Jump to content

Search the Community

Showing results for tags 'fígado'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Anabolizantes Esteroides
    • Tópicos sobre esteroides
    • Relatos de ciclos
  • Suplementos Alimentares
    • Tópicos sobre suplementação
    • Relatos de uso de suplementos alimentares
  • Treinamento de Musculação
    • Tópicos sobre treinamento
    • Lesões musculares
    • Diário de treino
  • Nutrição Esportiva
    • Tópicos sobre nutrição
    • Relatos sobre dietas
  • Gente
    • Tópicos de evolução do shape
  • Assuntos Diversos
    • Tópicos diversos

Calendars

  • Campeonatos de Musculação
  • Cursos, Palestras e Feiras

Categories

  • Esteroides
  • Suplementos
  • Treinamento
  • Nutrição
  • Gente
  • Diversos

Categories

  • Esteroides
  • Suplementos
  • Treinamento
  • Nutrição
  • Gente
  • Diversos

Categories

  • Aves
  • Bebidas
  • Carnes
  • Lanches
  • Legumes
  • Ovos
  • Massas
  • Peixes e Frutos do Mar
  • Saladas
  • Sobremesas

Categories

  • Abdominal
  • Antebraço
  • Bíceps
  • Costas
  • Coxa
  • Glúteo
  • Lombar
  • Ombro
  • Panturrilha
  • Peito
  • Pescoço
  • Romboide
  • Trapézio
  • Tríceps

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


Telefone Celular (WhatsApp)


Telefone Fixo


Interesses


Facebook


Instagram


YouTube


Twitter


Website


Tumblr


Série de Treinamento


Suplementação


Dieta Nutricional


Ciclos de Esteroides Anabolizantes & Drogas Afins


Academia


Altura


Peso


Percentual de Gordura

Found 38 results

  1. Irei começar meu ciclo mas estou na dúvida se tomo ou não algum protetor hepático.. Alguém poderia me ajudar?
  2. A verdade sobre Silimarina e o Xantinon! Por Luiz Paulo Primeiro passo, vou citar aqui os 2 remédios mais usados [pra proteção hepática] que são a Silimarina e o Xantinon. 1°) Silimarina = A silimarina é o nome genérico de um grupo de compostos naturais (silibina, silidianina e silicristina) extraída do fruto da planta medicinal Carduus marianus, reconhecida por sua atividade anti-hepatotóxica. A silimarina impede a peroxidação dos lipídeos da membrana celular e das organelas dos hepatócitos, protegendo, desta forma, a integridade e a função hepática de eventuais substâncias tóxicas, tanto de origem endógenas como exógenas. Age aumentando a síntese de RNA mensageiro, o que acelera a síntese protéica. 2°) Xantinon = O Xantinon é composto por dois aminoácidos - metionina e colina - importantes para o metabolismo lipídico e protéico que ocorre no fígado. Os seus componentes ativos atuam na mobilização e remoção do excesso de gorduras do hepatócito, além de fornecerem grupos metila para a síntese de colina no organismo. A formação dos componentes lipídicos das lipoproteínas plasmáticas torna-se, portanto, possível, o que facilita o transporte de gorduras pelo fígado. Os aminoácidos presentes em Xantinon são, ainda, importantes para o metabolismo lipídico e para a síntese e manutenção das membranas celulares e participam de forma relevante na defesa antioxidante intracelular hepática, uma vez que estudos comprovaram que a repleção destes aminoácidos se opõe ao estresse oxidativo responsável pelo aumento nos produtos de perioxidação celular e de radicais livres e danos nas membranas celulares, restaurando as funções hepáticas. Você que está lendo deve estar pensando: "poxa essas drogas realmente são boas, protegem o fígado, melhoram a metabolização das gorduras, etc, vou usar durante meu próximo ciclo". Agora vem a realidade: VOCÊ ESTÁ SENDO ENGANADO!!!! BELAS PALAVRAS, NÃO DEVEM INFLUENCIAR TÃO FACILMENTE SUA CONDUTA. A indústria farmaceutica não vai jogar limpo com você, ela nao vai fazer a bula de uma forma que todos possam ter discernimento sobre os remédios, quanto mais informação, menos alienação, e isso seria péssimo para eles. E é sobre isso que eu venho falar! NADA, repito, NADA, vai proteger seu fígado durante o ciclo. Primeiro, dependendo do perfil das drogas que forem utilizadas pouca coisa ira mudar na sua função hepática. Segundo, quando o ciclo envolver sobrecarga de drogas orais, o fígado pode ate ser mais penalizado, mas você NÃO vai desenvolver uma hepatite medicamentosa, a menos é claro, que tenha alguma pre-disposição genética para isso, ou ja esteja com problema metabólico, ou na pior das hipóteses, você programou o ciclo de bulk e acha que pode chutar o balde e ingerir qualquer tipo de gordura, seja saturada, insaturada, na quantidade que quiser, nesse caso vc é um forte candidato a desenvolver uma hepatite denominada gordurosa. Os remédios ja citados e usados por muitos marombeiros, tem alguma utilidade ? Claro que tem, ambos PODEM ser usados, mas nao são prioridade, no tratamento de base de certos tipos de hepatites. Mas o que é hepatite ? Tudo que termina com "ITE" representa processo inflamatório, por exemplo, rinite, gastrite, pneumonite, e por ai vai. E hepato se refere ao fígado, mais precisamente ao hepatocito, que é a unidade funcional que compõe o fígado. Logo, hepatite é a inflamação hepática, com acometimento dos hepatócitos. A hepatite pode ter várias origens, por exemplo, por excesso de ingesta de alcool, por dieta rica em gordura, por vírus( tipos A,B e C) e por medicamentos. Os medicamentos para os quais a Silimarina e o Xantinon são uteis, NÃO INCLUEM OS ESTEROIDES e até mesmo as indicações das bulas não têm evidencias tão fortes e duradouras. O perigo por tras da utilização dessas drogas é que elas têm o poder de MASCARAR o resultado das principais enzimas hepáticas (TGO e TGP) no exame de sangue. Sabe porque isso ocorre ? Qdo é usado silimarina ou xantinon, eles criam uma verdadeira barreira em volta dos hepatócitos e impedem que eles liberem na corrente sanguinea suas enzimas, TGO e TGP, mas isso NÃO quer dizer que seu fígado vai bem, que estas drogas fizeram seu ciclo não maltratar o fígado. Na medicina um dos princípios soberanos é: TRATAR O PACIENTE, NÃO O EXAME DELE. Isso quer dizer que se voce usou esteroides pesados no ciclo, usou silimarina ou xantinon dai fez exame no fim e deu tudo certo, NÃO significa que vc esta bem. Os sinais clínicos como, ICTERÍCIA(pigmentação amarelada na esclera do olho, na pele das mãos), URINA COR DE CHÁ MATE, FEZES CLARAS( com aspecto de massa de vidraceiro) SERÃO SEMPRE MAIS IMPORTANTES DO QUE O RESULTADO DOS SEUS EXAMES. SEMPRE!!!!!!! Então vc pode perceber, que é possivel vc estar com seu exame de sangue super bonito após o ciclo e mesmo assim estar doente de alguma forma que só o profissional devidamente habilitado vai saber reconhecer. Nao use remédios que mascaram sintomas sem a devida indicação de um MÉDICO. Até mesmo os antiinflamatórios não devem ser usados de rotina, independentemente de ser esteroidal ou não, mas isso é assunto para um outro texto. Outra coisa importante e bem simples: durante o ciclo, a coisa que vc menos precisa é de mais droga para metabolizar. Resumindo, NÃO se deixe influenciar pelas experiencias das pessoas que usaram esses remedios durante o ciclo e viram que o exame fico bom, agora vcs ja sabem que essas drogas nao resolvem o problema da sobrecarga por esteroides, elas apenas MASCARAM os exames. E se você leu o texto e ficou se perguntando " Ta, mas não existe nada que ajude a proteger o fígado no ciclo ?" A resposta é: existe sim. Equilibre a distribuição dos nutrientes da dieta, não se sobrecarregue de gordura saturada, evites carnes vermelhas, leite integral, não abuse de drogas orais, até porque elas podem prejudicar não so o figado mas tbm o estomago, causando gastrite em pessoas mais sensíveis. Escrito por: Luiz Paulo Trabalha na empresa LOTHUC - Liga de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Universitário Cajuru Estudou Medicine na instituição de ensino Pontificia Universidade Catolica do Parana - PUC PR
  3. Galera to fazendo um ciclo de enantato e Dianabol, estou no 5°dia usando Diana 10mg a cada 8h. Ontem chegando do treino comi e fui tomar banho, enquanto eu tomava banho vi uma surpresa, as palmas das mãos começaram a ficar bem amareladas perto das pontas dos dedos, como se tivesse suja de ferrugem, olhei no espelho e tem umas manchinhas bem leve amareladas nos meus olhos. Suspenso o uso desde então , e isso permaneceu durante um tempo e agora pela manhã a cor da palma da mão já está práticamente normal. Será que já deu ruim no meu fígado com apenas 5 dias de uso de Diana?? Tô pensando seriamente em suspender o uso, alguém que já usou 17aa já passou por isso, é um sintoma normal ou devo parar? Quando isso aconteceu ainda não tinha aplicado o enantato.
  4. QUAIS AS BOMBAS QUE SE DEVEM TER CUIDADO PARA O FIGADO NAO SER DANIFICADO E QUAIS AS PROTECOES DE CADA UMA ?????
  5. galera esotu com duvidas...estou lendo muitos relatos positivos sobre o NO shotgun e nao sei se deve tomar...gostaria de saber se alguem que tem problema de coração(prolapso), pode usar esse suplemento, se ele faz mal para o figado ou rins.
  6. 3 wins por semana - 2a 4a 6a por 8 semanas protecao somenet para o figado basta? dah pra ganhar uns 8 kilos? sendo 1o ciclo valew
  7. Estou desde ontem ruim com o fígado atacado, a barriga inchada no máximo. Tontura, enjoo, diarreia e vomitando, não dá pra comer nada. Pode ser relativo ao whey? Ou algum outro suplemento?
  8. Fala galera, acompanho sempre o fórum, não sou muito de postar pq sempre acabo encontrando algo sobre minhas dúvidas, mas dessa vez não achei. Não é sobre mim. Tenho um amigo que está ciciando: Bold + Sustanon: seg, qua e sexDeca: ter e quiEle sempre tem crises de garganta e dessa vez foi muito forte. Ele acabou tomando umas injeções anti-inflamatórias na segunda 26/10 e continuou com o ciclo, depois disso está sentindo fadiga, abs inchado e está notando o amarelento nos olhos, pelo que li são alguns sintomas do fígado, acredito que sobrecarregou muito. Queria saber se tem algum relato aqui da página de algo parecido, se pra ele é melhor interromper o ciclo e/ou tomar alguma medicação, fazer exames, etc. Vlw
  9. Estou querendo fazer um ciclo de stanozolol para um pouco de ganho de massa muscular e perda de gordura, o que vocês me dizem sobre?? Queria saber também o que devo tomar pra proteger fígado e contra ginecomastia. Sou iniciante, quero fazer a série e depois fazer uma série de 8 semanas de duratestolan, o que vocês me aconselham???
  10. Uma das maiores preocupações dos usuários mais cautelosos de esteróides anabólicos, sempre é a saúde de seu fígado. Lógico que existem muitos que não estão nem aí tanto para o estado do seu fígado quanto para outros órgãos do corpo, principalmente o cérebro. São esses imbecis que normalmente acabam desenvolvendo diversos efeitos colaterais provenientes do uso incorreto de drogas anabólicas, e quando não há mais nada a fazer, culpam as drogas por sua infelicidade, quando na verdade deveriam culpar sua própria ignorância. Este artigo expõe algumas estratégias para minimizar o nível de lesão a este órgão durante um ciclo, assim como promover uma regeneração mais rápida e eficaz após o término da administração das drogas. Esta última consideração é extremamente importante principalmente para aqueles que insistem em fazer ciclos subseqüentes, mantendo muitas vezes, pequenos intervalos entre os mesmos. O fígado é o maior órgão do corpo humano. Pesa cerca de 1,5 kg localizando-se ao lado direito, no quadrante superior da cavidade abdominal, protegido pelas costelas. Esse órgão executa mais de 500 funções importantes em nosso organismo, sendo que as principais são as seguintes: Integração entre os vários mecanismos energéticos do organismo; Armazenar e metabolizar vitaminas; Fazer síntese de proteínas plasmáticas; Detoxificação de toxinas químicas produzidas pelo organismo; Detoxificação de toxinas químicas externas ao organismo; Filtragem mecânica de bactérias; Controle do equilíbrio hidro-salínico; Síntese de gorduras e secreção do suco biliar. Quase todos os esteróides causam lesão no fígado, sendo que os 17 alpha-alquelados são os mais tóxicos pela dificuldade de processamento. Observa-se maior toxicidade por parte de drogas como a oximetolona, stanozolol, methandrostenolona, metiltestosterona e em menor grau, pela oxandrolona. Vale mencionar que vários medicamentos largamente utilizados pela população, tais como os “inocentes” ácido acetil salicílico (aspirina) e o paracetamol (tylenol), podem ser tanto ou até mesmo mais tóxicos ao fígado do que os “temíveis” esteróides anabólicos. O tipo de lesão hepática clássica encontrado em usuários de esteróides anabólicos denomina-se colestática. As alterações na estrutura dos hepatócitos acontecem provavelmente por ação oxidante na membrana, por meio do aumento de LDH plasmático e pela diminuição da glutationa peroxidase (enzima antioxidante). Retenção de bile nos canalículos biliares ocorre principalmente com o uso da oximetolona. A maior parte das lesões promovidas no fígado são reversíveis tão logo o uso do medicamento seja interrompido, devido a grande capacidade de regeneração desse órgão. Existem relatos de fígados que se regeneraram após terem cerca de 80% de seus hepatócitos comprometidos. Porém, efeitos mais sérios como icterícia somatizada pelo amarelamento da pele, das unhas e branco dos olhos é um sinal para imediata interrupção do medicamento e procura de orientação médica para monitoramento das funções hepáticas. Cuidados Durante o Ciclo Para os que ainda insistem em fazer uso dessas drogas hepatotóxicas, o primeiro passo, após um exame cerebral para verificar o grau de sanidade, seria realizar uma bateria de exames laboratoriais a fim de verificar a saúde de seu fígado. Os exames mais comuns denominam-se aminotransferases. Estas são enzimas amplamente distribuídas nos tecidos humanos, porém atividades mais elevadas são encontradas no miocárdio, fígado, músculo esquelético, com pequenas quantidades nos rins, pâncreas, baço, cérebro, pulmões e eritrócitos. Os níveis séricos das aminotransferases são importantes na verificação da função hepática. As aminotransferases mais úteis a fim de diagnóstico são: transaminases glutâmico-oxaloacética e transaminases glutâmico pirúvica. Além de logicamente evitar superdosagens dessas drogas, o segundo passo seria a adoção de algumas medidas profiláticas, dentre elas, a inclusão de protetores hepáticos, evitar alguns medicamentos e ervas específicas, manter uma boa alimentação, etc. Com relação aos protetores hepáticos, o mais conhecido e utilizado é o silybum marianum ou silimarina. Diversos estudos científicos realizados na Alemanha confirmam os efeitos benéficos da silimarina. Extraída das sementes do cardo marianum e formada por flavonolignanos, a silimarina apresenta grande capacidade regeneradora dos hepatócitos, provavelmente por estimular a síntese de proteínas. Estudos comprovaram seu poder na diminuição dos níveis de bilirrubinas, redução da esteatose hepática e dos níveis de transaminases. Entre outros protetores hepáticos estão: a cynara scolymus - a conhecida alcachofra, que aparentemente também apresenta uma ação regeneradora, mas necessita de mais estudos para confirmar tal efeito; os ácidos graxos ômega 3 e o óleo de prímula da noite que possuem ação anti-inflamatória e ajudam na diminuição das transaminases; os aminoácidos metionina, cisteína e glutamina que auxiliam na eliminação das toxinas hepáticas; a vitamina E, o mineral selênio e o ácido alpha-lipóico, que atuam na síntese do complexo antioxidante glutationa peroxidase. Quanto à dieta, deve-se evitar uma ingestão excessiva de ferro (carne vermelha), vitamina A (acima de 10.000 UI/dia), frituras, alimentos gordurosos e condimentados, minimizar o álcool, incentivar a ingestão de proteínas vegetais (soja), peixes, frutas, cereais, verduras e legumes. Ainda quanto à alimentação, o uso do alecrim é uma boa escolha por sua ação antioxidante, protetora e regeneradora hepática; já a alfafa auxilia no processo digestivo; o abacate é um grande protetor hepático, pois estudos realizados no Japão demonstraram uma diminuição do dano ao fígado em pessoas que comiam abacate todos os dias; o abacaxi, através da bromelina, auxilia a digestão; o boldo, na forma de chá, ajuda a diminuir as transaminases e auxilia no processo digestivo; e o chá verde, devido sua ação antioxidante e digestiva. Deve-se ainda evitar ervas hepatotóxicas, tais como a equinácea e a valeriana, e ter cautela com alguns medicamentos, como os antiinflamatórios hormonais, a maioria dos antibióticos, fenitoína, bupropiona, anti-depressivos tricíclicos, acetaminofem, paracetamol, ácido acetil salicílico, dentre outros. Uma boa medida é sempre verificar a bula dos medicamentos, a fim de constatar se existe algum risco de toxicidade hepática. Cuidados ao Terminar o Ciclo Ao se terminar um ciclo com drogas anabólicas hepatotóxicas, é comum que o fígado tenha sofrido lesões em algum grau. Devido a grande capacidade de regeneração deste órgão, como já mencionado, a tendência é que o órgão recupere toda sua estrutura em um determinado período. Porém, existem medidas que podem otimizar este processo, sendo estas fundamentais para aqueles ainda mais teimosos que insistem em realizar ciclos pesados com maior freqüência e com curto período de intervalo entre os mesmos. Após um ciclo, o sistema de detoxificação do fígado é sobrecarregado, sendo que os metabólitos tóxicos se acumulam e a sensibilidade a outros químicos torna-se progressivamente maior. A implementação da dieta detoxificante deve ser feita de maneira progressiva e dura, em média, de três a quatro semanas. É importante a conscientização do indivíduo para que a dieta detoxificante faça parte da rotina diária, mantendo os resultados benéficos a longo prazo. Quando o objetivo da terapêutica nutricional é detoxificar ou melhorar a reserva orgânica hepática, alguns aspectos também devem ser considerados. Alguns alimentos e bebidas que contêm toxinas e alergenos alimentares deveriam ser excluídos da dieta, como leite de vaca, açúcar e glúten. A hidratação adequada é importante para eliminar os produtos biotransformados, possibilitando a excreção mais eficiente dos compostos tóxicos. É importante ressaltar que de nada adianta ingerir grande quantidade de água em um determinado período. A melhor forma de hidratar-se é administrar pequenas quantidades de líquidos, constantemente, durante todo o dia. Uma das principais vias de eliminação de toxinas modificadas é a bile. Entretanto, quando a excreção de bile é inibida, as toxinas ficam no fígado por mais tempo. Alimentos como o chá verde ou preto, alecrim, alho e cebola, frutas cítricas, frutas vermelhas, oleaginosas, cereais integrais e leguminosas, soja, peixes e alimentos orgânicos possuem propriedades benéficas ao processo de detoxificação de acordo com sua composição. Agentes como a colina, betaína, metionina, vitamina B6, ácido fólico e vitamina B12, são úteis para promover a fluidez da bile para fora do fígado. Já as vitaminas do complexo B são importantes para evitar o dano celular e ajudar no mecanismo de detoxificação. Os alimentos funcionais são auxiliares no processo de detoxificação, entre eles destacam-se os vegetais brássicos (agrião, brócolis, couve-chinesa, couve-de-bruxelas, couve-folha, mostarda, nabo, rabanete e repolho). Elementos probióticos, tais como os lactobacillus e os bifidobactériuns, também atuam na metabolização de medicamentos. Eles podem ser definidos como preparações ou produtos contendo microorganismos determinados que, quando viáveis e em número suficiente, alteram a microbiota intestinal do indivíduo, exercendo efeitos benéficos à sua saúde. A vitamina C (ácido ascórbico), além de auxiliar no processo de detoxificação, também atua reduzindo a ação do hormônio catabólico cortisol, que normalmente encontra-se elevado após o término de um ciclo. A silimarina além de seu efeito protetor já mencionado, também possui ação detoxificante. Vale ressaltar novamente que o melhor para a saúde de qualquer fígado é manter-se longe de qualquer tipo de droga anabólica, ainda mais quando observa-se que os objetivos estéticos alvejados pela maioria de seus usuários, poderiam ser atingidos por meio de treinamento rigoroso e dieta adequada. Maiores informações sobre o assunto podem ser obtidas no livro Guerra Metabólica – Manual de Sobrevivência.
  11. Quero relatar a minha experiência com a Oxandrolona. Já fiz, acredito, uns quatro ciclos com a Oxan. E sempre me dei bem com ela, em todos os sentidos. Ganhei muita força, peso - sim, a Oxan me deu aumento de massa, ao contrário do que dizem que ela não promove muitos ganhos. Foi uma das drogas que mais me deu bem. Comecei um ciclo, logo após ter relatado sobre a minha experiência com a Dura. Estou na terceira semana de uso da Oxan, tomando 60mg, como sempre fiz. Os ciclos anteriores, eu me deu super bem, como comentei, e tive ótimos ganhos. Nada de colateral. O único colateral era sonolência, depois de três semanas se uso. Mas, neste ciclo, não me dei bem. Na segunda semana, além de começar a sentir os benefícios da Oxandrolona, eu também comecei a sentir umas pontadas logo abaixo do peito direito, minha boca ficava seca, lábios secos, enfim, as mucosas secas - isso inclui lábios, pênis, ânus...ardência ao urinar, dor nas costas, nos locais onde ficam os rins, dor de cabeça, e um gosto de amôniaco muito forte. Resolvi, pela primeira vez, utilizar a Silimanrina durante o ciclo. Tomei e a dor abaixo do peito despareceu, só aparecendo de vez em quando, mas fraquinho. Os outros problemas que mencionei continuaram. Na sexta passada, quando tomei a terceira dose - 20 mg - comecei a sentir uma forte dor abaixo do peito direito; tive sensação de febre interna; calafrios; dor na hora de urinarm tanto ardência, além de uma dor nas laterais do tronco, como se estivesse me "sugando", "rasgando" na hora de urinar, também; urina com muita espuma. E o gosto de amoníaco mais forte na minha boca. Comecei a sentir uma forte dor na cabeça, náuseas, parecia que não tinha noção de espaço, estava meio aéreo, zonzo. Mesmo assim, continuei tomando até terça. Mas não aguentei e parei. E agora deu uma melhorada, mas ainda continuo com dor de cabeça, sensação de febre interna, gosto horrível de amoníaco, e quando eu me alimento, passa um tempo, o gosto de amoníaco aumenta. Acredito que é o tempo que leva para o alimento ser digerido e entrar na corrente sanguínea. Ainda mais que consumo muita proteína, deve agravar ainda mais. Resolvi fazer exames, para ver como está o meu sistema hepático e renal. Um amigo meu, médico, disse que é muito perigoso essas drogas orais, por serem tóxicas ao fígado. Sendo que, caso o fígado seja danificado, os rins também vem a se danificar, em alguns casos. Desencadeando uma série de problemas como "circulação colateral", "encefalopatia hepática" eu outros problemas resultantes da insuficiência renal e hepática. Esse gosto de amoníaco que estou sentindo, pode ser por causa do excesso de amônia no meu sangue, pelo fato da Oxandrolona ter agredido o meu fígado, e, com consequência, ter agredito os meus rins, também. E, como eu consumo muita proteína, pode agravar ainda mais os problemas. O fígado não está conseguindo metabolizar e eliminar a amênia do organismo. Agora, só exames irão dizer o que houve. Tomem cuidado, usem com parcimônia essas drogas. Espero ter colaborado.
  12. esses aminoacidos como o bcaa1000 e aminofull não fazem mal para os rins ou fígado?
  13. Olá! Gostaria de saber a parte técnica do suplemento Creatina.. O caminho que ela faz no meu corpo quando eu tomo o suplemento! E...PRINCIPALMENTE, se ele aumenta o trabalho do meu fígado de alguma maneira! Obrigado =)
  14. Boas Alguem sabe se os suplementos fazem mal ao figado ??????????? Já não é a 1ª vez que faço esta pergunta e resposta nem ve-la (lê-la) Obrigado
  15. minhas perguntas saum as seguintes: Porque usar suplementos?O pra que finalidade eles axistem? Um medico - "Ecesso de proteinas prejudica o figado" e verdade isso? porque que numa alimentação balanceada não conseguimos adiquirir todas as proteinas que precisamos para malhar? Alguem pode me axplicar... por favor se tiver aki uma profesor de educação fisica bem enformado me respond plz
  16. Estou sentindo muita falta da creatina e gostaria de saber se posso voltar a fazer uso da mesma, pois fiz uso durante três messes e ouvir dizer que sobrecarrega muito o fígado, então parei por um mês. Será que este tempo que dei de repouso é suficiente? Desde já agradeço. Abs, Marcel.
  17. oi tudo bem gostaria que alguem me desce umas dicas sobre o hmb é bom pode causar algumas coisas como afetar o figado se puderem me ajudar eu agradeço
  18. Alguém sabe qual seria a dosagem de um stano sublingual da pH Gold para um ciclo? Qual é a meia-vida dela? E alguém teria a foto dele pra me mandar? E é verdade que ele não é tão hepatotóxica?
  19. E ae, mais um artigo do Dr. Paulo Cavalcante Muzy via facebook, falando sobre um assunto que deve interessar a muitos de vocês. _________________________________________________________ DHL, CK, TGO, TGP - o que é o quê? Então, pós palestra da Probs no dia 21 recebo um monte de perguntas sobre o lance das enzimas medidas no sangue... É uma das bases do nosso trabalho posto que quem treina tem exames que mostram seu treinamento, portanto é complicado querer que o sujeito treinado tenha um funcionamento enzimático semelhante a um sedentário. Essas enzimas, especificamente sao DHL, TGO, TGP e CK, que normalmente estão aumentadas em quem treina direito, da mesma forma que testosterona está baixa em quem treina de verdade... O que você tem de saber é que tais enzimas estão muito relacionadas com o metabolismo muscular, portanto a analise precisa de seus valores numéricos é de extrema importância para o manejo clinico dos nossos pacientes. a DHL por exemplo é a enzima que converte piruvato em lactato, logo o seu aumento pode estar relacionado com aumento da atividade anaeróbia ou no limiar anaeróbio. Quanto as transaminases (TGO e TGP), que fazem a reação de transaminação (pegam um amino acido, retiram um grupo amina e colocam num acido alfa-cetônico fazendo um novo amino-acido e um novo acido alfa-cetônico), podemos dizer que: A TGO ou AST, que normalmente vemos os médicos relacionarem com lesão miocárdica porque esta tem uma porção mitocondrial e uma porcão citoplasmática, no individuo que treina terá outro significado... TGP que normalmente o clinico relaciona com lesão hepática, é exclusivamente citoplasmática e também no individuo que treina, tem outro significado... o que me preocupa também é como alguns profissionais relacionam o nível de dor de pacientes com níveis alterados de CK, porque essa correlação não é muito verdadeira... A CK é a enzima que transforma a creatina + ATP em fosfocreatina + ADP + Energia (utilizada na contração muscular), ela está aumentada em lesões musculares mas em indivíduos que treinam de forma intensa ela costuma estar aumentada da mesma forma... As três enzimas estão presentes nos músculos e, na vigência de atividade física vigorosa, são liberadas na circulação sanguínea devido a variação da permeabilidade da membrana celular da célula muscular. Portanto, não se pode avaliar metabolismo muscular ou lesão hepática usando somente um indicador... Para metabolismo hepático por exemplo, costumo utilizar provas de funções de alteração rápida: fatores de coagulação AP e TTPA - e lentas como Proteínas totais e frações e Albumina. GGT, FA e algumas vezes 5-Nucleotidase servem muito bem para avaliarem lesão hepática pois tem uma especificidade maior do que TGO e TGP... por isso já dizia um médico chamado Claude Bernard: quem não sabe o que procura, não sabe interpretar aquilo que encontra... converse com seu médico de confiança antes de sair abrindo exames. observe se seu médico tem relacionado os seus dados clínicos aos dados de exame, senão vai acabar ouvindo interpretações imprecisas, e antes de partir para cima do seu treinador porque o treino aumentou a CK ou partir para cima do seu nutricionista porque alguém afirmou que o whey que ele prescreveu para você lesou seu fígado, de os parabéns ao seu professor por ele estar trabalhando de forma adequada e não julgue o seu nutricionista pelos seus valores de TGO e TGP que podem estar alterados (isso se você estiver treinando bem, lógico...) Homens e mulheres quando tornam-se pais e mães também recebem diploma de medicina. Pelo menos é o que parece... Então senhores colegas doutores, por favor, se querem agir como médicos, ajam em todos os sentidos: médicos costumam ser extremamente responsáveis quando abordam um assunto da qual não dominam completamente: eles passam a bola para o especialista. Passem a bola. deixem quem entende falar, porque querer bem não é suficiente para garantir saúde ou segurança de quem se ama. Tenho duas filhas, ambas tem um pediatra da minha total confiança e isso não quer dizer incapacidade médica minha, quer dizer responsabilidade em saber que as vezes alguém pode saber mais sobre aquilo que mais amamos do que nós mesmos. Respeitem a saúde de seus filhos. Levem-nos ao médico, e de preferência, um especialista no assunto, claro... Viu como saber interpretar exames é mais importante do que simplesmente pedi-los? viu como uma interpretação errônea pode interferir num bom treinamento? viu como você precisa de alguém que entenda do assunto e seja da sua confiança para lhe guiar nesse mundo complicado da pratica esportiva em busca de desempenho ótimo? excelente... abração e muita performance, com muita saúde - sempre! Muzy Muita saúde - sempre!
  20. Existe algum protetor hepático COMPROVADAMENTE eficiente?
  21. Acetilcisteína é uma proteção hepática??? Qual a quantidade ( Mg ) para um homem na tpc de uma anabolizante?? Ele precisa de receita médica? E tem como manipular?
  22. queria saber qual orgao inferior 'e mais afetado pelo xenadrine!!!(seria o figado?)se for qual e a melhor vitamina para proteger melhor esse orgao??
  23. Ola amigos, tenho 21 anos, 1,76 de altura e no momento estou com 91KG, uma qualidade muscular bem legal, pouca barriga e pouca gordura. Este é meu 4º ciclo, o ciclo 1 e 2 foram antes dos 18 anos, o ciclo 3, foi em um momento instável de minha vida, era de durateston e stanozolol, 10 semanas, ciclo normal, na semana 9 ganhei uma PIELONEFRITE seguida de insuficiência renal, parei o ciclo, fiz tpc e perdi os 12kg que ganhei. passei 1 ano doente, me recuperando quase que total em janeiro de 2017. Vamos agora para o meu novo ciclo Estou na semana 4 do ciclo de deposteron + deca, segunda inicio a semana 5. comecei assim: semana 1: 400mg de deposteron + 300mg de deca semana 2: 400 mg de deposteron + 300mg de deca Semana 3: 400mg de deposteron + 600 mg de deca Semana 4: 400 mg de deposteron + 600mg de deca Semana 5 até a semana 10 estou querendo colocar 600mg de deposteron + 600mg de deca, o que acham? Protetores e vitaminas: 2g de redoxon por dia 1 comprimido de silimarina por dia 4 comprimidos do polivitamínico centrum por di 1 comprimido de esomeprazol ( protetor do estômago devido a quantidade de antibióticos que tomei no problema renal) por dia VOU COMEÇAR COM HCG AGORA NA SEMANA 5 porém não sei a quantidade ainda. Vou começar com Anastrazol 1mg DSDN agora na SEMANA 6 Diublok ( remédio para controlar a pressão e arritmia cardíaca) 1 comprimido todo dia, ja tomo faz 1 ano, o médico não deixa parar. Suplementação e alimentação: Estou tomando whey top 3w após o treino, ( cerca de 60g de proteína) Estou tomando 30g de caseína extraída do leite em casa antes de dormir. Estou comendo 3-5 ovos por dia, ( apenas 2 gemas independente da quantidade se for 3 ou 5) Estou comendo 250g -- 300g de frango assado por dia Estou fazendo alimentação do almoço normal carne feijão arroz, e janta eu janto na faculdade que é péssimo. Exames: Fiz o exame de urina semana passada, apresentou apenas Ácido ascórbico, não sei o que quer dizer mas ainda n fui no médico, irei so segunda com os outros exames. hoje sexta feira vou fazer ultrassom de abdomem total + hemograma completo Segunda feira farei o exame para verificar a função renal Próxima sexta farei TGP e TGO. Dores: Sinto dor, na lombar, mas nada de mais, sinto refluxo por conta do problema que tive e sinto tbm um cheio na barriga de vez enquanto. Nada que se os exames derem ok, eu não consiga resistir. tbm tomo muita água com limão e água com bicarbonato de sódio durante o treino, acho que no total estou mandando uns 6L de água pra dentro por dia. Então, o que acham? abraços.
  24. Quanto menos álcool, melhor: Pesquisas recentes indicam benefícios do consumo moderado de bebidas alcoólicas, como o vinho. Especialistas, porém, alertam que, até agora, o comprovadamente positivo é não beber » TATIANA SABADINI Uma taça de vinho por dia faz bem ao coração; um copo de cerveja pode ajudar a melhorar a performance de um atleta; mulheres que consomem bebida alcoólica regularmente não engordam: não param de surgir pesquisas sobre benefícios do álcool consumido moderadamente, mas o embate continua. Do outro lado da balança, estão as consequências que o organismo pode sofrer por causa do excesso, essas sim comprovadas há anos pela ciência. Os estudos dos supostos benefícios são recentes e, portanto, precisam de uma comprovação mais ampla. Para os médicos, a melhor opção ainda é não beber. Para aqueles, porém, que não conseguem ficar longe da cervejinha gelada ou de um bom vinho, a ordem é moderação. O consumo excessivo de álcool aumenta o risco de danos a vários órgãos, como o fígado e o cérebro, e também o risco de acidentes cardiovasculares. “Para qualquer médico, seria irresponsável recomendar mais de dois drinques por dia para os homens e um para as mulheres. Muitas pessoas bebem vinho por causa dos antioxidantes e dos flavanoides. Mas o melhor é fazer a suplementação de outra forma, através da alimentação ou em cápsulas. Minimizar o consumo de álcool é sempre a melhor opção”, disse ao Correio Lindsay Brown, professora da escola de ciências biomédicas da Universidade de Queensland, na Austrália. Segundo a médica australiana, entre os estudos recentes existem evidências epidemiológicas de que as pessoas que bebem moderadamente, de uma a duas taças de vinho por dia, podem diminuir o risco de doenças cardiovasculares. A suposição é de que os polifenóis flavanoides, encontrados na bebida à base de uvas, podem ter ações positivas. Nos anos 1990, a mídia americana incentivou estudos sobre a substância, que poderia evitar doenças cardiovasculares, diabetes e obesidade. “Por causa disso, temos mais de 3 mil publicações científicas sobre o assunto. Por isso, há um aumento de indícios que comprovam benefícios contra outros problemas. Sabemos muito mais do que há 10 anos, mas ainda há muito a aprender sobre todos os nutrientes do vinho”, afirma Lindsay. Benefício “mental” Uma taça depois do almoço e outra após o jantar são suficientes para Olavo Tadeu Câmara, 56 anos. “Aprendi a tomar vinho muito cedo, antes mesmo de ir para a escola”, brinca. “Cresci em Andrado, no interior de Minas, e morávamos perto de uma vinícola.” Atualmente, as degustações ficam restringidas a no máximo três vezes por semana. Para o arquiteto, que faz atividades físicas e tem acompanhamento médico regularmente, o vinho pode trazer benefícios mais para a saúde mental do que para a física. “É um momento para relaxar e estar tranquilo. Acredito que a bebida possa ter seus benefícios, mas nada de exagero. O organismo responde da forma como você o trata, e o vinho pode servir como complemento disso”, afirma. Para o sommelier Paulo Kunzle, 47 anos, a sentença também é verdadeira. Há um ano, ele descobriu que tem tendência a ter um nível muito alto de plaquetas e usou o vinho como forma de terapia. “Conversei com o meu médico e tomei todas as precauções. Descobri que o vinho estava me ajudando esse tempo todo, porque ele tem propriedades que ajudam a afinar o sangue e dilatam as artérias”, comenta. Hoje, ele toma religiosamente duas taças por dia. E é um dos maiores defensores do hábito. “Uma das principais vantagens do vinho são os antioxidantes. Basta tomar como exemplo a região de Bordeaux, que tem um baixo índice de mortalidade por problemas cardíacos, e cada habitante consome, em média, 60 litros da bebida por ano. Meu conselho é sempre escolher os tintos secos, porque os suaves têm um conservante chamado sorbato de potássio.” O vinho tem mais de 2 mil componentes. Um litro tem 14mg de resveratrol, um polifenol considerado essencial para a saúde, segundo os cientistas. É pouco provável, no entanto, que se possa obter uma quantidade suficiente com a bebida para reduzir significamente o risco de doenças cardíacas. “Os polifenóis ou outras tantas substâncias podem ter contribuído para os resultados positivos em estudos experimentais, mas nós simplesmente ainda não temos nenhuma evidência detalhada sobre essa assunto”, explica Lindsay. Dieta Um estudo divulgado na semana passada e muito comentado na internet e pela comunidade médica sugere que mulheres que bebem álcool regularmente têm menos tendência a engordar. A autora do estudo, Lu Wang, do departamento de Medicina Preventiva do Brigham and Women’s Hospital, de Boston, nos Estados Unidos, explicou ao Correio que o ponto de partida da pesquisa foi o fato de que mais de metade dos americanos consome bebidas alcoólicas. Itens como vinho, cerveja ou vodca eram considerados fontes de energia que, a longo prazo, poderiam resultar em ganho de peso. “No entanto, não foi possível obter evidências consistentes de que o consumo de álcool apresenta um risco para o desenvolvimento da obesidade”, comenta a especialista. Os cientistas calcularam a ingestão de álcool com base no consumo de bebidas descrito em um questionário respondido por 19.220 mulheres, todas com 39 anos, livres de doenças cardiovasculares, câncer e diabetes e que tinham peso normal. O acompanhamento foi feito, anualmente, durante 13 anos. Segundo Lu Wang, não foi possível obter dados concretos para explicar por que o consumo de álcool pode influenciar no peso, mas descobertas de outros estudos podem oferecer algumas explicações plausíveis. O álcool ajuda o próprio corpo a estimular o processamento da energia. Mas de nada adianta exagerar na dose, apenas com moderação é possível perceber algum efeito. “Entre as mulheres, aquelas que têm consumo leve a moderado de álcool normalmente têm uma ingestão menor de calorias de fontes não alcoólicas. Por outro lado, a ingestão de álcool tende a induzir o aumento do gasto de energia, além da caloria consumida através da bebida. Isso pode explicar o resultado do nosso estudo. Existem também outros mecanismos pelos quais o álcool pode modificar o peso corporal. Incluindo o efeito do álcool na absorção e digestão de nutrientes, interferência na oxidação dos lipídios e acumulação de gordura”, sugere Lu Wang. Sem evidências conclusivas » RICARDO TEIXEIRA No consultório do cardiologista, uma senhora que precisa de medicações para controlar sua pressão arterial encerra sua consulta perguntando se ela pode manter o seu hábito de tomar uma taça de vinho por dia. O doutor lhe responde que não só pode como deve: “Minha cara, temos acompanhado nos últimos anos uma série de estudos que demonstram que o consumo moderado de álcool reduz o risco de doenças cardiovasculares, incluindo o infarto e o derrame cerebral. Isso significa que quem bebe pouco tem menos eventos cardiovasculares do que aqueles que não bebem. Já o consumo exagerado de álcool provoca um maior risco de doenças cardiovasculares. Veja bem, devemos entender consumo moderado como até duas doses de bebida por dia para homens e uma dose para mulheres. As pesquisas ainda apontam que esse efeito protetor do consumo diário e moderado deixa de existir quando a pessoa exagera na dose mesmo que seja por apenas um dia no mês”. Essa mesma senhora ouvirá dos médicos que sua taça de vinho é capaz de reduzir seu risco de doença de Alzheimer e outros tipos de demência. Ouvirá também que já existem estudos que demonstram que o seu hábito também está associado a um envelhecimento com maior nível de independência física e maior longevidade. As bebidas alcoólicas, de uma forma geral, promovem esses efeitos positivos, mas o vinho tinto parece ser levemente superior, pois, além do álcool, ele possui outras substâncias protetoras, como os flavonoides, incluindo o resveratrol. Apesar de todas essas evidências, não existe justificativa até o momento para se indicar o consumo de álcool por potenciais efeitos medicinais. À luz do conhecimento atual, recomenda-se que os médicos não indiquem o uso de álcool como se fosse um suplemento alimentar para prevenir doenças. Devem recomendar às pessoas que não bebem que continuem sem beber e, às pessoas que já têm o hábito de beber, que não ultrapassem os limites. Mas isso também está mudando, já que estudos recentes têm demonstrado que o consumo regular de álcool, mesmo em doses leves a moderadas, está associado a um maior risco de diferentes tipos de câncer, como o de mama, reto e fígado. Por essa razão, em 2009, o Instituto Nacional do Câncer da França deu início a uma campanha chamada Álcool Zero, defendendo a ideia de que mesmo uma dose diária não é segura. Não se deve pensar no álcool como um elemento promotor da saúde da população, não só pelo aumento do risco de câncer, mas também porque muitas pessoas atravessam a barreira entre o consumo moderado e o consumo exagerado. Esse consumo exagerado é responsável por uma em cada 25 mortes no mundo e, como se não bastassem as mais de 200 doenças secundárias ao álcool, ainda temos os enormes problemas sociais que estão associados ao seu consumo. E isso já é um problema para lá de antigo. Por 40 dias e 40 noites, Noé, sua mulher, três filhos e os animais embarcaram na arca enquanto o dilúvio destruía o resto do mundo. Ao chegar em terra firme, uma das primeiras coisas que Noé fez foi “tomar vinho e ficar embriagado” e os filhos precisaram protegê-lo para que ele não metesse os pés pelas mãos. O livro do Gênesis marca a presença do álcool e seus riscos já nos primórdios da humanidade. * Doutor em neurologia e pesquisador do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Unicamp. Escreve todas as segundas-feiras no blog Saúde para Todos do Correio Braziliense. CORREIOBRAZILIENSE • Brasília, terça-feira, 16 de março de 2010
  25. Precisava saber de protetores (não muitos caros, preços razoáveis para um brasileiro rsrs) para tomar durante o ciclo 10 semanas tomando 20mg por dia de Dianabol, para a proteção do figado e da ginecomastia, e se puderem ajudar com a TPC também, agradeceria muito! E aceito sugestos também, como sou iniciante, quero fazer tudo certinho!
×
×
  • Create New...