Ir para conteúdo
Ricardo Fonseca
Ricardo Fonseca

Suplementos para curar a depressão (SAMe)

A depressão é associada a sintomas emocionais ou psicológicos com pensamentos negativos que geram infelicidade, podendo ser acompanhada de dor e ainda sintomas físicos que influenciam a vida das pessoas em diferentes aspectos.

A causa da doença está ligada também a outros fatores de origem não psicológica, como por exemplo, vários fenômenos metabólicos , como a inflamação , resistência à insulina , estresse oxidativo, disfunção mitocondrial e principalmente hormonal. O papel dos hormônios na depressão é considerável, incluindo os hormônios do estresse ( glicocorticóides ) e hormônios sexuais ( testosterona, estrogênio). Muitas pessoas que sofrem de depressão podem estar com desequilíbrios hormonais que contribuem significativamente para o aparecimento dos sintomas de infelicidade( Howland 2010).

O tratamento médico convencional, infelizmente, obtém uma taxa de sucesso de apenas 50% ou menos, com medicamentos que são repletos de efeitos colaterais ( Prescrire Int . De 2011). Por esse motivo, esse artigo tem como intuito substituir ou complementar o uso do medicamento tradicional para depressão, pelo uso de suplementos que não apresentam efeitos colaterais pronunciáveis. No mínimo podemos sugerir uma estratégia abrangente que inclui mudanças proativas no estilo de vida: terapia , reposição hormonal , suplementação e suporte nutricional direcionado para complementar o tratamento tradicional com antidepressivos e assim gerar um equilíbrio na química cerebral.

A depressão não pode ser diagnosticada com exames de sangue, como é feito em outros tipos de doenças, por isso, são usadas diretrizes clínicas cuidadosamente desenvolvidas , conforme definidas no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM). É preciso consultar um médico para saber qual o enquadramento da doença e minuciosamente fazer um programa de suplementação.

Podemos no mínimo nos informar sobre alguns pontos:

O primeiro ponto a ser analisado antes de se pensar em um programa de suplementação é a dieta. Evidências sugerem que a dieta mediterrânea é adequada pela característica anti- inflamatória que possui, podendo ajudar a prevenir ou controlar a depressão ( Sanchez- Villegas , 2006). Essa dieta é rica em ômega -3 e antioxidantes polifenólicos, podendo servir de base para quem visa otimizar as atividades cerebrais e das glândulas no combate a depressão.

A dieta inclui geralmente boas quantidades de peixe , legumes, grãos não refinados , feijão ou legumes , frutas e azeite de oliva. Limita-se carnes e derivados do leite para pequenas porções somente um dia na semana.

O segundo ponto é analisar o balanço hormonal. Por exemplo, a manutenção do TSH (hormônio estimulante da tireóide) entre 1 - 2 μIU / mL (taxa padrão de laboratório 0,45-4,5 μIU / mL) para evitar as conseqüências da disfunção tireoidiana subclínica, que podem incluir a depressão. Estudos também indicam que alguns homens deprimidos têm níveis baixos de testosterona (Barrett-Connor 1999; Schweiger, 1999).

Vários estudos clínicos têm demonstrado que a terapia de reposição de testosterona em gel pode aliviar a depressão em homens com baixos níveis de testosterona, síndrome metabólica, e HIV / AIDS (Giltay 2010; Shores 2009; Zarrouf 2009; Papa, 2003). Outro hormônio que pode auxiliar é a melatonina, um hormônio produzido na glândula pineal, no cérebro, que está envolvido na função de sono-vigília e outros ritmos circadianos.

A melatonina diminui com a idade e alguns estudos ligam os baixos níveis de melatonina com sintomas de depressão. É um excelente substituto de remédios para dormir.

O terceiro e último ponto é utilizar suplementos que podem ativar a produção de hormônios, e outros nutrientes que tem efeito anti-depressivos e calmantes.

A depressão é uma condição multifatorial e um alívio eficiente requer muitas vezes uma abordagem diferente para consertar desequilíbrios neuroquímicos e metabólicos que podem estar subjacentes ao distúrbio do humor.

Um suplemento importante que pode ajudar muito é o SAMe (S-adenosill-metionina), um aminoácido derivativo normalmente sintetizado pelo corpo. O SAMe é utilizada pelo corpo em três importantes caminhos:

  • Metilação (contribuição de grupos de metila para ativação de determinadas moléculas)
  • Síntese de poliamidas (para crescimento celular, expressão de genes, regeneração neuronal, etc.)
  • Trans-sulfuração (síntese de cisteína, glutationa e outros sulfatos químicos)

O SAMe ocorre naturalmente no corpo e está concentrado no fígado e no cérebro, sendo uma das grandes doadoras de metila na síntese de hormônios, ácidos nucleicos, proteínas, e fosfolipídios, catecolaminas e outros neurotransmissores, como a dopamina e a serotonina.

Ele é necessário para a síntese de norepinefrina, dopamina e serotonina, também desempenhando um papel em outras rotas metabólicas intracelulares. É um facilitador do uso de glutationa e estabilizador dos níveis de acetilcolina, que ajudam a melhorar ou manter a função cognitiva e atenuar ou prevenir o envelhecimento e a neurodegeneração. Esse suplemento também auxilia na produção de creatina, glutationa, taurina, L-carnitina, e melatonina.

Segue uma lista de suplementos e dosagens com o intuito de auxiliar nos problemas de depressão. Os nutrientes listados abaixo são classificados de acordo com seus mecanismos de ação no cérebro e regulação da saúde e do humor.

Muitas dessas sugestões podem servir como adjuvantes em terapias convencionais para a depressão, mesmo assim, sempre consulte um profissional de saúde qualificado antes de combinar algum suplemento com uma medicação antidepressiva:

Efeitos no sistema nervoso

  • Óleo de peixe (com polifenóis de oliveira ) : 1400 mg de EPA e DHA 1000 mg por dia
  • Magnésio L – treonato(Threonate) : 2000 mg por dia

Síntese de neurotransmissores

  • 5 - hydroxytryptophan ( 5 - HTP ): 50 - 200 mg diários
  • L-Theanine: 100 - 400 mg por dia
  • L-Arginina: 800 - 2400 mg por dia
  • GABA: 700 - 2100 mg por dia
  • N-acetilcisteína: 600 - 1800 mg por dia

Reações de metilação

  • S- adenosilmetionina (SAME) : 400-1200 mg por dia
  • L- methylfolate : 1000 mcg diária
  • A vitamina B12 ( como metilcobalamina ) : 1.000-8.000 mcg diária
  • Vitamina B6 ( como piridoxal 5 - fosfato ) : 100 mg diários

Regulação de glicose

  • Cromo: 500 mcg por dia
  • Green Coffee Bean ( padronizado 50% para ácido clorogênico ): 400 mg antes de cada refeição , até três vezes ao dia.

Efeitos antioxidantes

  • N - acetil - cisteína : 600 - 1200 mg por dia
  • R- lipóico : 300-600 mg por dia
  • Vitamina C : 1000 - 2000 mg por dia
  • A vitamina E ( tocoferol como mistura de alta gama) : 350 mg diários
  • Selênio ( como Se- methylselenocysteine ): 200 mcg por dia

Suporte a saúde mitocondrial

  • Coenzima Q10 ( como ubiquinol ) : 100 - 200 mg por dia
  • Quinina pirroloquinolina ( PQQ ) : 10 - 20 mg por dia
  • Acetil - L - carnitina : 1000 - 2000 mg por dia

Restauração Hormonal

  • DHEA: 15 - 50 mg por dia para mulheres ou 25-75 mg por dia para os homens

As irregularidades dos hormônios da tiróide podem contribuir para a depressão. Portanto, aqueles com disfunção da tireóide ou TSH acima de 2 μIU podem utilizar L-tirosina: 500 - 1000 mg por dia e L-fenilalanina: 500 - 1500 mg por dia.

Diversos mecanismos de alívio:

  • Vitamina D: 5000 - 8000 UI por dia ( dependendo dos resultados das análises ao sangue )
  • Zinco : 30 mg diariamente
  • Inositol : 2000 - de 10 000 mg por dia
  • multivitamínico
  • Ashwagandha; extrato padronizado: 125-250 mg por dia

Ervas anti-ansiedade

  • Erva de São João ; extrato padronizado: 300-600 mg por dia
  • Ginkgo biloba, extrato padronizado: 120 - 240 mg por dia
  • Valerian; extrato padronizado: 600 - 1200 mg por dia
  • Erva-cidreira, extrato padronizado: 300-600 mg por dia

Os seguintes exames de sangue podem ser úteis:

  • Painel da tireóide (TSH , T4, T4 livre , T3 livre)
  • Cortisol AM / PM
  • Insulina ( em jejum )
  • A serotonina , sangue total
  • Vitamina B12 e folato
  • A vitamina D , 25 - Hidroxi
  • RBC magnésio
  • Pontuação Omega ®
  • Painel de citocinas
  • DHEA, Cortisol
  • Testosterona total+livre



Comentários

Comentários Destacados



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

  • Conteúdo Similar

    • Por mahalzahr
      Boa tarde! Sou novo no fórum e gostaria de algumas informações que não consegui encontrar em qualquer outro lugar.
      Iniciarei um ciclo com Clembuterol na segunda-feira, porém estou atualmente medicado com Cloridrato de Paroxetina (10mg ao dia) e não encontrei na internet quaisquer informações sobre a interação entre esses dois medicamentos.
      Minha dúvida é se não encontrei por não existir, de fato, a interação entre eles ou por não existir algum estudo/relato/experiência com essas duas substâncias.
      Alguém poderia me informar seja por experiência própria ou que sabe de alguém, se há alguma interação entre essas substâncias? Se há algum risco, efeito colateral etc?
      Achei um outro tópico (não me lembro se nesse fórum ou outro site) de um companheiro que também estava nessa situação, entretanto não houve respostas à ele.
      Desde já aguardo a resposta de vocês, grande abraço.
    • Por Mestre
      A muito já se discute que problemas relacionados com a Depressão podem estar ligados com dois Neurotransmissores a Dopamina e a Serotonina.
      O abuso no uso de Anabolizantes, pode reduzir os níveis de Dopamina1,2, e de Serotonina3, causando assim efeitos de Depressão em usuários que abusam no uso de Anabolizantes.
      Mas não é apenas relacionado ao efeito Depressivo que devemos ter cuidado nesse caso. Pois a Dopamina serve como Inibidor da Liberação de Prolactina pela Hipófise, portanto quando não temos as doses corretas de Dopamina, isso pode acarretar em uma Hiperprolactemia, ou seja, em um aumento grande da quantidade de Prolactina na pessoa4.
      Quantidades aumentadas de Prolactina, por sua vez, acabam por inibir a produção de LH e FSH pela Hipófise4, que faz com que haja uma diminuição na produção de Testosterona pelos Testículos.
      Outro fator importante a se considerar no aumento da Prolactina, está relacionado ao próprio Estrogênio. Sabemos que o estrogênio desempenha aqui um papel estimulatório e, provavelmente, pode ser a chave para o aumento da secreção de prolactina em homens7,8,9, e alguns colocam isso como provável no que se trata do aumento da Prolactina em ciclos de Anabolizantes.
      Não existem de fato muitos estudos que relacionem aumentos de Prolactina e uso de Esteroides Anabolizantes, porém, um estudo analisou os efeitos de Enantato de Testosterona e Propionato de Testosterona em homens, e observou um aumento significativo de prolactina 4 dias após a injeção10, onde podemos de forma hipotética aqui colocar, que isso pode ter ocorrido devido ao Estrogênio vindo da aromatização dessa Testosterona usada de forma exógena.
      Outro fator já há muito comentado sobre o aumento da Prolactina, é oque muitos relacionam sobre os Anabolizantes com acentuada ação progestênica e o aumento da prolactina, como a Nandrolona e a Trembolona.
      Apesar de muitos comentarem sobre o assunto, eu nunca vi nada relatado de forma clara em uma literatura que aponte uma ação fisiológica que explique isso.
      O que temos relacionando a Prolactina com ação progestênica, é o que encontramos em literaturas11,12,13,14, que não apontam claramente para um aumento da Prolactina sob ação progestênica, e sim a capacidade da Progesterona em antagonizar com a Prolactina, portanto, não há bases claras ainda para se dizer que o efeito progestênico da Nandrolona e da Trembolona seriam responsáveis por aumentos de Prolactina, embora, alguns afirmem que isso acontece.
      Para termos uma diminuição dos níveis de Prolactina, podemos ter a mão a Cabergolina(Dostinex), que age como agonista dos receptores D2 de Dopamina5,6 e é muito eficiente no que se trata de diminuição da Prolactina. Outras fontes até apontam que em alguns casos, a regularização do Estrogênio, poderia também de certa forma, contribuir com a diminuição dos níveis de Prolactina.
      Antes de partir para qualquer ação medicamentosa com Cabergolina para diminuir a Prolactina, deve-se fazer um exame para ver em que grau e se isso realmente aconteceu. Podendo um médico ser consultado para essa finalidade.
      Elaborado por Mestre fórum FISIculturismo
      Referências:
      1 - Tucci P, Morgese MG, Colaianna M, Zotti M, Schiavone S, Cuomo V, et al. Neurochemical consequence of steroid abuse: stanozolol-induced monoami­nergic changes. Steroids 2012
      2 -Talih F, Fattal O, Malone D Jr. Anabolic steroid abuse: psychiatric and phy­sical costs. Cleve Clin J Med 2007
      3 - Daly RC, Su T, Schmidt PJ, Pickar D, Murphy DL, Rubinow DR. Cerebrospinal fluid and behavior changes after methyltestosterone administration: preliminary findings. Arch Gen Psychiatry 2001
      4 - Sauder SE, Frager M, Case GD, Kelch RP, Marshall JC, Abnormal patterns of pulsatile luteinizing hormone secretion in women with hyperprolactinermia and amenorrhea: Responses to bromocriptine, J Clin Endocrinol Metab 59:941, 1984.
      5 - Rinne UK, Bravo F, Chouza C, et al.. Early treatment of Parkinson’s disease with cabergoline delays the onset of motor complications: results of a double-blind, L-dopa controled trial. Mov Disord 1997;12(Suppl 1):64.
      6 - Barbosa ER. Avanços terapêuticos na doença de Parkinson. In Nitrini R, Yacubian EMT, Rabelo GD e Machado LR (eds).
      7-  Effects of estrogen on the release of gonadotropins and prolactin in male pseudohermaphrodites. Barbarino A, De Darinis L et al. J endocrinol Invest. 1979 Jan-Mar;2(1):41-4
      8 -  Estrogen-dependent plasma prolactin response to gonadotropin-releasing hormone in intact and castrated men. Barbarino A, De Marinis L. et al. J Clin Endocrinol Metab. 1982 Dec;55(6):1212-6
      9 -  Effects of progesterone administration on follicle-stimulating hormone and prolactin release in estrogen treated eugonadal adult men. Mancini A, De Marinis
      10 - Effects of depot testosterone administration on serum levels of testosterone,FSH, LH and prolactin. Ruiz E. et al. J Endocrinol Invest. 1980 OctDec;3(4):3858.
      11 - Fisiologia Médica, por Hershel Raff,Michael G. Levitzky - 2012.
      12 - Fisiologia Endócrina - 4.ed. Patricia E. Molina AMGH Editora, 1 de ago de 2014
      13 - ENADE Comentado 2007: Nutrição EDIPUCRS - pag 21
      14 - Corpo Humano : Fundamentos de anatomia e fisiologia - 8ed -Gerard J. Tortora, Bryan Derrickson Artmed Editora, 1 de dez de 2012 - pag 615.
    • Por WMonstro
      Vou relatar um ocorrido sinistro que aconteceu comigo... resolvi experimentar a Anastrozol 1/6 de comprimido por dia (0,167mg por dia). E nos 2 primeiros dias minha libido tinha subido, e uma disposição estranha, seguidos de episódios leves depressivos, flutuações de humor (nada demais).
      Mas após o 4 dia em diante, meu nariz começou a soltar um catarro coagulado de manhã, principalmente e durante o dia (como se eu produzisse catarro seco já) e eu comecei a ficar amarelo.
      Em volta do meu nariz a pele ficou branca. Eu apertava a pele perto do nariz... dava uma leve dor.. atrás dos olhos também pareciam estar sensíveis. Interrompi o uso... e no outro dia imediatamente todos os sintomas sumiram.
      Isso foi em Janeiro, dia 1º. Não me deu mais nenhum colateral após o uso... É difícil falar se afetou meu libido ou etc, porque sempre tive ele em alta e está alto ainda.
      Mas notei que começou a aparecer pelos no meu peito/abdome nas últimas 3 semanas após interromper (meus pais também notaram isto)... mas acho que parou, deu uma leve desenvolvida. Mas não vejo problema nisto também. 
      Tenho 23 anos e acho que meu corpo ainda está em desenvolvimento?
      Alguém já teve esses colaterais no sistema respiratório com Anastrozol?
      Foi apenas um experimento para ver como meu corpo iria reagir a ele, eu não tive intenção nenhuma anabólica usando isto.
    • Por Alberto Dias
      Olá Pessoal,
      Eu sou novo aqui no Fórum. Tenho 34 anos e nunca usei suplementos. Peço desculpa sobre as perguntas extremamente leigas, mas sei que vocês entendem melhor do que eu. O objetivo de tomar tais produtos visam exclusivamente alguns aspectos de saúde. Novamente peço desculpas pelas perguntas bestas.
      1) Qual seria a diferença entre um suplemento (aqueles que vem em frascos coloridos com nomes de substancias , marketing em inglês, etc; e de comprar por exemplo o produto na sua forma original, como a erva Tribulus Terrestres e tomar em cápsula? É a mesma coisa? Existe algum dano a saúde? As cápsulas são em pó. Isso é sintético? Tem química? Como se fosse manipular um remédio? Enfim, queria entender se isso é "natural" ou artificial e se causa problemas de saúde, tipo esteroides ou hormônios.
      2) Tenho esteatose hepática (conhecido como fígado gordo,  beirando o nível 3) e esofagite. Comprei um produto que vi na AMAZON chamado milk thistle, conhecido como Caldo de Leite da planta Silybum marianum (parece macumba), rsss. Comprei esse aqui> http://www.amazon.com/Jarrow-Formulas-Thistle-Standardized-Silymarin/dp/B0013OULVA/ref=sr_1_2?s=hpc&ie=UTF8&qid=1449805671&sr=1-2&keywords=silybum+marianum
      A minha dúvida seria se posso tomar isso pela vida inteira já que ele protege o fígado e costumo beber na balada e comer muita porcaria. Estou levemente acima do peso.
      3) Comprei também esse aqui carcinia cambogia ( que serve para suprir o apetite) o 5HTP (Esse eu tenho um pouco de medo - comprei porque sou extremamente ansioso e um pouco depressivo e dizem que ele melhora a produção da serotonina (não quero tomar tarja preta). Também comprei  Cúrcuma (Tumeric) para  tomar em conjunto com o caldo de leite, pois segundo os relatos ele poderia combater a inflamação do fígado http://des-cancer-and.blogspot.com.br/2010/07/turmeric-substancia-activa-do-acafrao.html
      A minha dúvida; Posso tomar tudo isso em conjunto: Garcinia Cambogia + 5HTP+ CURCUMA (TUMERIC) + Caldo de Leite (Milk thistle)? Isso causa dano a saúde? É muito suplemento para tomar? Precisa tomar em ciclos ou posso tomar todo dia por tempo indeterminado : 1 ano, 2 anos, 3 anos, etc.
      Faço exercícios 3x por semana, mas não tenho intenção de ficar forte, etc. Só quero proteger o meu fígado por questões de saúde, diminuir a ansiedade e depressão, bem como para de atacar a geladeira por questões emocionais. Como trabalho como consultor, muitas vezes viajando no Brasil e no exterior, sou meio que nômade.  Então pago aulas em academias, faço caminhadas e pretendo atingir o meu peso normal. (hoje uns 10kg acima).
      Agradeço desde já os esclarecimentos nesse sentido.
      Abraços,
    • Por king_
      Bom galera nem sei se era aqui que cria esse tipo de tópico, mas se num for eu peço aos moderas que mudem por favor...

      Pra começar vou dar os elementos básicos. Tenho 18 anos, 184cm, e peso 72kg, completo frango. Não sei dizer meu bf e acho que meu biotipo é endo(magrelo). Acho que meu bf é bem baixo poruqe minha traquéia é muito "protuberante" e da pra ver as veias nas mãos de forma muito nítida!

      Tenho tudo que um cara de 18 anos pode sonhar na vida... faço facu de medicina, tenho uma vida muito boa... mas as vezes essa te passa umas rasteiras e foi o que aconteceu comigo. Eu sofro do que os médicos chamam de depressão controlada, nada que um remédio não cure. Hoje eu tomo citalopram, uma droga muito fraca, porém muito util que me ajudou a dar uma reanimada!

      Onde eu quero chegar com tudo isso é que, eu to tentando buscar na musculação uma forma de me reanimar, ganhar um poquinhio de massa pra poder da um visual legal no meu corpo. Tipo tenho um shape bem legal pro meu peso, só que queria inchar um poquinho pra ficar melhor, algo entorno dos 80-83kg. Acho que não é muito pra 184 neh?

      Então galera eu comecei a fazer a série AB passada aqui no forum pra iniciantes. Só que to fazendo ela pra hipertrofia, ou seja, colocando peso pra falhar na ultima série e usando cadencia 2-1-4! Acho que ta legal o que vocÊs acham?

      Minha alimentação ta pesada, to comendo uma dieta de hipertrofia que encontrei aki no forum que deve dar umas 3500kcal acho que ta bom neh?

      Agora vem o problema eu vou na academia e descrenço quando chego la. Num sei se é a depressão ou o que é, so sei que num da vontade de fazer nada. Minha pergunta "O que vocês fazem para animar para ir na academia?"

      Desculpem o texto gigante... é que eu to mal hoje, mal mesmo e nada como desabafar na net né?

      Vlws galera!
×