Jump to content
Samuel Moura Rosa
Samuel Moura Rosa

Creatina pré ou pós-treino?

Apesar de décadas de utilização, de experimentos práticos e de estudos à respeito, muitos desacordos ainda são encontrados por quem estuda, prescreve, indica, vende ou utiliza este conhecido suplemento ergogênico.

Utilizada na maioria das vezes na busca pelo melhor rendimento possível, principalmente no que diz respeito à força e hipertrofia muscular, a Creatina é popularmente conhecida pela grande utilização dos praticantes de musculação.

Este suplemento tem ótima aceitação pelo custo benefício que apresenta, pelos resultados notáveis à curto prazo, pelas pesquisas positivas em relação à sua utilização, e principalmente, por estar acessível ao público consumidor, seja ele de nível avançado, competitivo ou iniciante na prática dos exercícios físicos.

Ao mesmo tempo, apresenta um fator de desconfiança em relação à seus prováveis benefícios, à seus possíveis efeitos prejudiciais, e à sua procedência e pureza. Sujeitos julgados cultos e bem informados, principalmente aqueles envolvidos com estudos e cursos da área da saúde, e pessoas com visão crítica, ou com menor nível de informação, que formam sua opinião através de fóruns, artigos e relatos mal esclarecidos, defendem uma linha de pensamento negativa em relação a este suplemento.

Primeiramente, devido a seu suposto efeito prejudicial à função renal, com sobrecarga deste órgão, com a ingestão acima dos níveis recomendados e aceitáveis. Posteriormente, por sua possível ação benéfica tratar-se de um efeito placebo, onde seus usuários percebem as melhoras devido à crença de que estando utilizando aquele produto, estará se beneficiando, percebendo então melhoras não comprovadas, ou então, por melhorarem sua performance, mas por outros fatores intervenientes, atribuindo então à Creatina.

E por último, por tratar-se de um suplemento atualmente não autorizado para venda em nosso país, o que acaba por colocar a nosso alcance, produtos mal elaborados, ou com composição duvidosa, sendo portanto de origem desconhecida, o que colocaria em dúvida sua ação potencializadora, a qual se propõe a verdadeira composição do produto.

A Creatina atualmente - como todas as outras categorias de suplementos - é vendida acrescida de denominações diferenciadas, como Monohidratada, Micronizada, Ethil ester, Glicerol ester. Criada por Ed Byrd, tendo atualmente sua venda proibida no Brasil, a Creatina tem como função primária, potencializar as reservas de ATP-CP (tri fosfato de adenosina, na forma de fosfocreatina) das fibras musculares de contração rápida.

O ATP-CP é a fonte energética mais rápida para utilização, em esforços de maior intensidade, e de curta duração de tempo, como as séries de musculação que realizamos no treino de ganho de força e de massa muscular. Com este embasamento básico, a suplementação com Creatina teria a função de melhorar o rendimento no treinamento, aumentar o nível de força – tanto para a sessão quanto á médio prazo – e como conseqüência, potencializar a hipertrofia muscular.

Outro benefício notável à curto prazo, atribuído a Creatina, diz respeito à retenção hídrica que esta ocasiona. Segundo estudos fisiológicos, esta retenção não está totalmente relacionada a construção miofibrilar, mas representa na prática perimetrias maiores, o que aparenta externamente, ser hipertrofia muscular.

Mas a situação que ocasiona maiores dúvidas está em relação à sua administração como suplemento, sendo que a quantidade por peso corporal, e o melhor horário para suplementar são as questões mais evidentes. Utilizar antes ou após o treino sempre foi minha maior questão, devido à diferentes sugestões de profissionais, utilização de atletas, utilização pessoal, informativos, discussões e estudos relacionados.

Definitivamente, esta indefinição só encontra solução quando esclarecemos nossos objetivos em relação ao treinamento. Quando estamos cientes que procuramos no treinamento à verdadeira construção muscular, a médio e longo prazo, sem atropelar fases de treinamento nem preocupar-se somente com este próximo verão que está sempre por chegar, aliando sempre à uma dieta coerente e à treinamento específico, a utilização da Creatina pré treino é bem mais vantajosa.

Por aumentar às reservas de ATP-CP, seu treino deverá apresentar um rendimento diferenciado, com maior resistência à fadiga para séries tensionais, assim como percepção de maior recuperação entre as séries, resultando em maior aplicação de força. Como isso, o nível de força apresentará como adaptação natural, um aumento significativo, trazendo como conseqüência, a adaptação das miofibrilas, acarretando aumento da massa muscular magra.

Mas quando objetivamos os resultados à curto prazo, o aumento notável de volume corporal em circunferências, sem a preocupação apenas na construção de massa muscular verdadeira, a administração de Creatina imediatamente pós treino aproveitará uma vantagem fisiológica preciosa.

Pós treinamento intenso, principalmente com aplicação de sobrecargas metabólicas - onde a fonte energética anaeróbica glicolítica é a mais utilizada, e o substrato energético mais depledado é o glicogênio muscular - a liberação de hormônios anabólicos recuperativos se encarregará da absorção desta Creatina exógena, assim como de outros macronutrientes. A resíntese do glicogênio muscular carrega para dentro da célula em torno de 3 gramas de água por grama de glicogênio, sendo esta água portanto, a responsável pela retenção hídrica muscular, que representa aquele volume muscular desejável à curto prazo.

Como a necessidade energética de recuperação após treino é a maior possível, os estoques de fosfocreatina e de glicogênio muscular são prioridades recuperativas neste momento, sendo portanto, os destinos dos nutrientes ingeridos nesta situação.

As respostas metabólicas também relacionam-se com a sobrecarga imposta a cada treino, sendo que as sobrecargas Tensionais relacionam-se melhor com a utilização da Creatina pré treino, e as sobrecargas Metabólicas melhor combinam com a utilização pós treino.

Portanto, a definição de qual melhor situação para tomar passa pela sua personalidade em relação ao treinamento e perspectivas com este suplemento. Se você procura a academia em Novembro, pretende “malhar” até o verão e parar, quer milagres e resultados pra ontem, não é adepto à dieta, talvez perceba um melhor rendimento com a utilização da Creatina pós treino, mas melhor seria você aguardar o próximo ano para começar e encarar o ano todo.

Mas se você já faz musculação por um longo período, encara o treina seriamente, assim como a dieta e o descanso, e tem a cabeça centrada na construção de massa muscular, a Creatina irá lhe beneficiar verdadeiramente e de forma consciente se administrada de 20 a 30 minutos pré treino.

Poderá também dividir a dosagem para os dois períodos, aproveitando as duas vantagens desta suplementação, mas sempre levando em consideração à quantidade indicada por dia, referente ao peso corporal, o que provavelmente não ultrapassa 6 gramas diárias.



User Feedback

Recommended Comments

Venda da creatina proibida no Brasil? Proibiram novamente, sério? Ou.. esse artigo é mesmo recente? Por favor, atestem as afirmações.

Share this comment


Link to comment
Share on other sites

PELO AMOR DE DEUS, ATUALIZA ESSE POST, CREATINA ESTA LIBERADA AQUI NO BRASIL

Share this comment


Link to comment
Share on other sites

legal!

apenas gostaria de saber se com qqr tipo de creatina, posso usá-la tanto no pré, como no pós, com as doses-padrão de 5 grs em cada (total de 10 grs/treino), o que seria nocivo ou não tem problema? existe tb alguma relação na intensidade dos exercícios (malhar mais pesado) fazendo-se uso de creatina como mencionei acima, ou não tem nada a ver: consome-se mais, acrescenta-se mais peso...

e nos dias sem treino? usa-se, qdo e qto ou necas???

 

agradecido

Share this comment


Link to comment
Share on other sites

De acordo com a minha visao tanto faz tomar antes ou depois do treino pois a creatina para ter o "efeito" ela precisa estar com o estoque maximo no corpo sendo que vc tomar antes ou depois nao influencia muito esse "estoque" e nao sei se estou errado mas tb acho q com o pico de insulina no pos treino a creatina seria melhor absorvida pelo corpo

Share this comment


Link to comment
Share on other sites
Em 08/12/2013 em 03:51, Visitante Wilian disse:

De acordo com a minha visao tanto faz tomar antes ou depois do treino pois a creatina para ter o "efeito" ela precisa estar com o estoque maximo no corpo sendo que vc tomar antes ou depois nao influencia muito esse "estoque" e nao sei se estou errado mas tb acho q com o pico de insulina no pos treino a creatina seria melhor absorvida pelo corpo

É verdade, muitos recomendam a ingestão no pós-treino, juntamente com um shake de proteínas e carboidratos:

 

Share this comment


Link to comment
Share on other sites


Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Add a comment...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By Maurício Villarinho 😎✌️
      Gostaria de saber dos nobres foristas, quais opções de pré treino pra quem treina de manhã. Ciclo+treino intenso. Sobre treino em jejum, vocês acham contra produtivo ou existe protocolo que apoie essa técnica?
      grato desde já.
      @mvill_fit
    • By danidinizsb
      Foi publicado, no dia 27/07, o novo marco regulatório dos suplementos alimentares. As novas regras vão melhorar o acesso dos consumidores brasileiros a produtos seguros e de qualidade.  Outro impacto esperado é a redução do desnível de informações observado nesse mercado, especialmente na veiculação de alegações sem comprovação científica.
      A modernização da regulamentação também vai diminuir os obstáculos para comercialização e inovação desse setor, além de melhorar o controle sanitário e a gestão do risco desses produtos.
      Algumas marcas estão aproveitando a mudança, para lançar novos produtos ou maiores concentrações, como o caso da NewNutrition marca nacional. Em conversa com o comercial da empresa, me apontaram os seguintes lançamentos e reformulações:
      Vitamina D passou de 200 ui para 2000 ui, sem quase nenhuma alteração no valor final.
      Vão lançar também a Vitamina C que antes da nova legislação era 45mg (100%) e agora vai passar a ser 1000mg.
      Outro possível lançamento é a Arginina, que é um excelente aminoácido, muito usado em pré-treinos e tem uma boa ação vaso dilatadora.
      Confira as principais mudanças
      Se for para pessoa saudável, é suplemento
      Todos os produtos apresentados em formas farmacêuticas e destinados a suplementar a alimentação de pessoas saudáveis com nutrientes, substâncias bioativas, enzimas ou probióticos deverão ser enquadrados como suplementos alimentares e atender regras específicas de composição e de rotulagem.
      Lista define o que pode
      Foram criadas listas positivas que contemplam 383 ingredientes fontes de nutrientes, substâncias bioativas ou enzimas, 249 aditivos alimentares e 70 coadjuvantes de tecnologia autorizados como suplementos. Além disso, a Diretoria Colegiada estabeleceu que essas listas serão atualizadas de forma periódica, desde que sejam demonstradas a segurança e a eficácia dos constituintes.
      Limites mínimos e máximos
      Também foram adotados limites mínimos e máximos para as quantidades de nutrientes, substâncias bioativas e enzimas para diferentes grupos populacionais, de forma a garantir que os suplementos forneçam quantidades significativas de constituintes sem oferecer risco à saúde dos consumidores.
      Alegação de benefícios
      Os benefícios à saúde que podem ser veiculados na rotulagem desses produtos foram definidos em lista positiva, também sujeita à atualização periódica. Foram autorizadas 189 alegações.
      Os produtos que já se encontram no mercado terão o prazo de cinco anos para se adequarem às novas regras, tendo em vista que se trata de produtos seguros e já autorizados pela Agência. Os novos produtos devem se adequar imediatamente.
      O novo marco legal para suplementos alimentares é formado por seis normas. Conheça.
      Normas
      Ementas
      Resolução RDC 239/2018
      Estabelece os aditivos alimentares e coadjuvantes de tecnologia autorizados para uso em suplementos alimentares.
      Resolução RDC 240/2018
      Categorias de alimentos e embalagens isentos e com obrigatoriedade de registro sanitário.
      Altera a Resolução - RDC nº 27, de 6 de agosto de 2010.
      Resolução RDC 241/2018
      Dispõe sobre os requisitos para comprovação da segurança e dos benefícios à saúde dos probióticos para uso em alimentos.
      Resolução RDC 242/2018
      Regulamenta o registro de vitaminas, minerais, aminoácidos e proteínas de uso oral, classificados como medicamentos específicos.
      Altera a Resolução - RDC  24, de 14 de junho de 2011, a Resolução - RDC  107, de 5 de setembro de 2016, a Instrução Normativa - IN  11, de 29 de setembro de 2016 e a Resolução - RDC  71, de 22 de dezembro de 2009.
      Resolução RDC 243/2018
      Dispõe sobre os requisitos sanitários dos suplementos alimentares.
      Instrução Normativa 28/2018
      Estabelece as listas de constituintes, de limites de uso, de alegações e de rotulagem complementar dos suplementos alimentares.
      O próximo passo é a adoção de medidas para auxiliar na implementação dos novos regulamentos, como a elaboração de documentos de orientação e a realização de ações de capacitação do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária.
       
       
       
    • By JustRelax
      Alguém ai ja usou algo da vulgo?
      Tava interessado na vulgo (preços) porém vi um monte de marmelada sobre a empresa.
      Vi vários caras no hipertrofia mostrando que a creapure não tinha laços com eles.
      Mandei um email pra creapure e disseram o mesmo.
      Mas nesse mesmo fórum um cara postou a resposta da vulgo, que disse que é por que a creapure só vende por contêiner, por isso eles compram de revendedores. Assim fica bem estranho, como o preço pode ser muito barato mesmo sendo de revendedores?
      Fiz umas perguntas pra vulgo, vou ver se me respondem, dai posto aqui.
      Tava indo comprar taurina, cafeina, creatina e BCAA.
      Estes por que teoricamente dão resultados perceptíveis. A taurina tem gosto levemente adocicado e um pouco acido, e uma textura semelhante a açúcar refinada. Bcaa deve ter um gosto ruim não é? Alem disso tive alguns problemas com serotonina ALTA, por isso imagino que vai fazer uma diferença perceptível
    • By Ricardo008
      Tenho 16 anos,  1,78 de altura , peso 73,500 , faz 3 meses que treino queria saber se posso tomar creatina ?? Sou negro sempre ouvi dizer q Negro tem uma genética boa 
    • By Gabrielcaimbro
      Pessoal, boa tarde! 
      Estou na duvida sobre qual creatina comprar:
      Creatina Universal 200g - R$60,00 - (Um amigo meu esta voltando da gringa, então tenho certeza que o produto será original) 
      Creatina NewwwNutrition 1kg - R$90,00 (A fabrica fica na minha região então eu não teria custos com o frete,  eles possuem laudos, e a marca é apoiada pelo Mestre Sardinha) 
      Sei que a da Universal possui o selo Creapure, mas isso realmente faz diferença? 
      A diferença de preço é gritante. Atualmente, estou tomando 6g/dia da creatina da Growth, porém não está compensando pra mim pois o frete para minha cidade sai muito caro. 
      Entre as duas que citei, qual devo escolher? 
       
×
×
  • Create New...