Ir para conteúdo
Madilson Medeiros
Madilson Medeiros

Nandrolona (Deca) e Supressão da Libido

A Nandrolona, mais especificamente nas formas decanoato e fenilpropionato, é um dos mais conhecidos anabolizantes androgênicos esteróides (AAE) entre os recursos ergogênicos que figuram como métodos proibidos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Poderia, talvez, nem ser assim denominado de AAE, já que possui muito mais características anabólicas que androgênicas. Na realidade, todo anabolizante reúne características predominantemente anabólicas ou predominantemente androgênicas. O percentual nestas razões é que determina o efeito principal. Questão de “semântica bioquímica”, decerto. O fato é que, dentre os substâncias desta classe, a nandrolona aparece no segundo lugar do ranking de detecção de doping, perdendo apenas para a testosterona.

O que faz deste esteróide uma opção de escolha tão popular entre os atletas? Que alterações importantes a favor do desempenho e melhora da performance esportiva estão relacionadas à esta substância? Quais riscos e efeitos adversos podem decorrer de sua utilização?

A Nandrolona é derivada, como todos os demais AAEs, da molécula de testosterona. Sua fórmula, 19-nortestosterona, resulta da modificação de um átomo de carbono da posição 19, o que faz com que sua estrutura química seja ligeiramente semelhante a da testosterona, porém com diferenças marcantes quanto à razão de percentual anabólico/androgênico. Como outros esteróides, a nandrolona contribui para a performance não somente pelo efeitos já conhecidos, mas também pelo aumento na produção de IGF-1, EPO e de aminas serotonino-sinérgicas. Outra característica marcante da nandrolona é a hidratação aumentada nas articulações e aumento da síntese de colágeno, o que representa um grande auxílio na recuperação de lesões decorrentes de treinos mais intensos.
ccs-69938-0-05853800-1366086410.jpgccs-69938-0-05853800-1366086410.jpg
Usuários de nandrolona usualmente reportam quedas da libido durante seu uso. Certamente, esta é uma das peculiaridades mais conhecidas deste fármaco. Isso se deve ao fato desta substância se comportar como uma progestina, apresentando uma afinidade relativamente grande com os receptores de progesterona (PGRs). Quando é feita esta ligação com o PGR, ocorrem alterações relativas à diminuição da libido, em parte pelo aumento da produção de prolactina. A explicação para isso é que, embora a progesterona tenha um caráter “feminino” por estar relacionada com o período de gestação na mulher, ela também ocorre no homem, porém em quantidades ínfimas.

Quando há atividade progestênica aumentada no organismo masculino, há uma diminuição da libido. Curiosamente, o mesmo não ocorre com a ação de progesterona bio-idêntica – que inclusive tem sido recentemente utilizada para inibir a ação da enzima 5α-redutase melhor até mesmo que a própria finasterida (você sabia?).

Também os pró-hormonais à base de nortestosterona convergem para as mesmas vias metabólicas. Normalmente nesses PHs a fórmula é norandrostenediona ou norandrostenediol. Ambas convertem para nandrolona, que por sua vez, levará a significativas quedas na libido, da mesma forma que ocorre com o esteróide na versão farmacológica (Deca). Muitos usuários de um determinado PH (bastante popular) contendo a fórmula 19-Norandrosta-4,9 diene-3,17 dione, se surpreendem com a enorme queda de libido decorrente de seu uso, sem sequer saber que esta substância nada mais é que um precursor de 19-nandrolona.
ccs-69938-0-44628700-1366086436.jpgccs-69938-0-44628700-1366086436.jpg
Uma das possíveis formas de se evitar ou tentar reverter este fenômeno seria a utilização conjugada de androgênicos como a testosterona (é justamente isso que muitos usuários fazem). Porém, isso acabaria se tornando um faca de dois gumes, uma vez que a androgenicidade da testosterona é alta – e em conjunto com a nandrolona, produziria efeitos desagradáveis advindos da conversão em estrógenos – justamente os efeitos que se pretenderia evitar!

Neste caso específico, a utilização da Nandrolona acabaria sendo contraditória, especialmente se a escolha for baseada no seu perfil altamente anabólico e moderadamente androgênico. Que sentido faria escolher uma droga com baixas propriedades androgênicas para depois ter que fazer uma combinação com outra substância altamente androgênica a fim de simplesmente evitar a supressão de libido?

Pensando por esta perspectiva, parece ser muito mais conveniente lançar mão de substâncias bloqueadoras de estrógenos como o levotrozol, a fim de diminuir a receptividade de REs e PGRs. A ação desta droga influencia principalmente a expressão dos receptores de estrógeno, mas estudos comprovaram que também age nos receptores de progéstenos. Esta atividade progestênica aumentada também pode influenciar de maneira acentuada o HPTA (eixo hipotalâmico-pituitário-testicular) e afetar negativamente a produção endógena de testosterona. Neste caso, o uso de HCG (gonadotripina coriônica humana) deveria ser considerado. Sem comentar que o uso do HCG também resulta em aumento de estrógenos... Complicado, não?

Um endocrinologista que ficou famoso por suas idéias contraditórias em relação ao papel dos hormônios tidos como “femininos”, Karlis Ullis, sugere que a nandrolona deva ser utilizada como recurso ergogênico apenas por indivíduos mais jovens, a despeito de suas características progestênicas. Já para as pessoas adultas ou de idade mais avançada, Ullis advoga que a Nandrolona não perfaz o perfil ideal, uma vez que quanto maior a idade, maior a conversão em estrógenos. Ironicamente, como foi citado anteriormente, a progesterona bio-idêntica tem, por sua vez, seu uso prescrito como agente anti-estradiol especialmente em homens de idade avançada (discutiremos sobre esse estudo em outro artigo).

Apesar do uso destes fármacos ser destinado apenas à utilização terapêutica e com prescrição exclusivamente restrita ao profissional da área da medicina, infelizmente não é que ocorre em termos práticos. Parece ser oportuno então, que se promova uma discussão acerca de sua utilização voltada a outros fins, não com o intuito de incentivar tal prática, mas sim de procurar, à luz da bioquímica, estudá-la a fim de compreendê-la mais completamente.

BONS TREINOS E ATÉ A PRÓXIMA!

Entre para seguir isso  
Entre para seguir isso  

Comentários


Visitante Helcio Sabatella

Postado

Vamos falar técnicamente sobre o velho e bom DECA, e não apenas olhar a bula...

Deca Durabolin é o nome da marca Organon para nandrolona. Decanoato de nandrolona é uma forma injetável do éster decanoato de esteróide anabólico nandrolona.Este proporciona uma liberação lenta de nandrolona a partir do local de injeção, com uma duração de até três semanas. A Nandrolona é muito semelhante à testosterona em estrutura, mas que carece de um átomo de carbono na posição 19 (daí o seu nome 19nortestosterone ). Como a testosterona, a nandrolona apresenta relativamente fortes propriedades anabólicas. Diferentemente da testosterona, no entanto, a sua atividade de construção de tecido é acompanhada por fracas propriedades androgênicas. Muita desta tem a ver com a redução da nandrolona a um esteróide mais fraco, a dihidronandrolona, nos mesmos tecidos responsivos aos andrógenos alvo que potencilizam a ação da testosterona (por meio da conversão de DHT). As propriedades leves da nandrolona tem feito deste produto um dos mais populares esteróides injetáveis em todo o mundo, altamente favorecida por atletas pela sua capacidade de promover a força significativa e ganho de massa muscular magra sem fortes efeitos colaterais androgênicos ou estrogênicos. (Ou seja, muito pouca diminuição da libido como preocupa muitos )

No caso sempre associamos com uma testosterona, e gosto de associar com Durateston, ou Sustanon ( a receita da vovó que já foi publicada )

Descrição do produto

Administração (homens):

Para efeitos anabólicos gerais, as diretrizes de prescrição antecipada recomendam uma dose de 50 a 100 mg a cada 3 a 4 semanas para 12 semanas. Para tratar a anemia renal, as diretrizes de prescrição para nandrolona recomendamr uma dose de 100 a 200 mg ( opa estamos melhorando ) por semana. A dose usual para fins de físico ou para melhorar o desempenho é o intervalo de 200 a 600 mg por semana, tomada em ciclos de 8 a 12 semanas no nível longo ( Agora sim, dose de Homens) .É suficiente para a maioria dos usuários a notar ganhos mensuráveis de massa muscular magra e força. Afirma-se frequentemente que o decanoato de nandrolona o seu efeito ótimo (melhor ganho / relação de efeito colateral) a 2 mg por quilo de peso corporal / semanal, apesar de diferenças individuais . Deca não é conhecido como um contrutor muito "rápido" O efeito de fortalecimento muscular desta droga é bastante perceptível, mas não dramático. Em geral, pode-se esperar a massa muscular a cerca de metade da taxa do que com uma quantidade, igual de testosterona.

Decanoato de nandrolona é muitas vezes combinado com outros esteróides para efeito maior. Uma combinação de 200 a400 mg / semana de decanoato de nandrolona e 10 a 20 mg por dia ou Winstrol, por exemplo, é conhecida para aumentar consideravelmente a aparência de muscularidade e definição quando em dieta . Outro como Halotestin ( que vcs nunca viram) ou trenbolona ( que não existe mais a verdadeira, apenas acetatos e enantatos falsificados) poderia também ser usado, uma vez mais proporcionando um nível, melhorado de dureza e de densidade para os músculos. O clássico "Deca e D-bol" a (geralmente 200 a 400 mg de decanoato de nandrolona por semana e 15 a 25 mg de Dianabol por dia) tem sido básico por décadas, e sempre parece dar crescimento muscular excelente. Um forte andrógeno como Anadrol 50 ® ( Hemogenim – ciclo da vovó) ou testosterona podem também ser substituídos, produzindo resultados mais elevados, mas com a retenção de mais água.

Administração (mulheres):

Para efeitos anabólicos gerais, as diretrizes de prescrição antecipada recomenda uma dose de 50 a100 mg cada 3 a 4 semanas para 12 semanas. Para tratar a anemia renal, as diretrizes de prescrição decanoato de nandrolona recomendado para uma dosagem de 100 mg por semana. Quando utilizado para o físico ou para melhorar o desempenho finalidades, uma dosagem de 50 mg por semana é mais comum, tomadas durante 4 a 6 semanas. Embora apenas ligeiramente androgênica, as mulheres são ocasionalmente confrontados com virilização ao tomar este composto. Estudos demonstraram elevada tolerabilidade (incidência menor, mas estatisticamente insignificante desse efeito colaterals), com uma dose de 100 mg a cada duas semanas, durante 12 semanas, enquanto que estudos de longo prazo (12 meses de utilização) demonstraram efeitos virilizantes laterais em uma dose tão baixa quanto 50 mg a cada 2 a 3 semanas No caso de efeitos virilizantes secundários se tornarem uma preocupação, a nandrolona deve ser interrompida imediatamente para ajudar a prevenir o seu aparecimento permanente. Depois de um período suficiente de retirada, o produto de mais curta ação o Durabolin ® ( Isto mesmo , somente durabolim que não existe aqui ) pode ser considerado uma opção mais segura. Esta droga permanece ativa por apenas alguns dias, reduzindo o tempo de afastamento, se indicado.

Efeitos colaterais (hepatotoxicidade):

Nandrolona não é c-17 alfa-alquilados, e não é conhecido por ter efeitos hepatotóxicos em indivíduos saudáveis. A toxicidade hepática é improvável.

Efeitos colaterais (Cardiovascular):

Anabólicos / androgênicos esteróides podem ter efeitos deletérios sobre colesterol sérico. Isso inclui uma tendência a reduzir os valores de HDL (bom colesterol) e aumentar os valores de LDL (mau colesterol), que podem mudar o HDL ao saldo de LDL em uma direção que favorece uma maior risco de arteriosclerose. O impacto relativo de um esteróide anabolizante / androgênicos em lipídios é dependente da dose, via de administração (oral vs injetável), tipo de esteróide (aromatizavel ou não), e nível de resistência ao metabolismo hepático. Estudos administrando 600 mg de decanoato de nandrolona por semana durante 10 semanas, demonstrou uma redução de 260/0 nos níveis de colesterol HDL .Esta supressão é ligeiramente maior do que a relatada com uma dose igual de enantato de testosterona, e está de acordo com estudos anteriores que mostram um forte impacto negativo sobre a razão HDL / LDL com nandrolona, em comparação com a testosterona cypionato. O decanoato de nandrolona ainda deve ter um impacto significativamente mais fraco em lipídios do que c-17 agentes alfa alquilados. Esteróides anabolizantes / androgênica também podem afetar adversamente a pressão arterial e triglicéridos, redução endotelial relaxamento e suporte a hipertrofia ventricular esquerda, todos potencialmente aumentando o risco de doenças cardiovasculares e infarto do miocárdio.

Para ajudar a reduzir a tensão cardiovascular, é aconselhável manter um programa de exercícios cardiovasculares ativo e minimizar a ingestão de gorduras saturadas, colesterol e carboidratos simples em todos os momentos durante a administração de EAA ativos. A suplementação com óleos de peixe (4 gramas por dia) e uma fórmula de colesterol / antioxidante natural, tal como Stabil lipídica ou um produto com ingredientes comparáveis também é recomendado.

Efeitos colaterais (supressão de testosterona):

Todos os esteróides anabólicos / androgênicos quando tomados em doses suficientes para promover o ganho de músculo são esperados por suprimir a produção endógena de testosterona. Estudos administrados com 100 mg por semana de decanoato de nandrolona, durante 6 semanas demonstraram uma redução aproximada de 57% nos níveis de testosterona no soro durante o tratamento. A uma dosagem de 300 mg por semana, esta redução foi de 70%. Acredita-se que a atividade progestacional da nandrolona nomeadamente contribui para a supressão da síntese de testosterona durante o tratamento, o que pode ser marcada, apesar de uma baixa tendência para a conversão de estrogénio. Sem a intervenção de substâncias estimulantes de testosterona, os níveis de testosterona devem retornar ao normal dentro de 2 a6 meses após a separação da droga. Note-se que o hipogonadismo hipogonadotrófico prolongado pode desenvolver-se como efeito secundário para abuso de esteróides, necessitando de intervenção médica.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Visitante Helcio Sabatella

Postado

outra marca é a

NORMA nandrolona (2 ml-frasco, 200mg/2ml)

Descrição Rápida

Vida ativa: 14 a 16 dias

Classe da droga: anabólicos / androgênicos esteróides (injetável)

Dose média: Homens 300 a 800 mg / semana.

Mulheres 50 a100 mg / semana

Acne: sim, em doses elevadas ou indivíduos sensíveis

Retenção de água: Sim, mas menos do que a testosterona

Pressão Alta: dependendo da dose

Toxidade hepática: Não

Aromatização: Baixa, converte a norestrogênios menos ativos

DHT Conversão: Não, converte a NOR-DHT com baixa atividade

Diminuir a função HPTA: Sim

Outras Informações: Altamente anabólico / moderada efeitos androgênicos

Nome genérico: decanoato de nandrolona.

Nandrolona é o nome da marca Organon para nandrolona. Em todo o mundo a nandrolona é um dos esteróides mais populares injetáveis. Sua popularidade se deve provavelmente ao fato de que a nandrolona apresenta significativos efeitos anabólicos com o mínimo de efeitos colaterais androgênicos.

Descrição do produto

Considerado por muitos o melhor esteróide global para um homem (efeitos colaterais versus resultados) a nandrolona é mais comumente injetada uma vez por semana, na dose de 200 a 400mg. Com este montante, a conversão de estrógeno é tão leve que a ginecomastia não é problema. Também incomum problemas com as enzimas do fígado, pressão arterial ou os níveis de colesterol. Em doses mais altas, os efeitos secundários podem tornar-se cada vez mais frequentes, mas isso ainda é uma droga muito bem tolerada. Deve também notar-se que, em estudos de HIV, A Nandrolona tem sido demonstrada ser eficaz com segurança em trazer-se a massa corporal magra do paciente, mas também para ser benéfico para o sistema imunológico.

Para o fisiculturismo, a nandrolona pode efetivamente ser incorporado em massa e ciclos de corte com Durateston, Dianabol, Anadrol ... ( Ciclo da vovó lembra) Uma grande desvantagem da nandrolona é que pode ser detectada num ecrã de droga durante o tempo de um ano após a utilização. Infelizmente, para muitos atletas competitivos, o que torna nandrolona e outros produtos de nandrolona fora dos limites. A Nandrolona também é um anabólico comparativamente caro. No mercado negro, 200mg de nandrolona vai custar mais de US $ 20 na maioria dos casos. A Nandrolona produz muito poucos efeitos colaterais.

É boa para o fígado e promove bom tamanho e os ganhos de força alem de reduzir a gordura corporal. A Nandrolona pode ser usada por quase todos os atletas, com resultados positivos e muito poucos efeitos colaterais, a nandrolona ganhou a reputação de ser um tanto analgésico para dor nas articulações e tendões. Os atletas relatam que os ombros doloridos, joelhos e cotovelos / ou são de alguma forma sem dor no ciclo de nandrolona.

Esta droga melhora drasticamente a retenção de nitrogênio e tempo de recuperação entre os treinos.

Durante as competições, com testes de doping a nandrolona não deve ser tomada uma vez que os metabólitos no organismo pode ser comprovada em uma análise de urina até 18 meses depois. Aqueles que não têm medo de teste pode utilizar nandrolona como um composto de alto anabólico básica em uma dosagem de 400 mg / semana. Os andrógenos contidas em 400 mg / semana, também ajudam a acelerar a regeneração do corpo.

O risco de retenção de água e potencial para aromatizar o estrogênio pode ser impedido com sucesso, combinando o uso de Proviron com Nolvadex. Uma ciclo de preparação frequentemente observado em atletas competindo inclui 400 mg / semana de nandrolona, 50 mg / dia Winstrol, Parabolan 228 mg / semana, e 25 mg / Anavar dia. Embora os efeitos colaterais com nandrolona são relativamente baixos, com dosagens de 400 mg / semana, os efeitos secundários androgénicos causados podem ocorrer. A maioria dos problemas manifestam-se em pressão arterial elevada e um tempo prolongado para a coagulação do sangue, o que pode provocar sangramento nasal frequente e hemorragia prolongada de cortes, assim como o aumento da produção das glândulas sebáceas e acne ocasionalmente. Alguns atletas também relatam dores de cabeça e superestimulação sexual.( ou seja , não diminui a libido amiguinhos). Quando doses muito altas são tomadas ao longo de um período de tempo prolongado, pode ser inibida espermatogênese nos homens, ou seja, os testículos produzem menos testosterona. A razão é que a nandrolona, como quase todos os esteróides, inibe a liberação de gonadotropina a partir da hipófise.

Mulheres com uma dosagem de até 100 mg / semana geralmente não tiver problemas maiores com nandrolona. Em doses mais elevadas causa virilização , incluindo voz profunda (irreversível), o aumento do crescimento de pêlos no corpo, libido, aumento de acne, e possivelmente hipertroia d e clitóris.

Como a maioria dos atletas se dão bem com nandrolona uma dose de 50 mg de nandrolona + / semana é normalmente combinado com Anavar 10 mg + / dia. Ambos os compostos, quando tomadas em dose baixa, são apenas ligeiramente androgênicos de modo que os efeitos colaterais masculinizantes só ocorrem raramente. A Nandrolona, através da sua síntese de proteína aumentada, também conduz a um ganho de músculo líquido e Anavar, com base no aumento da síntese de fosfocreatina, conduz a um ganho de força mensurável com a retenção de água muito baixo.

Outras variações de administração usadas por atletas são nandrolona e Winstrol comprimidos, bem como comprimidos de nandrolona ( ANDROXON) e Primobolan. Desde que a nandrolona não tem efeitos negativos sobre o fígado pode até mesmo ser utilizado por pessoas com doenças hepáticas. Os exames mostraram que a aplicação combinada de Dianabol / nandrolona aumenta os valores do fígado, que, no entanto, retornam ao normal após descontinuação da 17-alfa Dianabol alquilados e administração contínua de nandrolona. Mesmo um período de tratamento com a nandrolona longo de vários anos não poderia revelar um dano para o fígado. Por esta razão, a nandrolona combina bem com Andriol (240 a 280 mg / dia) desde que Andriol não é decomposta através do fígado e, portanto, a função hepática não é influenciada. Mais velhos e mais cautelosos usuários de esteróides, em particular, como esta combinação.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Os comentários acima, transcritos por Hélcio Sabatella, não são de sua autoria. São apenas uma cópia de textos publicados em outros sites.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora




×
Esta popup será fechada em 10 segundos...