Como fazer aeróbico em jejum - AEJ

fisiculturismo
Gostou? Compartilhe!

Avaliar:

Aeróbico em Jejum Virou Moda

Deixou de ser tabu o treinamento aeróbico em jejum. A cada dia aumenta o número de praticantes de musculação que adotam essa prática para queimar gorduras de modo mais rápido e eficiente. Já podemos até afirmar que está se tornando prática comum, que já ganhou o nome popular de AEJ (aeróbico em jejum). Quem acompanha o FISI com frequência já deve ter lido algumas matérias sobre esse tipo de prática. Diversos colaboradores já se manifestaram sobre o AEJ no FISI:

Mesmo tendo se popularizado o aeróbico em jejum como uma das melhores estratégias para se queimar gordura, não se pode esquecer que se trata de um treinamento hardcore, agressivo ao organismo, e que só deve ser realizado por praticantes de musculação que já tenham bom condicionamento físico. Pessoas sedentárias não devem se aventurar nesse tipo de treinamento.

Antes de realizar AEJ, assegure-se que seus hábitos alimentares estão adequados para as necessidades de seu corpo e que o seu repouso noturno está sendo suficiente para a completa recuperação muscular e cerebral. Firmadas essas premissas, vamos definir as melhores práticas para o aeróbico em jejum, afinal, lemos muitas matérias sobre ele, mas poucas que orientam como fazê-lo corretamente.

1. Faça o AEJ ao acordar, como primeira atividade do dia

O aeróbico em jejum deve ser realizado logo após o despertar matinal. Não realize nenhuma outra atividade demorada ou fisicamente desgastante antes do aeróbico em jejum. O atraso após o despertar deve ser apenas o necessário para a suplementação (explicada abaixo) e tempo para chegar à academia.

2. Use a esteira da sua academia

Não corra em jejum na rua, em parques, etc. Prefira a esteira de sua academia, onde há supervisão de profissionais de educação física. O risco de crise de hipoglicemia é real e pode atingir até praticantes de musculação experientes. Certamente ninguém quer desmaiar no meio da rua.

3. Intensidade moderada

Não abuse. O aeróbico em jejum não deve ser praticado com a intenção de se melhorar a capacidade cardiorespiratória ou desempenho na corrida. A intenção primordial é queimar gordura. Tenha isso em mente. O exercício deve ser agradável, corra de leve, trotando mesmo.

Esqueça freqüências cardíacas ideais, difíceis de se medir na prática diária. Paute-se pela sensação de treinamento, que só você tem. Sinta prazer na corrida, sem ficar esbaforido, tampouco sem ficar em zona de conforto (caminhada). Isso é intensidade moderada, e cada indivíduo tem o seu grau de moderação, que é subjetivo.

4. Adapte-se gradativamente

Quem nunca realizou aeróbico em jejum deve ser ainda mais prudente. Comece com 20 minutos e vá acrescentando 5 minutos a cada novo treino, até o limite máximo de 45 minutos.

5. Pratique esporadicamente

Não treine em jejum por mais de 3 vezes na semana e não faça por mais de 2 meses seguidos. Após atingir uma meta de percentual de gordura, deixe de fazer o AEJ, que é uma prática agressiva.

6. Beba água

Beba água antes de correr, durante a corrida (leve uma garrafinha), e depois de treinar. Não se preocupe com quantidades, apenas beba bastante água, que é essencial para o metabolismo, e para o seu objetivo principal, que é queimar as gorduras.

7. Mantenha a dieta

No dia em que se realiza o aeróbico em jejum, o estômago parece estar furado. A sensação de fome será constante o dia inteiro, mesmo poucos minutos após as refeições. Não ceda à essa falseada indicação de falta de nutrientes. Siga a dieta normal.

8. Música

Correr muito tempo na esteira pode ser uma tarefa bem enfadonha. Invista num bom fone de ouvido com bluetooth e use seu smartphone para armazenar músicas agitadas de sua preferência.

9. Maximize os resultados com cafeína, vitamina C e aminoácidos

Os efeitos termogênicos do aeróbico em jejum podem ser maximizados com a ingestão de cafeína, vitamina C e aminoácidos. Na realidade, neste caso, teremos um semi-jejum, mas que é muito mais eficiente. A cafeína aumenta a queima de gordura, a vitamina C reduz o catabolismo e os aminoácidos preservam a massa magra (músculos).

O ambiente metabólico criado pela ingestão desses elementos irá assegurar ao máximo que o corpo se valha da gordura como fonte de energia, preservando a musculatura. A ordem é secar as banhas! Tome:

  • 200 ml de café sem açúcar (ou 200 mg de cafeína por suplemento de sua preferência)
  • 500 mg de vitamina C
  • 4 colheres de sopa de aminácido líquido (sem carboidratos, como o Amino Liquid 38000 da Nutrilatina e Liquid Super Amino 23000 da Dymatize)
  • BCAAs (opcional para reforçar o efeito anticatabólico)

Conclusão

A técnica do AEJ é comum entre fisiculturistas e também pode ser adotada por praticantes que musculação que desejam ficar saradões, com baixo percentual de gordura no corpo. No entanto, por ser um treino hardcore, agressivo, deve ser realizado com prudência, seguindo as dicas de segurança e de maximização dos resultados.

Atualização

As controvérsias acerca dos aeróbios em jejum continuam fortes. Atualizamos esta matéria com um vídeo publicado recentemente no youtube e que traz uma série de estudos científicos que contestam a prática. O autor conclui que os aeróbios pós-refeição são mais eficientes para queima de gordura do que os aeróbios em jejum. Observe que nos estudos não houve ingestão de café e nem de aminoácidos pelos atletas. Assista e tire suas próprias conclusões.

 

Editado por fisiculturismo



Gostou? Compartilhe!

Comentários


Discordo do final, a cafeina vai fazer sair da "zona de conforto" e os aminoacidos tiram o proposito do jejum pois fatalmente vão criar liberação de insulina.. nem vale a pena usar, vale a pena investir é na refeição pré jejum, antes de dormir.

 

Se ta na chuva (fazendo aej) é pra se molhar.. vai catabolizar? Vai.. é só avaliar se o beneficio compensa e não ficar com medinho se enchendo de coisas desnecessárias.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

A zona de conforto é a sensação de intensidade do exercício. A cafeína tem por finalidade aumentar o metabolismo das gorduras, e não estimular um treino mais intenso.

 

A liberação de insulina não é um efeito desejado para acelerar o metabolismo dos ácidos graxos ou gorduras?

 

É certo que as medidas sugeridas não impedem completamente o catabolismo, mas visam a sua mitigação.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

vcs tem alguma evidencia cientifica sobre esse assunto? AEJ realmente é necessario para aumentar o gasto energetico? qual a diferença do ponto de vista de gasto entre uma e outra? (em jejum e sem o jejum).

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

Esta matéria não teve nenhum embasamento científico, foi puramente baseada na prática de atletas fisiculturistas em preparação para campeonatos de musculação. Funciona na prática, isso é inegável. É o conhecimento empírico, ou senso comum.
 
Existem algumas matérias que afirmam que ao acordar o corpo está num estado hormonal e metabólico propício para usar como fonte primeira de energia as gorduras, eis que esgotada toda reserva de glicogênio durante o repouso noturno.
 
Portanto, seria um comportamento inteligente e natural do corpo, preparado para manutenção das atividades vitais em situação de ausência de ingestão de alimentos. Quer base científica? Veja:

Já no estado de jejum¸ devido à baixa reserva de glicogênio e conseqüente reduzida participação da via glicolítica¸ a fonte predominante de energia são as gorduras¸ por meio da beta-oxidação¸ ou seja¸ os triglicerídeos são quebrados em glicerol e ácidos graxos e este último é convertido em Acetil CoA para posterior entrada no ciclo de Krebs e oxidação (CHAMPE¸ HARVEY¸ FERRIER¸ 1996). A literatura científica comprova que durante o aeróbio em jejum a presença de glicerol e ácidos graxos livres no sangue é significativamente maior do que no estado alimentado¸ reflexo da maior participação de gorduras (BOCK¸ RICHTER¸ RUSSEL et al¸ 2005; PACY¸ BARTON¸ WEBSTER¸ GARROW¸ 1985).

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

   Com relação ao período máximo de dois meses praticando o AEJ, qual a "janela" de tempo que temos de programar sem praticar AEJ para que possamos novamente reaplicar esta técnica?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

   Com relação ao período máximo de dois meses praticando o AEJ, qual a "janela" de tempo que temos de programar sem praticar AEJ para que possamos novamente reaplicar esta técnica?

Siga o mesmo tempo de periodização de seu treino com pesos. Se você muda sua rotina de treinamento a cada 45 dias, siga esse mesmo período de tempo. O ideal é usar a técnica do AEJ apenas para períodos em que se pretende perda extrema de gordura, não o adotando como técnica normal de treinamento.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!
Visitante flavio

Postado

par mim fica complicado fazer na esteira na academia pois saio muito cedo para trabalha, uma bicicleta ergométrica seria uma opção???

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

par mim fica complicado fazer na esteira na academia pois saio muito cedo para trabalha, uma bicicleta ergométrica seria uma opção???

A bicicleta é sim uma opção de exercício aeróbico!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

A polêmica em torno da prática de aeróbios em jejum foi reacendida com uma entrevista concedida pelo Dr. Paulo Gentil ao jornal Estadão, numa matéria entitulada Febre nas academias, aeróbio em jejum pode fazer mal à saúde (http://blogs.estadao.com.br/vigilante-da-causa-magra/febre-nas-academias-aerobio-em-jejum-pode-fazer-mal-a-saude/).

De acordo com a entrevista, o AEJ seria perigoso e ineficiente para queimar gordura. O praticante correria riscos de eventos cardiovasulares, tonturas e desmaios. Ao invés de aumentar o metabolismo, mencionaram-se estudos em que houve, em verdade, desaceleração do metabolismo.

Na entrevista, para queima mais eficiente de gordura, é recomendado o HIIT - exercício intervalado de alta intensidade.

Infelizmente na entrevista não são ídentificados os estudos científicos que embasaram as conclusões, para que fossem apuradas as formas como esses estudos foram realizados.

Com todo respeito devido à ciência, não poucas vezes vemos conclusões científicas diametralmente opostas, em curtos espaços de tempo. As premissas dos estudos podem determinar os resultados.

Pergunte a um gigante fisiculturista com 3% de gordura corporal e que adota o AEJ como técnica de redução de percentual de gordura se ele confia mais na ciência ou no conhecimento empírico. A resposta parece óbvia.

Não desconsideremos a ciência, mas também não desconsideremos práticas consagradas, cuja eficiência está exibida nos palcos do mundo inteiro.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

Achei estranho dois professores doutores de cursos de pós-graduação não citarem quais trabalhos ancoram suas contestações.

Curioso também foi eles terem citado o Body for Life do tal do Bill Phillips, porque o conteúdo do livre apresenta um rudimento de HIT, que é defendido por eles na entrevista.

Agora o que chama a atenção mesmo é os caras poderem pegar qualquer aluno, até de graduação, um TCC de seis meses, onde possam trabalhar com grupos A, B, C, etc, onde A: grupo AEJ segundo recomendações de fisiculturistas; B: grupo com HIT; C: grupo com aeróbicos pós-musculação, etc. 

Quatro reuniões de orientação com os alunos, duas supervisões na hora das medições de BF dos grupos seria o suficiente.

Ao invés disso ficam nessa guerra "He said... She said..." e caímos nos mesmos debates que as dietas Very Low Carb passam.

Uma pena terem vindo à mídia pra fazerem afirmações com tais argumentos.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!
Visitante Dr. x

Postado

Galera, me desculpe. Vamos estudar.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

Este tema (Aeróbico em Jejum) parece que nunca sai das rodas de debates, principalmente agora que está na moda o jejum intermitente. Encontramos uma postagem recente no instagram sobre AEJ que menciona alguns estudos recentes que indicariam que o AEJ não seria uma estratégia eficiente para a queima de gordura corporal:

Citar

Semana passada mostrei que #aeróbio contínuo de baixa/moderada intensidade não é a melhor estratégia para o #emagrecimento, sendo as melhores alternativas #exercícios com alta intensidade e baixo volume, como os exercícios intervalados (ex. #HIIT).

Se o aeróbio não é eficiente, por qual motivo realizá-lo em jejum mudaria esse panorama de ineficiência? A defesa para essa prática é que por estarmos com a glicemia baixa ao acordar o principal substrato energético no exercício seria a #gordura.

Bom, de fato isso é verdade,  acontece que a quantidade de gordura oxidada a mais é ridícula (cerca de 5-10g), muitas vezes nem sendo significativa como verificado no estudo de Paoli et al. (2011).

Um artigo publicado em 2014 no Journal of the International Society of Sports Nutrition provou mais uma vez que o aeróbio em jejum (AEJ) não é superior para o emagrecimento.

No estudo 20 mulheres foram divididas em 2 grupos, um realizou atividade aeróbia em jejum e o outro realizou a mesma atividade após ter se alimentado. Todas as #mulheres estavam em dieta para perda de gordura (déficit de 500 kcal/dia) e realizavam 1h de treino aeróbio de moderada intensidade (70% da FC máxima) 3 X na semana.

Após 4 semanas foi observado que ambos os grupos apresentaram PEQUENA redução de gordura, mas SEM DIFERENÇA SIGNIFICATIVA entre os grupos. Em outras palavras, acordar cedo pra fazer malditos 60 min de atividade aeróbia com fome, não tem nenhuma diferença quando comparado com a mesma atividade em estado alimentado, e que poderia ter sido realizado qualquer outro horário do dia!

Enfim, pensem duas vezes antes de sair da sua rotina e cama quentinha, para acordar de madrugada apenas para realizar uma atividade que não é eficiente (aeróbio contínuo) e pior, com fome!

Outros estudos já demostraram que a perda de gordura com #AEJ é ínfima quando comparado com o estado alimentado, então definitivamente não vale a pena fazer apenas porque o marombeiro fulano de tal faz!

E viva a ciência! #brunofischer

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!

Polêmica atual nas academias kkkkk ja tem até grupo marcando seminários aki kkkkkkk

Eu msm fico só de zói........

To meio por fora do tema técnicamente . Soh que Pelo pouco que pesquisei e me informei com os colegas mais estudados ........acredito que o aeróbico jejum da resultados sim . Porém nao deve ser feito por período longo de tempo...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostou? Compartilhe!


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta em nossa comunidade! É rápido, fácil e grátis!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora

  • Conteúdo Similar

    • Por fisiculturismo
      Os aficionados por musculação e por um corpo perfeito certamente já praticaram o AEJ (aeróbio em jejum) ou o HIIT (treino intervalado de alta intensidade). Alguns profissionais da musculação torcem um pouco o nariz para o AEJ, muitas vezes afirmando que não há estudos científicos que demonstrem a eficácia do AEJ ou que há estudos que demonstram que sua eficácia seria reduzida ou limitada.
      Quanto ao HIIT, parecem ser quase unânimes as vozes que ecoam no sentido de que seria extremamente eficiente para queimar a gordura como fonte de energia da atividade física aeróbia e proporcionar a redução do percentual de gordura corporal.
      Não é o escopo dessa matéria tratar da eficácia ou ineficácia do AEJ. Esta matéria é para aqueles que acreditam na eficácia do AEJ (por experiência prática ou crença) e na eficácia do HIIT (por experiência ou leitura científica). E a comparação que aqui se faz é para HIIT e AEJ realizados na forma de corrida e caminhada (lembre-se que qualquer atividade predominantemente aeróbia poderia ser avaliada: natação, remo, escada, etc).
      Com essas considerações em mente, pergunta-se: qual seria a melhor técnica aeróbia a ser adotada para queimar gordura e secar - AEJ ou HIIT?
      A resposta passa necessariamente pela forma de execução de cada uma dessas atividades. O AEJ costuma ser praticado com as seguintes características:
      ao acordar; em intensidade baixa ou moderada; por 30 a 60 minutos. Por outro lado, o HIIT tem, normalmente, como características de execução:
      a qualquer hora do dia; com altíssima intensidade; por 10 a 20 minutos; São essas características de cada uma dessas diferentes práticas aeróbias que podem orientar a escolha da melhor delas de acordo com as necessidades individuais de cada musculador.
      A maior vantagem do AEJ é a intensidade baixa ou moderada. A prática do AEJ não demanda bom condicionamento cardiovascular prévio. Mesmo o musculador que não pratica atividade aeróbia com frequência pode adotar o AEJ.
      Além de ser desnecessário o bom condicionamento físico, a baixa ou moderada intensidade não demanda tanto esforço da musculatura das pernas, não interferindo de modo agressivo na recuperação das microlesões provocadas pela musculação.
      No entanto, o AEJ deve ser feito ao acordar, a não ser que se adote a dieta do jejum intermitente. E isso pode ser um fator limitador para muitos, cujos horários no período matutino são apertados.
      Outro problema quanto ao horário é o tempo de duração do AEJ, normalmente muito superior ao do HIIT. Alguns musculadores também reclamam da fome que atormenta a execução do exercício e que costuma ser sentida ao longo do dia, mesmo após as refeições.
      Quanto ao HIIT, é inegável a vantagem de poder ser executado a qualquer hora do dia, e por um período de tempo muito pequeno, podendo ser encaixado na sessão de treinamento de musculação, geralmente após o treino com pesos, para otimização dos resultados, pela depletação do glicogênio.
      Todavia, por ser uma atividade de elevada intensidade (normalmente realizada em intervalos de um minuto em baixa intensidade e um minuto em intensidade máxima possível, de modo intercalado), há um desgaste tremendo das musculaturas dos quadríceps ou pernas, o que pode prejudicar a recuperação das microlesões decorrentes do treinamento com pesos dessa região do corpo.
      Outra questão a ser considerada é o maior risco de lesão pela alta velocidade do movimento, o que pode aumentar a chance de acidentes durante a execução.
      A seguir, resumimos as vantagens e desvantagens do HIIT e do AEJ:
        AEJ HIIT Vantagens menos desgastante para as pernas; menor risco de acidentes; não demanda condicionamento prévio; liberdade de horário; curta duração; cientificamente comprovado. Desvantagens desconforto (fome); longa duração; ausência de comprovação científica. mais desgastante para as pernas; maior risco de acidentes; condicionamento prévio para melhor aproveitamento. Portanto, a resposta sobre qual é a melhor técnica aeróbia para se queimar gordura é individual. Cada musculador deve avaliar a técnica que melhor se encaixa em sua rotina diária de vida e qual é a mais eficaz. Nada impede que ambas as técnicas sejam conjugadas e utilizadas de modo periodizado ou simultâneo.
      Encontre mais conteúdo sobre AEJ e HIIT em nossas páginas de links com conteúdo marcado com as respectivas tags ou palavras-chave.
       
    • Por Minikaah
      Olá gente, eu já pescava uns e outros artigos aqui mas só fiz a conta esses dias, então não sei se está na categoria certa

      Bom sigo uma dieta bem saudável normalmente compro file de frango, e faço grelhado com salada, ou como ovo cozido, nada de gordura até pq tenho gastrite e passo mal com coisas gordurosas ou massa pesada, muitas vezes faço jejum pelo dia todo ou por mais de 24h
      Treino boxe 3x por semana durante 2h
      e a umas duas semanas comecei a fazer aeróbico em casa.
      Bom enfim o motivo do post é que, eu não perco peso, e isso tá ficando hiper chato, pq deixo de comer coisas que gosto, me mato fazendo os exercícios e não vejo resultado, não entendo o pq não faz sentido isso. algumas pessoas chegam em mim e dizem que eu emagreci um pouco, só que na balança não muda, nem nas medidas, pq eu sempre tiro. marquei um endocrino mas acabei faltando, será que ele pode me ajudar? ou meu corpo é caso de ser estudado pela nasa k 
      sério eu não vejo sentido em comer 1 file de frango no almoço, 1 file de frango na janta, fazer aeróbico por 2h praticamente, e no dia seguinte ver +1kg na balança

      Altura 1,53
      peso 70kg

      se alguém souber de caso parecido, ou que médico consultar, que suplemento pode ajudar, ou  que remédio/droga possa ajudar tb agradeço. (eu já estou nessa rotina a mais de 1mês)
    • Por rodape-bh
      Me indicaram correr em jejum 45 min com frequencia de 70% tomando 2 Xenadrine, 5 vezes por semana. Isso é o ideal para queimar gordura ou correr pela manha em jejum devido a baixa quantidade resulta em perda de massa magra ????????
      Após a corrida faço uma dieta equilibrada com 6 refeições e nada e carboidratos a noite........
      Será que vou perder massa magra correndo em jejum pelas manhas tomando 2 xenadrines?
    • Por Paola & Matheus
      Boa tarde galera, tenho a seguinte duvida, preciso emagrecer, o professor da minha academia falou para eu fazer somente aeróbico agora no inverno, porem dando uma pesquisada vi que a musculação também me ajudaria mt para perder gordura, estou a um mes só na esteira, elíptico e bicicleta. Mas ja estou ficando enjoada. rs
      Estou treinando a um mes só, estou fazendo a dieta certinho, tomando termogênico e chazinhos para perder o inchaço .
      Treinei por 1 ano antes e fui de 80 quilos para 67 em mais ou menos 6 meses e por 6 meses mantive o peso,mas tive que parar de treinar, foram 10 meses parada e 8 quilos de volta
      Agora em um mes perdi 3 quilos estou com 73 agora e tenho 1,67 de altura...
      Mas resumindo rs, vcs acham que eu devo dividir de que maneira o treino? tipo aeróbico e musculação todo dia, separar alguns dias só para aeróbico ou continuar só no aeróbico até perder mais uns 5 quilos?
      Obrigada galera!
      Paola.
  • Matérias Recentes