Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Oxandrolona (Lipidex)


Saiba tudo sobre oxandrolona (Lipidex): como ciclar, efeitos colaterais, para que serve e mais.



Oxandrolona
Tabela resumida
Princípio ativo: Oxandrolona
Nome comercial mais conhecido: Lipidex
Família: derivados de dht (diidrotestosterona)
Forma: oral
Meia-vida: 9 horas
Anabolismo (hipertrofia):
Androgenia (masculinização):
Aromatização (feminilização):
Hepatoxidade:
Efeito lipolítico (queima de gordura):
Retenção hídrica:
Distúrbios psicológicos:
Disponibilidade (acesso no mercado):
Preço (custo):

Introdução:

Oxandrolona é um esteroide anabolizante oral derivado da diidrotestosterona (DHT). Ele foi projetado para ter uma separação muito forte de efeito anabólico e androgênico, e nenhuma atividade estrogênica ou progestacional significativa.

Como ela é uma forma modificada de diidrotestosterona, apresenta as seguintes diferenças:

  • adição de um grupo metil no carbono 17-alfa para proteger o hormônio durante a administração oral;
  • substituição do carbono-2 no anel A por um átomo de oxigênio.

A oxandrolona é o único esteroide comercialmente disponível com tal substituição em sua estrutura de anel básico, uma alteração que aumenta consideravelmente a força anabólica do esteroide (em parte tornando-o resistente ao metabolismo pela 3-hidroxiesteróide desidrogenase no tecido do músculo esquelético).

A oxandrolona é conhecida por ser bastante suave no que diz respeito aos esteroides orais, bem feita para a promoção de força e ganhos de tecido muscular de qualidade sem efeitos colaterais significativos.

Miligrama por miligrama, exibe até seis vezes a atividade anabólica da testosterona em testes laboratoriais, com significativamente menos androgenicidade.

Esta droga é a favorita de fisiculturistas em dieta e atletas competitivos em esportes de desempenho anaeróbio/velocidade, eis que sua tendência é para promover ganho de tecido muscular puro (sem retenção de gordura ou água) e se encaixa bem com os objetivos desejados por esses atletas.

A oxandrolona foi descrita pela primeira vez em 1962. Ela foi empregada num medicamento vários anos depois, pela gigante farmacêutica G.D. Searle & Co., que agora se chama Pfizer.

A droga foi vendida nos Estados Unidos e na Holanda sob o nome comercial Anavar.

A Searle também vendeu/licenciou o medicamento sob diferentes nomes comerciais, incluindo Lonavar (Argentina, Austrália), Lipidex (Brasil), Antitriol (Espanha), Anatrophill (França) e Protivar.

A oxandrolona foi projetada para ser um anabolizante oral extremamente suave, que poderia até ser usado com segurança por mulheres e crianças.

Nesse sentido, o laboratório Searle parece ter conseguido sucesso nesse projeto, pois, a droga Anavar demonstrou um alto grau de sucesso terapêutico e de tolerabilidade em homens, mulheres e crianças.

Durante seus primeiros anos, o Anavar foi oferecido para uma série de aplicações terapêuticas. Dentre elas estão:

  • promoção do crescimento do tecido magro durante a doença catabólica;
  • promoção do crescimento do tecido magro após cirurgia, trauma, infecção e administração prolongada de corticosteroides;
  • suporte de densidade óssea em pacientes com osteoporose.

Na década de 1980, o FDA refinou ligeiramente as aplicações aprovadas de oxandrolona para incluir a promoção do ganho de peso após cirurgia, infecção crônica, trauma ou perda de peso sem razão fisiopatológica definida.

Apesar de seu histórico contínuo de segurança, Searle decidiu interromper voluntariamente a venda de Anavar em 1 de julho de 1989. As vendas atrasadas e a crescente preocupação do público sobre o uso atlético de esteroides anabolizantes pareciam estar na raiz dessa decisão.

Com a marca Anavar fora do mercado, a oxandrolona desapareceu completamente das farmácias americanas.

Logo depois, os produtos da oxandrolona nos mercados internacionais (muitas vezes vendidos pela Searle ou sob licença) também começaram a desaparecer, à medida que o principal fabricante global da droga continuava se retirando do mercado de esteroides anabolizantes.

Por vários anos, durante o início dos anos 1990, parecia que o Anavar estava em seu caminho para fora do comércio para sempre.

A oxandrolona voltou ao mercado dos EUA seis anos depois. O produto voltou às prateleiras das farmácias em dezembro de 1995, desta vez com o nome Oxandrin, da Bio-Technology General Corp. (BTG).

O BTG continuaria a vendê-lo para usos aprovados pela FDA envolvendo preservação de massa magra, mas também recebeu o status de medicamento órfão para o tratamento de perda massa magra em consequência da AIDS, hepatite alcoólica, síndrome de Turner em meninas e retardo constitucional de crescimento e puberdade em meninos.

O status de medicamento órfão deu ao BTG um monopólio de 7 anos sobre o medicamento para esses novos usos, permitindo-lhes proteger um preço de venda muito alto. Muitos pacientes ficaram indignados ao saber que o medicamento custaria a eles (no preço de atacado) entre US$ 3,75 e US$ 30 por dia, o que era muito mais caro do que o Anavar, que havia saído do mercado há apenas alguns anos.

O lançamento de um comprimido de 10 mg do Oxandrin da BTG, vários anos depois, não reduziu o custo relativo da droga.

O Oxandrin continua a ser vendido nos EUA, mas agora está sob o rótulo Savient (anteriormente conhecido como BTG).

É atualmente aprovado pelo FDA para “terapia adjuvante para promover ganho de peso após perda de peso após cirurgia extensa, infecções crônicas ou trauma grave e em alguns pacientes que sem razões fisiopatológicas definidas não conseguem ganhar ou manter o peso normal, para compensar o catabolismo da proteína associado à administração prolongada de corticosteroides e para o alívio da dor óssea que freqüentemente acompanha a osteoporose.”

Versões genéricas do medicamento já estão disponíveis nos EUA, o que reduziu o preço da terapia com oxandrolona. Fora dos EUA, a oxandrolona permanece disponível, embora não amplamente.

No Brasil, está legalmente presente nas farmácias de manipulação.

A oxandrolona está disponível em mercados selecionados de medicamentos para humanos. A composição e dosagem podem variar de acordo com o país e o fabricante. A droga Anavar original continha 2,5 mg de esteroide por comprimido. A droga Oxandrin contém 2,5 mg ou 10 mg por comprimido. Outras marcas modernas geralmente contêm 2,5 mg, 5 mg ou 10 mg de esteroide por comprimido.

Para que serve (efeitos esperados):

Como já descrito no tópico acima, pela administração da oxandrolona são esperados ganhos musculares sem retenção de gordura ou de água e baixos efeitos androgênicos.

Efeitos colaterais:

Os efeitos colaterais serão apresentados como estrogênicos, androgênicos e de supressão de produção endógena (natural) de testosterona.

Efeitos colaterais estrogênicos

A oxandrolona não é aromatizada pelo corpo e não é mensuravelmente estrogênica. A oxandrolona também não oferece atividade progestacional relacionada.

Não é necessário usar antiestrogênio duarante a administração deste esteroide, pois, a ginecomastia não deve ser uma preocupação, mesmo entre indivíduos sensíveis.

Como o estrogênio é o culpado usual na retenção de água, a oxandrolona, em vez disso, produz uma aparência magra e de qualidade para o físico, sem retenção excessiva de líquidos subcutâneos.

Isso o torna um esteroide favorável para uso durante os ciclos de cuting, quando a retenção de água e gordura são as principais preocupações dos atletas de fisiculturismo.

A oxandrolona também é muito popular entre os atletas de esportes de força/velocidade, como corrida, natação e ginástica.

Em tais modalidades esportivas, geralmente, não se deseja carregar excesso de peso de água e pode-se considerar que o crescimento muscular bruto (massa magra) gerado pela oxandrolona é bastante favorável em relação aos ganhos de massa de qualidade inferior, própria dos agentes esteroidais aromatizáveis.

Efeitos colaterais androgênicos

Embora classificada como um esteroide anabolizante, os efeitos colaterais androgênicos são possíveis pelo uso da oxandrolona.

O colaterais androgênicos podem incluir episódios de:

  • pele oleosa;
  • acne;
  • crescimento de pêlos faciais e corporais.

Os esteroides anabólicos/androgênicos também podem agravar a queda de cabelo de padrão masculino.

As mulheres podem sofrer potenciais efeitos virilizantes pelo uso da oxandrolona. Isso pode incluir:

  • engrossamento da voz;
  • irregularidades menstruais;
  • mudanças na textura da pele;
  • crescimento de pelos faciais;
  • aumento do clitóris.

Apesar de tais efeitos androgênicos serem possíveis pela administração da oxandrolona, ela é um esteroide com menor atividade androgênica com relação a outros esteroides, tais como testosterona, metandrostenolona ou fluoximesterona.

A baixa atividade androgênica da oxandrolona se deve em parte ao fato de ela ser um derivado da diidrotestosterona.

Isso cria um esteroide menos androgênico porque o agente não tem a capacidade de interagir com a enzima 5-alfa redutase e se converter em uma forma "di-hidro" mais potente.

Isso é diferente da testosterona, que é várias vezes mais ativa em tecidos-alvo responsivos a andrógenos, como couro cabeludo, pele e próstata (onde a 5-alfa redutase está presente em grandes quantidades), devido à sua conversão em DHT.

Em essência, a oxandrolona tem um nível de potência mais equilibrado entre o músculo e os tecidos-alvo androgênicos. Esta é uma situação semelhante à observada com Primobolan e Winstrol, que também são derivados da dihidrotestosterona e não são conhecidas por serem substâncias muito androgênicas.

Efeitos colaterais supressão de testosterona

Os esteroides anabólicos-androgênicos, quando tomados por tempo e em doses suficientes para promover o ganho muscular, suprimem a produção endógena de testosterona.

A oaxandrolona não é exceção a esta regra.

Num estudo científico, homens HIV+ fizeram uso de 20 mg ou 40 mg de oxandrolona por dia, por doze semanas, e isso causou uma redução de aproximadamente 45% nos níveis de testosterona sérica.

Outro grupo tomou 80 mg por dia, por doze semanas, e experimentou uma diminuição de 66% na produção endógena (natural) de testosterona.

Tendências semelhantes de diminuição foram observadas na produção de LH, com as doses de 20 mg e 40 mg por dia causando uma redução de 25-30%, e com doses de 80 mg por dia causando um declínio de mais de 50%.

Além disso, estudos em meninos com puberdade retardada demonstraram supressão significativa de LH endógeno e testosterona com apenas 2,5 mg por dia.

Sem a intervenção de substâncias estimulantes de produção natural de testosterona, os níveis normais de sua produção pelo organismo normalmente retornam ao normal entre  1 a 4 meses após a secessão da droga.

O hipogonadismo hipogonadotrófico prolongado (carência na produção endógena de testosterona) pode se desenvolver secundário se houver abuso de esteroides, não sendo retomada a produção natural pelo corpo após o término do uso das drogas esteroides, sendo necessária intervenção médica.

Ciclos comuns:

Administração em homens:

As diretrizes de prescrição originais do Anavar exigiam uma dosagem diária entre 2,5 mg e 20 mg por dia (5-10 mg sendo o mais comum).

Isso geralmente era recomendado por um período de duas a quatro semanas, mas ocasionalmente era prescrita a droga por até três meses.

As diretrizes de dosagem recomendadas com a forma de produção atual do medicamento nos EUA (Oxandrin, Savient Pharmaceuticals) também prescrevem entre 2,5 e 20 mg de medicamento por dia, tomados em ciclos intermitentes de 2 a 4 semanas.

A dosagem usual para propósitos de melhoria física ou de desempenho está na faixa de 15-25 mg por dia, tomada por 6 a 8 semanas. Esses protocolos não estão muito distantes daqueles de situações terapêuticas normais.

A oxandrolona costuma ser combinada com outros esteroides para um resultado mais expressivo.

Por exemplo, para se aumentar ainda mais o volume muscular, pode-se optar por adicionar entre 200 mg a 400 mg de um éster de testosterona (cipionato, enantato ou propionato) por semana.

O resultado esperado é um ganho considerável de nova massa muscular, com um nível menor de retenção de água e de gordura em comparação com ciclos planejados apenas com testosterona e em doses mais altas.

Para aumento de definição muscular, pode-se combinar alternadamente a oxandrolona com um esteroide não aromatizante, como 150 mg por semana de um éster de trembolona ou entre 200 mg a 300 mg de Primobolan (enantato de metenolona).

Essas pilhas são altamente favorecidas para aumentar a definição e muscularidade.

Uma combinação intermediária entre ganho de volume muscular e ganho de definição pode ser pelo uso da oxandrolona com 200 mg a 400 mg de um composto de baixa aromatização (estrogênio), como Deca-Durabolin (decanoato de nandrolona) ou Equipoise (undecilenato de boldenona).

Administração em mulheres:

As diretrizes de prescrição originais para Anavar não ofereciam recomendações de dosagem diferentes para mulheres, embora tenha sido indicado que mulheres que estavam grávidas, ou possam engravidar, não devem usar o medicamento.

As diretrizes atuais para Oxandrin também não fazem recomendações especiais de dosagem para mulheres.

Mulheres que temem os efeitos masculinizantes (androgênicos) dos esteroides podem ficar menos preocupadas pelo uso da oxandrolona, uma vez que essas propriedades são raramente vistas com doses baixas.

Para propósitos de melhoria física ou de desempenho, uma dosagem diária de 5 mg a 10 mg pode proporcionar um crescimento considerável sem efeitos colaterais androgênicos de outras drogas.

O ciclo de uso deve se limitar a 4 a 6 semanas de administração da droga.

Mulheres em busca de volume muscular rápido podem adicionar outro anabolizante ao ciclo, como Winstrol, Primobolan ou Deca-Durabolin (decanoato de nadrolona). Quando a oxandrolona é combinada com tais anabolizantes pelas mulheres, os efeitos de construção muscular são mais rápidos e pronunciados. Porém, pode aumentar a probabilidade de efeitos colaterais androgênicos (ou hepatotoxicidade no caso do Winstrol).

AVISO: CONSULTE UM MÉDICO ANTES DE TOMAR QUALQUER MEDICAMENTO. As informações apresentadas neste site não substituem precrição médica personalizada. O conteúdo postado é meramente informativo.

Referências:

  • Anabolics (William Llewellyn);
  • Hormônios no Fisiculturismo (Dudu Haluch);
  • Esteróides Anabólico Androgênicos (Lucas Caseri);
  • Endocrinologia Feminina e Andrologia (Ruth Clapauch).

Nomes de referência: Anavar, Lonavar (Argentina, Austrália), Lipidex (Brasil), Antitriol (Espanha), Anatrophill (França) e Protivar, 17β-hydroxy-17α-methyl-2-oxa-5α-androstan-3-one.

Vídeos relevantes:

Indisponível.

Links relevantes:

Indisponível.

Publique seu conteúdo como colaborador


Comentários

Crie um conta ou entre para deixar uma avaliação

Você precisar ser um membro para fazer uma avaliação

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

Ray Lima

   4 de 4 membros acharam esta análise útil 4 / 4 membros

Fiz 2 ciclos de oxan. O primeiro sem sucesso, pois tive problemas e suspendi o uso por conta do antibiótico.  Fiz um segundo 6 meses depois, ganhei muita força, mas comecei a sentir dores intensas no rim esquerdo e parei novamente. Fiz um mês de ciclo e senti que sequei bastante, porém pouco tempo depois veio o rebote e 3 meses depois ainda sinto dificuldade enorme de normalizar meu metabolismo, pois ganhei muita gordura e queda de cabelo também. Posso dizer que tenho parcela de culpa, pois após a suspensão eu desleixei na dieta. Voltei firme agora com dieta ACOMPANHADA por nutricionista, musculação e apenas suplementos naturais como Whey e creatina. Pretendo fazer outro ciclo futuramente, mas serei muito mais cautelosa.

Link para o comentário
deni17

   2 de 2 membros acharam esta análise útil 2 / 2 membros

Eu já usei, foi manipulado de uma laboratório pica do RJ, bem confiável... usei 10 mg durante 60 dias, não aumentei e nem diminui dose. Foi desde o início 10mg e até o final dos 60 dias! 
senti meus músculos mais firmes já na primeira semana, foi bizarro hehehe 

meus ganhos não foram tão expressivos, mas deu uma mudada absurda no shape... e o que eu senti e que depois de ter encerrado o ciclo, ficou muito mais fácil de ganhar massa magra! 
Não tive nenhum efeito colateral ruim ( os pelos ficaram um pouco mais grossos apenas) mas zero espinha, oleosidade excessiva, mudança na voz e nem perda de cabelo. Nadinha!!

unico efeito colateral q posso dizer que tive foi aumento do clitoris. E nem posso reclamar disso!! 
 

To doida pra fazer um ciclo novo! Mas preciso ter tempo pra me dedicar e não tô conseguindo! Acho que é isso! Minha avaliação é 4,5 ️ 

Link para o comentário

  • Conteúdo similar

    • Por Carolina Machite
      A Oxandrolona é a droga queridinha das mulheres, sendo muito procurada antes do réveillon, verão e carnaval. Alguns homens dizem que é droga de mulher e os fisiculturistas não gostam muito por ser uma "droga fraca" (a depender da dose). É fato que esta droga está circulando muito nas academias e boxes de crossfit, principalmente entre as mulheres.
      Os motivos pelos quais as mulheres "gostam" muito da droga esteroide Oxandrolona são, basicamente:
      aumenta a massa magra de maneira significativa; reduz bastante a gordura (aumento da lipólise); pouca aromatização e virilização (ganho de características do corpo masculino, ou masculinização). Isso é o sonho de todas as mulheres: ganhar massa magra e ao mesmo tempo perder gordura (e, sem dúvida, sonho dos homens também).
      A Oxandrolona é conhecida por ser um esteroide anabolizante "leve", com menor risco de efeitos colaterais comparada a outras drogas esteroides, apesar de ser uma droga comumente encontrada na forma oral. A forma injetável não é vista no mercado com facilidade. É um 17-alfa-alquilado e pode sobrecarregar o fígado.
      Historicamente, os primeiros textos da literatura sobre a Oxandrolona são de 1962, e a droga era conhecida e vendia com o nome Anavar. O Anavar original não é mais produzido, mas, no mercado, há uma série de drogas que contém 17-alfa-alquilado que usam o nome Anavar.
      A Oxandrolona pode ser legalmente manipulada em farmácia, desde que haja prescrição médica. Portanto, diferentemente do Winstrol e da Trembolona, cuja compra é proibida (as farmácias de manipulação que vendem essas drogas de forma ilegal cobram um preço muito alto por isso), a Oxandrolona é "liberada". Isso não quer dizer que seja barata, mas é menos cara que as demais drogas mencionadas.
      Em sua origem, a Oxandrolona foi desenvolvida para ser um esteroide leve, de uso oral, que poderia ser usado por crianças e mulheres. Ela é uma forma derivada da di-hidrotestosterona, cujas duas diferenças são: adição de um grupo metil no carbono 17 (proteção na primeira passagem pelo fígado) e uma substituição no carbono 2 (aumenta a meia-vida).
      Quanto aos efeitos colaterais da Oxandrolona, apesar de ser um anabolizante "leve", a droga não está livre dos efeitos indesejados. São os principais:
      aumento da oleosidade da pele (o que pode causar espinhas e acne); queda de cabelo; crescimento de pelos no corpo (rosto, braços, etc); redução do HDL (colesterol bom); alteração do ciclo menstrual. A utilização com a dose correta por diminuir significativamente o risco de efeitos colaterais. Deve-se tomar cuidado com as doses que são geralmente comentadas nas academias e nos fóruns da internet (doses absurdas, muito elevadas). Somente um médico especializado em hormônios pode indicar doses e tempo de uso (não confie no nutricionista, personal ou parceiro de treino para isso).
      A Oxandrolona não aumenta o clítoris e não causa o engrossamento da voz, como relatam algumas mulheres.
      Em homens muito jovens, com 17 ou 18 anos, fase em que a testosterona natural está muito elevada, o uso da Oxandrolona implica na redução da testosterona no organismo.
      Essa droga é muito utilizada pelos atletas que precisam de velocidade e potência (corredores, nadadores, ciclistas e ginastas). A testosterona aumenta a força, performance e diminui o tempo de recuperação entre os treinos. Ela causa aumento de peso pelo aumento da massa magra, mas não é algo muito exagerado, o que é vantajoso para esse tipo de atleta. E é muito comum o uso dessa droga pelos atletas olímpicos, com estratégias para evitar a descoberta pelo antidoping.
      Por ser largamente utilizada pelos atletas, o mais sensato seria a liberação para uso pelos atletas, com a estipulação de certas regras, tais como quantidades e tempo de uso (hoje para um "engana trouxa" ou hipocrisia).
      E com a massificação das redes sociais, o uso também é muito comum pelas blogueiras fitness, que muitas vezes proclamam que usam somente suplementos alimentares, como whey protein. Não acredite, para a construção daqueles shapes também há esteroides anabolizantes envolvidos, como a Oxandrolona. Exemplo clássico são aqueles das blogueiras que exibem barriga tanquinho 15 dias depois de parir. Não é photoshop apenas, é Oxandrolona também.
      Fonte:
      FONTENELLE, Gustavo e OLIVEIRA, Ewerton. Tudo sobre Oxandrolona. Youtube, 25 jan. 2017. Disponível em <https://youtu.be/ekxGw7r1adQ>. Acesso em: 16 mar. 18.
    • Por Mrwolf
      Então pessoal, irei fazer meu primeiro ciclo nesse mês com cipionato, tô em off season e tô planejando meter um shape bom no final desse ano, tô pensando em fazer a seguinte estratégia, usar 400mg de cipionato por 10 semanas, depois fazer um cruise de 8 semanas com 150mg usando silimarina pra proteger o figado e depois, vou começar um cutting com 400mg de trembo enantato e oxandrolona (dose indefinida) por 8 semanas, depois desse ciclo, pretendo fazer uma TPC, o que vocês acham?
    • Por Thatacalv
      olá , pessoal!  Treino desde 2015 ( não regradamente) e sempre faço outros esportes por fora, desde cross a bjj .... Já fiz alguns ciclos mas tive poucos ganhos e muitos colaterais, dessa vez quero levar a serio!!! alguem pode me ajudar ? regra de post, fotos e dieta... como disse sou nova por aqui e se existir uma alma caridosa pra me ajudar, agradeco!!!!
    • Por Scarian
      Olá, meu Brasil!
      Minha conta aqui foi cancelada (creio) porque passei anos sem postar. Resolvi voltar e postar após anos sem ciclo, inclusive sem malhar a quase 1 ano, devido ao conjunto de fatores: academia fechou, abriu e fechou, e missões (viajar) devido ao meu tipo de trabalho (policial). Casei e estou fora da equipe que vive viajando em missão.
      Seguindo o nosso querido @Mestre, segue o formato correto:
      Objetivo do ciclo: voltar o contato com aes, redução do tecido adiposo e ganho inicial de MM. Ciclos eventualmente já realizados: sou mais velho, então só adianta postar o último, foi somente oxan para dar um up e continuei sem ciclar. Ciclo ora proposto: Enantato 400-500mg / semana
      Oxan 40mg / dia
      Hcg 250iu / a cada 4 dias 
      Tamoxifeno 20 a 40mg durante o ciclo
      Divisão de treino: tive uma hérnia de disco, então estou bem focado no CORE.  Seguindo mais a linha Jeff Nippard. Nenhuma semana é igual, portanto não adianta muito postar o treino da semana. Idade: 38 anos Altura: 1,78 Peso: 89kg BF: 26% Medicações: não uso medicamentos. Problemas crônicos de saúde: inflamação da lombar devido a hérnia de disco extrusa que foi reabsorvida pelo uso de ozonioterapia. Mas sem o treino volta a doer, por isso a necessidade de fortalecimento urgente da lombar com ajuda dos aes. Tempo de treino: 55 minutos em média.
    • Por Arco
      Olá pessoal. Comprei Oxandrolona 100 cápsula -  20mg cada. 
      Peso 82kg;
      1,75 altura;
      Sem nenhum histórico de doença;
      Disciplinado na academia;
      Conciso manter a dieta deseja para massa magra.
      Bom, fui orientado a tomar 1 caps, de 12 em 12h, sendo num total de 40mg diário. Seguirei com essa dosagem por 4 semanas, e depois terminarei com 1 diária (20mg diária, para fazer o desmame) Sei que o ciclo de meia vida é de 8 a 9h, por isso já fiquei um pouco na dúvida.
      Seria interessante eu seguir essa orientação? Ele é personal, além de ser muito meu amigo (me refiro a confiança nas orientações,
      Só irei seguir adiante depois de esclarecer todas minhas duvidas, e está saber realmente o que estou fazendo,
      E para finalizar minhas perguntas, ao terminar o ciclo o meu eixo hormonal voltará ao normal em algum momento da vida?
      Muito obg, pessoal.
       
Tudo sobre esteroides

Curso sobre esteroides anabolizantes!

Domine o uso de esteroides neste curso de 8 módulos do médico Dr. Luiz Tintore

Clique aqui para conhecer



×
×
  • Criar novo...