Jump to content

Jaraqui

Membro
  • Content Count

    493
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    10

Jaraqui last won the day on March 27 2016

Jaraqui had the most liked content!

About Jaraqui

  • Rank
    Novato

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Essas pesquisas, muitas delas, só que essa em específico, são feita com ratinhos. Dr Nicola Guess, Lecturer in Nutritional Sciences at King’s College London, said: “Firstly, it’s important to bear in mind there are important differences between rodents and humans – particularly with regard to diet. For example, a high fat diet causes insulin resistance in rats but it does not appear to in humans. --> esse doc aí tá reclamando que esse confronto feito entre ratos para serem traçadas inferências em humanos é controversa, pois nos ratinhos as dietas "high fat" são prejudiciais enquanto que em humanos há até as dietas low carb (high fat) “The exact method is unclear from the abstract, but if the rats were fasted for one day, this is equivalent to an approximately 3 to 4 week fast in humans! So it’s not applicable to the 24-hour or 48-hour fasts practised by humans on common fasting diets. ---> Aqui ele reclama que se os ratinhos eram impostos a 24 horas de jejum seria o equivalente a nós sermos submetidos a 3 a 4 semanas de jejum... Ele fez outros comentários, mas os mais treteiros que eu encontrei foram esses. Outra coisa: botar os ratinhos pra fazerem jejum dia sim dia não, nem nós, humanos seguimos isso. O jejum intermitente que mais se assemelha a ficar o dia todo em jejum é aquele 2/7, onde dois dias *** não consecutivos *** e nos outros dias são feitas refeições que totalizem um consumo de manutenção (nem pra aumentar nem pra baixar peso). e aí, nos dias 'sim', os pesquisadores deixavam os ratinhos fazerem uma orgia alimentar? Ou davam uma ração controlada em termos de totais calóricos?
  2. Excelente vídeo. Seguem algumas impressões pessoais. Coisa de leigo mas que, se ajudar, valeu ter escrito. A moça não é humana, meu Deus. Essa mobilidade que ela tem assemelha-se às atletas chinesas de levantamento de peso olímpico. O butt-wink é mínimo, sem prejuízo praticamente nenhum. A profundidade que ela atinge mantendo a dorsal firme é tal, que eu aposto que lá embaixo, na transição excêntrica-concêntrica, ela consiga tranquilamente realizar uma série de desenvolvimento por trás da nuca! Enfim, é definitivamente a melhor atleta-modelo que eu vi realizando agachamento instrucional. Aliás foi a profundidade da foto do vídeo na página principal que me trouxe até aqui. Penso que seria de grande valia o professor, quando for elaborar a versão v2, contar com uma representante do sexo feminino, preferivelmente a Ana novamente pra repetir essa performance impressionante, mas também, que traga um representante do sexo masculino, pois certamente o que foi chamado ali de agachamento menos eficaz (descer somente ao nível das paralelas ou "só mais um pouco abaixo disso) será o que ele irá realizar caso seja um atleta-modelo na faixa dos 90-100 kg. Tal agachamento "paralelo" seria inclusive representativo de uma parcela, provavelmente esmagadora, de alunos regulares de academia. Por esse motivo é que eu senti falta do professor atacar pra valer os agachamentos mais criminosos: os que sequer atingem o nível das paralelas, muito comum em pessoas que gostam de pagar imagem com grandes cargas que não têm capacidade de realizar um movimento completo ou, ao menos, até o nível das paralelas. E, por fim, com relação ainda a esse assunto das paralelas, penso que, como o professor comentou anteriormente, muitos até gostariam de descer mais, mas atingir o nível paralelo não foi uma opção. Foi o que puderam alcançar. E finalizo com um pedido pra sua versão v2: se é pra descer até o talo, muitos vão precisar de dicas e recomendações sobre calçados específicos para agachamento: Nike Romaleos, Adidas Adipower, Rebook Lifter 2.0, FoostLifter (estes dois últimos disponíveis pra venda no BR). Tais dicas seriam importantes, penso eu, por causa exatamente daquilo que o professor comentou: o aumento do esforço na região patelar quando o centro de gravidade começa a se deslocar devido ao aumento da pressão na ponta dos pés. Se nada for dito, advinha se não vão apelar para as ripinhas debaixo dos calcanhares? kkk Abraços
  3. Bom pra ter sido convocado para a prova física, significa que você passou na escrita e no exame médico, eu suponho. Se isso procede, parabéns! Parabéns também já pelo próprio progresso obtido até agora. Interessante foi que sua preocupação está com a flexão de braço, pois em geral o povo treme na hora da barra fixa. Passe aí, meu camarada, os critérios de avaliação das provas. Em geral eles pedem a corrida, flexão, barra fixa e abdominais. Continua isso? Se sim, quais os critérios? Eu pergunto isso porque tem concurso que é uma prova meramente eliminatória, isto é, corra x metros em y minutos, faça pelo menos z flexões de braço, etc. Agora, se for classificatória, em geral obter grau 100% em cada uma das provas costuma ser meio phoda. Na minha época nota 10 no geral requeriam 3200 m em 12 minutos de corrida, 12 barras fixas com pegada pronada (descendo ao máximo, parando em baixo, sem drive de pernas), 60 abdominais em um minuto e 50 flexões de braço. Portanto, conte aí o perfil da prova pra saber o tamanho do desafio com o qual você precisa lidar. ps: independentemente do que você for dar de perfil de prova, não se esqueça que pode rolar um overtrainning e você correr o risco de desenvolver menos do que vinha perfazendo durante os treinos. Daqui até o dia 09, eu acho que um personal trainer bom, repito bom, com conhecimento em atletismo, poderia botar você nos cascos na hora da prova. Boa sorte.
  4. Só pra esclarecer: o "gostei do artigo" refere-se à contribuição da Daniela, à qual também me esqueci de agradecer-lhe.
  5. "...and the subjects performed 1RM on 2 non-consecutive days for all exercises using a counterbalanced order..." teste de 1RM a cada dois dias é pra matar o véio kkk Se o propósito do estudo foi avaliar onde a força desenvolve mais, eu concordo com o texto. Porém, se o que se busca é ganho de massa muscular, o estudo citado pode não ser o mais apropriado. Pelo que li superficialmente no artigo, o que se estava querendo saber é onde se ganhou força, isto é, não percebi durante a leitura a preocupação pra se saber os ganhos dos grupos direto e reverso. O estudo também coincide com alguns métodos de treinamento de powerlinfting ou pelo menos um híbrido bem popular, que é o 5/3/1, onde o levantamento principal é realizado, visando a progressão de carga, para só depois haver uma sessão de treino para hipertrofia (no caso do "Boring But Big"). O que me deixou meio curioso foi o motivo dos pesquisadores não terem efetuado os registros das circunferências dos trinta indivíduos e também não vi o registro do tempo médio que durava as sessões de treino. Mas enfim, li meio que por cima o trabalho. Gostei do artigo. A única coisa que ressalto aqui é a seguinte: treino pra manguito, segundo o Prof. João Moura (Treino em Foco), deve ser realizado *** antes *** da sessão de treino dos grupos superiores. Eu fiz isso e diminuiu bastante as minhas dores no ombro.
  6. Mas olha que chique! Colaborador batata! Parabéns pelo conteúdo, irmão
  7. Só pra esclarecer: estou pedindo a referência do 12/12 ou 14/10 para ler e aprender a respeito kkk Não estou "desafiando" a autora! É porque fiquei curioso mesmo.
  8. O jejum intermitente menos intenso que encontrei foi o Lean Gains, 16/8 horas. Por esse motivo gostaria que a autora - ou quem saiba - pudesse indicar a literatura correspondente que permite esse esquema 12/12. Pra falar a verdade, até num protocolo 14/10 eu também estaria interessado, pois caso o almoço às 12 fosse minha primeira refeição, eu poderia tranquilamente ter uma última refeição às 22 h. Outra dúvida: quem seja diabético tipo 2 "assintomático" (que controla o diabetes através das refeições somente) pode adotar o Jejum Intermitente?
  9. É isso aí, batata! O bom companheiro de guerra retornou!
  10. Visão do paraíso.... Com gaiola a coisa vai bem! Bons treinos aí, viu?
  11. Batata, eu lembrei de um esquema que dá pra montar pra treinar máximas de agachamento "de baixo custo": você pode manter nas suas laterais uns steps elevados ao nível mais baixo do seu agachamento. Quando chegar "aquela hora" onde você descobre que não conseguirá subir com aquele peso nas costas, basta baixar-se e largar a barra com o peso sobre os steps (as anilhas ficariam sobre os steps, obviamente que um de cada lado).
  12. oração aqui pra que tudo corra bem, meu camarada
×
×
  • Create New...