Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Resultados para as tags 'platô'.



Mais opções de busca

  • Buscar por Tags

    Digite tags (palavras-chave) separadas por vírgulas, não use hashtags (#).
  • Buscar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fórum para Hipertrofia e Emagrecimento

  • Anabolizantes Esteroides
    • Tópicos sobre Esteroides
  • Suplementos Alimentares
    • Tópicos sobre Suplementação
  • Treinamento de Musculação
    • Tópicos sobre Treinamento
  • Nutrição Esportiva
    • Tópicos sobre Nutrição
  • Gente
    • Tópicos sobre Evolução do Shape com Fotos
  • Assuntos Diversos
    • Tópicos sobre Temas não Previstos em outros Fóruns

Calendários

  • Campeonatos de Musculação
  • Cursos, Palestras e Feiras

Categorias

  • Esteroides
  • Suplementos
  • Treinamento
  • Nutrição
  • Gente
  • Diversos

Categorias

  • Esteroides
  • Suplementos
  • Treinamento
  • Nutrição
  • Gente
  • Diversos

Categorias

  • Aves
  • Bebidas
  • Carnes
  • Lanches
  • Legumes
  • Ovos
  • Massas
  • Peixes e Frutos do Mar
  • Saladas
  • Sobremesas

Categorias

  • Abdominal
  • Antebraço
  • Bíceps
  • Costas
  • Coxa
  • Glúteo
  • Lombar
  • Ombro
  • Panturrilha
  • Peito
  • Pescoço
  • Romboide
  • Trapézio
  • Tríceps

Grupo


Interesses


Instagram


Facebook


YouTube


Twitter


Google+


Website URL


Série de Treinamento


Suplementação


Dieta Nutricional


Ciclos de Esteroides Anabolizantes & Drogas Afins


Academia


Altura


Peso


Percentual de Gordura

Encontrado(s) 9 registros

  1. Bom dia galera, sou novata aqui! Andei lendo alguns fóruns e resolvi tirar algumas dúvidas com vocês. Tenho 28 anos, 1,68m, sou atleta de corrida e pratico crossfit. De 2010 até ano passado eliminei 53kg sem cirurgia - só com alimentação e treinos. Porém estou numa fase platô (ganhei cerca de 4 kg de massa magra/retenção pela falta do anticoncepcional) , ano passado estava com 58,5kg porém não tinha tanta força e resistência para corridas, atualmente estou com 64kg (mas deve ser menos pois estava com retenção na última pesagem). A endócrino me receitou oxandrolona (20 mg por dia durante 45 idas) para queimar a gordura localizada que resta e definir (não quero ficar grande por conta de ser competidora de corrida), meu intuito é o ganho seco mesmo. Porém, mesmo com todas as orientações dela e a garantia de outras colegas que o resultado é bom estou com receios. Minha última avaliação deu: 15,8% de gordura (adipometro) 58cm de coxa 78cm de cintura e 80 cm de abdomem (locais que quero diminuir) Vou receber uma nova dieta essa semana com a intenção do cutting, sou super regrada! Não bebo álcool e tenho apenas uma refeição livre na semana - que é bem controlada. Queria ajuda, esclarecimentos se realmente devo encarar a OXa! Obrigada!
  2. Prmeiro Ciclo após estagnação

    Treino há doze anos, consegui crescer bastante naturalmente. Iniciei a academia com 56 kilos. Hoje, somente a base de treinos e suplementação cheguei a 98 quilos. Porém, estou estagnado, principalmente na questão de ¨secar¨. Seguindo dieta, aeróbico em jejum, treino.... não consigo mais baixar meu indice de gordura corporal como fazia antigamente, portanto decidi fazer meu primeiro ciclo de AES. Então vamos lá... o que acham? atingirei bons resultados em meu primeiro contato com AES? Altura: 1,80 Peso: 98 quilos gordura corporal: 21% O ciclo será com o objetivo de ¨rasgar¨ e será o seguinte: propionato de testosterona marca FM, 100mg/ml - aplicação de 1ML de segunda/quarta/sábado durante 10 semanas stanozolol stanozoland oral landerlan 10mg - 5 comprimidos por dia, de 3 em 3 horas, durante 10 semanas IGF-1 - aplicarei 50mcg ao dia, somente nos pós treino, durante 3 meses. Anastrozol antes de dormir, 1 comprimido ao dia durante todo o ciclo. Dieta é a seguinte: Ao acordar Um shak com: 30 gramas de whey 15 gramas de pasta de amendoin 1 banana 250 ml de leite 0 lactose 30 gramas de aveia em flocos lanche 30 gramas de oleaginosas almoço 150 gramas de proteina magra 100 gramas de carboidratos complexos 100 gramas de legumes lanche 100 gramas de carboidrato complexos 50 gramas de proteina magra lanche pré treino 100 gramas de carboidrato complexos 50 gramas de proteina magra pós treino: 30 gramas de whey isolada 1 banana jantar: 150 gramas de proteina magra 100 gramas de legumes antes de dormir 1 danone grego - zero gorduras. Enfim, é isso......como esta o meu ciclo e minha dieta? vou conseguir secar legal? VLWWW
  3. Olá galera treino há 09 anos, e não é de brincadeira, amo treinar! Tanto que estou me fromando educador físico, então essa vontade me englobou ao meio saúde, embora saúde não esteja presente ao meio estético, por conta de ter muitas pessoas, com tanta "beleza fitness" e são mais doentes que aquele considerado por ingnorantes do meio fitnes "sedentários=doentes". Minha dúvida sobre o assunto é que passei no endócrino do meu convênio que apenas faz check-up de como estou! Onde por sua vez realizou diversos exames e informouque estou bem, embora tenha uma aparência física esportiva, onde durante esses 09 anos atingi meu platô (ápice) de desenvolvimento corporal, graças à minha dedicação sobre os treinos, dietas e suplementos. Pesando eu em atingir um corpo ainda mais lapidado estou optando em tomar o tal oxandrolona com estanozolol comprimido manipulado. Alguém indica?
  4. Olá, pessoal! Meu nome é Rodrigo, tenho 22 anos, 1,81 e nesse exato momento estou pesando 75,5kg. Digo nesse exato momento porque se bobiar daqui a 1 hora perco 1 kilo... hahaha Nunca tive paciência de criar um tópico e tirar a MINHA dúvida então sempre tentava buscar algo semelhante na internet ou alguma explicação para o que poderia estar acontecendo comigo. Malho desde os 18 anos mas desde Dezembro do ano passado eu parei de malhar e retomei os exercícios este ano no começo de novembro. Como minha tendência é o emagrecimento eu perdi peso e estava com 73kg. (Meu ideal pessoal é 80, 81). Quando retornei à academia e associei uma alimentação regrada mais uma suplementação básica com whey, dextrose e bcaa rapidamente ganhei meus primeiros kilos de volta. Um problema que eu sempre tive é o de perder peso depois dos finais de semana. Eu dificilmente tenho como malhar aos sábados e domingos então acabo tentando pelo menos manter a alimentação rica, mas é inevitável, chega segunda feira e a balança marca uma perda de 1, as vezes 2 kilo e tenho que recuperar esses kilos perdidos até a sexta. Bem, inicia ai então minha bola de neve... Eu alcanço uns 76,5, 77 até a sexta, segunda feira eu estou com 75... A, importante dizer: meu objetivo agora é ganhar massa, então não to preocupado em definir. Naturalmente quero crescer com qualidade, evitando ganhos desnecessários de gordura. Meu treino é ABCDE com: Segunda-feira: Peito / Terça-feira: Perna / Quarta-feira: Costas / Quinta-feira: Ombro / Sexta-feira: Braço E alterno abd com um dia de descanso. Não acredito que eu esteja fazendo um undertraining ou mesmo um overtraining. Tenho boas e controladas fadigas durante os exercícios e apesar do problema em relação ao peso minha força desenvolve normalmente. Nem sei muito o que explicar mais.. Minha dieta é bacana, obviamente a intenção é que eu consuma mais calorias e é isso que tem eu tenho feito. Se vale a pena contar, lá vai: Assim que eu acordo: Albumina com aveia, banana e pasta de amendoim (fica bom hahaha) Entre o shake e o almoço um café sólido: dois sanduíches de cottage com peito de peru e um suco de qualquer fruta de caixinha mesmo. Almoço depende mas sempre uma proteína e um carbo bacana, normalmente batata doce ou arroz integral e as vezes quando canso desses dois como um aipim feito sem óleo. A proteína tenho comido carne vermelha mesmo. E como sobremesa. Normalmente iogurte desses de colher mas sem gordura, ou quando não tem como banana (é a única fruta que compro e claro, acaba sendo a única que como). *Malho uma hora após o almoço* Shake pós-treino: carnivor, dextrose e glutamina Lanche: novamente dois sanduíches de cottage com peito de peru e agora um copo de leite desnatado com um complexo vitamínico em pó que eu tomo (um Centrum da vida). Janta: Mesma coisa do almoço inclusive pra sobremesa. Antes de dormir: Albumina com aveia Só uma observação que eu admito e que talvez valha a pena ser compartilhada: Eu tenho uma certa dificuldade em beber água. Devo beber 1 litro, 1,5 litros por dia... É incômodo por que é perceptível sabe? Meu braço visivelmente afina, meu tórax estreita... Enfim, se tiver algo que eu possa relatar a mais pra vocês por favor comentem aí!
  5. Parei de crescer. Não ganho mais massa muscular. E agora? Quem já treina há muito tempo já deve ter feito esse questionamento em algum momento. Nos primeiros meses de treinamento o crescimento é excelente. Com o passar do tempo, os ganhos diminuem ou não ocorrem, mesmo com treinamento a todos gás e alimentação correta. O crescimento que se vivencia nas fases iniciais de treinamento nada mais é do que uma adaptação frente à demanda exigida pelos estímulos oferecidos nos treinos. Há uma espécie de “quebra” no equilíbrio fisiológico do organismo. Como repercussão, há adaptações que forçam a musculatura a se adequar a tal situação. Esse estado de equilíbrio fisiológico é chamado de homeostase, condição metabólica na qual o corpo tenta balancear da melhor forma a razão catabolismo/anabolismo. Vivemos o tempo todo em processo de homeostase, que é alheio à nossa vontade. Mas podemos revertê-lo a nosso favor, por metodologia adequada e inteligente. Lembre-se que, não raramente, o catabolismo é uma condição necessária para o anabolismo. Soa contraditório? Não é. É simples. Cite-se como exemplo a quebra da molécula de glicose. É necessário que haja uma reação catabólica para que se processe uma situação antagônica, ou seja, de anabolismo. A glicólise (quebra da glicose), embora uma reação notadamente católica, fornece a energia necessária para a síntese de outras substâncias, resultando numa situação anabólica. O treino físico consiste de uma série de reações eminentemente catabólicas (degradação de glicogênio, de aminoácidos, ácidos graxos, e assim por diante), que repercutem numa situação anabólica. O treinamento é um agente agressor. Provoca catabolismo. Logo, deve ser aplicado da forma mais consciente possível. Por exemplo, não treine quando estiver doente. Nessas condições, provoca-se enorme estresse que resulta mais em prejuízo do que em benefício. E o que isso tem a ver com quebra da homeostase e com a razão anabolismo/catabolismo? O treinamento continuado por longos períodos gera adaptação do organismo, e os estímulos deixam de funcionar como outrora. Isso é normal. O corpo sabe muito bem como se adaptar a situações de estresse, adequando-se rapidamente aos estímulos oferecidos pelo treinamento. Por isso, devem ser impostas mudanças constantes nesses estímulos. Essas mudanças são chamadas de periodização do treinamento. Periodizar nada mais é do que um gerenciamento planejado das variáveis de treinamento. Se o treino é realizado com determinada intensidade e volume, de forma condicionada e repetida, sem inovações e mudanças, por que então o organismo iria se adaptar? Nesse caso, o máximo que se obtém é a manutenção dos ganhos já alcançados. Para se impor um novo ritmo de ganho e crescimento, deve-se dar uma boa bagunçada na tal homeostase instalada. Aí que entra o principio da sobrecarga. Imagine músculos que estejam bem condicionados a uma carga específica. Eles se encontram em equilíbrio com a demanda, ou seja, em homeostase. Para que haja crescimento, ganho de mais massa muscular, deve-se “quebrar” novamente esse estado de equilíbrio. Daí a necessidade de periodização. Os estímulos não podem ser saturados. Há autores que classificam essa estagnação das aptidões obtidas em função do treinamento como fase de “platô”. Precisa-se mudar regularmente as cargas e repetições do treinamento, sua duração e freqüência, a fim de se renovar tais estímulos. Essa é a ideia geral da periodização. Como periodizar o treinamento? Deve-se mudar todo o esquema de treinos para evitar que os ganhos estacionem? Ou deve-se esperar o momento onde perceptivelmente não se consegue melhorar? Joe Weider, na década de 60, percebeu que a musculatura deixava de responder aos estímulos quando os treinos tendiam a se tornar repetitivos por longos períodos. Os atletas que faziam mudanças periódicas em suas planilhas de treinamento conseguiam manter o crescimento. Atletas que treinavam de modo repetitivo não obtinham bons progressos. Weider denominou este princípio de “confusão muscular”. Propôs mudanças na intensidade, volume e frequência de treinamento, bem como a ordem e combinação de exercícios, sempre que se atingisse uma certa saturação do estímulo. Muito se tem discutido sobre periodização do treinamento esportivo e, mais recentemente, sobre treinamento resistido. A periodização ondulatória, que é defendida pela maioria dos autores como a mais eficiente, propõe uma mudança muito mais freqüente e constante no treinamento. Ela reserva grandes semelhanças com o princípio de confusão muscular de Weider. Estipular mudanças na planilha de treinamento é algo que deve ser estabelecido de acordo com metas e objetivos pessoais. A comutação das variáveis deve ser coesa e inteligente. A “confusão” deve ser nos músculos, e não no cérebro do atleta. A recomendação é se espelhar no treinamento dos bodybuilders profissionais, ótimo exemplo de periodização. Fisiculturistas costumam possuir uma metodologia de treinamento bastante simples. Dividem um ano ou semestre (macrociclo) em fases. A fase maior (macrociclo) é dividida em fases menores de algumas semanas a meses (mesociclos) visando ao ganho de força e potência (período de base), à construção muscular (período de hipertrofia, mesociclo que basicamente pode ser dividido em tensional ou metabólico) e à definição muscular (mesociclo correspondente à fase de período específico). Os microciclos podem ser inseridos nos mesociclos, como por exemplo: período de choque, transição, e assim por diante. A periodização é inútil se não houver um plano nutricional condizente. A ingesta calórica deve, obrigatoriamente, ser compatível com as fases de treinamento, exatamente com ocorre no bodybuilding profissional. Não faz sentido contar calorias na fase de treinamento direcionada para o crescimento muscular. Tampouco não se pode empanturrar de comida na fase de definição. Alimentação adequada a cada ciclo de treinamento é fator FUNDAMENTAL para se lograr êxito. Estabeleça objetivos, trace períodos de forma coerente com a sua realidade. Compreenda que rotina de treinamento é apenas uma força de expressão. Ainda que o treinamento pareça repetitivo, fixe metas e avance um pouco mais em cada sessão de treinamento, de acordo com a aptidão desejada. Sempre haverá um nível mais alto a ser alcançado. Para conquistá-lo, valha-se de inteligência, determinação e destreza.
  6. Boa noite galera! Sou praticante de musculação há algum tempo, mas nunca segui um planejamento corretamente. Atualmente treino o que dá na telha. Por isso ando um pouco desanimado com academia, talvez pelo fato de ter estagnado. Estou com shape bom, apesar de estar com uma certa retenção ( 1,70m e 82 kg). Sinto que preciso de mais densidade muscular e quero meu corpo mais funcional mas sem perder massa magra. Estou malhando quase todo dia ( 4 x na semana) mas sinto que nao estou tendo uma recuperaçao ideal, por isso tenho que rever a divisao de treino. Estou aqui buscando opiniões e dicas sobre alguns treinos e dietas. Vou deixar aqui um pouco do que pretendo fazer com relação a treinamento fisico. Seg/Quarta/Sexta Manha Corrida ou Natação Tarde/Noite Jiu Jitsu ---------------- Terça/Quinta/Sab Manha Musculação Peço a colaboração de vcs, pois estou sem ideia de como organizar e tbm de como elaborar um treino de musculaçao adequado de acordo com meu objetivo que é melhora da densidade e força muscular. Desde já agradeço, toda ajuda será bem vinda. Abraços, fiquem com Deus!
  7. É de conhecimento geral, que a prática regular e periódica da atividade física constituída por exercícios resistidos, modifica progressivamente a estrutura física do corpo humano como um todo. Entretanto, convém destacar que, toda elaboração de exercícios resistidos numa sala de musculação, requer o planejamento de um trabalho muscular particularizado, inserido por outro lado, num programa constituído por séries e repetições distintas, pertencente a um praticante em particular. Contudo, as séries e repetições referentes ao exercício resistido em particular, deve estar por outro lado, em perfeita sintonia com o perfil do praticante de musculação, bem como, com os anseios almejados, direcionando todo o trabalho, seja ele para fins estéticos, terapêuticos ou profiláticos. Este procedimento consiste por satisfazer três exigências distintas entre si, sendo a primeira, direcionada a propósitos pertinentes à definição ou ao aumento da massa muscular, a segunda, direcionada a propósitos pertinentes à correção ou a desvios posturais, e por fim, a terceira, direcionada a propósitos pertinentes a integridade motora das articulações, quando submetidas a treinamentos de força ou de potência muscular. Os treinamentos de força e de potência muscular são comumente realizados nas academias de musculação, mediante o uso de equipamentos sofisticados, representados por uma ampla variedade de máquinas. As maiorias das salas de musculação são equipadas por máquinas que operaram através de mecanismos e engrenagens simples ou complexas, e ainda, são equipadas por uma ampla e variada gama de instrumentos livres que operam através de mecanismos ou engrenagens simples. A ampla variedade de instrumentos simples existentes nas salas de musculação serve de agente mecânico para qualquer trabalho muscular, e são representados por aparelhos ginásticos projetados no intuito de utilizar o próprio peso corporal como sobrecarga. Contudo, é possível realizar treinamento de força e de potência por meio de exercícios livres, sem necessariamente estar matriculado numa academia de musculação. Neste caso, é necessário dispor de um espaço apropriado, e ainda, é necessário dispor de acessórios indispensáveis, tais como: banco horizontal, diferentes tipos e formatos de barras, halteres e anilhas com pesos variados, e ainda, dispor de caneleiras e tornozeleiras com cargas variadas. Vale lembrar que, toda atenção deve ser dada quando se pretende treinar em casa. Neste caso, é viável que todo treinamento domiciliar seja devidamente acompanhado por um profissional de educação física, na qualidade de personal trainer. O aumento da massa muscular, diz respeito ao volume adquirido pelo músculo no sentido estrutural, e este volume adquirido pode variar de acordo com a idade, o sexo, a constituição física do indivíduo, e ainda, de acordo com o grau de esforço a que os músculos são submetidos numa sessão de treinamento com exercícios resistidos. A inatividade prolongada induzida pelo sedentarismo, ao longo do tempo pode provocar perda da massa muscular. Em contrapartida, a atividade física diária, mediante a prática de exercícios resistivos que se dão por meio de esforços musculares progressivos e repetitivos, proporcionam ao longo do tempo, um aumento do volume ou da hipertrofia muscular, e conseqüentemente, um aumento nos níveis de força e de potência muscular. Importa destacar que, ao passo que os treinamentos de força ou de potência muscular vão sendo realizados repetidamente e mensalmente, os ganhos de hipertrofia e de força adquirido pelo músculo vão ficando mais difíceis, chegando ao ponto de se atingir uma estabilização fisiológica descrita como platô. Este processo de estabilização fisiológica que se dá nas estruturas musculares, segue critérios individuais, segundo a natureza genética ou biológica de cada ser humano. No intuito por ultrapassar o platô, costuma-se recorrer a variações quanto ao método de treinamento empregado, e ainda, costuma-se recorrer ao uso de diferentes tipos de recursos ergogênicos nutricionais, seja por meio da suplementação vitamínica, mineral ou protéica. Cabe destacar que, quanto ao uso do recurso suplementar através da alimentação, é muito importante buscar pela orientação do nutricionista desportivo, a fim de que este profissional elabore estratégias nutricionais que favoreçam o incremento da hipertrofia almejada. Referências Bibliográficas: BADILLO, J. J. G.; AYESTARÁN, E. G. Fundamentos do Treinamento de Força - aplicação ao alto rendimento desportivo. Porto Alegre: Artmed, 2001. BOMPA, T.O. Periodização: teoria e metodologia do treinamento. São Paulo: Phorte, 2002. CHIESA, Luiz Carlos. Musculação: uma proposta de trabalho e desenvolvimento humano. Espírito Santo: Edufes, 1999. FLECK, S.J.; KRAEMER, J.W. Fundamentos do Treinamento de Força Muscular. Porto Alegre: Artmed, 1999.
  8. Tentei postar em nutrição mas não obtive respostas, desculpe se causo incômodo aos usuários. Há algum tempo penso em postar neste fórum, a decisão veio da educação e qualidade de seus usuários. Pratico musculação há pouco tempo, cerca de 2 anos (antes era totalmente sedentário), tenho 40 anos de idade e 1,82 altura, quando comecei meu peso era 63 kg hoje alcancei os 78 kg. As medidas creio que não interessam por enquanto mas, caso as queiram terei prazer em postá-las. Basta saberem que não estou satisfeito ainda, gostaria de chegar aos 85 kg mas está muito difícil. Treino 5 dias x semana. E estudei e estudo bastante sobre o assunto. Meu biotipo? Com certeza ectomorfo com um metabolismo bastante acelerado. Sei que deveria fazer várias refeições por dia, no início até conseguia, suplementava e etc, hoje além das 3 refeições básicas (das quais um café bem frugal mesmo) não consigo ingerir mais nada, só o fato de pensar em outras refeições me vira o estômago. Estou com uma certa aversão a comida, me sinto sempre sem fome. Por conseguinte não consigo aumentar a massa, lógico. Meu percentual de gordura está em torno de 9%. Talvez seja a idade, ou talvez tenha começado tarde demais. Alguém aqui já passou por essa agonia? Ou tem alguma idéia do que devo fazer para superar? Algo a se tomar? Gostaria de opiniões, sempre confiando na seriedade dos usuários e moderadores deste fórum. Obrigado, felicidades, saúde e força a todos.
  9. Eu naum sei o que tá acontecendo comigo. eu malho tem dois anos e naum cresço mais mais da pra crescer já fiz um punhado de serie mais nada acontece o que será. to fazendo assim agora 3x20 segunda, terça e quarta feira. 8x8x6 quinta, sexta e sabado. Pelo menos se naum cresce pelo menos eu quero ficar mais forte. ë logico que eu naum tomo e nunca tomei porcaria nenhuma... Valew !!!
×
Esta popup será fechada em 10 segundos...