Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

POSIÇÃO DOS PÉS NA PANTURRILHA


TribalWolf
 Compartilhar

Post Destacado

E ai, galera.

Seguinte, tem como o cara trabalhar a panturrilha para que ela desenvolva mais a parte de dentro? Tipow, olhando a perna de frente, quando o musculo da panturrilha aparece definido.

Vejam bem, nao estou confundindo o musculo com o TIBIAL, certo?

O tibial é na parte da frente, mas do lado de fora. Esse é o proprio gemeos mesmo, mas aparecendo desenvolvido para quem olha de frente.

Tem como de repente mudando a posição dos pés????

Abraços.

TW

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Madrugão suplementos

Não jogue dinheiro fora

Compre suplementos bem mais baratos com o cupom de desconto do FISIculturismo.com.br

Clique aqui para obter seu cupom

E ai, galera.

Seguinte, tem como o cara trabalhar a panturrilha para que ela desenvolva mais a parte de dentro? Tipow, olhando a perna de frente, quando o musculo da panturrilha aparece definido.

Vejam bem, nao estou confundindo o musculo com o TIBIAL, certo?

O tibial é na parte da frente, mas do lado de fora. Esse é o proprio gemeos mesmo, mas aparecendo desenvolvido para quem olha de frente.

Tem como de repente mudando a posição dos pés????

Abraços.

TW

dá uma lida nesse artigo aki:

Variações em exercícios de musculação:

Uma visão anatômica e biomecânica dos exercícios relacionados ao tríceps sural (Panturrilha)

Diógenes Alves

Pelo próprio motivo histórico da musculação, grandes fisiculturistas criaram variações de exercícios básicos, na procura sempre de proporcionar o maior desgaste possível da musculatura trabalhada, como também, procurando trabalhar diversas porções musculares, variando as angulações. Entretanto, através da pesquisa em eletromiografia, os pesquisadores nacionais e internacionais desmistificaram que estas variações poderiam proporcionar a estimulação de outras fibras musculares.

Este artigo tem como objetivo esclarecer algumas variações usadas hoje em dia e que alguns ‘’experts’’ ainda afirmam possuir efeitos. Como primeira etapa de um conjunto de artigos iremos desmistificar alguns conceitos ainda aplicados ao treinamento de resistência no grupo muscular tríceps sural (panturrilha).

Variações da posição dos pés na flexão plantar sentado.

O primeiro erro são estas variações no aparelho sentado (mais conhecido como ‘’burrinho’’) com calcanhares aduzidos e abduzidos (CARNAVAL, 2001), em que o gastrocnêmio poderia ser afetado pela sua variação na origem das suas 2 cabeças. O ventre lateral tem sua origem no côndilo lateral do fêmur e o ventre medial tem sua origem logo acima do côndilo medial do fêmur (DANGELO & FATTINI, 1991.), entretanto, devido a esta mesma origem, estes músculos estão em posição encurtada (RASCH, 1991), tendo estes músculos uma atuação reduzida para o movimento, e conseqüentemente uma atuação mais intensa do músculo sóleo. Conclusão: os gastrocnêmios não podem potencializar suas contrações musculares.

Variações da posição dos pés na flexão plantar em pé

Alguns poderiam, então, acreditar que estas variações poderiam ser eficazes na execução em pé (DELAVIER, 2000), porém com o joelho totalmente estendido as rotações lateral e medial seriam no nível de coxa, ou seja, de todo membro inferior e não somente na região da perna o que não teria efeito nenhum para o tríceps sural. Teria efeito apenas com uma leve flexão de joelho, citado por RASCH (1991), em que uma leve rotação do joelho é permitida o que novamente iria gerar relaxamento dos músculos, e não um estiramento passivo (lembrando da importância do pré-estiramento para a contração muscular), o que não permitiria a potencia máxima de contração dos músculos (KAPANDJI,1990).

Conclusão (como treinar a panturrrilha)

As variações de angulações, pegadas e posições podem ser eficazes no recrutamento de outras fibras musculares não presente nos exercícios básicos, porém, estes fatos não podem ser utilizados no grupamento do tríceps sural. Para um bom resultado neste grupo o interessante não seria o volume trabalhado chegando para alguns em torno de 45 minutos (ARNOLD, 2001) o que seria um tempo ideal para um treino inteiro e não somente de um grupo muscular.

Trabalhos contínuos como qualquer outro grupo muscular, realizando o trabalho em toda sua amplitude (HAUSSINGER, 1990 & MILLWARD, 1995) como também a utilização de métodos de choques ou de sobrecarga metabólica (ARNOLD, 2001) devido a constituição das fibras musculares serem de resistência (HAY, 1985) e alavanca do tornozelo ser uma alavanca de força (HAY, 1985 & RASCH, 1991) podem proporcionar formas eficientes para ganhos nesta região.

FONTE: GEASE.PRO.BR

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Visitante Claudio Schenker

Sim, aqui está as dicas devastadoras que para mim fizeram grande efeito. Eu concordo com o post acima, pois as variações nas posições dos pés somente poderão trazer problemas para as articulações etc.

Eu sempre treinei minhas panturrilhas com a maior intensidade possível, assim como meus outros músculos, porém as panturrilhas eu treino com um satisfação diferente e vou explicar o motivo.

Pelo fato da maioria das pessoas não ligarem para esse músculo lindo e também por fato de que a maioria não treina as panturrilhas e quando treina não treina com amor como por exemplo treina o peito ou mesmo as costas...creio que isso seja pela genética horrível que possuem para esse músculo. Eu logo quando comecei a treinar eu notava isso nas pessoas(na maioria delas), eu via esse ponto fraco no físico delas e no comportamento delas, e sendo um extremista como eu sou eu resolvi que minhas panturrilhas seriam treinadas como o mesmo amor que eu treino meu peito, minhas costas, etc. o que faz muito sentido, pois as panturrilhas degeneram ou armonizam um físico, e de nada adianta ter um belo par de poderosos quadríceps e umas panturrilhas escrotas e mal desenvolvidas; ótimas panturrilhas devem ter a forma de um diamante, e devem ter o comprimeito perfeito, com isso em mente eu treinei e treino minhas panturrilhas a ponto de não conseguir caminhar de forma confortável em 3 dias depois dos treinos!!!

Aqui está o H.I.T. CALVES THREAT

Stading calf raises na máquina ou com halteres unilateral

1 série para auquecer, 1 série para preparar o cérebro e os músculos para a devastação, e finalmente 1 série com total intensidade ao positivo fracasso muscular e então permaneça por alguns segundos na fase concêntrica e depois disso faça meias repetições na porção forte da rep e depois desse inferno pare com o exercício.

Seated calf raises

1 série para aquecer, 1 série com total intensidade e depois que se conseguir o positivo fracasso muscular faça o mesmo esquema de variáveis como citado acima.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta 100% gratuita!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
 Compartilhar

×
×
  • Criar novo...