Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Proteína demais faz mal??


GUILSILVA
 Compartilhar

Post Destacado

Proteína demais faz mal? Essa é uma pergunta que gira nas academias e em fóruns de musculação pelo mundo todo. Nosso meio está rodeado de informações equivocadas, profissionais mal informados e muitos, muitos curiosos metidos a estudiosos e que quase sempre passam a mensagem errada.

A Organização Mundial da Saúde diz que a dose diária e saudável de proteína para um adulto é de 0,8 grs/kg de peso corporal/dia. Alguns estudos realizados há 40 anos diziam que muita proteína era prejudicial aos rins. Estes fatos não condizem com a verdade e apenas servem de munição para médicos e jornalistas desatualizados na hora comentar os hábitos alimentares dos atletas envolvidos em atividades como exercício resistido.

Proteína demais faz mal? A resposta da Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva ( International Society os Sports Nutrition - ISSN) é um grande e sonoro NÃO. O Comitê de pesquisas da entidade, formado por nove especialistas e autoridades mundiais em pesquisas na área, formulou um estudo onde se comprovaram vários fatos que os culturistas já sabiam a anos. Agora a ciência, e ciência com autoridade, pois a entidade em questão é um órgão de reconhecimento mundial, comprova e firma sua posição a favor de um consumo maior de proteínas pelas pessoas que praticam atividades físicas e ainda por cima enterra velhos mitos tais como o que muita proteína prejudica os rins.

O estudo realizado pela ISSN é importantíssimo pelo fato de que este texto formaliza a posição oficial da entidade em relação ao consumo de proteínas por pessoas ativas. Chame sua namorada, sua mãe, seu pai, sua avó, enfim, todos que sempre só assistem aos programas sensacionalistas da TV e que sempre ficam te enchendo por você comer proteína demais ou tomar seus shakes diariamente. Agora eu, você, todos nós podemos mostrar e comprovar por meio de um estudo cientifico realizado por uma entidade de renome mundial, séria e por um corpo de pesquisadores do mais alto escalão que o consumo de proteína mais alto, o consumo de suplementos a base de proteínas e aminoácidos são importantes e totalmente seguros.

Quantidade adequada de proteína

Por décadas, os culturistas são conhecidos por ingerirem quantidades enormes de comida, especialmente proteína. Temos relatos de atletas que chegam a ingerir até 4, 6 grs de proteína por quilo de peso corporal. Não é novidade para nenhum marombeiro bem informado que a necessidade protéica de quem treina com pesos é muito maior do que a de uma pessoa normal. Por isso comemos muita, mas muita proteína. Um dos valores mais aceitos pela comunidade culturista hoje são 2 grs/kg peso/dia para atletas naturais. A OMS recomenda 0,8 grs/kgs peso/dia; você já se perguntou de onde eles tiraram este número?

Segundo o texto, a necessidade diária protéica é calculada medindo o balanço nitrogenado do corpo; calcula-se a quantidade de nitrogênio ingerido (proteína ingerida em um dia) e calcula-se a quantidade de nitrogenio excretada na urina. Acontece que essa técnica pode subestimar a quantidade mínima de proteína pois não leva em conta a atividade atlética realizada e não leva em conta os efeitos anabólicos de uma ingestão maior de proteínas.

Nas palavras dos autores: "Na verdade, uma abundancia de estudos indica que os indivíduos engajados em atividades físicas requerem níveis maiores de ingestão proteica do que os 0,8grsproteina/kgs peso/ dia, independente do tipo de exercicio ou de sua condição física."

O estudo finaliza essa parte dizendo que atletas que treinam com peso devem consumir 2,0 gramas de proteína pro quilo de peso por dia e que a ingestão abaixo deste nível pode ser prejudicial, pois levaria a uma recuperação inadequada.

Consumir proteína acima da recomendação da OMS é seguro?

O maior mito e o maior erro sobre o consumo de proteínas é dizer que o consumo continuo e elevado de proteína é prejudicial aos rins e que pode causar perda de cálcio nos ossos, aumentando as chances de osteoporose.

Sempre que alguém de fora do meu circulo de amigos ou familiares me conhece e fica sabendo que costumo consumir 800-1000grs de carne ou frango por dia, ela começa a me dar sugestões e conselhos do tipo: "Cuidado, não coma tanta proteína." "Proteina demais faz mal!" "Você vai ter problemas nos rins se continuar fazendo isso."

O consenso geral é esse. Proteína demais vai te matar. Vai te causar problemas irreversíveis nos rins. Inclusive nutricionistas e médicos ainda dizem isso. Segundo Stalin, uma mentira dita mil vezes torna-se uma verdade. Com tanta gente dizendo que comer muita proteína faz mal, todos aqueles que estão de fora do esporte, que não estão ligados tão diretamente ao ramo da musculação acabam tendo a certeza de que isso é verdade.

Mas e se todos estiverem certos? E se o consumo elevado de proteína realmente for prejudicial?

Felizmente as pesquisas mais recentes demonstram o contrario. A maioria das pesquisas que demonstram que consumir quantidades de proteína acima da recomendação da OMS podem causar problemas, utilizam como objeto de estudo pessoas ou animais com problemas renais já existentes. Por isso a única conclusão é que proteína em grande quantidade pode aumentar os problemas já existentes nos rins, e não causar problemas em pessoas saudáveis.

Além da inexistência de evidencias comprovando que o uso de proteína acima da recomendação da OMS trás problemas renais, a ISSN diz que o consumo um pouco mais alto de proteína acaba sendo benéfico á saúde pois acaba ajudando a prevenir problemas como diabetes, colesterol alto, sindrome metabólica e obesidade.

Outra preocupação antiga sobre o consumo mais alto de proteina é a perda de cálcio nos ossos o que poderia levar a osteoporose. As evidencias deste problema são encontradas em artigos com sérios erros e falhas metodológicas pedendo seu valor cientifico e credibilidade.

Todos que treinam com pesos deveriam tomar um suplemento proteíco

Agora que vimos e temos certeza que podemos e devemos consumir mais proteína para maximizar os ganhos, precisamos encontrar uma maneira de conseguir consumir toda essa proteína. Nem sempre é possível consumir a quantidade de 2,0 grs de proteína/Kg de peso corporal/ dia somente comendo carne ou ovos. Muitas vezes motivos de força maior como trabalho ou estudos nos impedem de sentar à mesa e consumir uma refeição sólida.

A conveniência é um fator chave nos suplementos a base de proteína. Pode-se levar o shake a qualquer lugar, é fácil de preparar e simples e rápido de consumir. Se, sujeira, sem demora.

Ainda existem pessoas, até médicos, dizendo que suplementos fazem mal e que se você tomar por um período de tempo elevado, com certeza vai ter problemas. Os suplementos ainda sofrem um preconceito relativamente grande e são extremamente mal-entendidos pelo grande público. Muitos os consideram como "bombas", outros consideram e tratam como remédios, mas na verdade pouca gente entende o seu funcionamento e importância dentro de um plano de treinamento.

A indústria de suplementos se especializou fortemente na última década e hoje temos uma variedade imensa de produtos. Mas sem dúvida nenhuma, o suplemento número 1 , o mais primordial são os pós protéicos. Carnes vermelha ou branca têm entre 20 e 25% de proteína em relação ao peso (cru), o leite, que é um alimento tido como protéico, na verdade tem uma concentração muito baixa de proteína- apenas 3%. É bem verdade que os suplementos protéicos de maior valor biológico são derivados do leite (whey e caseina) mas a concentração deles no leite in natura é tão pequena que nem deveriaser considerada. Para se ter uma idéia, são necessários entre 200 e 300 litros de leite para produzir 900grs de whey protein de boa qualidade. Nos suplementos em pós, podemos encontrar concentrações entre 80 e 100% de proteína.

Voltando ao exemplo da minha casa, sempre que alguém vem nos visitar e vê os inúmeros potes de suplemento na cozinha, a pessoa fica espantada e novamente vêm os conselhos. Eu deveria parar com esses "remédios de engordar", essas coisas tem bomba dentro etc . Para aqueles que dependem dos pais para comprar suplementos, a coisa pode ficar pior ainda, pois os pais zelosos nem sempre compreendem e tem acesso as fontes confiáveis de informação nesta área. Para nossa satisfação e maior tranqüilidade, a ciência, através dos estudos da Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva, comprova que suplementos são eficazes, seguros e necessários para pessoas que praticam esportes como musculação.

A comissão que montou o texto encontrou e demonstrou diversos fatos importantes. Um deles é que as melhores fontes de proteína na forma de suplementos são whey (proteína do soro do leite) e caseína. Ambas as proteínas tiveram sua eficiência e superioridade comprovada através de inúmeros estudos divulgados no texto.

Segundo o texto, a ingestão de proteína em pó na forma de whey ou caseína aumenta a síntese protéica pós treino e atua positivamente no balanço nitrogenado. Ainda são destacados os efeitos positivos no sistema imunológico e na saúde de um modo geral em indivíduos que utilizam proteína em pó(suplemento a base de whey ou caseína) logo após o treino. Os estudos demonstraram o papel da whey na melhora da dor muscular tardia e no sistema imunológico quando utilizado após o treino e de forma freqüente.

As palavras dos autores: "É posição da Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva que indivíduos que se exercitam deveriam consumir proteína de alta qualidade dentro do período de tempo que compreende sua sessão de treinamento (antes, durante e depois do treino)"

Pelo que podemos ver acima, um importante órgão de pesquisas na área de nutrição esportiva formou uma comissão e coletou os mais confiáveis dados á disposição atualmente para montar um texto e deixar claro a sua posição e opinião. Neste texto a Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva firmou sua posição e aprova os seguintes termos:

· Pessoas que treinam com pesos necessitam de uma quantidade bem maior de proteína do que a recomendação da OMS.

· Uma ingestão de 2 gramas de proteína por quilo de peso corporal por dia é não somente necessário para melhorar a performance, como também totalmente seguro.

· Quando parte de uma alimentação balanceada e saudável, doses mais altas de proteína não prejudicam ou causam qualquer problemas renais ou perda óssea.

· Suplementos alimentares a base de proteína são uma forma segura, eficiente e prática para garantir que se consuma as quantidades mínimas de proteína exigidas.

Bibliografia:

International Society of Sports Nutrition position stand: protein and exercise - Campbell B. , Kreider R.B., Ziegenfuss T., La Bounty P., Roberts M. , Burke D. , Landis J. , Lopez H. , Antonio J. J Int Soc Sports Nutr. 2007 Sep 26;4:8.

Fonte : Miguel Chain (http://www.diariodoculturismo.com.br)

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Algumas coisas de se considerar:

Tbm nao compactuo com a IGNORANCIA da sociedade HIPOCRITA e IGNORANTE no trato de Suplementos e do seu funcionamento Fisiologico no corpo.

Tem gente que nem a cor do sangue sabe, e ao ver um Suplemento(Whey por exemplo), já começa a fazer perguntas e dizer besteiras sobre o produto, tratando-o como um Veneno quase.

Mas outra coisa a se considerar, eh que não apenas os Rins devemos citar como referencia de uma pesquisa sobre Proteinas.

O Figado eh bem utilizado, e tem um papel central no metabolismo das proteínas.

Quando ingerimos Proteinas demais, uma parte delas entra na produção de energia atravez da Desaminação Oxidativa.

Essa Desaminação eh feita no Figado, que toma grande parte de sua tarefa dedicada à isso.

Quando temos Proteina a mais à Sintese Proteica, para então podermos usar a Proteina de outra forma, precisamos extrair dela o Nitrogenio, isso vai gerar Amonia toxica ao SNC.

Essa Amonia eh rapidamente pelo Figado tbm, convertida em Ureia nas mitocondrias dos hepatocitos.

Essa Ureia posteriormente eh eliminada pelos Rins.

Ao ingerirmos muita Proteina, claro que iremos dar mais trabalho ao Figado e Rins.

Mas nada absurdo que possa fazer uma pessoa saudavel, ter problemas em ingerir Proteinas vindas de Suplementos(Whey); como alguns Medicos ainda ignorantes apontam.

Mas uma outra coisa a se considerar tbm, eh que pode-se haver problemas quando pessoas NÃO SAUDAVEIS, fazem uso de doses altas de Proteina.

Pessoas com problemas Hepaticos ou Insuficiencia Renal, devem antes de mais nada ficar ALERTAS ao perigo de se ingerir muita Proteina.

Agora PESSOAS SAUDAVEIS, não irão apresentar o risco de ter problemas com a Ingestão de doses maiores do que o normal de Proteina.

abracos GUI. :wink:

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

No primeiro texto, discordo quando fala que pessoas que malham muito mais precisam de mais proteina.. pelo menos como ele quer mostrar não é bem a verdade.

A relação proteina vs. carboidrato tem que ser aumentada, isso sim, ou seja, não se deve apenas aumentar a proteina e pronto.

Também depende do que queremos. Hipertrofia? Aumente sua ingestão diaria de carboidratos, verá como irá hipertrofiar muito mais.

Quanto a Whey protein, só tem utilidade pós-treino e com carboidrato para elevar os picos de insulina. Note que não estou falando aqui que tenho que tomar a proteina no pós-treino. Imagine tomando a proteina no pós-treino.. você tá precisando dela mas ela ainda vai ter que entrar na corrente sanguinea.

eu to a fim de falar outras coisas, mas não vô me estender.. deixa eu colar aqui um artigo do GEASE.. :D

--------------------------------------------------

Dicas sobre a ingestão de proteínas

Paulo Gentil

22/06/2003

A proteína é o principal componente orgânico dos nossos músculos, o que nos leva a inevitável conclusão que estimular a síntese protéica significa estimular o processo de construção muscular. Uma das principais preocupações para que isto ocorra é através da ingestão adequada de proteínas e aminoácidos.

Quantidade

De acordo com diversas pesquisas, um dos principais fatores de regulação da síntese protéica e a presença de aminoácidos na circulação sangüínea. Porém a dinâmica metabólica não segue linearmente até o infinito, de acordo com estudo de WOLFE (2002) a síntese protéica é estimulada em uma relação dose-dependente até que concentração plasmática de aminoácidos dobre, a partir daí qualquer aumento na concentração de aminoácidos será inútil. Então qual seria a quantidade ideal? De acordo com um estudo de TRIPTON et al (1999) a quantidade da maioria dos aminoácidos praticamente dobra com a suplementação de um composto contento 40 g de proteínas.

Poderíamos então concluir que a dose ideal de proteínas seria 40 gramas, porém um dos maiores aumentos na síntese protéica obtidos na história foi descrito em um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade do Texas que usaram apenas 6 gramas de proteína (RASMUSSEM et al, 1999).

O papel dos outros nutrientes

Os resultados de diversas pesquisas mostram que na busca pelo anabolismo, não devemos nos preocupar somente com a proteína, uma vez que a ingestão concomitante de carboidratos aumenta o potencial anabólico da refeição, de modo que a resposta à ingestão combinada de glicose e aminoácidos é superior à soma de cada uma destas respostas, como no caso do estudo de RASMUSSEM et al (1999) onde a combinação de 35g de carboidratos a apenas 6g de proteína foi extremamente eficaz (na verdade até a data de conclusão da pesquisa este havia sido o melhor protocolo já utilizado). O efeito sinergístico da mistura carboidrato + proteínas é devido provavelmente a maior resposta insulínica, fato corroborado pelo trabalho de pesquisadores holandeses onde verificou-se que a ingestão de uma mistura de aminoácidos e glicose causa uma liberação de insulina até 100% maior que ingerir somente glicose (VAN LOON et al, 2000).

Além disso, devemos lembrar que carboidratos e gorduras têm efeito poupador de proteína, ou seja, uma ingestão equilibrada de nutrientes prevenirá que seus tecidos sejam degradados para obter energia, ou mesmo que a proteína suplementada seja convertida em radicais carbônicos, dado que num primeiro momento de baixa ingestão calórica você utilizará os aminoácidos e proteínas livres como energia e posteriormente terá que catabolizar seus tecidos para obter energia.

Composição

Outro fato bem estudo é que para que a síntese protéica seja estimulada é necessária a presença de aminoácidos essenciais (WOLFE, 2002; RASMUSSEM et al, 1999; TRIPTON et al, 1999).

Tempo

Pesquisadores dinamarqueses conduziram um estudo de 12 semanas para verificar a influencia do tempo de ingestão dos AA no anabolismo. A amostra foi divida em dois grupos: um ingeria o suplemento 5 minutos após o treino e o outro esperava 2 horas para faze-lo (ESMARCK et al, 2001). De acordo com os resultados, a ingestão imediata do suplemento seria mais recomendada para a hipertrofia, porém alguns pontos devem ser observados: 1) a hipertrofia obtida com a suplementação imediata não foi superior a obtida em outros estudos onde a amostra se alimentava livremente e; 2) o outro grupo passou 2 horas em jejum após o término da atividade. Fica a pergunta: e se um grupo ingerisse o suplemento de proteína e o outro ingerisse somente carboidrato?

Em um estudo de RASMUSSEN et al (1999) foram comparadas a ingestão de placebo ou um suplemento contendo carboidrato (35g) e proteína (6g) 1 ou 3 horas após o término do treino de força, os resultados mostraram vantagem do suplemento em relação ao placebo, porém não houve diferença entre a ingestão 1 ou 3 horas após o treino.

Uma equipe liderada por Kevin TRIPTON conduziu uma pesquisa para responder uma pergunta que poucas vezes foi feita: e se ingerimos a proteína antes do treino? A resposta foi inesperada: de acordo com os resultados, ingerir o suplemento imediatamente antes do treino de musculação promoveu melhor balanço protéico do que ingeri-lo imediatamente após (TIPTON et al, 2001). A explicação dos autores tem fundamento, a ingestão anterior do suplemento geraria picos plasmáticos de aminoácidos concomitantes com os momentos de maior fluxo sangüíneo, teoria que faz sentido se analisarmos o estudo de RASMUSSEN et al (1999), onde o pico de concentração plasmática de aminoácidos ocorreu por volta de 40 minutos após a ingestão do suplemento.

Considerações finais

Na maioria dos estudos a amostra era submetida a um jejum de mais de 10 horas e depois eram comparadas a ingestão de proteínas com a ingestão de um placebo praticamente isento de calorias, desta forma a constatação que podemos ter é que o suplemento é melhor do que nada. Seria interessante que fosse comparada a ingestão de proteínas a ingestão de carboidratos, por exemplo.

Apesar dos diversos questionamentos, podemos tirar três conclusões essenciais que podem ser úteis para quem deseja suplementar proteínas:

1. A mistura de carboidratos às proteínas aumenta o efeito anabólico.

2. Não é interessante esperar muito tempo após o término da atividade para se alimentar.

3. Existem diversas possibilidades de se suplementar proteínas, portanto seria interessante variar os métodos para assegurar uma adaptação constante, evitando os platôs e a monotonia.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

No primeiro texto, discordo quando fala que pessoas que malham muito mais precisam de mais proteina.. pelo menos como ele quer mostrar não é bem a verdade.

A relação proteina vs. carboidrato tem que ser aumentada, isso sim, ou seja, não se deve apenas aumentar a proteina e pronto.

Eu li o mesmo texto que vc e entendi diferente isso.

Pois eh obvio que se deve aumentar o Carboidrato tbm, e em momento algum o texto se refere a apenas aumentar a Proteina. Eh que o texto fala sobre Proteina e não sobre Carboidrato.

Também depende do que queremos. Hipertrofia? Aumente sua ingestão diaria de carboidratos, verá como irá hipertrofiar muito mais.

Mas claro que devemos aumentar tudo:

- Carbos

- Proteina

- Vitaminas

- Minerais

Onde está o problema nisso que tbm não ví?

Quanto a Whey protein, só tem utilidade pós-treino e com carboidrato para elevar os picos de insulina. Note que não estou falando aqui que tenho que tomar a proteina no pós-treino. Imagine tomando a proteina no pós-treino.. você tá precisando dela mas ela ainda vai ter que entrar na corrente sanguinea.

Essa parte não ficou bem clara.

Pois vc disse que o Whey tem utilidade tomado no pós treino com Malto, e concordo com isso.

Whey protein(...)tem utilidade pós-treino e com carboidrato

E logo enseguida vc disse:

Note que não estou falando aqui que tenho que tomar a proteina no pós-treino.

AGORA O PONTO MAIS IMPORTANTE A SE DISCUTIR NA SUA COLOCAÇÃO:

Imagine tomando a proteina no pós-treino.. você tá precisando dela mas ela ainda vai ter que entrar na corrente sanguinea.

Explique FISIOLOGICAMENTE o fato que o faz pensar que imediamatente no pós treino se tomarmos Malto + Whey, a Proteina do Whey não irá passar para dentro do contexto muscular??? Para onde vai essa Proteina então?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Foi mal mestre. Deixa eu melhorar..

Vamos lá.

Depois que você malha, o whey protein tem que estar imediatamente na corrente sanguinea!!! Correto?

Infelizmente, mesmo tomando logo após o treino isso não ocorre, evidentemente tem um tempo que se passa de quando você toma até entrar na corrente sanguinea.

Isso é só pra mostrar que as verdades podem variar. De fato o correto é tomar no pós-treino. Não aconselharia tomar durante o treino por atrapalhar o mesmo.

Resumindo, foi só para dar uma ênfase no que fazemos e porque fazemos. Tomar whey no pós-treino é o mais recomendado, mas não é o 100% e indubitavelmente correto... entende?

E se você tomar antes do treino.. é errado? ou 100% errado?

--

Outro ponto é que muita gente aumenta absurdamente a ingestão de proteina e não acompanha a ingestão de carboidrato.

Muita gente nem iria precisar aumentar a ingestão de proteina para atingir a hipertrofia, só aumentando a de carboidrato seria suficiente!!! Porquê??

Simples, ela come tanta proteina que se comece mais carboidratos ai sim a proporção ficaria adequada.

Vejo muita gente exagerando em proteinas. Como você disse, se a pessoa for saudavel não vai fazer mal, correto, mas o diheiro vai pelo ralo.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Foi mal mestre. Deixa eu melhorar..

Vamos lá.

Depois que você malha, o whey protein tem que estar imediatamente na corrente sanguinea!!! Correto?

Infelizmente, mesmo tomando logo após o treino isso não ocorre, evidentemente tem um tempo que se passa de quando você toma até entrar na corrente sanguinea.

Isso é só pra mostrar que as verdades podem variar. De fato o correto é tomar no pós-treino. Não aconselharia tomar durante o treino por atrapalhar o mesmo.

Resumindo, foi só para dar uma ênfase no que fazemos e porque fazemos. Tomar whey no pós-treino é o mais recomendado, mas não é o 100% e indubitavelmente correto... entende?

E se você tomar antes do treino.. é errado? ou 100% errado?

--

Outro ponto é que muita gente aumenta absurdamente a ingestão de proteina e não acompanha a ingestão de carboidrato.

Muita gente nem iria precisar aumentar a ingestão de proteina para atingir a hipertrofia, só aumentando a de carboidrato seria suficiente!!! Porquê??

Simples, ela come tanta proteina que se comece mais carboidratos ai sim a proporção ficaria adequada.

Vejo muita gente exagerando em proteinas. Como você disse, se a pessoa for saudavel não vai fazer mal, correto, mas o diheiro vai pelo ralo.

Agora entendi mano, e obrigado pela sua explicação.

Só gostaria de completar uma coisa muito importante que vc falou.

A importancia do Carboidrato.

Muita gente por causa da Midia, acaba valorizando demais a Proteina, e nem se importando com o Carboidrato no que se trata de Hipertrofia.

Claro que a Proteina formadora dos tecidos eh importante, mas o Carboidrato eh a fonte principal de Calorias e Energia para o corpo.

O Musculo eh um tecido vivo que consome energia mesmo em descanço, e se durante a fase de crescimento(Hipertrofia), a pessoa não suprir atravez da alimentação a quantidade de Carboidrato(fonte principal de calorias) necessário à Hipertrofia. Nem crescimento essa pessoa terá.

Outra coisa relacionada a isso, eh a Importancia do Glicogenio.

O Glicogenio muscular que usamos hj, estava estocado no musculo a varios dias atraz.

Nossos musculos fazem um verdadeiro estoque de Glicogenio, e quando ele entra no musculo, a agua entra junto.

Portanto assim como a Proteina, o Glicogenio faz parte do nosso musculo. E um corpo mal alimentado de Carboidratos e com pouco Glicogenio, eh um corpo "murxo" e "sem volume".

abracos amigo. :wink:

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Sobre a indubitavel verdade de se consumir proteina logo após a malhação:

Uma equipe liderada por Kevin TRIPTON conduziu uma pesquisa para responder uma pergunta que poucas vezes foi feita: e se ingerimos a proteína antes do treino? A resposta foi inesperada: de acordo com os resultados, ingerir o suplemento imediatamente antes do treino de musculação promoveu melhor balanço protéico do que ingeri-lo imediatamente após (TIPTON et al, 2001). A explicação dos autores tem fundamento, a ingestão anterior do suplemento geraria picos plasmáticos de aminoácidos concomitantes com os momentos de maior fluxo sangüíneo, teoria que faz sentido se analisarmos o estudo de RASMUSSEN et al (1999), onde o pico de concentração plasmática de aminoácidos ocorreu por volta de 40 minutos após a ingestão do suplemento.

--

E sobre o consumo demasiado de proteinas:

MUNRO (1974) aborda o problema com propriedade ao afirmar que um aumento na ingestão calórica será frustrado se a ingestão de proteínas for muito baixa, assim como um aumento na ingestão protéica de nada valerá se a ingestão calórica for baixa.

CONCLUSÃO

Indiscutivelmente a proteína é necessária, mas deve ser ingerida de forma consciente e equilibrada, não há porque faze-la de maneira extrema, conforme recomendam muitos “especialistas”. Faltam bases científicas suportando a teoria de que ingestões protéicas muito elevadas trarão os benefícios prometidos, afirmar que esta relação seja tão simples é manipular errada e perigosamente conceitos da fisiologia humana até porque, além da eficiência questionável, há a probabilidade de sobrecarga dos rins e fígado, com conseqüentes riscos a saúde.

Não estou condenando a suplementação protéica, somente questionando a dieta absurdamente rica em proteínas. Os suplementos podem ser úteis na medida que oferecem proteínas facilmente digeríveis e de altos valores biológicos. Além disso, estes suplementos podem beneficiar vegetarianos e pessoas muito ocupadas, com dificuldade de se alimentar adequadamente, para elas os compostos hiperprotéicos mais completos são de grande valia na manutenção de uma alimentação saudável.

Atrás da dieta rica em proteínas, como em todas as teorias radicais, há mais interesses financeiros do que humanos, tanto que sua propaganda é invariavelmente feita através de apelos emocionais e empíricos, quando deveriam ser científicos. Por incrível que pareça, a quantidade calórica é mais importante que a composição da dieta na maioria dos casos. A simples prática de uma alimentação equilibrada e coerente com sua demanda metabólica é a melhor maneira de potencializar o resultado dos seus treinos.

Da próxima vez que tentarem ingerir a terrível (e quase sempre insolúvel) albumina, se empaturrarem de claras de ovo ou gastarem uma nota em suplementos, pensem no porquê desta prática e se perguntem: será que vale a pena?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Perfeito mestre. Era ai que queria chegar. Pessoal dá valor astronomico para a proteina. Acha que o múscolo só é feito de proteina e ponto.

E todos nós sabemos que se faltar algo.. a proteina não terá efeito.

Hoje mesmo tava vagando pelo forum e vi alguém que ia comer umas 3 vezes peito de peru. só come proteina e acha que terá algum sucesso.

Lembrando que até mesmo quem quer emagrecer precisa de tudo.

Abraços

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Sobre a indubitavel verdade de se consumir proteina logo após a malhação:


MUNRO (1974) aborda o problema com propriedade ao afirmar que um aumento na ingestão calórica será frustrado se a ingestão de proteínas for muito baixa, assim como um aumento na ingestão protéica de nada valerá se a ingestão calórica for baixa. 


Uma equipe liderada por Kevin TRIPTON conduziu uma pesquisa para responder uma pergunta que poucas vezes foi feita: e se ingerimos a proteína antes do treino? A resposta foi inesperada: de acordo com os resultados, ingerir o suplemento imediatamente antes do treino de musculação promoveu melhor balanço protéico do que ingeri-lo imediatamente após (TIPTON et al, 2001). A explicação dos autores tem fundamento, a ingestão anterior do suplemento geraria picos plasmáticos de aminoácidos concomitantes com os momentos de maior fluxo sangüíneo, teoria que faz sentido se analisarmos o estudo de RASMUSSEN et al (1999), onde o pico de concentração plasmática de aminoácidos ocorreu por volta de 40 minutos após a ingestão do suplemento.

-- E sobre o grande consumo de porteinas.. tem só uma parte:

CONCLUSÃO


Indiscutivelmente a proteína é necessária, mas deve ser ingerida de forma consciente e equilibrada, não há porque faze-la de maneira extrema, conforme recomendam muitos “especialistas”. Faltam bases científicas suportando a teoria de que ingestões protéicas muito elevadas trarão os benefícios prometidos, afirmar que esta relação seja tão simples é manipular errada e perigosamente conceitos da fisiologia humana até porque, além da eficiência questionável, há a probabilidade de sobrecarga dos rins e fígado, com conseqüentes riscos a saúde.


Não estou condenando a suplementação protéica, somente questionando a dieta absurdamente rica em proteínas. Os suplementos podem ser úteis na medida que oferecem proteínas facilmente digeríveis e de altos valores biológicos. Além disso, estes suplementos podem beneficiar vegetarianos e pessoas muito ocupadas, com dificuldade de se alimentar adequadamente, para elas os compostos hiperprotéicos mais completos são de grande valia na manutenção de uma alimentação saudável.


Atrás da dieta rica em proteínas, como em todas as teorias radicais, há mais interesses financeiros do que humanos, tanto que sua propaganda é invariavelmente feita através de apelos emocionais e empíricos, quando deveriam ser científicos. Por incrível que pareça, a quantidade calórica é mais importante que a composição da dieta na maioria dos casos. A simples prática de uma alimentação equilibrada e coerente com sua demanda metabólica é a melhor maneira de potencializar o resultado dos seus treinos.


Da próxima vez que tentarem ingerir a terrível (e quase sempre insolúvel) albumina, se empaturrarem de claras de ovo ou gastarem uma nota em suplementos, pensem no porquê desta prática e se perguntem: será que vale a pena? 

Dá uma lida no que eu escrevi logo acima dessa sua ultima postagem, a respeito do Carboidrato.

Amanhã dou uma lida nessa parte que vc escreveu agora, e comento.

Eh que estou com um pouco de pressa que está terminando a corrida da NASCAR que estou assistindo.

abracos e até mais.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Chegamos a um consenso que visa quebrar alguns dogmas.

Não raro vejo gente dizendo que toma Whey protein no café da manhã!!

É muito dinheiro disperdiçado.

--

Vejo gente que toma 50g ou mais de proteina no pós-treino achando que vai dar mais resultado. (Ex: pessoas de 70kg)

Só para mostrar que eles gastam muito dinheiro fora, eu mesmo só tomo 33g e faz efeito.. :D

Mas claro, aliado a boa alimentação durante o decorrer do dia e ótima malhação.

Os resultados de diversas pesquisas mostram que na busca pelo anabolismo, não devemos nos preocupar somente com a proteína, uma vez que a ingestão concomitante de carboidratos aumenta o potencial anabólico da refeição, de modo que a resposta à ingestão combinada de glicose e aminoácidos é superior à soma de cada uma destas respostas, como no caso do estudo de RASMUSSEM et al (1999) onde a combinação de 35g de carboidratos a apenas 6g de proteína foi extremamente eficaz (na verdade até a data de conclusão da pesquisa este havia sido o melhor protocolo já utilizado).

--

Tem gente que toma durante o dia tanta proteina e esquece do carboidrato. Novamente, estão disperdiçando dinheiro e comida e perdendo tempo de hipertrofia. Se os musculos não tem o glicogênio, como você falou MESTRE.. de onde vai ser tirado ele???

Para se ter idéia, até as gorduras são importantes e elas possuem sua função. Elas, se não me egano melhoram o estado hormonal. O que beneficia nos homens a perda de gordura? A testosterona!!!!!!!!!

Há mais fatores, o próprio álcool, que todo mundo toma, contribui para a queda da testosterona.

Nos testículos, o álcool afeta negativamente a atividade das células de Leydig, que produzem e secretam a testosterona, e também das células Sertoli, que têm um importante papel na maturação dos espermatozóides. Na hipófise, há redução da liberação de hormônio luteinizante e de hormônio folículo-estimulante, os quais estimulam a liberação dos hormônios sexuais. Por fim, a ingestão de álcool interfere na atividade do hipotálamo, alterando os níveis do hormônio liberador de gonadotrofinas que são enviados à hipófise (Emanuele & Emanuele, 1998; Emanuele & Emanuele, 2001).

Dentre os efeitos negativos que foram abordados aqui podemos citar: hipoglicemia, alteração da função hepática, prejuízo do metabolismo aeróbio e anaeróbio, alteração das funções psicomotoras e queda nos níveis de testosterona. Ressaltando-se que o texto não levou em conta questões mais amplas e talvez até mais importantes, como aumento dos níveis de acidentes e de índices de violência, além da deterioração de relações humanas, etc.

Bem, tenho orgulho de dizer que não tomo remedios, nem pra gripe, nem dor de cabeça, nem aspirina.

Não tomo café, hehe, nem outras coisas que nos deixam dependetes.

--

Bom, esses são só alguns dos absurdos, tem gente louca pra tudo.

Abraços e tenham boas leituras.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta 100% gratuita!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
 Compartilhar

×
×
  • Criar novo...