Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Café é prejudicial para quem faz musculação?


ralu
 Compartilhar

Post Destacado

Madrugão suplementos

Não jogue dinheiro fora

Compre suplementos bem mais baratos com o cupom de desconto do FISIculturismo.com.br

Clique aqui para obter seu cupom

Com exceção da fixação de cálcio nos ossos e de provocar insônia por ser um estimulante, desconheço outros malefícios do café.

Entre os benefícios, a cafeína, em alguns estudos, diz-se que consegue poupar a utilização de glicogênio durante os exercícios, estimulando a utilização de gorduras como combustível do exercício, isto promove uma redução da fadiga.

Se voce não tiver com nenhum ósso quebrado, não tem problema tomar umas xícaras de café durante seu dia.

Quanto aos malefícios, dá uma pesquisada ai na net, eu coloquei apenas o que sei.

Só pra voce ter uma idéia, o COI considera dopping a utilização de mais de 8 xícaras de café de 2 a 3 horas antes da competição o que ultrapassaria o limite de 12 mcg/ml na urina.

Teve uma atleta que ficou desclassificada de uma competição porque tinha de cafeína na urina dela, o equivalente à 18 ou 19L de café!!!!!

É mole!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Visitante rafinha
Com exceção da fixação de cálcio nos ossos

:P Explica isso direito por favor... Tomando 2 xicaras de cafe todo dia, a longo prazo (uns 30 anos por exemplo), o que vai acontecer com meus ossos ?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A cafeina disponibiliza cálcio na corrente sanguínea, que é utilizado durante o processo de contração muscular.

Não se preocupe com isso, o café é contra-indicado por médicos e nutricionistas para mulheres após apresentar quadro de meno-pausa onde a perda óssea aumenta. Um homem tem muito menos chances de adquirir osteoporose pois é uma doença ligada aos hormônios femininos, portanto é mais raro no sexo maculino.

Fique despreocupado quanto a isso, principalmente se voce for novo, 2 xícaras p/ dia não farão mal algum.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Visitante oReidamusculação

Exato..o personal ta aprendendo..vendi pra ele meu livro " aprenda musculaçao em apenas 8 semanas" e ele está indo muito bem!! 8)

NA realidade se vc nao tem problemas mesmo de osteoporose, etc etc nao tem problemas ingerir o café, que pode tb diminuir a absorçao de algumas vitaminas/minerais.

Realmente o café estimula a lipolise pois estimula a liberaçao de adrenalina, hormonio lipolitico, entretanto, doses altas de café podem provocar tremores e desconfortos gastrointestinais e até vomitos.

Cuidado c/ o açucar ai na café hein...utilize um adoçante, como a sucralose por exemplo.

Agora, uma coisa que com certeza aqui ninguem sabe...

Sabia que o café é CONTRA-INDICADO em portadores de hipercolesterolemia?

O café coado por exemplo, apresenta dua substancias( cafeol e cafesol) que podem captar mais o LDL, ok sapecao?

Alem disso, o organismo começa a criar certa resistencia a cafeina e esse efeito ergogenico tende a diminuir se a ingesta for constaNTE.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Essa era a minha grande dúvida também, inclusive eu tava tomando creatina e diminui o café, eu tava tomando em média umas 3 a 4 garrafass termicas de café (com leite sempre)

Baixei um monte e melhoro até o meu sono, não vi corte no efeito da creatina mesmo continuando tomando menos café, meu potencial aumento feito loco em 1 mes de 40 kilos no supino aumentei pra 80 e continuo tomando café de monte.

Acho que isso varia muito dependendo do metabolismo de cada um.

Pra mim com ou sem café da na mesma... eu diminui mesmo foi pela insonia que me detonava :-).

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Visitante rafinha
eu tava tomando em média umas 3 a 4 garrafass termicas de café (com leite sempre)

cacete :) !!! Mas que exagero !!!

NA realidade se vc nao tem problemas mesmo de osteoporose, etc etc nao tem problemas ingerir o café, que pode tb diminuir a absorçao de algumas vitaminas/minerais.

:P Como que é isso ??? Explica direito, atrapalha a absorção de vitaminas e minerais :) ??

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Cafeína

Sistema Nervoso Central

A cafeína é um estimulante do Sistema Nervoso Central. Penetrando na corrente sanguínea atinge o córtex cerebral exercendo aí seus efeitos. O que se percebe, inicialmente, é uma espécie de revigoramento e diminuição do sono e da fadiga.

No Sistema Nervoso Central, mais precisamente, no Sistema Nervoso Autônomo, o sistema de neurotransmissão baseado no neurotransmissor adenosina age como redutor da freqüência cardíaca, da pressão sanguínea e da temperatura corporal. Normalmente é o que acontece quando somos acometidos pela sensação de cansaço, torpor e sono. A cafeína exerce uma ação inibidora sobre esses receptores do neurotransmissor adenosina, situados nas células nervosas. Por isso dá-nos uma sensação de revigoramento, diminuição do sono e da fadiga.

Por outro lado, a cafeína exerce um efeito sobre a descarga das células nervosas e a liberação de alguns outros neurotransmissores e hormônios, tais como a adrenalina. Ela age também sobre aumento da secreção da enzima lipase, uma lipoproteína que mobiliza os depósitos de gordura para utilizá-los como fonte de energia no lugar do glicogênio muscular. Esse efeito de poupar o glicogênio, torna o corpo mais resistente à fadiga.

Uma xícara de café forte costuma produzir em poucos minutos, um aumento da acuidade mental e sensorial, além de elevar o nível de energia, tornando a pessoa mais alerta e proporcionando bem-estar.

Uma xícara comum de café contém cerca de 50 a 150 miligramas de cafeína, enquanto uma xícara de chá ou de refrigerantes a base de cola tem entre 35 a 50 miligramas. O café coado tem menos teor de cafeína que o café sírio, por exemplo, que não se filtra, ficando o pó assentado no fundo do recipiente e muito menos que o café expresso (sob pressão de vapor). Este último tem maior proporção de cafeína, conseqüentemente produz um maior estado energético. Assim consumido e, freqüentemente, e em altas doses, a cafeína pode vir a provocar uma dependência moderada em certas pessoas.

Em doses muito elevadas a cafeína pode provocar a liberação espontânea de íons cálcio dentro do músculo, desencadeando pequenos tremores involuntários, aumento da pressão arterial e da freqüência cardíaca.

Em medicina, a cafeína tem sido usada para reativar padrões deprimidos de respiração, como terapêutica auxiliar no tratamento de dores, principalmente de cabeça e enxaqueca. Mais recentemente a cafeína tem sido usada como coadjuvante em muitos remédios para o dor, controle do peso, alívio de alergias e para melhorar o estado de alerta (Barone e Roberts, 1984).

Sistema Cardiovascular

Duas a três xícaras de café forte (aproximadamente 250 mg de cafeína), numa pessoa que não faz uso regular da bebida, pode causar aumento da freqüência cardíaca (taquicardia). Em alguns casos pode haver sensação de palpitação produzida pela ocorrência de extra-sístoles.

Há também maior probabilidade de haver um aumento da pressão sangüínea desencadeada pela cafeína, juntamente com vasodilatação e aumento do fluxo sangüíneo para os tecidos em geral, incluindo as coronárias.

Os vasos sangüíneos cerebrais, por sua vez, apresentam diminuição do calibre. Essa vasoconstricção cerebral é a propriedade que justifica o emprego da cafeína no tratamento de crises de enxaqueca, onde a vasodilatação existente é responsável pelo quadro, e é combatida pela cafeína.

Entretanto, tudo isso pode ser modificado com o uso regular da cafeína. Essa mudança de resposta do organismo aos efeitos da cafeína dá-se pelo desenvolvimento de uma tolerância à substância, a partir da qual ela não causa mais qualquer tipo de alteração na pressão sanguínea, na freqüência cardíaca e no fluxo de sangue aos tecidos.

Sistema Respiratório

A cafeína possui dois efeitos importantes no sistema respiratório. Ela estimula os neurônios do centro respiratório do cérebro proporcionando um aumento discreto da freqüência e a intensidade da respiração, juntamente com um efeito local nos brônquios, produzindo um satisfatório efeito broncodilatador. Essas propriedades sugerem benefícios no consumo regular de cafeína por pacientes asmáticos.

Sistema Genitourinário

A ingesta aguda de cafeína produz um moderado aumento no volume de urina e na excreção urinária de sódio, diminuindo a reabsorção de sódio e de água nos túbulos renais. Assim sendo ela tem algum efeito diurético que pode ser útil no alívio de cólicas menstruais (dismenorréia) produzidas pela retenção de líquidos. Esse efeito de alívio na dismenorréia e realçado pelos efeitos analgésicos da substância.

Sistema Digestivo

A cafeína estimula a secreção gástrica de ácido clorídrico e da enzima pepsina no ser humano, em doses a partir de 250 mg (duas xícaras de café forte). Essa característica da cafeína a contra-indica em pacientes com úlcera digestiva. Entretanto, em pessoas sem nenhuma patologia digestiva a cafeína não tem sido associada a um maior risco de úlcera péptica. Essa associação ainda não foi difinitivamente investigada e esclarecida através de pesquisas clínicas convincentes.

Sitema Endócrino

A cafeína tem sido associada à um aumento nos níveis de ácidos graxos livres no sangue, portanto, funcionaria como uma substância capaz de mobilizar gorduras. Esse efeito não teria influência da tolerância, ou seja, ele se observaria tanto em pessoas que usam cafeína esporadicamente, como nos usuários crônicos.

O efeito termogênico, de aumento dos níveis de ácidos graxos, ocorre devido a uma mobilização das gorduras de seus depósitos (lipólise), muito provavelmente em conseqüência da ação da cafeína como antagonista dos efeitos da adenosina no tecido adiposo. Atualmente já existem evidências de que possa ter algum efeito da cafeína no emagrecimento de pessoas obesas, principalmente quando ingerida junto com as refeições.

Ainda em relação ao Sistema Endócrino, a ingestão de cafeína por uma pessoa que não faça uso regular da mesma, pode causar um aumento dos níveis de alguns hormônios, como a renina, as catecolaminas, a insulina e o hormônio da paratireóide. Estes efeitos, entretanto, como acontece no fenômeno da tolerância, não ocorrem na pessoa que faz uso regular da substância devido à adaptação do organismo à mesma

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma conta 100% gratuita!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora
 Compartilhar

×
×
  • Criar novo...