Jump to content

Search the Community

Showing results for tags 'carne vermelha'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Anabolizantes Esteroides
    • Tópicos sobre esteroides
    • Relatos de ciclos
  • Suplementos Alimentares
    • Tópicos sobre suplementação
    • Relatos de uso de suplementos alimentares
  • Treinamento de Musculação
    • Tópicos sobre treinamento
    • Lesões musculares
    • Diário de treino
  • Nutrição Esportiva
    • Tópicos sobre nutrição
    • Relatos sobre dietas
  • Gente
    • Tópicos de evolução do shape
  • Assuntos Diversos
    • Tópicos diversos

Calendars

  • Campeonatos de Musculação
  • Cursos, Palestras e Feiras

Categories

  • Esteroides
  • Suplementos
  • Treinamento
  • Nutrição
  • Gente
  • Diversos

Categories

  • Esteroides
  • Suplementos
  • Treinamento
  • Nutrição
  • Gente
  • Diversos

Categories

  • Aves
  • Bebidas
  • Carnes
  • Lanches
  • Legumes
  • Ovos
  • Massas
  • Peixes e Frutos do Mar
  • Saladas
  • Sobremesas

Categories

  • Abdominal
  • Antebraço
  • Bíceps
  • Costas
  • Coxa
  • Glúteo
  • Lombar
  • Ombro
  • Panturrilha
  • Peito
  • Pescoço
  • Romboide
  • Trapézio
  • Tríceps

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


Telefone Celular (WhatsApp)


Telefone Fixo


Interesses


Facebook


Instagram


YouTube


Twitter


Website


Tumblr


Série de Treinamento


Suplementação


Dieta Nutricional


Ciclos de Esteroides Anabolizantes & Drogas Afins


Academia


Altura


Peso


Percentual de Gordura

Found 8 results

  1. Existem muitos estudos sobre a ingestão de Whey Protein no pós-treino que indicam que quantidades superiores e 20 gramas não trariam qualquer benefício em termos de síntese protéica. No entanto, existem poucos estudos nos mesmos moldes envolvendo a ingestão de carne vermelha. Um estudo envolvendo 35 homens de meia idade foi realizado para analisar a ingestão de 0g, 57g (12g de proteína), 113g (24g de proteína) ou 170g (36g de proteína) de carne vermelha (com 15% de gordura). Quando houve a ingestão de 170g de carne a síntese protéica foi mais elevada, resultando em maior anabolismo. Ao contrário dos estudos envolvendo a Whey Protein, onde se encontrou um limite de 20g para efeitos anabólicos, no caso da carne, quanto maior o consumo, maior o efeito anabólico (respeitado o limite do estudo de 36g). Acredita-se que a menor quantidade de leucina na carne (1.7g), em comparação com a whey (8g), seja o motivo dos efeitos positivos de doses maiores. Fonte: Beef Up!. FLEX, pp. 114, maio de 2013.
  2. Assista à matéria sobre a Carnivor Protein Bar no nosso canal no YouTube: http://youtu.be/J_2hbmeFUJA Assim que recebemos as caixas com a Carnivor Protein Bar, não pudemos esconder nossas expectativas quanto à barrinha formulada com base no suplemento em pó protéico à base de carne mais famoso do mercado, o Carnivor. A embalagem do produto é muito bem elaborada, com belas imagens da barrinha. No entanto, nota-se a ausência da imagem do fisiculturista Kai Greene, que acompanhava a embalagem do suplemento em pó. A embalagem exalta a grande quantidade de proteína que cada barra contém, nada mais do que 30 gramas. Também exalta o sabor do produto, que seria ótimo. Nós avaliamos os sabores Cookies & Cream (Biscoito e Creme em tradução livre) e Chocolate Peanut Butter (Chocolate com Pasta de Amendoim em tradução livre). Gosto é subjetivo e dá margem a muitas muitas discussões. Em nossa opinião, o sabor é apenas aceitável. Ainda não conseguimos experimentar uma barra de proteína que se possa chamar de deliciosa. Ainda não foi desta vez. Se você quiser uma barrinha gostosa de verdade, vai ter que apelar para um Kit Kat, por exemplo, que contém impressionantes 6 gramas de açúcar numa barra de 12 gramas, ou seja, metade de sua composição é de açúcar. Pensando nisso, não dá para reclamar muito do gosto das barras de proteína. No entanto, nossa maior decepção com a Carnivor Protein Bar não foi com relação ao sabor. Se não é uma barrinha deliciosa, também não é uma barrinha de gosto ruim. Digamos, é gostosinha. O grande revés foi a composição do produto. Pensamos que poderíamos indicar a Carnivor Protein Bar como uma opção às barras protéicas baseadas em Whey Protein para pessoas que não podem (intolerância do organismo ao produto) ou não querem ingerir a proteína do soro do leite. Ao contrário do que o nome famoso pode sugerir, a barra protéica Carnivor não contém apenas proteína de carne vermelha (Beef Protein Concentrate). Ela também contém Whey Protein Concentrada (Whey Protein Concentrate) e Proteína Concentrada do Leite (Milk Protein Concentrate). Isso cortou um pouco do barato em torno da Carnivor Protein Bar. Deve-se até questionar se seria justo chamar essa barrinha de proteína de Carnivor, sabendo-se que não contém apenas a proteína da carne vermelha. Resta torcer para que os engenheiros alimentares da MuscleMeds consigam atualizar a fórmula do produto em breve, de modo que a barra seja constituída apenas por proteína da carne vermelha. Superado esse aspecto, muitos elogios podem ser feitos ao produto. A barra pesa 91 gramas e contém 30 gramas de proteínas. São 31 gramas de carboidratos (5 gramas de açúcar adicionado, que é açúcar mascavo - brown sugar). São apenas 17 gramas de gorduras totais, sendo apenas 8 gramas de gorduras saturadas. A quantidade de sódio é considerável, atingindo 416 miligramas. Também a quantidades razoáveis de Vitamina A, Cálcio e Ferro. Cada barra oferece 380 calorias. Como se vê, a barrinha protéica Carnivor dispõe de uma excelente composição nutricional, considerando a sua proposta. É um produto voltado para aquelas pessoas cuja rotina diária comumente impede uma boa refeição ou lanche em algum momento do dia. Nestes casos, a barra protéica é a salvação da lavoura, ou melhor, dos músculos. E a Carnivor Protein Bar é uma ótima opção para o consumidor. Quanto ao preço, nunca podemos nos esquecer que estamos no Brasil, país dos preços mais extraordinários na grande maioria dos bens de consumo. Na data de elaboração desta matéria, a Carnivor Protein Bar podia ser encontrada no website Músculos na Web pelo valor de R$ 12,83. Se a barra vale por uma refeição, também custa o equivalente.
  3. O Carnivor é um suplemento alimentar que ainda não tem concorrentes no mercado, e que tem feito grande sucesso entre aqueles que têm intolerância aos componentes do leite, de onde deriva a Whey Protein. Portanto, a proteína Carnivor, que é derivada da carne bovina hidrolisada, é uma alternativa à Whey Protein, suplemento alimentar mais consumido pelos praticantes de musculação na atualidade. Mesmo aqueles cujos organismos aceitam bem o leite e derivados passaram a usar a Carnivor como fonte de proteína com perfil de aminoácidos diverso da Whey Protein: Em nossa primeira matéria sobre a Carnivor, experimentamos o sabor Blue Raspberry, cujo gosto achamos parecido com o chiclete Ping-Pong (Carnivor: Carne Bovina Em Pó - Dá Pra Encarar?). Depois testamos a Carnivor de sabor Chocolate (Carnivor Sabor Chocolate). Agora tivemos a oportunidade de experimentar o Carnivor de sabor Vanilla Caramel (algo como Baunilha Caramelizada). O nome é bonito. E o sabor? Para quem gosta de café, esta opção de sabor é ótima. Achamos que o Carnivor Vanilla Caramel deveria se chamar Cafe Caramel. Quem não curte o gosto de café deve procurar outro sabor. Não pudemos encontrar uma pitada de baunilha no sabor, parece mesmo é um cafezinho doce.
  4. Assista à avaliação do Carnivor Liquid Protein em nosso canal no YouTube: http://youtu.be/gKnShlpmMR4 Você já parou para pensar numa forma líquida de carne vermelha? Olhe bem para a foto da caixa da Carnivor Liquid Protein, onde é exibido um liqüidificador com um pedação de carne vermelha dentro dele. Você teria coragem de tomar um shake com carne vermelha triturada? Duvidamos... Prepare-se para a surpresa: a Carnivor Liquid Protein é uma delícia. Experimentamos o sabor Power Punch (algo como tutti frutti em tradução livre). É sim um sabor bem artificial, mas muito gostoso. Lembra muito o sabor dos aminoácidos líquidos, que fizeram muito sucesso há mais de 10 anos. Quem é o marombeiro das antigas que nunca tomou Amino Liquid 2222 da Optimum? É mais ou menos essa a textura e o gosto da Carnivor na forma líquida. Se fomos surpreendidos pelo sabor, outra surpresa agradável foi a composição nutricional. São excelentes 50 gramas de proteínas por shot. Isso é aproximadamente o dobro do que a média de proteína oferecida por dose nos suplementos hiperprotéicos. E, melhor do que isso, não há carboidratos (sem açúcar) e nem gorduras (colesterol) na composição do produto. Zero carbo e zero gordura. Para aqueles que são intolerantes à lactose (açúcar do leite) ou à proteína do leite, podem comemorar. Ao contrário do que ocorre com a Carnivor Protein Bar, a Carnivor Liquid Protein não contém leite ou derivados. É formulada exclusivamente com proteína da carne vermelha, qual seja: Hydrolized Beef Protein Isolate (Proteína Hidrolisada e Isolada da Carne Vermelha) e Hydrolized Beef Protein Collagen Isolate (Colágeno de Proteína Hidrolisada e Isolada da Carne Vermelha). Tudo muito bom até agora. Mas e o preço? Quanto custa a praticidade de se poder ingerir proteína de carne vermelha em qualquer hora e lugar sem precisar grelhar um bife? Encontramos o produto na loja Giant Tech Suplementos por R$ 15,30. Achou caro? Antes de avaliar o custo benefício do produto, vamos fazer algumas comparações. Na mesma loja, encontramos a tradicional 100% Whey Gold da Optimum por R$ 161,96 no pote de 907 gramas, e a Carnivor em pó por R$ 199,80 no pote de 908 gramas. Qual é o custo por grama de proteína? Veja a comparação abaixo: Carnivor Liquid Protein - custo da dose de 50 gramas de proteína: R$ 15,30 - custo por grama de proteína: R$ 0,30. 100% Whey Gold - custo da dose de 24 gramas de proteína: R$ 5,711 - custo por grama de proteína: R$ 0,23. Carnivor em pó - custo da dose de 23 gramas de proteína: R$ 8,142 - custo por grama de proteína: R$ 0,35. Como se vê, a Carnivor Liquid Protein é mais cara do que a 100% Whey Gold (que se presume como o suplemento hiperprotéico mais vendido do mercado). Mas isso já era esperado, afinal, estamos comparando produtos de composições diferentes (proteína do soro do leite e proteína da carne vermelha) e formas diferentes (proteína em pó e proteína líquida). A diferença de preço a maior para a Carnivor líquida não parece gritante em razão de sua praticidade. Custa aproximadamente 30% a mais em relação à proteína do soro do leite em pó. O mais curioso foi a comparação entre a Carnivor em pó e a Carnivor líquida. A Carnivor líquida e mais prática é mais barata! E a diferença a menor é da ordem de mais de 10%. Então, se você optar pela Carnivor, saiba que a líquida tem melhor custo-benefício. Lógico que esse raciocínio é valido para quem precisa consumir mais do que 23 gramas de proteína por refeição. Se você não consome 50 gramas de proteína por refeição, saiba que no rótulo do produto consta a recomendação no sentido de que o produto, depois de aberto, deve ser mantido no refrigerador. Isso quer dizer que você pode tomar metade do suplemento, e tomar a outra metade em outra refeição ou em outro dia, obtendo duas doses de 25 gramas de proteínas. Infelizmente o rótulo não diz qual é o prazo máximo de validade depois de aberto o produto, mas, certamente, dura mais de 24 horas se há a opção de refrigeração depois de aberto. Quer economizar ainda mais? Compre uma caixa com 12 unidades da Carnivor Liquid Protein. Neste caso, considerando a mesma loja em que cotamos os preços, o produto não estava disponível na data de publicação desta matéria. No entanto, é comum que o preço de uma caixa com várias unidades represente um valor mais vantajoso por unidade. Por tudo o que avaliamos, temos que anotar que a Carnivor Liquid Protein é uma grata surpresa, e tem qualidades de sobra para ser um suplemento alimentar de sucesso, principalmente entre aquelas pessoas que precisam de doses práticas de proteínas durante o dia, e entre aquelas pessoas que não podem consumir a Whey Protein. 1 100% Whey Gold de 907 gramas custa R$ 161,96 / dose de 32 gramas fornece 24 gramas de proteínas / são 28,34 doses por pote / o custo por dose é de R$ 5,71. 2 Carnivor em pó de 908 gramas custa R$ 199,80 / dose de 37 gramas fornece 23 gramas de proteínas / são 24,54 doses por pote / o custos por dose é de R$ 8,14.
  5. As proteínas são moléculas grandes constituídas por uma seqüência de aminoácidos, formando como se fosse uma corrente. Elas estão presentes em todas as células e tecidos e formam os principais elementos estruturais do corpo. Diferente de gordura, proteína não pode ser armazenada pelo corpo. Ela é reponsável pela construção de músculos, os quais aumentam o seu metabolismo e ajudam você a queimar gordura mais rápidamente. 1 grama de proteína corresponde em qualquer caso a 4 calorias, a quantidade de proteína que nosso corpo pode digerir e usar para o processo de construção de músculos não é sempre 100%. A principais fontes de proteína animal são: Carnes, Ovos e Laticínios. Já as melhores fontes de proteína vegetal são: Feijões, Lentilhas, Soja e Amendoim. Na verdade, a fonte de proteína natural melhor digerível é o ovo, o qual a porcentagem de utilização pelo nosso corpo é 94%. Devido ao fato do ovo ter a melhor taxa de absorção de qualquer fonte natural, ele ganhou a graduação “100” e todas as outras proteínas são graduadas de acordo como são digeridas quando comparadas à proteína do ovo. Hoje em dia existem proteínas que são ainda melhor digeridas do que a proteína do ovo e possuem utilização pelo corpo maior do que 94%. Então estas proteínas têm graduação maiores do que a antiga graduação máxima de 100 do ovo. Valor biológico é a escala de graduação usada para determinar que porcentagem de uma determinada fonte nutricional é usada pelo corpo. Esta escala é particularmente útil para comparar as proteínas completas, que são as mais interessantes para malhadores e esportistas. O valor biológico mede a eficiência pela qual seu corpo usa uma fonte específica de proteína. Quanto maior for o valor biológico, mais aminoácidos e nitrogênio seu corpo irá reter. Abaixo está uma lista de diferentes fontes de proteína e suas respectivas graduações: FRANGO Valor Biológico: 79 Quantidade: 7g de proteína a cada 30g de frango. Por vários anos o frango foi a base para qualquer dieta para ganho de massa muscular. O frango sem pele e sem osso contém 25% de proteína. Tem um valor biológico (BV) de 79 que é considerado alto. PEIXE Valor biológico: 83 Quantidade: 7 gramas a cada 30g de peixe A carne do peixe não só é uma ótima fonte de proteína para construção muscular, mas também é ótimo para o restante da saúde. A carne do peixe contem ácidos graxos e Omega-3. O peixe, como o frango, tem 25% de proteína, porém contem um valor biológico de 83 que é maior. O meio mais barato e fácil de colocar peixe na sua dieta é comendo atum. CARNE VERMELHA Valor Biológico: 80 Quantidade: 7 gramas a cada 30g de carne A carne vermelha também contem cerca de 25% de proteína, o que a torna outra ótima fonte de proteína. A carne vermelha contem uma boa quantidade de vitamina B-12, zinco e ferro que são essenciais para construir um sistema imunológico forte. Existem vários tipos de carne vermelha. O melhor tipo de carne vermelha é com certeza a com menos gordura, procure consumir somente carnes magras. OVO Valor Biológico: 88-100 Quantidade: 2.8-3.5 por ovo. A qualidade da proteína do ovo só perde para o Whey Protein. Como você pode notar, os ovos contem um valor biológico extremamente alto. Além disto, os ovos fornecem vitaminas B e, para os vegetarianos que não comem carne vermelha, eles são fonte para a vital vitamina B12. Ovos também provêem ferro e vitamina E, assim como outras vitaminas e minerais. A clara do ovo não tem um gosto muito bom, então não tem problema você misturar alguns ovos inteiros com a clara. O ideal é para cada 4 claras de ovo, usa-se 1 gema. Ovos cozidos são muito práticos, você pode separar a clara da gema facilmente, e cozinhando os ovos você não precisa usar gordura. LATICINIOS Valor Biológico: 100 Quantidade: Varia com o produto A maioria dos laticínios são ricos em proteína. O ponto negativo é que alguns tem muita gordura. As melhores fontes de proteína através dos laticínios são o queijo cottage e o leite desnatado, estes dois produtos tem muita proteína e pouca ou nenhuma gordura e são uma excelente fonte de cálcio. Proteínas não são todas iguais. Algumas proteínas contêm todos os aminoácidos essenciais ao metabolismo. Este tipo é chamado de proteína completa. Proteínas de origem animal tendem a ser completas. Estudos provaram que dietas ricas em proteínas e pobre em carboidratos são mais eficientes tanto para perder peso, quanto para ganhar massa. Perder peso: 1] Peixes, aves, feijão e carnes lentificam o movimento da comida entre o estômago e os intestinos, aumentando a saciedade. 2] Proteínas não provocam elevações e quedas repentinas na glicose sanguínea. 3] O corpo gasta mais energia para digerir as proteínas. Ganhar massa: Crescimento e reparação de músculos, ossos, pele, tecido conectivo, órgãos internos e sangue. As enzimas, anticorpos e hormônios, responsáveis por regular as reações químicas do organismo são todos feitos de proteína. Fonte de energia. Se os carboidratos e gorduras não satisfazem as necessidades de energia do corpo, as proteínas podem ser quebradas e usadas como uma fonte de energia. Para que a reparação ou crescimento de tecido possa ocorrer, a proteína deve ser ingerida em intervalos constantes durante o dia. Se isto não ocorrer você irá experimentar nenhum ou muito pouco crescimento muscular. SUPLEMENTOS Quando o assunto é suplemento, a melhor proteína disponível hoje no mercado é sem dúvidas o Whey Protein, pois é a mais rápida absorvida pelo organismo assim sendo indicado consumir imediatamente depois do treino. Como escolher um bom Whey Protein? 1 - A Whey deve ser isolada e não concentrada; 2 - A proteína isolada deve ser extraída por hidrólise, logo o produto deve ser isolado e 100% hidrolisado. Os produtos a base de Whey que usam troca iônica já estão ultrapassados; 3 - Os melhores são adoçados com sucralose, embora seja difícil conseguir, e já existem os que são adoçados com xilitol, que serão melhores ainda; 4 - Cada dose (scoop) deve conter menos de 0,5g de lactose; 5 - O produto isolado sempre contém glutamina. Os bons laboratórios sempre informam no pote a quantidade de glutamina e bcaa por dose; 6 - Um laboratório respeitável especifica no rótulo do produto as microfrações mínimas para que a substância seja de boa qualidade e usadas em hospitais, que são: lactoglobulina 45-55%, alfa lactalbumina 15-25%, imunoglobulina 2-8%, albumina do soro bovino 6-8%, glicomacropeptídeos 20-22%, lactoferrina 0,1-0,5%, fragmentos peptídicos 4-6%. 7 - A melhor matéria prima vem da Glâmbia, portanto, pergunte ao laboratório que produz a Whey de onde vem sua matéria prima. É importante lembrar que a proteína sozinha não vai melhorar a sua capacidade atlética. As proteínas fornecem os blocos (aminoácidos) para o crescimento muscular do atleta, porém isso só acontece quando há uma alimentação balanceada seguida de atividade física.
  6. Proteína isolada da... CARNE? Sim, exatamente isso! Chega ao Brasil a quarta geração de proteínas isoladas: a proteína isolada da carne bovina. Historicamente, cada proteína lançada inaugurava uma nova etapa no universo do treinamento físico. Passamos da arginina e ornitina, para a proteína da soja e a albumina, em seguida para o grande “BOOM” do whey protein e agora chegamos ao CARNIVOR, a proteína isolada da carne. O CARNIVOR foi desenvolvido após observar a experiência do ganhador do premio Arnold Classic Crown no ano de 2009, Kai Greene, que constatou um ganho de músculos mais definidos e com maior volume ao comer mais carne vermelha do que ingerir suplementos com whey protein ou caseína. Juntamente com esse famoso atleta bodybuilding norte-americano e graças a estudos tecnológicos avançados, a MuscleMeds desenvolveu a técnica exclusiva de purificação da proteína animal, que oferece ao consumidor altos níveis de proteína animal, sem estar associada à grande quantidade de gordura, principalmente, o colesterol, como acontece com as fontes naturais de proteínas animais. A proteína isolada de carne presente no CARNIVOR é 350% mais concentrada em aminoácidos, que são destinados à construção muscular, apresentando 0% em gordura e 0% de colesterol. Enquanto o consumo de proteína é essencial para o crescimento muscular, é sabido que em algumas situações esse consumo em excesso pode conduzir a proteína para a formação de componentes nitrogenados, que impedem que os aminoácidos sejam direcionados a formação de músculos. Preocupada em aperfeiçoar o direcionamento da proteína fornecida para o crescimento muscular, a MuscleMeds desenvolveu com exclusividade a Tecnologia Anabolizante de Retenção de Nitrogênio – ANRT. ANRT foi especialmente criada para a reciclagem de aminoácidos de volta à via de construção muscular, reduzindo a síntese de amônia. Tal propriedade é alcançada a partir de fatores de retenção de nitrogênio, tais como o GKG (Glutamina Alfacetoglutarato), o OKG (Ornitina Alfacetoglutarato), o AKG (Alfacetoglutarato) e o KIC (Alfacetoisocaproato), todos presentes no CARNIVOR. Outra vantagem da suplementação com CARNIVOR é o maior consumo de creatina, que está naturalmente presente em altos níveis nas proteínas animais. A carne é a principal fonte de creatina da dieta. Cada dose de CARNIVOR fornece o dobro de creatina quando comparado a um bife, dessa forma, conseguimos otimizar o aumento do volume celular pela ação da creatina, gerando então crescimento da musculatura. Além disso, o CARNIVOR também possui BCAA – Aminoácidos de Cadeia Ramificada –, os quais favorecem um equilíbrio positivo de nitrogênio para realização de síntese proteica (anabolismo), além de contribuírem na redução do catabolismo muscular durante o treino intenso, evitando, assim, uma possível fadiga muscular prematura. Oferecendo 23g de proteína da carne isolada, o CARNIVOR é uma excelente opção para quem objetiva o ganho de massa magra e não consegue atingir sua meta apenas com as fontes de proteínas de sua dieta. Vale também acrescentar, que a proteína da carne isolada é uma excelente saída para aqueles que apresentam alguma intolerância à proteína do leite e vivem insatisfeitos por não conseguirem um suplemento com alto valor biológico. Estudos internacionais recentes estão associando o aumento da acne em adolescentes ao consumo de leite. Tais estudos revelaram que não é a gordura do leite, mas sim outras substâncias, como a Vitamina D e até mesmo a própria proteína do soro do leite – Whey Protein –, que podem estar causando a acne, ou agravando este problema (Fonte: Dermatology Online Journal, volume12, number 4). Bem vindo à geração que inicia um novo tempo, um novo ciclo na história das proteínas! CARNIVOR, você não pode ficar de fora dessa! CARNIVOR é apresentado em pote de 908g que fornece aproximadamente 28 doses e pote de 1816g que fornece cerca de 55 doses.
  7. Vivemos em uma época na qual alimentos práticos, saborosos e pouco nutritivos fazem parte do cotidiano da maioria das pessoas. Biscoitos, pães brancos, pizzas, bolos e lanches, estão substituindo alimentos protéicos, cereais integrais, legumes, verduras e frutas. Com isso, os níveis de obesidade e doenças relacionadas com a má alimentação estão cada vez maiores. No entanto, para pessoas engajadas em um treinamento de musculação e que realmente desejam obter resultados sólidos, a escolha alimentar é fundamental. Não existe nenhum programa de treinamento ou suplemento nutricional milagroso que substitua os benefícios de uma alimentação adequada. E ainda, tenha em mente que nenhum campeão de bodybuilding conquistou algum título expressivo à base de fast food e refrigerante. A idéia deste artigo é apresentar algumas das melhores escolhas alimentares, como por exemplo: suprir as necessidades protéicas para construir novos tecidos musculares; garantir carboidratos complexos para fornecer energia nos treinamentos; ou ainda, gorduras, vitaminas, sais minerais e fibras para garantir um bom funcionamento de todo o organismo. Os alimentos abaixo estão em ordem alfabética, não sendo possível classificá-los em um ranking de prioridade. Todos possuem seu valor dentro de um programa alimentar, lembrando que as características individuais devem sempre ser respeitadas. 1. Aveia É uma excelente fonte de carboidratos complexos tanto para as fases de ganho de massa muscular quanto nos períodos em que se almeja a redução da gordura corporal. É também uma grande fonte de fibras, vitamina E, zinco, selênio, cobre, ferro, magnésio e manganês. 2. Azeite de Oliva Extra Virgem Além de deixar sua salada mais saborosa, o azeite de oliva extra virgem garante uma ótima ingestão de gorduras monoinsaturadas e antioxidantes. Possui atividade anti-inflamatória, efeitos anti-cancerígenos e cardio-protetores. Prefira sempre azeites de qualidade na hora da compra, observando sempre a origem e teor de acidez. De nada adianta adquirir um azeite de oliva de baixa qualidade. Já no preparo de algum alimento ao fogo, acaba sendo mais vantajoso usar óleo de canola, visto que este é mais resistente em altas temperaturas e também apresenta um ótimo valor nutricional. 3. Batata Doce Este alimento está presente em praticamente todos os programas alimentares de praticantes avançados de musculação há décadas, principalmente a nível competitivo. Além de ser rico em fibras, a batata doce contém carboidratos complexos de baixo índice glicêmico que são digeridos lentamente no organismo, não causando consideráveis “picos” de insulina. Lembrando que imediatamente após o treino, o oposto é interessante, ou seja, a ingestão de carboidratos de alto índice glicêmico (dextrose). Como utilizar batata doce o dia todo acabaria sendo monótono, podemos variar com: arroz integral, macarrão integral, pão integral, cará, inhame e mandioca. 4. Brócolis Assim como grande parte dos vegetais de coloração verde-escura (couve, almeirão, rúcula, agrião, etc), o brócolis apresenta grande concentração de vitaminas, sais minerais e fibras, com a grande vantagem de possuir poucas calorias. A forma de cocção é de extrema importância, sendo que o preparo no vapor garante menor perda de nutrientes. 5. Carne Vermelha Magra O termo “carne vermelha” é baseado na concentração de mioglobina da carne. Esta é uma proteína que transporta oxigênio para os músculos, sendo responsável pela coloração vermelha da carne. Como exemplo, um gado adulto possui cerca de 2% de mioglobina, enquanto um frango adulto possui apenas 0,2%. Ao contrário do que muitos ainda pensam, a carne vermelha é uma das melhores fontes protéicas para um praticante de musculação, tanto no período de ganho de massa magra (off-season), quanto no período em que se objetiva definição muscular (pre-contest). Além de ser uma ótima fonte de proteínas com lenta absorção, a gordura saturada contida na carne vermelha é necessária para uma adequada produção do hormônio testosterona. Isso mesmo: é interessante se ingerir gordura saturada. A questão é a quantidade! Apenas um terço da ingestão total de gorduras deve ser na forma saturada. A carne vermelha possui outros benefícios além do seu excelente teor protéico, pois é rica em ferro e vitamina B12, nutrientes necessários para a produção de energia para os treinamentos. Também é rica em zinco, mineral associado com a produção de hormônios anabólicos, incluindo a testosterona e IGF-1. Com relação aos possíveis malefícios da carne vermelha, estes são instalados quando a ingestão é excessiva e predominantemente realizada com cortes mais gordos. A ingestão deve ser feita preferencialmente com cortes magros (coxão mole, lagarto, patinho, alcatra, etc.), lembrando-se sempre de retirar toda a gordura antes do preparo. 6. Frutas Frescas Geralmente frutas não possuem uma grande reputação entre os praticantes avançados de musculação devido a seu conteúdo de carboidratos (frutose). Mas com exceção das últimas semanas anteriores a uma competição (no caso de um atleta de bodybuilding), três ou quatro porções de frutas deveriam ser incluídas diariamente na dieta. São ótimas fontes de fibras, vitaminas, minerais e substâncias bioativas, como bioflavonóides por exemplo. Prefira sempre a ingestão da fruta in natura do que por meio de sucos, visto que os sucos além de apresentarem alta densidade calórica, perdem grande parte dos nutrientes no preparo. 7. Leguminosas As leguminosas (feijão, lentilhas, grão de bico, soja) têm seu uso bem difundido no Brasil, especialmente no caso do feijão. Esses alimentos, além de saborosos e com custo relativamente baixo, são ricos em fibras e uma das melhores fontes de proteínas dentre os vegetais. Podem ser de grande valia, principalmente quando o indivíduo encontra-se no período de ganho de massa muscular. 8. Ovos Cada ovo inteiro contém cerca de seis gramas de proteínas de alto valor biológico. Os ovos possuem uma má reputação devido a gema ser rica em colesterol. No entanto, a maior parte do teor de gordura dos ovos é do tipo insaturado. Estudos recentes demonstram que é muito mais importante o controle da ingestão de gorduras saturadas do que de colesterol alimentar para o controle dos níveis de colesterol sanguíneo. Para controlar a ingestão calórica, uma opção seria desprezar algumas gemas, ingerindo-se apenas as claras, como no preparo de um omelete, por exemplo. 9. Peito de Frango Grande “companheiro” da batata doce nas refeições de bodybuilders experientes, o peito de frango apresenta baixo teor de gorduras e uma alta concentração protéica, sendo umas das melhores escolhas principalmente quando o objetivo é reduzir a gordura corporal. Outras aves, como peru e avestruz também apresentam ótima relação quanto a teor protéico e teor lipídico, no entanto o alto custo dificulta o uso diário. 10. Queijo Cottage e Iogurte de Frutas sem Gordura Esse queijo apresenta uma ótima concentração de proteínas e cálcio, além de ser pobre em gorduras. É uma ótima opção para acompanhar o pão integral em um dos lanches do dia. Já o iogurte, assim como o queijo cottage, possui insignificantes concentrações de lactose. Para atletas competitivos de bodybuilding, nas semanas finais da preparação os derivados do leite devem ser evitados, mas possuem grande valia no período off-season. 11. Salmão Além de conter proteínas de alto valor biológico, possui gorduras essenciais (ômega 3). As gorduras provenientes dessa fonte apresentam inúmeros benefícios não somente para seu treinamento, como também para sua saúde. Esse peixe é fonte dos ácidos eicosapentanóico (EPA) e docohexaenóico (DHA), enquanto a semente de linhaça é fonte de ácido alfa linoléico (ALA). É importante incluir ambos os tipos em sua dieta. Como o salmão apresenta um alto custo, a sardinha seria uma opção igualmente nutritiva, mas com relativo baixo custo. 12. Temperos naturais Além de deixar sua comida mais saborosa, temperos naturais como alho, cebola, orégano, manjericão, coentro e alecrim (só para citar alguns), dentre outros benefícios, acrescentam substâncias antioxidantes em sua dieta, sendo um ótimo adendo. Observando esses alimentos, constatamos que alguns são ótimas fontes de carboidratos, mas isentos em proteínas; já outros contêm gorduras essenciais, mas são isentos de carboidratos e proteínas. Ou seja, o adequado balanceamento entre esses alimentos na dieta é que fará a diferença. Todos os nutrientes devem atuar sinergicamente no organismo, nas suas devidas proporções em cada período específico do dia. O nutricionista esportivo é o profissional adequado para organizar um programa alimentar de acordo com suas necessidades, estilo de vida e objetivos.
  8. Em janeiro deste ano tivemos a oportunidade de experimentar a proteína de carne bovina Carnivor, como pode ser visto na matéria Carnivor: Carne Bovina Em Pó - Dá Pra Encarar?. Naquela oportunidade testamos o sabor blue raspberry, cujo gosto lembrava o chicle de bola Ploc de tutti-frutti. Desta vez caiu em nossas mãos a Carnivor de sabor chocolate. Ao contrário do sabor blue raspberry, que pareceu muito artificial, a Carnivor de chocolate lembra muito o sabor das Whey Proteins de chocolate, com o qual já estamos bem familiarizados. Se você ainda não entrou na onda na proteína da carne bovina, sugerimos que comece com o sabor chocolate, que certamente não vai causar a estranheza que pode provocada pelo sabor distinto da Carnivor de blue raspberry. A Carnivor também está disponível nos sabores cherry vanilla (baunilha), fruit punch (ponche de frutas) e vanilla caramel (baunilha com caramelo). Assim que experimentarmos esses sabores, revelaremos nossas impressões. Pelas conversas de corredor de academia, podemos dizer que muitos atletas estão inserindo a Carnivor em suas dietas, a fim de se beneficiar do perfil de aminoácidos da carne bovina de maneira prática.
×
×
  • Create New...