Jump to content

Novos Hábitos, Novas Perspectivas: O Homem em Busca do “Corpo Perfeito”

Danilo da Silva Ferreira
  • , 2,550 views

Nos dias atuais, devido ao padrão de beleza, a prática de atividades físicas vem crescendo de uma forma vertiginosa.

O número de praticantes de exercício físico em academias de musculação e ginástica, a procura de diversos objetivos: promoção da saúde, reabilitação, sair do sedentarismo, recomendações médicas, prevenção de doenças, lazer, e também pela insatisfação com o corpo os aspectos estéticos.

Tem sido bastante evidenciada a procura do corpo bonito, perfeito e ideal (Ferreira, 2011).

O numero de interessados em praticar uma atividade física a procura do corpo perfeito cresce a cada dia. Hoje o objetivo dos jovens freqüentadores de academias de musculação é o aumento da massa muscular (“hipertrofia muscular”).

Devido a isso alguns jovens, sem medir esforços, fazem uso de substâncias anabólicas androgênicas e dietas sem a instrução de um profissional (Ferreira, 2011).

A imagem corporal está relacionada com a auto-estima, que significa amor próprio, satisfação pessoal e, acima de tudo, estar bem consigo mesmo.

Se existe uma insatisfação, esta se refletirá na auto-imagem. A primeira manifestação da perda da autoconfiança é percebida quando o corpo que se tem não está de acordo com o estereótipo idealizado pela sociedade (Bucaretchi, 2003).

Um dos principais fatores causais de alterações da percepção da imagem corporal é a imposição, pela mídia, sociedade e meio esportivo, de um padrão corporal considerado o ideal, ao qual associam o sucesso e a felicidade (Conti, Frutuoso e Gambardella, 2005).

A mídia tem o papel importante na sociedade sendo utilizada como meio de comunicação mais eficiente para uma relação de socialização entre as diversas culturas encontradas no mundo, mas também servem para influenciar os jovens a procurar o corpo perfeito (Ferreira, 2011).

Isto fica claro quando comparado os desenhos de antigamente com os desenhos atuais.

Vigorexia:

Também conhecida como Dismorfia Muscular e Anorexia Nervosa Reversa, a Vigorexia foi recentemente descrita como uma variação da desordem dismórfica corporal e enquadra-se entre os transtornos dismórficos corporais (TDC) (Chung, 2001; Mayville, Williamson, White, Netemeyes e Drab, 2002; Hitzeroth, Wessels, Zungu-Dirwayi, Oosthuizen e Stein, 2001).

Os indivíduos acometidos pela Vigorexia freqüentemente se descrevem como "fracos e pequenos", quando na verdade apresentam musculatura desenvolvida em níveis acima da média da população masculina, caracterizando uma distorção da imagem corporal.

Estes se preocupam de maneira anormal com sua massa muscular, o que pode levar ao excesso de levantamento de peso, prática de dietas hiperprotéicas, hiperglicídicas e hipolipídicas, e uso indiscriminado de suplementos protéicos, além do consumo de esteróides anabolizantes (Guarin, 2002; Cafri, Van Den Berg e Thompson, 2006; Grieve, 2007, Hildebrand, Schlundt, Langenbucher e Chungt, 2006).

Segundo Grieve (2007) são nove as variáveis identificadas na literatura da dismorfia muscular, classificadas como: massa corporal, influência da mídia, internalização do ideal de forma corporal, baixa auto-estima, insatisfação pelo corpo, falta de controle da própria saúde, efeito negativo, perfeccionismo e distorção corporal.

Considerações finais:

A procura do corpo perfeito vem se tornando cada vez mais freqüente, devido ao padrão de beleza atual, causando sérios problemas a saúde devido ao uso de substâncias nocivas ao organismo, a pratica de atividades físicas deve ser feita como o objetivo de manutenção da saúde do individuo e a promoção de momentos prazerosos ao praticante, assim formando um individuo mais saudável e capaz de exercer suas atividades diárias sem problema algum.

Referências:

Bucaretchi, H. A. (2003) Anorexia e Bulimia Nervosa uma visão multidisciplinar. São Paulo: Casa do psicólogo, 183p.

Conti, M. A., Frutuoso, M. F. P., Gambardella, A. M. D. (2005) Excesso de peso e a insatisfação corporal em adolescentes. Revista de Nutrição: Campinas. V. 18, n. 4.

Chung, B. (2001) Muscle dysmorphia: a critical review of the proposed criteria. Perspect Biol Med. V.44, n. 4, p. 565-574.

Mayville, S. B. , Williamson, D. A. , White, M. A. , Netemeyer, R. G. , Drab, D. L. (2002) Development of the Muscle Appearence Satisfaction Scale: a self-report measure for the assesment of muscle dysmorphia symptoms.Assesment. V. 9, n. 4, p. 351-360.

Guarin, H. P. (2002) Cómo problematizar la Educación Física desde la transición del concepto del cuerpo al de corporeidad. Revista de Buenos Aires: Buenos Aires. N. 48.

Cafri, G., Van Den Berg, P., Thompson, J. K. (2006) Pursuit of muscularity in adolescent boys: relations among biopsychosocial variables and clinical outcomes. J Clin Child Adolesc Psychol. V. 35, n. 2, p. 283-291.

Hildebrand, T., Schlundt, D., Langenbucher, J., Chung, T. (2006) Presence of muscle dysmorphia symptomatology among male weightlifters. Compr Psychiatry. V. 47, n. 2, p. 127-135.

Grieve, F. G. A. (2007) Conceptual model of factors contributing to the development of muscle dysmorphia. Eat Disord,USA. V. 15, n. 1, p. 63-80.

Sign in to follow this  

User Feedback

Recommended Comments

There are no comments to display.



Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Add a comment...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By Rumpelstiltskin
      Estou tendo problemas com a Loja de Suplementos CorpoPerfeito. Já havia comprado nesta loja a uns 3 anos e no mês passado (agosto/2016) efetuei uma compra que ate o momento não chegou. Eles não atendem telefone, não retornam e-mail e no Reclame Aqui está cheio de Reclamações contra a Corpo Perfeito. Um monte de consumidor reclamando que não está recebendo os produtos e nem estão devolvendo o dinheiro. Alguém recebeu alguma compra efetuada no Corpo Perfeito recentemente?

    • By Regis Rock
      No Conexão Repórter desta semana, o documentário especial "Músculos proibidos". Roberto Cabrini revela os bastidores de parte das academias. A compulsão pelo corpo perfeito que leva jovens ao uso de drogas proibidas.

      O diário impressionante de um viciado em esteróides anabolizantes. A autodestruição, a vaidade sem limites, os esquemas clandestinos para se conseguir substâncias de uso restrito.

      Músicas com mensagens subliminares que incentivam um viagem sem volta. Riscos diários, sequelas ,mortes. Câmeras escondidas...Revelações acachapantes em uma investigação de vários meses.

      O 'Conexão Repórter' vai ao ar nesta quarta-feira, logo após o 'Programa do Ratinho', no SBT!"
      Pelo que eu vi o Leo Stronda vai participar.... Se preparem.... Lá vem muuuuuuita merda!!!!!!!
    • By ProzisBrasil
      Esteja ou não ligado ao mundo do fitness, é bem provável que já tenha ouvido dizer que a proteína é a rainha suprema e absoluta dos suplementos. De fato, é mesmo. Mas isso não significa que você deva se entupir de proteína. O segredo está em encontrar a dose ideal que te permita alcançar os seus objetivos, quer seja no fisiculturismo, no halterofilismo, nos treinos de força ou em qualquer outro esporte.
      Porque é que a proteína é importante?
      As proteínas são moléculas grandes e complexas formadas por unidades menores, denominadas aminoácidos, que estão unidas entre si por ligações peptídicas. Variam em tamanho e estrutura e são tão diversas quanto as funções que desempenham. Os aminoácidos são amplamente conhecidos pelo seu papel na construção, reparação e manutenção dos tecidos corporais, mas participam igualmente na regulação da secreção hormonal, na digestão e no transporte de nutrientes e oxigênio, entre outros processos orgânicos. De certa forma, podemos dizer que as proteínas são o “faz tudo” das nossas células.

      Qual a quantidade de proteína necessária?
      De acordo com a U.S Food and Nutrition Board, a DDR (dose diária recomendada*) de proteína é de 0,8 gramas de proteína por cada quilo de peso corporal para adultos sedentários. Para bebês e crianças, esse valor duplica ou triplica devido à sua rápida taxa de crescimento. No entanto, esses valores de DDR não são tidos em conta entre a comunidade do fisiculturistas, dado que esses não os consideram adaptados às necessidades específicas da modalidade. Mas antes de descartarmos completamente esses valores, vamos ver como é que os cientistas chegaram a eles.
      Os pesquisadores realizaram vários estudos para determinar a quantidade de proteína utilizada e absorvida pelo corpo e chegaram à conclusão que o nosso organismo perde cerca de 0,36 gramas de proteína por cada quilo de peso corporal, através do suor, da urina, das fezes, da descamação da pele e da queda de cabelo. Seguidamente, adicionaram uma margem de segurança que aumentou o valor para 0,75 gramas por quilo: a DDR. Esse método de cálculo pretende garantir não só que substituímos a quantidade de proteína perdida pelo corpo, mas também que compensamos uma possível deficiência na qualidade das proteínas consumidas. Assim, os adultos sedentários que sigam essas indicações vão obter a quantidade necessária de aminoácidos para substituir os que perdem diariamente, isso caso não pratiquem exercício físico, nem pretendam ganhar massa muscular.
      De fato, a atividade física complica as coisas, pois aumenta as necessidades proteicas. O nosso organismo vai primeiro tentar obter as proteínas a partir da alimentação, antes de começar pelas suas reservas. Se o consumo de proteína não for o suficiente, o corpo recorrerá então ao seu próprio tecido muscular como fonte protéica, provocando a degradação muscular e dificultando, assim, o crescimento dos músculos.
      Por essa razão, estudos mais recentes indicam que a DDR parece não satisfazer adequadamente as necessidades de adultos que praticam exercício físico. Assim, segundo o American College of Sports Medicine (ACSM), o consumo diário de proteína para atletas de resistência oscila entre as 1,2 e as 1,4 gramas por quilo de peso corporal, ao passo que o consumo recomendado para esportistas de força é de aproximadamente 1,2 a 1,7 gramas por quilo de peso corporal. De acordo com as indicações da Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva, esses valores podem chegar até 2 gramas, dependendo da intensidade do exercício.
       
      Em suma, se você pratica um programa de treino intenso, podemos afirmar que um consumo de 1,2 a 2 gramas de proteína por quilo de peso corporal poderá ajudar você a alcançar os seus objetivos de crescimento muscular e força. Se pratica exercício de resistência, deve ingerir as quantidades mais baixas desse intervalo; se combina treino de resistência e de força, deve considerar um valor intermediário; e, por último, se realizar atividades físicas de força/potência, voê deve fazer um consumo protéico em função dos valores máximos estabelecidos.
      Não obstante, tenha em mente que o crescimento muscular não depende diretamente da quantidade de proteína que você consome, mas antes da intensidade que aplica no seu treino, que irá estimular o crescimento muscular e, consequentemente, determinar o seu consumo diário de proteína.
    • By fisiculturismo
      Código: DC4889451450
      Validade: 11/10/2013

      Exceto nas marcas: Optimum, Universal, Probiótica, Labrada, IntegralMedica, Millennium, Pacific Health, Body Size, Bodygenics, GNC, Dymatize Nutrition e Nutrex.

      http://www.corpoperfeito.com.br
    • By Carolina Machite
      Quando o verão vai chegando as pessoas começam a buscar pela famosa ‘Operação Verão’, cortam o chocolate, o refrigerante, passam até a frequentar a academia todos os dias e tudo isso pela busca desesperada pelo corpo perfeito até o carnaval.

      Mas agora o carnaval passou e a dúvida que não quer calar é se você conseguiu seu corpo perfeito? Ou melhor, como vai ficar daqui para frente? Vai jogar todo esse esforço no lixo ou quem sabe adotar o hábito de uma vida saudável e colocar seu bloco na rua com direito a exibir um corpão em todas as estações?

      Alcançar um corpo perfeito nesse curto espaço de tempo é praticamente impossível e ainda não existe nenhuma receita milagrosa para definir suas curvas, perder gordura e adquirir um corpo de causar inveja de forma rápida e sem sofrimento. Para isso é necessário bem mais que um verão e muito mais que uma horinha de academia por dia, é preciso determinação.

      Por isso vemos milhares de mulheres buscando pelos tratamentos milagrosos: cirurgias plásticas, esteticistas e suas drenagens, pulsões, choques e afins que prometem remover estrias, celulites e até mesmo quebrar aquelas gordurinhas indesejadas. Digamos que isso até ‘resolve’, mas em curto prazo, mas devemos pensar em longo prazo ou você vai se sujeitar a isso todo mês, pagando uma fortuna, sabendo que se recorrer a uma academia o investimento é bem menor, saudável e prazeroso?

      Eu nem preciso ir muito longe para ver como funcionam esses tratamentos, acompanho de perto o desespero de algumas amigas quando o assunto em questão é um corpão de parar o trânsito e cá entre nós chega a ser engraçado, é uma combinação de drenagem linfática com creme para reduzir medidas, mais uns produtos para remover estrias, suco para desinchar e para finalizar aquele famoso shake que promete: “PERCA 15 QUILOS EM UMA SEMANA”. E o mais engraçado que fazem tudo isso com tanta disciplina que dá até pra acreditar que isso realmente funciona.

      É importante que as pessoas entendam que não existem tratamentos milagrosos, e isso não serve só para as mulheres, mas também para homens, aqueles sedentários que ao invés de correr pra academia correm para a geladeira durante as madrugadas e no dia seguinte substituem as refeições por aqueles cházinhos para desintoxicar, desinchar e vários outros.

      Não que estes produtos estejam longe de dar resultado, mas também é preciso diferenciar um chá diurético, ou até mesmo vitaminas e vários outros que nutricionistas indicam a fazer em casa para o nosso benefício, de tais produtos vendidos de forma errada, prometendo uma perda de peso excessiva em poucos dias e sem se quer um esforço. O fato é que isso realmente acontece e a resposta é simples, estes produtos possuem sim baixa caloria, bem menor que qualquer alimento saudável, mas um número alto de fibras que acaba saciando a fome, por isso você vem sim a perder peso, e claro a ganhar o dobro de peso quando decidir cortar o consumo.

      Fórmulas milagrosas estão bem distantes de funcionarem e proporcionarem um corpo 100% saudável, mas um bom treino com uma combinação suplementar correta e uma alimentação balanceada pode sim trazer bons resultados e mais ainda a sensação de dever cumprido por mérito próprio e pelo seu esforço. O primeiro passo já foi dado, agora é só colocar mais gás nestes treinos e esbanjar saúde na próxima estação.
×
×
  • Create New...