Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Propionato de drostanolona (Masteron®)

Saiba tudo sobre propionato de drostanolona (Masteron®): como ciclar, efeitos colaterais, para que serve e mais


Thiago Carneiro
 Compartilhar

Propionato de drostanolona
Tabela resumida
Princípio ativo: Propionato de drostanolona
Nome comercial mais conhecido: Masteron®
Família: derivados de diidrotestosterona (DHT)
Forma: Injetável
Meia-vida: 48 horas
Anabolismo (hipertrofia):
Androgenia (masculinização):
Estrogenismo (feminilização):
Hepatoxidade:
Efeito lipolítico (queima de gordura):
Retenção hídrica:
Distúrbios psicológicos:
Disponibilidade (acesso no mercado):
Preço (custo):

Introdução

O propionato de drostanolona é um esteroide anabolizante injetável derivado da diidrotestosterona (DHT). O DHT foi modificado com um grupo 2-metil para aumentar suas propriedades anabólicas, tornando este agente significativamente mais eficaz na promoção do crescimento do tecido muscular do que seu pai DHT não metilado.

É descrito na literatura como um “esteroide com poderosas propriedades anabólicas e antiestrogênicas” e, de fato, parece compartilhar ambas as propriedades. Reconhecidamente, no entanto, suas propriedades anabólicas são mais apropriadamente descritas como moderadas, especialmente quando colocadas no contexto de outros agentes esteroidais.

A substância surgiu pela primeira vez em 1959. A Syntex desenvolveu o agente junto com outros esteroides bem conhecidos, como o Anadrol e a metildrostanolona (Superdrol).

O propionato de drostanolona foi introduzido como um medicamento prescrito aproximadamente uma década depois, por volta de 1969.

A farmacêutica Lilly tinha um acordo com a Syntex para dividir custos de pesquisa e desenvolvimento em troca de direitos de comercialização  da droga.

A Lilly passou a vender o propionato de drostanolona nos EUA sob a marca Drolban, enquanto que a Syntex poderia vendê-lo em outros mercados. Os produtos incluíram o Masteron® na Bélgica (Sarva-Syntex) e em Portugal (Cilag), o Masteril® no Reino Unido e Bulgária, e o Metormon® na Espanha.

O propionato de drostanolona também foi encontrado em preparações populares como Permastril® (Cassenne, França), Mastisol® (Shionogi, Japão) e Masterid® (Grunenthal, República Democrática da Alemanha). 

A U.S. Food and Drug Administration aprovou o propionato de drostanolona para o tratamento de câncer de mama inoperável avançado em mulheres pós-menopáusicas. Esta permaneceu como a principal indicação clínica do agente em todos os mercados internacionais.

A literatura de prescrição lembra médicos e pacientes do sexo feminino que há consideravelmente menos virilização com o propionato de drostanolona em comparação com doses iguais de propionato de testosterona, sugerindo que esta seria uma alternativa muito mais confortável às injeções de testosterona para um determinado público.

Mesmo assim, o nível de dosagem ministrado (300 mg por semana) era relativamente alto, e a literatura também nos lembra que sintomas leves de virilização ainda ocorriam comumente, como voz grave, acne, crescimento de pelos faciais e aumento do clitóris.

Também há relato de que a virilização acentuada às vezes ocorria após a terapia de longo prazo. 

A meia-vida do propionato de drostanolona é de aproximadamente dois dias após a injeção.

Embora muito popular entre os atletas durante os anos 1970 e 1980, o propionato de drostanolona teve sucesso limitado como um agente de prescrição.

Os fabricantes começaram a interromper voluntariamente a venda do agente em vários mercados em pouco tempo, provavelmente devido ao advento de terapias mais eficazes para o câncer de mama.

Uma das primeiras drogas a sair de circulação foi o Drolban, que foi retirado do mercado no final dos anos 1980.

O Permastril® e o Metormon® também foram descontinuados.

A última droga ocidental remanescente contendo propionato de drostanolona foi o Masteron® da Bélgica, que desapareceu no final da década de 1990.

O propionato de drostanolona permanece listado nas farmacopias dos EUA, sugerindo que atualmente não há nenhum obstáculo legal para sua venda. Mas seu ressurgimento como um medicamento de prescrição é improvável.

Na época em que estava disponível, era fornecido na forma de ampolas de 1 ml e 2 ml, e em frascos de 10 ml contendo 50 mg/ml ou 100 mg/ml de esteroide em óleo.

o propionato de drostanolona não está mais disponível atualmente como um medicamento de prescrição no Brasil. Todos os suprimentos deste medicamento vêm para o país de modo clandestino.

Para que serve (efeitos esperados)

A droga é mais frequentemente usada por fisiculturistas em dieta cutting e atletas de esportes de velocidade, uma vez que propicia a produção de aumentos sólidos na massa muscular magra e força, que geralmente são acompanhados por reduções no nível de gordura corporal e efeitos colaterais mínimos.

Efeitos colaterais

Efeitos colaterais estrogênicos

A drostanolona não é aromatizada pelo corpo e não é mensurável como estrogênica. Um antiestrogênio não é necessário ao usar este esteroide. A ginecomastia não é uma preocupação, mesmo para indivíduos sensíveis.

Como o estrogênio é geralmente o culpado pela retenção de água, e como a drostanolona não aromatiza, ela produz uma aparência magra e de qualidade para o corpo, sem o medo de retenção de fluído subcutâneo em excesso.

Isso a torna um esteroide favorável para uso durante os ciclos de corte (cutting), quando a retenção de água e gordura são as principais preocupações dos fisiculturistas.

Como um derivado DHT não aromatizável, a drostanolona pode conferir até um efeito antiestrogênico, uma vez que a droga pode competir com outros substratos (aromatizáveis) pela ligação à enzima aromatase.

Efeitos colaterais androgênicos

Embora classificado como um esteroide anabolizante, os efeitos colaterais androgênicos ainda são possíveis com esta substância, principalmente em  doses superiores à normal terapêutica.

Isso pode incluir episódios de:

  • pele oleosa;
  • acne;
  • crescimento de pêlos faciais e corporais.

Os esteroides anabólicos e androgênicos também podem agravar a queda de cabelo de padrão masculino. As mulheres devem ser alertadas sobre os potenciais efeitos virilizantes dos esteroides anabólicos e androgênicos. Isso pode incluir:

  • aprofundamento da voz;
  • irregularidades menstruais;
  •  mudanças na textura da pele;
  • crescimento de pelos faciais;
  • aumento do clitóris.

A drostanolona é um esteroide com atividade androgênica relativamente baixa em relação às suas ações de construção de tecido. São necessárias doses elevadas para efeitos colaterais androgênicos fortes, em comparação com outros agentes androgênicos, como a testosterona, metandrostenolona ou fluoximesterona.

Observe que a drostanolona não é afetada pela enzima 5-alfa redutase, portanto, sua androgenicidade relativa não é afetada pelo uso concomitante de finasterida ou dutasterida.

Efeitos colaterais hepáticos

A drostanolona não é c17-alfa alquilada e não tem propriedades hepatotóxicas conhecidas. A toxicidade hepática é improvável.

Efeitos colaterais cardiovasculares

Os esteroides anabólicos e androgênicos podem ter efeitos deletérios sobre o colesterol sérico. Isso inclui uma tendência para reduzir os valores do colesterol HDL (bom) e aumentar os valores do colesterol LDL (mau), o que pode mudar o equilíbrio do HDL para o LDL numa direção que aumenta o risco de arteriosclerose.

O impacto relativo de um esteroide anabólico e androgênico sobre os lipídeos séricos depende:

  • da dose;
  • da via de administração (oral vs. injetável);
  • do tipo de esteroide (aromatizável ou não aromatizável);
  • do nível de resistência ao metabolismo hepático.

A drostanolona pode ter um efeito negativo mais forte no controle hepático do colesterol do que a testosterona ou a nandrolona devido à sua natureza não aromatizável, mas um impacto mais fraco do que os esteroides alfa alquilados c-17.

Os esteroides anabólicos e androgênicos também podem afetar adversamente a pressão arterial e os triglicerídeos, reduzir o relaxamento endotelial e apoiar a hipertrofia ventricular esquerda, todos aumentando potencialmente o risco de doença cardiovascular e infarto do miocárdio.

Para ajudar a reduzir o esforço cardiovascular, é aconselhável manter um programa de exercícios cardiovasculares ativo e minimizar a ingestão de gorduras saturadas, colesterol e carboidratos simples durante a administração ativa da droga. É importante suplementar com óleos de peixe (4 gramas por dia) e com uma fórmula natural de colesterol e antioxidantes.

Efeitos colaterais de supressão de produção endógena de testosterona

Todos os esteroides anabólicos e androgênicos, quando tomados em doses suficientes para promover o ganho muscular, podem suprimir a produção endógena de testosterona.

Sem a intervenção de substâncias estimulantes da testosterona, os níveis de produção natural de testosterona podem retornar ao normal dentro de 1 a 4 meses após o uso da droga.

Observe que o hipogonadismo hipogonadotrófico prolongado pode se desenvolver secundário ao abuso de esteroides, necessitando-se de intervenção médica.

Ciclos comuns

Administração em homens

O propionato de drostanolona não foi aprovado pela FDA para uso em homens. As diretrizes de prescrição terapêuticas não estão disponíveis. Para propósitos de melhoria física ou de desempenho, este medicamento é geralmente injetado três vezes por semana. A dosagem semanal total é normalmente de 200 a 400 mg, que é tomada por 6 a 12 semanas.

Este nível de uso é suficiente para fornecer ganhos mensuráveis em massa muscular magra e força. O propionato de drostanolona é frequentemente combinado com outros esteróides para um efeito aprimorado.

Pilhas comuns incluem um anabolizante injetável como Deca-Durabolin (decanoato de nandrolona) ou Equipoise (undecilenato de boldenona), o o que pode fornecer ganhos musculares notavelmente aprimorados, sem retenção excessiva de água.

Para ganhos de massa, geralmente é combinada esta droga com uma testosterona injetável. O resultado aqui pode ser um ganho muscular sólido, com um nível mais baixo de retenção de água e outros efeitos colaterais estrogênicos do que se esses esteroides fossem usados sozinhos (geralmente em doses mais altas).

O Masteron, no entanto, é mais comumente aplicado durante as fases de corte do treinamento (cutting). Aqui, é frequentemente combinado com outros esteroides não aromatizáveis, como Winstrol®, Primobolan®, Parabolan® ou Anavar®, que podem ajudar muito na retenção muscular e perda de gordura durante um período pós-ciclo que pode ser muito catabólico.

Administração em mulheres

As diretrizes de prescrição para Drolban recomendam uma dose de 100 mg administrada três vezes por semana. A terapia dura por um período mínimo de 8 a 12 semanas, antes de ser feita uma avaliação de sua eficácia.

Se for bem-sucedida a terapia, o medicamento pode ser continuado enquanto forem obtidos resultados satisfatórios.

Observe-se que os sintomas de virilização eram comuns na dosagem recomendada.

Quando usada a droga para propósitos de melhoria do físico ou desempenho, uma dosagem de 50 mg por semana é mais comum, tomada por 4 a 6 semanas. Os sintomas de virilização são raros em doses de 100 mg por semana ou menos.

Observe-se que, devido à natureza de curta ação do éster de propionato, a dosagem semanal total é geralmente subdividida em injeções menores administradas uma vez a cada dois ou três dias.

AVISO: CONSULTE UM MÉDICO ANTES DE TOMAR QUALQUER MEDICAMENTO. As informações apresentadas neste site não substituem prescrição médica personalizada. O conteúdo postado é meramente informativo.

Referências

  1. Anabolics (William Llewellyn);
  2. Hormônios no Fisiculturismo (Dudu Haluch);
  3. Esteroides Anabólico Androgênicos (Lucas Caseri);
  4. Endocrinologia Feminina e Andrologia (Ruth Clapauch).

Nomes de referência: Drolban, Masteril, Metormon, Permastril, Mastisol, Masterid, 7β-propionato de drostanolona; 17p-propionato de 2α-metil-4,5α-di-hidrotestosterona; Propionato de 2α-metil-DHT; 2α-Metil-5α-androstan-17β-ol-3-ona 17β-propionato.

Vídeos relevantes

Indisponível.

Links relevantes

Indisponível.

 Compartilhar

Publique seu conteúdo como colaborador

       (2 avaliações)

Comentários

Crie um conta ou entre para deixar uma avaliação

Você precisar ser um membro para fazer uma avaliação

Criar uma conta

Crie uma conta 100% gratuita!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

Bravo Costa

   4 de 4 membros acharam esta análise útil 4 / 4 membros

Uso o masteron continuamente em qq situação; apenas 50mg/semana já dá um resultado antiestrogenico bem interessante. Faria uso da mesma forma se fizesse TRT, com uma testo em 85 a 100mg/semana.

Link para a análise
Compartilhar em outros sites

FaBHana

   2 de 2 membros acharam esta análise útil 2 / 2 membros

Excelente abordagem sobre o Masteron!! Uma droga aparentemente menos nociva que as demais mas que ainda sim os efeitos colaterais são presentes e alguns irreversíveis! Mas  usei e não me arrependo! Ela me proporcionou a densidade muscular que tenho hoje! Acredito que ela trás muitos benefícios se administrado corretamente e com acompanhamento de um profissional.

Link para a análise
Compartilhar em outros sites


Madrugão suplementos

Não jogue dinheiro fora

Compre suplementos bem mais baratos com o cupom de desconto do FISIculturismo.com.br

Clique aqui para obter seu cupom



×
×
  • Criar novo...