Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Hexahidrobenzilcarbonato de trembolona (Parabolan®)

Saiba tudo sobre hexahidrobenzilcarbonato de trembolona (Parabolan®): como ciclar, efeitos colaterais, para que serve e mais


Thiago Carneiro
 Compartilhar

Hexahidrobenzilcarbonato de trembolona
Tabela resumida
Princípio ativo: Hexahidrobenzilcarbonato de trembolona
Nome comercial mais conhecido: Parabolan®
Família: 9-nor
Forma: injetável
Meia-vida: 4 dias
Anabolismo (hipertrofia):
Androgenia (masculinização):
Estrogenismo (feminilização):
Hepatoxidade:
Efeito lipolítico (queima de gordura):
Retenção hídrica:
Distúrbios psicológicos:
Disponibilidade (acesso no mercado):
Preço (custo):

Introdução

Trembolona é um esteroide anabolizante com propriedades androgênicas do grupo 19-nor.

A trembolona é utilizada na veterinária, proporcionando crescimento muscular e apetite para o gado.

A trembolona é utilizada em forma de fármaco injetável ou oral.

É dividido em ésteres, sendo estes o acetato de trembolona (Trembolona Acetato, Trembo-Life®), o hexahidrobenzilcarbonato de trembolona (Parabolan®, Hexabolan®) e o enantato de trembolona (Trembolona Enantato, Trenabol®).

O esteroide básico trembolona é aproximadamente três vezes mais androgênico do que a testosterona, o que o torna um androgênio bastante potente.

Ele também exibe cerca de 3 vezes mais atividade de construção de tecidos em comparação com suas propriedades androgênicas, tornando sua classificação oficial como de um esteroide anabolizante.

O efeito de fortalecimento muscular da trembolona é freqüentemente comparado a agentes de volume populares como a testosterona ou o Dianabol®, mas sem os mesmos efeitos colaterais relacionados ao estrogênio. É mais comumente identificado como uma droga que aumenta a massa magra e é extremamente popular entre os atletas por sua capacidade de promover o rápido aumento de força, tamanho muscular e definição.

O hexahidrobenzilcarbonato de trembolona é a única forma conhecida de trembolona já produzida como medicamento para consumo humano. A aparência mais notável da trembolona vem como acetato de trembolona, que é exclusivamente usado na medicina veterinária.

A trembolona injetável (acetato) foi introduzida na indústria, no ano de 1980, com o nome de Finajet®. Sob a ação de éster curto do acetato, era utilizada para "reforçar" o gado antes do abate.

O hexahidrobenzilcarbonato de trembolona foi desenvolvido pela empresa farmacêutica Negma, fundada na França. O uso humano começou a se propagar em meados do início dos anos noventa. No ano de 1997 a trembolona parou de ser fabricada pela empresa e, a partir daquele instante, toda forma de trembolona encontrada no mercado é veterinária ou é feita em laboratórios ilegais.

Para que serve (efeitos esperados)

Dessa droga é esperado o aumento da massa magra, com o rápido aumento de força, tamanho muscular e definição.

Efeitos colaterais

Efeitos colaterais estrogênicos

A trembolona não é aromatizada pelo corpo e não é mensuravelmente estrogênica. É digno de nota, no entanto, que este esteroide exibe afinidade de ligação significativa para o receptor de progesterona (ligeiramente mais forte do que a própria progesterona) .

Os efeitos colaterais associados à progesterona são semelhantes aos do estrogênio, incluindo inibição por feedback negativo da produção de testosterona e aumento taxa de armazenamento de gordura. Os progestágenos também aumentam o efeito estimulador dos estrogênios no crescimento do tecido mamário.

Parece haver uma forte sinergia entre esses dois hormônios aqui, de modo que a ginecomastia pode até ocorrer com a ajuda de progestágenos, sem níveis excessivos de estrogênio.

O uso de um antiestrogênio, que inibe o componente estrogênico desse distúrbio, costuma ser suficiente para atenuar a ginecomastia causada por esteroides anabólicos e androgênicos progestacionais.

Observe que os efeitos colaterais progestacionais são mais comuns quando a trembolona está sendo tomada com outros esteroides aromatizáveis.

Efeitos colaterais androgênicos

Embora classificado como um esteroide anabolizante, a trembolona é suficientemente androgênica. Os efeitos colaterais androgênicos ainda são comuns com essa substância e podem incluir episódios de:

  • pele oleosa;
  • acne;
  • crescimento de pelos faciais e corporais.

Os esteroides anabólicos e androgênicos também podem agravar a queda de cabelo de padrão masculino.

As mulheres também devem ser alertadas sobre os potenciais efeitos virilizantes dos esteroides anabólicos e androgênicos.

Isso pode incluir:

  • engrossamento da voz;
  • irregularidades menstruais;
  • mudanças na textura da pele;
  • crescimento de pelos faciais;
  • eaumento do clitóris.

Além disso, a enzima 5-alfa redutase não metaboliza a trembolona, portanto, sua androgenicidade relativa não é afetada pela finasterida ou dutasterida.

Efeitos colaterais de hepatotoxicidade

A trembolona não é alfa c-17 alquilada e geralmente não é considerada um esteroide hepatotóxico, a toxicidade hepática é improvável.

Este esteroide tem um forte nível de resistência à degradação hepática, entretanto, toxicidade hepática grave foi observada em fisiculturistas que abusam da trembolona. Embora improvável, a hepatotoxicidade não pode ser completamente excluída, especialmente com altas doses.

Efeitos colaterais cardiovasculares

Os esteroides anabólicos e androgênicos podem ter efeitos deletérios sobre o colesterol sérico.

Isso inclui uma tendência de reduzir os valores do colesterol HDL (bom) e aumentar os valores do colesterol LDL (mau), o que pode mudar o equilíbrio do HDL para o LDL em uma direção que favorece um maior risco de arteriosclerose.

O impacto relativo de um esteroide anabólico e androgênico sobre os lipídeos séricos depende da dose, via de administração (oral vs. injetável), tipo de esteroide (aromatizável ou não aromatizável) e nível de resistência ao metabolismo hepático.

Devido à sua natureza não aromatizável e forte resistência ao metabolismo, a trembolona tem um impacto moderado a forte (negativo) nos valores de lipídios e risco aterogênico.

Os esteroides anabólicos e androgênicos também podem afetar adversamente a pressão arterial e os triglicerídeos, reduzir o relaxamento endotelial e apoiar a hipertrofia ventricular esquerda, todos aumentando potencialmente o risco de doença cardiovascular e infarto do miocárdio.

Para ajudar a reduzir o esforço cardiovascular, é aconselhável manter um programa de exercícios cardiovasculares ativo e minimizar a ingestão de gorduras saturadas, colesterol e carboidratos simples. Suplementar com omega 3  e uma fórmula natural de antioxidante é recomendado.

Efeitos colaterais de supressão de testosterona

Todos os esteroides anabólicos e androgênicos, quando tomados em doses suficientes para promover o ganho muscular, podem suprimir a produção endógena de testosterona.

Sem a intervenção de substâncias estimulantes da testosterona, os níveis de testosterona podem retornar ao normal em 1 a 4 meses após a secessão da droga.

Observe que o hipogonadismo hipogonadotrófico prolongado pode se desenvolver secundário ao abuso de esteroides, necessitando de intervenção médica.

Em estudos experimentais, a trembolona foi determinada como sendo aproximadamente três vezes mais forte na supressão de gonadotrofinas do que a testosterona em um miligrama por miligrama.

Ciclos comuns

As doses mais usuais de trembolona entre iniciantes é de 300 a 500 mg por semana, e usuários avançados costumam relatar doses de  700 a 1500 mg por semana.

Mulheres devem evitar essa droga por seu alto risco de virilização, mas é comum o uso de trembolona entre atletas de categorias com um físico mais definido e com musculatura mais desenvolvida, como nas categorias Women’s Physique e Bodybuilding.

As doses usuais com menor risco de virilização ficam em torno de 150 mg por semana, mas isso pode variar muito da resposta particular de cada atleta.

AVISO: CONSULTE UM MÉDICO ANTES DE TOMAR QUALQUER MEDICAMENTO. As informações apresentadas neste site não substituem prescrição médica personalizada. O conteúdo postado é meramente informativo.

Referências

  • Anabolics (William Llewellyn);
  • Hormônios no Fisiculturismo (Dudu Haluch);
  • Esteróides Anabólico Androgênicos (Lucas Caseri);
  • Endocrinologia Feminina e Andrologia (Ruth Clapauch).

Nomes de referência: Trenabol®, Finaject®, Parabolan®, Hexabolan®.

Vídeos relevantes

Indisponível.

Links relevantes

Indisponível.

 Compartilhar

Publique seu conteúdo como colaborador

       (0 avaliações)

Comentários

Crie um conta ou entre para deixar uma avaliação

Você precisar ser um membro para fazer uma avaliação

Criar uma conta

Crie uma conta 100% gratuita!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

Não há avaliações para exibir.





×
×
  • Criar novo...