Afinal de contas, existe anabolizante esteroide para definir?

Madilson Medeiros
  • , 4.543 visualizações
Gostou? Compartilhe!

O mundo da utilização de ergogênicos voltados para o aumento do rendimento esportivo, especialmente no fisiculturismo, é repleto de mitos e mistérios. Hoje é de conhecimento público que (a época da ingenuidade já acabou) estas substâncias são largamente utilizadas como meio de melhora da performance pelos atletas profissionais – prática essa que logo se espalhou pelos praticantes amadores e recreacionais.

Podemos afirmar com propriedade que este tipo de utilização é lugar-comum na maioria dos esportes, porém muito mais flagrante e evidente nas modalidades onde ocorrem mudanças na composição corporal, como é o caso do nosso Bodybuilding, atletismo e da natação (?!?!?) – desculpem, foi inevitável não lembrar da Gusmão (Rebeca) – que, inclusive agora treina powerlifting. Nada mais justo!

De um modo geral, o uso destes recursos reserva conhecimentos apurados em bioquímica, metabolismo e bioenergética – muitas vezes inacessíveis para a maioria da população. Empirismo e método de “tentativa e erro” tem sido empregados pelos que se aventuram nesse campo sem a devida bagagem teórica. Em face desta situação, vários tipos de visões equivocadas costumam surgir. Mitos são criados; falsas idéias e conceitos errôneos aparecem.

Em relação ao uso de anabolizantes esteroides, há uma série destas lendas. Uma delas é a de que existem drogas que são próprias para definição e outras específicas para volume muscular. Você, a esta altura, deve estar pensando: “Mas isso realmente acontece! Ou não?” A resposta é: SIM, isto de fato ocorre, porém o erro reside em dizer que exista um esteroide anabólico exclusivamente formulado para “definir”, enquanto outro foi criado apenas para incrementar a musculatura. Na verdade, as coisas não funcionam assim e é sobre isto que discutiremos a seguir.

Há algumas semanas atrás, recebi uma mensagem de e-mail no qual um leitor de meu blog, cheio de dúvidas a respeito de sua preparação, me perguntou se poderia chegar a um bom nível de definição muscular sem o uso do AAE Winstrol (Estanozolol). Muito provavelmente, a dúvida deste leitor representa um dos maiores mitos em relação ao estanozolol.

Este fármaco, notoriamente, tem uma excelente reputação neste quesito, porém há certa confusão em relação aos seus efeitos no que diz respeito à mudança da composição corporal. Muitas pessoas atribuem um físico bem definido e com baixo percentual de gordura ao uso desta substância – “quantas ampolas de Winstrol você tomou para ficar rasgado assim?” – e esta idéia tem sido bastante disseminada pela grande maioria dos usuários deste tipo de recurso.

Por um lado, é uma meia-verdade, já que o estanozolol realmente produz efeitos muito interessantes em relação à definição, porém isto não quer dizer que ela seja necessariamente produto de sua utilização.

Na realidade, os anabólicos esteroides, de um modo geral, não visam proporcionar máxima definição! TODOS, SEM EXCEÇÃO, foram desenvolvidos para favorecer o anabolismo através do aumento da síntese protéica. Alguns tipos, como a oximetolona, foram desenvolvidos não somente com este propósito, mas também aumentar a produção de hemácias nos quadros de anemia, por exemplo.

Seu uso terapêutico se destina a vários estados de convalescença, como os observados nos traumas pós-operatórios, nos tratamentos de AIDS, leucemia, caquexias, queimaduras graves e extensas, hipogonadismos, castrações etc. Paralelamente, estas drogas influem também no metabolismo das gorduras, facilitando a lipólise (queima), especialmente pela diminuição da secreção insulínica, aumento da receptividade dos tecidos à glicose e diminuição da expressão de uma enzima denominada Lipoproteína Lipase (LLP).

A grande diferença entre esses compostos é que alguns (todos são derivados do hormônio testosterona) tem uma probabilidade menor de conversão em ESTROGÊNIO. Portanto, os mais androgênicos (ésteres de testosterona, metandrostenolona, metandriol etc.) são mais passivos de causar retenção hídrica e aumento de gordura de padrão ginóide, enquanto com outros (conhecidos como anabólicos) não acontece o mesmo. Por quê?

Ora, eles convertem mais facilmente em estrogênio – hormônio feminino – e este é que causa aumento de água e gordura subcutâneas, prejudicando a definição. Existem diversas enzimas que mediam outros tipos de conversão, porém algumas reações são mais fáceis de acontecer, enquanto outras são mais difíceis e outras até irreversíveis.

Por exemplo, a conversão que leva testosterona até a formação de 5α ou 5β DHT (metabólito responsável por vários efeitos colaterais adversos), pode levar à formação de 5α ou 5β androstanadiol, que por sua vez, pode formar androsterona ou etiocolanona (duas substâncias muito utilizadas em fórmulas de pró-hormonais).

Este é uma via enzimática de mão única, ou seja, irreversível. Como a testosterona pode formar DHT ou estradiol (também uma via irreversível), estas reações não se desfazem. É por essa razão que o estanozolol dificilmente levará a conversão em estradiol, pois é derivado do DHT e não apresenta possibilidade de retornar à sua forma original - a testosterona, esta sim, passiva formar estradiol.

Testosterona em si não causa aumento de gordura corporal e retenção hídrica (pelo menos, não diretamente), quem provoca isso são os estrógenos produzidos pelo excesso deste hormônio. Por esta razão é que culturistas utilizam inibidores e bloqueadores de aromatase (enzima responsável pela conversão de testosterona em estradiol).

Graças a essa confusão, muitos praticantes acham que o estanozolol e outros fármacos semelhantes (drostanolona, metenolona, boldenona, trembolona etc.) irão definir seu físico facilmente. Imaginemos um gordinho que utilize uma destas substâncias e continue com a ingestão calórica alta, comendo à vontade... Certamente se tornará um gordinho com um pouco a mais de músculos, porém ainda gordinho.

Então, por qual razão é consenso utilizar este tipo de anabólicos em fase de definição muscular? A resposta é muito simples, inclusive é uma repetição do que já mencionamos acima. Estas drogas tendem a reter menos líquido e são propícias para esta fase.

Mas lembre-se, isso não é regra geral. Existem alguns culturistas que utilizam drogas altamente androgênicas mesmo em períodos de preparação. A diferença é que ter de se lançar mão de mais recursos a fim de evitar retenção hídrica do que em uso de drogas menos androgênicas.

Outro ponto importante é o AMBIENTE CALÓRICO em o atleta se encontra. Costumo dizer, nas rodas de conversa com os colegas, que é preferível utilizar substâncias anabólicas em situações de restrição calórica severa, como as que ocorrem em dietas pré-competição. Ocorre que, neste caso, há uma tendência em utilizar músculos como fonte energética – a temida neoglicogênese – e por esta razão o catabolismo é iminente.

Neste contexto, o anabólico entra com a função de preservar (e na melhor das hipóteses, até aumentar) a massa magra obtida a tão duras penas. Não é por acaso que muitos estudiosos atribuem os ganhos proporcionados pelos AAEs muito mais pela sua capacidade anti-catabólica do que propriamente anabólica.

Para se chegar a níveis extremos de definição muscular – e ainda assim, preservar massa magra – é fundamental que exista todo um contexto voltado a este propósito: dieta e treinamento específicos, sob adequadas condições metabólicas.

Entretanto, uma vez que afirmamos que os AAEs não são estritamente responsáveis pela definição muscular, também é importante ressaltar que existem drogas que são, por outro lado, de uso específico para perda de gordura e aumento da definição. Estas drogas, como os AAEs, não foram criadas para este fim, mas proporcionam um real efeito de queima de gordura e (ou) diminuição do percentual hídrico.

É o caso de substâncias como os β-agonistas, hormônios tiroidianos, anfetaminas, diuréticos etc. Evidentemente, esta é uma situação de risco-benefício, considerando os perigos quanto à sua utilização.

De qualquer maneira, a recomendação é que não se faça uso de substâncias ilícitas não simplesmente pelo fato de serem proibidas pela legislação anti-doping. O principal motivo pelo qual é necessário extremo cuidado na manipulação e administração destes recursos consiste na preservação da saúde, já que seu uso é restrito aos portadores de patologias.

Os estudos conduzidos com estas substâncias são empregados no campo terapêutico e sua administração obedece à conduta condizente de cada caso. A utilização para aumento do rendimento atlético ainda é obscura, embora saibamos que existem, ao redor do mundo, experts que dominam o assunto. Fora deste cenário, pode-se dizer que o conhecimento necessário para lidar com tais recursos é totalmente underground.

Embora o uso de AAEs e outras substâncias otimizadoras do desempenho seja arriscado para a saúde, não podemos tapar o sol com uma peneira e simplesmente fingir que tal prática não aconteça. Seria extremamente leviano de nossa parte. Tampouco devemos fazer apologia ao uso destes recursos.

Todavia, ao nos omitirmos quanto a divulgação de informação séria e verdadeira, teremos alguma responsabilidade quanto aos absurdos que usualmente acontecem. Neste caso, informar é melhor que proibir.

Gostou? Compartilhe!

Comentários


Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora

  • Conteúdo Similar

    • Por adrianinha123
      Fala galera tudo joia?
      entao, terminei meu ciclo de oxan a aproximadamente 1 semana, e iniciei uma tpc que durará 30 dias. O ciclo durou 2 meses, mas eu ja estava sem ingerir bebida alcoolica um tempo antes, entao, fazem 3 meses e meio que eu nao coloco uma gota de alcool na boca.
      porem, meu aniversario é na semana q vem e eu ainda vou estar na tpc. Queria saber se posso ingerir alcool, pq apesar de eu estar a esse tempao sem beber e inclusive, pretendo continuar assim pra otimizar meus ganhos, nessa data especial eu queria tomar uma com os amigos rsrsrs
       
    • Por oldboy1
      Galera, tô afim de fazer um ciclo, que seja de GH ou algo que me ajuda a secar sem perder o pouco de massa que já ganhei.
      Eu sempre levei o treino a sério, treinei por um bom tempo, tava conseguindo resultados bacanas, apesar de sutis. 
      Mas devido a problemas sérios na minha vida, perdi o rumo e com o tempo fui deixando a unica coisa que me fazia bem de lado.. Enfim, voltei faz alguns meses, mas estou gordo. Já montei um plano de treino até que bom, com os aeróbico incluso, ainda estou me adaptando com a parte aeróbica..
      Quero agilizar, quero poder tirar essa carapaça de gordura de mim o mais rápido possível pra poder focar nos ganhos.
      E o problema é que nunca ciclei, queria saber como fazer um funcional, que não me acarretasse problemas futuros. Se puderem me ajudar a montar um ciclo foda e uma boa TPC também.. Eu ficaria agradecido de verdade.
      (consigo manter dieta, e treino pesado. Execução do plano não é um problema) (dinheiro para ciclo e TPC também não é problema).
      Esse tópico é mais para ter uma uma boa ideia inicial, penso em gh, oxandrolona. Mas tenho pouca noção sobre quantidades, rotina de aplicação e TPC.
      Valeu! 
    • Por oldboy1
      Galera, tô afim de fazer um ciclo, que seja de GH ou algo que me ajuda a secar sem perder o pouco de massa que já ganhei.
      Eu sempre levei o treino a sério, treinei por um bom tempo, tava conseguindo resultados bacanas, apesar de sutis. 
      Mas devido a problemas sérios na minha vida, perdi o rumo e com o tempo fui deixando a unica coisa que me fazia bem de lado.. Enfim, voltei faz alguns meses, mas estou gordo. Já montei um plano de treino até que bom, com os aeróbico incluso, ainda estou me adaptando com a parte aeróbica..
      Quero agilizar, quero poder tirar essa carapaça de gordura de mim o mais rápido possível pra poder focar nos ganhos.
      E o problema é que nunca ciclei, queria saber como fazer um funcional, que não me acarretasse problemas futuros. Se puderem me ajudar a montar um ciclo foda e uma boa TPC também.. Eu ficaria agradecido de verdade.
      (consigo manter dieta, e treino pesado. Execução do plano não é um problema) (dinheiro para ciclo e TPC também não é problema).
      Valeu!
    • Por Balboa
      EAE !! sou Arthur tenho 18 anos. Treino faz um ano e meio já , tenho 175 e 75 kg Galera vou entrar no mundo dos aes, mas só depois de saber bem sobre isso.
      Gostaria de saber o que posso usar no primeiro ciclo e se posso misturar, ouvi falar bem sobre ciclo de enantato de testosterona e stanozolol, mas não sei o que usar como tpc ou se DEVO fazer a tpc.
      Relatei também que pessoas mantem doses bem baixas durante o ano para o cruise , queria saber como funciona este sistema e de quanto estamos falando (dosagem) e por quanto tempo e o que fazer no final.
      outro fator importante é sobre o uso dos "bloqueadores" de colaterais , gostaria de saber o que poderia usar para o ciclo que me recomendarem..
      VALEU, AGUARDO RESPOSTAS !
  • Matérias Recentes