Jump to content

ippo

Membro
  • Content Count

    5,445
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    28

Reputation Activity

  1. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in CJC1925 + GHRP-2   
    to por fora dos peptideos, parece ser interessante, vou ver se da para acompanhar, boa sorte ai..
  2. Upvote
    ippo got a reaction from nani_ in Como elaborar uma dieta pra ganho de massa muscular   
    Visto que é difícil para uma pessoa normal crescer e definir a massa muscular ao mesmo tempo, muitos atletas e treinadores dividem um plano de mudança corporal em duas fases: bulk e cut. Se tem duvidas sobre bulk e cut, leia esse tópico:
    No bulk, o objetivo é só crescer. Você vai comer muito para ganhar massa muscular, mas um pouco de gordura vai vir junto. No cut, esse excesso de gordura vai ser eliminado.
    Tirando a gordura de cima, os músculos conquistados na primeira fase ficarão bem aparentes, dando aquele aspecto “rasgado”, “sarado”, ou seja lá como você chame.
    Já falamos sobre as fases de bulk e cut em outro post. Neste artigo, queremos explicar um pouco sobre como montar uma dieta de bulk.
    Existem dois métodos, um mais seguro e outro mais experimental. Analise bem qual é o melhor para você.
    Método 1
    Procure um nutricionista esportivo qualificado e ele monta a dieta para você
    Método 2

    feira da semana
    Ok, você acha que nutricionistas não entendem nada, que não valem o preço que cobram, que só você conhece seu corpo. Você acredita que tem conhecimentos suficientes para montar a sua própria dieta.
    E aí, como fazer?
    1. Calcule quantas calorias você gasta
    O princípio básico do bulk é que você deve comer mais calorias do que você gasta. Mas quantas calorias você gasta?
    Esse valor é conhecido como Taxa de Metabolismo Basal (TMB). Existem diversas fórmulas para calcular essa taxa. Vamos usar a mais simples, popularizada pelo fisiculturista Layne Norton.
    Se você tem tendência a ser magro (ectomorfo): multiplique seu peso atual, em quilos, por 37
    Se você tem tendência a ser gordo (mesomorfo): multiplique seu peso atual, em quilos, por 29
    Se você tem tendência a ter um corpo atlético (endomorfo): multiplique seu peso atual, em quilos, por 33
    O resultado é mais ou menos a quantidade de calorias que você gasta por dia. Como você quer ganhar massa, adicione a esse valor de 500 até 1.000 calorias por dia.
    A dica para esse primeiro ponto é ir adicionando aos poucos. Por exemplo, adicione 500 calorias e depois de uma ou duas semanas faça a aferição dos resultados, através de pesagem, medidas e fotos. Se não estiver dando resultado, adicione mais e repita o processo.
    2. Calcule as proteínas
    As proteínas são um dos macronutrientes mais importantes para quem quer construir músculos.
    Os nutricionistas esportivos recomendam que alguém em fase de bulk faça uma ingestão de 2 a 3 gramas de proteínas por cada quilo de peso corporal. Assim, se você pesa 80 quilos, deveria consumir por dia entre 160 a 240 gramas de proteínas por dia.
    Uma dica aqui é colocar 30% da quantidade total de proteínas nas refeições que você faz no período após o treino de musculação. Nessa janela de oportunidade o corpo está sedento por esse nutriente.
    Lembre-se de que cada grama de proteína possui cerca de quatro calorias.
    Boas fontes de proteína para a fase de bulk são:
    Ovos Leite Peito de frango Cortes magros de carne (alcatra, por exemplo) Peixe Soja Iogurte natural Uma opção interessante também é usar suplementos de proteínas, quando necessário: Whey protein Albumina Caseína Colágeno hidrolisado 3. Calcule as gorduras
    As gorduras boas são as insaturadas, geralmente de origem vegetal.
    O cálculo aqui é mais simples: um grama de gordura para cada quilo de peso. Uma pessoa de 80 quilos deve ingerir 80 gramas de gorduras ao dia.
    Um grama de gordura possui cerca de nove calorias.
    As boas fontes de gorduras são:
    Óleo de linhaça Óleo de canola Azeite de oliva Castanhas Nozes Abacate Açaí Uma dica é suplementar com cápsulas de Óleo de Peixe (Fish Oil), visto que a dieta ocidental geralmente é pobre em ômega-3.
    4. Calcule os carboidratos
    Se você já tem calculada a quantidade de proteínas e a quantidade de gorduras, sabe mais ou menos quantas calorias virão desses nutrientes. Lembre-se de que um grama de proteína vale quatro calorias e um grama de gordura vale nove calorias.
    Agora você pega a quantidade de calorias que você deve ingerir por dia e vê quanto já estará ingerindo de proteínas e gorduras. O restante das calorias devem ser ingeridas em forma de carboidratos.
    Como fazer isso? Basta pegar o valor de calorias que faltam e dividir por quatro. Isso dará o total de gramas de carboidratos que você deverá consumir por dia, pois cada grama de carboidrato vale quatro calorias também.
    Carboidrato é o macronutriente mais fácil de encontrar nos alimentos, mas fique atento para consumir carboidratos de boa qualidade, ou seja, de baixo índice glicêmico. Não vale se entupir de sorvete, bolacha, biscoito e congêneres só para atingir a quantidade de carboidratos e calorias necessários. Evite principalmente açúcar e farinha de trigo refinada, sua saude agradece.
    Boas fontes de carboidratos são:
    Frutas Cereais integrais (aveia, arroz, trigo) Pão integral Batata-doce Inhame Mandioca/Macaxeira/Aipim Macarrão integral Feijão Para suplementar, você pode fazer uso de maltodextrina e dextrose após os treinos. Esses suplementos são carboidratos de alto índice glicêmico, que ajudam na recuperação e reposição do glicogenio perdido durante o treino.
    5. Atente para os micronutrientes
    Micronutrientes são as vitaminas e minerais que devemos ingerir. São mais difíceis de calcular, por isso a orientação de um nutricionista esportivo caso a caso é tão recomendada.
    A melhor forma de se assegurar de que você está ingerindo os micronutrientes necessários é comer muitas frutas e verduras, em boa variedade. Nas verduras, procure sobretudo as folhas verdes escuras e o brócolis.
    6. Monte as refeições
    Bem, agora você já sabe quantas calorias deve ingerir ao dia e quantas devem vir de proteínas, carboidratos e gorduras. Sabe também quais os melhores alimentos para obter esses macronutrientes.
    Só falta agora montar as refeições. Primeiro, veja quantas refeições você faz ao dia. Não existe um número certo e determinado. Procure respeitar o seu ciclo gástrico, ou seja, comer quando estiver com fome.
    Muita gente diz que se deve comer de três em três horas, mas isso não é tão exato. Por exemplo, se você come um sanduíche, vai levar um tempo menor para digerir do que se comer uma feijoada. Por que teria que esperar as mesmas três horas nos dois casos?
    Para montar as refeições você precisa da tabela nutricional de cada alimento que escolher e ir multiplicando pela quantidade que vai ingerir, até chegar aos valores de proteínas, gorduras e carboidratos de que necessita.
    A melhor maneira de fazer isso é usar uma tabela automatizada. Achei essa tabela no forum hipertrofia e estou disponibilizando o link, os creditos nao sao meus.
    7. Acompanhe e refine
    A dieta de bulk é um organismo vivo. Se você aumentou em uma semana seu peso de 80 para 82 quilos, terá que recalcular a quantidade de calorias, proteínas, gorduras e carboidratos. Vá aumentando até chegar no patamar desejado.
    A recomendação é que você tire um dia da semana (os domingos, por exemplo) para auferir peso e medidas. De preferência, assim que acordar, depois de esvaziar a bexiga.
    Se perceber que não está fazendo efeito, adicione mais calorias. Se perceber que está ganhando mais gordura do que massa muscular, verifique a quantidade e qualidade dos alimentos que escolheu. Ou faça melhor, procure um nutricionista esportivo
    fontes:
  3. Upvote
    ippo got a reaction from Piroko in Entenda o que é "BULK" e "CUT", e quais suplementos utilizar   
    1. "Bulk e Cut: crescer o corpo e só depois definir"

    Quando vemos fotos de Antes e Depois de pessoas que tiveram sucesso em mudar seus corpos, muitas vezes ficamos impressionados como elas conseguiram ganhar massa muscular e queimar gordura. Ocorre que, na maioria dos casos, falta entre as duas fotos uma imagem do Durante.

    Fisiculturistas profissionais há muito perceberam que é muito difícil e desgastante querer ganhar massa muscular e perder gordura ao mesmo tempo. Isso porque cada uma dessas ações requer comportamentos diferentes, por vezes até opostos.

    Sendo assim, eles criaram duas fases para quem quer mudar o corpo: a fase do Bulk, em que o objetivo é adicionar o máximo possível de músculos mesmo ganhando alguma gordura no processo, e a fase do Cut, em que o excesso de gordura é eliminado, deixando aparente os músculos desenvolvidos na fase anterior.

    1.1 Bulking

    Bulk pode ser traduzido como volume, massa, tamanho, carga. Você entendeu: é a fase em que você terá que comer muito e focar na musculação, com a maior carga possível, objetivando chegar à falha muscular em cada série.

    A dieta da fase de Bulk é hipercalórica, ou seja, você vai procurar ingerir mais calorias do que normalmente necessita. Geralmente, as refeições são divididas em seis e em todas elas devem estar presentes porções de proteínas, carboidratos de baixo índice glicêmico e gorduras vindas de boas fontes. A única exceção em relação aos carboidratos é na refeição pós-treino, em que eles devem ser de alto índice glicêmico.

    Com a boa ingestão de carboidratos, você estará jogando glicose no organismo. A glicose é a fonte primária de energia do corpo.

    Quando há glicose demais, o nosso pâncreas joga na corrente sanguínea um hormônio chamado insulina. A principal função da insulina é recolher glicose, mas ela também causa síntese proteica e acúmulo de gorduras. Por isso a pessoa acaba ficando mais forte, mais também com um percentual de gordura maior.

    Quando você já estiver mais forte, com músculos desenvolvidos, embora recobertos por uma camada de gordura, é chegada a hora da fase de Cutting.

    Lee Priest na fase de Bulk e depois do Cut



    Lee Priest na fase de Bulk e depois do Cut (sim, é o mesmo cara...)

    1.2 Cutting

    Na segunda fase, a ideia é manipular o organismo para que ele queime gordura da melhor forma possível. Não se iluda: você também perderá massa muscular junto com a gordura. A ideia é queimar mais gordura do que músculos.

    Retirando a camada de gordura que estava por cima dos músculos agora desenvolvidos, você finalmente verá seu abdome e a definição dos demais músculos do corpo.

    Para isso, é preciso continuar fazendo seu treino de força, mas acrescentando também uma boa dose de exercícios aeróbicos (corrida, natação, ciclismo).

    Além desse ponto, o grande diferencial na fase de Cutting é na dieta. Agora a dieta deve ser levemente hipocalórica. Você terá que consumir um pouco menos de calorias do que o corpo gasta, para ele usar as reservas de gordura.

    Só que, se você continuar comendo carboidratos como antes, o organismo usará essa energia como fonte primária e não queimará a reserva de energia que existe no seu corpo em forma de gordura.

    A saída, então, é baixar o consumo de carboidratos. Com isso, haverá menos insulina no organismo e menos acúmulo de gordura. Você provavelmente não vai ganhar mais massa magra, mas se lembre que o objetivo agora é definir e não crescer.

    1.3 Quando passar do Bulk para o Cut?

    Aqui é que muita gente se assusta. Quem procura ganhar massa magra de maneira massiva e depois cortar todo o excesso de gordura chega a pesar entre 15 e 25 quilos a mais do que o seu peso ideal!

    Esses são valores com que fisiculturistas trabalham, apenas para se ter uma ideia. Uma pessoa comum provavelmente não chegará a tanto.

    É preciso também verificar se você não está engordando em demasia. Para um corpo definido, com o abdome aparecendo, um homem tem que ficar com o percentual de gordura entre 7% e 14%. Mas na fase de bulking, você pode acabar até passando de 25% de gordura no corpo.

    Não se afaste muito desse valor, pois acima disso a Organização Mundial de Saúde já considera um excesso de gordura prejudicial à saúde.
    Dá para crescer e definir ao mesmo tempo?

    Essa é a pergunta a que todos gostariam de dizer sim, mas a respostas para a maioria das pessoas é não. A não ser para aqueles que detêm uma genética muito privilegiada, a melhor maneira de mudar o seu corpo é dividindo os objetivos em duas fases: uma que se adiciona a maior quantidade de massa possível e outra em que se corta o excesso de gordura.

    E aí, qual vai ser?



    2.0 O método e as 4 técnicas definitivas para perder barriga

    Perder barriga. Nove entre dez pessoas que estão fora de forma não hesitam ao apontar esse como o principal fator de mudança no corpo.

    Uma barriga chapada é sinônimo de beleza estética e bem-estar. Além disso, os médicos já comprovaram que o excesso de gordura na região da barriga é um dos principais fatores de risco para ataques cardíacos e outras doenças do coração.

    O problema é que somos bombardeados com tantas técnicas sobre como perder a barriguinha, que ficamos tontos. Acabamos sofrendo da paralisia por análise: é tanta coisa para fazer, que acabamos sem fazer nada.

    Por isso, o objetivo desse post é simplificar sua vida e apresentar um método com cinco técnicas já comprovadas para você perder barriga já.

    Perder barriga com abdominal
    2.1. Você não pode queimar gordura só na barriga

    Esqueça a ideia de queimar gordura localizada. Isso é comprovadamente impossível de fazer através de alimentação e exercícios.

    A não ser que você use tratamentos tópicos na barriga, como lipoaspiração ou drenagem linfática, a única maneira de perder barriga é diminuindo a gordura corporal como um todo.

    2.2 Exercícios aeróbicos são os inimigos da barriga grande

    Para perder gordura corporal, você precisa queimá-la. E a melhor maneira de fazer isso é através de exercícios aeróbicos:

    1. Corrida
    2. Natação
    3. Ciclismo
    4. Cama elástica

    Você pode fazer um milhão de abdominais. Seus músculos internos do abdome ficarão com certeza fortalecidos. Mas ninguém vai ver.

    Isso por que a gordura fica depois dos músculos. Você já pode até ter o seu tanquinho, mas ele estará oculto sob uma camada de gordura.

    2.3 Carboidratos refinados devem ser abandonados

    Carboidratos refinados geram picos de insulina no seu organismo. Isso significa uma grande quantidade de energia, que não será aproveitada, e será estocada no corpo sob a forma de gordura.

    Se você quer perder barriga, precisa aprender a comer bem. E o primeiro passo para isso é riscar do seu cardápio os carboidratos refinados:

    * Açúcar
    * Farinha de trigo refinada
    * Massas brancas
    * Arroz branco

    Isso significa que você não deve comer bolo, doce, torta, sorvete, pastelão, macarronada, coxinha, pão, chocolate, sucos açucarados etc.

    Substitua tudo por carboidratos complexos como os vindos da batata-doce, arroz integral, legumes. As frutas devem ser consumidas inteiras, para que as fibras que vêm com ela evitem picos de insulina provocados pela frutose. Ou seja, nada de sucos refinados. Principalmente se for com açúcar.

    2.4 Abdominais dão o toque final

    Uma barriga chapada e sequinha surge quando você tem um percentual de gordura baixo.

    Para ter uma barriga tanquinho, é preciso fazer alguns exercícios abdominais para ganhar massa muscular.

    Se você ainda está com um percentual de gordura alto, não vai adiantar de nada fazer abdominal. Mas se já está na fase final (algo como 10% de gordura corporal para homens e 14% para mulheres), pode investir nos abdominais para definir os músculos. Agora sim, sem gordura por cima, eles podem aparecer!

    3.1 SUPLEMENTOS MAIS USADOS NAS FASES DE BULK
    whey, maltodextrina (dextrose), albumina, glutamina, bcaa, caseina, polivitaminico, vitamina c, creatina, hipercalorico, fish oil.

    3.2 Suplementos mais usados em fase de cult
    whey, thermogenicos, fish oil, glutamina, bcaa, multivitaminico, caseina, albumina.

    3.3 Qual função desses suplementos

    3.3.1 PROTEÍNAS

    A proteína, nutriente não estocado no copo, fundamental para construção muscular, evita catabolismo pós-treino (quando seu corpo faminto, caso não receba nutrientes, os retira dos seus músculos). Esses suplementos são metabolizados no fígado e nos músculos. “Esse processo continua nos dois dias seguintes, exigindo um aporte de proteína ao longo desse período e não somente após o treino”, explica a nutricionista esportiva Mirtes Stancanelli, pesquisadora do Laboratório de Bioquímica do Exercício da Unicamp.

    Whey Protein: Obtida do soro do leite, é uma das proteínas mais completas, pela quantidade de aminoácidos essenciais. Pela absorção rápida, recomenda-se seu consumo em seguida do treino.

    Albumina: A proteína da clara do ovo, além de barata, oferece bom teor de aminoácidos. Por causa da absorção mais lenta, é ideal para ser consumida à noite ou para complementar a exigência protéica total da dieta.

    Hipercalóricos: Conhecidos como “massas”, oferecem alta concentração de carboidratos e bom teor de proteínas (alguns deles), contribuindo para a hipertrofia e a manutenção de massa muscular.

    3.3.2 CARBOIDRATOS

    Bastam duas horas de malhação mais intensa ou uma hora e meia de corrida para que seu tanque esvazie (esse tempo é so uma estimativa). E carboidrato é o seu principal combustível. Em gel, líquido ou pó, ele restaura os níveis de energia, estimula a síntese de glicogênio, alivia a sensação de fadiga e preserva a massa muscular. “Em um indivíduo de 70kg, apenas 400 gramas de seu peso corporal são armazenados nos músculos em forma de glicogênio. É uma reserva que esgota rápido”, informa Júlio Tirapegui. Fique atento às características dos principais energéticos, que podem ser simples complexos.

    Dextrose: Para se recuperar de atividades de curta e média duração (menos de uma hora) e mais intensas (como musculação), você precisa de carboidrato simples de alta absorção. A dextrose nada mais é do que glicose, o principal açúcar produzido pelo corpo, só que proveniente de fontes vegetais. Deve ser tomado logo após o treino para restaurar a energia e estimular a liberação de hormônios anabólicos, como insulina e IGF-1.

    Maltodextrina: O carboidrato complexo do amido do milho tambem ajuda no fator insulina no pos treino.

    QUEIMADORES

    Termogênicos ou Fat Burners: Aceleram o metabolismo e, conseqüentemente, o gasto energético, por concentrarem substâncias estimulantes, como cafeína, taurina, guaraná e chá verde. Para melhor aproveitamento, devem ser ingeridos pouco antes do início da atividade física.

    Substitutos de Refeição: Os populares shakes são indicados por quem está com sobrepeso e precisa reduzir calorias. Buscam assegurar em suas formulações os principais nutrientes com baixo teor de gorduras e carboidratos.

    AMINOÁCIDOS

    O aumento de força está diretamente associado ao ganho de massa. No caso, porém, mais do que apenas hipertrofiar as fibras musculares, é importante aumentar seu número, o que só é possível com estímulos cada vez maiores (por meio de sobrecarga) e nutrientes adequados à sua pronta regeneração: os aminoácidos. É nessa relação de quebra e construção das fibras que atuam os suplementos para ganho de força.

    Aminoácido Líquido: Nada mais é do que proteína em estado fragmentado, para aumentar sua velocidade de absorção. Atua de forma semelhante aos hiperprotéicos e, como eles, seu consumo deve levar em conta a ingestão diária de proteínas.

    BCAA: A sigla vem de Brain Chain Amino Acids, aminoácidos de cadeia ramificada, em inglês. Consumido antes e após o exercício, reduz a fadiga, evita o catabolismo e ajuda a recuperação muscular, fornecendo os três aminoácidos essenciais (leucina, isoleucina e valina), que, diferentemente dos outros, são metabolizados nos músculos e não no fígado. Alguns suplementos protéicos, como whey ou albumina, contêm boa concentração desses nutrientes.

    REGULADORES

    Um treino pode ser considerado uma guerra dentro do seu corpo: as células de defesa repelem os ataques sofridos pelos estímulos do exercício. No fim do combate, seu sistema imunológico está arrasado e os radicais livres circulam livremente, ocasionando o chamando estresse oxidativo. Para levantar a moral da tropa, prevenindo infecções e inflamações, além da energia vinda dos carboidratos e proteínas, é preciso garantir o suprimento de vitaminas e minerais. Segundo estudos, os mais relacionados à atividade física são as vitaminas A e E (pela função antioxidante), as do complexo B (atuam no metabolismo energético), e a C (pela função antioxidante, na prevenção de lesões musculares e na síntese de proteínas), além dos minerais cálcio, magnésio, ferro, zinco, cobre e selênio. O corpo não produz a maior parte deles, mas é bem provável que suas necessidades sejam supridas com a alimentação, se ele for bem variada. Glutamina e ácidos graxos, no entanto, podem ser uma boa alternativa para reforçar suas defesas.

    Ácidos Graxos: O ômega-3 e o ômega-6, presentes nos óleos de peixe e de fígado de bacalhau, também podem ser aliados do treinamento de força. “Por sua comprovada ação antiinflamatória, colaboram na recuperação das microlesões musculares causadas pelo treino de hipertrofia”, afirma Rachel Dias, professora de nutrição da Pontifica Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC – RS).

    Glutamina: O aminoácido livre mais abundante no tecido muscular tem atuação no sistema imunológico, sendo empregado clinicamente na recuperação de pacientes com queimaduras ou lesões. Em forma de suplementos, ajuda a reduzir o catabolismo e facilita a recuperação muscular.


    fontes:
    http://pt.scribd.com/doc/50566586/27/UM ... BOLIZANTES
    (esse link nao liguem para o nome, oq conta msm é o q esta escrito em outras partes desse ebook)
  4. Upvote
    ippo got a reaction from MarombeiraJr in Como elaborar uma dieta pra ganho de massa muscular   
    Visto que é difícil para uma pessoa normal crescer e definir a massa muscular ao mesmo tempo, muitos atletas e treinadores dividem um plano de mudança corporal em duas fases: bulk e cut. Se tem duvidas sobre bulk e cut, leia esse tópico:
    No bulk, o objetivo é só crescer. Você vai comer muito para ganhar massa muscular, mas um pouco de gordura vai vir junto. No cut, esse excesso de gordura vai ser eliminado.
    Tirando a gordura de cima, os músculos conquistados na primeira fase ficarão bem aparentes, dando aquele aspecto “rasgado”, “sarado”, ou seja lá como você chame.
    Já falamos sobre as fases de bulk e cut em outro post. Neste artigo, queremos explicar um pouco sobre como montar uma dieta de bulk.
    Existem dois métodos, um mais seguro e outro mais experimental. Analise bem qual é o melhor para você.
    Método 1
    Procure um nutricionista esportivo qualificado e ele monta a dieta para você
    Método 2

    feira da semana
    Ok, você acha que nutricionistas não entendem nada, que não valem o preço que cobram, que só você conhece seu corpo. Você acredita que tem conhecimentos suficientes para montar a sua própria dieta.
    E aí, como fazer?
    1. Calcule quantas calorias você gasta
    O princípio básico do bulk é que você deve comer mais calorias do que você gasta. Mas quantas calorias você gasta?
    Esse valor é conhecido como Taxa de Metabolismo Basal (TMB). Existem diversas fórmulas para calcular essa taxa. Vamos usar a mais simples, popularizada pelo fisiculturista Layne Norton.
    Se você tem tendência a ser magro (ectomorfo): multiplique seu peso atual, em quilos, por 37
    Se você tem tendência a ser gordo (mesomorfo): multiplique seu peso atual, em quilos, por 29
    Se você tem tendência a ter um corpo atlético (endomorfo): multiplique seu peso atual, em quilos, por 33
    O resultado é mais ou menos a quantidade de calorias que você gasta por dia. Como você quer ganhar massa, adicione a esse valor de 500 até 1.000 calorias por dia.
    A dica para esse primeiro ponto é ir adicionando aos poucos. Por exemplo, adicione 500 calorias e depois de uma ou duas semanas faça a aferição dos resultados, através de pesagem, medidas e fotos. Se não estiver dando resultado, adicione mais e repita o processo.
    2. Calcule as proteínas
    As proteínas são um dos macronutrientes mais importantes para quem quer construir músculos.
    Os nutricionistas esportivos recomendam que alguém em fase de bulk faça uma ingestão de 2 a 3 gramas de proteínas por cada quilo de peso corporal. Assim, se você pesa 80 quilos, deveria consumir por dia entre 160 a 240 gramas de proteínas por dia.
    Uma dica aqui é colocar 30% da quantidade total de proteínas nas refeições que você faz no período após o treino de musculação. Nessa janela de oportunidade o corpo está sedento por esse nutriente.
    Lembre-se de que cada grama de proteína possui cerca de quatro calorias.
    Boas fontes de proteína para a fase de bulk são:
    Ovos Leite Peito de frango Cortes magros de carne (alcatra, por exemplo) Peixe Soja Iogurte natural Uma opção interessante também é usar suplementos de proteínas, quando necessário: Whey protein Albumina Caseína Colágeno hidrolisado 3. Calcule as gorduras
    As gorduras boas são as insaturadas, geralmente de origem vegetal.
    O cálculo aqui é mais simples: um grama de gordura para cada quilo de peso. Uma pessoa de 80 quilos deve ingerir 80 gramas de gorduras ao dia.
    Um grama de gordura possui cerca de nove calorias.
    As boas fontes de gorduras são:
    Óleo de linhaça Óleo de canola Azeite de oliva Castanhas Nozes Abacate Açaí Uma dica é suplementar com cápsulas de Óleo de Peixe (Fish Oil), visto que a dieta ocidental geralmente é pobre em ômega-3.
    4. Calcule os carboidratos
    Se você já tem calculada a quantidade de proteínas e a quantidade de gorduras, sabe mais ou menos quantas calorias virão desses nutrientes. Lembre-se de que um grama de proteína vale quatro calorias e um grama de gordura vale nove calorias.
    Agora você pega a quantidade de calorias que você deve ingerir por dia e vê quanto já estará ingerindo de proteínas e gorduras. O restante das calorias devem ser ingeridas em forma de carboidratos.
    Como fazer isso? Basta pegar o valor de calorias que faltam e dividir por quatro. Isso dará o total de gramas de carboidratos que você deverá consumir por dia, pois cada grama de carboidrato vale quatro calorias também.
    Carboidrato é o macronutriente mais fácil de encontrar nos alimentos, mas fique atento para consumir carboidratos de boa qualidade, ou seja, de baixo índice glicêmico. Não vale se entupir de sorvete, bolacha, biscoito e congêneres só para atingir a quantidade de carboidratos e calorias necessários. Evite principalmente açúcar e farinha de trigo refinada, sua saude agradece.
    Boas fontes de carboidratos são:
    Frutas Cereais integrais (aveia, arroz, trigo) Pão integral Batata-doce Inhame Mandioca/Macaxeira/Aipim Macarrão integral Feijão Para suplementar, você pode fazer uso de maltodextrina e dextrose após os treinos. Esses suplementos são carboidratos de alto índice glicêmico, que ajudam na recuperação e reposição do glicogenio perdido durante o treino.
    5. Atente para os micronutrientes
    Micronutrientes são as vitaminas e minerais que devemos ingerir. São mais difíceis de calcular, por isso a orientação de um nutricionista esportivo caso a caso é tão recomendada.
    A melhor forma de se assegurar de que você está ingerindo os micronutrientes necessários é comer muitas frutas e verduras, em boa variedade. Nas verduras, procure sobretudo as folhas verdes escuras e o brócolis.
    6. Monte as refeições
    Bem, agora você já sabe quantas calorias deve ingerir ao dia e quantas devem vir de proteínas, carboidratos e gorduras. Sabe também quais os melhores alimentos para obter esses macronutrientes.
    Só falta agora montar as refeições. Primeiro, veja quantas refeições você faz ao dia. Não existe um número certo e determinado. Procure respeitar o seu ciclo gástrico, ou seja, comer quando estiver com fome.
    Muita gente diz que se deve comer de três em três horas, mas isso não é tão exato. Por exemplo, se você come um sanduíche, vai levar um tempo menor para digerir do que se comer uma feijoada. Por que teria que esperar as mesmas três horas nos dois casos?
    Para montar as refeições você precisa da tabela nutricional de cada alimento que escolher e ir multiplicando pela quantidade que vai ingerir, até chegar aos valores de proteínas, gorduras e carboidratos de que necessita.
    A melhor maneira de fazer isso é usar uma tabela automatizada. Achei essa tabela no forum hipertrofia e estou disponibilizando o link, os creditos nao sao meus.
    7. Acompanhe e refine
    A dieta de bulk é um organismo vivo. Se você aumentou em uma semana seu peso de 80 para 82 quilos, terá que recalcular a quantidade de calorias, proteínas, gorduras e carboidratos. Vá aumentando até chegar no patamar desejado.
    A recomendação é que você tire um dia da semana (os domingos, por exemplo) para auferir peso e medidas. De preferência, assim que acordar, depois de esvaziar a bexiga.
    Se perceber que não está fazendo efeito, adicione mais calorias. Se perceber que está ganhando mais gordura do que massa muscular, verifique a quantidade e qualidade dos alimentos que escolheu. Ou faça melhor, procure um nutricionista esportivo
    fontes:
  5. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Receptores estratégicos e AEs   
    Pois é, mais é bem empirico msm... pelo menos nunca vi nada comprovado sob isso, apenas empirismo..
  6. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Receptores estratégicos e AEs   
    Olha tem mto empirismo em cima desse contexto... Mtos fisiculturistas dizem que aplicações locais desenvolvem melhor o local da aplicação, o motivo ninguém sabe explicar, se vermos o lado empírico da coisa, para algumas pessoas talvez funcionem bem, ou até o psicológico influencie bastante.. Mais comprovado mesmo é que independente do local e da droga utilizada ela vai ser absorvida para o corpo inteiro..
  7. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in TPC Completa: drogas, ponte, dieta e treino (DUDU)   
    Esse tbm é mto bom, ja tinha lido tambem, obrigado por compartilhar, abraço.
  8. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Protocolos de Terapia Pós-Ciclo (TPC) DUDU   
    Achei ate interessante a leitura, ate faz sentido sobre o HCG, mais pelo que vejo ele é bem valido para um ciclo onde não se usa hcg durante o ciclo..
  9. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Protocolos de Terapia Pós-Ciclo (TPC) DUDU   
    Boa Duduh, so não concordo muito com o hcg na tpc, mais de resto ta muito bom..
  10. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Refeições de fácil transporte para dieta   
    Bom galera, vi esse topico em outro forum e achei bem interessante ja que existem varios topicos sobre o que comer quando nao se tem tempo.
    PS: lembrando que os creditos nao sao meus e sim do leandrotwin de outro forum...
    Quantidades não serão citadas, por que isso é individual e depende do objetivo da pessoa.
    Sugestão 01: Leite em pó desnatado + Whey protein ou Albumina (ou ambos, 50% cada) + Farelo de aveia.
    Colocar tudo numa garrafinha, na hora é só colocar água, agitar e beber.
    Sugestão 02: Pão integral + Peito de peru.
    Fazer os lanches e colocar num pote.
    Sugestão 03: Bananas + Ovos.
    Cozinhar os ovos, mas não tirar a casca. Coloque num pote. Descasca eles na hora e come. Banana é só levar sem abafar e com casca (dentro da mochila pode, mas sem potes).
    Sugestão 04: Barras de cereais + Barras de proteina.
    O unico cuidado é se alguma usa algo que possa derreter (chocolate por exemplo).
    Sugestão 05: Bananas + Barra de proteina.
    O unico cuidado é se alguma barra usa algo que possa derreter (chocolate por exemplo). Banana é só levar sem abafar e com casca (dentro da mochila pode, mas sem potes).
    Sugestão 06: Bananas + Alguma proteina em pó (caseina, albumina, whey protein, mix protein).
    Banana é só levar sem abafar e com casca (dentro da mochila pode, mas sem potes). Proteina em pó levar numa garrafa ou coqueteira, colocar agua, agitar e beber.
    Sugestão 07: Hipercalórico + Albumina + Aveia
    Colocar tudo numa garrafinha ou coqueteleira. Na hora é só colocar agua, agitar e beber.
    Sugestão 08: Batata-doce + Clara de ovo.
    Levar num potinho. Dura o dia todo.
    Sugestão 09: Granola + Whey + Iogurte.
    Misturar tudo numa coqueteleira. Dura 6hrs, dependendo da temperatura pode durar até mais.
    Sugestão 10: Banana + Barra de proteína + Amendoim.
    Banana levar com casca. Barra de proteina cuidar pra não ter chocolate ou algo que possa derreter com o calor. Amendoin pode levar num pote.
    Sugestão 11: Lata de atum + Pão Integral.
    Levar o atum na lata fechado e o pão integral num pote ou no saco mesmo.
    Sugestão 12: Lata de atum + Castanhas.
    Levar o atum na lata fechado, castanhas num pote.
    Sugestão 13: Lata de atum + Azeite.
    Levar o atum na lata fechado. Levar a lata toda de azeite e uma colher para tomar.
    Sugestão 14: Ovos + Azeite.
    Os ovos são cozidos e só tira a casca na hora que for comer. Levar a lata toda de azeite e uma colher para tomar.
    Sugestão 15: Pão integral + Frango + Legumes (preferencial).
    Fazer os lanches em casa e levar num pote. Dura bastante.
    Sugestão 16: Omelete de ovos, presunto e queijo.
    Picar o presunto e queijo (ambos magros) e fazer um omelete.
    Sugestão 17: Atum + Vinagre de maçã + Azeite + Alface + Tomate + Cebola.
    Picar tudo e colocar num pote.
    Sugestão 18: Pão integral + Presunto magro + Queijo + Albumina.
    Espalhar a albumina no pão integral, colocar o presunto, queijo e por na misteira ou chapa. Albumina fica crocante. Tambem pode fazer o lanche e levar a albumina num shaker.
    Sugestão 19: Batata-doce + Atum.
    Amassar a batata-doce junto com o atum, levar num pote.
    Sugestão 20: Frango + Azeite + Ricota + Batata-doce + Pão Integral.
    Desfiar o frango, amassar a ricota e a batata-doce, jogar azeite. Rechear o pão com a mistura.
  11. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Entenda o que é "BULK" e "CUT", e quais suplementos utilizar   
    acho q vc ja tem é d mais ja manow, da ate pra deixar o cha verde mais pra frente e ficar som com o thermogenico, o whey e a dextrose, se tu focar na dieta ja terá otimos resultados...
  12. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Entenda o que é "BULK" e "CUT", e quais suplementos utilizar   
    pote de carboidratos? o.o... o importante é comer bem manow e qd falo bem é saber moderar os macronutrientes (carboidratos, proteinas, gorduras) e os micronutrientes (vitaminas e minerais), nao adianta tbm comer monte de carbo passando da tua tmb, q vai ganhar bastante gordura e vai ser dificil perder toda ela no cut...
  13. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Entenda o que é "BULK" e "CUT", e quais suplementos utilizar   
    confesso q eu estava procurando esse link e rodei umas 3 paginas, agora q vi q tava fixo...



    vlw por fixar, postei pq achei muito bem explicativo e bom para os iniciantes olharem, abraço..
  14. Upvote
    ippo got a reaction from Loirafitness in Entenda o que é "BULK" e "CUT", e quais suplementos utilizar   
    1. "Bulk e Cut: crescer o corpo e só depois definir"

    Quando vemos fotos de Antes e Depois de pessoas que tiveram sucesso em mudar seus corpos, muitas vezes ficamos impressionados como elas conseguiram ganhar massa muscular e queimar gordura. Ocorre que, na maioria dos casos, falta entre as duas fotos uma imagem do Durante.

    Fisiculturistas profissionais há muito perceberam que é muito difícil e desgastante querer ganhar massa muscular e perder gordura ao mesmo tempo. Isso porque cada uma dessas ações requer comportamentos diferentes, por vezes até opostos.

    Sendo assim, eles criaram duas fases para quem quer mudar o corpo: a fase do Bulk, em que o objetivo é adicionar o máximo possível de músculos mesmo ganhando alguma gordura no processo, e a fase do Cut, em que o excesso de gordura é eliminado, deixando aparente os músculos desenvolvidos na fase anterior.

    1.1 Bulking

    Bulk pode ser traduzido como volume, massa, tamanho, carga. Você entendeu: é a fase em que você terá que comer muito e focar na musculação, com a maior carga possível, objetivando chegar à falha muscular em cada série.

    A dieta da fase de Bulk é hipercalórica, ou seja, você vai procurar ingerir mais calorias do que normalmente necessita. Geralmente, as refeições são divididas em seis e em todas elas devem estar presentes porções de proteínas, carboidratos de baixo índice glicêmico e gorduras vindas de boas fontes. A única exceção em relação aos carboidratos é na refeição pós-treino, em que eles devem ser de alto índice glicêmico.

    Com a boa ingestão de carboidratos, você estará jogando glicose no organismo. A glicose é a fonte primária de energia do corpo.

    Quando há glicose demais, o nosso pâncreas joga na corrente sanguínea um hormônio chamado insulina. A principal função da insulina é recolher glicose, mas ela também causa síntese proteica e acúmulo de gorduras. Por isso a pessoa acaba ficando mais forte, mais também com um percentual de gordura maior.

    Quando você já estiver mais forte, com músculos desenvolvidos, embora recobertos por uma camada de gordura, é chegada a hora da fase de Cutting.

    Lee Priest na fase de Bulk e depois do Cut



    Lee Priest na fase de Bulk e depois do Cut (sim, é o mesmo cara...)

    1.2 Cutting

    Na segunda fase, a ideia é manipular o organismo para que ele queime gordura da melhor forma possível. Não se iluda: você também perderá massa muscular junto com a gordura. A ideia é queimar mais gordura do que músculos.

    Retirando a camada de gordura que estava por cima dos músculos agora desenvolvidos, você finalmente verá seu abdome e a definição dos demais músculos do corpo.

    Para isso, é preciso continuar fazendo seu treino de força, mas acrescentando também uma boa dose de exercícios aeróbicos (corrida, natação, ciclismo).

    Além desse ponto, o grande diferencial na fase de Cutting é na dieta. Agora a dieta deve ser levemente hipocalórica. Você terá que consumir um pouco menos de calorias do que o corpo gasta, para ele usar as reservas de gordura.

    Só que, se você continuar comendo carboidratos como antes, o organismo usará essa energia como fonte primária e não queimará a reserva de energia que existe no seu corpo em forma de gordura.

    A saída, então, é baixar o consumo de carboidratos. Com isso, haverá menos insulina no organismo e menos acúmulo de gordura. Você provavelmente não vai ganhar mais massa magra, mas se lembre que o objetivo agora é definir e não crescer.

    1.3 Quando passar do Bulk para o Cut?

    Aqui é que muita gente se assusta. Quem procura ganhar massa magra de maneira massiva e depois cortar todo o excesso de gordura chega a pesar entre 15 e 25 quilos a mais do que o seu peso ideal!

    Esses são valores com que fisiculturistas trabalham, apenas para se ter uma ideia. Uma pessoa comum provavelmente não chegará a tanto.

    É preciso também verificar se você não está engordando em demasia. Para um corpo definido, com o abdome aparecendo, um homem tem que ficar com o percentual de gordura entre 7% e 14%. Mas na fase de bulking, você pode acabar até passando de 25% de gordura no corpo.

    Não se afaste muito desse valor, pois acima disso a Organização Mundial de Saúde já considera um excesso de gordura prejudicial à saúde.
    Dá para crescer e definir ao mesmo tempo?

    Essa é a pergunta a que todos gostariam de dizer sim, mas a respostas para a maioria das pessoas é não. A não ser para aqueles que detêm uma genética muito privilegiada, a melhor maneira de mudar o seu corpo é dividindo os objetivos em duas fases: uma que se adiciona a maior quantidade de massa possível e outra em que se corta o excesso de gordura.

    E aí, qual vai ser?



    2.0 O método e as 4 técnicas definitivas para perder barriga

    Perder barriga. Nove entre dez pessoas que estão fora de forma não hesitam ao apontar esse como o principal fator de mudança no corpo.

    Uma barriga chapada é sinônimo de beleza estética e bem-estar. Além disso, os médicos já comprovaram que o excesso de gordura na região da barriga é um dos principais fatores de risco para ataques cardíacos e outras doenças do coração.

    O problema é que somos bombardeados com tantas técnicas sobre como perder a barriguinha, que ficamos tontos. Acabamos sofrendo da paralisia por análise: é tanta coisa para fazer, que acabamos sem fazer nada.

    Por isso, o objetivo desse post é simplificar sua vida e apresentar um método com cinco técnicas já comprovadas para você perder barriga já.

    Perder barriga com abdominal
    2.1. Você não pode queimar gordura só na barriga

    Esqueça a ideia de queimar gordura localizada. Isso é comprovadamente impossível de fazer através de alimentação e exercícios.

    A não ser que você use tratamentos tópicos na barriga, como lipoaspiração ou drenagem linfática, a única maneira de perder barriga é diminuindo a gordura corporal como um todo.

    2.2 Exercícios aeróbicos são os inimigos da barriga grande

    Para perder gordura corporal, você precisa queimá-la. E a melhor maneira de fazer isso é através de exercícios aeróbicos:

    1. Corrida
    2. Natação
    3. Ciclismo
    4. Cama elástica

    Você pode fazer um milhão de abdominais. Seus músculos internos do abdome ficarão com certeza fortalecidos. Mas ninguém vai ver.

    Isso por que a gordura fica depois dos músculos. Você já pode até ter o seu tanquinho, mas ele estará oculto sob uma camada de gordura.

    2.3 Carboidratos refinados devem ser abandonados

    Carboidratos refinados geram picos de insulina no seu organismo. Isso significa uma grande quantidade de energia, que não será aproveitada, e será estocada no corpo sob a forma de gordura.

    Se você quer perder barriga, precisa aprender a comer bem. E o primeiro passo para isso é riscar do seu cardápio os carboidratos refinados:

    * Açúcar
    * Farinha de trigo refinada
    * Massas brancas
    * Arroz branco

    Isso significa que você não deve comer bolo, doce, torta, sorvete, pastelão, macarronada, coxinha, pão, chocolate, sucos açucarados etc.

    Substitua tudo por carboidratos complexos como os vindos da batata-doce, arroz integral, legumes. As frutas devem ser consumidas inteiras, para que as fibras que vêm com ela evitem picos de insulina provocados pela frutose. Ou seja, nada de sucos refinados. Principalmente se for com açúcar.

    2.4 Abdominais dão o toque final

    Uma barriga chapada e sequinha surge quando você tem um percentual de gordura baixo.

    Para ter uma barriga tanquinho, é preciso fazer alguns exercícios abdominais para ganhar massa muscular.

    Se você ainda está com um percentual de gordura alto, não vai adiantar de nada fazer abdominal. Mas se já está na fase final (algo como 10% de gordura corporal para homens e 14% para mulheres), pode investir nos abdominais para definir os músculos. Agora sim, sem gordura por cima, eles podem aparecer!

    3.1 SUPLEMENTOS MAIS USADOS NAS FASES DE BULK
    whey, maltodextrina (dextrose), albumina, glutamina, bcaa, caseina, polivitaminico, vitamina c, creatina, hipercalorico, fish oil.

    3.2 Suplementos mais usados em fase de cult
    whey, thermogenicos, fish oil, glutamina, bcaa, multivitaminico, caseina, albumina.

    3.3 Qual função desses suplementos

    3.3.1 PROTEÍNAS

    A proteína, nutriente não estocado no copo, fundamental para construção muscular, evita catabolismo pós-treino (quando seu corpo faminto, caso não receba nutrientes, os retira dos seus músculos). Esses suplementos são metabolizados no fígado e nos músculos. “Esse processo continua nos dois dias seguintes, exigindo um aporte de proteína ao longo desse período e não somente após o treino”, explica a nutricionista esportiva Mirtes Stancanelli, pesquisadora do Laboratório de Bioquímica do Exercício da Unicamp.

    Whey Protein: Obtida do soro do leite, é uma das proteínas mais completas, pela quantidade de aminoácidos essenciais. Pela absorção rápida, recomenda-se seu consumo em seguida do treino.

    Albumina: A proteína da clara do ovo, além de barata, oferece bom teor de aminoácidos. Por causa da absorção mais lenta, é ideal para ser consumida à noite ou para complementar a exigência protéica total da dieta.

    Hipercalóricos: Conhecidos como “massas”, oferecem alta concentração de carboidratos e bom teor de proteínas (alguns deles), contribuindo para a hipertrofia e a manutenção de massa muscular.

    3.3.2 CARBOIDRATOS

    Bastam duas horas de malhação mais intensa ou uma hora e meia de corrida para que seu tanque esvazie (esse tempo é so uma estimativa). E carboidrato é o seu principal combustível. Em gel, líquido ou pó, ele restaura os níveis de energia, estimula a síntese de glicogênio, alivia a sensação de fadiga e preserva a massa muscular. “Em um indivíduo de 70kg, apenas 400 gramas de seu peso corporal são armazenados nos músculos em forma de glicogênio. É uma reserva que esgota rápido”, informa Júlio Tirapegui. Fique atento às características dos principais energéticos, que podem ser simples complexos.

    Dextrose: Para se recuperar de atividades de curta e média duração (menos de uma hora) e mais intensas (como musculação), você precisa de carboidrato simples de alta absorção. A dextrose nada mais é do que glicose, o principal açúcar produzido pelo corpo, só que proveniente de fontes vegetais. Deve ser tomado logo após o treino para restaurar a energia e estimular a liberação de hormônios anabólicos, como insulina e IGF-1.

    Maltodextrina: O carboidrato complexo do amido do milho tambem ajuda no fator insulina no pos treino.

    QUEIMADORES

    Termogênicos ou Fat Burners: Aceleram o metabolismo e, conseqüentemente, o gasto energético, por concentrarem substâncias estimulantes, como cafeína, taurina, guaraná e chá verde. Para melhor aproveitamento, devem ser ingeridos pouco antes do início da atividade física.

    Substitutos de Refeição: Os populares shakes são indicados por quem está com sobrepeso e precisa reduzir calorias. Buscam assegurar em suas formulações os principais nutrientes com baixo teor de gorduras e carboidratos.

    AMINOÁCIDOS

    O aumento de força está diretamente associado ao ganho de massa. No caso, porém, mais do que apenas hipertrofiar as fibras musculares, é importante aumentar seu número, o que só é possível com estímulos cada vez maiores (por meio de sobrecarga) e nutrientes adequados à sua pronta regeneração: os aminoácidos. É nessa relação de quebra e construção das fibras que atuam os suplementos para ganho de força.

    Aminoácido Líquido: Nada mais é do que proteína em estado fragmentado, para aumentar sua velocidade de absorção. Atua de forma semelhante aos hiperprotéicos e, como eles, seu consumo deve levar em conta a ingestão diária de proteínas.

    BCAA: A sigla vem de Brain Chain Amino Acids, aminoácidos de cadeia ramificada, em inglês. Consumido antes e após o exercício, reduz a fadiga, evita o catabolismo e ajuda a recuperação muscular, fornecendo os três aminoácidos essenciais (leucina, isoleucina e valina), que, diferentemente dos outros, são metabolizados nos músculos e não no fígado. Alguns suplementos protéicos, como whey ou albumina, contêm boa concentração desses nutrientes.

    REGULADORES

    Um treino pode ser considerado uma guerra dentro do seu corpo: as células de defesa repelem os ataques sofridos pelos estímulos do exercício. No fim do combate, seu sistema imunológico está arrasado e os radicais livres circulam livremente, ocasionando o chamando estresse oxidativo. Para levantar a moral da tropa, prevenindo infecções e inflamações, além da energia vinda dos carboidratos e proteínas, é preciso garantir o suprimento de vitaminas e minerais. Segundo estudos, os mais relacionados à atividade física são as vitaminas A e E (pela função antioxidante), as do complexo B (atuam no metabolismo energético), e a C (pela função antioxidante, na prevenção de lesões musculares e na síntese de proteínas), além dos minerais cálcio, magnésio, ferro, zinco, cobre e selênio. O corpo não produz a maior parte deles, mas é bem provável que suas necessidades sejam supridas com a alimentação, se ele for bem variada. Glutamina e ácidos graxos, no entanto, podem ser uma boa alternativa para reforçar suas defesas.

    Ácidos Graxos: O ômega-3 e o ômega-6, presentes nos óleos de peixe e de fígado de bacalhau, também podem ser aliados do treinamento de força. “Por sua comprovada ação antiinflamatória, colaboram na recuperação das microlesões musculares causadas pelo treino de hipertrofia”, afirma Rachel Dias, professora de nutrição da Pontifica Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC – RS).

    Glutamina: O aminoácido livre mais abundante no tecido muscular tem atuação no sistema imunológico, sendo empregado clinicamente na recuperação de pacientes com queimaduras ou lesões. Em forma de suplementos, ajuda a reduzir o catabolismo e facilita a recuperação muscular.


    fontes:
    http://pt.scribd.com/doc/50566586/27/UM ... BOLIZANTES
    (esse link nao liguem para o nome, oq conta msm é o q esta escrito em outras partes desse ebook)
  15. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Como elaborar uma dieta pra ganho de massa muscular   
    Visto que é difícil para uma pessoa normal crescer e definir a massa muscular ao mesmo tempo, muitos atletas e treinadores dividem um plano de mudança corporal em duas fases: bulk e cut. Se tem duvidas sobre bulk e cut, leia esse tópico:
    No bulk, o objetivo é só crescer. Você vai comer muito para ganhar massa muscular, mas um pouco de gordura vai vir junto. No cut, esse excesso de gordura vai ser eliminado.
    Tirando a gordura de cima, os músculos conquistados na primeira fase ficarão bem aparentes, dando aquele aspecto “rasgado”, “sarado”, ou seja lá como você chame.
    Já falamos sobre as fases de bulk e cut em outro post. Neste artigo, queremos explicar um pouco sobre como montar uma dieta de bulk.
    Existem dois métodos, um mais seguro e outro mais experimental. Analise bem qual é o melhor para você.
    Método 1
    Procure um nutricionista esportivo qualificado e ele monta a dieta para você
    Método 2

    feira da semana
    Ok, você acha que nutricionistas não entendem nada, que não valem o preço que cobram, que só você conhece seu corpo. Você acredita que tem conhecimentos suficientes para montar a sua própria dieta.
    E aí, como fazer?
    1. Calcule quantas calorias você gasta
    O princípio básico do bulk é que você deve comer mais calorias do que você gasta. Mas quantas calorias você gasta?
    Esse valor é conhecido como Taxa de Metabolismo Basal (TMB). Existem diversas fórmulas para calcular essa taxa. Vamos usar a mais simples, popularizada pelo fisiculturista Layne Norton.
    Se você tem tendência a ser magro (ectomorfo): multiplique seu peso atual, em quilos, por 37
    Se você tem tendência a ser gordo (mesomorfo): multiplique seu peso atual, em quilos, por 29
    Se você tem tendência a ter um corpo atlético (endomorfo): multiplique seu peso atual, em quilos, por 33
    O resultado é mais ou menos a quantidade de calorias que você gasta por dia. Como você quer ganhar massa, adicione a esse valor de 500 até 1.000 calorias por dia.
    A dica para esse primeiro ponto é ir adicionando aos poucos. Por exemplo, adicione 500 calorias e depois de uma ou duas semanas faça a aferição dos resultados, através de pesagem, medidas e fotos. Se não estiver dando resultado, adicione mais e repita o processo.
    2. Calcule as proteínas
    As proteínas são um dos macronutrientes mais importantes para quem quer construir músculos.
    Os nutricionistas esportivos recomendam que alguém em fase de bulk faça uma ingestão de 2 a 3 gramas de proteínas por cada quilo de peso corporal. Assim, se você pesa 80 quilos, deveria consumir por dia entre 160 a 240 gramas de proteínas por dia.
    Uma dica aqui é colocar 30% da quantidade total de proteínas nas refeições que você faz no período após o treino de musculação. Nessa janela de oportunidade o corpo está sedento por esse nutriente.
    Lembre-se de que cada grama de proteína possui cerca de quatro calorias.
    Boas fontes de proteína para a fase de bulk são:
    Ovos Leite Peito de frango Cortes magros de carne (alcatra, por exemplo) Peixe Soja Iogurte natural Uma opção interessante também é usar suplementos de proteínas, quando necessário: Whey protein Albumina Caseína Colágeno hidrolisado 3. Calcule as gorduras
    As gorduras boas são as insaturadas, geralmente de origem vegetal.
    O cálculo aqui é mais simples: um grama de gordura para cada quilo de peso. Uma pessoa de 80 quilos deve ingerir 80 gramas de gorduras ao dia.
    Um grama de gordura possui cerca de nove calorias.
    As boas fontes de gorduras são:
    Óleo de linhaça Óleo de canola Azeite de oliva Castanhas Nozes Abacate Açaí Uma dica é suplementar com cápsulas de Óleo de Peixe (Fish Oil), visto que a dieta ocidental geralmente é pobre em ômega-3.
    4. Calcule os carboidratos
    Se você já tem calculada a quantidade de proteínas e a quantidade de gorduras, sabe mais ou menos quantas calorias virão desses nutrientes. Lembre-se de que um grama de proteína vale quatro calorias e um grama de gordura vale nove calorias.
    Agora você pega a quantidade de calorias que você deve ingerir por dia e vê quanto já estará ingerindo de proteínas e gorduras. O restante das calorias devem ser ingeridas em forma de carboidratos.
    Como fazer isso? Basta pegar o valor de calorias que faltam e dividir por quatro. Isso dará o total de gramas de carboidratos que você deverá consumir por dia, pois cada grama de carboidrato vale quatro calorias também.
    Carboidrato é o macronutriente mais fácil de encontrar nos alimentos, mas fique atento para consumir carboidratos de boa qualidade, ou seja, de baixo índice glicêmico. Não vale se entupir de sorvete, bolacha, biscoito e congêneres só para atingir a quantidade de carboidratos e calorias necessários. Evite principalmente açúcar e farinha de trigo refinada, sua saude agradece.
    Boas fontes de carboidratos são:
    Frutas Cereais integrais (aveia, arroz, trigo) Pão integral Batata-doce Inhame Mandioca/Macaxeira/Aipim Macarrão integral Feijão Para suplementar, você pode fazer uso de maltodextrina e dextrose após os treinos. Esses suplementos são carboidratos de alto índice glicêmico, que ajudam na recuperação e reposição do glicogenio perdido durante o treino.
    5. Atente para os micronutrientes
    Micronutrientes são as vitaminas e minerais que devemos ingerir. São mais difíceis de calcular, por isso a orientação de um nutricionista esportivo caso a caso é tão recomendada.
    A melhor forma de se assegurar de que você está ingerindo os micronutrientes necessários é comer muitas frutas e verduras, em boa variedade. Nas verduras, procure sobretudo as folhas verdes escuras e o brócolis.
    6. Monte as refeições
    Bem, agora você já sabe quantas calorias deve ingerir ao dia e quantas devem vir de proteínas, carboidratos e gorduras. Sabe também quais os melhores alimentos para obter esses macronutrientes.
    Só falta agora montar as refeições. Primeiro, veja quantas refeições você faz ao dia. Não existe um número certo e determinado. Procure respeitar o seu ciclo gástrico, ou seja, comer quando estiver com fome.
    Muita gente diz que se deve comer de três em três horas, mas isso não é tão exato. Por exemplo, se você come um sanduíche, vai levar um tempo menor para digerir do que se comer uma feijoada. Por que teria que esperar as mesmas três horas nos dois casos?
    Para montar as refeições você precisa da tabela nutricional de cada alimento que escolher e ir multiplicando pela quantidade que vai ingerir, até chegar aos valores de proteínas, gorduras e carboidratos de que necessita.
    A melhor maneira de fazer isso é usar uma tabela automatizada. Achei essa tabela no forum hipertrofia e estou disponibilizando o link, os creditos nao sao meus.
    7. Acompanhe e refine
    A dieta de bulk é um organismo vivo. Se você aumentou em uma semana seu peso de 80 para 82 quilos, terá que recalcular a quantidade de calorias, proteínas, gorduras e carboidratos. Vá aumentando até chegar no patamar desejado.
    A recomendação é que você tire um dia da semana (os domingos, por exemplo) para auferir peso e medidas. De preferência, assim que acordar, depois de esvaziar a bexiga.
    Se perceber que não está fazendo efeito, adicione mais calorias. Se perceber que está ganhando mais gordura do que massa muscular, verifique a quantidade e qualidade dos alimentos que escolheu. Ou faça melhor, procure um nutricionista esportivo
    fontes:
  16. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Como elaborar uma dieta pra ganho de massa muscular   
    hsaushuhsa, pois é... ta dificil se virar, hj msm vou extrapolar em cima das carnes na ceia pra atingir os macros, ta virando paranoia isso, hsuahsusahuas... vc deu ai um bom exemplo, qd eu fui a capital fazer um curso la (vou voltar de novo em janeiro pra esse curso se deus quiser), acordei 7 hrs pra ir pro curso, preferi nao comer nada do q comprar algum salgado, ai qd cheguei em casa compensei pela merenda, kkkk, é bem mais nutritivo, fora q pra mim nao ficar com fome na aula, deixei pra comer um pouco mais antes de dormir, e ate foi de boa, acho q ja to acostumado xD, abraço
  17. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Auto-aplicação no ombro e no glúteo   
    Da uma olhada aqui:
    http://www.spotinjections.com/index3.htm
     
    Duvidas leia o topico:

  18. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Injetando esteroides corretamente e dor tardia pós-aplicação   
    shauhsauhsu, abraço..
  19. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Injetando esteroides corretamente e dor tardia pós-aplicação   
    REGRAS GERAIS
    1. A princípio, todo medicamento deve ser prescrito pelo médico especialista;
    2. Nunca administrar medicamentos sem rótulo e de origem duvidosa;
    3. Verificar a data de validade do medicamento;
    4. Interar-se sobre as diversas drogas, para conhecer cuidados específicos e efeitos colaterais:
    - melhor horário;
    - formas de diluição e tempo de validade do medicamento;
    - ingestão com água, leite, sucos;
    - antes, durante ou após as refeições ou em jejum;
    - incompatibilidade ou não de mistura de drogas;
    5. Tendo dúvidas sobre o medicamento, não administrá-lo;
    6. Manter controle rigoroso sobre medicamentos disponíveis;
    7. Ler atenciosamente a bula é fundamental;
    8. É bom salientar que os produtos veterinários não possuem o mesmo controle higiênico-sanitário, quando comparados aos produtos destinados ao consumo humano, portanto devem ser evitados.
    PREPARO DO MEDICAMENTO EM AMPOLA
    1. Lavar bem as mãos, fazendo assepsia com álcool a 70% ou sabonete anti-séptico;
    2. Certificar-se do medicamento a ser aplicado, dose, via e paciente a que se destina;
    3. Antes de abrir a ampola, certificar-se que toda a medicação está no corpo e não no gargalo. Se não estiver, fazer a medicação descer com movimentos rotatórios na ampola;
    4. Fazer a desinfecção do gargalo com algodão embebido em álcool a 70%;
    5. Proteger os dedos com algodão, ao serrar ou quebrar o gargalo;
    6. Abrir a embalagem da seringa;
    7. Adaptar a agulha ao bico da seringa, zelando para não contaminar as duas partes;
    8. Certificar-se do funcionamento da seringa, verificando se a agulha está firmemente adaptada;
    9. Manter a seringa com os dedos polegar e indicador e segurar a ampola entre os dedos médio e indicador da outra mão;
    10. Introduzir a agulha na ampola e proceder a aspiração do conteúdo, invertendo lentamente a agulha, sem encostá-la na borda da ampola;
    11. Virar a seringa com a agulha para cima, em posição vertical e expelir o ar que tenha penetrado;
    12. Desprezar a agulha usada para aspirar o medicamento (Não seja miserável. Se você teve dinheiro para comprar algum tipo de droga, alguns centavos a mais não vão fazer diferença para seu bolso. Portanto, troque a agulha!);
    13. Escolher, para a aplicação, uma agulha de calibre apropriado á solubilidade da droga e à espessura do tecido subcutâneo do indivíduo;
    14. Manter a agulha protegida com protetor próprio.
    INJEÇÃO SUBCUTÂNEA (SC)
    A via subcutânea, também chamada hipodérmica, é indicada principalmente para drogas que não necessitam ser tão rapidamente absorvidas, quando se deseja eficiência da dosagem e uma absorção contínua e segura do medicamento.
    A insulina, o hormônio do crescimento e o HCG, têm indicação por essa via.
    Áreas de aplicação
    Os locais mais adequados para aplicação são aqueles afastados das articulações, nervos e grandes vasos sangüíneos:
    - partes externas e superiores dos braços;
    - laterais externas e frontais das coxas;
    - região gástrica e abdômen;
    - nádegas;
    - costas (logo acima da cintura).
    Obs: Na aplicação de injeção subcutâneas a pessoa pode estar em pé, sentada ou deitada, com a área bem exposta.
    Método
    1. Lavar bem as mãos, fazendo assepsia com álcool a 70% ou sabonete anti-séptico;
    2. Preparo da medicação conforme técnica anteriormente descrita;
    3. Expor a área de aplicação e proceder a anti-sepsia do local escolhido;
    4. Permanecer com o algodão na mão não-dominante;
    5. Segurar a seringa com a mão dominante, como se fosse um lápis;
    6. Com a mão não dominante, fazer uma prega na pele, na região onde foi feita a anti-sepsia;
    7. Nesta prega cutânea, introduzir a agulha com rapidez e firmeza, com ângulo de 90° (perpendicular à pele);
    8. Aspirar para ver se não atingiu um vaso sanguíneo;
    9. Injetar o líquido vagarosamente;
    10. Esvaziada a seringa, retirar rapidamente a agulha e, com algodão, fazer ligeira pressão no local. Logo após, fazer a massagem. Para certos tipos de drogas, como a insulina, não é conveniente a massagem após a aplicação, para evitar a absorção rápida;
    11. Observar o indivíduo alguns minutos, para ver se apresenta alterações;
    12. Providenciar a limpeza e o descarte do material em local apropriado (lixo descartável), onde haja recolhimento de lixo hospitalar;
    13. Lavar as mãos.
    Observações
    1. Não utilizando a agulha curta, a angulação será de 45° para indivíduos normais, 60° para obesos e 30° para excessivamente magros;
    2. A diluição das drogas deve ser feita com precisão e segurança. Na dúvida, não aplicar;
    3. Na aplicação de insulina, utilizar a técnica do revezamento, que é um sistema padronizado de rodízio dos locais das injeções para evitar abscessos, lipodistrofias e o endurecimento dos tecidos na área da injeção.
    INJEÇÃO INTRAMUSCULAR (IM)
    É a deposição de medicamento dentro do tecido muscular. Depois da via endovenosa é a de mais rápida absorção; por isso o seu largo emprego.
    Locais de aplicação
    Na escolha do local para aplicação, é muito importante levar em consideração fatores como: idade, a distância em relação a vasos e nervos importantes, musculatura suficientemente grande para absorver o medicamento, espessura do tecido adiposo; irritabilidade da droga e atividade profissional do indivíduo.
    São indicados, para aplicação de injeção intramuscular as seguintes regiões:
    a) região deltoidiana - músculo desltóide;
    b ) região ventro-glútea ou de Hachstetter - músculo glúteo médio;
    c) região da face ântero-lateral da coxa - músculo vasto lateral (terço médio).
    d) região dorso-glúteo - músculo grande glúteo (quadrante superior externo).
    Escolha da agulha
    Para aplicar com agulha ideal, deve-se levar em concideração: o grupo etário, a condição física individual e a solubilidade da droga a ser injetada.
    Método
    1. Preparar o medicamento conforme técnica descrita;
    2. Lavar bem as mãos, fazendo assepsia com álcool a 70% ou sabonete anti-séptico;
    3. Com os dedos polegar e indicador da mão dominante, segurar o corpo da seringa e colocar o dedo médio sobre o êmbolo;
    4. Com a mão dominante, proceder á anti-sepsia do local. Depois, manter o algodão entre o dedo mínimo e anular da mesma mão;
    5. Ainda com a mão dominante, esticar a pele segurando firmemente o músculo;
    6. Introduzir rapidamente a agulha com o bisel (ponta) voltado para o lado, no sentido das fibras musculares;
    7. Com a mão dominante, puxar o êmbolo, aspirando, para verificar se não lesionou um vaso;
    8. Empurrar o êmbolo vagarosamente;
    9. Terminada a aplicação, retirar rapidamente a agulha e fazer uma ligeira pressão com o algodão;
    10. Fazer massagem local;
    11. Providenciar a limpeza e o descarte do material em local apropriado (lixo descartável), onde haja recolhimento de lixo hospitalar;
    12. Lavar as mãos.
    Observações
    1. A princípio, injeções com mais de 3 ml não devem ser aplicadas no deltóide de pessoas com condições corporais consideradas normais.
    2. O volume máximo para injeção IM é de 5 ml. Volume acima de 5 ml, fracionar e aplicar em locais diferentes;
    3. Estabelecer rodízio nos locais de aplicação de injeções.
    Guia da dor pos aplicacão
    Neste artigo, vou rever as principais causas de dor muscular localizada, ternura e sensibilidade que são experimentadas como resultado da via intramuscular (IM), injeções. Há dois grupos principais causadores da dor que a injeção pode ser classificado:
    1. Dor devido à via de administração
    2. Dor devido à substância a ser injetada
    Dentro dessas duas categorias, existem outras sub-grupos de causas da dor da injeção, e estes serão discutidos em mais detalhes.
    1. Dor devido à via de administração
    1. Invasão da injeção. A causa inicial da dor causada pela injeção que pode ser experimentado é simplesmente o fato de que uma injeção IM em si é um procedimento invasivo, em que a barreira natural do corpo de pele está a ser penetrada por uma agulha fina e qualquer outro conteúdo de celular ao longo do trajeto da agulha é sendo cortado. Isto, em si, embora relativamente invasiva, pode causar alguma dor. Essa dor tende a ser inicial, no entanto, devido ao projeto de agulhas para injeção, a natureza curvo da ponta da agulha permite um mínimo de dor e, portanto, esta não é uma causa comum de dor pós-injeção.
    2. Abrindo um novo local da injeção IM. Quando um novo site muscular é invadida e um volume de substância é injetada nele, há sempre alguma dor associada a uma injecção. O grupo do músculo não é usado para conter um volume adicional de uma substância, assim, a dor pode resultar. Isto somente é experimentada quando um site é utilizada pela primeira vez uma injeção IM. É por isso que quando se utiliza um novo site é incentivado para injetar uma quantidade menor, inicialmente, de 0,5-1ml dependente do tamanho do músculo. Essa dor e dor geralmente cessa após um site já recebeu pelo menos uma injeção.
    3. localização física de injeção. Muitas vezes, quando a injeção de uma substância, a localização física, que é onde a agulha libera a substância, pode causar desconforto após a injeção. Isso é mais provável devido à substância (especialmente se à base de óleo e lentamente absorvida) sentado entre os grupos musculares ou em um pequeno músculo, pois isso irá causar mais dor do que está sendo injetado no meio de um músculo ou um maior muscular. Isso pode acontecer de tempos em tempos, mesmo com usuários experientes.
    4. Volume da substância injetada. Que se coadunam com o ponto 1 (ii), o volume de injeção também vai fazer uma diferença significativa para qualquer dor e sofrimento experimentado. Geralmente, grandes volumes são melhor tolerados em grandes grupos musculares (músculo glúteo, quadríceps, etc), com pequenos grupos musculares (bíceps, tríceps, etc) mais justa, com volumes menores (<2 ml). À medida que aumenta o volume injetado, você aumenta a quantidade de substância contida dentro do músculo que está normalmente presente, assim você aumentar o risco de uma resposta inflamatória ea dor. Volumes muito grandes (> 5-6ml, especialmente de substâncias à base de óleo) não são recomendadas devido ao risco de desenvolvimento de um abscesso estéril.
    2. Dor devido à substância a ser injetada
    1. Abscesso desenvolvimento. Como acontece com qualquer substância, a menos que seja estéril (e até mesmo em casos de bactérias estéril na pele e pêlos do corpo pode ser puxada para trás da barreira da pele dentro do corpo pelo processo de injeção), existe um risco elevado de desenvolver uma infecção interna conhecida como um abscesso . Isto irá resultar em grande quantidade de inchaço, vermelhidão, sintomas gripais e linfócitos aumento da inflamação, aumentando assim resultando em um grau justo de dor experimentada. O risco de infecções, sendo desenvolvido ao usar produtos completamente estéreis, porém, é muito baixa.
    2. Solvente concentração da substância. A concentração eo tipo dos solventes utilizados na preparação da substância a ser injetada vai afetar toda a dor ea dor que serão sentidas após a injecção. Alguns amortecedores e solventes utilizados quando injetado em estado puro dar uma boa quantidade de dor. Por exemplo, alguns peptídeos são suspensas em ácido acético 100mM, que quando injetado em pequenas quantidades pode dar ao usuário algum desconforto. É um ponto importante para fazer que a dor resultante da concentração de solvente usado é mais provável para começar bem logo após a injeção, de alguns minutos a um máximo algumas horas. A dor que leva mais tempo do que isso para se desenvolver é geralmente devido a outros fatores discutidos aqui.
    Outro exemplo muito comum de solvente utilizado como conservante de esteróides anabolizantes e outras preparações de injeção IM, é o álcool benzílico (BA). Em altas concentrações, a BA irá causar dor causada pela injeção, na grande maioria dos usuários. No entanto, em concentrações <10% da BA, a maioria vai experimentar pouco de desconforto devido ao BA. Muitas pessoas afirmam que os laboratórios subterrâneos que fazem dos esteróides anabólicos injetáveis em usar a maneira não-regulamentados altos percentuais BA em seus produtos como o propionato de testosterona, que é por isso que os usuários experimentam a dor. No entanto, como explicado aqui e no ponto 2 (iii), a BA é improvável que seja a causa da dor. É por isso que deve ser notado que, na realidade, muitas preparações farmacêuticas contêm quantidades maiores do que esperado da BA neles. Deca-Pronabol, uma forma farmaceuticamente produzidos de decanoato de nandrolona, contém 9% da BA e usuários em geral não relatam dor associada com a injeção. Algumas preparações de Sustanon-250 por empresas farmacêuticas estabelecidas são feitas com 10% de BA (BA 0,1 ml 1,0 ml por ampola).
    No entanto, muitos argumentam que aqui Sustanon-250 é uma injeção dolorida para muitos. Apesar disso, quando se olha para a composição dos ingredientes ativos de Sustanon-250, podemos ver uma quantidade de testosterona combinada propionato e fenilpropionato de cerca de 100mg/ml. Por motivos discutidos na parte 2 (iii), podemos seguramente assumir que a dor é mais provável de ocorrer devido à alta concentração desses ésteres curtos, ao contrário meramente de alta concentração de BA. No entanto, vale lembrar que cada pessoa reage diferentemente a diversos solventes e 10% da BA não deve causar dor para muitos usuários, mas vai causar dor de uma percentagem significativa de outros usuários. Outros solventes na preparação para além daqueles descritos aqui podem também contribuir ou causar dor causada pela injeção, no entanto os que foram discutidos são os mais significativos no contexto da preparação de esteróides anabolizantes.
    3. Concentração do produto ativo. Esta é provavelmente a causa mais comum de dor pós-injeção experimentados por usuários de esteróides anabólicos. Isso é mais provável devido à demanda para os laboratórios subterrâneos para produzir mais concentrada preparações esteróides (mg alta / ml de hormônio) para reduzir o número de injeções e volumes. Um bom exemplo disso é a produção de propionato de testosterona por muitos laboratórios diferentes. Se olharmos para a preparação de propionato de testosterona por companhias farmacêuticas legítimas, vemos que a concentração máxima é normalmente produzida 50mg/ml. Apesar disso, a maioria dos laboratórios subterrâneos hoje vai produzir multi-uso de frascos de testosterona, que são no mínimo de 100mg/ml. Hormônios que contêm ésteres de curto nelas (como acetato, propionato, fenilpropionato) têm um ponto de fusão muito maior e, portanto, não pode ser feita tão concentrado como aqueles com os ésteres mais longos (enantato, decanoato, etc.) Apesar de propionato de testosterona pode ser efetivamente feito em quantidades padrão de solventes e óleo para 100mg/ml sem bater para fora desta solução, uma vez injetado no corpo, os solventes tendem a lixiviar para fora da solução muito rapidamente, sendo absorvido muito mais rapidamente do que o óleo . Isso deixa atrás do petróleo e do hormônio no músculo, e nas concentrações mais elevadas (que dependem de solventes para não falhar em solução), isso resultará em alguns dos hormônios cair fora da solução a dar cristais. Estes cristais causar desconforto muscular significativa, e também pode resultar no recrutamento de linfócitos envolvidos na inflamação, assim, a área em volta dos cristais podem ficar inflamados com um acúmulo de células sanguíneas. Isso leva tempo a se dissipar e mais para que os cristais de ser absorvido pelo corpo, razão pela qual este tipo de dor e desconforto geralmente dura por vários dias.
    Deve-se notar, contudo, que existem determinadas transportadoras e solventes que permitem maior mg / ml preparações a serem feitas que resultam na redução da dor. Um solvente é utilizado ocasionalmente guaicol, que permite soluções mais concentradas para serem produzidos e também age como um apaziguador leve analgésico ou dor no local da injecção. Uma transportadora de lipídeos mais útil como uma alternativa a uma transportadora de petróleo é normal oleato de etila (EO). EO pode ser substituído por outros óleos carreadores, e é um menos viscoso transportadora (thinner), que também permite que o hormônio a ser dissolvido na mesma comparação com outros óleos. A segurança do OE para injectáveis em seres humanos é muitas vezes questionada, no entanto diversos produtos da injeção farmaceuticamente produzidos foram feitos que EO uso como um transportador, notadamente Farmak testosterona propionato. Além disso, o etanol (álcool) é convertido em diversos produtos no organismo quando ingerido, sendo um ácido oléico. Um problema potencial com o uso de óxido de etileno no entanto, é que uma pequena porcentagem de usuários pode ter uma reação alérgica à sua utilização, caracterizado por uma erupção cutânea e algum desconforto local, mas esta é uma reação mais rara a igualdade de oportunidades.
    Abaixo está uma lista comum de esteróides anabólicos e, quando preparado com porcentagens de solventes comuns e as transportadoras de óleo normal (não EO), que a concentração máxima normal que pode ser alcançado antes de a dor é experiente:
    Testosterona 100mg/ml
    Enantato de Testosterona 300mg/ml <
    Testosterona 250mg/ml
    Decanoato de nandrolona 325mg/ml <
    150mg/ml nandrolona
    Trembolona Acetato 100mg/ml <
    Trembolona Enantato 250mg/ml <
    Boldenone Undecilenato (EQ) <900mg/ml
    Enantato de metenolona 75mg/mL <
    Drostanolone 150mg/ml
    Em resumo, existem várias causativos diferentes de IM da dor pós-injeção, porém o mais prevalente é provável que seja a concentração do hormônio usado na preparação e, por outro, em menor medida, a concentração de solventes utilizados. No entanto, como delineado, com qualquer injecção este é um procedimento invasivo que diz respeito à quebra de barreiras naturais do corpo, há sempre o risco de dor e desconforto.
    Site que mostra os principais pontos para aplicação dos eas
    http://www.spotinjections.com/index3.htm
    Fontes: hipertrofia e homem bombado (acabei perdendo os links e nao encontro).

  20. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Como seria um treino ideal para quem toma esteroides anabolizantes?   
    É mais ou menos isso ai, so que acho que passar de 1 hora ja não é benefico... 
  21. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Como seria um treino ideal para quem toma esteroides anabolizantes?   
    Eu entendo Everton, vc ta falando mais ou menos o que eu estou falando msm..
  22. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Como seria um treino ideal para quem toma esteroides anabolizantes?   
    Concordo, mais nao da para dizer que com AES o treino será o msm... Os AES da a vantagem que o corpo precisa para ir mais longe...
     
    abraço
  23. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Como seria um treino ideal para quem toma esteroides anabolizantes?   
    kkkkk
     
    antes eu fazia biceps com 40kg, e isso com 2 anos de treino e nunca ciclei... mais como parei quase 1 ano e estou voltando aos treinos novamente ainda não cheguei la, ainda to nos 30kgs... Mais pokoyo depende mto tbm, eu confesso que nao sei o peso da barra de la não...
     
    abraço
  24. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Como seria um treino ideal para quem toma esteroides anabolizantes?   
    Num ciclo de Eas, acho interessante mudar o estimulo e procurar intensidade total... Ah e dentro de 1 hora esta otimo... Ja vi gente na academia que toma bomba e passa a noite toda treinando, ele até tem o corpo legal, mais se nao fizesse esse treino todo provavelmente teria bem mais resultados.
  25. Upvote
    ippo got a reaction from fisiculturismo in Ômega 3, 6 & 9   
    é so olhar a tabela nutricional, a maioria dos olhos de peixe sao assim:

    1 capsula

    epa: 180mg
    dha:120mg
    o importante é tomar no minimo 2g dessa concentração ai, nesse caso tem 180+120 = 300mg, daria umas 7 capsulas no minimo, pra dar as 2g de epa+dha.

    so q tem uns q sao mais concentrador, mais é praticamente a msm coisa, o q muda é a quantidade de capsulas. ja vi um assim:

    1 capsula
    epa: 360mg
    dha: 240mg
    360+240 = 600mg, ou seja so vai mudar a concentração, fazendo com q vc diminua a quantidade de capsulas por dia, nao tem segredo,abraço.
×
×
  • Create New...