Jump to content
Adriele Barcelos
Adriele Barcelos

Pipoca de Amaranto

Sign in to follow this  

  1. Coloque os grãos de amaranto em uma frigideira ou panela (sem adicionar óleo à panela).
  2. Leve ao fogo alto até que grande parte dos grãos se torne branca.
  3. Esse processo deve durar de 10 a 30 segundos aproximadamente.

Dica: pode ser servida dessa forma ou juntamente com outros ingredientes ou preparações.

Sign in to follow this  


User Feedback

Recommended Comments

There are no comments to display.



Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Add a comment...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By Bruna Bosco
      O milho é um cereal cultivado em grande parte do mundo, faz parte do grupo de carboidratos e ao contrário do trigo e o arroz, que são refinados durante seus processos de industrialização, o milho tem em sua composição proteínas, vitaminas do complexo B e vários sais minerais (como ferro, fósforo, potássio e zinco). Sua casca é rica em fibras, fundamental para a eliminação das toxinas do organismo humano.
      Considera-se fibra da dieta o conjunto de componentes de alimentos de origem vegetal que resistem à hidrólise (quebra pelas enzimas do sistema digestivo). A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda o consumo de, pelo menos, 25 g/d de fibras na dieta. Na pipoca, as fibras encontram-se na casca e são elas que contribuem para a formação do bolo fecal e são responsáveis por tornar a digestão mais lenta: cada 100 gramas de pipoca ingerida correspondem a 10 gramas de fibras.
      O milho utilizado para produção de pipoca têm espigas menores que as do milho tradicional. Suas sementes são formadas por três partes: O pericarpo, o embrião e o endosperma.
      O pericarpo é a casca do grão que é extremamente resistente – isso é o que difere o milho da pipoca do milho comum. O embrião é a parte responsável pela germinação. Esta parte do grão pouco influencia no estouro da pipoca, porém milhos que não possuem o embrião geram pipocas esponjosas. O endosperma é constituído principalmente de amido e poucas quantidades de gorduras, proteínas, sais minerais e água – a qual desempenha um papel importante no processo de obtenção da pipoca. Estudos realizados na Universidade de Scranton, nos Estados Unidos, mostraram que a pipoca tem em sua composição polifenóis, que são substâncias que agem como antioxidantes no nosso organismo, inibindo a ação dos radicais livres e prevenindo envelhecimento precoce, oxidação do colesterol e riscos de doenças cardíacas. Ela contém também o amido resistente (aquele encontrado na banana verde), que é uma fibra alimentar presente em alguns carboidratos, que melhora a absorção de nutrientes no organismo, a diminuição do risco de câncer no intestino e o controle de açúcar e colesterol no sangue.
      Indicação na dieta
      Cada vez mais nutricionistas vêm recomendando o consumo da pipoca para praticantes de musculação. O fato de ser rica em fibras é importante na estratégia alimentar, pois geralmente seu consumo é mais baixo, no entanto, é importante lembrar que para ter um efeito benéfico das fibras é importante ingerir bastante água.
      Outro beneficio da pipoca para quem malha seria por conta do amido resistente, que, quando ingerido, é fermentado por bactérias no intestino, gerando ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), os quais estimulam algumas enzimas que auxiliam na queima dos estoques de gordura do corpo.
      E, para finalizar seus inúmeros benefícios, a pipoca também é rica em ácido fólico, uma vitamina essencial para o crescimento e divisão das células do organismo.
      Como preparar a pipoca perfeita?
      A pipoca tem um sabor mais agradável que outros alimentos com efeitos e benefícios iguais ou similares. Uma xícara de pipoca sem gordura contém aproximadamente 30 kcal, isso a torna um lanche leve. Porém, quando a pipoca é preparada em óleo vegetal ou consumida com manteiga, a quantidade pode chegar a 155 kcal por xícara.
      Segue receita para preparo, de modo que sua pipoca fique saborosa sem deixar de ser saudável:
      Coloque em um recipiente que possa ir ao forno micro-ondas (de preferencia de vidro)
      5 colheres de sopa de milho; 5 colheres de sopa de água; 1 colherzinha (de café) de sal. Misture tudo e grude com filme plástico (bem firme) para a pipoca não escapar. Faça furinhos com palito de dente, para permitir a saída do ar. Leve ao micro-ondas (o tempo vai depender da potência do seu micro-ondas, mas leva em média de 3 a 4 minutos).
      Se quiser, ao finalizar o preparo, coloque ervas secas ou frescas como orégano, tomilho ou alecrim, pois a utilização destes temperos diminui a quantidade de sal utilizada. Acompanhada de uma xícara de café fica ótimo!
      Recomenda-se que o consumo de pipoca - 1 xícara (chá) de pipoca - seja feito, por exemplo, em um lanche da manhã ou da tarde em alguns dias.
      Referências:
      http://www.fiesp.com.br/sindimilho/sobre-o-sindmilho/curiosidades/milho-e-suas-riquezas-historia/
      SAWAZAKI, E.; MORAIS, J.F. de LAGO, A.A. Influência do tamanho e umidade do grão na expansão da pipoca; Campinas, p. 157 – 160, 1986.
      Diet, nutrition and the prevention of chronic diseases. World Health Organ Tech Rep Ser. 2003;916:i-viii, 1-149, backcover.
      MÓDULO DE ENSINO: Desvendando a composição química dos alimentos e a sua importância para a saúde importância para a saúde. Adriana Zechlinski Gusmão Pedrotti. Brasília – DF Março, 2011.
      http://www.idec.org.br/uploads/revistas_materias/pdfs/2008-07-ed123-pesquisa-pipoca.pdf
      PORTO, F. Nutrição para quem não conhece nutrição, São Paulo, Ed. Varela, 1998.
      http://dicasdemusculacao.org/8-motivos-para-consumir-carboidratos/
      http://www.scielo.br/pdf/cta/v27s1/a16v27s1.pdf
    • By Dra. Shalimar Diniz
      

O amaranto é conhecido em vários países há muito tempo, porém, aqui no Brasil não faz muito tempo que começamos a escutar falar sobre esse grão altamente nutricional! As pesquisas realizadas com o amaranto começaram por volta de 1996 e a partir daí começou o seu cultivo no Brasil.



      O grão é rico em proteína, possui aproximadamente 15% de proteínas com alto teor biológico (aquelas com todos os aminoácidos essenciais que o corpo não produz e por isso temos que ingerir). 

É fonte de cálcio biodisponível (isto é, que tem melhor absorção no organismo), o que não acontece com outros tipos de vegetais.

      Além de ser fonte de fibras, zinco, fósforo e outros nutrientes. 

O alto teor de fibras presentes contribui para o bom funcionamento do intestino, além do controle de glicose, colesterol e de dar mais saciedade, o que ajuda no controle de peso.



      Não contém glúten, sendo uma excelente opção para os celíacos (pessoas com intolerância ao glúten) ou pessoas com alergia ao glúten. Também é boa opção para vegetarianos, por ser rico em proteína.

      Por ser nutritiva e rica em proteínas é excelente escolha para que pratica atividade física! Quase não tem gosto, o que é muito bom, pois a farinha pode ser usada em várias misturas sem comprometer o sabor das preparações.



      Atualmente encontra-se para vender em lojas de produtos naturais e em alguns mercados. É comercializado em flocos naturais, semelhante aos flocos da aveia, pode ser consumido com frutas e iogurtes, como ingrediente para preparação de pães, bolos, doces, sopas, vitaminas ou até mesmo no seu shake pré ou pós treino.

      Exemplos de receitas com amaranto:
      Shake Nutritivo com Whey e Amaranto
      Hambúrguer Caseiro de Patinho
      Delícia de Iogurte com Frutas Vermelhas e Amaranto

      
Inclua esse grão no seu cardápio. Use sua criatividade e experimente!
    • By Adriele Barcelos
      História
      O amaranto (Amaranthus sp.), um pseudocereal de origem andina, possui excelente perfil nutricional e excelente funcionalidade. Apresenta inclusive importância econômica em várias partes do mundo por sua variada forma de uso. Cultivado pelas civilizações Inca e Asteca há mais de 2000 anos, foi disseminado pela Europa, África e
      Ásia após a chegada dos espanhóis.

      Pertence à família das amarantáceas, se divide em 70 gêneros (é muita coisa né gente) entre eles o Amaranthus, que possui mais de 60 espécies. E é muito consumido em regiões montanhosas, principalmente onde alimentos energéticos e alimentos fonte de proteína animal são escassos.

      Valor nutricional
      Vitaminas, minerais e antioxidante
      Esse grãozinho é realmente um superalimento. Possui um valor energético mais alto do que os cereais conhecidos contêm vitamina C e pró-vitamina A em níveis significativos, além de atender as necessidades da maioria de vitaminas recomendadas pelo “Committee on Dietary Allowances”.

      Apresenta lignina e celulose, mostrando-se uma excelente fonte de fibras insolúveis, sendo auxiliando o tratamento de constipação intestinal, possui niacina e tiamina, riboflavina, ácido ascórbico, vitamina E um potente antioxidante e ainda concentrações expressivas de minerais como potássio e ferro e alta biodisponibilidade de zinco, magnésio e cálcio.

      Proteína
      E para aqueles que necessitam de um aporte protéico maior e os veganos que não consomem proteína animal, esse grão tem em sua composição proteína de alto valor biológico e em quantidade mais elevada do que nos cereais (aproximadamente 15%).

      Contém teores significativos de metionina (aminoácido encontrado principalmente em alimentos de origem animal) e lisina, aminoácido essencial, ou seja, você precisa obtê-la em sua dieta, a lisina é utilizada na fabricação de proteínas e é essencial para o crescimento e manutenção dos músculos e órgãos e tem importante papel na absorção de cálcio e formação de colágeno.

      E estes são limitantes nutricionais em muitos grãos, sendo, portanto, considerado como uma combinação natural de leguminosa com cereal. Pode ser consumida também por celíacos, por não conter glúten.

      Lipídeos
      Quanto às gorduras, o amaranto possui em média 6,98% desta, sendo que o ácido oleico (ômega 9) e o linoléico (ômega 6) constituem cerca de 70% da gordura total e o ácido esteárico, cerca de 20%. Estudos mostram que o efeito hipocolesterolemiante pode estar relacionado a uma maior excreção de sais biliares fecais e colesterol endógeno devido à ação das fibras dietéticas. Alguns estudos trazem também resultados benéficos com uso do amaranto em óleo para cardiopatas, reduzindo níveis de CT, TG, LDL e VLDL.

      Formas de uso
      >> Pode ser usado o grão inteiro ou em flocos;
      >> Em forma de farinha integral, já encontramos em lojas de produtos naturais;
      >> Expandido (pipoca): Isso mesmo!! Pipoca!! desta forma o grão tem um sabor e um odor atraentes, como o conhecido milho de pipoca;
      >> Encontra-se como flocos, flakes, cookies e barra de cereal estas são encontradas principalmente em outros países da América do Sul.

      Esse grão é realmente de grande valor podendo fazer parte do nosso dia-a-dia, acrescido em shakes, saladas, no arroz, fazendo parte de uma alimentação balanceada e de acordo com o objetivo de cada um para melhores resultados. Vale a pena com certeza, afinal um dos pilares na boa alimentação é a variedade!!

      Receita:
      Pipoca de Amaranto
    • By Dra. Shalimar Diniz
      Colocar o iogurte em um potinho.
      Colocar as frutas vermelhas por cima e o amaranto salpicado.
      Colocar por cima um fio de mel.
      Comer gelado.
    • By Dra. Shalimar Diniz
      Bater tudo no liquidificador e tomar na hora.
×
×
  • Create New...