Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Supino no cross

Como fazer o exercício supino no cross do jeito certo


Luan Viana
 Compartilhar

Supino no cross: posição inicial Supino no cross: posição intermediária Supino no cross: posição final Supino no cross: posição intermediária Supino no cross: posição inicial
Baixar animação

Passo a passo para execução correta:

  1. Posicionar a polia do cross bem alta;
  2. Pegar a primeira polia, trazendo-a para próximo do corpo e em seguida pegar a segunda polia;
  3. Fazer um passo à frente e deixar os pés em posição anteroposterior;
  4. Manter o abdome contraído e as escápulas unidas o tempo todo;
  5. Manter o tronco reto, estabilizado e inclinado na direção da polia para o chão;
  6. Esticar à frente fazendo a contração voluntária do tríceps, do peitoral e do ombro;
  7. Cruzar uma mão sobre a outra;
  8. Alongar bem atrás sem relaxar as escápulas.

Músculos trabalhados:

  • Peitorais;
  • Ombros;
  • Tríceps.

Erros comuns:

  • Curvar a coluna (corcunda);
  • Alongar atrás demais, como se fosse um crucifixo;
  • Jogar os ombros para frente ao empurrar, relaxando as escápulas;
  • Deixar a polia baixa;
  • Deixar o tronco sem inclinação;
  • Balançar o tronco (gangorra);
  • Deixar de cruzar as mãos ao final.

Imagens do movimento:

  • Supino no cross: posição inicial
  • Supino no cross: posição intermediária
  • Supino no cross: posição final

Vídeo explicativo:

Participaram da produção deste exercício:

 Compartilhar

Publique seu conteúdo como colaborador

Comentários

Comentários Destacados

Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta 100% gratuita!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

  • Conteúdo similar

    • Por Luan Viana
      Ajustar o encosto do banco para 30º (fica mais ou menos entre o 45º e o reto); Pegar os halteres com o auxílio das coxas e posicionar-los bem embaixo, com as escápulas unidas; Manter o abdome contraído o tempo todo; Não retificar a coluna (apoio no quadril e nas escápulas); Manter o punho sempre embaixo do cotovelo; Manter o halter na linha média do externo; Fazer a contração voluntária do peitoral, subindo até ligeiramente antes do encaixe articular; Alongar o máximo que conseguir lá embaixo.
    • Por Talles Sucesso
      Pegar a barra com as mãos em 90º com os cotovelos; Manter o tronco e quadril apoiados no banco; Firmar os pés no solo; Descer a barra até tocar na linha média do tórax; Estender os cotovelos, sem realizar o encaixe articular.
    • Por Luan Viana
      Alinhar o punho ao cotovelo na abertura da pegada na barra; Descer a barra até tocar o peito na porção do terço inferior do externo; Empurrar até estender completamente os cotovelos, sem fazer o encaixe articular.
    • Por Talles Sucesso
      Pegar a barra com abertura que considere o alinhamento dos punhos com os cotovelos no ângulo de 90º (formado entre braço e antebraço); Manter o tronco e quadril encostados no banco; Firmar os pés no solo; Descer a barra completamente até a linha média do tórax, com os cotovelos voltados para baixo; Estender completamente os cotovelos, sem fazer o encaixe articular.
    • Por Talles Sucesso
      Posicionar os halteres um pouco mais abertos do que a linha dos ombros (os punhos devem estar alinhados com os cotovelos no ângulo de 90º); Estabilizar o tronco e quadril, mantendo-os encostados no banco (curvatura natural da coluna); Firmar os pés no solo; Flexionar os cotovelos para baixo com o máximo de amplitude possível (descer os halteres além da linha do tronco) e na linha média do tórax; Estender os cotovelos ao máximo mantendo os halteres paralelos (sem encostar os halteres ao final e sem realizar o encaixe articular).
×
×
  • Criar novo...