Jump to content

Melhor pré-treino para musculação

Qual é o pré-treino mais eficiente para o treino de musculação? Seriam suplementos alimentares do gênero ou refeições completas?

Talyta Machado
  • , 1,030 views
Produtos naturais para pré-treino

Melhor pré-treino: alimentação completa e equilibrada

Você sabe qual o melhor pré-treino para musculação? O que realmente vai fazer efeito? Não existe uma resposta específica para esses questionamentos. Muita coisa pode ser ótima, ou não. A resposta depende do seu objetivo e de como seu corpo funciona.

Uma refeição completa é o pré-treino mais adequado, com fontes de carboidratos, proteínas e lipídeos. Não é só o que você consome antes do treino que importa. Suas refeições anteriores também são relevantes, inclusive aquelas do dia anterior, na medida em que seu corpo utiliza seu estoque de glicogênio muscular durante o exercício (uma forma de como o corpo armazena energia).

O que realmente importa aqui é que sua alimentação seja totalmente completa e equilibrada. Caso contrário, sua refeição “pré-treino” não vai fazer milagres. Consuma aquilo que te faz sentir melhor e com mais energia.

Suplementos pré-treino

No caso de suplementos, existem no mercado compostos para pré-treino que possuem efeito imediato (recomenda-se ingerir cerca de 30 minutos antes do treino). Entre os ingredientes mais comuns, encontramos os estimulantes, como taurina, ou cafeína. Alguns também contêm carboidratos adicionados para auxiliar no fornecimento energético, como por exemplo, a maltodextrina ou a palatinose.

Esses suplementos pré-treino podem melhorar seu desempenho, porém, cuidado com a composição e com a dose. Se você nunca tomou nada do tipo, o cuidado é redobrado. Ressalto que esses suplementos não são essenciais.

Creatina: não precisa ser tomada no pré-treino

Outro suplemento que melhora a performance e possui maior evidência científica de eficácia é a creatina. Ao contrário dos suplementos “pré-treino”, a creatina não precisa ser tomada exatamente antes do treino. Seu efeito não é imediato, mas crônico, após algum tempo de uso.

Consulte um nutricionista para indicar o melhor horário, orientar suas refeições e recomendar a sua suplementação.

Produtos naturais e combinações caseiras pré-treino

Caso você esteja sem ideias, ou queira algumas sugestões, seguem alguns produtos naturais e combinações caseiras para aumentar a disposição:

  • Açaí: você pode fazer em forma de vitamina, ou creme: 1 polpa de 100g de açaí levemente descongelada (quanto mais descongelar, mais líquido ficará) + 1 banana madura + 1 colher de chá de guaraná em pó + 50 ml de suco de uva integral + 1 pedaço pequeno de gengibre.  Se quiser, pode adicionar uma ou duas colheres de sopa de whey protein; 
  • Shot: suco de uva integral + gengibre ralado + guaraná em pó; 
  • Suco de abacaxi com hortelã + chá mate ou preto + gengibre; 
  • Chá mate com limão + mel + gengibre em pó; 
  • Vitamina de banana + aveia + canela + pasta de amendoim + guaraná em pó.

Além de energéticas, estas combinações também são antioxidantes e anti-inflamatórias.

Atenção: se você utiliza medicamentos de uso crônico, não aplique essas estratégias sem antes consultar um profissional. Não recomendado também para gestantes e lactantes. Consulte um nutricionista. É importante ressaltar que estes posts não são destinados a atletas (o treino deles é totalmente diferente e, portanto, as orientações nutricionais também).

Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão? Deixe nos comentários que a Dra. @Talyta Machado poderá lhe ajudar.

Outros conteúdos sobre pré-treino para musculação

Para auxiliar nas suas pesquisas sobre suplementos e refeições pré-treino, sugerimos as seguintes matérias:

Para finalizar as sugestões de conteúdo na internet, sugerimos este vídeo do YouTube em que a nutricionista faz a indicação de alimentos pré-treino de acordo com o intervalo de tempo entre a refeição e o treino:

Comente no Instagram sobre a sua refeição ou suplementação pré-treino

Além do campo de comentários do nosso site, você também pode comentar essa matéria no Instagram, apresentando o seu pré-treino para musculação, suas dúvidas ou sugestões:

Consultório da nutricionista Talyta Machado

Para quem desejar marcar uma consulta para acompanhamento com a nutricionista, disponibilizamos a localização pelo Google Maps:


User Feedback

Recommended Comments

Citar

Se você nunca tomou nada do tipo, o cuidado é redobrado

Olá Dra. @Talyta Machado, por qual motivo os suplementos com cafeína, taurina, maltodextrina e palatinose seriam perigosos? Todas essas substâncias foram liberadas pela ANVISA? Isso quer dizer que não trazem riscos para a saúde, que são substâncias de consumo seguro, certo? Poderia explicar?! Obrigado! 😊

Share this comment


Link to comment
Share on other sites

Olá, quando digo sobre cuidado, refiro-me às substâncias estimulantes, como a cafeína  e taurina (não os carboidratos maltodextrina e palatinose). São sim liberadas, porém podem trazer riscos à saúde, se consumidas em doses elevadas,  inclusive podem atuar em sinergia (quando o efeito de cada substância isoladamente se "complementa", trazendo um efeito maior) ainda mais se a pessoa nunca tiver consumido produtos do tipo e o organismo não está acostumado com a dose (claro, dependendo do produto). Quando falamos de substâncias que estimulam o sistema  nervoso e cardiovascular é preciso ter cautela com recomendações por internet, por isso, recomendo o cuidado. Não sabemos como está a saúde cardiovascular de quem está lendo e irá buscar tomar suplementos por conta própria, portanto recomendo nestes casos o natural, onde a dose destes estimulantes será menor e o risco também. 

Caso ainda tenha dúvida, pode perguntar. 

Share this comment


Link to comment
Share on other sites
9 horas atrás, Talyta Machado disse:

Olá, quando digo sobre cuidado, refiro-me às substâncias estimulantes, como a cafeína  e taurina (não os carboidratos maltodextrina e palatinose). São sim liberadas, porém podem trazer riscos à saúde, se consumidas em doses elevadas

Quais seriam as doses seguras para consumo diário dessas substâncias no pré-treino? Alguns suplementos com cafeína que já tomei tinham até 420mg dessa substância por dose. Nunca me senti mal, mas é sempre bom cuidar da saúde! Obrigado pelas dicas!

Share this comment


Link to comment
Share on other sites
1 hora atrás, contribuinte disse:

Quais seriam as doses seguras para consumo diário dessas substâncias no pré-treino? Alguns suplementos com cafeína que já tomei tinham até 420mg dessa substância por dose. Nunca me senti mal, mas é sempre bom cuidar da saúde! Obrigado pelas dicas!

A ANVISA orienta para suplementos alimentares, até 200mg por porção, pois o máximo recomendado e demonstrado seguro por dia são 400mg. Considerando que há também consumo de cafeína por fontes alimentares e não apenas suplementos, essa dose de 200mg por suplemento é a recomendada. Porém, os estudos divergem sobre a dose específica considerada máxima, pois não só a dose, mas a concentração plasmática irá influenciar no potencial efeito maléfico, e isso dependerá de como cada organismo metaboliza a cafeína. Algumas pessoas metabolizam rápido, outras mais devagar. O consumo, por exemplo, de aproximadamente 10-12mg por KG de peso corporal já é considerado excessivo. Porém, se você não se sentiu mal, por exemplo, não há problema, porém é bom sempre fazer testes e iniciar com uma dose menor para evitar sintomas, e não ultrapassar a recomendação do fabricante.  Ressalto que  o consumo destes produtos e também do próprio café, em excesso, não são saudáveis, devem ser moderados e sempre buscar alternativas para melhorar a atenção e disposição. O consumo moderado não traz riscos. Para saúde, tudo é equilíbrio. Deixo, por fim, um trecho de um artigo que fala sobre isto:

"O Scientific Committee on Food (SCF) na Europa considera que há um aumento no risco de doenças cardiovasculares por efeito da cafeína sozinha ou em combinação com outros constituintes, como a taurina, presente em alguns tipos de bebidas energéticas, particularmente consumidas durante ou depois do exercício intenso. Os estudos com humanos incluíram indivíduos normais descansados, indivíduos submetidos a exercícios intensos e indivíduos com predisposições a arritmias cardíacas. Os efeitos relacionados ao sistema cardiovascular variam desde aumentos moderados na velocidade dos batimentos cardíacos até arritmias cardíacas sérias. Em alguns casos pode haver sensação de palpitação produzida pela ocorrência de extrassístoles. O aumento da pressão sanguínea é um conhecido fator de risco para doenças cardiovasculares e derrames, e os indivíduos com pressão alta são geralmente aconselhados a reduzir o consumo de cafeína. Tem-se sugerido que o consumo de cafeína pode aumentar os riscos relacionados à hipertensão (CARVALHO; MAIA; RODRIGUES, 2006)." 

https://facsaopaulo.edu.br/wp-content/uploads/sites/16/2018/05/ed3especial/5.pdf

1 hora atrás, fisiculturismo disse:

@Talyta Machado, você recomenda algum ou alguns produtos de "pasta de amendoim" que seriam mais naturais (menos substâncias químicas) e sem adição de açúcar?

Olá, se está perguntado sobre marcas específicas, é importante ler o rótulo. Quando for fazer preparações, como a apresentada no post, não precisa necessariamente a pasta de amendoim ter nenhum aditivo, por exemplo, para adoçar e melhorar o sabor. Leia o rótulo e procure aqueles que contém apenas "amendoim" como ingrediente. Dá para misturar com whey protein também, que irá dar sabor à pasta. 

Share this comment


Link to comment
Share on other sites
Em 22/08/2019 em 13:19, Talyta Machado disse:

Leia o rótulo e procure aqueles que contém apenas "amendoim" como ingrediente. Dá para misturar com whey protein também, que irá dar sabor à pasta. 

Dica anotada! Vamos conferir isso nas pastas! Obrigado @Talyta Machado! 😊

Share this comment


Link to comment
Share on other sites
Em 22/08/2019 em 13:19, Talyta Machado disse:

Porém, se você não se sentiu mal, por exemplo, não há problema, porém é bom sempre fazer testes e iniciar com uma dose menor para evitar sintomas, e não ultrapassar a recomendação do fabricante.  Ressalto que  o consumo destes produtos e também do próprio café, em excesso, não são saudáveis, devem ser moderados e sempre buscar alternativas para melhorar a atenção e disposição.

@Talyta Machado muito obrigado pela resposta super completa! Você sanou as minhas dúvidas e me deu muito mais segurança!! Espero que publique mais matérias! Seria interessante uma matéria exclusiva para a cafeína! O que acha? 😚

Share this comment


Link to comment
Share on other sites
Em 27/08/2019 em 00:14, contribuinte disse:

@Talyta Machado muito obrigado pela resposta super completa! Você sanou as minhas dúvidas e me deu muito mais segurança!! Espero que publique mais matérias! Seria interessante uma matéria exclusiva para a cafeína! O que acha? 😚

Claro, providenciarei uma matéria sobre. 

Share this comment


Link to comment
Share on other sites
Em 27/08/2019 em 00:14, contribuinte disse:

Seria interessante uma matéria exclusiva para a cafeína! O que acha? 😚

Uma matéria completa sobre cafeína seria mesmo muito importante: fontes naturais, fontes artificiais, doses seguras, efeitos desejados comprovados, efeitos colaterais comprovados, prejuízo ou não para os ossos, uso conjunto com creatina, mitos e verdades e assim por diante. Topa @Talyta Machado?

Share this comment


Link to comment
Share on other sites


Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

  • Similar Content

    • By fisiculturismo
      Com a proibição do Jack3d, o mercado de suplementação pré-treino ficou com um enorme espaço para novidades de todas as marcas. Aproveitando a oportunidade, a MHP lançou um novo suplemento alimentar pré-treino chamado X Fit Trainer.
      O rótulo do produto tem como atrativos as seguintes qualidades dadas ao produto: energia, força e resistência. O que mais um musculador poderia desejar num suplemento pré-treino?
      Segundo a MHP, o X Fit Trainer contém dose clínica especialmente formulada para ajudar o atleta a conquistar treinamentos de alta intensidade e deles tirar o máximo proveito. Diz a fabricante que a energia do atleta pode ser aumentada em 79% com o uso do produto, que não contém nenhuma substância estimulante ilegal.
      A quantidade de beta-alanina de dose do produto (3,2g) poderia retardar em até 35% a liberação de ácido lático, resultando num treinamento mais pesado e mais rápido. A dose dobrada de creatina seria capaz de aumentar o ganho de força em até 45%.
      Além disso, o X Fit Trainer seria dotado do CortiFit, um extrato vegetal patenteado capaz de reduzir a ação do cortisol em até 24%, resultando em maior ganho de massa magra. O produto também contém uma mistura termogênica que aumentaria a queima de gordura após o treinamento, num percentual de até 12% em até 4 horas após os exercícios.
      No rótulo lemos que o produto contém creatina monohidratada, beta-alanina, extrato de chá verde, cafeína natural, cetona de framboesa e a fórmula proprietária CortiFit (Withania Somnifera).
    • By Matheus Uba Chupel
      A cafeína é um poderoso agente modulador do desempenho atlético, entretanto, deve-se ficar atento aos achados em alguns estudos científicos.
      A Cafeína
      A cafeína, uma possível exceção à regra geral contra a ingestão de estimulantes, continua sendo uma droga controlada/restringida nas competições atléticas. A cafeína pertence ao grupo de compostos denominados metilxantinas, encontrados naturalmente nos grãos de café, nas folhas de chá, no chocolate, nos grãos de cacau e nas nozes da cola, sendo acrescentada frequentemente às bebidas efervescentes e aos remédios vendidos sem prescrição médica (McArdle & Katch, 2002).
      Dependendo do preparo, uma xícara de café fervido contém entre 60 e 150 mg de cafeína. Como elemento de referência, 2,5 xícaras de café coado contém 250 a 400 mg, ou geralmente entre 3 e 6 mg por kg de massa (peso) corporal.
      A absorção da cafeína pelo intestino delgado se processa rapidamente, alcançando concentrações plasmáticas máximas entre 30 e 120 minutos, após a ingestão, para exercer sua influência sobre os sistemas nervoso, cardiovascular e muscular. A meia-vida metabólica da cafeína, de 3 horas, significa que é eliminada pelo corpo com bastante rapidez, certamente após uma noite de sono (Cohen et al 1996).
      Efeitos da Cafeína no Desempenho Esportivo
      Nem todos os estudos confirmam benefícios ergogênicos da cafeína. Entretanto, já foi demonstrado que a ingestão de 2,5 xícaras de café coado, a 1 hora antes do exercício, amplia muito a capacidade de resistência no exercício moderadamente extenuante. Os indivíduos que haviam bebido cafeína se exercitavam por uma média de 90,2 minutos, em comparação com 75,5 minutos durante 1 sessão de exercícios sem cafeína.
      Apesar de terem sido observados valores semelhantes para freqüência cardíaca e captação de oxigênio durante os dois ensaios, a cafeína fazia com que o trabalho parecesse mais fácil.
      Em concordância com seus efeitos estimulantes (característica dos compostos a que a cafeína faz parte – as metilxantinas), foi comprovado que a cafeína proporciona também um benefício ergogênico durante os desempenhos máximos de natação completados em menos de 35 minutos. Em um estudo experimental duplo-cego, sete homens e quatro mulheres nadadores experientes de longa distância (<25 min para 1.500m), consumiram cafeína 2,5 horas antes de nadarem 1.500m. O tempo total de natação foi em média 1,9% menor com cafeína do que sem cafeína (20min 58 segundos vs 21min 21 segundos).
      Uma concentração plasmática mais baixa de potássio antes do exercício e níveis sanguíneos mais altos de glicose no final do ensaio acompanhavam o desempenho com cafeína. Isso sugeriu que o equilíbrio eletrolítico e a disponibilidade de glicose podem ser fatores-chave no efeito ergogênico da cafeína (McArdle & Katch, 2002).
      A Cafeína e o Metabolismo Energético durante o Exercício
      A cafeína afeta quase todos os sistemas do organismo, sendo que seus efeitos mais óbvios ocorrem no sistema nervoso central (SNC). Quando consumida em baixas dosagens (2mg/kg), a cafeína provoca aumento do estado de vigília, diminuição da sonolência, alívio da fadiga, aumento da respiração e da liberação de catecolaminas, aumento da freqüência cardíaca, aumento no metabolismo e diurese. Em altas dosagens (15mg/kg) causa nervosismo, insônia, tremores e desidratação.
      Segundo Spriet (1995), existem pelo menos três teorias que podem tentar explicar o efeito ergogênico da cafeína durante o exercício físico. A primeira envolve o efeito direto da cafeína em alguma porção do sistema nervoso central, afetando a percepção subjetiva de esforço e/ ou a propagação dos sinais neurais entre o cérebro e a junção neuromuscular.
      A segunda teoria pressupõe o efeito direto da cafeína sobre co-produtos do músculo esquelético. As possibilidades incluem: alteração de íons, particularmente sódio e potássio; inibição da fosfodiesterase (PDE), possibilitando um aumento na concentração de adenosina monofosfato cíclica (AMPc); efeito direto sobre a regulação metabólica de enzimas semelhantes às fosforilases (PHOS); e aumento na mobilização de cálcio através do retículo sarcoplasmático, o qual contribui para o potencialização da contração muscular (Spriet, 1995).
      A terceira teoria diz respeito ao aumento na oxidação das gorduras e redução na oxidação de carboidratos (CHO). Acredita-se que a cafeína gera um aumento na mobilização dos ácidos graxos livres dos tecidos e/ou nos estoques intramusculares, aumentando a oxidação da gordura muscular e reduzindo a oxidação de CHO (Sinclair, et al 2000).
      Muitos estudos sugerem que a cafeína é um poderoso agente modulador do desempenho atlético, que pode ser adaptável aos diferentes tipos de estímulos envolvidos nos mais diversos tipos de exercícios. Atualmente, pesquisadores têm nos demonstrado que a ingestão de 3 a 6 mg de cafeína por kg (massa corporal), melhora a performance em atletas, sem que sejam detectados casos positivos no exame antidoping.
      Pesquisas recentes têm apontado um aumento da força muscular acompanhado de uma maior resistência à instalação do processo de fadiga muscular após a ingestão de cafeína. Ainda não está totalmente esclarecido qual o mecanismo de ação responsável pelo aumento da força muscular; todavia, acredita-se que isso ocorra em maior intensidade muito mais pela ação direta da cafeína no SNC do que pela sua ação em nível periférico (Kalmar & Cafarelli, 1999).
      Isto sugere que a cafeína exerce um efeito ergogênico direto e específico sobre o músculo esquelético durante a estimulação repetitiva de baixa frequência. A cafeína poderia também influenciar a sensibilidade das miofibrilas ao Ca++ (McArdle & Katch, 2002).
      Em relação aos exercícios de intensidades máximas e extenuantes de curta duração, boa parte dos estudos demonstra que a ingestão de cafeína pode melhorar significativamente o desempenho e a performance nas práticas de até 5 minutos.
      O mesmo não se pode dizer com relação a tais exercícios quando precedidos por exercícios submáximos prolongados, quando o desempenho físico parece não sofrer qualquer alteração (Spriet, 1995).
      Nos exercícios físicos prolongados, alguns estudos apontam que o uso da cafeína otimiza funcionamento do metabolismo energético durante o esforço o que, por conseqüência, contribui para a melhora da performance.
      Entretanto, uma explicação precisa para o efeito de aprimoramento do exercício por parte da cafeína continua sendo enganosa. Com toda probabilidade, o efeito ergogênico da cafeína (e de outros componentes correlatos tipo metilxantina) no exercício de endurance de alta intensidade resulta da utilização facilitada da gordura como combustível para o exercício.
      Além disso, o suposto efeito diurético provocado pelo uso dessa substância, acarretando aumento no volume de urina, e portanto uma maior perda hídrica durante o esforço, não tem sido confirmado na prática. Segundo Wemple et al (1994) o comprometimento do estado de hidratação corporal parece estar relacionado somente ao emprego de mega-doses desta substância.
      Concluindo
      Grande parte dos estudos que envolvem a utilização de cafeína, associada ao exercício físico, sugerem resultados que apontam esta substância como um poderoso estimulante para o trabalho físico. Atletas que comumente realizam atividades que envolvem resistência, força e trabalho muscular em intensidades máximas, podem, de alguma forma, se beneficiar da ingestão de cafeína. Contudo, vale a pena citar que alguns fatores, como a dosagem, o estado nutricional, e a sensibilidade do organismo às metilxantinas, podem afetar significativamente os resultados.
      Referencial
      - Cohen , B.S., et al. Effects of caffeine ingestion on endurance racing in heat and humidity. European Journal Appl. Physiology. 73:358, 1996
      - McArdle W. Katch F. Katch V. Fundamentos de Fisiologia do Exercício. Guanabara Koogan. Rio de Janeiro, 2002
      - Conlee, R.K. Amphetamine, caffeine and cocaine. Em: D.R. Lamb, M.H. Williams. Ergogenics: Enhancement of Performance in Exercise and Sport. New York, Benchmark Press, 1991 p. 285-310
      - Spriet, L.L. Caffeine and performance. International Journal of Sports Nutrition. 5:84-99, 1995
      - Sinclair, C.J.D. & Geiger, J.D. Caffeine use in sport: a pharmacological review. J. Sports Med. Phys. Fitness, 40: 71-79, 2000
      - Kalmar, J.M. & Cafarelli, E. Effects of caffeine on neuromuscular function. J. Appl. Physiol., 87: 801- 808, 1999
      - Wemple, R.D.; Lamb, D.R.; Bronstein, A.C. Caffeine ingested in a fluid replacement beverage during prolonged exercise does not cause diuresis. Medical Science of. Sports Exercise, 26: S204, 1994
    • By Diogo Viana
      estava pesquizando no forum... e todos dizem q o malto sempre eh tomado nos pos-treinos

      eu tomo quando to malhando... a cada série tomo um gole... e sempre q eu tomo me da disposiçao pra colocar + peso

      fasso errado?

      e me dizem.... o melhor malto na opiniao de vcs

      o/
    • By nero84
      Galera, agora eles estão querendo liberar a creatina e cafeína, mas estão queredo proibir os aminoácidos de cadeia ramificada.... minha nossa...e como fica as Wheys que contem eles? Ou será que será apenas os que vendem individualmente?....
      Ps: Liberar parcialmente na verdade, eles querem que o consumo seja acompanhado por um medico ou nutricionista..quem importa vai ter que apresentar receita do mesmo jeito, parece...rsrs
      Link: http://portal.anvisa.gov.br
      um abraço a todos
    • By Davizir Cutler
      O ciclo ficara assim:
      1-6 H STANE = HALOVAR 1-4 EFEDRA 30 - 45 MG + 210 MG DE CAFEINA A CADA FRANOL 6-9 CLEMB 1 - 5 MLS + CETOTIFENO + CAFEINA 6-10 STANO ORAL 60 mg tsd tpc
      1-2 40mg tamox 2-4 20mg tamox shotgun mfr-1
      creatina
      dieta 4g proteina/kg / carbos de 2 a 2,5 g de carbos/kg / gorduras moderadas de 1 a 0,5g /kg
      Bem essa é a ideia ja que venho a 4 meses de cutt mt restrito perdi 17 kilos, e pretendo inicar esse visando maior qualidade muscular, perca de bf e se possivel ganhar o maximo de massa magra junto.
      Será que funciona?

×
×
  • Create New...