Ir para conteúdo
  • Conteúdo Similar

    • Por doug_santista
      Tenho a maior vontade de fazer muay thai ou o kung fu, só q meu objetivo na musculação é hipertrofia, fazendo alguma dessas artes, vcs acham q prejudicaria e muito no meu ganho de massa???
       
      quem pratica ou ja praticou opinem ae, ou quem nao pratica expoe suas ideias.
       
      faloww
    • Por José Roberto Dias Resende
      Antigamente, a maioria das pessoas imaginavam que as lutas marciais tinham por objetivo principal a defesa pessoal, fisicamente falando.

      Normalmente o indivíduo que praticava era uma pessoa bastante forte, de personalidade, e com energia e técnicas de defesa pessoal, fisicamente falando, bastante aprimoradas e testadas, em inúmeros combates antigos, estas qualidades eram apenas uma das conseqüências dos treinamentos marciais, elas eram atribuições vindas por acréscimo dentro de uma meta muito mais profunda, com treinamentos pesadíssimos, treinando-se em ambientes naturais, tais como florestas, campos, etc.

      Hoje, as academias procuram incentivar os atletas para um caminho mais competitivo, treinamentos não menos eficientes, mas focado mais em competições, com uma pequena diferença da defesa pessoal, pois visando na maioria das vezes pontuar, em vez de dominar, neutralizar seu adversário.

      Hoje, ao contrário de antigamente, os atletas são mais franzinos, porem com ótimo preparo físico e força, pois tem a facilidade de terem uma academia pra se fortalecer e ótimos profissionais pra ajudar a isso.

      Os treinamentos hoje, são feitos em ambientes próprios, com batedores, luvas de foco e tatames para aliviar as quedas e até, para os mais favorecidos, ajuda monitorada por computador e personal trainer.

      As lutas marciais, na verdade, têm como um seus principais objetivos, ser um caminho alternativo para as nossas buscas de soluções aos problemas que o mundo nos reserva, estresse, dívidas, problemas, etc.

      Assim, este caminho – o “DO” – nos dá uma imensa sensação de bem estar, pois dentro de uma academia, você encontra muitas coisas que são difíceis de se encontrar no dia a dia amizade, disciplina, respeito principalmente o respeito, pois numa academia, você aprende a respeitar uma pessoa mais jovem que você, porem com uma graduação maior.

      O caminho marcial, seja ele qual for (competição, defesa pessoal ou lazer), é uma excelente “válvula de escape” para quem quer melhorar o estilo de vida, tanto numa academia com mais recurso a uma com menos recursos.
    • Por José Roberto Dias Resende
      Atualmente muitas pessoas buscam aprender a se defender em diversas academias e instituições de treinamento. Contudo, não basta apenas praticar alguns golpes e técnicas específicas para obter resultados positivos.

      O treino de defesa pessoal precisa ser abordado de maneira séria e responsável, tendo em vista que uma grande parcela deste público muitas vezes já passou por situações de risco e encontra-se fragilizada e com auto-estima abalada.

      Notoriamente, um instrutor não deve ser apenas uma pessoa que conhece artes marciais e tenha sucinta experiência em luta. Afinal, o objetivo do treinamento é muito maior que o próprio aprendizado, pois requer confiança, mudança de atitude, superação de medos e desafios.

      Sendo assim, somente um profissional de altíssimo nível técnico e com fundamentação teórico-científica poderá oferecer comprovadamente condições reais para tamanha exigência e preparar o aluno de maneira integral, tanto no chão (luta de chão ex: Jiu-Jitsu), como em cima (chutes e socos), saindo de qualquer tipo de situação de risco.

      Não basta apenas ensinar a lutar, é preciso transmitir ao aluno segurança, valorizar e estimular suas potencialidades, aumentar seu condicionamento físico e preservar sua saúde e qualidade de vida, deixando-o apto a entrar e sair em qualquer ambiente, sem nenhum tipo de medo ou trauma, confiando mais ou totalmente em sua própria pessoa.

      Em caso de mulheres, seria importantíssima a prática da defesa pessoal, pois o marginal chega perto achando que vai encontrar uma pessoa totalmente frágil e é facilmente neutralizado por uma praticante.

      Infelizmente, hoje, temos que conviver com situações de extremo risco, indo desde uma simples feira até um dia de pagamentos em um banco lotado, o risco é igual, somos constantemente seguidos por pessoas mal intencionadas. Em um simples pedido de informação, podemos ter uma pessoa que nos estuda, querendo nos roubar.

      Portando, seguir algumas regras de segurança simples, nos ajudam a viver mais seguros no dia-a-dia. Coisas simples, mas eficazes como: nunca contar dinheiro na rua ou na presença de estranhos, diversificar caminhos, principalmente em dia de pagamento, sempre olhar para os dois lados da rua quando sair de alguma casa ou estabelecimento, desconfiar de pessoas que nos seguem por muito tempo em um mesmo passo, deixar luzes acesas em casa quando for sair, evitar fones de ouvido quando estiver caminhando, pois tira a atenção, etc.

      Cursos de defesa pessoal específica não são tão naturais, quanto às aulas de artes marciais, portanto o aluno deve-se procurar um ambiente sério, com professores qualificados, como já descrevemos acima e aproveitar o máximo das aulas, pois é nelas que realmente aperfeiçoamos nossas técnicas, que podemos precisar no dia a dia.

      E é claro, quando houver curso ou seminário em sua cidade ou cidade vizinha, com esse propósito, fazer o possível em comparecer.
×
×
  • Criar novo...