Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Entendo melhor os Anabolizantes e a Testosterona com seus Colaterais


Mestre
 Compartilhar

Post Destacado

O mais importante Esteroide Anabolizante Androgênico é a Testosterona.

A Testosterona é uma substancia lipídica derivada do Colesterol1.

O ciclo de produção da Testosterona se inicia com o Colesterol, e esse após de várias passagens de Oxidação dá origem à Pregnenolona1. Eu já havia aqui no passado colocado o processo de conversão do Colesterol em Testosterona, mas seria bom repetir nesse texto de agora:

Colesterol->Pregnenolona->DHEA->Androstenediol->Testosterona

A Testosterona é designada como anabolizante ou esteroide anabólico-androgênico(EAA)

Tanto a mulher quanto o homem, possuem Testosterona, e a Testosterona é o hormônio produzido nos homens pelas células de Leydig nos testículos, e na mulher ela é produzida em pequenas quantidades nos ovários, e pode ser sintetizado pelo córtex da supra-renal em ambos os sexos2.

Os testículos produzem a maior parte da Testosterona no homem e, produzem também só que em quantidades menores, o DHEA e o androstenediol, e também quantidades muito pequenas de DHT.

Entre os esteroides androgênicos produzidos pela supra-renal, podemos também destacar o DHEA e a Androstenediona. Todos eles depois serão convertidos em Testosterona no Fígado2,3.

Um homem adulto saudável, tem a sua concentração plasmática de testosterona que varia de 300 a 1.000ng/dl e com uma taxa de produção diária entre 2,5 e 11mg3.

Hoje virou moda em sites de Musculação e fórums de Fisiculturismo no Brasil, dizerem sobre a ligação da Testosterona à proteína Plasmática SHBG, mas não é apenas dessa forma que isso ocorre.

Toda substancia ou fármaco circulante na corrente sanguínea, tem uma parte ligada a uma Proteína Plasmática.

No caso da Testosterona cerca de 40% da Testosterona circulante liga-se a uma proteína plasmática chamada "proteína ligante do hormônio sexual"(SHBG), mais ou menos 2% estão livres, sendo que o restante associado à albumina e outras proteínas plasmáticas3. Portanto a Testosterona não se liga somente ao SHBG como colocam algumas pessoas que escrevem sobre o assunto na Internet.

A Testosterona tem a sua parcela Andrógena e Anabólica, e ambas tem suas funções específicas, segundo Ghaphery,1995:

Anabólica:

- Aumento da Massa Muscular Esquelética;

- Aumento de Hemoglobina, Hematócrito e Eritrócitos(Glóbulos Vermelhos);

- Aumento da Retenção de Nitrogênio e Síntese Proteica;

- Redução dos Estoques de Gordura Corporal.

Androgênica:

- Crescimento do Pênis em determinado período da vida do homem;

- Espessamento das cordas vocais;

- Aumento da Libido;

- Aumento da produção das Glândulas Sebáceas(que pode estar associado ao aparecimento de acne);

- Aumento de pelos no corpo e barba;

- Padrão masculino dos pelos pubianos.

Os Esteroides Anabolizantes Androgênicos tem inúmeras formas sintéticas que foram criadas para fins Terapêuticos, e podemos citar algumas: Nandrolona, Estanozolol, Oximetolona, Trembolona, Boldenona, Drostanolona entre outras...

Todos os Anabolizantes que conhecemos, foram de uma certa forma derivados de outros, tirando as duas substâncias "pai", a Testosterona e a Diidrotestosterona(DHT)12.

Podemos citar alguns exemplos:

- A Nandrolona é um derivado da Testosterona, e é muito semelhante à Testosterona na sua estrutura, onde houve uma adição de um átomo de carbono na posição 19, e daí se originou o seu outro nome, a 19-nortestosterona12.

- Já a Trembolona é uma forma modificada de Nandrolona, e difere apenas por uma alteração estrutural nos carbonos 9 e 11, e a droga resultante dessa modificação é significativamente mais potente como Anabolizante e como Andrógeno se comparado à Nandrolona13.

Existem outros casos de Anabolizantes derivados da Diidrotestosterona(DHT), onde podemos citar a Oxandrolona e o Estanozolol12.

Todas essas formas sintéticas, possuem suas parcelas Anabólica e Androgênica, pois não tem como dissociar uma parcela da outra e criar uma forma sintética apenas Anabólica ou apenas Andrógena.

O que se verifica nesses Anabolizantes Sintéticos que citamos acima, é que eles se diferem em suas quantidades Andrógenas e Anabólicas.

Com isso podemos creditar alguns dos colaterais dos Anabolizantes, que podemos citar o caso das mulheres, onde não seria interessante administrar Anabolizantes com perfil androgênico muito elevado, por problemas de virilização e de alterações drásticas no estado de humor5.

A administração de Anabolizantes em mulheres acarreta alterações masculinizantes, devido a parcela andrógena do Anabolizante, que são conhecidos como virilização, e são semelhantes às observadas na puberdade masculina, e esses efeitos virilizantes indesejados podem ser relatados como mudanças no tom da voz e hipertrofia de clítoris entre outros, que dependendo do caso, alguns desses efeitos se tornam irreversíveis12.

Outros colaterais podem ocorrer na mulher, como amenorreia(parada da menstruação), acne, oleosidade da pele e aumento de pelos no corpo e na face e calvíce3,6,7,8,9.

Não dá para quantificar como uma determinada mulher poderá agir com relação à virilização, pois isso acaba sendo muito individual de cada uma, pois pode haver virilização reversível ou não em mulheres usando 30mg de Estanozolol, enquanto outras com 30mg de Estanozolol não teriam essa Virilização.

A virilização com Estanozolol é bem discutida e alguns apontam que essa virilização poderia ser maior em mulheres do que o esperado se considerado apenas a parcela andrógena do Estanozolol, e isso devido ao fato da inibição do SHBG que o Estanozolol aponta em algumas pesquisas na sua versão oral4.

Os efeitos colaterais em homens podemos citar a ginecomastia, oligospermia(diminuição na produção de espermatozoides) durante o uso e pós ciclo também, falta de produção endógena natural de Testosterona durante e após o ciclo, falta de libido e ereção durante e após o ciclo, onde no pós ciclo por ocasionar queda na performance física e mental e diminuição da massa muscular pós ciclo12.

Em ambos os sexos podemos ter problemas relativos à sobrecarga hepática quando utilizados Anabolizantes 17aa(Oxandrolona, Dianabol, Estanozolol, Oximatolona), casos de depressão pós ciclo e problemas relativos ao colesterol12.

Diminuição do crescimento na puberdade pode também ocorrer, por causar o fechamento das epífises ósseas, acarretando diminuição final do crescimento por conseqüência do amadurecimento ósseo precoce9,10.

Aumento da pressão arterial durante o uso em ambos os sexos no caso de Anabolizantes com tendência a retenção hídrica12.

Problemas cardíacos a longo prazo como espessamento da parede do miocárdio, que pode diminuir o potencial de bombeamento do sangue do coração, podem ocorrer11.

Portanto é interessante a pessoas conhecer esses colaterais antes de pensar em usar um Anabolizante.

Elaborado por Mestre fórum FISIculturismo

Referências:

1 .Handelsman DJ. Androgen action and pharmacologic uses. In: De Groot LJ, Jameson JL, editors. Endocrinology. Philadelphia: Saunders, 2001

2. Smith EL, Hill RL, Lehman IR, Lefkowitz RJ, Handler P, White A. Bioquímica: mamíferos. 7a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1985.

3. Hardman JG, Gilmann AG, Linbird LE, editors. Godman and Gilman's. The pharmacological basis of therapeutics. New York: McGraw-Hill, 1996.

4 - Sex hormone-binding globulin response to the anabolic steroid stanozolol: Evidence for its suitability as a Biological androgen sensitivity test. G Sinnecker, S Kohler. Journal of Clin Endo Metab. 68: 1195,1989.

5 -  Corrigan B. Anabolic steroids and the mind. Med J Aust 1996 6 - Rang HP, Dale MM, Ritter JM. Farmacologia. 3a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997

7 - Strauss RH, Liggett MT, Lanese RR. Anabolic steroid use and perceived effects in ten weight-trained women athletes. JAMA 1985

8 - Council on Scientific Affairs. Drug abuse in athletes: anabolic steroids and human growth hormone. JAMA 1988

9 - De Rose EH, Nóbrega ACL. Drogas lícitas e ilícitas. In: Ghorayeb N, Barros TO. Exercício. São Paulo: Atheneu, 1999

10 - Catlin DH, Murray TH. Performance-enhancing drugs, fair competition, and Olympic sport. JAMA 1996

11 - Di Belo V, Giorgi D, Bianchi M, Bertini A, Caputo MT, Valenti G, et al. Effects of anabolic-androgenic steroids on weight-lifters' myocardium: an ultrasonic videodensitometric study. Med Sci Sports Exerc 1999.

12 - William Llewellyn’s, Anabolics E-Book Edition 2011.

13 - Unique steroid congeners for receptor studies. Ojasoo, Raynaud. Cancer Research 38 (1978):4186-98.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Tudo sobre esteroides

Curso sobre esteroides anabolizantes!

Domine o uso de esteroides neste curso de 8 módulos do médico Dr. Luiz Tintore

Clique aqui para conhecer

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta 100% gratuita!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
 Compartilhar

  • Conteúdo similar

    • Por limorx
      Fala Pessoal,
      Estou começando o primeiro ciclo e vou relatar mas gostaria também da ajuda dos mais experientes para corrigir possíveis falhas nos suplemtnos e dieta.
      Sempre malhei e corri, mas nunca fiz dieta, "pelo contrário" e também bebia em excesso. Estou tentando fazer uma mudança e a 90 dias venho me alimentando melhor.
      Fiz exames e fui em um nutrólogo / endocrinologista para iniciar esse ciclo, mas lendo o forum vi várias vezes que médicos não entendem de ciclos.
      Então se puderem dar opiniões, será muito bem-vinda!
      @Bravo Costa 
      @Foston
      @Apollo Galeno
      Vi que vocês comentaram em um tópico bem parecido, se puderem me ajudar aqui também eu agradeço
       
      Idade: 35
      Altura: 1,83
      Peso: 95,8 - estava com 102 a 3 meses atrás e reduzi com dieta
      Medidas da Bioimpedância
      IMC: 28,6% / PGC: 24,8%  / TMB: 1926 / Gordura Visceral: 11% / Massa Muscula Esquelética 41,1 Kg
      Meta: 85 Kg / 15% PGC (Percentual de Gordura)
      Medicações em uso: Somente a fórmula que o médico passou para diminuir ansiedade e ajudar no emagrecimento - Preciso de ajuda aqui pq li e não estou muito seguro de tomar essa medicação
      Bupropiona 75 mg / Naltrexone 4 mg / 4mg / Cromo GTF 200 mcg / 5HTp 50 mg / Garcinia 300mg
      Problemas de Saúde: Nenhum, talvez um pouco de ansiedade mas nada que me atrapalhasse
      Tempo de treino: 3 anos musculação, corrida a pelo menos 5 anos
      Ciclos FEITOS com dose e tempo: Esse é o primeiro
      Ciclo PROPOSTO com Aes (Marca) dose e tempo:
      8 semanas: Oxandrolona 30mg ao dia (10mg de 8 em 8 horas) Sublingual + Testostestora Gel  100mg/g (Pentravan)
      IA Manipulado:  1 capsula ao dia (Vitamina B6 30mg / Saw Palmeto 160mg / Zinco 15 mg / Crisina 100mg / Resveratrol 0,5 mg / Anastrozol 0,5 mg)
      Divisão de treino e horario do mesmo:
      Corrida em Jejum 30 minutos as 6:30 (somente com pré treino)
      Musculação ABC x2 as 18:00
      A - Peito Tríceps
      B - Costa / Bíceps
      C - Ombro / Perna
       
      Dieta com quantidade de proteina/carboidrato/gordura por dia:
      2500 cal
      Carboidratos: 281 g - 45%
      Proteínas: 250 g - 40%
      Gordura: 42g -15%
       
      ROTINA DIARIA
      06:00 Pré Treino
      Termogênico Manipulado: Cafeína 250mg / Chá verde: 400 mg /  Capsiate: 3 mg /  Iombina: 3mg / Citrus Aurantinum: 200 mg / D Ribose: 500 mg  / L Carnitina 200mg
      06:30 Termogênico Manipulado
      Corrida na areia 30 minutos - Não chega a ser Hiit mas dou uns piques no meio da corrida
      Seg/Qua/Sex - 4x15 Flexão de Braço - Terça/Quinta/Sábado - 4x4 Barra
      07:30 Desjejum
      Whey Protein Dymatize - Isowhey
      Oxandrolona - 10mg
      Vitamina C - 500mg
      09:30 Café da Manhã
      Pão Nutrela 1 fatia + Ovos Mexidos ou Queijo Minas
      IA Manipulado:  Vitamina B6 30mg / Saw Palmeto 160mg / Zinco 15 mg / Crisina 100mg / Resveratrol 0,5 mg / Anastrozol 0,5 mg
      12:30 Almoço
      Almoço com Proteína, arroz integral, salada, legumes
      Omega 3 Nutrata
      Vitamina D3 10.000 Ui /Vitamina A 1.000 UI
      Bupropiona 75 mg / Naltrexone 4 mg / 4mg / Cromo GTF 200 mcg / 5HTp 50 mg / Garcinia 300mg (1/2 dose)
      15:30Lanche
      Café sem acúcar
      Pão Nutrela 1 fatia + Ovos Mexidos ou Queijo Minas
      Oxandrolona - 10mg
      18:00 Treino
      Musculação
      Após o banho 1 pump de Testosterona Gel
      19:30 Jantar
      Jantar leve geralmente sem carbo ou bem pouco carbo + proteina + salada
      Omega 3 Nutrata
      Bupropiona 75 mg / Naltrexone 4 mg / 4mg / Cromo GTF 200 mcg / 5HTp 50 mg / Garcinia 300mg (1/2 dose)
      21:30 Ceia
      1 banana ou iogurte ou as vezes nada mesmo
      Oxandrolona - 10mg
       
      Não tenho fotos, mas vou tirar assim que começar;
      Valeu!
    • Por Mrbomb7
      BOM DIA, GALERA

      MONTEI UM CICLO ONDE, PROVAVELMENTE, FAREI USO DE QUATRO DROGAS: BOLDENONA (MEGA-EQUI OU EQUIFORT), DURATESTON (COMPRADA EM FARMÁCIA), OXANDROLONA (MANIPULADA) E MESTEROLONA (PROVIRON - DE FARMACIA). NA VERDADE, AINDA NÃO TENHO CERTEZA SE FAREI USO DA OXANDROLONA. INICIALMENTE ESTAVA PENSANDO EM CICLAR USANDO APENAS 400mg DE BOLDENONA E 500mg DE DURATESTON E 50mg DIÁRIAS DE PROVIRON POR 10 SEMANAS. MAS, DEPOIS DE ANALISAR UM POUCO, ACHEI INTERESSANTE A POSSIBILIDADE DE INTRODUZIR 60mg DIÁRIA DE OXANDROLONA, POR 6 OU 8 SEMANAS, RECEITADA, É CLARO, POR MEU MÉDICO ENDOCRINO E MANIPULADO EM FARMACIA DE CONFIANÇA..
      PEÇO QUE ANALISEM O CICLO, SE ESTÁ BEM ESTRUTURADO E SE É REALMENTE NECESSÁRIO ALTERAR ALGUMA COISA TIPO, DROGA, DOSE OU TEMPO DE USO. DESDE JÁ AGRADEÇO A COOPERAÇÃO DE TODOS QUE SE DISPUSEREM.
       
      IDADE: 41 ANOS
      ALTURA: 1,75 m
      PESO: 83 Kg
      BF: 12% (SÓ INICIAREI O CICLO DEPOIS QUE EU CONSEGUIR BAIXAR O BF PRA 8%)
       
      VAMOS AO CICLO DE 10 SEMANAS
      OBJETIVO: GANHO DE MASSA MAGRA (SE HOUVER UM POUCO DE RETENÇÃO NÃO TEM PROBLEMA)
      DA 1° À 10° SEMANA (SEGUNDAS E QUINTAS): 400mg de BOLDENONA + 500mg de DURATESTON + 50mg de PROVIRON (dose diária, do primeiro ao último dia de ciclo)
      DA 1° À 6° OU 8° SEMANA (TODO DIA): 60mg de OXANDROLONA (todo dia, 30 mg de 12 em 12 horas) - ASSIM FAREI CASO EU RESOLVA UTILIZAR A OXANDROLONA.
       
      A DIETA SERÁ MONTADA POR NUTRICIONISTA ESPORTIVO, PORTANTO, SERÁ PERSONALIZADA.
      FAREI USO DE SUPLEMENTOS (WHEY PROTEIN - CREATINA - MALTODEXTRINA)
      TPC TAMBÉM ESTÁ OK, TENDO COMO OBJETIVO PRINCIPAL A NORMALIZAÇÃO MAIS RÁPIDO POSSÍVEL DO EIXO.
      FAREI OS EXAMES NECESSÁRIOS PARA INÍCIO E ACOMPANHAMENTO DO CICLO. TEREI A SUPERVISÃO DO MEU MÉDICO ENDOCRINOLOGISTA.
       
    • Por Jonata
      Oi!
      Estou planejando o meu ciclo com a trembolona, com o objetivo de ganhar massa muscular e perder gordura, mas ainda não sei o que usar na TPC.
       
      Meu ciclo (produtos da American Plus Pharma):
      - 75 mg de acetato de trembolona (segunda, quarta e sexta, durante 8 semanas).
      - 200 mg de deposteron (a cada duas semanas, durante o uso do acetato de trembolona): para manter os níveis de testosterona.
       
      Pretendo malhar pelo menos 3 (três) vezes por semana, pela manhã, com duração de no mínimo 1h e 30m.
      Idade: 22.
      Altura: 1,71.
      Peso.. 87,00.
      Dieta: 2500 calorias, 170-180g de proteína, 150g de carboidrato no mínimo, 40g de gordura no máximo.
       
      O que posso usar na TPC para conseguir (1) manter meu nível de testosterona normal com os testículos produzindo testosterona normalmente, (2) manter os ganhos obtidos e (3) evitar ginecomastia (já tive ginecomastia antes e fiz cirurgia)? Enfim, como posso montar essa TPC?
    • Por fisiculturismo
      Existem mais de duzentos estudos clínicos sobre o magnésio que documentam a importância desse mineral. Normalmente nossa dieta é deficiente na ingestão de magnésio, razão pela qual muitas pessoas são orientas a suplementar o mineral.
      O magnésio é considerado um mineral antiestresse e um tranquilizante natural. O estresse esgota o magnésio do corpo e pode levar a uma perturbação no sistema nervoso.
      Outro benefício do magnésio está relacionado com a produção de testosterona. Um estudo examinou a relação entre o magnésio, a testosterona e o exercício físico. Os indíviduos foram divididos em dois grupos, um de pessoas sedentárias, e outro de fisicamente ativas.
      Todos ingeriram 10mg de magnésio por kg corporal. Os pesquisadores descobriram que a suplementação com magnésio aumentou a testosterona livre em ambos os grupos. No entanto, no grupo fisicamente ativo a elevação foi maior.
      O uso de suplementos alimentares com magnésio pode ajudar o fisiculturista ou musculador a dormir melhor e a ter um aumento na produção de testosterona.
      Fonte:
      Magnesium, the Key to Recuperation. FLEX, pp. 118, maio de 2013.
    • Por Paulo Cavalcante Muzy
      Vamos falar das misturas de testosterona? Bom, nesta semana me perguntaram por que existem medicações que são sais de testosterona combinados e por que existem sais de testosterona produzidos sozinhos.
      A resposta é razoavelmente simples: testosterona fabricada não foi feita para ampliar resposta esportiva, foi feita para tratamentos de reposição hormonal. Tais tratamentos são realizados em ordem de, em uma pessoa idosa ou que necessite de reposição hormonal por hipogonadismo central ou periférico, possa ter a resposta endócrina induzida o mais parecido com a resposta endócrina normal. Sendo assim, imagine as situações que se seguem:
      Homem entre a 6a e a 7a década de vida, com produção mínima de testosterona, mas ainda funcionante, mas com sintomas clínicos de baixa hormonal, com exames laboratoriais mostrando função de estímulo para produção; Homem entre a 8a e a 9a década de vida, com produção hormonal acentuadamente baixa, praticamente inexistente, com queda no estímulo glandular para produção hormonal, mas sem queixas clinicas, embora apresente sintomas de perda de massa óssea e diminuição da atividade mental e física; Jovem de 17 anos de idade, pós-operatório de cirurgia para remoção dos testículos depois de neoplasia maligna apresentando perda muscular acentuada, perda da libido, baixa atividade mental. Apresenta o agravante de ter tido lesões hepáticas devido ao processo de quimioterapia. Percebe que são situações diferentes e que portanto precisam ser tratadas de forma diferente?
      O que eu gostaria que vocês prestassem atenção é que, embora todas estas condições estejam relacionadas com perda de massa muscular e a testosterona administrada por meio dos seus sais de diferentes tempos de ação e duração possa devolver essa massa muscular, isso é uma situação e não uma regra.
      Lembrem-se: o que torna um sujeito emagrecido por doença num sujeito com a massa muscular normal não necessariamente torna uma pessoa com uma massa muscular normal numa pessoa com uma massa muscular aumentada.
      A grosso modo isto quer dizer que o resultado final depende da adaptação continua , ou seja: ganhar 5kg de massa muscular não é o mesmo para cada estágio do desenvolvimento físico, a medida que o que transforma um magrinho num fortinho não é o mesmo que transforma um fortinho num fortão ou ainda o que transforma um gordão num gordinho, não é o mesmo que faz o gordinho ficar magro, deu para entender?
      Pense bem. Meu conselho médico e de atleta, não transforme seu desempenho em contas aritméticas no mínimo ingênuas.
      Abraço e muita performance com muita saúde!
×
×
  • Criar novo...