Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

OxyELITE Pro no Brasil

fisiculturismo
 Compartilhar


OxyELITE Pro no Brasil

Não faz muito tempo que o OxyELITE era praticamente sinônimo de termogênico. Nove em cada dez frequentadores assíduos de academia de ginástica responderiam que para se queimar gordura o melhor suplemento alimentar era o OxyELITE. Mas o tempo passa, e o mercado de suplementos alimentares está cada vez mais dinâmico. Com a proibição da substância DMAA (Massacre ao OxyElite Pro e Suplementos na Mídia), muita coisa mudou.

Em consulta ao site Bodybuilding.com, verificamos que hoje o termogênico mais vendido por lá é o Hidroxycut Hardcore Elite, na pífia vigésima quinta posição entre os suplementos alimentares mais vendidos. Isso demonstra que o tempo áureo dos suplementos alimentares termogênicos parace ter sucumbido à suplementação alimentar pré-treino.

Apesar disso, o OxyELITE Pro merece muita atenção. Quem leu a matéria sobre o massacre feito pela mídia ao OxyELITE pode perceber que este suplemento ainda goza de muito prestígio no Brasil. É um nome fortíssimo no campo dos estimulantes e termogênicos. Mesmo aqueles que não praticam musculação estavam se valendo do suplemento alimentar para dar energia para as atividades diárias, principalmente concurseiros.

Avaliamos a versão do OxyELITE Pro que passou a ser legamente vendida no Brasil há pouco tempo. Trata-se do mesmo produto fabricado pela USPlabs e importado pela WW Sports. Como normalmente costuma acontecer nestes casos, logo de cara já notamos a “maravilhosa” fórmula apresentada aos brasileiros: cafeína!

Isso mesmo, no rótulo afirma-se que o OxyELITE Pro contém cafeína apenas. Aliás, o rótulo mescla informações em português e informações em inglês, seria uma espécie de “bipolaridade promocional”? Mais uma vez temos que nos questionar: será que o produto contém apenas cafeína como substância termogênica?

Ninguém duvida que a cafeína é um excelente termogênico, como você pode constatar na matéria A Influência da Cafeína no Treinamento - Mecanismos Propostos para a Ação Ergogênica. No entanto, espera-se mais do que cafeína no OxyELITE Pro.

No site Corpo Perfeito, é possível comprar por R$ 39,90 o suplemento de Cafeína da Stem, enquanto que o OxyELITE Pro é vendido por R$ 179,00. Só pelo valor já se pode exigir e esperar mais do OxyELITE, pelo menos mais do que só cafeína, não concorda?

Visitamos o site do fabricante, a USPlabs, para verificar qual é a fórmula do produto lá divulgada. Infelizmente, no site do fabricante não há qualquer informação sobre o suplemento. Há apenas uma nota onde se afirma que em breve serão disponibilizados os dados sobre o produto.

Fomos, então, ao site Bodybuilding.com, na página do OxyELITE Pro. Lá consta que a fórmula deste suplemento alimentar tem dois elementos básicos:

  1. uma fórmula proprietária [bauhinia Purpurea L. (Leaf And Pod) Extract, Aegeline, Norcoclaurine HCl, Hemerocallis Fulva (Flower) Heat Concentrated Extract, Yohimbe (Pausinystalia Johimbe) (Bark) Extract (AlphaShred™)];
  2. cafeína.

Como se vê, a fórmula do OxyELITE Pro vendida nos EUA não contém cafeína apenas. Além da cafeína (135 miligramas, por dose), há 140 miligramas, por dose, de uma fórmula proprietária composta por uma série de outras substâncias, cujas quantidades não são discriminadas individualmente. A cafeína está presente em menor quantidade na fórmula do que as demais substâncias somadas.

Bauhinia Purpurea L. (Leaf And Pod) Extract

A Bauhinia Purpurea L. (Leaf And Pod) Extract é uma planta florífera que tem aplicações medicinais. Funciona na regulação hormonal da tireóide, como analgésico e como anti-inflamatório. Encontramos pouca informação sobre os efeitos das substâncias presentes na planta, mas é sabido que a alteração hormonal na tireóide pode provocar violenta alteração metabólica no organismo (ocasionando aumento ou redução de peso corporal - saiba mais em Hipertireoidismo e Hipotireoidismo.

Portanto, essa substância, presente no OxyELITE Pro, pode provocar a redução de peso corporal ao influenciar o fucionamento da tireóide e aumentar a resistência no treinamento ao funcionar como analgésico.

Aegeline

A Aegeline é uma substância extraída da Aegeline marmelos, que é uma árvore cujos frutos têm propriedades medicinais. Existem alguns estudos que relacionam esta substância à lipólise (queima de gordura para obtenção de gordura corporal), como relatado na matéria New "Anabolic:" Aegeline.

Norcoclaurine HCl

Está substância também está presente no Jack3d Micro da USPlabs. Ao analisar o Jack3d, dissemos que a Norcoclaurine HCI ou Higenamine pode ser a substância estimulante que pode tornar o Jack3d Micro o novo queridinho das academias e também, quem sabe, bani-lo do mercado novamente. Há pouca informação de qualidade sobre essa substância.

Parece que além de ser vaso-relaxante (vasodilatação), também causa broncodilatação. E essa dilatação dos brônquios é que pode resultar numa incrível sensação de força e energia pelo musculador.

Como o uso dessa substância é novo (foi iniciado com o suplemento alimentar Alpha-T2 da PES), é certo que ainda ouviremos muito sobre ela, para o bem, ou para o mal. O fato é que ela diferencia o Jack3d Micro dos demais suplementos pré-treino do mercado.

E se a norcoclaurine HCl diferencia o Jack3d Micro dos demais pré-treino do mercado de suplementos alimentares, por outro lado, aproxima-o do novo OxyELITE Pro, que é fabricado pela mesma marca.

Hemerocallis Fulva (Flower) Heat Concentrated Extract

Encontramos poucas referências sobre o extrato concentrado da flor da Hemerocallis Fulva. O que há de interessante é um estudo científico que trata do efeito lipolítico (queima de gordura) das folhas da Hemerocallis Fulva, como constamos em Lipid peroxidation inhibitory compounds from daylily (Hemerocallis fulva) leaves.

Yohimbe (Pausinystalia Johimbe) (Bark) Extract (AlphaShred™)

O yohimbe é uma velho conhecido daqueles que praticam musculação há mais de dez ano. Era um suplemento alimentar de grande apelo comercial, que prometia aumento da produção natural de testosterona. Com o passar dos anos e desenvolvimento de novos suplementos alimentares, o yohimbe perdeu a sua glória e não mais se encontram com facilidade nas prateleiras das lojas de suplementos.

Existe um estudo científico que relaciona o yohimbe como substância capaz de promover perda de gordura corporal em atletas. Mais detalhes em Yohimbine: The Effects on Body Composition and Exercise Performance in Soccer Players.

A Fórmula do OxyELITE Pro Vendido no Brasil Contém Cafeína Apenas?

Pela formulação norte-americana do OxyELITE Pro, verifica-se que o suplemento termongênico contém uma série de substâncias que estão, de algum modo, vinculadas à queima de gordura corporal.

A grande questão que novamente somos obrigados a colocar é: será que a USPlabs preparou uma fórmula do OxyELITE Pro exclusiva para o Brasil somente com cafeína e outra para o resto do mundo? Será que a marca iria colocar em risco o nome OxyELITE Pro em um suplemento que nada tem de especial em comparação com concorrentes tão mais baratos ou com um copo de café?

Por outro lado, será que a marca também se arriscaria a rotular o produto apenas com cafeína para ultrapassar os rígidos controles sanitários da ANVISA e vender a mesma fórmula do mercado norte-americano?

São questionamentos cujas respostas somente podem ser dadas por um exame de laboratorial, por análise de composição do OxyELITE Pro vendido no Brasil. A sensação de euforia e alerta causada pelo uso do produto pode ser facilmente atribuída à cafeína, não se podendo creditar tais efeitos às demais substâncias, ao menos por essa análise subjetiva.

Saiba mais sobre o OxyELITE Pro

Imagens anexadas

 Compartilhar

Publique seu conteúdo como colaborador

Comentários

Comentários Destacados

  • Administrador

Após 3 anos, muita coisa mudou. O OxyELITE Pro foi proibido nos EUA e não é mais vendido no site da bodybuilding.com. No Brasil, o OxyELITE Pro ainda é encontrado, mas no rótulo ainda consta apenas cafeína. Parece que o reinado de um dos suplementos termogênicos mais vendidos no mundo acabou.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta 100% gratuita!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

  • Conteúdo similar

    • Por Kellysilva
      Olá, boa noite.
      treino há 6 meses e gostaria  de baixar meu percentual de gordura, queria que vocês me ajudassem com uma dieta onde eu possa diminuir essa porcentagem e ao mesmo tempo aumentar a massa muscular.
      minha dieta atual:
      *café da manhã 6:30
      2 fatias de pão integral 
      2 ovos fritos
      1 fatia de queijo coalho
      100ml de café 
      * lanche 9:30
      3 ovos cozidos 
      *almoço 12:30
      200g de frango grelhado
      100g de arroz branco 
      100g de feijão carioca cozido
      salada à vontade 
      *lanche e pré treino 15:30/16:00
      100ml de café 
      50g de tapioca 
      200g de peito de frango 
      *pós treino 
      3 ovos fritos
      * janta 21:00
      200g de peito de frango grelhado
      100 g de batata doce 
      salada a vontade 
      Água 2,5L no mínimo.
       
      altura 1,62
      peso 58kg
      bf 22%
       
      Nenhum problema de saúde ou histórico de doenças.
      nenhuma cirurgia, exceto cesariana.
      não faço uso de anticoncepcional ou qualquer outra medição.
      treino 5x/semana
       
       



    • Por fisiculturismo
      Os usuários de suplementos alimentares que contenham a substância Aegeline (como o novo OxyElite) devem ficar alertas para os riscos de contração hepatite.
      Ainda não há conclusão sobre a questão, mas há fortes suspeitas de que a Aegeline tenha sido responsável por uma dezena de casos de hepatite não viral aguda (As principais causas da hepatite não viral são o álcool e os medicamentos. A hepatite pode ser aguda (dura menos de 6 meses) ou crónica; esta doença apresenta-se habitualmente em todo o mundo).
      Preste atenção nos efeitos da hepatite:
      Pele e olhos amarelados; Urina escura; Fezes de cor clara; Sensação de fraqueza generalizada; Enjoo e falta de apetite; Pode haver febre e calafrios; Pode haver dor abdominal. A USPlabs, fabricante do OxyELITE, já se pronunciou sobre a questão e afirmou que a Aegeline não representa qualquer risco para a saúde, mas, mesmo assim, resolveu retirá-la dos novos lotes do seu famoso produto termogênico.
      Fontes:
      - OMS reforça alerta a respeito de suplemento ilegal.pdf USPlabs to Eliminate Aegeline from Supplements amid Hepatitis Probe.pdf Hepatite - Principais Sintomas e Como se Pega - Tua Saúde.pdf Visão geral da hepatite - Distúrbios hepáticos e da vesícula biliar - Manual MSD Versão Saúde para a.pdf Outbreaks > FDA Investigation Summary: Acute Hepatitis Illnesses Linked to Certain OxyElite Pro Prod.pdf
    • Por Leena Fabrini
      A cafeína é um suplemento pré-treino. As pesquisas mostram que a cafeína pode aumentar a força e a resistência muscular, permitindo que você treine mais pesado por mais tempo, além de ajudar a queimar mais gordura corporal durante o treino. Um estudo de pesquisadores da Índia confirma sua eficácia.
      Os pesquisadores indianos estudaram grupos de pessoas consumindo doses de aproximadamente 4, 8 e 12 mg de cafeína por kg de massa corporal, ou aproximadamente 400 mg, 800 mg e 1200 mg de cafeína para uma pessoa de 100 kg, 1h antes de testar suas forças e resistências musculares isométricas (estáticas).
      Os resultados mostraram uma correlação positiva entre o aumento da cafeína ingerida e o aumento da força muscular. O grupo que ingeriu a dose de 2 mg de cafeína por kg de massa corporal obteve um aumento de 15% na força muscular.
      A dose de 4 mg de cafeína resultou em um aumento de 40% e o grupo que ingeriu 6 mg de cafeína por kg apresentou um aumento de 50% em sua força muscular isométrica.
      O mesmo padrão foi observado pelos pesquisadores ao testarem a resistência muscular após ingestão de cafeína. A dose de 2 mg de cafeína por kg de massa corporal resultou em um aumento de 20% na resistência muscular isométrica.
      O grupo com a dosagem de 4 mg de cafeína apresentou uma aumento de 40% na resistência muscular e, por fim, o grupo que ingeriu 6 mg de cafeína por kg de massa corporal apresentou aumento de 50% na resistência muscular isométrica.
      Recomenda-se tomar de 200 a 400mg de cafeína aproximadamente uma hora antes do seu treino.
      Todavia, antes de um treino mais pesado, ou se quiser um aumento significativo na força muscular, considere aumentar a dose para aproximadamente 800 mg.
      Mas atenção: você pode acabar desenvolvendo tolerância à cafeína. Então, para garantir que a técnica mantenha sua eficácia ao longo do tempo, a dose mais alta de cafeína deve ser ingerida apenas ocasionalmente.
      Fonte: BROWN, Jordana. Strong Caffeine, Revista Flex, março de 2010, pp. 122.
    • Por Leena Fabrini
      Entendiado com a esteira? Um recente estudo do Centro de Pesquisa Muscular da Universidade de Copenhagen na Dinamarca mostrou que o treino de cardio pode ainda ser mais efetivo quando feito de modo recreativo!
      Os pesquisadores dinamarqueses escolheram 36 homens para seguir um programa de cardio de 12 semanas: uns para jogar futebol recreativo (consistindo de treinos de futebol), correndo por uma hora, duas ou três vezes por semana; e outros não seguiram nenhum plano de exercício.
      Os cientistas descobriram que os homens que jogaram futebol tiveram um maior aumento em seu VO2 máximo (uma medida de capacidade aeróbia), diminuição da gordura corporal (quase duas vezes mais) e um maior aumento no número de capilares por fibra muscular (o que pode ajudar a aumentar o crescimento muscular, havendo maior irrigação de sangue nos músculos, juntamente com mais oxigênio, nutrientes e hormônios anabólicos que ele transporta).
      O grupo de futebol, de fato, ganhou massa muscular (quase 2,3kg) e diminuiu o nível de LDL (mau colesterol).
      Não se preocupe se você não pode jogar futebol para salvar a sua vida - o ponto deste estudo é que o treinamento de futebol, caracterizado pelo "stop-and-go" (semelhante ao treinamento intervalado de alta intensidade) é melhor do que corrida constante. Assim, se o futebol não é uma opção para você, faça algum outro Treino Intervalado de Alta Intensidade (HIIT) num total de 2 a 3 horas por semana.
      Fonte: STOPPANI, Jim. Cardio Corner: Kick Your Fat Goodbye, Revista Flex, março de 2010, pp. 96.
    • Por Madilson Medeiros
      O uso de anabolizantes esteroides e comum
      O mundo da utilização de ergogênicos voltados para o aumento do rendimento esportivo, especialmente no fisiculturismo, é repleto de mitos e mistérios. Hoje é de conhecimento público que (a época da ingenuidade já acabou) estas substâncias são largamente utilizadas como meio de melhora da performance pelos atletas profissionais – prática essa que logo se espalhou pelos praticantes amadores e recreacionais.
      Podemos afirmar com propriedade que este tipo de utilização é lugar-comum na maioria dos esportes, porém muito mais flagrante e evidente nas modalidades onde ocorrem mudanças na composição corporal, como é o caso do nosso Bodybuilding, atletismo e da natação – desculpem, foi inevitável não lembrar da Gusmão (Rebeca) – que, inclusive agora treina powerlifting. Nada mais justo!
      Mitos no uso de esteroides anabolizantes
      De um modo geral, o uso destes recursos reserva conhecimentos apurados em bioquímica, metabolismo e bioenergética – muitas vezes inacessíveis para a maioria da população. Empirismo e método de “tentativa e erro” tem sido empregados pelos que se aventuram nesse campo sem a devida bagagem teórica. Em face desta situação, vários tipos de visões equivocadas costumam surgir. Mitos são criados, falsas idéias e conceitos errôneos aparecem.
      Esteroides para ganhar massa muscular e esteroides para definição?
      Em relação ao uso de anabolizantes esteroides, há uma série destas lendas. Uma delas é a de que existem drogas que são próprias para definição e outras específicas para volume muscular. Você, a esta altura, deve estar pensando: “Mas isso realmente acontece! Ou não?” A resposta é: SIM, isto de fato ocorre, porém o erro reside em dizer que exista um esteroide anabólico exclusivamente formulado para “definir”, enquanto outro foi criado apenas para incrementar a musculatura. Na verdade, as coisas não funcionam assim e é sobre isto que discutiremos a seguir.
      Há algumas semanas atrás, recebi uma mensagem de e-mail no qual um leitor de meu blog, cheio de dúvidas a respeito de sua preparação, me perguntou se poderia chegar a um bom nível de definição muscular sem o uso do AAE Winstrol (Estanozolol). Muito provavelmente, a dúvida deste leitor representa um dos maiores mitos em relação ao estanozolol.
      Este fármaco, notoriamente, tem uma excelente reputação neste quesito, porém há certa confusão em relação aos seus efeitos no que diz respeito à mudança da composição corporal. Muitas pessoas atribuem um físico bem definido e com baixo percentual de gordura ao uso desta substância – “quantas ampolas de Winstrol você tomou para ficar rasgado assim?” – e esta idéia tem sido bastante disseminada pela grande maioria dos usuários deste tipo de recurso.
      Por um lado, é uma meia-verdade, já que o estanozolol realmente produz efeitos muito interessantes em relação à definição, porém isto não quer dizer que ela seja necessariamente produto de sua utilização.
      Todos os esteroides tem a finalidade de aumentar a síntese protéica
      Na realidade, os anabólicos esteroides, de um modo geral, não visam proporcionar máxima definição! TODOS, SEM EXCEÇÃO, foram desenvolvidos para favorecer o anabolismo através do aumento da síntese protéica. Alguns tipos, como a oximetolona, foram desenvolvidos não somente com este propósito, mas também aumentar a produção de hemácias nos quadros de anemia, por exemplo.
      Seu uso terapêutico se destina a vários estados de convalescença, como os observados nos traumas pós-operatórios, nos tratamentos de AIDS, leucemia, caquexias, queimaduras graves e extensas, hipogonadismos, castrações etc. Paralelamente, estas drogas influem também no metabolismo das gorduras, facilitando a lipólise (queima), especialmente pela diminuição da secreção insulínica, aumento da receptividade dos tecidos à glicose e diminuição da expressão de uma enzima denominada Lipoproteína Lipase (LLP).
      Diferença entre os esteroides: maior ou menor aromatização (retenção hídrica e acúmulo de gordura corporal)
      A grande diferença entre esses compostos é que alguns (todos são derivados do hormônio testosterona) tem uma probabilidade menor de conversão em ESTROGÊNIO. Portanto, os mais androgênicos (ésteres de testosterona, metandrostenolona, metandriol etc.) são mais passivos de causar retenção hídrica e aumento de gordura de padrão ginóide, enquanto com outros (conhecidos como anabólicos) não acontece o mesmo. Por quê?
      Ora, eles convertem mais facilmente em estrogênio – hormônio feminino – e este é que causa aumento de água e gordura subcutâneas, prejudicando a definição. Existem diversas enzimas que mediam outros tipos de conversão, porém algumas reações são mais fáceis de acontecer, enquanto outras são mais difíceis e outras até irreversíveis.
      Por exemplo, a conversão que leva testosterona até a formação de 5α ou 5β DHT (metabólito responsável por vários efeitos colaterais adversos), pode levar à formação de 5α ou 5β androstanadiol, que por sua vez, pode formar androsterona ou etiocolanona (duas substâncias muito utilizadas em fórmulas de pró-hormonais).
      Este é uma via enzimática de mão única, ou seja, irreversível. Como a testosterona pode formar DHT ou estradiol (também uma via irreversível), estas reações não se desfazem. É por essa razão que o estanozolol dificilmente levará a conversão em estradiol, pois é derivado do DHT e não apresenta possibilidade de retornar à sua forma original - a testosterona, esta sim, passiva formar estradiol.
      Estrógenos causam aumento de gordura corporal
      Testosterona em si não causa aumento de gordura corporal e retenção hídrica (pelo menos, não diretamente), quem provoca isso são os estrógenos produzidos pelo excesso deste hormônio. Por esta razão é que culturistas utilizam inibidores e bloqueadores de aromatase (enzima responsável pela conversão de testosterona em estradiol).
      Graças a essa confusão, muitos praticantes acham que o estanozolol e outros fármacos semelhantes (drostanolona, metenolona, boldenona, trembolona etc.) irão definir seu físico facilmente. Imaginemos um gordinho que utilize uma destas substâncias e continue com a ingestão calórica alta, comendo à vontade... Certamente se tornará um gordinho com um pouco a mais de músculos, porém ainda gordinho.
      Então, por qual razão é consenso utilizar este tipo de anabólicos em fase de definição muscular? A resposta é muito simples, inclusive é uma repetição do que já mencionamos acima. Estas drogas tendem a reter menos líquido e são propícias para esta fase.
      Mas lembre-se, isso não é regra geral. Existem alguns culturistas que utilizam drogas altamente androgênicas mesmo em períodos de preparação. A diferença é que ter de se lançar mão de mais recursos a fim de evitar retenção hídrica do que em uso de drogas menos androgênicas.
      Ambiente calórico
      Outro ponto importante é o AMBIENTE CALÓRICO em o atleta se encontra. Costumo dizer, nas rodas de conversa com os colegas, que é preferível utilizar substâncias anabólicas em situações de restrição calórica severa, como as que ocorrem em dietas pré-competição. Ocorre que, neste caso, há uma tendência em utilizar músculos como fonte energética – a temida neoglicogênese – e por esta razão o catabolismo é iminente.
      Neste contexto, o anabólico entra com a função de preservar (e na melhor das hipóteses, até aumentar) a massa magra obtida a tão duras penas. Não é por acaso que muitos estudiosos atribuem os ganhos proporcionados pelos AAEs muito mais pela sua capacidade anti-catabólica do que propriamente anabólica.
      Para se chegar a níveis extremos de definição muscular – e ainda assim, preservar massa magra – é fundamental que exista todo um contexto voltado a este propósito: dieta e treinamento específicos, sob adequadas condições metabólicas.
      Drogas para perda de gordura
      Entretanto, uma vez que afirmamos que os AAEs não são estritamente responsáveis pela definição muscular, também é importante ressaltar que existem drogas que são, por outro lado, de uso específico para perda de gordura e aumento da definição. Estas drogas, como os AAEs, não foram criadas para este fim, mas proporcionam um real efeito de queima de gordura e (ou) diminuição do percentual hídrico.
      É o caso de substâncias como os β-agonistas, hormônios tiroidianos, anfetaminas, diuréticos etc. Evidentemente, esta é uma situação de risco-benefício, considerando os perigos quanto à sua utilização.
      De qualquer maneira, a recomendação é que não se faça uso de substâncias ilícitas não simplesmente pelo fato de serem proibidas pela legislação anti-doping. O principal motivo pelo qual é necessário extremo cuidado na manipulação e administração destes recursos consiste na preservação da saúde, já que seu uso é restrito aos portadores de patologias.
      Poucos estudos científicos
      Os estudos conduzidos com estas substâncias são empregados no campo terapêutico e sua administração obedece à conduta condizente de cada caso. A utilização para aumento do rendimento atlético ainda é obscura, embora saibamos que existem, ao redor do mundo, experts que dominam o assunto. Fora deste cenário, pode-se dizer que o conhecimento necessário para lidar com tais recursos é totalmente underground.
      Conclusão
      Embora o uso de AAEs e outras substâncias otimizadoras do desempenho seja arriscado para a saúde, não podemos tapar o sol com uma peneira e simplesmente fingir que tal prática não aconteça. Seria extremamente leviano de nossa parte. Tampouco devemos fazer apologia ao uso destes recursos.
      Todavia, ao nos omitirmos quanto a divulgação de informação séria e verdadeira, teremos alguma responsabilidade quanto aos absurdos que usualmente acontecem. Neste caso, informar é melhor que proibir.
Tudo sobre esteroides

Curso sobre esteroides anabolizantes!

Domine o uso de esteroides neste curso de 8 módulos do médico Dr. Luiz Tintore

Clique aqui para conhecer



×
×
  • Criar novo...