouTube


Twitter


Website


Tumblr


Série de Treinamento


Suplementação


Dieta Nutricional


Ciclos de Esteroides Anabolizantes & Drogas Afins


Academia


Altura


Peso


Percentual de Gordura

Found 12 results

  1. Desinformação da Mídia não Especializada Quem acompanha as novidades da indústria da suplementação no Brasil costuma ficar chocado com as notícias que são veiculadas pela mídia. Normalmente, as informações são distorcidas e repletas de preconceito, sem respaldo científico ou de profissionais gabaritados, resultando numa salada de desinformação e fomentadora de ainda mais preconceitos contra os suplementos alimentares e amantes da musculação. Saiba mais na matéria: Jack3d é Acusado de Causar Dependência. OxyElite Pro Demonizado A bola de vez ou bode expiatório, desta vez, foi o suplementos alimentar OxyElite Pro da USPLabs. O jornal Correio Braziliense publicou uma sequência de matérias demonizando o suplemento alimentar e vitimizando os seus consumidores, como se fossem pobres coitados enganados pela indústria gananciosa e inescrupulosa. O massacre começou em 12/01/2013, numa matéria intitulada "Lojas do DF vendem suplemento proibido". O subtítulo foi "De 20 estabelecimentos consultados pelo Correio, seis comercializam o OxyElite Pro, todos fora do Plano Piloto. Feito à base de dimetilamilamina, o produto, vetado desde julho pela Anvisa, é usado por quem deseja emagrecer e também por concurseiros". lojas-df-vendem-suplemento-proibido.pdf Nessa reportagem, afirma-se que a dimetilamilamina (DMAA) poderia levar o indivíduo à morte. Além do OxyElite, são mencionados o Jack3d e o Lipo 6 Black, os quais também estariam proibidos na Austrália e Nova Zelândia. Na realidade, a DMAA foi proibida nos EUA, onde os suplementos são fabricados, e essa proibição envolveu um número muito maior de suplementos, como reportamos na seguinte matéria: Jack3d Foi Proibido pela FDA (ANVISA dos EUA). Risco de Morte A suspeita de risco de morte ligada à DMAA não parece ter sido comprovada até o momento, havendo mera suspeita. Se a DMAA fosse realmente tão perigosa como se gosta de propagar na mídia, milhares de pessoas que frequentam academias no mundo inteiro teriam falecido. O Jack3d, produto que continha DMAA, foi o suplemento alimentar mais vendido no mundo durante muitos meses. E nenhum caso comprovado de morte, efetivamente causada pelo DMAA, parece ter sido revelada. Veja mais sobre esse assunto nesta matéria: Jack3d é Seguro. Novas Fórmulas sem DMAA O grande defeito na matéria é não informar que os fabricantes de suplementos alimentares atualizaram as fórmulas do OxyElite Pro, do Jack3d e do Lipo 6 Black para adequação dos produtos ao novo regramento imposto pela FDA. Veja as novas fórmulas: Lipo-6 Black no site da Bodybuilding (links com referral code). Suplemento Alimentar não é Esteroide (nem Asteroide, nem Bomba) O pior defeito da reportagem não foi deixar de mencionar que os fabricantes adequaram as fórmulas dos produtos à nova realidade ditada pela FDA. Na realidade, trata-se de um problema comum a diversas reportagens publicadas contra os suplementos alimentares: confunde-se suplemento alimentar com anabolizante esteroide. Num quadro que tem por objetivo demonstrar os riscos do consumo de DMAA, são apresentados efeitos colaterais próprios dos esteroides. Leia-se: na mulher - aumento de pelos, alteração na voz, queda de cabelo, desragulação do ciclo menstrual. No homem - crescimento da mama, problemas de fertilidade. Nenhum desses efeitos colaterais está relacionado à DMAA ou a qualquer outro ingrediente da fórmula do OxyElite Pro. Quem acompanha nosso site já está cansado de saber que esteroides são esteroides e suplementos alimentares são suplementos alimentares, capiche? Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Será que precisamos ser mais claros? A mídia não especializada, de alcance difuso, ao invés de informar as pessoas, as desinforma. Por isso, um preconceito enorme ronda o meio social e se mostra evidente quando um jovem resolve utilizar suplementos alimentares, ainda mesmo que por indicação de nutricionista esportivo, e seus pais ou responsáveis se posicionam de maneira ferozmente contrária. Também é comum que musculadores, ao exibirem shakes de proteína, tenham que ouvir frases do tipo: "Está tomando bomba?". Mas não são esteroides, nem bombas. São produtos que complementam a dieta e fornecem nutrientes para o organismo de forma prática ou concentrada. Depoimento de Pessoa Sedentária e não Comprometida com Treino e Dieta Também chama a atenção, no texto da reportagem, um depoimento de uma servidora pública (que não quis se identificar). Teria dito ela que passou a tomar o OxyElite para se preparar para uma prova de resistência física de um concurso, porque não teria conseguido emagrecer sem ajuda suplementar. Qualquer musculador que se preze sabe que não é o suplemento alimentar que vai provocar o emagrecimento, mas dieta ou reeducação alimentar (ingestão calórica menor do que o gasto calórico). Suplementos ajudam, não fazem milagre. Só por esse trecho do depoimento já se pode esperar o absurdo que vem pela frente. A "super atleta" disse que com o OxyElite Pro teria conseguido fazer mais de 10 minutos de esteira, coisa que nunca teria consigo antes. Pelo amor de Deus, quem é a pessoa que, normalmente, não consegue fazer mais de 10 minutos de esteira na academia? Sendentários? Obesos mórbidos? Será que seu avozinho sedentário com mais de 70 anos de idade conseguiria fazer mais de 10 minutos de esteira? Se ele costumar caminhar pela casa, é bem possível. Para completar, a "super atleta" diz que ainda voltou correndo para casa, não tendo se sentido cansada em nenhum momento, mas eufórica. Pior, afirmou que tem conhecimento na área (qual? suplementação alimentar? química?) e percebeu que as ligações dos compostos do OxyElite Pro seriam parecidas com as da cocaína. E também descobriu que o produto estaria proibido. E que o produto poderia acusar doping. E causar dependência. Ficou revoltada e se sentiu enganada. O que acham disso? A pessoa que se diz entendida em suplementos alimentares e que normalmente não consegue comer menos e melhor para emagrecer, nem fazer míseros 10 minutos de esteira, diz que se sentiu enganada. Não sabemos se esse depoimento é para rir ou para chorar. Sensacionalista é. Colaborativo não. O que diferencia o gás oxigênio (O2) do ozônio (O3) é um átomo. Ainda que as ligações dos componentes do OxyElite Pro fossem parecidas com as da cocaína, isso nada tem de alarmante. Quem entende de suplementos já deveria saber que a DMAA estava proibida nos EUA e que era considerada doping pela WADA. Quanto à dependência, parece não haver estudo científico conclusivo. Observe-se que a "super atleta" disse que um amigo seu teria comprado o produto facilmente em Sobradinho (cidade satélite de Brasília), o que leva a crer que ela sabia que o produto não poderia ser vendido de maneira regular. Como poderia ser sentir enganada? Quanta inocência…. Na verdade, pessoas como essa estão se enganando. Quer correr mais de 10 minutos na esteira? Treine de verdade. Quer emagrecer? Faça dieta. Quer atingir o seu potencial genético máximo? Aí sim faça uso de suplementos alimentares. O problema é que gente sedentária e com compulsão alimentar, sem compromisso com treino e dieta, quer depositar a culpa do fracasso de seu projeto pessoal em terceiros ou em coisas, como no suplemento alimentar, um bode expiatório. E infelizmente a mídia dá voz a essas pessoas (que, na verdade, não sabem nada de treino, dieta, ou suplementação, e não se preocupam em pesquisar), como se fossem os mensageiros da sabedoria popular. "Os suplementos são os vilões!". O que não se pode aceitar é que uma eventual minoria de nutricionistas e vendedores de lojas de suplementos que estejam fazendo propaganda enganosa em torno dos benefícios da suplementação tenham credibilidade social. Nunca se esqueça: suplementos não fazem milagres, o que transforma o corpo é a determinação do praticante de musculação, não uma pílula mágica. Suplementos estão à disposição para ajudar no caminho, e não para trilhá-lo por você. Portanto, para aqueles que querem o caminho mais fácil, o dos milagres, ou o das pílulas mágicas, sentimos informar: você sempre será enganado por algum malandro de plantão. Mas fica o recado: não culpe os outros, nem coisas, e muito menos os suplementos. Tenha compromisso, seja determinado, e o resultado virá naturalmente. Outras Reportagens em Série para Massacrar os Suplementos (e Criar uma Equivocada Opinião Popular) No dia 13/01/2013, o Correio Braziliense publicou uma matéria intitulada "MP reage a venda ilegal", cujo subtítulo era "Denúncia do Correio sobre comércio de compostos alimentares vetados faz com que a Promotoria de Defesa da Saúde marque reunião com a Anvisa e a polícia. Em oja de Águas Claras, produto pode ser obtido por encomenda". mp-venda-ilegal-suplementos.pdf Nessa reportagem, mais uma vez, afirma-se que o OxyElite Pro teria como efeitos colaterias: mudança na voz, queda de cabelo, problemas de fertilidade, alterações no sistema nervoso e a morte do usuário. Já vimos que suplementos alimentares não são esteoides anabolizantes. E os efeitos colaterias comprovados destes não podem ser imputados aos suplementos não esteroidais. Em 14/01/2013, o Correio publicou nova matéria contra o OxyElite Pro. A chamada foi: "Polícia fecha o cerco contra venda ilegal", e o subtítulo foi: "Unidade especializada conta com seção específica para combater comércio de compostos alimentares proibidos pela Anvisa. Em uma das operações realizadas no ano passado, a delegacia recolheiu 5 mil produtos ilegais. Comércio também é feito por meio de redes sociais". policia-fecha-cerco-venda-ilegal-suplementos.pdf Mais uma vez o OxyElite Pro, o Jack3d e o Lipo-6 Black são acusados de causar uma série de alterações no metabolismo e de até levar os usuários à morte. É curioso anotar que a gerente de alimentos da Vigilância Sanitária do DF diz que o órgão apresenta déficit de pessoal para controlar a venda ilegal do OxyElite Pro, e que há outras prioridades. Se fosse mesmo verdade que a DMAA causa morte, não deveria sua venda ilegal ser tratada como prioridade? Quantas pessoas você conheceu (ou amigos de amigos) que morreram por ingerir suplementos com DMAA (OxyElite Pro, o Jack3d e o Lipo-6 Black)? No dia 15/01/2013, foi veiculada no Correio matéria intitulada "Fiscalização precária estimula crime", e com subtítulo "A Vigilância Sanitária tem pouco mais de um terço do total de profissionais necessários para atuar em diversas áreas. Sobrecarregado, o órgão cobre só cerca de 20% do comércio". fiscalizacao-precaria-estimula-crime.pdf O mais triste foi ler na capa do jornal a chamada para a matéria: "Fiscalização sobre 'bombas' é falha". fiscalizacao-bombas-falha.pdf É realmente muito triste verificar que a mídia fomenta o preconceito e ojeriza contra os praticantes de musculação que fazem o uso correto de suplementos para atingir o máximo do desenvolvimento muscular. Vamos repetir sempre que for necessário: suplemento não é esteroide. Suplemento alimentar não é bomba. Quem faz uso de suplemento alimentar não é bombado. Esse lugar-comum já está passando de uma infeliz falta de informação para uma despropositada ignorância. Nessa reportagem, é interessante notar a opinião do gerente sanitário André, segundo o qual a população deve ser educada para não consumir produtos ilegais, ao invés de se buscar um reforço na fiscalização. E, mais uma vez, o gerente deixa claro que o comércio ilegal de suplementos alimentares não é prioridade. Somente situações que envolvam risco iminente à saúde são priorizadas, tais como leitos de UTIs. Concordamos com o servidor da ANVISA: educação é a palavra-chave. E esse é o objetivo desta matéria. Educar a população. Informar do modo mais preciso possível. Não consuma suplementos alimentares proibido pelas autoridades sanitárias! E se o produto é permitido apenas nos EUA, faça a importação correta do produto. Não compre de maneira irregular, a chance de o produto ser falsificado é grande. Leia uma matéria interessante sobre importação: Jack3d Micro: Importação e Nova Fórmula. Mas o que fica evidente pelas palavras do gerente de Alimentos da ANVISA é que os suplementos alimentares, ainda que proibidos, não representam risco iminente à saúde. Parece exagerado imputar à DMAA risco de morte. No mesmo dia, 15/01/2013, foi veiculada outra matéria com a chamada "Consumo leva ao risco de morte" e descrição "Especialistas alertam para os perigos e as complicações decorrentes do uso de complementos alimentares, emagrecedores e esteroides, como dependência e problemas cardiovasculares. A comercialização pela internet desafia a Anvisa e a Polícia Federal". consumo-dmaa-risco-morte.pdf Segundo a matéria, a morte do nutricionista Manoel de Alencar poderia ser imputada ao OxyElite Pro. A polícia teria encontrado anabolizantes e o suplemento proibido na casa do atleta. Mas afinal, por que o OxyElite Pro seria a causa da morte? Mais adiante, a reportagem afirma que a mistura de esteroides, estimuladores e emagrecedores teria causado uma parada cardiorrespiratória no atleta. Nesse caso, convenhamos, não foi o OxyElite Pro o causador da morte. Merece nota, também, a manifestação de um mestre em ciência da nutrição que afirma que o OxyElite Pro teria outras anfetaminas na composição, tais como a sibutramina. Não é isso que se verifica no rótulo do produto. Nessa mesma reportagem, os leitores são confundidos pelo jornal com a apresentação dos efeitos colaterais dos esteroides anabolizantes como sendo efeitos negativos do suplemento OxyElite Pro. No dia 16/01/2013, o Correio publica matéria com título "Traficantes e contrabandistas", e explicativo "A polícia e o Ministério Público fecham o cerco às quadrilhas de tráfico de drogas que descobriram nos complementos alimentares e nos anabolizantes uma forma de lucrar ainda mais com o comércio ilegal. Produtos chegam dos EUA e do Paraguai". traficantes-contrabandistas-suplementos.pdf Essa notícia é realmente assustadora. O comércio ilegal de suplementos alimentares deve ser reprimido. Sabemos o quanto nosso país tem sofrido com os efeitos deletérios do tráfico de drogas, que destrói vidas e famílias. A repressão aos traficantes tem sido uma batalha incansável das forças estatais. Saber que esses traficantes estão enveredando para o comércio ilegal de suplementos e esteroides muito nos entristece, pois, vai se tornar ainda mais difícil a repressão à venda irregular. No dia 17/01/2013, foi veiculada matéria com título: "Antidoping sob suspeita". Explica-se: "Especialistas denunciam que a preferência por exames capilares na maioria dos concursos de segurança pública facilita a aprovação de candidatos que usam substâncias proibidas em testes físicos". antidoping-suspeita-suplementos.pdf Merece destaque nessa matéria a intervenção do preparador físico Ricardo, que afirma ser comum que seus alunos apresentem palpitação, dor no peito, hipoglicemia e taquicardia. E isso seria em decorrência do uso de suplementos proibidos. Segundo ele, em casos extremos, a pessoa poderia ter morte súbita. O treinador não relatou nenhum caso de morte súbita que tenha presenciado. Também não deu detalhes das doses dos suplementos ingeridas pelos alunos, e nem que suplementos seriam esses. Também não deu detalhes das dietas dos alunos, da intensidade do treinamento e nem se teriam problemas congênitos de saúde. Em resumo, os suplementos foram malhados sem qualquer embasamento científico, só por "achismo". No dia 18/01/2013, sai nova matéria, desta vez intitulada "Venda na internet aumenta os riscos", com subtítulo: "Além de esconder a identidade do fornecedor, comércio de complementos alimentares na rede expõe o consumidor a produtos irregulares, fora da validade ou falsificados". venda-internet-riscos-suplementos.pdf Na capa do jornal, foi feita a chamada desta forma: "Sites põem à venda versão falsificada de suplemento". sites-versao-falsificada-suplementos.pdf Diz a reportagem que a compra de suplementos não autorizados pela ANVISA por meio da internet é arriscada porque o produto pode ser falsificado, vencido ou nem mesmo chegar. Essa é uma meia verdade. Se a compra for feita no Brasil, a venda é ilegal, e os riscos são reais. Se a compra for feita nos EUA (pela internet), em sites de renome, o risco de dores de cabeça com a compra são mínimas. Existem muitos suplementos alimentares cuja venda não é autorizada no Brasil, mas é autorizada nos EUA. A importação é permitida, sujeitando-se o consumidor ao pagamento de tributo e a apresentação de prescrição médica ou de nutricionista. Os sites que costumam ser mais recomendados para a importação de suplementos alimentares dos EUA pela internet são: e Bodybuilding.com (links com referral code). No día 20/01/2013, publica-se matéria "Por trás da promessa de milagre, o pesadelo" sobre "Pessoas que consumiram produtos vetados no Brasil, como OxyElite Pro, Jack 3D e Lipo-6 Black, atestam as consequencias nocivas à saúde que esses compostos provocam, como taquicardia, hipertensão e dependência. Em Recife, um jovem morreu". promessa-milagre-pesadelo-suplementos.pdf De acordo com a reportagem, as promessas dos rótulos de suplementos como OxyElite Pro, Jack 3D e Lipo-6 Black escondem os riscos devastadores dessas substâncias. Em seguida, são publicados depoimentos de pessoas que usaram os suplementos. É aí que os absurdos começam a aparecer. Leia com atenção e veja se os efeitos colaterais decorrem dos suplementos ou da irresponsabilidade de seus usuários. A secretária Adriana afirmou que comprou o OxyElite com a intenção de emagrecer. Disse que com o uso do suplemento não se sentia cansada. Num dia de treino chegou na academia às 7h e saiu meio-dia. Isso mesmo!! A "grande atleta" entrevistada pelo Correio ficou 5 horas seguidas na academia!! Depois disso vem choramingar de dores na nuca, dores de cabeça, taquicardia, nervosismo e hipertensão. Médicos teriam dito que seu problema foi desencadeado pelo OxyElite Pro. Ao deixar de usar o produto, a secretaria teria ganhado 12 quilos, no que chamou-se efeito sanfona. Convenhamos, vocês acham que a secretaria teve problemas de saúde por causa do suplemento alimentar ou por não saber treinar, não saber se alimentar, não respeitar os limites do corpo, querer resultados imediatos e assim por diante? Quantas cápsulas do produto ela ingeriu de uma única vez? Parece claro que em 15 dias treinando por 5 horas seguidas qualquer pessoa entraria num estado de overtraining com efeitos deletérios ao corpo, exatamente como descrito pela secretária: dores na nuca, dores de cabeça, taquicardia, nervosismo e hipertensão. Por que o jornal, os médicos (não identificados) e a secretária culpam o suplemento pelo mal estar físico ao invés de se atentarem para um elemento básico: treino correto e dieta? É muito mais fácil culpar o suplemento do que assumir as próprias fraquezas. Pelo depoimento da secretária, de 78 quilos, fica claro que ela buscou no suplemento uma fórmula mágica para perder peso. E se logo após parar de tomar o suplemento ganhou mais 12 quilos, pode-se imaginar que tenha distúrbio alimentar compulsivo. Para se perder peso com saúde, deve-se atentar para a disciplina e busca de resultados a longo prazo. A perda deve ser gradual. A dieta deve ser equilibrada, e não absolutamente restritiva. O treinamento deve respeitar os limites do corpo (costuma-se dizer que o ideal são 40 minutos, e não absurdas 5 horas de treinamento contínuo). É óbvio que uma pessoa gordinha e sedentária que não se alimente direito e que treine alucinadamente sem qualquer acompanhamento de preparador físico irá ter problemas de saúde, tais como dores de cabeça, hipertensão, etc. O catabolismo é cruel. O efeito sanfona é natural nesses casos. O corpo não aguenta ser saco de pancada por muito tempo. Portanto, não culpem os suplementos alimentares, culpem a ansiedade por resultados rápidos, o desrespeito aos limites do organismo, a falta de acompanhamento nutricional e de programa de treinamento adequado. Outro depoimento que chama a atenção é de Wilson e Marcelle, que afirmam que o Jack3d teria matado seu filho Wilsinho. O algoz teria sido o estagiário da academia do rapaz, José Dorgival Cavalcante Júnior, que teria vendido irregularmente o suplemento Jack3d. Não há nenhuma prova científica de que o rapaz tenha falecido por conta do uso do Jack3d. Há uma coincidência. Ele faleceu um mês após começar a fazer uso da substância. Observe-se que a vítima jogava futebol, e não raramente se ouvem casos de morte súbita em esportes em que o sistema cardiovascular é exigido à exaustão. A reportagem é omissa quanto a problemas de saúde congênitos do rapaz, quanto à dose de suplemento que ele ingeria, quanto ao uso de medicamentos (quiçá esteroides) e quanto à própria causa da morte em laudo pericial. A mãe tem esperança que um laboratório estrangeiro comprove que a causa da morte foi a ingestão de Jack3d. Portanto, fica claro que o suplemento alimentar é sacrificado e imputado como culpado sem prova científica, com base em preconceitos e crendices. Leia mais neste link: IC e IML não confirmam morte de jovem no Recife por uso de Jack3D. Interessante também é o depoimento do professor de musculação Vitor, que afirma que muitas pessoas abusam do consumo dos suplementos, ingerindo doses muito superiores do que as indicadas no rótulo. Mencionou o caso de um usuário que excedeu em 6 vezes a dose indicada. Imagine você os efeitos colaterais decorrentes da ingestão de 6 vezes a quantidade indicada de uma substância estimulante do sistema nervoso central!! Será que vai fazer mal? Afinal, quem são os vilões? Os suplementos alimentares ou seus usuários desmiolados? Se você toma um copinho de café pela manhã para ficar alerta, imagine se você tomasse outros 6 seguidamente! Vamos pensar. Até o melhor produto do mundo pode se tornar prejudicial pelo mal uso. No mesmo dia 20/01/2013, foi publicada reportagem chamada "A saúde em primeiro lugar", tratando de "Especialistas dizem que produtos ofertados no mercado, que prometem perda de peso ou ganho de massa muscular, só devem ser consumidos se houver orientação de especialistas em nutrição. Do contrário, os efeitos no organismo podem ser devastadores". saude-suplementos.pdf Chancelamos essa reportagem. Os suplementos alimentares somente devem ser consumidos com a orientação de nutricionista esportivo. Nem todos os praticantes de musculação necessitam de suplementação alimentar, principalmente aqueles que não desejam atingir o máximo de força, hipertrofia ou definição. Para a manutenção de um organismo saudável e funcional, normalmente, não há necessidade de suplementação alimentar, se o praticante de musculação tiver uma dieta bem balanceada ao longo do dia. Para aqueles que querem atingir metas audaciosas nos treinos, os suplementos alimentares podem ser grandes aliados, se consumidos corretamente. A única ressalva que se faz aqui é a inclusão do risco de morte e da dependência como efeitos colaterais dos suplementos, o que parece ser exagerado, por falta de evidências científicas. No dia 26/01/2013, é publicada reportagem com o título "Polícia apreende 7 mil pílulas contrabandeadas". Dá-se conta de apreensão de suplementos trazidos do Paraguai para serem vendidos irregularmente no Brasil, tais como o Lipo-6 Black. pilulas-suplementos-contrabandeados.pdf Fica mais uma vez o alerta: não compre suplementos alimentares vendidos de modo irregular no Brasil. Compre somente os produtos que estão de acordo com as regras da ANVISA. Caso queira comprar produtos que não podem ser vendidos no Brasil, mas que podem ser vendidos nos EUA, faça importação direta pela internet ou visite os EUA para comprá-los. E não se esqueça de ter em mãos a prescrição de seu médico ou nutricionista esportivo. Conclusão Esta matéria não tem por objetivo criar qualquer levante contra a mídia difusa, de massa. Tem por objetivo esclarecer os leitores de alguns detalhes importantes que envolvem o mundo da suplementação alimentar e que, muitas vezes, são ignorados pela mídia não especializada, que ainda publica algumas matérias mais confusas do que informadoras. A série de reportagens publicadas pelo Correio Braziliense cometeu alguns deslizes (confundir suplementos com anabolizantes, imputar aos suplementos risco de morte sem comprovação científica, apresentar depoimentos de pessoas que fazem mal uso de suplementos e culpar o suplemento ao invés do usuário), mas tem seus méritos (chamar a atenção para os perigos do consumo de produtos proibidos, possivelmente falsificados, e de suplementação alimentar sem acompanhamento especializado, por nutricionista esportivo). Também é bom que a população saiba que suplementos alimentares não fazem milagres. Determinação faz. Treine pesado, alimente-se com respaldo de profissional habilitado (que pode eventualmente prescrever suplementos auxiliares) e alcance os resultados que almeja! Não acredite em maus profissionais que prometem pílulas mágicas, sejam eles nutricionistas ou vendedores de lojas de suplementos alimentares. Corpo perfeito não cai do céu. Demanda tempo, disciplina, persistência, dieta equilibrada e treinamento adequado. E os suplementos? Podem tornar sua vida mais prática, ajudar na conquista dos resultados, mas não são os elementos mais importantes. Fonte das Reportagens Jornal Correio Braziliense - http://correioweb.com.br (Os arquivos das reportagens são meramente ilustrativos desta matéria e não devem ser reproduzidos - art. 46, III, da Lei n. 9.610/98)
  2. Jack3d é seguro! Pelo menos é nisso que a USPlabs quer que você acredite. Já publicamos uma matéria tecendo comentários sobre uma matéria jornalística que acusava o Jack3d de causar dependência (Jack3d é Acusado de Causar Dependência). Pela internet você encontra uma série de referências desabonadoras ao suplemento alimentar Jack3d, que é um dos mais controversos de todos os tempos. O centro da controvérsia gira em torno da substância 1,3 Dimethylamylamine (DMAA), que é proibida pela WADA (World Anti-Doping Agency - Agência Internacional Antidoping). Atletas olímpicos não podem fazer uso do Jack3d (que contém DMAA) porque ele implica em doping. Essa única constatação já é suficiente para a impresa fazer um estardalhaço contra o Jack3d. Para mudar esse quadro "difamatório", a USBlabs diz aos consumidores que o uso da DMAA é seguro! Ou melhor, que o uso do Jack3d é seguro! A matéria foi publicada na FLEX Online e foi intitulada como USP Labs has Incontrovertible Facts on DMAA Safety (Fatos Incontroversos sobre a Segurança da DMAA pela USB Labs). Em resumo, a matéria afirma que em 4 anos foram consumidas mais de 1 bilhão de doses de produtos contendo DMAA. Desse bilhão de doses, não haveria nenhum relato de efeito colateral grave. Esses fatos seriam incontroversos. Qualquer relato em sentido contrário seria mero rumor ou boato. Mas rumores ou boatos seriam difíceis de serem desmentidos. Nos tempos de internet e de informação instantânea (facebook, twitter, blogs, etc), seria extremamente complicado descobrir a verdade, depois de espalhada uma informação falsa. Por isso, a USBlabs, fabricante dos suplementos alimentares Jack3d e OxyElite Pro (que contêm DMAA), teria desistido de lutar contra rumores e boatos, tendo deixado a tarefa para um laboratório de pesquisa renomado nos Estados Unidos. Os resultados da pesquisa (seis estudos médicos) teriam apontado que o consumo de DMAA é 100% seguro. Segundo um dos estudos, o consumo de Jack3d por 10 semanas não teria causado mudanças significativas nos batimentos cardíacos, na pressão arterial, nas funções hepáticas ou nas funções renais das pessoas submetidas à pesquisa (Study #5: Jack3d Ten-Week Safety Study). Segundo a USBlabs, não existe nenhum estudo científico que demonstre o contrário. A conclusão da matéria é a seguinte: 1 bilhão de doses, nenhuma evidência de graves efeitos colaterais, seis estudos médicos promovidos por especialistas confirmam a segurança e eficácia do DMAA, logo é evidente que os fatos são incontroversos, já os rumores que andam por aí... É bom lembrar que a matéria trata sobre a segurança do uso da DMAA dentro das doses recomendadas pela USBlabs. No rótulo do Jack3d há um alerta para que os consumidores usem com precaução o produto, não ingerindo mais do que a dose recomendada. Além de seguir a dose recomendada, o rótulo do Jack3d também informa que o produto não pode ser consumido por menores de 18 anos. Pessoas que fazem uso de medicamentos ou têm problemas de saúde (tais como: baixa ou alta pressão arterial, arritmia cardíaca, diabetes, dificuldades para urinar por aumento da próstata, problemas no coração, tireóide, fígado, rins ou psiquiátricos) devem consultar o médico antes de consumir o Jack3d. Ademais, o Jack3d não pode ser administrado em conjunto com outros estimulantes ou produtos que contenham cafeína. O consumo de bebidas alcoólicas é vedado para quem faz uso do Jack3d. Conclusão: a USBlabs apresentou evidências científicas de que o Jack3d é seguro para consumo, desde que obedecidas as doses recomendadas no rótulo do produto. No entanto, observe que os "fatos incontroversos" trazidos pela USBlabs tratam de "graves efeitos colaterais". Isso não isenta o Jack3d de "pequenos efeitos colaterais", tais como dores de cabeça experimentadas por pessoas que não respondem bem a doses extras de cafeína. Portanto, siga as doses recomendadas no rótulo, suspenda o uso se sentir algum efeito colateral e não acredite mais em rumores mirabolantes espalhados pela internet ou criados pela mídia sensacionalista! ATUALIZAÇÃO: Jack3d Proibido! Saiba mais sobre o Jack3d
  3. O Jornal da Record de hoje apresentou na segunda reportagem da série "Receita Perigosa" uma matéria sobre o Jack3d da USPlabs. De acordo com a matéria jornalística, o Jack3d conteria drogas estimulantes e poderia causar dependência. Mais uma vez se vê uma matéria sensacionalista contra os suplementos alimentares. O atleta de "vale-tudo" Matheus Serafim diz que desmaiou por causa do Jack3d. Mas ele não disse qual foi a dose ingerida, não relatou nada sobre a sua dieta ou treinamento. Culpou o suplemento alimentar por "achismo". Mas pode ter desmaiado por "overtraining" ou por hipoglicemia. A reportagem diz que o Jack3d tem uma fórmula bombástica. O médico entrevistado diz que o Jack3d tem drogas estimulantes do sistema nervoso central, mas não diz o nome delas. Também diz que o Jack3d teria substâncias que causariam prazer e bem-estar, mas também não as identifica. Segundo o médico, o suplemento teria como consequência o treinamento superior ao limite do organismo. Parece que justamente essa é a finalidade do Jack3d, permitir a superação de limites. De acordo com a reportagem, o rótulo do Jack3d não informaria a dosagem de cada componente do produto. Isso é verdade, e a crítica é pertinente. De acordo com o rótulo, o Jack3d é composto pelas seguintes substâncias: Arginine Alpha-Ketoglutarate, Creatine Monohydrate, Beta Alanine, Caffeine, 1,3-Dimethylamylamine (Geranium [stem], Shizandrol A. No entanto, nele não se discrimina a quantidade de cada uma delas, apenas constando que uma medida do dosador tem 4145 mg dessa fórmula. Esse aspecto deveria ser corrigido pela USPlabs, para melhor informar o consumidor. Por isso, não dá pra negar: "quem toma atira no escuro" mesmo. Só que nem "tão-escuro". Os componentes estão informados no rótulo, só falta a discriminação de quantidades. Em seguida, a matéria afirma que a venda do suplemento não é permitida no Brasil. Em primeiro lugar, deve-se esclarecer que a partir da publicação da Resolução RDC n. 27 de 6 de agosto de 2010 da ANVISA, os alimentos para atletas (ou suplementos alimentares, ou suplementos nutricionais, ou complementos alimentares, ou complementos nutricionais) não necessitam mais de registro para serem comercializados no Brasil. Todavia, novos alimentos e novos ingredientes dependem de registro. E o que são alimentos para atletas? O seu conceito é dado por Resolução da ANVISA que é apresentada sem numeração no site da Agência. Esta Resolução teria sido aprovada em 26/4/2010. Segundo ela, os alimentos para atletas compreendem: suplemento hidroeletrolítico para atletas, suplemento energético para atletas, suplemento protéico para atletas, suplemento para substituição parcial de refeições de atletas, suplemento de creatina para atletas, suplemento de cafeína para atletas. A resolução exclui explicitamente substâncias estimulantes, hormônios ou outras consideradas como “doping” contidas na lista de substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidoping (WADA) e ou legislação pertinente. A lista de substâncias proibidas pela WADA inclui a methylhexanamine (ou methylhexanenamine ou dimethylamylamine), que é extraída do Geranium. Saiba mais em WikiPédia - Methylhexanamine. De acordo com estudos, o perfil de segurança dessa substância estimulante seria semelhante ao da cafeína. Portanto, pelas resoluções da ANVISA, o Jack3d não poderia ser considerado um alimento para atletas, por conter uma substância estimulante proibida pela WADA. No entanto, havia boatos no sentido de que em breve o Jack3d teria registro na ANVISA. Há no site da importadora WWSports uma imagem do Jack3d com a indicação "coming soon", isto é, disponível em breve, em tradução livre. Será que a fórmula do Jack3d abandonará a substância 1,3-Dimethylamylamine? Ou será que manterá a mesma fórmula e terá registro com base no permissivo legal novos alimentos e novos ingredientes, os quais dependem de registro? Nesse aspecto a legislação parece meio truncada. O Jack3d não pode ser considerado alimento para atleta e ser dispensado de registro. Mas pode ele ser considerador como novo alimento ou novo ingrediente e ser vendido com registro? Parece ser viável. No site da ANVISA pesquisamos no sitema de "consulta de produtos alimentos" por "Jack3d" em "nome do produto" e por USPlabs em "marca". Não foi acusado resultado. É claro que essa simples pesquisa no site da ANVISA não é suficiente para se afirmar que o Jack3d não está registrado. Todavia, para fins dessa matéria, consideraremos o Jack3d como se não tivesse registro. Nesse sentido, parece que Jack3d ainda não tem registro na ANVISA e não poderia ser vendido no Brasil. Portanto, aparenta ser correta a reportagem. Deve-se tomar muito cuidado com o comércio ilegal ou clandestino de suplementos alimentares. O consumidor que a ele se sujeita corre o risco de comprar produtos falsificados e que podem trazer sérios danos à saúde. Apesar de não poder ser vendido no Brasil, o Jack3d tem venda autorizada nos EUA. O consumidor pode realizar importação direta, isto é, comprar o Jack3d nos EUA pela internet. O mais comum é que os brasileiros comprem pelos sites Bodybuilding, Iherb ou Prozis. O Jack3d também é comumente trazido na mala em viagens internacionais. Todavia, quando o consumidor opta pela compra do Jack3d nos EUA, está sujeito à Resolução RDC n. 81 de 5 de novembro de 2008 da ANVISA, a qual obriga o consumidor a apresentar para alimentos de uso nutricional especial a respectiva prescrição do profissional pertinente. Essa prescrição deve ser dada por nutricionista (indicado o número de registro do profissional no Conselho Regional de Nutricionistas) e conter a posologia ou modo de uso do suplemento alimentar. O que se tem visto na prática é que essa exigência está sendo feita para todo e qualquer suplemento alimentar trazido do exterior, mesmo daqueles que podem ser livremente vendidos no Brasil, o que é um disparate. No caso do Jack3d, parece ser justa a exigência de prescrição do profissional da saúde, por se tratar de produto cuja segurança ainda não foi atestada pela autoridade sanitária brasileira. Voltando à matéria, diz ela que os suplementos alimentares vasodilatadores aumentam os batimentos cardíacos e calibre da veias, eliminando a sensação de cansaço. Dão fôlego extra e turbinam os treinos. Por isso, teriam virado febre nas academias. A atleta Juliana confidencia que uma dose de Jack3d é suficiente para atrasar o cansaço e a fadiga muscular, elevando o rendimento nos treinos. Com o Jack3d ela aumentaria progressivamente a carga de pesos e a massa muscular. Segundo ela, depois que experimentou o Jack3d, não conseguiu mais treinar sem ele, porque o rendimento nos treinos seria inferior sem o suplemento alimentar. Para Juliana esse seria o motivo do vício. Um empresário que não quis se identificar declarou que estaria viciado no Jack3d porque não conseguiria treinar sem o suplemento estimulante. Só que, para ele, uma dose do produto, depois de 1 ano de uso contínuo, não seria mais suficiente. Toma 3 doses para fazer efeito. Nesse ponto reside o sensacionalismo da matéria. Não há nenhuma demonstração de que o Jack3d cause dependência física ou psíquica. A dependência psicológica relatada pelos entrevistados não é um problema do produto Jack3d, é um problema de quem não sabe fazer uso dele. Essas pessoas não estão viciadas no Jack3d, mas no treinamento mais intenso que ele proporciona. É a mesma "dependência" que um atleta pode desenvolver em torno de um parceiro de treino ou de um personal trainer ou treinador pessoal. Já pensou se um personal trainer for acusado de causar dependência psicológica num aluno se este relatar que não tem mais vontade de treinar sozinho? Piada. Portanto, a reportagem deve ser vista com ressalvas. Não trouxe nenhuma evidência de que o Jack3d causa dependência, é inseguro para consumo ou pode gerar desmaios. Os relatos apresentados não têm qualquer base científica. O que diz a ciência é que a substância estimulante contida no Jack3d tem perfil de segurança semelhante ao da cafeína. No entanto, a matéria faz importante alerta sobre a venda ilegal do Jack3d no Brasil. E, como não pode ser considerado alimento para atleta e como não tem registro na ANVISA, trata-se de produto cuja segurança sanitária não foi atestada no Brasil. Nesse sentido, a boa e velha consciência manda que seu uso deve ser acompanhado e prescrito por profissional de nutrição. E no caso de atletas, deve-se lembrar que o Jack3d contém substância proibida pela WADA e que pode ser identificada nos exames antidoping. ATUALIZAÇÃO: Jack3d é Seguro! ATUALIZAÇÃO: Jack3d Foi Proibido pela FDA (ANVISA dos EUA) Hoje já existem no Brasil vários produtos estimulantes e vasodilatadores que podem ser comprados legalmente e que prometem proporcionar os mesmos efeitos do Jack3d. A seguir, apresentamos uma lista não exaustiva desses suplementos alimentares, com link para compra em site brasileiro: Super Charge da Labrada Arnold 3D da Arnold Nutrition Monster Extreme Black da Probiótica Insane da Neo-Nutri Razor 8 Blast Powder da Allmax Nutrition Caso somente tenha interesse no Jack3d, compre-o legalmente diretamente dos EUA (sabendo que incidirão tributos sobre a compra e será exigida prescrição pela ANVISA): Comprar Jack3d nos EUA Veja o vídeo:
  4. Fala galera! Vou começar um relato (VOU COMEÇAR E TERMINAR por que já vi vários aqui que começam e não terminam o relato, deixando pessoas que tem interesse de tomar o produto sem saber como foi o desempenho com a pessoa) do OXYELITE PRO com DMAA. Eu comprei o produto ontem 12/10/2014 e comecei a tomar hoje 13/10/2014. Eu já tomei o produto em 2011, o produto era realmente muito bom! Perdi incríveis 17kg.. Eu perdi músculo? Sim! Óbvio! Mas o resultado final no meu corpo foi realmente muito bom! Atualmente estou com 87,7kg e pretendo chegar aos 80kg ao final de 45 dias. Atividades físicas: pratico Jiu Jitsu 4x por semana e jogo futebol 1x por semana. Alimentação: não vou colocar minha dieta aqui, por que ela não é bem elaborada quanto a de muitos relatos que eu vi, mas vou cortar doces e refrigerante durante a semana. Obs: Estou fazendo esse relato para poder ajudar pessoas que tem interesse de tomar o produto, não estou aqui para passar dietas nem dicas de treino. Não quero que torrem meu saco por causa de dietas e bla bla blas. Eu não faço musculação, antes que me perguntem. Tentarei todos os dias passar um feedback a vocês de como estará meu peso. Altura: 1,82m Peso: 87,7kg (13/10/2014) % Gordura: 16,2 Abdominal: xxx (tenho que medir)
  5. Estou no processo de emagrecimento, ja perdi 14 kg com dietas e treino..ainda preciso perder uns 7pra entrar no peso "ideal" pra mim. Tenho 1,52 de altura Objetivo: Eliminar 7 kg (chegar aos 63 kg) Desde de Criança era um moleque gordinho, a medida que fui ficando mais velho a autoestima foi pro chão..pense: baixo e "gordinho", cheguei a pesar 84 kg, esse ano fiz dieta da LowCarb e consegui emagrecer..porém assim como toda dieta o corpo estabilizou no 70 kg, resolvi usar o Black viper da dragon pharma..comecei na segunda-feira dia 13/11/17. O Suplemento é top..ja fiz uso no passado de outros suplementos mas nada igual a este. 30 minutos após sinto meu corpo acelerar, suar muito mais que o normal, foco e força estão melhores. Tive um efeito colateral no inicio de náuseas, por 2 vezes quase chamei o "raul" na academia (rsrs) hoje ja não sinto mais. Pode ser até impressão minha, mas ja sinto diferença em relação a medidas corporal, só vou conseguir fazer a avaliação física na sexta dia 24/11. Pretendo sim perder bem a gordura corporal e ganhar massa magra. Pretendo pelo menos 1 vez por semana estar escrevendo como está o desempenho e estou feliz por contar isso aqui
  6. Pessoal, Alguém já tomou esse suplemento? http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-541831146-aps-mesomorph-frete-gratis-_JM Ele tem DMAA no lugar de cafeína. Eu não posso com produtos de cafeína, mas não conheço quem já tomou. Alguem sabe outra alternativa de pre-treino sem cafeína (mas que tenha algum estimulante)? Obrigado,
  7. Andei ouvindo e lendo reportagens que dizem que suplementos a base da substancia DMAA (Dimethylamylamine) fora proibidos pela ANVISA. Exemplos que li, foram: Jack3d, Oxy Elite e Lipo 6. Observando as embalagens dos mesmos, percebi que o único desses que apresenta a substância na tabela é o "Oxy Elite". O Jack3d e o Lipo 6 não apresentam. Enfim, minha namorada tem um Lipo 6 Hers ( não é o ultra-concentrado). Porém eu fico sem saber se nele também contém essa substância (DMAA). Apesar de acreditar que contenha, mas gostaria de uma confirmação! Obrigado!!
  8. O suplemento alimentar pré-treino Napalm Mini-Gun da Muscle Warfare foi lançado no Brasil há pouco tempo com enorme atenção publicitária das lojas de suplementos alimentares. Não era para menos, o Napalm Mini-Gun era um dos maiores concorrentes do antigo Jack3d, com DMAA [saiba mais sobre o DMAA nesta matéria: Jack3d Foi Proibido pela FDA (ANVISA dos EUA)]. No entanto, o produto que avaliamos, com rótulo parcialmente em português, traz uma informação nutricional nada poderosa. Como ingredientes constam no rótulo: taurina (2.000 mg), maltedextrina e cafeína (400 mg). Essa é uma fórmula já usada em outros suplementos alimentares pré-treino que não gozam de tanto prestígio entre os praticantes de musculação. Contudo, como se trata de um produto importado, fabricado no EUA, e cujo rótulo remete ao antigo Napalm Mini-Gun (nos EUA já foi lançado um Napalm mais novo, com novo rótulo, para se adequar à proibição da DMAA), fica aquela velha pulga atrás da orelha: será que foi produzido um suplemento Napalm Mini-Gun apenas para o mercado brasileiro com uma fórmula diferenciada? O antigo Napalm Mini-Gun vendido nos EUA, que tem o mesmo rótulo do produto que acaba de chegar ao Brasil, contém a tão controversa substância DMAA (rótulo do antigo Napalm Mini-Gun no site da Muscle Warfare), que era apontada como doping e que fez a alegria de milhares de musculadores por muito tempo. Note-se que não estamos afirmando que o Napalm Mini-Gun que está sendo vendido no Brasil com o rótulo antigo e parcialmente em português tem a fórmula antiga com DMAA. Teoricamente, ele contém as substâncias indicadas no rótulo, o que normalmente se espera de qualquer produto. Todavia, na prática, fica a dúvida colocada acima: será que foi produzido um produto só para as terras tupiniquins? Infelizmente, ainda não temos condições de bancar laudos técnicos de análise laboratorial, por isso, fica aí a dúvida. Por isso, quem resolver experimentar o Napalm Mini-Gun, deve tomar o devido cuidado para não exceder a dose diária recomendada. Saiba mais sobre o Napalm Mini-Gun no CorpoPerfeito
  9. Há pouco tempo publicamos uma matéria sobre a proibição das vendas do suplemento alimentar pré-treino Jack3d [Jack3d Foi Proibido pela FDA (ANVISA dos EUA)]. Para a infelicidade dos milhares de amantes do suplemento alimentar que dava um fôlego e ânimo extra na hora do treino, o Jack3d acabou banido do mercado por conta da substância DMAA (1,3-dimethylamylamine ou methylhexanamine ou geranium extract), que é considerada como doping pela WADA (Agência Mundial Antidoping). E agora, em primeira mão, revelamos uma novidade bombástica: o Jack3d voltou! Mas tenha calma, não se afobe. O suplemento alimentar Jack3d não é mais o mesmo. A USPLabs mudou a fórmula. Para evitar confusões, o novo produto se chama Jack3d Micro. E o que é esse tal Jack3d Micro? Ainda sabemos muito pouco sobre o novo suplemento alimentar, cujas vendas não foram iniciadas. Alguns sites nos EUA estão promovendo pré-vendas. Por enquanto, só podemos adiantar o conteúdo a que tivemos acesso por anúncios publicitários realizados pela USPLabs para criar uma enorme expectativa em torno do Jack3d Micro. No apelo publicitário, a USPLabs afirma que o Jack3d Micro é ultrapotente, é dotado de tecnologia micro, tem fórmula de alta performance, libera energia de forma limpa, suave e duradoura, contém substâncias únicas, patenteadas e protegidas por marca, não tem aditivos artificiais, e, pasmem, NÃO tem creatina e beta-alanina (que são os componentes básicos de qualquer suplemento alimentar pré-treino na atualidade), o que evitaria formigamento. Afinal, o que é esse novo Jack3d Micro? Ainda não podemos responder. Mas como a notícia é dada pela USPLabs, deve ser um suplemento alimentar pré-treino de revolucionar o mercado, assim como foi a versão original do Jack3d. Fiquem ligados, assim que nós tivermos mais informações sobre o Jack3d Micro vamos informar os nossos membros. Quem souber inglês pode acompanhar as últimas novidades sobre o Jack3d Micro na página da USPLabs, onde são recrutados musculadores para testar o produto, que está em fase de pré-lançamento. Gostaria de ser um beta-tester (cobaia de testes do produto em desenvolvimento)? Visite Jack3d Micro Beta-Tester.
  10. O que são alimentos termogênicos? Os alimentos termogênicos são aqueles que potencializam a termogênese processo que é regulado pelo sistema nervoso que leva à transformação da glicose e da gordura em energia. Simplificando, são alimentos que apresentam um maior nível de dificuldade em serem digeridos pelo organismo, acelerando o metabolismo e aumentando o gasto calórico em processos que, naturalmente, já realizam essa queima. Existem dois tipos de termogênicos: os naturais e os industrializados. Naturais: São aqueles que se apresentam da mesma forma como são encontrados na natureza, como é o caso do efeito termogênico que obtemos comendo pimenta vermelha. Industrializados: São cápsulas, conhecidas como suplementos, que contém em sua fórmula o princípio ativo do alimento termogênico. Alimentos termogênicos naturais Seguem os alimentos termogênicos de maior relevância. Estudos indicam que a quantidade de cada alimento é individual e deve ser feita sob orientação de um profissional. O exagero no consumo desses alimentos pode levar ao surgimento de sintomas como dor de cabeça, tontura, insônia e problemas gastrointestinais. Hipertensos e indivíduos com problemas cardíacos devem ter uma atenção maior, pois esses alimentos podem aumentar o bati alimentos fazem os batimentos cardíacos aumentarem. Gestantes e crianças também devem limitar o consumo de alimentos termogênicos. Pimenta vermelha: As pimentas são estimulantes do apetite e auxiliares da digestão. O seu componente ativo é a capsaicina. O consumo desse aditivo aumenta a salivação, estimula a secreção gástrica e a motilidade gastrointestinal, proporcionando uma sensação de bem-estar. Chá verde: É proveniente Camellia sinensis e não sofre fermentação. O chá verde é rico em polifenóis, sendo a maioria deles os flavanóis, e dentre estes ainda, predominam as catequinas. Gengibre: evita a flatulência e favorece a digestão. Suas propriedades estão mais ativas na raiz fresca e não em formas de balas. Mostarda: previne a formação de radicais livres no nosso organismo (antioxidante) além da sua ação termogênica. Café/guaraná/chocolate amargo: O componente ativo desses dois alimentos é a cafeína. Possui ação digestiva e diurética, combate a formação de gases e estimula o sistema nervoso central. A cafeína atinge níveis máximos de 15 a 45 minutos após a ingestão e permanece ativa no organismo de três a sete horas. Linhaça: é rica em fibras insolúveis, promove a saciedade, acelera a queima calórica, regulariza o intestino e combate o envelhecimento precoce. Canela: Sua ação termogênica garante a contribuição para o emagrecimento. Atua com efeito antioxidante e anti-inflamatório. Suplementos termogênicos industrializados Os componentes principais dos alimentos termogênicos naturais são isolados e suplementos são criados a partir destes produtos. A composição desses suplementos termogênicos se alterou ao longo dos anos por conta da frequente atualização da lista de substâncias proibidas pela ANVISA. Substâncias que possuem grande atividade estimuladora do metabolismo, como a efedrina e a dimethylamylamine (DMAA), presentes em algumas marcas de termogênicos, foram proibidas no Brasil, devido ao seu elevado risco de complicações cardiovasculares. Atualmente, os termogênicos mais utilizados são a cafeína e a sinefrina (Citrus auranthium) como substâncias termogênicas principais. Cafeína – A cafeína é uma substância muito utilizada como recurso ergogênico na prática esportiva com o objetivo de retardar a fadiga, ter efeito estimulante, aumento da performance em exercício de força e aeóbicos, além de aumentar a oxidação de gorduras. Estudos mostram eficácia na utilização de 3 a 6 mg de cafeína\kg de peso corporal. O pico de ação da cafeína ocorre 20 minutos após a sua ingestão. Alguns produtos termogênicos chegam a fornecer mais de 800 mg de cafeína por dia, o que é mais do que o dobro da dose considerada segura. Doses muito elevadas aumentam o risco de arritmias e isquemia cardíaca. A cafeína nos termogênicos é geralmente obtida através de pó de café, guaraná ou chá verde. Efeitos adversos: tremor, insônia, nervosismo, ansiedade, irritabilidade, elevação da pressão, náuseas, desconforto gastrointestinal e problemas estomacais. Sinefrina – A sinefrina é obtida através da Citrus auranthium, também conhecida como laranja-azeda ou laranja-amarga. A sinefrina tem sido frequentemente utilizada por pessoas que não querem fazer o uso da cafeína. Essa substancia além do efeito termogênico, também controla o apetite. A Anvisa recomenda dose máxima de 30mg por dia, mas vários suplementos comercializados apresentam uma concentração maior na composição. Efeitos adversos: aumento da pressão arterial, taquicardia e danos ao fígado. Outras substâncias: chitosan, cromo, ginseng, glucomanano (Amorphophallus Konjac), L-carnitina, psyllium, erva de São João, taurina e ácido linoleico são substâncias que também são usadas na composição de alguns termogênicos, muitas vezes associadas com cafeína e/ou sinefrina. Porém estas substâncias não apresentam evidências concretas de que sejam efetivas para perda de peso ou aumento da performance atlética, e ainda podem causar efeitos colaterais, por isso é sempre importante estar atento ao rótulo. Cuidado com o consumo de termogênicos! Nenhum suplemento termogênico deve ser consumido sem apoio de um profissional nutricionista. Até mesmo os produtos autorizados pela ANVISA podem causar efeitos colaterais graves se forem utilizados por indivíduos com fatores de risco para doenças cardiovasculares ou se as substâncias estimulantes estiverem em concentrações muito elevadas.
  11. Oficial, Oxyelite Proibido No Brasil pela ANVISA por conter DMAA. http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5889181-EI306,00-Anvisa+proibe+suplemento+alimentar+Oxielite+Pro.html
  12. No dia 18/5/2012 percebemos que o suplemento alimentar mais controverso de todos os tempos não estava mais à venda numa das maiores lojas do mundo de suplementos alimentares, a famosa Bodybuilding.com. Se você não sabe por que o Jack3d é tão controverso, leia esta matéria: Jack3d é Acusado de Causar Dependência. Assim que verificamos a situação entramos em contato com o site Bodybuilding. Até o momento não obtivemos resposta. No site da USP labs, fabricante do Jack3d, não encontramos nada a respeito. Resolvemos aprofundar nossas pesquisas e achamos a resposta: A FDA - U.S. Food and Drug Administration (agência reguladora norte-americana semelhante à nossa ANVISA), encaminhou a todas as fabricantes de produtos com 1,3-dimethylamylamine (ou methylhexanamine ou geranium extract ou DMAA) uma carta de alerta por falta de evidências em torno da segurança da substância estimulante. A princípio, as cartas de alerta enviadas pela FDA não proibem as vendas dos suplementos alimentares atingidos pelo alerta, mas o contéudo das cartas é rígido. Nelas a FDA avisa que antes de vender produtos ao consumidor, o fabricante tem o dever de apresentar estudos que demostrem a segurança das substâncias, e nenhuma evidência nesse sentido teria sido apresentada pelas marcas de suplementos notificadas. Isso quer dizer, em outras palavras, que a venda não seria permitida. Segundo a FDA, a substância DMAA estreita as veias e artérias do organismo, provocando aumento da pressão arterial e colocando em risco o sistema cardiovascular, aumentando as chances de falta de ar, angina e ataque cardíaco. Ademais, a FDA alertou os fabricantes que a DMAA sintética não pode ser enquadrada como "dietary ingredient" (ingredientes de suplementos alimentares devem ser: vitaminas, minerais, aminoácidos, ervas ou outras plantas, substâncias para complementar uma dieta alimentar humana, ou uma variação dessas substâncias alimentares). A agência de vigilância sanitária norte-americana deu 15 dias para que as fabricantes de suplementos alimentares se manifestem sobre os alertas. É bom anotar que no mês passado nós publicamos uma matéria (Jack3d é Seguro!) que tratava de um estudo patrocinado pela USP labs a fim de desmentir os boatos de que o Jack3d causava mal à saúde. Agora resta saber se a FDA vai achar que os estudos contratados pela USP labs são suficientes para demonstrar que o uso do estimulante DMAA não oferece riscos à saúde. Além disso, não poderão ser incluídas nos suplementos substâncias sintéticas, a DMAA terá que ser obtida da planta flor-de-gerânio. Será que os suplementos alimentares com DMAA vão vingar? Será que a substância estimulante DMAA é realmente segura como capitaneou a USP labs? Enquanto não temos resposta, permanece proibida nos EUA a venda dos suplementos alimentares com DMAA, por serem considerados impróprios para consumo, em razão da falta de evidências de segurança. Nos próximos meses saberemos se a novela do Jack3d chegará ao fim ou se trará alguma reviravolta surpreendente. Por ora, bye bye Jack3d! ATUALIZAÇÃO: Sem Jack3d, e agora? Assault é o pré-treino sem doping! ATUALIZAÇÃO: Jack3d Voltou!
×
×
  • Create New...