Ir para conteúdo

Pudim Protéico de Banana e Chocolate

Luis Meirelles
  • , 1.455 visualizações

Ingredientes:

  • 100 gramas de farinha de trigo
  • 4 colheres de sopa de manteiga
  • 50 gramas de maltodextrina (tal & qual )
  • 1 colher de sopa de whey de baunilia ou chocolate
  • 2 ovos
  • 50 gramas de chocolate amargo diet ( em raspas )
  • 2 bananas em fatias
  • essência de baunilia em gotas

Modo de preparo:

  1. Em uma tigela, misture a farinha, manteiga, os ovos e a maltodextrina e a essência de baunilia.
  2. Misture tudo até obter uma pasta cremosa.
  3. Então adicione as raspas do chocolate amargo diet.
  4. Unte uma forma própria para ser introduzida no microondas e disponha as bananas no fundo.
  5. Em seguida despeje a massa.
  6. Cubra com filme plástico e introduza no microondas por 5 minutos em potência alta.
  7. Após pronto, deixe esfriar.
  8. Retire o filme e sirva gelado.

Informações Adicionais

  • Método de Preparo: Cozer
  • Tempo ao Fogo: 00:05

Tabela Nutricional

  • Calorias: 610 kcal
  • Proteínas: 25 g
  • Carboidratos: 60 g
  • Gorduras: 30 g

Álbum de Imagens (1)

  • //cdn.fisiculturismo.com.br/monthly_09_2013/ccs-69938-0-08467100-1379644537.jpg
Entre para seguir isso  

Comentários

Comentários Destacados

Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

  • Conteúdo Similar

    • Por contribuinte
      Triture os cookies no liquidificador e misture o óleo de coco, até formar uma farofa bem úmida; Com essa farofa, forre o fundo de uma forma de aro removível de 20 cm de diâmetro; Asse no forno pré-aquecido a 200°C durante 10 minutos; Deixe esfriar; Na batedeira, bata o cream cheese, o açúcar, o creme de leite, o coco ralado, a banana amassada, o suco de limão e o chocolate, derretido no micro-ondas ou em banho-maria; Misture a gelatina, hidratada e dissolvida de acordo com as instruções da embalagem; Despeje sobre a massa e leve à geladeira até firmar; Decore com rodelas de bananas caramelizadas e fios de chocolate amargo derretido.
    • Por Dr. Lucas Caseri
      Dissolva o RVL e o pó do pudim nos 600ml (leite + Active), cozinhando até fervura em fogo brando; Desligue e mexa por mais dois minutos até engrossar; Salpique canela e adicione uma amêndoa.
    • Por Diogo Viana
      estava pesquizando no forum... e todos dizem q o malto sempre eh tomado nos pos-treinos

      eu tomo quando to malhando... a cada série tomo um gole... e sempre q eu tomo me da disposiçao pra colocar + peso

      fasso errado?

      e me dizem.... o melhor malto na opiniao de vcs

      o/
    • Por Rafael Bracca dos Santos
      Shakes pós-treino com carboidratos de alto índice glicêmico
      Já há tempos imemoriáveis, é constante a busca por um corpo mais desenvolvido com baixas concentrações de gordura e massa muscular desenvolvida. Isso é natural do ser humano já que desde os primórdios as raças caçadoras eram as mais fortes e as que dominavam os territórios por onde passavam. A mídia atual nos bombardeia com modelos super saradas e homens musculosos dando o principal enfoque em ganhar mais músculos e perder gordura. Ok, até ai tudo bem, na década de 90 tornaram-se populares os famosos shakes pré e pós-treino com proteínas de rápida absorção e carboidratos de alto índice glicêmico para assim atuarem em sinergia tornando-se um potente anti-catabólico e altamente anabólico recurso natural.
      Janela de oportunidade
      Nesta época foram publicados vários estudos mostrando a famosa “janela de oportunidades” no período pós-treino onde uma solução com carboidratos de alto índice glicêmico e proteínas e aminoácidos seria superior a qualquer forma de nutriente ingerido de maneira isolada.
      Whey + malto ou dextrose pós-treino
      Assim se tornou praticamente uma regra, fazer uso de whey + malto ou dextrose pós-treino, principalmente depois de evidenciado isso em vídeos com famosos treinadores, como é o caso do professor Waldemar Guimarães e seu mítico vídeo de treinamento com o Olympia contender da época Tommi Thorvildsen.
      Waxy maize starch
      Passados os anos, as novidades vieram e o Waxy maize starch (WMS) tomou o mercado sendo considerado o melhor carboidrato para ser utilizado nos períodos pré, intra e pós-treino.
      O que é na verdade o waxy maize?
      A maltodextrina é um carboidrato de alto índice glicêmico à base do amido do milho e o waxy maize é carboidrato com baixo índice glicêmico à base do amido ceroso (tradução de waxy starch), este último sendo extraído de um tipo específico (amilopectina) de amido vegetal que é produzido a partir do grão do milho (cerca de 70-80%). O grão de amido é feito basicamente de amilose, amilopectina e polímeros de glicose.
      Melhora a absorção da beta-alanina e da arginina
      A argumentação embora não provada cientificamente deste carboidrato é de que ele tem a capacidade de absorver nutrientes de maior dificuldade em assimilação como é o caso da beta-alanina e arginina através da parede intestinal dentre outros diferenciais, além de não causar inchaço por não conter açúcares e nem glúten em sua fórmula.
      Efeito parecido com a creatina
      Outro fato interessante atribuído a este carboidrato é que ele supostamente tem o poder pelo fato de ter forte afinidade higroscópica de drenar água do tecido subcutâneo para dentro do volume muscular, característica muito parecida com a da creatina e é comumente usado em dietas pré-contest por atletas de fisiculturismo.
      Menor IG em relação à maltodextrina e dextrose
      Existe a argumentação de que o carboidrato de alto i.g. bloqueia a queima de gordura, fato comprovado por diversos estudos salvo apenas o horário de pós-treino. O waxymaize tem se mostrado positivo com relação a este fator tendo em vista que sua mais lenta ou gradual digestibilidade não bloqueia a queima de gordura e o mesmo além de auxiliar na drenagem de aminoácidos importantes ainda promove geração de energia constante, o que não acontece com a maltodextrina ou dextrose. Este é um ponto a ser fortemente argumentado pelos defensores deste carboidrato.
      Muito usado no intra-treino com aminoácidos
      O waxy maize tem sido popularmente usado por culturistas em períodos INTRA-TREINO juntamente com aminoácidos como beta-alanina, glutamina, creatina, citrulina, arginina dentre outros com o objetivo de melhora da performance. Temos utilizado com sucesso esta metodologia em nossas preparações.
      Conclusão
      O waxy maize é um carboidrato que tem se demonstrado promissor. Infelizmente ainda temos poucos estudos falando sobre ele e sua aplicabilidade em esportes. Irão existir teses que irão argumentar fatores positivos e negativos, o que faz parte do processo. Atletas de culturismo tem usado com sucesso na prática esse recurso juntamente com aminoácidos otimizadores de performance. Resta agora a ciência comprovar o porque dos porquês e como esses fatores acontecem em nosso organismo.
      Esperamos ter contribuído de forma competente com nossos leitores da revista. Caso hajam mais dúvidas sobre este ou outro suplemento estaremos a disposição.
    • Por lucas nobre
      galera, por mais que minha duvida seja simples, eu não achei a resposta em nenhum lugar. Enfim, a minha dúvida é: o pico de insulina será maior em uma refeição com bastante carboidratos ou em uma dose de malto (40gramas mais ou menos)?
×
×
  • Criar novo...