Ir para conteúdo
  • Conteúdo Similar

    • Por Everton Santos
      Alguém já tinha ouvido falar sobre? A ideia é simples e parece bem interessante mesmo.
      Fonte (portal da educação física)
      Que o café da manhã é a principal refeição do dia não é novidade para ninguém, porém muitos atletas não conseguem, com a correria do cotidiano, preparar uma refeição balanceada e completa. Por isso, apostar no overnight oat pode ser uma solução. 

      Formado principalmente pela combinação de aveia associada a leite, iogurte ou whey protein, o overnight oat vem conquistando cada vez mais adeptos. A mistura, que deve ser preparada na noite anterior e guardada na geladeira, ainda pode conter farinha de linhaça, chia, nozes e até manteiga de amendoim. Porém, o principal ingrediente do composto são as frutas, que podem variar de acordo com o gosto de cada pessoa, transformando-se, assim, num concentrado de todos os alimentos de que o corpo necessita para começar o dia. 

      O importante é sempre conter fruta, uma fonte de carboidrato e uma fonte de leite. Portanto, não é necessário completar o overnight oat com nenhum outro alimento. Porém, algumas pessoas precisam de uma quantidade maior de cada um desses ingredientes ou, eventualmente, necessitam de outro alimento para complementar a alimentação. Isso acontece muito com atletas que treinam para um objetivo específico.

      Vale ressaltar que é necessário ficar atento à forma de preparo do café da manhã, já que o mesmo deve ficar na geladeira por pelo menos por oito horas, e as frutas podem, no período, perder a vitamina C. Para solucionar esse problema, o indicado é cortar as frutas em pedaços maiores, de maneira a preservar a substância.

      Por Jornalismo Portal EF
    • Por fisiculturismo
      A sua resposta deve estar na ponta da língua, certo? Entre o leite integral e o leite desnatado você responderia imediatamente que o leite desnatado é o melhor para a dieta, não é mesmo? Tentaremos surpreendê-lo(a).
      Na década de 50, os fisiculturistas e praticantes de musculação não tinham muitas opções como fontes de proteína. O leite era, naquela época, uma das mais usadas fontes de proteína para hipertrofia muscular. Atualmente, o leite não é uma das fontes preferidas de proteína, mas não deixa de ser um bom alimento para fisiculturistas. Mas qual tipo de leite é o melhor ou o mais indicado para a dieta de praticantes de musculação: leite integral ou leite desnatado? Veja uma tabela comparativa com as propriedades de cada um deles:
      200 ml Leite Desnatado Leite Integral Proteínas: 6,4 g 6,4 g Carboidratos: 10 g 10 g Gorduras: 0,8 g 6,3 g Calorias: 74 kcal 122 kcal O leite integral retarda a absorção da proteína (permitindo que os aminoácidos estejam disponíveis por mais tempo para os músculos) e reduz os picos de insulina (que podem gerar acúmulo de gordura).
      Normalmente, muitos escolhem o leite desnatado porque ele fornece mais proteínas por caloria ingerida. Todavia, essa equação nem sempre se traduz numa melhor escolha. O leite integral contém bastante gordura (incluindo 4,6 gramas de gordura saturada num copo de aproximados 240 mililitros). Essa gordura desacelera a absorção da proteína e também reduz a liberação de insulina, nas refeições em que picos do hormônio não são desejáveis (somente no pré-treino e no pós-treino pode ser desejável pico de insulina para fornecimento rápido de glicogênio e nutrientes). Isso implica em aminoácidos disponíveis por mais tempo para os seus músculos.
      Ademais, a gordura do leite integral também é composta por ácidos graxos insaturados (gordura boa). O leite integral contém CLA (ácido linoléico conjugado), que ajuda na redução da gordura abdominal. Também contém vitamina D (que não está naturalmente presente no leite desnatado).
      Portanto, o leite integral é preferível em comparação ao leite desnatado em qualquer período do dia que não se aproxime da sua sessão de treinamento. O leite serve como fonte de proteínas e calorias. E o leite integral é o melhor para fornecer essas proteínas e calorias, por liberar menos insulina, e, também, por conter CLA e vitamina D.
      Por outro lado, o leite desnatado é melhor no shake pós-treino, por praticamente não ter gordura, e ter praticamente a mesma quantidade de proteína e carboidratos do açúcar (lactose).
      Fontes:
      Whole vs. Skim Milk for Bodybuilders, Milk does a body good, but which version is the best? The Blood Sugar Hormones Leite integral é mais indicado para emagrecer, diz pesquisa da Unicamp Leite Desnatado Molico®: mais magrinho e com mais cálcio?
    • Por Taerone
      ESSA DIETA sem leite e derivados É BOA PRA PERDER OS pneus PIRELLI da barriga??
      ALGUEM JÁ FEZ???TEVE RESULTS???EM QUANTU TEMPU???VALE A PENA????
      HELP E OPINEM AE!
      VALEW
    • Por fisiculturismo
      Em matéria publicada na revista FLEX, de dezembro de 2008, Joe Wuebben traz as oito maiores tolices de uma dieta e, ao mesmo tempo, explica como não cometê-las e o jeito correto de manter a boa forma.
      1º erro => ser sovina no café da manhã
      Comer pouco no café-da-manhã pode colocar o seu organismo em estado catabólico, o que causa a perda de massa muscular, retarda o metabolismo e impede a queima de gordura. Chris Aceto, autor do livro Championship Bodybuilding and Everything You Need to Know about Fat Loss, ensina que, com a baixa taxa de açúcar no sangue aliada à falta de proteínas recentemente digeridas, o corpo parece entrar num estado catabólico, no qual os músculos são mais queimados do que construídos. Aceto aconselha a comer grande quantidade de carboidratos pela manhã, o que aumenta o nível de açúcar na corrente sanguínea, aliviando, assim, a carga sobre as proteínas e a massa muscular.
      Veja-se que, quando se está dormindo, a condição de jejum faz com que o organismo, à procura de energia, recorra aos músculos. O ideal, segundo o artigo, é começar o dia com 80 ou 100g de carboidratos – os de rápida digestão irão imediatamente para o sangue e aqueles que são digeridos lentamente darão energia para passar o dia – e de 30 a 50g de proteínas.
      2º erro => ingerir pouca proteína
      Chega a ser ofensivo acreditar que é excessivo comer mais de 200g de proteína por dia. Aceto explica que “a proteína é igual a um reparador de danos – quando se vai para a academia, mesmo sendo um iniciante, a fibra muscular é danificada e o ingrediente primário para a sua reconstrução é a proteína”.
      A indicação da FLEX é de que o consumo de proteína precisa ser de, no mínimo, 1g por cada 1kg de nosso peso corporal todos os dias. Para hardgainers, a proporção deve ser de 1,5g a cada 1kg, por isso, a maioria dos fisiculturistas consomem, diariamente, shakes de proteína.
      3º erro => exagerar no carboidratos simples
      Wuebben clareia que a escolha dos tipos de carboidratos deve ser feita com atenção, pois, a ingestão de muitos carboidratos simples pode resultar no aumento da gordura corpórea. A melhor opção é comer carboidratos de digestão lenta, tais como inhame, batata-doce, aveia e pães integrais. Já o consumo de carboidratos simples – pão branco, doces, açúcares – deve ser mínimo, exceto, é claro, imediatamente após o treino, quando é aconselhável ingerir entre 40 e 100g de carboidratos de rápida absorção, a fim de iniciar-se a reconstrução muscular.
      4º erro => não balancear as refeições
      Em toda refeição, é preferível que a quantidade de proteínas esteja em equilíbrio com a de carboidratos, porque, consoante pontua Aceto, um prato constituído de carboidratos excessivos trará picos de açúcar no sangue, a diminuição de energia e barreiras à queima de gordura. De outro lado, quando a proteína encontra-se presente em grande número e ausentes são os carboidratos (por exemplo, tomar somente whey protein após a malhação), os aminoácidos não serão efetivamente absorvidos pelos músculos devido à carência de insulina.
      A recomendação é de que a porção de proteína seja exatamente igual a de carboidrato, um para um (1:1), com uma moderada combinação de gordura saudável. Todavia, Chris diz que “se você tem o metabolismo acelerado, sinta-se à vontade para comer mais carboidratos”.
      5º erro => eliminar as gorduras 
      É uma questão de lógica, comer gordura pode deixá-lo gordo, mas proteína e carboidrato em excesso também, logo, batatas fritas estão fora de cogitação e a boa gordura deve ser abraçada. Alimentos como ovos, salmão, carne vermelha magra e azeite de oliva são providos de “blocos de construção” para os hormônios que regulam o crescimento e a queima de gordura.
      É um erro eliminar por completo a gordura de uma dieta, pois o organismo está contantemente procurando gordura sadia, necessária à facilitação das mudanças positivas.
      A FLEX indica o consumo de uma a três gemas de ovos por dia, de carne magra uma vez ao dia – a gordura saturada encontrada num bife elevará o nível de testosterona –, de óleo de oliva em saladas, de nozes, amêndoas e amendoins. Em resumo, de 15 a 30% dos nutrientes diários devem ser provenientes da gordura saudável.
      6º erro => indisciplina 
      O fisiculturismo não é loteria; até mesmo aqueles que são agraciados geneticamente (Ronnie Coleman, Jay Cutler, Arnol Schwarzenegger) não moldaram seus físicos da noite para o dia. Isso leva tempo e, mais do que qualquer coisa, disciplina. Chris Aceto ensina que “você tem que ser disciplinado e comer corretamente todos os dias para atingir os seus objetivos e, assim, a seu tempo, o sucesso chegará”.
      7º erro => comer muito antes de dormir
      É fato que o metabolismo torna-se mais lento à noite, já que durante o dia, as pessoas são mais ativas. E, em função disso, as calorias consumidas ao final do dia ficam propensas a serem armazenadas em forma de gordura – o que acontece verdadeira e intensamente com os carboidratos.
      Isso não significa que tem-se de pular a última refeição, é só se manter longe dos carboidratos antes de ir para a cama. O ideal, de acordo com Joe, é ingerir de 20 a 40g da proteína caseína (de lenta disgestão), provendo aos músculos um afluxo constante de aminoácidos durante o sono, o que manterá o anabolismo, não o catabolismo.
      8º erro => não ter objetivo
      Em qualquer coisa que se faça, primeiramente deve-se delinear, jamais vagamente, uma meta. O objetivo precisa ser tangível, específico, claro. Com dietas não é diferente. Apenas dizer que quer ficar grande e enxuto não basta; requer-se uma dieta nutricional diferenciada. Por que os fisiculturistas devem seguir dietas diferentes antes de uma competição e fora de temporada?
      Não adianta fixar um objetivo de ganhar 10kg de massa muscular e comer como um passarinho. Você deve comer proteínas suficientes e fazer as outras coisas necessárias ao ganho de músculos, incluindo a quantia certa de carboidratos e gorduras, bem como de suplementos alimentares.
      FONTE do artigo: Revista FLEX de dezembro de 2008
    • Por Van Halen
      2 litros e 200 ml de leite por dia podem causar excesso da cálcio no organismo?
×
×
  • Criar novo...