Jump to content

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 06/03/2012 in Matérias

  1. 9 points
    A maioria das pessoas tem a convicção de que os exercícios aeróbicos são a chave para a perda de gordura e isso é um equívoco. As atividades aeróbicas tem uma utilidade limitada e precisam ser complementadas ou até mesmo substituídas por exercícios mais eficientes e específicos. O fato de se ter um bom condicionamento aeróbio em nada ajuda o seu metabolismo, o condicionamento aeróbio em si nada tem a ver com o gasto de energia no metabolismo de repouso. Você pode correr na esteira a vida inteira e até mesmo se tornar um maratonista que continuará com o mesmo metabolismo de sempre, a menos que ganhe massa muscular. Ressaltando, a maioria das evidências sugere que o metabolismo basal é relacionado à quantidade de músculos que você tem. Aqui reside uma inigualável vantagem do treino com sobrecargas, a capacidade de reduzir a gordura corporal e simultaneamente manter ou até mesmo aumentar sua massa muscular, o que evita o ganho futuro de peso, melhora a estética e parâmetros funcionais, principalmente na força, coisas que os exercícios aeróbios não fazem. A musculação é um excelente meio de reduzir o percentual de gordura, o uso de sobrecarga pode atuar diretamente na redução do tecido adiposo. O treinamento com pesos estimulará a síntese de proteínas musculares melhorando sua estética e as funções do aparelho locomotor. Além disso, os benefícios obtidos com o uso de exercícios sobrecarregados serão mais duradouros devido a manutenção e até mesmo elevação do metabolismo de repouso, que parece ser relacionado com a massa muscular. A musculação torna-se uma das melhores opções em todos os aspectos além de ser extremamente eficiente para produzir alterações positivas no seu percentual de gordura. Alguns benefícios da musculação: a prática da musculação tonifica os músculos e ajuda na perda de calorias. O treinamento com o uso do peso, melhora ainda mais essa resistência muscular; -a pessoa que pratica musculação tem menos chance de desenvolver uma doença chamada de osteoporose, pois ela auxilia no fortalecimento dos ossos do corpo humano; a musculação deixa a pessoa mais forte, auxiliando na resistência para o trabalho diário e possíveis momentos que exijam de você o uso da força; auxilia na prevenção de problemas na coluna vertebral, além de fortalecer a parte inferior das costas, diminuindo dores locais; assim como a prática dos demais exercícios, a musculação também auxilia no funcionamento do sistema imunológico; a prática de exercícios físicos é uma grande aliada à prevenção de doenças como a diabete. A musculação é uma das práticas benéficas, que pode ajudar a evitar o aparecimento da doença e para quem já tem diabete, pode auxiliar no tratamento e equilíbrio da taxa de glicemia sanguínea; a musculação praticada regularmente auxilia a melhorar o equilíbrio e a coordenação motora do praticante; as pessoas que sofrem com prisão de ventre podem notar uma melhora no funcionamento intestinal nos primeiros dias de prática da musculação, pois ela auxilia no bom funcionamento do sistema digestório; as gestantes que praticam musculação têm uma melhor recuperação pós-parto, menor incidência de câimbras durante a gestação, menor probabilidade de desenvolver varizes e ainda diminuem o ganho de peso; a prática da musculação melhora o humor, a auto-estima e com isso as interações sociais; a musculação podem prevenir as doenças do envelhecimento e, assim, diminuir os efeitos na saúde do mesmo, deixando-o mais magro e jovem; a musculação ajuda nas correções de desvios posturais; a musculação ajuda nos desgaste das articulações. Quando os músculos estão fortalecidos, a estabilidade das articulações é maior, promovendo menor desgaste entre os ossos; pessoas que realizam regularmente exercícios prescritos na intensidade adequada, e no tempo adequado, desfrutam de melhor qualidade do sono. Eles dormem mais rapidamente e mais profundamente. Além disso despertam menos frequentemente à noite, permitindo então um sono reparador. Tal como acontece com a depressão, os benefícios da Musculação Terapêutica no sono são comparáveis com o tratamento com a utilização da medicação, mas sem os efeitos secundários que a mesma oferece; a musculação ameniza, e muito, a celulite, pois aumentando a massa muscular, sua pele fica mais lisa. Só a redução da gordura não melhora a aparência da pele, pode ficar flácida e cheia de furinhos, mas associando exercícios com pesos, evitará a flacidez e definirá os músculos, minimizando a celulite; a musculação pode retardar o relógio do envelhecimento fisiológico. Sabendo os inúmeros benefícios proporcionados pela musculação, procure um profissional capacitado em sua academia para organizar um treino que seja adequado a sua necessidades e disponibilidade. Ref: Paulo Gentil / forcaeinteligencia KRAEMER WJ, VOLEK JS, CLARK KL, GORDON SE, PUHL SM, KOZIRIS LP, MCBRIDE JM, TRIPLETT-MCBRIDE NT, PUTUKIAN M, NEWTON RU, HAKKINEN K, BUSH JA, SEBASTIANELLI WJ. Influence of exercise training on physiological and performance changes with weight loss in men. :Med Sci Sports Exerc 1999 Sep;31(9):1320-9 MELBY, C., C. SCHOLL, G. EDWARDS, AND R. BULLOUGH. Effect of acute resistance exercise on postexercise energy expenditure and resting metabolic rate J. Appl. Physiol. 75:1847-1853, 1993
  2. 6 points
    Nesta matéria, serão abordados os movimentos básicos de alongamento que devem ser realizados antes e depois do treino de musculação. Exatamente, é recomendável que o praticante realize o alongamento de toda a musculatura corporal antes e depois do treino com pesos. É importante ser frisado que antes mesmo do alongamento, deve ser aquecida a musculatura. O aquecimento pode ser realizado na bicicleta ou na esteira. Também pode o aquecimento ser realizado por meio de caminhada ou polichinelo. São atividades que elevam a temperatura corporal, de modo a serem prevenidas lesões. O tempo mínimo para aquecimento do corpo é de aproximadamente 5 a 10 minutos, por meio das atividades moderadas acima mencionadas. É sabido que alguns treinadores não recomendam o alongamento antes e depois do treino. Alguns recomendam apenas o aquecimento antes do treino e o alongamento apenas após o treinamento com pesos. Defendo que o alongamento também deve ser realizado antes da musculação. Justifico meu posicionamento pelo fato de o alongamento relaxar o corpo e aumentar a amplitude do movimento, melhorando a fibra muscular (alonga a fibra a ser trabalhada), dando maior flexibilidade aos músculos. O alongamento prévio deixa o corpo mais confortável para o treino com pesos. Quanto maior a amplitude do movimento na musculação, maior será o potencial de hipertrofia. Deve-se lembrar que o alongamento antes do exercício de musculação deve ser suave. Não deve ser o alongamento intenso, que pode antecipar as microlesões musculares, as quais deve ser reservadas ao treino com pesos. Vale observar que o alongamento da musculatura não deve se limitar aos músculos que serão estimulados na respectiva sessão de treinamento. O alongamento deve ser feito em todas as musculaturas do corpo. Como exemplo, mencionamos o exercício stiff. O objetivo principal desse exercício é o trabalho das musculaturas posteriores de coxa. Todavia, quase toda a musculatura do corpo é demanda na execução desse exercício: panturrilha, costas, ombro, tríceps, antebraço, pescoço e lombar. A seguir, indico os exercícios básicos de alongamento que devem ser realizados antes e depois de todas as sessões de treinamento com pesos. Assista ao vídeo explicativo: A seguir, apresento as fotos das posições, que devem ser mantidas por 20 a 30 segundos. Ombro: Alongar um dos braços; Posicionar o cotovelo na linha do ombro; Manter os ombros na mesma linha; Elevar o queixo levemente; Manter o peso distribuído nas duas pernas. Parte anterior do ombro: Segurar o espaldar com a mão esticada; Posicionar o tronco para frente com o braço para trás, na mesma altura do ombro; Manter o peso distribuído nas duas pernas. Parte anterior de ombro e peitoral: Segurar o espaldar com as duas mãos para trás na altura dos ombros; Contrair o abdome; Flexionar um pouco o joelho. Braço: Esticar um dos braços com a palma da mão para fora e dedos para baixo; Puxar a mão pelos dedos para a direção do corpo com a outra mão; Inverter a posição da mão do braço esticado, posicionando a palma da mão para dentro, repetindo o movimento; obs: a mão pode ser apontada para cima ou para baixo. Posterior de coxa, costas, peitoral, tríceps e bíceps: Segura o espaldar na altura do umbigo com os braços esticados; Flexionar o tronco de modo que fique alinhado com os braços; Estender bem os joelhos; Manter os isquiotibiais na mesma linha do quadril. Quadríceps femural (anterior de coxa): Manter os joelhos alinhados e a perna que fica no chão estendida; Puxar a outra perna bem atrás, segurando com a mão do mesmo lado da perna, pelo peito do pé. Panturrilha: Colocar o primeiro terço de um dos pés no espaldar; Deixar a outra perna esticada; Manter o tronco ereto e a respiração leve e profunda. Tríceps: Deixar os pés paralelos e o abdome levemente contraído; Estender os braços para cima da cabeça e flexionar os cotovelos; Com uma das mãos puxe o cotovelo do outro braço, mantendo-o flexionado por trás da cabeça. Realize esses alongamentos básicos antes e depois da musculação. Antes do treino com pesos, realize esses movimentos de uma forma bem suave, e, depois do treino, de uma forma um pouco mais intensa. Sempre respeite as limitações articulares do seu corpo.
  3. 5 points
    É bem sabido que o treinamento com pesos na musculação estimula a produção natural de hormônios anabólicos ou anabolizantes pelo corpo. Existem algumas técnicas de treinamento que podem estimular ainda mais essa produção natural de hormônios, inclusive da testosterona. O planejamento das variáveis do treinamento com pesos tem reflexo direto na produção hormonal. Por exemplo, tempos maiores de descanso entre as séries aumentam a produção natural de testosterona (e de massa muscular), enquanto que tempos menores de descanso implicam na maior produção do hormônio do crescimento (GH) (e de definição). A seguir, apresentaremos algumas variáveis do treinamento e as respectivas respostas hormonais pelo organismo. Exercícios Multi-articulares Os exercícios multi-articulares estimulam maior produção natural de testosterona pelo corpo, comparando-se com exercícios não multi-articulares ou isolados. São exemplos de exercícios multi-articulares: agachamento, levantamento terra, supinos e levantamento olímpico. São exemplos de exercícios isolados: extensão de tríceps e burrinho (panturrilha). Cargas Elevadas Quanto maior a carga ou peso empregado no exercício, maior será a estimulação da produção natural de testosterona. Baseie-se na técnica do 1RM (defina como carga 85 a 95% do peso com o qual você consegue executar uma única repetição com movimento perfeito) e adote séries com aproximadamente 6 a 8 repetições com carga máxima, para fadigar a musculatura em cada série. Maior Intervalo entre as Séries - Foco na Testosterona e Hipertrofia Quanto maior for o intervalo adotado entre as séries, maior será a produção natural de testosterona. Um estudo científico observou a produção de testosterona em séries de agachamento e supino com intervalos entre 60 (sessenta), 90 (noventa) e 120 (cento e vinte) segundos. A maior liberação de testosterona ocorreu com o intervalo de 120 (cento e vinte) segundos. Menor Intervalo entre as Séries - Foco no Hormônio do Crescimento (GH) e Definição Quanto menor for o intervalo adotado entre as séries, maior será a produção natural de hormônio do crescimento (GH). O GH é necessário para a síntese protéica, recuperação dos tecidos e queima de gordura. O mesmo estudo mencionado no item anterior revelou que o intervalo de 60 (sessenta) segundos é o que resultou maior liberação de hormônio do crescimento (GH). Treinamento com Ênfase na Fase Excêntrica Dar ênfase na fase excêntrica do treinamento com pesos implica em maior liberação de GH. Um estudo avaliou a produção natural do hormônio do crescimento comparando um treinamento tradicional (mesma carga na fase excêntrica - movimento a favor da gravidade - e na fase concêntrica - movimento contra a gravidade) e um treinamento com ênfase na fase excêntrica. Foram avaliadas as respostas do treinamento de agachamento e supino. O treino tradicional era de 4 (quatro) séries de 6 (seis) repetições com aproximados 52,5% de 1RM. O treino de ênfase excêntrica consistiu em 3 (três) séries de 6 (seis) repetições com aproximados 40% de 1RM para a fase concêntrica e 100% de 1RM para a fase excêntrica. Foi significativamente maior a liberação de GH no treinamento de fase excêntrica, e houve melhor resposta de lactato no pós-treino para este tipo de treinamento. Portanto, o treinamento com ênfase na fase excêntrica é melhor para definição. Todavia, a execução desse tipo de treinamento é mais difícil, e, normalmente, demanda um parceiro de treino ou um personal trainer. Lembre-se que a ênfase na fase excêntrica no treinamento não precisa se dar apenas pela alteração da carga, como se deu no estudo mencionado acima. A execução do exercício com maior tempo na fase excêntrica também serve para enfatizá-la, e provoca maior hipertrofia pela maior liberação natural de hormônios, principalmente o GH, o IGF-1 (fator de crescimento similar à insula) e o MGF (ou IGF-1Ec). Treinar com Correntes ou Elásticos Os músculos são mais fracos quando estão próximos da contração máxima de movimento. Por isso, a adoção de correntes ou elásticos para aumentar a carga do exercício no momento em que há mais força para execução é uma técnica que é adotada por alguns fisiculturistas aumentar a hipertrofia. Não há estudos específicos que revelem maior liberação hormonal pelo emprego dessas técnicas, no entanto, há muitos estudos que indicam que o aumento da hipertrofia aumenta a liberação natural de GH. Logo, treinar com correntes ou elásticos pode aumentar a liberação do hormônio do crescimento. Isometria Pausas isométricas no treinamento aumentam a tensão instramuscular e elevam a liberação natural de IGF-1. Por exemplo, no supino, você pode segurar a barra quase encostada no peito por 4 (quatro) segundos em cada repetição. Treino com Pirâmide Crescente e Descrescente Intercaladas A variação do treinamento com técnicas estilo pirâmide (variação de carga e repetição dentro de uma mesma sessão de treinamento) influencia na regulação dos receptores androgênicos e aumenta a resposta da testosterona no organismo. Use pirâmides crescentes e pirâmides decrescentes intercaladas, colocando ainda mais carga na pirâmide crescente posterior. Repetições Forçadas Um parceiro de treino ou um personal trainer é essencial para se adotar esse tipo de treinamento. As repetições forçadas, após a fadiga, com a ajuda de um terceiro, aumentam a produção natural de GH e de IGF-1. Foi realizado um estudo avaliando o exercício de agachamento realizado até a fadiga e realizado com repetições forçadas com a ajuda de um parceiro de treino. No estudo, o número de repetições foi definido em 12 (doze). O treinamento de repetições forçadas consistiu em 8 (oito) repetições até a fadiga e mais 4 (quatro) repetições com auxílio ou forçadas. No treinamento sem repetições forçadas, deveriam ser realizadas 12 (doze) repetições até a fadiga, sem ajuda. O treinamento com repetições forçadas promoveu maior liberação natural de testosterona. Constatou-se que o exaurimento quase que absoluto das fibras musculares pelas repetições forçadas implicou no aumento da síntese protéica por até 72 (setenta e duas) horas após o treino. Exaurimento Final Findo o treino, outra técnica que pode ser adotada para aumentar a resposta hormonal natural do organismo são exercícios para exaurimento ou esgotamento final. Para promover esse exaurimento você pode combinar as técnicas de pausas isométrica e ênfase na fase excêntrica dos movimentos. Essa promoção de exaurimento final eleva a produção natural de IGF-1 e MGF. Por exemplo, para exaurir completamente a musculatura dos braços (num treinamento de bíceps), faça barra fixa com a pegada supinada e a pegada fechada. Suba o corpo até que se forme um ângulo de 90 (noventa) graus no cotovelo e segure a posição por 30 (trinta) segundos. Desça lentamente, e faça quantas repetições conseguir (até não sobrar força alguma nos braços). Use caneleiras se necessário. Conclusão O aumento dos hormônios anabólicos ou anabolizantes pode se dar naturalmente, pelo treinamento com pesos. Utilize as variáveis do treinamento para aumentar a sua hipertrofia ou definição muscular. As técnicas indicadas nesta matéria dificilmente poderão ser inseridas numa única sessão de treinamento. Planeje com seu professor ou personal trainer as melhores técnicas para cada grupamento muscular, e, também, para o seu programa de periodização de treino. Aproveite ao máximo cada sessão de treinamento na academia! Fontes: 7 Smart Ways to Boost Your Testosterone 6 Ways to Increase Testosterone With Exercise All Natural: What Are the Best Protocols to Naturally Increase Hormone Response, Such as Testosterone, with Weight Training?
  4. 4 points
    Há pouco tempo a resposta para a pergunta "onde comprar whey protein ou outros suplementos mais barato?" seria muito simples de ser respondida: importar de uma loja norte-americana online, claro. Mas os tempos mudaram. E muito. No Brasil tudo é caro, muito caro. É o velho e maldito custo Brasil que nunca é equacionado por nenhum governo (tributos elevadíssimos, infraestrutura precária, legislação trabalhista antiquada, educação deficitária, e assim por diante). Os brasileiros costumam fazer a festa nas lojas de Miami nos EUA e da Ciudad del Este no Paraguai. Com os suplementos alimentares a regra é a mesma. E a internet permitiu a importação direta de suplementos alimentares. Durante anos os brasileiros compraram muitos suplementos no exterior a preços muito mais baixos do que no Brasil. Lojas como a Health Designs, BodyBuilding.com, iHerb, VitaCost, dentre outras, fizeram a alegria dos brazucas. Mas e agora? O dólar está batendo a casa dos R$ 4,00 (quatro reais). O governo desequilibrou completamente as contas públicas para vencer as eleições e deixou a fatura para a população pagar. A crise da China piora ainda mais a situação da moeda brasileira. E para completar, a Receita Federal está tributando praticamente todas as encomendas de suplementos vindas do exterior (antigamente era o contrário, dificilmente eram tributadas). Será que ainda vale a pena importar suplementos, tais como a whey protein? Fizemos uma simulação com um dos suplementos alimentares mais procurados no Brasil, a 100% Whey Gold Standard da Optimum Nutrition. Escolhemos, no Brasil, a loja Corpo Perfeito e, nos EUA, a loja Health Designs, para fins de comparação. Os preços comparados se referem à data da publicação desta matéria (31/8/2015). Os valores em dólar foram convertidos para Real usando o valor do câmbio da data da publicação (US$ 1 = R$ 3,90). Quadro Comparativo: Brasil EUA Valor do produto: R$ 179,10 * selecionado o pagamento via boleto bancário R$ 97,33 * computado o desconto de R$ 19,47 Frete: Grátis * compra acima de R$ 100,00 R$ 65,55 * escolhida a opção mais barata (IPA Interational Priority Airmail) e incluídos os R$ 12,00 que os Correios passaram a cobrar em 2/6/2014. Tributos: * embutidos no preço inicial R$ 90,52 * 60% de Imposto de Importação que incidem no valor do produto somado ao valor do frete Valor Total: R$ 179,10 R$ 253,40 Diferença: - R$ 74,30 + R$ 74,30 Print da Tela de Simulação de Compra no Brasil: Print da Tela de Simulação de Compra nos EUA: Observando-se o quadro comparativo, chega-se à conclusão de que, no dia de hoje, não mais compensa a importação de whey protein ou de outros suplementos alimentares (talvez ainda compense a importação de suplementos mais leves, tais como vitamina C, multivitamínicos, etc). O valor final da whey protein importada é muito superior ao valor da mesma whey protein vendida no Brasil. Quem diria, outros tempos. Não bastasse isso, há notícia de que as encomendas internacionais estão demorando muito mais tempo para serem liberadas pela Receita Federal. Numa importação direta que fizemos no ínicio do ano, os suplementos demoraram mais de 3 (três) meses para chegar. É bom anotar que a maioria dos suplementos alimentares vendidos no Brasil são importados (grande parte das whey protein), e que a renovação do estoque com a nova realidade cambial pode implicar em alteração da tabela comparativa. Pode ser que os preços no Brasil fiquem ainda mais caros e novamente superem os preços dos EUA. Só o tempo irá dizer. E os produtos nacionais? Ficarão mais competitivos? No caso específico da whey protein, como se trata de matéria-prima importada, dificilmente os fabricantes não irão repassar os reflexos do câmbio no valor do produto final. Fique atento, sempre faça as contas antes de decidir pela importação ou não de suplementos alimentares. Hoje não há mais uma resposta pronta e rápida. Pode ser que, para determinados produtos, a compra no Brasil seja a melhor opção. 100% Whey Gold Standard no Brasil 100% Whey Gold Standard nos EUA
  5. 4 points
    Larissa Miriam é uma atleta simpática e muito bonita. Assista ao vídeo para saber como ela deixou de ser uma gordinha depressiva para se tornar uma das mulheres mais bonitas da sua academia. Todas as mulheres podem ser saradas, basta querer e ter disciplina. Não deixe de ler a entrevista escrita que Larissa Miriam nos concedeu: 1) Nome completo: Larissa Miriam de Andrade Reis. 2) Como é conhecida no meio do fisiculturismo (apelido): Larissa Miriam. 3) Data de nascimento: 17/06/1989. 4) Cidade em que nasceu e cidade em que vive atualmente: Brasília- DF. 5) Qual esporte praticava antes da musculação: Nenhum. 6) Quando começou a treinar com pesos e por qual razão: 2012, porque estava acima do peso. 7) O que mudou na sua vida depois que começou a treinar: Tudo! Eu recuperei minha autoestima e parei de tomar antidepressivos. 8 ) Em que academia treina atualmente: Academia Corpo e Arte. 9) Treina sozinho ou com parceiro: Treino com meu mestre Joaquim Pimenta. 10) Como é a série atual de treinamento: Todos os dias faço um treino diferente. 11) Quais são os métodos de treinamento (pirâmide, repetições forçadas, bi-sets, superséries, etc.) que costuma adotar na fase de pré-competição e na fase fora de competição (offseason): Alternamos vários tipos de estímulos, na fase pré-competição fazia aeróbico pela manhã e após o treino de musculação. 12) Qual é o exercício de musculação preferido: Agachamento livre. 13) Qual é o exercício de musculação que menos gosta: Stiff. 14) Qual foi a maior carga que já levantou no supino reto e no leg 45: Não me preocupo muito com pesos, meu foco é em uma boa execução. 15) Como é a sua dieta na fase de pré-competição e na fase fora de competição (offseason): Assim como nos treinos a minha dieta é sempre alterada. 16) Qual é o alimento que mais gosta e que tem mais dificuldade de resistir quando está em dieta de pré-competição: Chocolate, brigadeiro e todo tipo de doces. 17) Sofre alterações de humor quando está em dieta de pré-competição: Com toda certeza! Meu mal humor é insuportável quando estou em pré-contest. 18) Quais são os suplementos alimentares de que faz uso: Whey apenas de vez em quando pela praticidade. 19) Quais são os suplementos alimentares (produto e marca) que menos gosta (efeitos ou sabor) ou que considera desperdício de dinheiro (sem efeitos): Qualquer um que não for conciliado com treino e dieta de qualidade. 20) Qual foi a pior experiência que já teve no mundo do fisiculturismo: Competi apenas uma vez em junho de 2014 mas não consegui me classificar. 21) Quais eram as suas medidas corporais (peso, percentual de gordura, circunferência de bíceps e de coxa) no último campeonato de que participou (nome do evento e data): Não sou muito ligada em medidas, meu mestre me ensinou a confiar no que vejo no espelho! Campeonato Brasiliense de Fisiculturismo. 22) Quais costumam ser as suas medidas corporais (peso, percentual de gordura, circunferência de bíceps e de coxa) quando não está competindo: Meu peso é entre 57 e 59kg. 23) O que as pessoas dizem sobre seu aspecto corporal com musculatura avantajada: Algumas pessoas gostam outras não! Rs! 24) Que dicas daria para quem pretende ingressar no mundo do fisiculturismo: Manter a mente tão treinada quanto o corpo! 25) Quais são os atletas do fisiculturismo nacional e internacional que mais admira: Ronnie Coleman, Angela Borges, Gabriela Sales e Gracyanne Barbosa. 26) Se atua como personal trainer, contatos para ser contratado: Meu personal é o Joaquim Pimenta (61) 92134472. 32) Contatos que gostaria de deixar para qualquer interessado (email, telefone, website, etc.): larissamiriam@gmail.com Facebook: Larissa Miriam Instagram: @larissamiriam Agradecemos a todos que tornaram esta entrevista possível, principalmente: Fotógrafo: Hugo Pimentel Maquiagem e Cabelo: Clarice Coiffeur Estúdio: Renato Mendes Apoio: Simone Marangon e Adriana Ferrari
  6. 4 points
    A atleta Janaína Ferreira é deslumbrante! Depois de apreciar as fotos do ensaio, assista ao making of dessa atleta muito simpática e bem desenhada pela natureza e por muita disciplina nos treinos e dieta! http://youtu.be/u6CvI7BNRCQ Nome completo: Janaína Ferreira da Silva. Como é conhecido(a) no meio do fisiculturismo (apelido): Jana Body Fitness. Data de nascimento: 03/04/1986. Cidade em que nasceu e cidade em que vive atualmente: Brasília/DF. Qual esporte praticava antes da musculação: Ginástica Olímpica. Quando começou a treinar com pesos e por qual razão: Com cerca de 16 anos (há 11 anos atrás). Era muito magra, introspectiva... queria mudar meu visual e conhecer pessoas do mundo Bodybuilding pois sempre admirei. O que mudou na sua vida depois que começou a treinar: Tudo!! Não somente a parte estética mas minhas metas e focos de estilo de vida mudaram. Treinar me faz feliz, me faz esquecer do mundo e dos problemas. Em que academia treina atualmente: Academia Clube Coat Fitness e Smart Fitness. Treina sozinha ou com parceiro: Sempre gostei de treinar sozinha, me concentro mais e consigo focar em tudo que preciso para aquele dia. Como é a série atual de treinamento: Atualmente entrei em pre contest (ou seja, preparação para campeonato), então, treino musculação 6x por semana e cardios todos os dias. Quais são os métodos de treinamento (pirâmide, repetições forçadas, bi-sets, superséries, etc.) que costuma adotar na fase de pré-competição e na fase fora de competição (offseason): Meu método é exclusivamente perceptivo, depende do exercício, do meu estado de força do dia, se estou treinando sem carbo ou com....enfim...não faço esse planejamento mais... eu vou muito de” feed back “,de acordo com o que meu corpo responde. Em ambas as fases... meu treino não muda muita coisa... Até porque meu shape não precisa crescer, pois minha categoria não exige isso...só ajusto detalhes de músculos que precisam dar mais ênfase, melhorar a maturidade etc... Qual é o exercício de musculação preferido: Vários. Gosto de diversos exercícios, porem todos de ombro eu faço bem feliz, rs! Qual é o exercício de musculação que menos gosta: Agachamento. Qual foi a maior carga que já levantou no supino reto e no leg 45: Não faço idéia... rs Eu não treino calculando pesos... Se está leve eu vou colocando aos poucos...mas nunca parei pra calcular o peso em kg. No supino normalmente faço com 10kg de cada lado, nunca senti necessidade de tentar mais. No leg nem sei mesmo rs. Como é a sua dieta na fase de pré-competição e na fase fora de competição (offseason): Em ambas as fases utilizo Proteínas, carboidratos, saladas, e suplementos básicos. O que muda em cada período são as quantidades. Em off, posso comer uma quantidade maior e me dar ao luxo de ter um dia de “lixo” para comer algo que goste tipo doces, ou pizza,.... Em pre contest isso não exige e a quantidade de carboidratos abaixa rigorosamente. Qual é o alimento que mais gosta e que tem mais dificuldade de resistir quando está em dieta de pré-competição: Sem dúvida DOCES. Sofre alterações de humor quando está em dieta de pré-competição: Com certeza....rs. Afinal, o cérebro é movido por energia, e quando restringimos carboidratos e gorduras da alimentação, é normal dar uma alteração de humor. Quais são os suplementos alimentares de que faz uso: Whey Protein isolado Bcaa Glutamina E vitaminas e minerais como Omega 3, vitamina C, vitamina E...etc. Quais são os suplementos alimentares (produto e marca) que mais gosta (efeitos ou sabor): Todos citados acima. Marca depende muito, mas tenho usado da Integral Médica atualmente. Quais são os suplementos alimentares (produto e marca) que menos gosta (efeitos ou sabor) ou que considera desperdício de dinheiro (sem efeitos): Não considero desperdício, depende de cada objetivo do uso...se indicado por um profissional habilitado pra tal fim. Quais títulos já conquistou no fisiculturismo e em que anos?BI CAMPEÃ BRASILIERRA (2011 E 2012) TETRA CAMPEÃ BRASILIENSE ( 2009 até 2012) 4ª colocada no MUNDIAL FEMININO ocorrido na Polônia 2012 4ª colocada ARNOLD CLASSIC BRASIL ocorrido no RJ 2013 Qual foi a melhor experiência que já teve no mundo do fisiculturismo: Todas as experiências foram fantásticas e me agregou muito aprendizado, mas o Campeonato MUNDIAL pra mim, foi o mais desafiador e emocionante que pude estar competindo. Qual foi a pior experiência que já teve no mundo do fisiculturismo: No Campeonato MUNDIAL também, rs, pois fui sozinha para um País totalmente diferente, com mais de 24hs de viagem com várias conexões e voos atrasados e de dieta... foi difícil. Somente eu do Brasil fui para as finais (havia 2 atletas do Brasil contando comigo). Quais eram as suas medidas corporais (peso, percentual de gordura, circunferência de bíceps e de coxa) no último campeonato de que participou (nome do evento e data): Não costumamos fazer essas medições. Mas o peso eu lembro que foi 47kg no último campeonato (CAMPEONATO BRASILEIRO DE FISICULTURISMO E FITNESS-RJ) Quais costumam ser as suas medidas corporais (peso, percentual de gordura, circunferência de bíceps e de coxa) quando não está competindo: Só observo o peso mesmo..tanto em off quanto em pre contest. Off – 60k No dia do campeonato- 48kg O que as pessoas dizem sobre seu aspecto corporal com musculatura avantajada: Há quem goste e admire e também o oposto. Questão de gosto rs! Que dicas daria para quem pretende ingressar no mundo do fisiculturismo: Quem deseja começar um carreira no esporte tem que estar ciente que tudo que você fizer, tem que ser feito com amor àquilo que está se propondo a fazer. Tem que viver o estilo de vida da gente 24hs por dia. Opinião sobre anabolizantes esteróides: Há quem use para melhorar a performance, assim como TODOS OS ESPORTES DE ALTO NÍVEL, mas também há quem não use. Acredito que os fatores determinantes vão muito além de esteroides. DIETA E TREINO são o “combo anabólico” perfeito. Quais são os atletas do fisiculturismo nacional e internacional que mais admira? Erin Stern, Nicole Wilkins, Larissa Reis, Juliana Malacarne, Phill Heath, Kai Greene, Jay Cutler, Bruno Moraes, Fernando Maradona,... entre muuuuitos outros que se for escrever dá um livro. Rs! Se tem patrocinador, nome e contatos da empresa e forma de patrocínio: Fit Corpus Fitcorpus Cirurgia Plástica SIG Quadra 8, lote 2278 - Centro Médico Sudoeste (61) 3363-7570 André Torres Quer resultado, treino e dieta #INTEGRALEXPERT Dr. Ruy Pimentel Clínica de Nutrologia & Estetica Dr Ruy. SCN Quadra 2 Bloco D entrada B sala 412 (61) 3327-3998 Farma DIET Os melhores manipulados e o melhor atendimento. 404 Sul bloco B Loja 11 (61) 3226-4389 Academia ClubeCoat Academia ClubeCoat Fitness & Squash / Setor de Clubes Trecho 3. Melhor e mais bonita academia de Brasília SCES Trecho 3 Lote 3 Conjunto 5 Parte A 61 4141-4126 / 9133-3546 Se atua como personal trainer, contatos para ser contratado Consultorias online: jana.bodyfitness@gmail.com Contatos que gostaria de deixar para qualquer interessado (email, telefone, website, etc.): Site: www.janabodyfitness.com.br Agradecemos a todos que tornaram este ensaio possível, principalmente: [*]Fotógrafo: Hugo Pimentel [*]Estúdio: Renato Mendes [*]Maquiagem e Cabelo: Clarice Coiffeur [*]Apoio: Simone Marangon e Adriana Ferrari
  7. 4 points
    Ao contrário do que muitos imaginam esta proteína já é conhecida a mais de 6 mil anos antes de Cristo. O soro do leite não desnaturado constitui-se da porção aquosa do leite no processo de fabricação do queijo. O whey é um componente de todos os tipos de leite, sendo que o leite de vaca apresenta um teor de 6,25% de proteína e, desse total 80% e caseína e 20% e whey. No leite materno ocorre o inverso sendo 90% whey e menos de 10% caseína. Ou seja, nosso DNA foi criado por DEUS para digerir WHEY e não caseína como encontramos em abundância no leite de caixinha, mais um motivo para todas as pessoas consumirem WHEY. Em sua forma original e bruta, o whey fresco e integral produz no trato intestinal o mesmo efeito do iogurte que desde tempos imemoráveis ele tem sido considerado um agente de limpeza orgânica e um remédio para diversas desordens intestinais. Somente cerca de 0,6% do leite e proteína, portanto são necessários 229 litros de leite para fazer 1kg de whey da pior qualidade e cerca de 2290 litros de leite para fazer 1kg de whey de alta qualidade. Muito se fala sobre whey mas pouco se sabe sobre suas formas finais no mercado. Vamos falar sobre o pouco conhecido WHEY PROTEIN HIDROLISADO. Afinal, o que é exatamente Whey Hidrolisado? O whey hidrolisado é a proteína do soro do leite em forma pré-digerida, ou seja, pronta para ser absorvida pelo nosso organismo. Ocorre que nosso pequeno intestino só absorve di e tri-peptídeos e quando consumimos uma proteína em sua forma bruta ela precisa passa por um processo natural chamado de hidrólise enzimática ao qual esse peptídeo é quebrado para ser prontamente absorvido exatamente nestes di e tri-peptídeos. O hidrolisado de whey é considerado a proteína mais anabólica do mundo devido a este fim, já vem pronta para ser absorvida e não precisa passar por este processo e não sofre com os efeitos deletério nutricionais do suco gástrico e outras ações bioenzimáticas. Trinta gramas de whey hidrolisado equivalem ao dobro em dose de um concentrado de whey devido a esta facilidade digestiva. Mas o que isso vai promover em termos de ganhos? O whey hidrolisado promove maior pico de aminoácidos no sangue e otimiza a síntese protéica promovendo uma série de benefícios como: - Recuperação otimizada - Aumento de sistema imune pela maior síntese de GLUTATIONA. - Excelente termogênese pelo aumento metabólico - Promove lipólise otimizada (quebra de gordura como fonte de energia) - Reduz a fome devido aos glicomacropeptídeos preservados controlando o apetite. - Diminui o processo oxidativo de proteínas contráteis (catabolismo) Um bom hidrolisado tem de 30 a 50% mais leucina e bcaas em sua fórmula sendo estes aminoácidos essenciais para estímulo de testosterona natural, preservação da mesma, diminuição da fadiga pela queda do triptofano no sangue, aumento, preservação e reparação tecidual gerado por estes substratos e aumento da energia gerada pela célula mitocondrial. O hidrolisado tem o benefício adicional de subir muito rapidamente o nível de aminoácidos no sangue promovendo incrível aumento de síntese protéica e resposta anabólica efetiva. Como eu devo tomá-lo? Isso vai depender muito de: - Peso - Total de proteína ingerida - Consumido sozinho? - Consumido com outras fontes? Quais? - Histórico suplementar - Objetivo específico com o uso do recurso nutricional Por exemplo um homem de 95kg que visa hipertrofia e nunca tomou um hidrolisado de whey nem suplementou poderá obter excelentes resultados com 25-35g de hidrolisado de whey ao dia. Esta proteína pode ser consumida no período pré-treino com o benefício de: - Aumentar a capacidade de contração dos músculos; - Diminuir efeitos deletério-oxidativo do excesso de cortisol envolvido e regulação do mesmo; - Aumentar a concentração aminocídica no musculo diminuindo o processo catabólico; - Melhora da disposição; - Diminuição da fadiga; - Estimulo e preservação da testosterona natural; Ela pode ser consumida no pós-treino para: - Aumentar a recuperação muscular - Diminuir a dor advinda do processo inflamatório - Acelerar a regeneração tecidual - Baixar o cortisol - Maximizar o efeito anabólico pelo brusco aumento da retenção de nitrogênio - Restaurar a energia utilizada durante o estímulo Como escolher uma boa whey hidrolisada? - Baixa em carboidratos e gordura - 20-32 graus de hidrólise - Isolados/Hidrolisados contém maior concentração protéica e preservação de frações e fatores de crescimento - Essa proteína deve ser extraída através de um processo chamado hidrólise enzimática que seja extraído em condições a FRIO - As que tenham 92 a 98% das proteínas alcançada no processo de quebra do peptídeo. - A Whey com HIDRÓLISE ÁCIDA não aumenta significativamente a retenção de nitrogênio, pois neste processo desnaturam-se algumas frações da proteína. - Melhor matéria-prima. Glanbia Nutritionals – Nova Zelandia Volac - Inglaterra Parmalat - Canadá Avonmore – Irlanda Armor - França Efeitos Colaterais Não existe documentado nenhum efeito colateral que seja advindo de uma BOA WHEY HIDROLISADA e peptídeos de baixo peso molecular, ao contrário estes são considerados a essência da vida. Conclusão Hidrolisados de whey são a melhor opção para aqueles que visam anabolismo, aumento de sistema imune, recuperação e queima de gordura de maneira inteligente e saudável com nenhum estresse gerado ao fígado por processo de assimilação bioquímica.
  8. 4 points
    Quem nunca se deparou com aquele amigo que vai todo dia pra academia e tá SEMPRE na mesma. A cada mês que passa a única coisa que se percebe a mais, são veias... Pois é, eu já fui assim, até APRENDER A DAR OUVIDOS a um grande professor de musculação (para minha sorte meu primeiro) Paulo Wu, que o problema estava na minha alimentação. Curiosamente, após ele falar que eu deveria comer mais e propor a inclusão diária de alguns alimentos, eu comecei a ver resultados de verdade. Lembro bem, ele falou para que eu tentasse incluir macarrão, batata, sardinha, ovo cozido no almoço e na janta, todos juntos no mesmo prato. Pareceu mágica!!! rs Meu problema com alimentação era o fato de que eu não sentia fome, quando sentia fome não podia comer e quando podia comer a fome já tinha “ACUMULADO” tanto que eu comia demais, a ponto de ficar sem fome pelo resto do dia, levei algum tempo para acertar esse ponto, mas consegui sem maiores complicações. Esse é o problema de algumas pessoas, mas uma situação que a pessoa às vezes nem percebe, é aquela em que o indivíduo não come o que seria necessário para hipertrofiar, por medo de ENGORDAR. À vocês, estejam certos de que, o que faz engordar (exceto casos patológicos específicos) é balanço energético positivo associado ao sedentarismo, ou balanço energético positivo por excesso de consumo de nutrientes “ruins”, como por exemplo o carboidrato simples, (vulgo açúcar), gorduras saturadas e trans. Uma alimentação bem planejada, vai equilibrar o balanço energético em função da sua relação objetivo x atividades cotidianas, o que inclui o seu treinamento. Ouça, questione e aprenda com seu nutricionista. Procure sempre um profissional de confiança, pesquise e questione. Ótimos treinos!
  9. 3 points
    Você está tomando a devida quantidade de água diariamente? Você sabia que o mecanismo da sensação de sede é tão fraco, que com freqüencia, 37% dos seres humanos o confunde com a fome? Ainda mais, uma desidratação imperceptível retardará o metabolismo em aproximadamente 3%. Um copo de água aliviará a fome à meia noite, em quase 100% dos casos, sob dieta redutora, segundo um estudo realizado na Universidade de Washington. A água tem tal importância que uma redução de somente 2% de água no corpo pode causar perda momentânea de memória, dificuldade em fazer contas matemáticas básicas e problemas de focar a visão sobre uma tela de computador ou sobre uma página impressa? Novas pesquisas confirmam que beber um mínimo de 8 copos de água por dia diminui o risco de câncer de cólon em 45%, além de baixar o risco de câncer de mama em 79% e reduzir à metade a probabilidade de se desenvolver câncer na bexiga. E, se estamos estressados, devemos aumentar a quantidade para 16 copos de água por dia! Isso porque 90% do volume de nosso cérebro é composto por água, que é o principal veículo das transmissões eletroquímicas. As pessoas normalmente NÃO bebem tal quantidade para evitar de ter que urinar seguidamente; um inconveniente menor em troca de uma melhoria em sua saúde. A cor de sua urina deve ser de um amarelo muito fraco ou incolor, caso contrário você não está ingerindo suficiente água (isto não é válido se você esta tomando vitaminas do complexo B, que produzem uma cor amarela natural à urina). Ao falar de beber água, não nos referimos à água contida no café, nos chás ou nos refrigerantes. A água engarrafada ou de fontes naturais é a melhor. Estudos preliminares indicam que em 80% das pessoas, beber de 8 a 10 copos de água por dia, pode aliviar significativamente muitas indisposições. Espero tê-los feito refletir sobre seus hábitos em relação a água. Lembre-se que a água será o ouro do futuro, em breve teremos escassez de água em muitos países do globo terrestre e, desde já isso deve ser uma preocupação de cada um de nós.
  10. 3 points
    Olá, amigos do ferro! Embora a resposta para a pergunta que dá título a esta matéria já esteja muito bem consolidada no ambiente científico/acadêmico, nos salões e ginásios eu ainda percebo muitas rodinhas de discussão sobre o assunto. O que eu acho ótimo! Socializa os musculadores, instiga a curiosidade e o estudo e assim nossa comunidade floresce e fortalece. Vou responder a pergunta de pronto, porque não tem mistério: ambas as abordagens de treino geram hipertrofia e não, NÃO existe a melhor ou o que hipertrofia mais. Repito: ambas as abordagens de treino geram hipertrofia e não, NÃO existe a melhor ou o que hipertrofia mais. Se você só queria o alívio da resposta, pode passar para outro texto aqui do site. Mas, se você gosta de ir um pouco além de apenas treinar, bota mais dez e me acompanha! A hipertrofia musculoesquelética é um fenômeno fisiológico de adaptação ao ganho de força. Ela é multifatorial e, para que aconteça, deve haver a sinergia de diversos tipos de ações em nosso organismo. Eu poderia abordar várias destas ações de forma detalhada: endócrinas, metabólicas, neurais, entre outras. Mas, este artigo visa apenas a abordagem mecânica e sobre ela, podemos dizer que não existe um melhor tipo de ação para hipertrofiar. Só que fica falho falar sobre o estímulo mecânico sem observar um pouco de fisiologia. A musculação e a gama de exercícios que a compõe são, tradicionalmente, os estímulos usados quando os treinadores desejam “acionar” nosso sistema anaeróbio. Porém, existem várias formas de se ativar este sistema, não é só puxando ou empurrando ferro. A ginástica artística ou o crossfit, por exemplo, também são práticas esportivas onde se enfatiza o trabalho anaeróbio e é este sistema, seja na forma ATP-PC ou na forma Glicolítica, o responsável pela sinalização da síntese proteica, tão fundamental para o processo de construção muscular. Desde que haja fadiga, falha, acidose metabólica, trabalho máximo dentro do sistema anaeróbio, a sinalização metabólica para hipertrofia irá acontecer, pois haverá aumento de síntese proteica. Seja um agachamento com 3 x 10, agachamento com 10 x 3 ou (argh!) 30s de burpees! Contudo, a sinalização é feita nos músculos trabalhados, logo, a sinalização realizada por um agachamento é diferente da realizada por um burpee, mas não é muito diferente da realizada por um pistol. Até 3 x 40 gera hipertrofia, a diferença é que o ganho de força não é o ideal e, consequentemente, conforme vai-se avançando no nível de treinamento, perde-se a oportunidade de otimizar as respostas anabólicas caso se insista nas cargas muito baixas. Lembra-se que hipertrofia é colateral de ganho de força? Mas, a esta altura da leitura, você deve estar me questionando: mas, Dani, então os fisiculturistas, por esta lógica, deveriam treinar como powerlifters e sempre buscar a força máxima? Sim e não. Sim, porque o incremento de força é um dos principais fatores que dão continuidade ao processo no longo prazo. Não, porque não é só isso. Neste ponto, há dois fatores a serem observados. O primeiro, é a responsividade do indivíduo ao método de treino. Simplesmente há pessoas que hipertrofiam mais com volume e pessoas que hipertrofiam mais com intensidade. Há, ainda, aqueles em que isto varia de grupamento para grupamento (EU!!! Rsrsrs)! O segundo ponto a ser observado é o objetivo final do sujeito, especificidade do treino. Ainda assim, nem powerlifters treinam acima de 90% todo o tempo, pois excesso de sinalização para força máxima gera lesão e compromete a saúde mental. O fisiculturista precisa de ajustes radicais na dieta, pois não basta apenas hipertrofiar, tem que mostrar a musculatura de forma detalhada. A dieta radical, com pequenas quantidades de carboidratos e todo o protocolo adotado no culturismo também prejudica o treino de força máxima, logo, 3 x 10 ou 3 x 20 ou 3 x 30 é mais suportável dentro deste cenário. De novo; hipertrofia é multifatorial! “Então, @Daniela R Del Giorno, o que eu faço???!!” Os dois! Quando? Depende do seu objetivo principal e, consequentemente, de como seu treinamento será organizado dentro de uma periodização a fim de se obter o resultado esperado. Difícil? Para um profissional de Educação Física competente não deve ser. Por isso, digo: consulte um! Treino de inspiração, treino de atleta consagrado, treino de blogueira e estudo pelo Google pode até resolver. Por um tempo muitíssimo curto se você é iniciante. Copiar método de treino é fácil e acessível. Saber o que cada um está sinalizando fisiologicamente e entender qual é o melhor momento para utilizar cada um deles, com cada pessoa, de acordo com cada objetivo. É coisa de profissa! Vai ficar dando cabeçada? Procure um professor qualificado e, preferencialmente, especializado no objetivo ao qual você se propõe a treinar para alcançar. Pato voa, anda, corre, nada, até canta. Mas, não sai do laguinho. Qual o tamanho da sua ambição? Bota mais dez! Referências: MORTON, R. W.; OIKAWA, S. Y.; WAVELL, C. G.; MAZARA, N.; MCGLORY, C.; QUADRILATERO, J.; BAECHLER, B. L.; BAKER, S. K.; PHILLIPS, S. M. Neither load nor systemic hormones determine resistance training-mediated hypertrophy or strength gains in resistance-trained young men. Journal of applied physiology (Bethesda, Md. : 1985), v. 121, n. 1, p. 129–38, 1 jul. 2016. Disponível em: <http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27174923>. Acesso em: 18 dez. 2016. FLECK S. J.; KRAEMER W. J. Fundamentos do Treinamento de Força Muscular. Porto Alegre: Artmed, 1999. McARDLE, W. Katch, W. Katch. Fisiologia do Exercício. Energia, Nutrição e Desempenho Humano. 7ª Edição. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2011.
  11. 3 points
    Uma das maiores preocupações dos usuários mais cautelosos de esteróides anabólicos, sempre é a saúde de seu fígado. Lógico que existem muitos que não estão nem aí tanto para o estado do seu fígado quanto para outros órgãos do corpo, principalmente o cérebro. São esses imbecis que normalmente acabam desenvolvendo diversos efeitos colaterais provenientes do uso incorreto de drogas anabólicas, e quando não há mais nada a fazer, culpam as drogas por sua infelicidade, quando na verdade deveriam culpar sua própria ignorância. Este artigo expõe algumas estratégias para minimizar o nível de lesão a este órgão durante um ciclo, assim como promover uma regeneração mais rápida e eficaz após o término da administração das drogas. Esta última consideração é extremamente importante principalmente para aqueles que insistem em fazer ciclos subseqüentes, mantendo muitas vezes, pequenos intervalos entre os mesmos. O fígado é o maior órgão do corpo humano. Pesa cerca de 1,5 kg localizando-se ao lado direito, no quadrante superior da cavidade abdominal, protegido pelas costelas. Esse órgão executa mais de 500 funções importantes em nosso organismo, sendo que as principais são as seguintes: Integração entre os vários mecanismos energéticos do organismo; Armazenar e metabolizar vitaminas; Fazer síntese de proteínas plasmáticas; Detoxificação de toxinas químicas produzidas pelo organismo; Detoxificação de toxinas químicas externas ao organismo; Filtragem mecânica de bactérias; Controle do equilíbrio hidro-salínico; Síntese de gorduras e secreção do suco biliar. Quase todos os esteróides causam lesão no fígado, sendo que os 17 alpha-alquelados são os mais tóxicos pela dificuldade de processamento. Observa-se maior toxicidade por parte de drogas como a oximetolona, stanozolol, methandrostenolona, metiltestosterona e em menor grau, pela oxandrolona. Vale mencionar que vários medicamentos largamente utilizados pela população, tais como os “inocentes” ácido acetil salicílico (aspirina) e o paracetamol (tylenol), podem ser tanto ou até mesmo mais tóxicos ao fígado do que os “temíveis” esteróides anabólicos. O tipo de lesão hepática clássica encontrado em usuários de esteróides anabólicos denomina-se colestática. As alterações na estrutura dos hepatócitos acontecem provavelmente por ação oxidante na membrana, por meio do aumento de LDH plasmático e pela diminuição da glutationa peroxidase (enzima antioxidante). Retenção de bile nos canalículos biliares ocorre principalmente com o uso da oximetolona. A maior parte das lesões promovidas no fígado são reversíveis tão logo o uso do medicamento seja interrompido, devido a grande capacidade de regeneração desse órgão. Existem relatos de fígados que se regeneraram após terem cerca de 80% de seus hepatócitos comprometidos. Porém, efeitos mais sérios como icterícia somatizada pelo amarelamento da pele, das unhas e branco dos olhos é um sinal para imediata interrupção do medicamento e procura de orientação médica para monitoramento das funções hepáticas. Cuidados Durante o Ciclo Para os que ainda insistem em fazer uso dessas drogas hepatotóxicas, o primeiro passo, após um exame cerebral para verificar o grau de sanidade, seria realizar uma bateria de exames laboratoriais a fim de verificar a saúde de seu fígado. Os exames mais comuns denominam-se aminotransferases. Estas são enzimas amplamente distribuídas nos tecidos humanos, porém atividades mais elevadas são encontradas no miocárdio, fígado, músculo esquelético, com pequenas quantidades nos rins, pâncreas, baço, cérebro, pulmões e eritrócitos. Os níveis séricos das aminotransferases são importantes na verificação da função hepática. As aminotransferases mais úteis a fim de diagnóstico são: transaminases glutâmico-oxaloacética e transaminases glutâmico pirúvica. Além de logicamente evitar superdosagens dessas drogas, o segundo passo seria a adoção de algumas medidas profiláticas, dentre elas, a inclusão de protetores hepáticos, evitar alguns medicamentos e ervas específicas, manter uma boa alimentação, etc. Com relação aos protetores hepáticos, o mais conhecido e utilizado é o silybum marianum ou silimarina. Diversos estudos científicos realizados na Alemanha confirmam os efeitos benéficos da silimarina. Extraída das sementes do cardo marianum e formada por flavonolignanos, a silimarina apresenta grande capacidade regeneradora dos hepatócitos, provavelmente por estimular a síntese de proteínas. Estudos comprovaram seu poder na diminuição dos níveis de bilirrubinas, redução da esteatose hepática e dos níveis de transaminases. Entre outros protetores hepáticos estão: a cynara scolymus - a conhecida alcachofra, que aparentemente também apresenta uma ação regeneradora, mas necessita de mais estudos para confirmar tal efeito; os ácidos graxos ômega 3 e o óleo de prímula da noite que possuem ação anti-inflamatória e ajudam na diminuição das transaminases; os aminoácidos metionina, cisteína e glutamina que auxiliam na eliminação das toxinas hepáticas; a vitamina E, o mineral selênio e o ácido alpha-lipóico, que atuam na síntese do complexo antioxidante glutationa peroxidase. Quanto à dieta, deve-se evitar uma ingestão excessiva de ferro (carne vermelha), vitamina A (acima de 10.000 UI/dia), frituras, alimentos gordurosos e condimentados, minimizar o álcool, incentivar a ingestão de proteínas vegetais (soja), peixes, frutas, cereais, verduras e legumes. Ainda quanto à alimentação, o uso do alecrim é uma boa escolha por sua ação antioxidante, protetora e regeneradora hepática; já a alfafa auxilia no processo digestivo; o abacate é um grande protetor hepático, pois estudos realizados no Japão demonstraram uma diminuição do dano ao fígado em pessoas que comiam abacate todos os dias; o abacaxi, através da bromelina, auxilia a digestão; o boldo, na forma de chá, ajuda a diminuir as transaminases e auxilia no processo digestivo; e o chá verde, devido sua ação antioxidante e digestiva. Deve-se ainda evitar ervas hepatotóxicas, tais como a equinácea e a valeriana, e ter cautela com alguns medicamentos, como os antiinflamatórios hormonais, a maioria dos antibióticos, fenitoína, bupropiona, anti-depressivos tricíclicos, acetaminofem, paracetamol, ácido acetil salicílico, dentre outros. Uma boa medida é sempre verificar a bula dos medicamentos, a fim de constatar se existe algum risco de toxicidade hepática. Cuidados ao Terminar o Ciclo Ao se terminar um ciclo com drogas anabólicas hepatotóxicas, é comum que o fígado tenha sofrido lesões em algum grau. Devido a grande capacidade de regeneração deste órgão, como já mencionado, a tendência é que o órgão recupere toda sua estrutura em um determinado período. Porém, existem medidas que podem otimizar este processo, sendo estas fundamentais para aqueles ainda mais teimosos que insistem em realizar ciclos pesados com maior freqüência e com curto período de intervalo entre os mesmos. Após um ciclo, o sistema de detoxificação do fígado é sobrecarregado, sendo que os metabólitos tóxicos se acumulam e a sensibilidade a outros químicos torna-se progressivamente maior. A implementação da dieta detoxificante deve ser feita de maneira progressiva e dura, em média, de três a quatro semanas. É importante a conscientização do indivíduo para que a dieta detoxificante faça parte da rotina diária, mantendo os resultados benéficos a longo prazo. Quando o objetivo da terapêutica nutricional é detoxificar ou melhorar a reserva orgânica hepática, alguns aspectos também devem ser considerados. Alguns alimentos e bebidas que contêm toxinas e alergenos alimentares deveriam ser excluídos da dieta, como leite de vaca, açúcar e glúten. A hidratação adequada é importante para eliminar os produtos biotransformados, possibilitando a excreção mais eficiente dos compostos tóxicos. É importante ressaltar que de nada adianta ingerir grande quantidade de água em um determinado período. A melhor forma de hidratar-se é administrar pequenas quantidades de líquidos, constantemente, durante todo o dia. Uma das principais vias de eliminação de toxinas modificadas é a bile. Entretanto, quando a excreção de bile é inibida, as toxinas ficam no fígado por mais tempo. Alimentos como o chá verde ou preto, alecrim, alho e cebola, frutas cítricas, frutas vermelhas, oleaginosas, cereais integrais e leguminosas, soja, peixes e alimentos orgânicos possuem propriedades benéficas ao processo de detoxificação de acordo com sua composição. Agentes como a colina, betaína, metionina, vitamina B6, ácido fólico e vitamina B12, são úteis para promover a fluidez da bile para fora do fígado. Já as vitaminas do complexo B são importantes para evitar o dano celular e ajudar no mecanismo de detoxificação. Os alimentos funcionais são auxiliares no processo de detoxificação, entre eles destacam-se os vegetais brássicos (agrião, brócolis, couve-chinesa, couve-de-bruxelas, couve-folha, mostarda, nabo, rabanete e repolho). Elementos probióticos, tais como os lactobacillus e os bifidobactériuns, também atuam na metabolização de medicamentos. Eles podem ser definidos como preparações ou produtos contendo microorganismos determinados que, quando viáveis e em número suficiente, alteram a microbiota intestinal do indivíduo, exercendo efeitos benéficos à sua saúde. A vitamina C (ácido ascórbico), além de auxiliar no processo de detoxificação, também atua reduzindo a ação do hormônio catabólico cortisol, que normalmente encontra-se elevado após o término de um ciclo. A silimarina além de seu efeito protetor já mencionado, também possui ação detoxificante. Vale ressaltar novamente que o melhor para a saúde de qualquer fígado é manter-se longe de qualquer tipo de droga anabólica, ainda mais quando observa-se que os objetivos estéticos alvejados pela maioria de seus usuários, poderiam ser atingidos por meio de treinamento rigoroso e dieta adequada. Maiores informações sobre o assunto podem ser obtidas no livro Guerra Metabólica – Manual de Sobrevivência.
  12. 3 points
    Introdução Sempre escutei essa frase ” No pain, no gain”! Mas será que se aplica a todos os tipos de treinamento em exercícios resistidos? Precisa-se compreender a diversidade de objetivos com a prática do treinamento. E dentre estes, separar: exercício de alto rendimento (competição de fisiculturismo), exercício saúde e qualidade de vida(saúde), exercício aplicado ao esporte(auxiliar ao treinamento de modalidades esportivas, exercícios recreativos (quebrar a tensão do dia-dia) e exercícios terapêuticos.1 A partir da definição dos objetivos, pode-se analisar o tipo, modelo, forma de treinamento e execução dos exercícios, bem como a seleção de quais exercícios deverão ser executados durante a periodização do treinamento.2 Em musculação nunca irá existir certo ou errado, melhor ou pior, sempre existirá: Quem está fazendo, para quê está fazendo e por que está fazendo. A partir destes questionamentos é que se pode analisar se tal exercício/execução está adequado aos objetivos propostos pelo executante. Referencial Teórico Em termos de exercício aplicado a saúde, as recomendações são de cargas entre 50% a 80% de 1 RM com repetições que possam variar de 6 a 20, executando-se de 3 a 5 séries por grupamentos, onde estes exercícios devem ser moderados.2 Quando se fala em exercícios relacionados a saúde e qualidade de vida, tanto faz fazer uma ou 3 séries de exercícios, e realizá-lo três vezes por semana, já satisfaz as recomendações de diversos pesquisadores.3 Porém, quando se fala de fisiculturismo, as recomendações variam de um grupamento muscular para outro, por exemplo: Recomendações de 12 séries para ombro e 6 para Isquiotibiais, nota-se aqui que está se falando em iniciantes no fisiculturismo.4,5 As cargas podem variar de 50% a 100% de 1RM, e aqui se aplica o No Pain, no Gain!! Já quando se fala em atletas as recomendações gerais variam de 4 a 6 séries, com 40% a 60% de 1 RM com repetições rápidas, visando assim a força explosiva, presente na maioria dos esportes.1,4,6 Já se observa a diferença existente entre musculação aplicada ao esporte e musculação aplicado ao fisiculturismo. Em termos de exercícios terapêuticos, segundo linhas gerais, as recomendações são bem parecidas com as da aplicada a saúde, só que cada tipo de patologia requer uma diretriz diferente em alguns aspectos, em geral, as recomendações seguem os padrões de séries e repetições aplicados a saúde, porém as precauções recaíram sobre a intensidade e tempo de intervalo maior entre as séries.7 Considerações Finais A máxima “No pain, No gain” deve ser sempre aplicada aos objetivos de treinamento aplicado ao fisiculturismo ou ao ganho de hipertrofia/definição com fins estéticos, quando se trata de esporte de rendimento, aplicação terapêutica/profilática e exercícios e saúde, deve-se esquecer essa máxima. Lembre-se que cada indivíduo é único e nem sempre o que se aplica a um dará certo para outros. Sendo assim, antes de citar no pain, no gain, pergunte qual o objetivo do executante com este ou aquele tipo de treinamento. Agora, termine a leitura e vá treinar! REFERÊNCIAS 1. CARNAVAL,, Paulo Eduardo Musculação Teoria e Prática-;23ª Edição; editora Sprint,2000. 2. AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE. Position Stand: Progression models in resistance training for healthy adults. Med. Sci. Sports Exerc. 2002; 34 (2): 364-380. 3. WILMORE, J.H. e COSTILL, D.L. Fisiologia do Esporte e do Exercício. 2 ed. São Paulo: Manole, 2001. 4. BOMPA, TUDOR O. & CORNACCHIA, LORENZO J. Treinamento de Força Consciente. São Paulo: Phorte Editora, 2000. 5. GUIMARÃES NETO, Waldemar Marques .Musculação Anabolismo Total;; Ed. Phorte, 2000. 6. ZATSIORSKI, Wladimir M Ciência e Prática do Treinamento de Força;.; Ed. Phorte, 2002. 7. CAMPOS, Maurício de Arruda. Musculação ( Diabético ,Osteoporose ,Crianças ,Obesos).. Editora Sprint ;2 Edição 2001.
  13. 3 points
    Desinformação da Mídia não Especializada Quem acompanha as novidades da indústria da suplementação no Brasil costuma ficar chocado com as notícias que são veiculadas pela mídia. Normalmente, as informações são distorcidas e repletas de preconceito, sem respaldo científico ou de profissionais gabaritados, resultando numa salada de desinformação e fomentadora de ainda mais preconceitos contra os suplementos alimentares e amantes da musculação. Saiba mais na matéria: Jack3d é Acusado de Causar Dependência. OxyElite Pro Demonizado A bola de vez ou bode expiatório, desta vez, foi o suplementos alimentar OxyElite Pro da USPLabs. O jornal Correio Braziliense publicou uma sequência de matérias demonizando o suplemento alimentar e vitimizando os seus consumidores, como se fossem pobres coitados enganados pela indústria gananciosa e inescrupulosa. O massacre começou em 12/01/2013, numa matéria intitulada "Lojas do DF vendem suplemento proibido". O subtítulo foi "De 20 estabelecimentos consultados pelo Correio, seis comercializam o OxyElite Pro, todos fora do Plano Piloto. Feito à base de dimetilamilamina, o produto, vetado desde julho pela Anvisa, é usado por quem deseja emagrecer e também por concurseiros". lojas-df-vendem-suplemento-proibido.pdf Nessa reportagem, afirma-se que a dimetilamilamina (DMAA) poderia levar o indivíduo à morte. Além do OxyElite, são mencionados o Jack3d e o Lipo 6 Black, os quais também estariam proibidos na Austrália e Nova Zelândia. Na realidade, a DMAA foi proibida nos EUA, onde os suplementos são fabricados, e essa proibição envolveu um número muito maior de suplementos, como reportamos na seguinte matéria: Jack3d Foi Proibido pela FDA (ANVISA dos EUA). Risco de Morte A suspeita de risco de morte ligada à DMAA não parece ter sido comprovada até o momento, havendo mera suspeita. Se a DMAA fosse realmente tão perigosa como se gosta de propagar na mídia, milhares de pessoas que frequentam academias no mundo inteiro teriam falecido. O Jack3d, produto que continha DMAA, foi o suplemento alimentar mais vendido no mundo durante muitos meses. E nenhum caso comprovado de morte, efetivamente causada pelo DMAA, parece ter sido revelada. Veja mais sobre esse assunto nesta matéria: Jack3d é Seguro. Novas Fórmulas sem DMAA O grande defeito na matéria é não informar que os fabricantes de suplementos alimentares atualizaram as fórmulas do OxyElite Pro, do Jack3d e do Lipo 6 Black para adequação dos produtos ao novo regramento imposto pela FDA. Veja as novas fórmulas: Lipo-6 Black no site da Bodybuilding (links com referral code). Suplemento Alimentar não é Esteroide (nem Asteroide, nem Bomba) O pior defeito da reportagem não foi deixar de mencionar que os fabricantes adequaram as fórmulas dos produtos à nova realidade ditada pela FDA. Na realidade, trata-se de um problema comum a diversas reportagens publicadas contra os suplementos alimentares: confunde-se suplemento alimentar com anabolizante esteroide. Num quadro que tem por objetivo demonstrar os riscos do consumo de DMAA, são apresentados efeitos colaterais próprios dos esteroides. Leia-se: na mulher - aumento de pelos, alteração na voz, queda de cabelo, desragulação do ciclo menstrual. No homem - crescimento da mama, problemas de fertilidade. Nenhum desses efeitos colaterais está relacionado à DMAA ou a qualquer outro ingrediente da fórmula do OxyElite Pro. Quem acompanha nosso site já está cansado de saber que esteroides são esteroides e suplementos alimentares são suplementos alimentares, capiche? Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Será que precisamos ser mais claros? A mídia não especializada, de alcance difuso, ao invés de informar as pessoas, as desinforma. Por isso, um preconceito enorme ronda o meio social e se mostra evidente quando um jovem resolve utilizar suplementos alimentares, ainda mesmo que por indicação de nutricionista esportivo, e seus pais ou responsáveis se posicionam de maneira ferozmente contrária. Também é comum que musculadores, ao exibirem shakes de proteína, tenham que ouvir frases do tipo: "Está tomando bomba?". Mas não são esteroides, nem bombas. São produtos que complementam a dieta e fornecem nutrientes para o organismo de forma prática ou concentrada. Depoimento de Pessoa Sedentária e não Comprometida com Treino e Dieta Também chama a atenção, no texto da reportagem, um depoimento de uma servidora pública (que não quis se identificar). Teria dito ela que passou a tomar o OxyElite para se preparar para uma prova de resistência física de um concurso, porque não teria conseguido emagrecer sem ajuda suplementar. Qualquer musculador que se preze sabe que não é o suplemento alimentar que vai provocar o emagrecimento, mas dieta ou reeducação alimentar (ingestão calórica menor do que o gasto calórico). Suplementos ajudam, não fazem milagre. Só por esse trecho do depoimento já se pode esperar o absurdo que vem pela frente. A "super atleta" disse que com o OxyElite Pro teria conseguido fazer mais de 10 minutos de esteira, coisa que nunca teria consigo antes. Pelo amor de Deus, quem é a pessoa que, normalmente, não consegue fazer mais de 10 minutos de esteira na academia? Sendentários? Obesos mórbidos? Será que seu avozinho sedentário com mais de 70 anos de idade conseguiria fazer mais de 10 minutos de esteira? Se ele costumar caminhar pela casa, é bem possível. Para completar, a "super atleta" diz que ainda voltou correndo para casa, não tendo se sentido cansada em nenhum momento, mas eufórica. Pior, afirmou que tem conhecimento na área (qual? suplementação alimentar? química?) e percebeu que as ligações dos compostos do OxyElite Pro seriam parecidas com as da cocaína. E também descobriu que o produto estaria proibido. E que o produto poderia acusar doping. E causar dependência. Ficou revoltada e se sentiu enganada. O que acham disso? A pessoa que se diz entendida em suplementos alimentares e que normalmente não consegue comer menos e melhor para emagrecer, nem fazer míseros 10 minutos de esteira, diz que se sentiu enganada. Não sabemos se esse depoimento é para rir ou para chorar. Sensacionalista é. Colaborativo não. O que diferencia o gás oxigênio (O2) do ozônio (O3) é um átomo. Ainda que as ligações dos componentes do OxyElite Pro fossem parecidas com as da cocaína, isso nada tem de alarmante. Quem entende de suplementos já deveria saber que a DMAA estava proibida nos EUA e que era considerada doping pela WADA. Quanto à dependência, parece não haver estudo científico conclusivo. Observe-se que a "super atleta" disse que um amigo seu teria comprado o produto facilmente em Sobradinho (cidade satélite de Brasília), o que leva a crer que ela sabia que o produto não poderia ser vendido de maneira regular. Como poderia ser sentir enganada? Quanta inocência…. Na verdade, pessoas como essa estão se enganando. Quer correr mais de 10 minutos na esteira? Treine de verdade. Quer emagrecer? Faça dieta. Quer atingir o seu potencial genético máximo? Aí sim faça uso de suplementos alimentares. O problema é que gente sedentária e com compulsão alimentar, sem compromisso com treino e dieta, quer depositar a culpa do fracasso de seu projeto pessoal em terceiros ou em coisas, como no suplemento alimentar, um bode expiatório. E infelizmente a mídia dá voz a essas pessoas (que, na verdade, não sabem nada de treino, dieta, ou suplementação, e não se preocupam em pesquisar), como se fossem os mensageiros da sabedoria popular. "Os suplementos são os vilões!". O que não se pode aceitar é que uma eventual minoria de nutricionistas e vendedores de lojas de suplementos que estejam fazendo propaganda enganosa em torno dos benefícios da suplementação tenham credibilidade social. Nunca se esqueça: suplementos não fazem milagres, o que transforma o corpo é a determinação do praticante de musculação, não uma pílula mágica. Suplementos estão à disposição para ajudar no caminho, e não para trilhá-lo por você. Portanto, para aqueles que querem o caminho mais fácil, o dos milagres, ou o das pílulas mágicas, sentimos informar: você sempre será enganado por algum malandro de plantão. Mas fica o recado: não culpe os outros, nem coisas, e muito menos os suplementos. Tenha compromisso, seja determinado, e o resultado virá naturalmente. Outras Reportagens em Série para Massacrar os Suplementos (e Criar uma Equivocada Opinião Popular) No dia 13/01/2013, o Correio Braziliense publicou uma matéria intitulada "MP reage a venda ilegal", cujo subtítulo era "Denúncia do Correio sobre comércio de compostos alimentares vetados faz com que a Promotoria de Defesa da Saúde marque reunião com a Anvisa e a polícia. Em oja de Águas Claras, produto pode ser obtido por encomenda". mp-venda-ilegal-suplementos.pdf Nessa reportagem, mais uma vez, afirma-se que o OxyElite Pro teria como efeitos colaterias: mudança na voz, queda de cabelo, problemas de fertilidade, alterações no sistema nervoso e a morte do usuário. Já vimos que suplementos alimentares não são esteoides anabolizantes. E os efeitos colaterias comprovados destes não podem ser imputados aos suplementos não esteroidais. Em 14/01/2013, o Correio publicou nova matéria contra o OxyElite Pro. A chamada foi: "Polícia fecha o cerco contra venda ilegal", e o subtítulo foi: "Unidade especializada conta com seção específica para combater comércio de compostos alimentares proibidos pela Anvisa. Em uma das operações realizadas no ano passado, a delegacia recolheiu 5 mil produtos ilegais. Comércio também é feito por meio de redes sociais". policia-fecha-cerco-venda-ilegal-suplementos.pdf Mais uma vez o OxyElite Pro, o Jack3d e o Lipo-6 Black são acusados de causar uma série de alterações no metabolismo e de até levar os usuários à morte. É curioso anotar que a gerente de alimentos da Vigilância Sanitária do DF diz que o órgão apresenta déficit de pessoal para controlar a venda ilegal do OxyElite Pro, e que há outras prioridades. Se fosse mesmo verdade que a DMAA causa morte, não deveria sua venda ilegal ser tratada como prioridade? Quantas pessoas você conheceu (ou amigos de amigos) que morreram por ingerir suplementos com DMAA (OxyElite Pro, o Jack3d e o Lipo-6 Black)? No dia 15/01/2013, foi veiculada no Correio matéria intitulada "Fiscalização precária estimula crime", e com subtítulo "A Vigilância Sanitária tem pouco mais de um terço do total de profissionais necessários para atuar em diversas áreas. Sobrecarregado, o órgão cobre só cerca de 20% do comércio". fiscalizacao-precaria-estimula-crime.pdf O mais triste foi ler na capa do jornal a chamada para a matéria: "Fiscalização sobre 'bombas' é falha". fiscalizacao-bombas-falha.pdf É realmente muito triste verificar que a mídia fomenta o preconceito e ojeriza contra os praticantes de musculação que fazem o uso correto de suplementos para atingir o máximo do desenvolvimento muscular. Vamos repetir sempre que for necessário: suplemento não é esteroide. Suplemento alimentar não é bomba. Quem faz uso de suplemento alimentar não é bombado. Esse lugar-comum já está passando de uma infeliz falta de informação para uma despropositada ignorância. Nessa reportagem, é interessante notar a opinião do gerente sanitário André, segundo o qual a população deve ser educada para não consumir produtos ilegais, ao invés de se buscar um reforço na fiscalização. E, mais uma vez, o gerente deixa claro que o comércio ilegal de suplementos alimentares não é prioridade. Somente situações que envolvam risco iminente à saúde são priorizadas, tais como leitos de UTIs. Concordamos com o servidor da ANVISA: educação é a palavra-chave. E esse é o objetivo desta matéria. Educar a população. Informar do modo mais preciso possível. Não consuma suplementos alimentares proibido pelas autoridades sanitárias! E se o produto é permitido apenas nos EUA, faça a importação correta do produto. Não compre de maneira irregular, a chance de o produto ser falsificado é grande. Leia uma matéria interessante sobre importação: Jack3d Micro: Importação e Nova Fórmula. Mas o que fica evidente pelas palavras do gerente de Alimentos da ANVISA é que os suplementos alimentares, ainda que proibidos, não representam risco iminente à saúde. Parece exagerado imputar à DMAA risco de morte. No mesmo dia, 15/01/2013, foi veiculada outra matéria com a chamada "Consumo leva ao risco de morte" e descrição "Especialistas alertam para os perigos e as complicações decorrentes do uso de complementos alimentares, emagrecedores e esteroides, como dependência e problemas cardiovasculares. A comercialização pela internet desafia a Anvisa e a Polícia Federal". consumo-dmaa-risco-morte.pdf Segundo a matéria, a morte do nutricionista Manoel de Alencar poderia ser imputada ao OxyElite Pro. A polícia teria encontrado anabolizantes e o suplemento proibido na casa do atleta. Mas afinal, por que o OxyElite Pro seria a causa da morte? Mais adiante, a reportagem afirma que a mistura de esteroides, estimuladores e emagrecedores teria causado uma parada cardiorrespiratória no atleta. Nesse caso, convenhamos, não foi o OxyElite Pro o causador da morte. Merece nota, também, a manifestação de um mestre em ciência da nutrição que afirma que o OxyElite Pro teria outras anfetaminas na composição, tais como a sibutramina. Não é isso que se verifica no rótulo do produto. Nessa mesma reportagem, os leitores são confundidos pelo jornal com a apresentação dos efeitos colaterais dos esteroides anabolizantes como sendo efeitos negativos do suplemento OxyElite Pro. No dia 16/01/2013, o Correio publica matéria com título "Traficantes e contrabandistas", e explicativo "A polícia e o Ministério Público fecham o cerco às quadrilhas de tráfico de drogas que descobriram nos complementos alimentares e nos anabolizantes uma forma de lucrar ainda mais com o comércio ilegal. Produtos chegam dos EUA e do Paraguai". traficantes-contrabandistas-suplementos.pdf Essa notícia é realmente assustadora. O comércio ilegal de suplementos alimentares deve ser reprimido. Sabemos o quanto nosso país tem sofrido com os efeitos deletérios do tráfico de drogas, que destrói vidas e famílias. A repressão aos traficantes tem sido uma batalha incansável das forças estatais. Saber que esses traficantes estão enveredando para o comércio ilegal de suplementos e esteroides muito nos entristece, pois, vai se tornar ainda mais difícil a repressão à venda irregular. No dia 17/01/2013, foi veiculada matéria com título: "Antidoping sob suspeita". Explica-se: "Especialistas denunciam que a preferência por exames capilares na maioria dos concursos de segurança pública facilita a aprovação de candidatos que usam substâncias proibidas em testes físicos". antidoping-suspeita-suplementos.pdf Merece destaque nessa matéria a intervenção do preparador físico Ricardo, que afirma ser comum que seus alunos apresentem palpitação, dor no peito, hipoglicemia e taquicardia. E isso seria em decorrência do uso de suplementos proibidos. Segundo ele, em casos extremos, a pessoa poderia ter morte súbita. O treinador não relatou nenhum caso de morte súbita que tenha presenciado. Também não deu detalhes das doses dos suplementos ingeridas pelos alunos, e nem que suplementos seriam esses. Também não deu detalhes das dietas dos alunos, da intensidade do treinamento e nem se teriam problemas congênitos de saúde. Em resumo, os suplementos foram malhados sem qualquer embasamento científico, só por "achismo". No dia 18/01/2013, sai nova matéria, desta vez intitulada "Venda na internet aumenta os riscos", com subtítulo: "Além de esconder a identidade do fornecedor, comércio de complementos alimentares na rede expõe o consumidor a produtos irregulares, fora da validade ou falsificados". venda-internet-riscos-suplementos.pdf Na capa do jornal, foi feita a chamada desta forma: "Sites põem à venda versão falsificada de suplemento". sites-versao-falsificada-suplementos.pdf Diz a reportagem que a compra de suplementos não autorizados pela ANVISA por meio da internet é arriscada porque o produto pode ser falsificado, vencido ou nem mesmo chegar. Essa é uma meia verdade. Se a compra for feita no Brasil, a venda é ilegal, e os riscos são reais. Se a compra for feita nos EUA (pela internet), em sites de renome, o risco de dores de cabeça com a compra são mínimas. Existem muitos suplementos alimentares cuja venda não é autorizada no Brasil, mas é autorizada nos EUA. A importação é permitida, sujeitando-se o consumidor ao pagamento de tributo e a apresentação de prescrição médica ou de nutricionista. Os sites que costumam ser mais recomendados para a importação de suplementos alimentares dos EUA pela internet são: e Bodybuilding.com (links com referral code). No día 20/01/2013, publica-se matéria "Por trás da promessa de milagre, o pesadelo" sobre "Pessoas que consumiram produtos vetados no Brasil, como OxyElite Pro, Jack 3D e Lipo-6 Black, atestam as consequencias nocivas à saúde que esses compostos provocam, como taquicardia, hipertensão e dependência. Em Recife, um jovem morreu". promessa-milagre-pesadelo-suplementos.pdf De acordo com a reportagem, as promessas dos rótulos de suplementos como OxyElite Pro, Jack 3D e Lipo-6 Black escondem os riscos devastadores dessas substâncias. Em seguida, são publicados depoimentos de pessoas que usaram os suplementos. É aí que os absurdos começam a aparecer. Leia com atenção e veja se os efeitos colaterais decorrem dos suplementos ou da irresponsabilidade de seus usuários. A secretária Adriana afirmou que comprou o OxyElite com a intenção de emagrecer. Disse que com o uso do suplemento não se sentia cansada. Num dia de treino chegou na academia às 7h e saiu meio-dia. Isso mesmo!! A "grande atleta" entrevistada pelo Correio ficou 5 horas seguidas na academia!! Depois disso vem choramingar de dores na nuca, dores de cabeça, taquicardia, nervosismo e hipertensão. Médicos teriam dito que seu problema foi desencadeado pelo OxyElite Pro. Ao deixar de usar o produto, a secretaria teria ganhado 12 quilos, no que chamou-se efeito sanfona. Convenhamos, vocês acham que a secretaria teve problemas de saúde por causa do suplemento alimentar ou por não saber treinar, não saber se alimentar, não respeitar os limites do corpo, querer resultados imediatos e assim por diante? Quantas cápsulas do produto ela ingeriu de uma única vez? Parece claro que em 15 dias treinando por 5 horas seguidas qualquer pessoa entraria num estado de overtraining com efeitos deletérios ao corpo, exatamente como descrito pela secretária: dores na nuca, dores de cabeça, taquicardia, nervosismo e hipertensão. Por que o jornal, os médicos (não identificados) e a secretária culpam o suplemento pelo mal estar físico ao invés de se atentarem para um elemento básico: treino correto e dieta? É muito mais fácil culpar o suplemento do que assumir as próprias fraquezas. Pelo depoimento da secretária, de 78 quilos, fica claro que ela buscou no suplemento uma fórmula mágica para perder peso. E se logo após parar de tomar o suplemento ganhou mais 12 quilos, pode-se imaginar que tenha distúrbio alimentar compulsivo. Para se perder peso com saúde, deve-se atentar para a disciplina e busca de resultados a longo prazo. A perda deve ser gradual. A dieta deve ser equilibrada, e não absolutamente restritiva. O treinamento deve respeitar os limites do corpo (costuma-se dizer que o ideal são 40 minutos, e não absurdas 5 horas de treinamento contínuo). É óbvio que uma pessoa gordinha e sedentária que não se alimente direito e que treine alucinadamente sem qualquer acompanhamento de preparador físico irá ter problemas de saúde, tais como dores de cabeça, hipertensão, etc. O catabolismo é cruel. O efeito sanfona é natural nesses casos. O corpo não aguenta ser saco de pancada por muito tempo. Portanto, não culpem os suplementos alimentares, culpem a ansiedade por resultados rápidos, o desrespeito aos limites do organismo, a falta de acompanhamento nutricional e de programa de treinamento adequado. Outro depoimento que chama a atenção é de Wilson e Marcelle, que afirmam que o Jack3d teria matado seu filho Wilsinho. O algoz teria sido o estagiário da academia do rapaz, José Dorgival Cavalcante Júnior, que teria vendido irregularmente o suplemento Jack3d. Não há nenhuma prova científica de que o rapaz tenha falecido por conta do uso do Jack3d. Há uma coincidência. Ele faleceu um mês após começar a fazer uso da substância. Observe-se que a vítima jogava futebol, e não raramente se ouvem casos de morte súbita em esportes em que o sistema cardiovascular é exigido à exaustão. A reportagem é omissa quanto a problemas de saúde congênitos do rapaz, quanto à dose de suplemento que ele ingeria, quanto ao uso de medicamentos (quiçá esteroides) e quanto à própria causa da morte em laudo pericial. A mãe tem esperança que um laboratório estrangeiro comprove que a causa da morte foi a ingestão de Jack3d. Portanto, fica claro que o suplemento alimentar é sacrificado e imputado como culpado sem prova científica, com base em preconceitos e crendices. Leia mais neste link: IC e IML não confirmam morte de jovem no Recife por uso de Jack3D. Interessante também é o depoimento do professor de musculação Vitor, que afirma que muitas pessoas abusam do consumo dos suplementos, ingerindo doses muito superiores do que as indicadas no rótulo. Mencionou o caso de um usuário que excedeu em 6 vezes a dose indicada. Imagine você os efeitos colaterais decorrentes da ingestão de 6 vezes a quantidade indicada de uma substância estimulante do sistema nervoso central!! Será que vai fazer mal? Afinal, quem são os vilões? Os suplementos alimentares ou seus usuários desmiolados? Se você toma um copinho de café pela manhã para ficar alerta, imagine se você tomasse outros 6 seguidamente! Vamos pensar. Até o melhor produto do mundo pode se tornar prejudicial pelo mal uso. No mesmo dia 20/01/2013, foi publicada reportagem chamada "A saúde em primeiro lugar", tratando de "Especialistas dizem que produtos ofertados no mercado, que prometem perda de peso ou ganho de massa muscular, só devem ser consumidos se houver orientação de especialistas em nutrição. Do contrário, os efeitos no organismo podem ser devastadores". saude-suplementos.pdf Chancelamos essa reportagem. Os suplementos alimentares somente devem ser consumidos com a orientação de nutricionista esportivo. Nem todos os praticantes de musculação necessitam de suplementação alimentar, principalmente aqueles que não desejam atingir o máximo de força, hipertrofia ou definição. Para a manutenção de um organismo saudável e funcional, normalmente, não há necessidade de suplementação alimentar, se o praticante de musculação tiver uma dieta bem balanceada ao longo do dia. Para aqueles que querem atingir metas audaciosas nos treinos, os suplementos alimentares podem ser grandes aliados, se consumidos corretamente. A única ressalva que se faz aqui é a inclusão do risco de morte e da dependência como efeitos colaterais dos suplementos, o que parece ser exagerado, por falta de evidências científicas. No dia 26/01/2013, é publicada reportagem com o título "Polícia apreende 7 mil pílulas contrabandeadas". Dá-se conta de apreensão de suplementos trazidos do Paraguai para serem vendidos irregularmente no Brasil, tais como o Lipo-6 Black. pilulas-suplementos-contrabandeados.pdf Fica mais uma vez o alerta: não compre suplementos alimentares vendidos de modo irregular no Brasil. Compre somente os produtos que estão de acordo com as regras da ANVISA. Caso queira comprar produtos que não podem ser vendidos no Brasil, mas que podem ser vendidos nos EUA, faça importação direta pela internet ou visite os EUA para comprá-los. E não se esqueça de ter em mãos a prescrição de seu médico ou nutricionista esportivo. Conclusão Esta matéria não tem por objetivo criar qualquer levante contra a mídia difusa, de massa. Tem por objetivo esclarecer os leitores de alguns detalhes importantes que envolvem o mundo da suplementação alimentar e que, muitas vezes, são ignorados pela mídia não especializada, que ainda publica algumas matérias mais confusas do que informadoras. A série de reportagens publicadas pelo Correio Braziliense cometeu alguns deslizes (confundir suplementos com anabolizantes, imputar aos suplementos risco de morte sem comprovação científica, apresentar depoimentos de pessoas que fazem mal uso de suplementos e culpar o suplemento ao invés do usuário), mas tem seus méritos (chamar a atenção para os perigos do consumo de produtos proibidos, possivelmente falsificados, e de suplementação alimentar sem acompanhamento especializado, por nutricionista esportivo). Também é bom que a população saiba que suplementos alimentares não fazem milagres. Determinação faz. Treine pesado, alimente-se com respaldo de profissional habilitado (que pode eventualmente prescrever suplementos auxiliares) e alcance os resultados que almeja! Não acredite em maus profissionais que prometem pílulas mágicas, sejam eles nutricionistas ou vendedores de lojas de suplementos alimentares. Corpo perfeito não cai do céu. Demanda tempo, disciplina, persistência, dieta equilibrada e treinamento adequado. E os suplementos? Podem tornar sua vida mais prática, ajudar na conquista dos resultados, mas não são os elementos mais importantes. Fonte das Reportagens Jornal Correio Braziliense - http://correioweb.com.br (Os arquivos das reportagens são meramente ilustrativos desta matéria e não devem ser reproduzidos - art. 46, III, da Lei n. 9.610/98)
  14. 3 points
    Fala galera, estamos chegando em uma época do ano que é o verdadeiro terror para quem treina com seriedade! As academias fecham, as festas de fim de ano praticamente nos obrigam a sair da dieta, e ficamos por muito tempo as vezes inativos, catabolizando e ganhando gordura , não é mesmo? Não precisa ser tão ruim! Podemos aproveitar o fim do ano ao lado das pessoas que gostamos sem deixar de lado nosso compromisso com o corpo! Numerei abaixo algumas dicas que podem nos ajudar nestas épocas conturbadas de natal e ano novo! 1 – Não abandone as proteínas: Nossa maior fonte de massa muscular, todos sabemos é a proteína! Se formos sair da dieta, ok, mas tente incluir o Maximo de proteína que puder nas refeições; 2 – Pegue leve durante o dia: Se você sabe que a noite irá arrebentar na ceia de natal ou ano novo, procure durante o dia passar bem leve, quase em jejum; 3- Não exagere: Já que vai sair da dieta, não é por isso que precisa comer 2 potes de sorvete com pudim e bolo de chocolate. Coma apenas alguma coisinha para satisfazer a vontade e não perca tudo que ganhou; 4 – Considere flexões, barra fixa e abdominais : Exercicios que podemos fazer até a falha procurando estressar o Máximo a musculatura, já que sua academia está fechada; 5 – Corrida ou caminhada: Uma forma de manter condicionamento e o corpo ativo, considere estes exercícios durante o período off da academia; Pessoal , é basicamente isso aí! Sem muito segredo! Não vamos exagerar nas festas mesmo saindo da dieta, e procurar manter o corpo ativo com exercícios de fácil execução! Bom fim de ano e boas festas !!
  15. 3 points
    Ingredientes: - 6 bananas de sua preferência - 2 scoops de proteína - 2 dedos de oleo de canola( medindo em uma xícara de cha) - 3 ovos - 1 1/2 xicara de açucar mascavo - 3 xicaras de quinua em flocos finos -1 colher de sopa de fermento em pó Modo de preparo: 1.Unte uma forma de fundo removível redonda e salpique um pouco de açucar mascavo com canela. 2. Corte as bananas em rodelas e coloque no fundo da forma. As que sobrarem coloque no liquidificador com o óleo e os ovos. 3. Se depois de bater a massa e ela ficar muito consistente coloque um pouco de agua (isso é para evitar que adicione mais oleo). 4. Em uma travessa coloque todos os ingredientes secos ( quinua, whey protein, açucar mascavo e fermento). Misture tudo 5. Depois de todos os ingredientes secos estiverem misturados coloque o líquido. 6. Coloque na forma e leve ao forno pré aquecido por 30min.
  16. 3 points
    Quais os Melhores Suplementos Alimentares do Mercado? Tenho certeza de que muitos se fazem esta pergunta, pois a cada dia temos mais opções nas prateleiras, mais promessas e, conseqüentemente, mais dúvidas. Atualmente existem muitos produtos com eficácia comprovada, que podem trazer vários benefícios para a melhora do rendimento, e outros que apenas tornam nossa vida mais fácil, já que é muito difícil ter disposição e tempo para elaborar todas as refeições diárias. Porém, é preciso deixar claro que existem vários suplementos que não passam de promessas, ou seja, o único que irá se beneficiar será o comerciante. Quando o assunto é queima de gordura corporal a “empurroterapia” é ainda mais comum. Deixemos bem claro que a suplementação alimentar depende exclusivamente da alimentação do indivíduo. Não é possível realizar a prescrição de um suplemento sem antes ter sido realizada uma análise minuciosa sobre a dieta, necessidades nutricionais, treinamento, dados antropométricos, etc. Infelizmente observamos que a maior parte dos suplementos são indicados ao “pé do ouvido”, sem o devido controle sobre esses fatores. Durante um mês toma-se creatina, no mês seguinte, substitui-se a creatina por um pré-hormonal que é substituído logo depois por uma proteína em pó. Ou seja, a suplementação é realizada sem qualquer critério! Também observamos pessoas que creditam todo o sucesso a um determinado suplemento. Por exemplo: Fiquei grande tomando massa 3 milhões! ou Defini meu abdômen tomando CLA! Tanto no primeiro, quanto no segundo exemplo, se realmente os objetivos foram conquistados, não foi exclusivamente devido a suplementação, e sim ao efeito sinérgico de treinamento, alimentação, suplementação e descanso. Ou você já viu alguém perder gordura tomando CLA e comendo fast food todos os dias? O profissional habilitado para prescrever uma suplementação alimentar correta é o nutricionista esportivo. Sem o seu auxílio, ocorrerá certamente perda de tempo e de dinheiro, pois suplementos não são nada baratos. O valor da consulta com um nutricionista muitas vezes será menor do que o valor gasto com os suplementos e, ainda assim, existem teimosos que insistem em ir pelo caminho mais pedregoso. Não podemos afirmar que determinado suplemento é o melhor, visto que cada pessoa tem suas necessidades diferenciadas. Por exemplo, para uma pessoa que não possui tempo para se alimentar no meio da manhã e no meio da tarde, o melhor suplemento poderia ser uma refeição líquida. Já para outro indivíduo que realiza tranquilamente todas as suas refeições sólidas durante o dia, a refeição líquida passaria a ser totalmente desnecessária. Irei expor alguns suplementos, que na minha opinião são os de maior valia atualmente no mercado. Eles estarão em ordem alfabética e não em ordem de prioridade, visto que esta, como já foi explicado, depende da necessidade individual. Ácidos Graxos Ômega 3 Os ácidos graxos ômega 3 constituem uma classe especial de ácidos graxos poliinsaturados. Em geral, a ingestão adequada desse tipo de gordura está associada aos efeitos benéficos à saúde. Inclusive, são utilizados com sucesso no tratamento de várias patologias, dentre as quais podemos citar: doença cardiovascular, hipertensão arterial, diabetes melito, doenças renais, artrite reumatóide, colite ulcerativa, doença de Crohn e doença pulmonar obstrutiva. Os ácidos graxos ômega 3 podem alterar a composição da membrana muscular resultando na melhora do transporte da glicose e reduzir a degradação protéica. Observa-se ainda menor resposta inflamatória após o treinamento e maior estímulo na produção de testosterona e hormônio do crescimento. Com isso, sua ingestão dietética ou suplementação pode auxiliar no aumento da massa magra, aumento da força muscular e da potência aeróbica. Podemos obter uma ingestão adequada de ômega 3 através de peixes de águas frias e profundas, e de semente de linhaça. Caso o consumo regular destes alimentos seja inviável, recomenda-se a suplementação com uma dosagem entre 3 e 4 gramas de ácidos graxos ômega 3 diariamente. BCAAs (Branched Chain Amino Acid) Os BCAAs são compostos por três aminoácidos: leucina, isoleucina e valina. Estes são denominados de aminoácidos de cadeia ramificada devido a sua formação estrutural. Nossas proteínas musculares são compostas por aproximadamente 19% de BCAAs. Como os BCAAs são metabolizados no músculo e não no fígado, eles podem fornecer energia durante o exercício prolongado, e ainda evitar ou reduzir a taxa de degradação protéica endógena durante o exercício. O potencial papel da leucina no estímulo da síntese protéica e as evidências de que a administração de BCAAs possa afetar a resposta de alguns hormônios anabólicos, sugerem a hipótese do valor ergogênico da suplementação com BCAAs, no que diz respeito a uma hipertrofia muscular mais acentuada em resposta ao treinamento de força. A suplementação com BCAAs tem sido utilizada com sucesso por indivíduos em períodos de restrição calórica, como em dietas de definição muscular, por exemplo. Observa-se menor perda de tecido magro quando se suplementa a dieta com esse produto. Uma ótima dica é utilizar BCAAS logo antes da aerobiose em jejum (prática muito comum em bodybuilders de alto nível), visando evitar o catabolismo. Os BCAAs podem ser considerados como um suplemento relativamente seguro, contudo, seu excesso pode inibir a absorção de outros aminoácidos pelo organismo. Além disso, doses excessivas podem causar uma maior retenção líquida levando a um mal estar gastrintestinal. É importante ressaltar que a relação adequada entre os aminoácidos é de: 40% de Leucina; 30% de Isoleucina e 30% de Valina. Carboidratos A suplementação com glicose ou outras formas de carboidratos, antes, durante e após o exercício, pode melhorar o desempenho. Milhares de estudos sobre esse assunto têm sido realizados, desde que os carboidratos foram identificados como a fonte energética mais eficiente, há mais de 70 anos. Dentre os mais usados, podemos citar a maltodextrina, que é um carboidrato complexo de rápida absorção pelo organismo, e a dextrose que é um carboidrato simples de elevado índice glicêmico. O uso desses produtos normalmente é restrito aos horários do treinamento de musculação e/ou aerobiose, mas pode-se complementar alguma refeição com maltodextrina, se necessário. Já a utilização de dextrose antes do treinamento tem causado hipoglicemia, como ação rebote em um número considerável de pessoas, sendo que outras, não apresentam essa reação. A experiência individual é importante nesse caso. Imediatamente após o treinamento, em conjunto com uma solução de proteínas de rápida absorção, o uso de dextrose tem apresentado ótimos resultados, pois ela causa um pico na liberação do hormônio anabólico insulina, otimizando a síntese protéica e ressíntese de glicogênio. Pode-se também acrescentar um pouco de maltodextrina na fórmula. A dosagem de carboidratos recomendada para se atingir um pico na liberação de insulina fica entre 70 e 90 gramas de carboidratos simples, mas isto novamente varia de acordo com o peso corporal e outros fatores individuais. Existem ainda produtos que combinam vários tipos de carboidratos e eletrólitos, tais como sódio, potássio e magnésio. Esses suplementos são indicados para atividades de alta intensidade, porém com uma duração superior à uma hora, sendo que em uma sessão de alta intensidade de musculação, com duração menor do que uma hora não se faz necessária sua utilização, ainda mais em clima ameno. Creatina Este é sem dúvida um dos suplementos alimentares mais estudados pela comunidade científica nos últimos anos. A coitada já foi investigada milhões de vezes. É verdade que muitos desses estudos foram mal formulados e apenas fazem volume nas prateleiras da biblioteca de algumas Universidades. Muito se especula sobre os possíveis efeitos colaterais da suplementação de creatina, principalmente no que se refere à saúde renal. Ocorre que para indivíduos com função renal prejudicada, ela pode oferecer algum risco, mas até o presente momento, constatou-se que os rins sadios são perfeitamente capazes de eliminar o excesso de creatinina (metabólito proveniente da decomposição da creatina) em uma suplementação apropriada, desde que a hidratação diária seja eficiente. Sugere-se ainda que a creatina tenha diversas aplicações terapêuticas, tais como em populações idosas, atrofias musculares, mal de Parkinson, miopatias e algumas doenças cerebrais. Glutamina A glutamina é o aminoácido mais abundante do nosso plasma sangüíneo. É um aminoácido não essencial (produzido pelo próprio organismo), sendo sintetizado por meio da desaminação e transaminação de outros aminoácidos, especialmente os de cadeia ramificada (BCAAs). A glutamina é essencial para o crescimento e diferenciação celular. Está envolvida tanto em funções anabólicas quanto catabólicas em diversos tecidos do corpo, ou seja, nosso organismo é altamente dependente desse aminoácido. Observa-se que com o treinamento intenso e/ou prolongado, os níveis de glutamina plasmática reduzem drasticamente, podendo ficar até 50% menores, aumentando a susceptibilidade a lesões e processos inflamatórios, um pesadelo para quem objetiva ganhos musculares. Além disso, com esse decréscimo na glutamina plasmática, a susceptibilidade a infecções do trato respiratório é muito maior, principalmente em atletas com overtraining, pois o sistema imunológico é altamente dependente desse aminoácido. Tem sido demonstrado que a concentração intramuscular de glutamina é importante para o processo de síntese protéica e de glicogênio, ocasionando uma maior disponibilidade energética para os processos anabólicos. Ocorre um aumento da hidratação celular promovida pela entrada da glutamina na célula, servindo como um estímulo para a síntese e/ou inibição da degradação protéica e do glicogênio muscular, criando as condições ideais para o crescimento muscular. A suplementação com glutamina tem sido utilizada para reduzir o intenso catabolismo muscular. Este ocorre quando elevados níveis de glutamina deixam o músculo, desidratando as células. A suplementação poupa o tecido muscular que seria catabolizado para prover glutamina para outras células do corpo, permitindo assim que o tecido muscular use glutamina para sintetizar tecido muscular novo, resultando em maior hipertrofia. A glutamina também estimula a síntese de hormônio do crescimento, além de reduzir a ação catabólica do hormônio cortisol. Em períodos de restrição calórica, a suplementação com esse aminoácido é muito interessante, porque pode auxiliar na manutenção da massa magra. HMB (hydroxy beta-methylbutyrate) O HMB é um metabólito da leucina, produzido endogenamente em animais, sendo que nosso organismo produz cerca de 0,2 a 0,4g de HMB por dia. O HMB é metabolizado a HMG-CoA, que é utilizado para a síntese de colesterol. Ao contrário do que muitos pensam, o colesterol não é todo um mal, desde que seus níveis encontrem-se dentro dos padrões saudáveis. Esse é um tipo de lipídio fundamental para o bom funcionamento de inúmeras funções orgânicas, tais como: estruturação celular e síntese hormonal. A teoria usada para explicar a ação do HMB é que a célula muscular estressada ou danificada pode não estar apta para produzir HMG-CoA suficientemente para suportar a adequada síntese de colesterol para a função celular, incluindo o próprio funcionamento da membrana celular. Portanto, supõe-se que a suplementação com HMB auxilie no aumento da massa muscular magra. Sugere-se que esses efeitos são alcançados por meio da inibição da degradação do tecido muscular durante o exercício intenso. A dosagem efetiva, normalmente fica entre 3 – 6 gramas por dia. Sugere-se principalmente o uso de HMB para períodos específicos, tais como em dietas hipocalóricas. O suplemento pode reduzir o catabolismo, minimizando a perda de tecido magro. Mulheres tendem a apresentar um ótimo resultado com este suplemento. Mix Protéicos Essa classe de suplementos combina vários tipos de proteínas com diferentes tempos de absorção pelo organismo, garantindo uma adequação na ingestão protéica na dieta, com baixos teores de gordura e colesterol. Estes produtos são ideais para serem consumidos em horários nos quais é necessária uma ingestão de proteínas, mas, por falta de tempo ou disponibilidade, não é possível efetuar uma refeição sólida. O maior problema envolvendo os alimentos ricos em proteínas de alto valor biológico é a dificuldade de transporte e armazenamento. Não é nada fácil ficar carregando claras de ovos, frango e peixes para cima e para baixo! Já os alimentos fonte de carboidratos não necessitam de cuidados específicos no armazenamento, sendo mais fáceis de serem transportados. Uma dica nesses casos é utilizar frutas, aveia, barra de cereais ou batata-doce, como fonte de carboidratos e complementar o teor de proteínas da refeição com o mix protéico. Óxido Nítrico (NO2) Esse é o suplemento da moda. Há vários anos, a promessa eram os “massas três milhões” e, poucos anos atrás, a promessa era a creatina. No entanto, a suplementação com arginina, componente ativo do NO2, já é conhecida há muito tempo. Na década de 80, comercializava-se esse aminoácido com a promessa de estimular a liberação de hormônio do crescimento no organismo. Porém, a arginina, que é um aminoácido classificado como condicionalmente essencial, era comercializada anteriormente em sua forma simples. Atualmente, utiliza-se a arginina-alpha-keto-glutarato, pois essa combinação possui uma biodisponibilidade muito maior do que a versão original. O principal motivo do uso do NO2 é estimular a liberação de uma substância conhecida como óxido nítrico pelo organismo. O óxido nítrico estimula a vasodilatação, proporcionando uma maior absorção de nutrientes, devido ao aumento no fluxo sangüíneo. Observa-se ainda um significativo ganho de força em alguns indivíduos quando se administra o NO2. Portanto, esse suplemento pode ser interessante tanto nos períodos de ganho de massa magra quanto nos períodos em que se objetiva definição muscular. Refeições Líquidas Considero essa classe de suplementos como uma das mais importantes nos dias atuais. Esses produtos proporcionam rapidez e praticidade na hora de se realizar uma refeição. Poucos são aqueles privilegiados que têm ao seu lado uma super-mãe ou uma super-namorada para preparar todas as várias refeições nutritivas a serem realizadas durante o dia. E ainda, hoje, mais do que nunca, a carga horária despendida com o trabalho, impossibilita a maioria de nós a realizar várias refeições bem elaboradas. Além desses fatores, convenhamos que algumas dessas refeições possuem sabor agradável e, devido a grande variedade de produtos existentes no mercado, podemos utilizar a refeição líquida adequada para cada indivíduo no horário que for necessário. Vitaminas e Sais Minerais As vitaminas possuem várias funções no corpo humano, influenciando um grande número de processos fisiológicos importantes para o exercício e para a performance. Por exemplo, muitas vitaminas do complexo B estão envolvidas no metabolismo energético, uma importante consideração durante o exercício. Algumas das vitaminas do complexo B também são fundamentais para a formação da hemoglobina, proteína fundamental para manter uma performance adequada. Já os sais minerais são essenciais para vários processos orgânicos, tais como: contração muscular, equilíbrio ácido-básico sangüíneo, condução de impulsos nervosos, transporte de oxigênio, fosforilação oxidativa, ativação enzimática, função imunológica, ação antioxidante e saúde óssea. Toda a população poderia obter as quantidades necessárias de vitaminas e sais minerais apenas por meio da dieta, porém, infelizmente, não são todos os que conseguem manter uma ótima ingestão de legumes, verduras e frutas. E ainda, no caso de atletas ou indivíduos fisicamente ativos, a suplementação com alguns desses micronutrientes pode ser necessária em alguns períodos específicos. Estudos ainda demonstram que o trabalho muscular intenso gera maiores quantidades de radicais livres de oxigênio, os quais, se não forem devidamente neutralizados, podem iniciar um processo deletério nas células e tecidos, chamado estresse oxidativo. Este pode levar à destruição de lipídios, proteínas e ácidos nucléicos, causando diminuição da performance física, fadiga muscular, estresse muscular e overtraining. Para prevenir o estresse oxidativo, o organismo apresenta um grande número de antioxidantes enzimáticos e não enzimáticos, que previnem a formação de espécies ativas de oxigênio ou até mesmo as elimina. Radicais livres são moléculas que possuem um ou mais elétrons desemparelhados em seu orbital mais externo. Essa peculiaridade química forma a base de sua toxicidade. A formação de radicais livres é absolutamente normal em indivíduos sadios, pois é inerente ao próprio consumo de oxigênio, que aproveita o potencial destrutivo dessas espécies reativas para proteger-se contra bactérias e outros microorganismos. No entanto, quando a produção de radicais livres supera os mecanismos antioxidantes, ocorre o estresse oxidativo. Antioxidantes são substâncias capazes, mesmo em concentrações relativamente baixas, de retardar ou inibir a oxidação do substrato. Podem agir bloqueando a formação de radicais livres ou interagindo com eles, tornando-os inativos. Podem também ser definidos como qualquer substância capaz de doar elétrons para o radical livre, tornando-o um composto eletricamente estável. A administração de antioxidantes, como as vitaminas C e E, podem reduzir a lesão oxidativa causada pelo exercício. Como já foi descrito, o exercício intenso aumenta o consumo de vários antioxidantes. Conseqüentemente, a suplementação dietética de antioxidantes específicos é desejável e benéfica aos atletas e indivíduos com atividade física intensa. Whey Protein Este é sem dúvida um dos suplementos mais utilizados em todo o Brasil. Raramente entramos em uma academia sem nos depararmos com indivíduos chacoalhando seus potes com whey protein após uma sessão de treinamento. A whey protein, além de auxiliar no processo de recuperação muscular, é considerada a proteína de melhor absorção a ser utilizada após o treinamento, período conhecido por promover um maior aproveitamento de nutrientes. Acontece que muitos acabam usando a whey protein em vão. Observamos, por exemplo, que indivíduos a utilizam em vários horários do dia. Só que esse tipo de proteína possui uma rápida absorção, ou seja, seus aminoácidos permanecem por períodos pequenos no plasma sangüíneo. Por isso, aconselha-se basicamente o uso de whey protein imediatamente antes e após o treinamento, ou pela manhã (horários em que nosso organismo necessita de proteínas rapidamente; e nos demais horários, usar proteínas com uma absorção mais gradual, como um mix de proteínas. Vale ressaltar que o uso da whey protein logo após o treinamento deve preferencialmente ser acompanhado de carboidratos, evitando com isso a utilização da proteína como fonte de energia. E os queimadores de gordura? Temos hoje vários tipos de produtos que prometem “fritar” gorduras no mercado, dentre eles podemos mencionar: CLA; a L-carnitina; produtos a base de cafeína; quitosana; garcinia; faseolamina; picolinato de cromo; chá verde; chá branco, etc. Realmente, todos eles apresentam um pequeno auxílio na utilização da gordura corporal como fonte energética, mas posso garantir que ainda não existe nada melhor para queimar gordura corporal do que uma dieta bem formulada associada a musculação e a correta aerobiose. Portanto, não crie muitas expectativas quanto a estes produtos! Vale ressaltar que eles podem realmente auxiliar o processo, mas somente se acompanhados de uma dieta e treinamento adequados. Não esperem milagres!
  17. 2 points
    O que é jejum intermitente Jejum caracteriza-se como um estado em que o nosso corpo, após ficarmos um período sem nos alimentarmos, utiliza mais substratos energéticos próprio organismo do que os provenientes da dieta. Nosso organismo passa a utilizar a gordura estocada no tecido adiposo, além disso, o corpo passa a usar como energia a glicose produzida no fígado, e a utilizar de forma mais intensa o glicogênio muscular e hepático. A estratégia do jejum intermitente envolve a restrição total ou parcial do consumo de energia, ela acontece em intervalos de tempos pré-estabelecidos. Muitas são as formas de se planejar um jejum intermitente. Ele pode ser praticado todos os dias, dia sim/dia não, a cada 3 dias, 1 vez por semana etc. Pode durar 12 horas, 16 horas e 24 horas. Em relação à frequência, os protocolos mais comuns envolvem o jejum intermitente diário ou a cada 2 dias, intercalando dia sim/dia não. Segundo vários estudos relacionados ao jejum (estudos encontram-se nas referências), podemos concluir vários benefícios do jejum intermitente associado à saúde: Redução peso e gordura corporal; Redução nos níveis de insulina; Manutenção na taxa de metabolismo de repouso; Controle dos níveis de LDLc e triglicerídeos; Manutenção nos níveis de HDLc; Aumento no tamanho das partículas de LDL; Um exemplo muito comum, na prática, é o jejum intermitente diário de 12 horas. Nele, o indivíduo realiza a última refeição do dia anterior, dorme por aproximadamente 8 horas e, depois, fica mais 4 horas sem se alimentar pelo período da manhã. Esse é um protocolo bastante utilizado porque já aproveita as 8 horas de sono e também porque muitas pessoas não sentem fome pela manhã. Nos estudos que avaliam o efeito do jejum intermitente, o mais comum é o jejum alternado em dia sim/dia não. No dia de jejum, ocorre a ingestão de até 25% das necessidades energéticas diárias durante um período de 24h. No dia seguinte, sem jejum, o consumo alimentar é irrestrito. Jejum intermitente associado a exercícios aeróbicos Alguns dados da literatura científica sugerem que a realização de exercícios num contexto de dieta cetogênica pode gerar adaptações benéficas no desempenho, especialmente em atividades aeróbias. O jejum intermitente, desde que adequado ao planejamento de treinamento, à ingestão adequada de calorias e nutrientes, ao descanso, à hidratação, parece não afetar a performance em atletas e praticantes de atividade física . A ingestão de uma dieta cetogênica (reduzida em carboidratos) leva o organismo a um estado fisiológico semelhante ao do jejum (redução na concentração sanguínea de insulina e aumento na utilização de gorduras e corpos cetônicos como fonte de energia). É possível que o exercício realizado em jejum possa trazer adaptações metabólicas semelhantes, que favoreçam o desempenho em atividades aeróbias de longa duração. Vale ressaltar que tais adaptações, caso ocorram, certamente serão dependentes da correta adequação do indivíduo ao seu treinamento e ao plano alimentar, pois ambos poderão levar à utilização mais eficiente tanto de carboidratos como de gorduras para a produção de energia durante o exercício; nesse caso, tanto a ingestão de calorias, como a composição da dieta, seriam fundamentais no processo. Porém seriam necessários mais estudos para uma análise mais completa. Jejum intermitente associado à perda de massa magra Estudos mostram que enquanto você estiver exercitando os seus músculos, você não os perderá mantendo curtos períodos de jejum. Bodybuilders e atletas de fitness naturais ao se prepararem para campeonatos, constantemente se mantêm em dietas de até 16 semanas com baixa caloria, enquanto mantêm toda a sua massa muscular. Nos estudos podemos constatar que aproximadamente todos revelam que não há diferença significativa entre a massa magra inicial e a massa magra final dos participantes que permaneceram em jejum. E quando ocorre uma redução na massa magra, essa diminuição é mínima, sendo inclusive inferior à perda de massa magra apresentada em praticamente qualquer outro tipo convencional de estratégia para perda de peso. Podemos concluir algumas hipóteses para essa perda negativa de massa muscular: Manutenção de glicogênio muscular no jejum intermitente; Pela expressão muscular de genes, tais como a GSK-3 - Responsável pela regulação das vias de síntese de glicogênio = reposição de glicogênio; Aumento do GH; Jejum intermitente sub-regula mTOR; Expressão de carnitina aciltransferase 1 (CPT-1). Considerações importantes Os estudos avaliam a massa magra como um todo, e não diretamente apenas a massa muscular. Estudos comparando Jejum Intermitente com restrição calórica contínua em indivíduos mais magros com exercício de força e uma ingestão "ótima" de proteína são praticamente inexistentes. Perda de massa magra: especialmente em pessoas com baixa reserva de gordura e baixa massa muscular sem treino de força; O jejum, pode facilmente levar a uma considerável redução nos níveis de glicogênio e, consequentemente, de água, então boa parte da perda de massa magra observada nesses estudos pode ser devido à perda de água, e não necessariamente a uma redução da massa muscular propriamente dita. Conclusão Jejum intermitente é uma estratégia nutricional válida. Porém, é uma dentre várias. Não é todo mundo se adapta á ela, por exemplo, se você não tem o hábito de tomar café de manhã e só começa a se alimentar na hora do almoço, é uma boa estratégia para você! Você não vai catabolizar se ficar algumas horas sem comer. Faça o que funciona para você, e se você acha que treino em jejum se qualifica, então encare. Treinar em jejum não é uma obrigação. Mas não se esqueça de que o jejum intermitente precisa ser muito bem planejado. Você deve adequar a dieta ao dia como um todo, e evitar fazê-lo por conta própria, procurando sempre um nutricionista atualizado para te auxiliar. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Varady KA, et al. Short-term modified alternate-day fasting: a novel dietary strategy for weight loss and cardioprotection in obese adults. Am J Clin Nutr. 2009;90(5):1138-43. Rothschild J, Hoddy KK, Jambazian P, Varady KA. Time-restricted feeding and risk of metabolic disease: a review of human and animal studies. Nutr Rev. 2014;72(5):308-18. Klempel MC, et al. Intermittent fasting combined with calorie restriction is effective for weight loss and cardio-protection in obese women. Nutr J. 2012;11:98. Klempel MC, et al. Alternate day fasting increases LDL particle size independently of dietary fat content in obese humans. Eur J Clin Nutr. 2013;67(7):783-5. Heilbronn LK, et al. Alternate-day fasting in nonobese subjects: effects on body weight, body composition, and energy metabolism. Am J Clin Nutr. 2005;81(1):69-73. LeCheminant JD, Christenson E, Bailey BW, Tucker LA. Restricting night-time eating reduces daily energy intake in healthy young men: a short-term cross-over study. Br J Nutr. 2013 Dec;110(11):2108-13. Heilbronn LK, et al. Glucose tolerance and skeletal muscle gene expression in response to alternate day fasting. Obes Res. 2005;13(3):574-81. Harvie MN, et al. The effects of intermittent or continuous energy restriction on weight loss and metabolic disease risk markers: a randomized trial in young overweight women. Int J Obes (Lond). 2011;35(5):714-27. Harvie MN, et al. The effect of intermittent energy and carbohydrate restriction v. daily energy restriction on weight loss and metabolic disease risk markers in overweight women. Br J Nutr. 2013;110(8):1534-47. Varady KA, et al. Alternate day fasting for weight loss in normal weight and overweight subjects: a randomized controlled trial. Nutr J. 2013;12(1):146.
  18. 2 points
    Não é novidade para ninguém que o valor dos produtos comercializados no Brasil normalmente é muito maior do que nos Estados Unidos. Não é diferente com suplementos alimentares. Alguns suplementos chegam a custar quase cinco vezes mais aqui no Brasil. Por isso, muitos brasileiros têm se utilizado das compras via internet para economizar um dinheirinho com suplementos alimentares, fazendo importação direta dos produtos. Um dos sites mais acessados pelos Brasileiros é o Health Designs (link com referral code e desconto de 5 dólares para primeira compra). Esse site tem uma peculiaridade que chama muito a atenção para nós, brasileiros. De acordo com a nossa legislação, produtos no valor de até 50 doláres enviados do exterior por pessoa física para residentes no Brasil estão isentos de imposto de importação. Portanto, qualquer produto enviado por um site ou por uma loja (pessoa jurídica) deve ser tributado em 60% (alíquota do imposto de importação). O que ocorre é que a tributação se dá por amostragem, e algumas pessoas que importam suplementos de lojas acabam se valendo da sorte e não são tributadas. O site Health Designs quer aumentar ainda mais a sua sorte. Para fugir da tributação, esse site promete enviar o seu pedido falseando o valor das compras. Ao invés de declarar o valor integral dos produtos, o site promete declarar somente metade do valor. Por exemplo, se você comprar 100 dólares em suplementos, na caixa aparecerá apenas 50 dólares em produtos. Além de prometer declarar valor menor na caixa, o site também promete indicar como conteúdo da caixa produto de uso pessoal relacionado a saúde e beleza, e não suplemento alimentar. Se a declaração fosse de suplemento alimentar, a caixa poderia ser encaminhada à ANVISA para avaliação de permissão de entrada do produto e solicitação de prescrição de profissional da saúde (médico ou nutricionista). Resolvemos fazer um teste para confirmar essa promessa. Compramos o suplemento alimentar Cher-Amino Protein Liquid da Twinlab. O produto custou 19,19 dólares. O frete foi de 14,26 dólares. O valor total da compra foi de 33,45 dólares. A compra foi realizada em 10/10/2012. Em 14/11/2012, pouco mais de um mês depois da data da compra, o produto foi entregue no endereço que indicamos. A caixa não parou na ANVISA e não houve tributação pela Receita Federal. Eis as nossas principais constatações sobre o modo como o produto foi enviado: a caixa é discreta, não ostenta qualquer símbolo da loja de suplementos alimentares que pudesse chamar a atenção dos fiscais alfandegários; o remetente é uma pessoa física (Mark Schneider), sem qualquer referência à loja Health Designs; o valor do produto (19,19 dólares) foi declarado como sendo 9,60 dólares, metade do valor real, assim como prometido no site; o conteúdo da caixa foi declarado como sendo suplementos alimentares para uso pessoal (Nutritional Supplements for Personal Use), não correspondendo à promessa do site de que haveria declaração de produto de uso pessoal relacionado a saúde e beleza (Health and Beaty - Personal Use). Como se vê, as promessas da Health Designs foram parcialmente cumpridas no caso de nossa compra de avaliação. Houve descumprimento apenas no que tange à declaração de conteúdo da caixa, o que poderia ter implicado em sua retenção pela ANVISA e exigência de prescrição de profissional da saúde. De qualquer modo, fica claro que a Health Designs se empenha para tentar agradar aos brasileiros, tornando mais fácil o acesso aos suplementos, diminuindo os riscos de tributação e retenção pela ANVISA. Talvez a conduta adotada pela Health Designs possa não ser muito bem vista pelas autoridades locais, e tem cara de "jeitinho brasileiro". Mas pela ótica do consumidor brasileiro de suplementos, parece ser só alegria, sendo uma alternativa para se fugir dos preços extorsivos que são praticados no Brasil quando se trata de suplementos alimentares. Quem ainda não experimentou importar suplementos alimentares dos EUA pela internet pode se valer de um cupom de desconto de 5 dólares que é oferecido pela Health Designs para compradores de primeira viagem. Saiba mais no tópico Atualização A Health Designs mudou a sua política de remessa de encomendas para o Brasil. Pelo que verificamos, a empresa passou a declarar na embalagem o valor integral e correto das mercadorias enviadas. Somente o valor do frete não está sendo declarado. Portanto, a chance de a encomenda ser tributada no Brasil é muito grande. Para tentar escapar da voracidade do fisco (60% de imposto de importação), procure realizar pedidos com valor total inferior a 50 dólares. Eis a nova política da HD: What will the customs label look like and can you mark my package as a gift or adjust the value please? HealthDesigns currently declares the subtotal value of your order. That is, the value of the products only. We do not include the shipping cost in your declared value. All goods are listed as "Other" or "Merchandise" based on the shipping carrier. We cannot change or alter your declared value for any reason due to international customs laws we abide by. Resumido em Português: A Health Designs declara na embalagem o valor total do pedido, excluído o valor do frete. Os produtos são declarados como "outros" ou como "merchandise". Não são aceitos pedidos de declaração de outra forma por qualquer motivo.
  19. 2 points
    Há mais de cinco anos nós publicamos uma matéria sobre a importação de suplementos pelo site Health Designs que revelou o jeito por ele adotado para que os brasileiros tivessem acesso mais barato a suplementos alimentares importados dos EUA (Health Designs: importação de suplementos com jeitinho brasileiro). Todavia, a conduta adotada era questionável e o site mudou a sua política de envio, deixando de lado o "jeitinho" (remetia como pessoa física e declarava valor a menor na caixa). Como resultado, os suplementos enviados pela Health Designs passaram a ser tributados, assim como os suplementos adquiridos em outras lojas dos EUA. O Brasil adota como base de cálculo do imposto de importação de 60% (sessenta por cento) a soma do "valor efetivo do produto pago nos EUA" e do valor do "serviço de frete" (como se o consumidor final fosse um revendedor). Essa distorção tributária muitas vezes torna a importação desvantajosa, uma vez que há a incidência de imposto de importação sobre o serviço de frete. Com o serviço prestado pela Shipito, os brasileiros podem ter acesso a um processo de importação legítimo, sem "jeitinhos", e que pode ser interessante para a importação de suplementos alimentares dos EUA, principalmente suplementos mais leves, tais como pré-treinos, multivitamínicos e suplementos em cápsulas em geral. Essa forma de importação é muito simples. Basta que você se cadastre no site Shipito para obter um endereço nos EUA. Com esse endereço, você pode comprar suplementos em qualquer loja dos EUA (iHerb, Health Designs, Bodybuilding.com, Amazon, etc.) e encaminhá-los para seu endereço no Shipito norte-americano. Assim que os produtos cheguem no Shipito, você pode reencaminhá-los para seu endereço no Brasil. As vantagens proporcionais pelo Shipito na importação de suplementos ou de outros produtos são diversas: a obtenção de um endereço na Shipito é gratuita; o site tem versão em português; não há cobrança de mensalidade; pelo envio de cada caixa são cobrados apenas US$ 2,00 e o valor do frete escolhido; a declaração aduaneira é preenchida pelo próprio usuário (recomenda-se que o usuário faça a declaração legítima dos valores, mas não há controle da Shipito sobre a declaração, que é de responsabilidade exclusiva do declarante); o remetente do item é o próprio usuário, pessoa física, enquadrando-se a importação na regra de isenção para pessoa física até US$ 50,00 (§ 2º, do art. 1º, da Portaria MF nº 156, de 24 de junho de 1999). Compras feitas pelos sites iHerb, Health Designs, Bodybuilding.com e Amazon com remessa direta para o Brasil não se enquadram na regra de isenção (porque o remetente é a loja, pessoa jurídica); um endereço nos EUA viabiliza a compra em sites que não enviam produtos para o Brasil. Existem várias opções de frete para envio ao Brasil (DHL, USPS Express Mail, FedEx Priority, Airmail Economy, USPS Priority Mail, FedEx Economy e USPS First Class International Parcel). Os valores cobrados pelo frete não são baratos, portanto, antes de importar, o usuário deve simular o valor do frete para verificar se vale a pena importar pela Shipito ou comprar diretamente no Brasil. O site Shipito oferece uma "calculadora de envio" para que o usuário possa simular o valor do frete antes de realizar a compra nos EUA, avaliando se vale a pena a importação do produto desejado. Para aqueles que desconfiam da autenticidade dos produtos vendidos no Brasil, a importação de grandes sites dos EUA sempre é a melhor opção. Também é interessante acompanhar o preço dos produtos nas lojas dos EUA e aproveitar as "promoções de verdade" que lá são feitas, geralmente com descontos que podem chegar a mais de 50% (cinquenta por cento). Fizemos duas importações de suplementos para testar o funcionamento do Shipito e o comportamento da alfândega brasileira quanto à remessa do pacote tendo como origem o endereço do usuário, pessoa física, no Shipito, e tendo como destinatário o endereço da mesma pessoa no Brasil. As duas experiências foram bem sucedidas, com a entrega correta dos produtos, sem a cobrança de tributos de importação. A seguir, descreveremos cada uma delas. Compra #1 Compra #2 Produtos: 2x (Nano Vapor X5 - US$ 20,00) Isopure Low Carb - US$ 42,49, 3x (Cake Bites US$ 1,99), Opti-Man 90 Tablets - US$ 6,51 Valor total da compra: US$ 40,00 US$ 52,98 (com desconto extra de 10%) Valor do frete nos EUA: US$ 4,49 grátis Declaração aduaneira: US$ 40,00 US$ 49,00 Valor do frete para o Brasil: US$ 22,80 (Airmail Economy) US$ 64,31 (USPS Priority Mail) Tempo para entrega: aproximadamente 2 (dois) meses aproximadamente 1 (um) mês Fica claro que a compra de produtos leves e pequenos é bem vantajosa. Por outro lado, a compra de produtos mais pesados e maiores, tais como potes de Whey, nem sempre se mostra interessante, na medida em que o valor do frete fica muito elevado. Ressalva seja feita às compras com preços promocionais. Lembre-se sempre de simular o valor do frente antes de fazer suas compras. A resposta mais importante para a pergunta "como comprar suplementos alimentares dos EUA pela Shipito sem pagar imposto de importação?" é: atente-se para o valor da declaração aduaneira, o qual não pode superar US$ 50,00. Caso você tenha se interessado pela importação de suplementos alimentares dos EUA pela Shipito, abaixo fornecemos links de rápido acesso para cadastro na Shipito e para compras de suplementos nos EUA: Cadastre-se grátis na Shipito Após obter o seu endereço grátis nos EUA, compre seus suplementos e os encaminhe para a Shipito. Sugerimos a iHerb e sua página de suplementos com desconto especial, além de um desconto extra de 5% (dica: você pode escolher o português como língua no iHerb): Comprar suplementos na iHerb com 5% de desconto Compartilhe as suas experiências de compra nos comentários desta matéria, queremos saber se o sistema realmente será respeitado no Brasil.
  20. 2 points
    Muito se tem falado sobre os suplementos termogênicos, sejam eles a base de cafeína, guaraná, chá verde e algumas outras substâncias mais que ajudam no processo de aceleração do metabolismo, de perda de gordura. O que alguns não sabem, é que existem diversos alimentos que podem ser usados como coadjuvantes da dieta e atividade física na busca pela redução de gordura corporal. Os alimentos termogênicos são aqueles que apresentam um maior nível de dificuldade em ser digeridos pelo organismo, fazendo com que esse consuma maior quantidade de energia e caloria para realizar a digestão. Todos os alimentos gastam energia para serem digeridos, ou seja, têm a capacidade de aumentar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo, aumentando a queima de gordura, porém existem alguns que se destacam mais, uma vez que induzem o metabolismo a trabalhar com ritmo acelerado, gastando consequentemente mais calorias, sendo estes classificados como termogênicos. Vale ressaltar que o consumo desses alimentos não deve ser feito no período noturno para não prejudicar o sono. E para alguns indivíduos como, por exemplo, cardiopatas, com hipertensão arterial, pessoas muito ansiosas, com insônia, com gastrite e alguns outros casos, esses alimentos não são recomendados, devendo ser evitados ao máximo. Quem possui algum problema na tireoide também deve evitá-los. Além disso, o exagero no consumo desses alimentos pode levar ao surgimento de sintomas como dor de cabeça, tontura, insônia e problemas gastrointestinais. Estudos vêm sendo feitos para comprovar a eficácia de alguns alimentos em auxiliar na redução de peso e gordura pelo seu poder termogênico. Os que mais se destacam nesses estudos são: o chá verde, a pimenta vermelha, o café, o gengibre, o guaraná. Alguns outros também são descritos em artigos científicos como termogênicos por essa capacidade de aumentar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo auxiliando na queima de gordura: chá branco, mostarda, vinagre de maçã, couve, brócolis, gordura de coco, linhaça e algumas gorduras vegetais. Para um bom resultado de perda de gordura, é imprescindível aliar o consumo dos alimentos termogênicos a um plano alimentar equilibrado - de preferência com acompanhamento de um profissional qualificado - com um cardápio pobre em gorduras saturadas e equilibrado, assim como ter um hábito de prática frequente de atividade física. É por tudo isso que já foi dito que com certeza surgirão novos artigos científicos em torno dos alimentos termogênicos para nos elucidar a cada dia mais sobre esse assunto. Exemplos de receitas para acelerar seu metabolismo: Salada Verde com Molho de Mostarda e Peito de Frango Sopa de Abóbora com Gengibre e Linhaça Suco Verde de Couve e Abacaxi
  21. 2 points
    

O amaranto é conhecido em vários países há muito tempo, porém, aqui no Brasil não faz muito tempo que começamos a escutar falar sobre esse grão altamente nutricional! As pesquisas realizadas com o amaranto começaram por volta de 1996 e a partir daí começou o seu cultivo no Brasil.

 O grão é rico em proteína, possui aproximadamente 15% de proteínas com alto teor biológico (aquelas com todos os aminoácidos essenciais que o corpo não produz e por isso temos que ingerir). 

É fonte de cálcio biodisponível (isto é, que tem melhor absorção no organismo), o que não acontece com outros tipos de vegetais. Além de ser fonte de fibras, zinco, fósforo e outros nutrientes. 

O alto teor de fibras presentes contribui para o bom funcionamento do intestino, além do controle de glicose, colesterol e de dar mais saciedade, o que ajuda no controle de peso.

 Não contém glúten, sendo uma excelente opção para os celíacos (pessoas com intolerância ao glúten) ou pessoas com alergia ao glúten. Também é boa opção para vegetarianos, por ser rico em proteína. Por ser nutritiva e rica em proteínas é excelente escolha para que pratica atividade física! Quase não tem gosto, o que é muito bom, pois a farinha pode ser usada em várias misturas sem comprometer o sabor das preparações.

 Atualmente encontra-se para vender em lojas de produtos naturais e em alguns mercados. É comercializado em flocos naturais, semelhante aos flocos da aveia, pode ser consumido com frutas e iogurtes, como ingrediente para preparação de pães, bolos, doces, sopas, vitaminas ou até mesmo no seu shake pré ou pós treino. Exemplos de receitas com amaranto: Shake Nutritivo com Whey e Amaranto Hambúrguer Caseiro de Patinho Delícia de Iogurte com Frutas Vermelhas e Amaranto 
Inclua esse grão no seu cardápio. Use sua criatividade e experimente!
  22. 2 points
    Já há tempos imemoriáveis, é constante a busca por um corpo mais desenvolvido com baixas concentrações de gordura e massa muscular desenvolvida. Isso é natural do ser humano já que desde os primórdios as raças caçadoras eram as mais fortes e as que dominavam os territórios por onde passavam. A mídia atual nos bombardeia com modelos super saradas e homens musculosos dando o principal enfoque em ganhar mais músculos e perder gordura. Ok, até ai tudo bem, na década de 90 tornaram-se populares os famosos shakes pré e pós-treino com proteínas de rápida absorção e carboidratos de alto índice glicêmico para assim atuarem em sinergia tornando-se um potente anti-catabólico e altamente anabólico recurso natural. Nesta época foram publicados vários estudos mostrando a famosa “janela de oportunidades” no período pós-treino onde uma solução com carboidratos de alto índice glicêmico e proteínas e aminoácidos seria superior a qualquer forma de nutriente ingerido de maneira isolada. Assim se tornou praticamente uma regra, fazer uso de whey + malto ou dextrose pós-treino, principalmente depois de evidenciado isso em vídeos com famosos treinadores, como é o caso do professor Waldemar Guimarães e seu mítico vídeo de treinamento com o Olympia contender da época Tommi Thorvildsen. Passados os anos, as novidades vieram e o Waxy maize starch (WMS) tomou o mercado sendo considerado o melhor carboidrato para ser utilizado nos períodos pré, intra e pós-treino. Mas, o que é na verdade o waxy maize? A maltodextrina é um carboidrato de alto índice glicêmico à base do amido do milho e o waxy maize é carboidrato com baixo índice glicêmico à base do amido ceroso (tradução de waxy starch), este último sendo extraído de um tipo específico (amilopectina) de amido vegetal que é produzido a partir do grão do milho (cerca de 70-80%). O grão de amido é feito basicamente de amilose, amilopectina e polímeros de glicose. A argumentação embora não provada cientificamente deste carboidrato é de que ele tem a capacidade de absorver nutrientes de maior dificuldade em assimilação como é o caso da beta alanina e arginina através da parede intestinal dentre outros diferenciais, além de não causar inchaço por não conter açúcares e nem glúten em sua fórmula. Outro fato interessante atribuído a este carboidrato é que ele supostamente tem o poder pelo fato de ter forte afinidade higroscópica de drenar água do tecido subcutâneo para dentro do volume muscular, característica muito parecida com a da creatina e é comumente usado em dietas pré-contest por atletas de fisiculturismo. Existe a argumentação de que o carboidrato de alto i.g. bloqueia a queima de gordura, fato comprovado por diversos estudos salvo apenas o horário de pós-treino. O waxymaize tem se mostrado positivo com relação a este fator tendo em vista que sua mais lenta ou gradual digestibilidade não bloqueia a queima de gordura e o mesmo além de auxiliar na drenagem de aminoácidos importantes ainda promove geração de energia constante, o que não acontece com a maltodextrina ou dextrose. Este é um ponto a ser fortemente argumentado pelos defensores deste carboidrato. O waxy maize tem sido popularmente usado por culturistas em períodos INTRA-TREINO juntamente com aminoácidos como beta alanina, glutamina, creatina, citrulina, arginina dentre outros com o objetivo de melhora da performance. Temos utilizado com sucesso esta metodologia em nossas preparações. CONCLUSÃO O waxy maize é um carboidrato que tem se demonstrado promissor. Infelizmente ainda temos poucos estudos falando sobre ele e sua aplicabilidade em esportes. Irão existir teses que irão argumentar fatores positivos e negativos, o que faz parte do processo. Atletas de culturismo tem usado com sucesso na prática esse recurso juntamente com aminoácidos otimizadores de performance. Resta agora a ciência comprovar o porque dos porquês e como esses fatores acontecem em nosso organismo. Esperamos ter contribuído de forma competente com nossos leitores da revista. Caso hajam mais dúvidas sobre este ou outro suplemento estaremos a disposição.
  23. 2 points
    INTRODUÇÃO A Jovem adolescente ao chegar a sua primeira menarca escuta de sua mãe: Filha, não podes mais brincar com os meninos, sair correndo de saia e nem subir em árvores, há, e tem mais, enquanto estiver assim nada de manga com leite, limão e etc. Cresce então a mulher com diversos tabus culturais sobre o período menstrual, a grande maioria, nada tem haver com o que cientificamente tem-se demonstrado sobre esse lindo período feminino. Como já dizia o poeta Pernambucano Valdo Tenório: “ A menstruação é um choro desesperado de um ovário abandonado. Menstruação é sinal de saúde!! E não ao contrário!!! O preconceito em relação à participação da mulher em atividades esportivas remonta à Grécia Antiga, quando ela era proibida até mesmo de assistir aos Jogos Olímpicos. Durante muito tempo ela foi poupada da prática de esportes pela crença de que o exercício poderia ser prejudicial à sua saúde. Posteriormente, foi permitido o seu ingresso em algumas modalidades de exercícios leves, que não trouxessem “risco” de complicações a um grupo que ainda era considerado frágil e provavelmente não resistiria a esforços mais intensos. Apenas em 1972 as mulheres foram admitidas a participar de competições oficiais de maratonas e outros eventos de mais longa duração, LEITÃO ET.al.1 O objetivo desse artigo é elucidar algumas questões do paradigma sobre treinamento de força e período menstrual. REVISÃO O ciclo menstrual (CM) consiste de muitas alterações que ocorrem no útero, vagina, ovários, mamas e na secreção de hormônios gonadotrópicos pela adeno-hipófise. A duração de um ciclo regular é em média de 28 dias. Ele pode ser mais longo de até 45 dias, ou curto, de apenas 20 dias.2,3 A duração do ciclo varia de uma mulher para outra e até numa mesma mulher. O CM é dividido em 3 fases distintas: fase menstrual, fase proliferativa ou folicular e fase lútea ou secretória. Outros autores, Vander et al.3, consideram apenas a fase folicular e lútea, inserindo a fase ovulatória como uma etapa tardia dentro da fase proliferativa. A fase menstrual inicia-se no 1º dia da menstruação até o 5º dia. Caracteriza-se por uma redução súbita nos níveis de progesterona e estrógeno. A fase proliferativa dura do 6º até o 13º dia após a menstruação. Nesta fase aumenta a secreção de estrógeno até o seu nível mais elevado. Seguindo a fase proliferativa nas mulheres que apresentam um ciclo sexual normal de 28 dias; ocorre a ovulação no 14º dia2,3. Segundo Guyton et al.2, aproximadamente dois dias antes da ovulação, por motivos ainda não inteiramente esclarecidos, a secreção de LH pela hipófise anterior aumenta acentuadamente elevando-se entre seis e 10 vezes, atingindo seu nível máximo cerca de 16 horas antes da ovulação. Em seguida, vem a fase lútea ou secretória que vai do 15º ao 28º dia após a menstruação. É quando são secretadas grandes quantidades de progesterona e estrógeno, mas principalmente progesterona2,3. Nos últimos dias do CM, o corpo lúteo degenera-se e os níveis progesterona e estrógeno caem, provocando o início do fluxo menstrual e um novo ciclo se repete.3 Há muito que o treino de força vem conquistando grande número de mulheres, sendo importante componente do programa para promoção da aptidão física e saúde. Existem diversos protocolos de treinamento de força para melhorar diferentes aspectos do sistema neuromuscular4; entretanto, a maioria destes métodos se originou da observação empírica, sem comprovação científica.5 A diferença entre esses protocolos de treinamento é a forma como as variáveis agudas (intensidade, o volume, o período de descanso entre as séries e a ordem dos exercícios) são dispostas 5,6. Apesar de muita controvérsia sobre a superioridade de um método sobre o outro, os estudos que avaliaram a eficiência e as adaptações provocadas por estes sistemas de treinamento a longo prazo são escassos.7 Estudos de Dias, Simão e Novaes8 evidenciaram não haver diferença em relação a força nas diferentes fase do ciclo menstrual em testes de força de 10 RM. Estudos de Simão ET.al.9 concluiu que o desempenho no exercício LP aumentou nas fases intermediárias (2ª e 3ª) em relação à primeira fase. Na quarta fase, por outro lado, a carga mobilizada tendeu a diminuir. Assim, pelo menos na amostra estudada, pode-se sugerir a influência do CM sobre a capacidade de produzir força em membros inferiores. Já para membros superiores, praticamente não houve alterações de carga em nenhuma das fases avaliadas. Chaves, Simão e Araújo10 estudou a flexibilidade e sua relação com o ciclo menstrual em 15 mulheres e o estudo concluiu que as alterações das capacidades físicas apresentadas durante as diferentes fases do CM estão sujeitas a considerável variação individual. Algumas mulheres não apresentam nenhuma alteração perceptível na sua capacidade de desempenho em qualquer período do seu CM, enquanto outras, no entanto, exibem desempenhos variáveis ao longo do ciclo. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nenhum estudo evidenciado nesse artigo apontou aspectos negativos sobre o treinamento nas diferentes fases do ciclo menstrual, desta forma, podemos dizer para as meninas: Podem treinar a vontade!! REFERÊNCIAS 1. LEITÃO,Marcelo Bichels, LAZZOLI,José Kawazoe ,OLIVEIRA, Marcos Aurélio Brazão de , NÓBREGA, Antonio Claudio Lucas da, SILVEIRA,Geraldo Gomes da, CARVALHO,Tales de ,FERNANDES, Eney Oliveira, LEITE, Neiva ,AYUB, Alice Volpe,MICHELS, Glaycon, DRUMMOND, Félix Albuquerque; MAGNI, João Ricardo Turrai, MACEDO, Clayton;DE ROSE, Eduardo Henrique. Posicionamento Oficial da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte: Atividade Física e Saúde na Mulher. Rev Bras Med Esporte _ Vol. 6, Nº 6 – Nov/Dez, 2000. 2. Guyton AC, Hall JE. Fisiologia humana e mecanismo das doenças. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999. 3. Vander A, Sherman J, Luciano D. Human physiology. The Mechanisms of body function. 8 th ed.New York: Mc Graw-Hill, 2001. 4. Smilios I, Pilianidis T, Karamouzis M, Tokmakidis S. Hormonal responses after various resistance exercise protocols. Med Sci Sports Exerc 2003;35:644-54. 5. Fleck SJ, Kraemer WJ. Resistance training systems. In: Fleck SJ, Kraemer WJ,editors. Designing resistance training programs. 2nd ed. Champaing: Human Kinetics,1997;117-32. 6. Kraemer WJ. A series of studies: the physiological basis for strength training inAmerican football: fact over philosophy. J Strength Cond Res 1997;11:131-42. 7. Marx JO, Ratamess NA, Nindl BC, Gotshalk LA, Volek JS, Dohi K, et al. Low volume circuit versus high volume periodized resistance training in women. Med Sci Sports Exerc 2001;33:635-43. 8. Simão, R.; Maior, A. S.; Nunes, A. P. L.; Monteiro, L.; Chaves , C. P. G. Variações naForça Muscular de Membros Superior e Inferior nas Diferentes Fases do Ciclo Menstrual. R.bras. Ci e Mov. 2007; 15(3): 47-52. 9. Simão, R.; Maior, A. S.; Nunes, A. P. L.; Monteiro, L.; Chaves , C. P. G. Variações na Força Muscular de Membros Superior e Inferior nas Diferentes Fases do Ciclo Menstrual. R. bras. Ci e Mov. 2007; 15(3): 47-52. 10. CHAVES, Christianne Pereira Giesbrecht ,SIMÃO, Roberto;ARAÚJO, Claudio Gil Soares de. Ausência de variação da flexibilidade durante o ciclo menstrual em universitárias. Rev Bras Med Esporte _ Vol. 8, Nº 6 – Nov/Dez, 2002
  24. 2 points
    Quando o assunto é queima de gordura, esta é sem dúvida, uma das perguntas mais freqüentes entre os praticantes de atividade física. Para alguns, a atividade aeróbia em jejum pode ser a melhor maneira de perder peso; para outros, uma atividade extremamente prejudicial. Entre estas duas vertentes, há ainda um terceiro grupo: o daqueles que se encontram em cima do muro, sem saber ao certo se a prática de fato funciona ou não. Esse é um assunto tão pertinente, que sempre gera polêmica e controvérsia quanto é abordado. Neste artigo, tentaremos abordar a questão da forma mais imparcial e, principalmente, científica possível. Antes de tudo, precisamos esclarecer alguns pontos para estabelecermos nossa discussão, a saber: 1) Em que estado fisiológico e nutricional se encontra o indivíduo em questão? 2) Qual a intensidade adotada neste tipo de atividade? 3) Deve haver um condicionamento prévio para a prática? Vamos tentar elucidar estas questões através da compreensão da nossa capacidade bioenergética. Comecemos pela idéia de que para realizar trabalho, é preciso energia. Esta fonte de energia pode ser proveniente de três grandes fontes: Carboidratos, Proteínas e Lipídeos. Note que estas fontes de energia são utilizadas de acordo com o status metabólico do indivíduo: Repouso ou atividade, oferta ou privação de nutrientes, presença de treinamento prévio (condicionamento) ou não etc. Sabemos que durante o repouso, a maior fonte de energia para suprir as atividades vitais advém da oxidação das gorduras (cerca de 66% da contribuição energética), enquanto os carboidratos desempenham um papel secundário (cerca de 33%) e as proteínas ficam em último lugar, representando apenas 1% do valor total. Observe que esta divisão percentual indica uma pessoa saudável e bem-nutrida. Alguns fatores podem mudar drasticamente estes números (intensidade do exercício, stress, disfunções hormonais, estados de carência nutricional, estados patológicos, utilização de ergogênicos, etc.) LIMIAR DE LACTATO E LIMIAR ANAERÓBIO Quando iniciamos qualquer atividade, automaticamente esta solicitação se altera e passamos a utilizar preferencialmente carboidratos em vez de gorduras. No nosso organismo, estes carboidratos encontram-se estocados no glicogênio contido no fígado e nos músculos. De acordo com a intensidade, esta contribuição glicolítica tende a ser maior ou menor, sendo diretamente proporcional a demanda. Em outras palavras, todos os substratos continuam a fornecer energia, porém quanto maior a intensidade e solicitação imediata de substrato energético durante o exercício, maior a contribuição do metabolismo dos carboidratos. O que isso quer dizer? Ora, sendo a solicitação imediata e intensa, serão recrutadas as fontes de energia mais prontamente disponíveis. Estas fontes são o sistema ATP-CP e glicólise anaeróbia. Tais fontes são limitadas e levam o organismo rapidamente a fadiga, porém ainda assim não trabalham única e exclusivamente, sendo assistidas em menor grau percentual pelos demais sistemas bioenergéticos. A diferença é que elas passam a ser a fonte prioritária de energia, produzindo grande acidez que não consegue ser compensada pelo metabolismo aeróbio. Para determinar estes pontos, foram criadas duas zonas que distinguem a predominância dos metabolismos anaeróbio e aeróbio. A essas zonas de esforço damos o nome de limiar de lactato (ou limiar 1) e limiar anaeróbio (ou limiar 2). No primeiro, há um aumento da participação do sistema anaeróbio, porém não tão significativo a ponto de comprometer o sistema aeróbio. O segundo limiar (limiar anaeróbio) ocorre quando a contribuição de energia passa a ser predominante do sistema anaeróbio, e há um aumento expressivo da produção de lactato. A faixa que compreende estes 2 pontos denomina-se Faixa de Compensação Ventilatória. Significa dizer que além do limiar anaeróbio, a produção de lactato (proveniente do predomínio do metabolismo anaeróbio) não pode ser mais compensada, gerando assim, grande acidez metabólica e, consequentemente, fadiga. Note que quanto mais treinado o individuo, mais distantes estarão estes limiares, e por conseguinte, será maior a predominância aeróbia durante a atividade. Deve-se então, ajustar a intensidade do exercício, para que não ultrapassemos estes limiares, especialmente o limiar anaeróbio, onde a oxidação das gorduras é mínima. Como modular esta intensidade? Uma das melhores maneiras de fazer isto é controlar os batimentos cardíacos. Verificar a freqüência durante o exercício é uma das formas mais fáceis de controlar a intensidade. Freqüências acima de 75% a 80% da máxima não são ideais para o metabolismo aeróbio. A faixa ideal seria algo em torno de 65% a 75% da Fc máx. Observe no gráfico abaixo a diminuição da utilização de gorduras a medida que se aumenta a intensidade do exercício. AUMENTO DO VO² MAX. E DOS LIMIARES Porém, de uma forma ou de outra, mesmo assim os carboidratos ainda serão a maior fonte de energia nos momentos iniciais do exercício aeróbio, pois eles também são oxidados neste tipo de metabolismo (a molécula de glicose é a única a ser utilizada desde o citoplasma até a cadeia transportadora de elétrons) o que leva alguns a confundirem metabolismo oxidativo com oxidação dos lipídios - Muito cuidado! Depois de um certo tempo de duração, é que a contribuição das gorduras passará a ser predominante. Esta variação de tempo tende a ser maior para destreinados, o que reforça a melhor utilização de gorduras pelos indivíduos treinados. Desta forma, percebe-se a importância do condicionamento prévio para otimizar a oxidação dos ácidos graxos no exercício aeróbio. Uma das formas de melhorar este condicionamento seria iniciar sua preparação com inclusão de aeróbios realizados em outro período do dia, e não em jejum! Note que a intenção é promover uma melhora na capacidade ventilatória e assim tornar mais eficiente o sistema oxidativo. Esta é a razão de toda essa explicação prévia. Você deve se CONDICIONAR para otimizar a utilização da gordura como fonte de energia. AMINOÁCIDOS E OFERTA DE ENERGIA Aminoácidos também podem ser utilizados como fonte energética para atender a demanda do treinamento aeróbio, mas sua participação está intimamente relacionada com o estado nutricional do individuo, bem como seu balanço nitrogenado (índice que indica perda de uréia como sinal da quebra de aminoácidos). Durante o jejum prolongado, ocorre um processo no tecido muscular denominado transaminação, onde os aminoácidos são convertidos em um outro aminoácido específico, a alanina. Esta, por sua vez, migra através da corrente sanguínea até o fígado, onde sofrerá um processo chamado desaminação. Após esta reação, o que sobrará de sua cadeia carbonada será convertido em glicose para reestabeler a glicemia ou simplesmente para atender a necessidade energética da musculatura específica, enquanto o resto é excretado na forma de uréia. Excreção de uréia, como mencionado acima, pode ser indicativo de CATABOLISMO muscular. Este processo pode atender até 15% da necessidade de energia. Alguns autores sugerem que sejam suplementados aminoácidos antes da atividade aeróbia em jejum, especificamente os BCAAs, notadamente por sua facilidade em fornecer energia por sua contribuição tanto glicogênica quanto cetogênica. RESTRIÇÕES DE CARBOIDRATO E QUEIMA DE GORDURA Estudos demonstram que dietas com restrições de carboidrato podem contribuir para um aumento da utilização de lipídeos como fonte energética, através do incremento da secreção de hormônios lipolíticos como glucagon, cortisol, adrenalina e GH. Este quadro é influenciado pela diminuição da secreção de insulina, favorecendo a ação da lipase sensível a hormônio (responsável pela quebra do triglicerídeo). Entretanto, esta restrição não deve ser tão severa a ponto de se cortar COMPLETAMENTE os carboidratos da dieta. Caso isto aconteça, haverá produção deficiente de oxaloacetato (desencadeador do ciclo de Krebs) e poderá haver formação de intermediários do ciclo através de aminoácidos e cetoácidos, gerando mais uma vez catabolismo. Neste caso, seria interessante atentar a restrições programadas de carboidratos e oscilações nas ofertas, no intuito de se evitar um slowdown metabólico. CONCLUSÕES FINAIS Afinal, o exercício aeróbio em jejum é ou não uma maneira eficaz de queimar gorduras? Embora alguns autores ainda relutem quanto a eficácia desta pratica, uns advogam que é um poderoso recurso para acelerar a lipólise. Ao que tudo indica, pode sim, ser um aliado poderoso na luta contra as gorduras. Entretanto, devemos atentar para as questões abordadas no decorrer deste artigo e observar as variáveis que podem contribuir para esta estratégia ser realmente produtiva. LEMBRE-SE: não levante num belo dia e comece a fazer aeróbios em jejum porque ouviu fulano comentar na academia ou porque leu na revista que determinado atleta se beneficiou deste recurso. É necessária toda uma programação quanto ao treinamento e ao plano alimentar e uma completa adaptação metabólica para que a coisa possa realmente funcionar. Portanto, pesquise bastante… e na dúvida, pesquise mais ainda! BONS TREINOS E ATÉ A PRÓXIMA!!! Referências: Achten J, Gleeson M, Jeukendrup A. Determination of the exercise intensity that elicits maximal fat oxidation. Med Sci Sports Exerc 2002; 34:92-97. Achten J, Jeukendrup AE. Maximal fat oxidation during exercise in trained men. In J Sports Med 2003; 24:603-608. Auer¸ R. N. Progress review: hypoglycemic brain damage. Stroke¸ v. 17¸ n. 4¸ p. 699-708¸ 1986. Bennard P, Doucet E. - Acute effects of exercise timing and breakfast meal glycemic index on exercise-induced fat oxidation.Appl Physiol Nutr Metab. 2006 Oct; 31(5):502-11. Bock¸ K.; Richter¸ E. A.; Russel¸ A. P. et al. Exercise in the fasted state facilitates fibre type specific intramyocellular lipid breakdown and stimulates glycogen resynthesis in humans. J Physiol¸ v. 564¸ n. 2¸ p. 649-660¸ 2005. Curi¸ R.; Lagranha¸ C. J.; Procopio¸ J. Ciclo de Krebs como fator limitante na utilização de ácidos graxos durante o exercício aeróbico. Arq Bras Endocrinol Metab¸ v.47¸ n.2¸ p. 135-143¸ 2003. De Courten-Myers¸ G.; Hwang¸ J. H.; Dunn¸ R. S.; Mills¸ A. S.; Holland¸ S. K.; Wagner¸ K. R.; Myers¸ R.E. Hypoglycemic brain injury: potentiation from respiratory depression and injury aggravation from hyperglycemic treatment overshoots. J Cereb Blood Flow Metab¸ v. 20¸ n. 1¸ p. 82-92¸ 2000. Klein, S., E.F. Coyle, and R.R. Wolfe (1994). Fat metabolism during low-intensity exercise in endurance-trained and untrained men. Am. J. Physiol. 267 (Endocrinol. Metab. 30): E934-E940. Montain, S.J., M.K. Hopper, A.R. Coggan, and E.F. Coyle (1991). Exercise metabolism at different time intervals after a meal. J. Appl. Physiol. 70(2):822-888. Pacy¸ P. J.; Barton¸ N.; Webster¸ J.; Garrow¸ J. S. The energy cost of aerobic exercise in fed and fasted normal subjects. The American Journal of Clinical Nutrition¸ p. 764-768¸ 1985. Phinney, S.D., Bistrian, W.J. Evans, E. Gervino, and G.L. Blackburn (1983).The human metabolic response to chronic ketosis without caloric restriction: preservation of submaximal exercise capability with reduced carbohydrate oxidation. Metabolism 32:769-776. Romijn, J.A., E.F. Coyle, L.S. Sidossis, A. Gastaldelli, J.F. Horowitz, E. Endert, and R.R. Wolfe (1993). Regulation of endogenous fat and carbohydrate metabolism in relation to exercise intensity and duration. Am. J. Physiol. 265 (Endocrinol. Metab. 28): E380-E391. Wahrenberg H, Lönnqvist F, Hellmér J, Arner P. Importance of beta-adrenoceptor function in fat cells for lipid mobilization.Eur J Clin Invest. 1992 Jun;22(6):412-9.
  25. 2 points
    Todo mundo já ouviu o termo “sono da beleza”, mas isso não é só um mito? Podemos mesmo parecer mais bonitos se dormirmos mais? Parece mentira, mais sim! Dormir bem e por mais horas pode fazer com que as pessoas fiquem mais em forma e pareçam mais jovens. Um estudo que durou 7 anos com 7.022 pessoas de meia-idade encontrou que as pessoas que alegaram problemas com sono (sono muito leve, horas insuficientes, insônia, etc.) tinham mais problemas com peso e com a pele do que as que dormiam melhor. Quando você dorme menos você irá… 1- Queimar menos gordura: Sono insuficiente ou interrompido irá fazer com que você queime menos gordura enquanto repousa e durante o dia também; 2- Comer mais frequentemente: Pesquisas da American Heart Association mostram que pessoas que dormem de 4-6 horas comem 329kcal a mais do que aquelas que dormem 8-9 horas. Pessoas que dormem pouco, terão mais horas para comer e também tendem a ficar beliscando à noite/de madrugada; 3- Ter mais desejos alimentares: Sono insuficiente aumenta os níveis do hormônio grelina (que aumenta o apetite). A consequência da compulsão alimentar é a ingestão de alimentos não-saudáveis aumentando os riscos de ganho de gordura e sem benefícios à pele, unhas e cabelos. Para ter boas e longas noites de sono, confira algumas dicas: pratique exercícios diariamente pra que o corpo se canse, crie um ambiente para o sono (quarto escuro, silencioso, limpo), desligue músicas, computador e TV, tenha uma rotina (dormir e acordar nos mesmos horários), etc. Bons sonhos!
  26. 2 points
    “O Senhor é meu Pastor e não me faltará”. “Ainda que eu passe pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque Tu estás comigo, a tua vara e o teu cajado me consolam”. (SL 23.1,4). Estou dando inicio a essa matéria usando um texto da Bíblia Sagrada, um salmo onde Davi que foi um rei em Israel, reconhece e expressa seu sentimento, sua incapacidade, sua fragilidade diante da morte. Eu que sempre fui tão alto-suficiente, tão independente, tão alto-confiante, estribado em minhas conquistas e vitorias e sucesso profissional, mas de uma hora para outra, vi meu castelinho de areia indo por água abaixo. E a maior certeza que temos nessa vida é que mais cedo ou mais tarde vamos nos deparar com esta realidade, em algum momento de nossa caminhada, estaremos cara a cara com a morte! Você está preparado para isso? Estou hoje com 46 anos de idade, desses 46 anos eu dediquei 30 ao esporte. Acumulei ao meu curriculum mais de 180 titulos. Muita coisa foi escrita ou falada sobre mim, mas é a primeira oportunidade que tenho, onde de próprio punho posso relatar minha historia. Faz 10 anos que Deus me livrou da morte, e eu entende que tenho como missão, contar meu testemunho e alertar a todos , sobre os riscos e perigos, ao se fazer uso de anabolizantes. Meu diagnostico medico “ Hepatocarcinoma (muticêntrico e/ou com metástases)”,” vesícula biliar hidrópica com barro biliar”, “nefropatia crônica” nos rins. Os médicos me deram pouca expectativa de vida, me lembro que a sugestão foi que eu fosse aos E.U.A. tentar fazer um transplante de fígado lá, pois se entrasse na fila aqui no Brasil não resistiria, não havia mais tempo, e nem nada que eles pudessem fazer por mim. E mesmo que eu fizesse o transplante de fígado, ainda assim teria que fazer hemodiálise o resto de minha vida, pois meus rins não funcionavam mais. Foi bem difícil para mim ter que ouvir tudo isso, estava diante do vale da sombra da morte, totalmente desacreditado pelos médicos. Nessa época do ano de 1998 estava me preparando para o campeonato mundial que aconteceria na Turquia no mês de novembro. Era final de setembro estava já a dois meses fazendo dieta e me preparando, e fazendo uso dos anabolizantes, sei que muitos tem curiosidade para saber o que eu estava tomando, eu estava tomando: Testosterona aquosa 100 mg, Stanazolol 100 mg, oxandrolona 100 mg, 12 U.I. de G.H., eu tinha um contrato de patrocínio, onde uma das clausulas era estar sempre em forma para campanhas fotográficas e apresentações ao publico, eu mantinha a forma praticamente o ano inteiro, mas isso nunca foi sacrifício para mim, pois sempre gostei de fazer minhas dietas, ainda hoje tenho hábitos alimentares saudáveis e é muito difícil sair fora das minhas dietas, cabeça de fisiculturista acho que nunca muda. No começo do mês seguinte, fui ministrar um curso em Recife, e acabei passando muito mal, era na época em que havia um surto de rota- vírus, foi quando atraves de exames, os médicos detectaram todos esses problemas. Me lembro que quando recebi a noticia fiquei meio chocado, mas aos poucos fui entendendo que Deus tinha um plano em tudo isso. Eu me converti a Jesus Cristo no ano de 1992, quando morei nos E.U.A., e quando estava atravessando o meu vale de sombra da morte, eu sentia muita paz e confiança Nele. Acho que ninguém esta, nem nunca vai estar preparado para morte, mas eu aprendi que Jesus foi o único que venceu a morte. Respeito todas as religiões, mas eu não acredito em nenhuma delas, porque no tumulo de seus fundadores você encontra seus restos mortais, mas no tumulo de Jesus lá em Jerusalem, tem uma placa escrito Ele não esta aqui, Ele ressuscitou, seu tumulo esta vazio!, só Ele poderia me dar essa vitória. Fiz uma oração, onde pedi a Ele perdão pelos meus erros, e pedi a Ele que me deixasse vivo, pois não queria morrer! Em 15 dias eu tive uma melhora incrível, os médicos não sabiam explicar o que estava acontecendo comigo, todo aquele quadro trágico de morte se reverteu! Jesus o meu Pastor me carregou no colo e atravessou o vale da sombra da morte comigo! E agora? O que vou fazer com essa nova vida?, pois me sentia como se tivesse nascido de novo! Primeira atitude,” vou tornar meu problema publico, para que não aconteça com ninguém o que aconteceu comigo”. Eu nem imaginava a repercussão que daria quando fiz a primeira matéria para a revista veja em novembro de 1998. Segunda atitude, “Não posso ficar de braços cruzados e não fazer nada com relação a experiência sobrenatural que tive com Deus”. Comecei a estudar e me preparar através de seminários e estudos relacionados a teologia, Deus tem uma obra e uma missão para mim, não só na área do esporte, mas eu quero fazer algo pela minha geração, e pela nova geração que esta se levantando, pois com 46 anos vi com meus olhos a maioria de meus amigos serem enterrados, vitimas de acidentes de transito, over-dose de drogas, AIDS, etc. Sete anos de minha vida fui pastor da igreja bola de neve, mas faltava algo. Hoje estou com um ministério o nome é ZION, onde eu e muitos outros Cristão, profissionais da área de esporte estamos ensinando aos jovens o esporte saudável e a palavra de Deus, combinação perfeita, pois somos corpo e espírito, não adianta cuidar do corpo e não cuidar do espírito, quando o seu vazio existencial é preenchido com a palavra de Deus, você não quer nem saber de drogas! Antes de ser pastor eu fiz mais um pedido a Deus, competir mais uma vez, seria a ultima, pois eu queria escrever minha historia, não como um homem que encerrou sua carreira porque teve uma doença e não poderia mais competir, mas como um homem que abandonou sua carreira no esporte por gratidão a Deus, por Ele ter restaurado a minha saúde e me dado uma nova vida, e essa nova vida iria dedicar a Ele e a sua obra. Em 2002 eu venci o Campeonato Brasileiro, e pela ultima vez estava pisando em um palco para competir, dali em diante eu piso em palcos para anunciar a Palavra de Deus, o seu amor, a sua bondade e que Ele verdadeiramente faz você atravessar o vale da sombra da morte, faz você deitar em verdes pastos e te guia mansamente as águas tranqüilas. Continuo praticando esporte, amando o esporte, sou casado e tenho uma grande família, sou muito feliz e grato pela vida que Deus me deu.
  27. 1 point
    O stanozolol, também conhecido como winstrol, e um esteróide que pode ser encontrado tanto na versão injetável quanto oral. Esta droga é uma das mais difundidas entre os praticantes de musculação (3), existindo alguns mitos sobre ela, como o que Stanozolol “seca”. Na verdade esta droga possui características pouco androgênicas (características masculinas) e moderadamente anabólicas (crescimento muscular). Algumas mulheres utilizam esta droga por esta possuir características pouco androgênicas, porém uma pequena virilização pode ser vistas em algumas mulheres (1). Assim como nas outras drogas, sua eficiência depende da afinidade da droga com seus receptores. Em todo caso, talvez seja este o motivo pelo qual esta droga é tão controvérsia pelos praticantes de musculação, tendo alguns encontrados bons resultados com seu uso enquanto outros não. O stanozolol é utilizado principalmente com a finalidade de aumento de massa muscular com um menor risco de retenção hídrica, sendo daí que vem o mito de que esta droga seca. Na verdade, ela pode ser mais bem aproveitada no período de definição, pois ela não vai reter tanta água, diferentemente de algumas drogas com efeitos mais androgênicos e que possuem características mais androgênicas (1). Vale ressaltar que esta droga é considerada doping para atletas. Um dos casos mais conhecidos de dopping esportivo da história foi o do corredor canadense Ben Johnson, medalha de ouro nos 100m rasos nas Olimpíadas de Seul, em 1988, cujo exame detectou a presença dos metabólitos do anabolizante stanozolol (2). Outra característica negativa do stanozolol é sua falsificação, sendo de longe esta uma das drogas mais falsificadas do mercado. Esta droga tem como características um aumento do apetite e do peso corporal com notável recuperação das condições gerais ao melhorar a utilização das proteínas pelo organismo, aumentando a síntese de proteínas. É utilizada como tratamento para estados de depreciação física, debilidades de diversas origens, anorexia rebelde, convalescência, doenças crônicas e debilitantes, entre outras. A dosagem utilizada geralmente para homens variam de 16 a 30 mg/dia na forma oral e de 150mg a 350mg por semana divididas na forma injetável, enquanto que para mulheres, a administração é dosada entre 4mg a 8mg por dia na forma oral e de 50mg a 100mg por semana em tomadas divididas na forma injetável. Alguns atletas aplicam o Stanozolol injetável nos músculos mais deficientes, numa tentativa de aumentar o volume dos mesmos, porém não existem comprovações científicas para o mesmo (1). Alguns dos efeitos colaterais que podem ser encontradas com o uso desta droga é acne, ginecomastia, hipertensão, agressividade, queda na libido após o uso de esteróides, queda de cabelo, aumento excessivo de pelos no corpo, entre outros efeitos colaterais (4). Referências 1 - Peres, RAN. ; Guimarães Neto, WM. Guerra metabólica manual de sobrevivência. 2° edição. Midiograf. Londrina, 2005. 2 - ILVA, Paulo Rodrigo Pedroso da ; CZEPIELEWSKI, M. A. . O Uso de Esteróides Anabolizantes no Esporte. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Rio de Janeiro, v. 8, n. 6, p. 235-243, 2002. 3 - SILVA, Paulo Rodrigo Pedroso da MACHADO JR, Leonel Carrillo ; FIGUEIREDO, Vandré C ; CIOFFI, Alex P ; PRESTES, Marcius C ; CZEPIELEWSKI, M. A. Prevalência do uso de esteróides anabólicos em praticantes de musculação de Porto Alegre. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 51, p. 104-110, 2007. 4 - BARQUILHA, G. Uma analise da incidência de efeitos colaterais em usuários de anabolizantes da cidade de Bauru. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 03, p. 146-153, 2009. Matéria de Gustavo Barquilha Joel e Luis Gustavo da Silva Rodrigues sobre o winstrol. Nota importante: Ola amigos, A intenção desta coluna não é estimular ninguém a utilizar qualquer tipo de substância ilícita, muito pelo contrário, o objetivo é demonstrar os vários efeitos colaterais que elas trazem com seu uso. Tentamos também na coluna associar as informações cientificas disponíveis na literatura com as informações praticas de atletas e/ou praticantes de musculação do mundo underground das academias.
  28. 1 point
    O mercado de suplementos alimentares tem sido agraciado por uma série de novas marcas, o que é muito bom para os consumidores, que ganham uma gama enorme de opções para escolha. Uma das novidades nem tão recentes do mercado, mas que tem se consolidado, é a presença de marcas de baixo custo, tais como a Grownth Supplements e a NewNutrition. São marcas que se valem das facilidades proporcionadas pela internet para vender seus suplementos diretamente ao consumidor, sem o custo adicional de remuneração de lojistas ou intermediários. Isso proporciona a essas marcas a possibilidade de oferecer suplementos a preços mais atrativos. Experimentamos a Whey Protein Hidrolisada da NewNutrition. De acordo com o fabricante, em termos de qualidade, o produto não fica devendo nada para os produtos mais famosos do mercado, tais como a VP2 da AST Sports Science e a Hydro Whey da Optimum Nutrition. A matéria-prima seria a mesma: whey isolada e hidrolisada da Glanbia.As diferenças entre os produtos mais famosos do mercado e o produto da NewNutrition se resumem, basicamente, à adição do sabor. A seguir, quadro comparativo da composição de cada um dos produtos: Whey Protein Hidrolisada NewNutriton VP2 AST Sports Science Hydro Whey Optimum Nutrition Composição: Proteína isolada e hidrolisada do soro do leite, isomaltulose, aromatizantes, corantes naturais: beterraba e carmin, goma xantana, edulcorantes: artificial sucralose e natural taumatina (sabor morango). Mistura de proteína isolada do soro do leite e de proteína isolada e hidrolisada do soro do leite, frações de peptídio de whey isolada, sabores naturais e artificiais, lecitina de soja, acesultame de potássio, sucralose (sabor cookies 'n cream). Proteína isolada e hidrolisada do soro do leite, BCAAs micronizados, cacau, goma de celulose, sucralose, acesultame de potássio, mistura de enzimas (sabor chocolate mint). Imagem da composição: Solicitamos laudo de análise de composição da whey hidrolisada, todavia, a NewNutrition nos informou que não dispunha desse laudo para a versão hidrolisada de sua whey, somente para as versões concentrada e isolada (Laboratório Labtec). Análise da versão proteína do soro do leite concentrada: Análise da versão isolada da proteína do soro do leite: A NewNutrition alegou que os valores despendidos com a realização anual das análises dos suplementos estavam muito elevados, o que motivou a descontinuidade dos testes, a fim de não acarretar o aumento dos preços. Considerados os testes que demonstram a legitimidade das versões concentrada e isolada, é de se acreditar que a "melhor versão" da whey, que é a hidrolisada, também esteja dentro dos parâmetros indicados no rótulo. Quanto aos valores dos produtos, verifica-se, na data em que redigida esta matéria, que o preço da NewNutrition é mais barato do que os preços das concorrentes internacionais. A seguir, apresentamos uma tabela comparativa para compras realizadas no Brasil: Whey Protein Hidrolisada NewNutriton VP2 AST Sports Science Hydro Whey Optimum Nutrition Preço de 900g (calculado proporcionalmente): R$ 179,00 (R$ 0,198 por grama) R$ 299,90 (R$ 0,334 por grama) R$ 215,94 (R$ 0,239 por grama) Imagem dos preços (na data da publicação desta matéria): É curioso notar que a whey protein da AST é composta por um blend ou mistura entre whey isolada e whey isolada e hidrolisada, isto é, teoricamente com uma composição mais pobre que a whey da NewNutrition e da Hydro Whey (que são compostas apenas com whey isolada e hidrolisada), mas, mesmo assim, é a mais cara das três. Também é interessante observar que para compras realizadas nos EUA, por intermédio da Shipito (a fim de se evitar o enorme custo de imposto de importação), o preço da whey hidrolisada da NewNutrition é extremamente competitivo, o que pode desencorajar importações, conforme a tabela abaixo, que indica o custo completo das compras nos EUA pela iHerb e no Brasil pela Netshoes, com o frete: Whey Protein Hidrolisada NewNutriton VP2 AST Sports Science Hydro Whey Optimum Nutrition Preço final: R$ 179,00 (whey) + R$ 29,00 (frete) = R$ 208,00 (R$ 0,231 por grama) US$ 45,49 (whey) + US$ 2,00 (Shipito) + US$ 24,90 (frete) = US$ 72,39 valor convertido (câmbio a R$ 3,261): R$ 236,06 (R$ 0,245 por grama) US$ 63,60 (whey) + US$ 2,00 (Shipito) + US$ 36,39 (frete) = US$ 101,99 valor convertido (câmbio a R$ 3,261): R$ 332,58 (R$ 0,209 por grama) Imagem dos preços (na data da publicação desta matéria): Conforme as informações da tabela acima, verifica-se que o valor da Hydro Whey caiu muito nos últimos anos, tornando o produto extremamente competitivo. Seu preço é aparentemente muito maior por conter quase o dobro de whey com relação aos concorrentes, todavia, seu valor por grama é o mais barato. Uma observação deve ser feita quanto à tabela. A Hydro Whey custa mais de US$ 50,00, que é o valor limite para a isenção de imposto de importação concedida a pessoas físicas. E, como deixamos claro na matéria sobre o uso da Shipito, é possível que o usuário declare valor a menor do que os US$ 62,60, todavia isso não é recomendado, por ser ilegal. Saiba mais em: Caso a ideia seja importar a Hydro Whey pela Shipito, o ideal é acompanhar promoções especiais de venda do produto a preços até o limite de isenção de imposto de importação. De qualquer modo, o valor da whey isolada e hidrolisada da NewNutrition (por grama) é muito próximo do valor da Hydro Whey da ON (considerada a isenção hipotética de imposto de importação), o que torna pouco vantajosa a importação pelo critério preço, restando o critério subjetivo de preferência por um determinado produto. As informações nutricionais da whey hidrolisada da NewNutrition também seguem os padrões das melhores whey desse segmento: Whey Protein Hidrolisada NewNutriton VP2 AST Sports Science Hydro Whey Optimum Nutrition Informação nutricional (base de 34 gramas): Calorias: 121 kcal Carboidratos: 3,6g Proteínas: 26g Gorduras: 0g Sódio: 153mg Cálcio: 165mg Potássio: XXX Magnésio: 30mg Calorias: 132,62 kcal Carboidratos: 3,61g Proteínas: 27,73g Gorduras: 0,6g Sódio: 72,34mg Cálcio: 120,56mg Potássio: 156,73g Magnésio: XXX Calorias: 124,39 kcal Carboidratos: 3,31g Proteínas: 24,87g Gorduras: 0,82g Sódio: 149,26mg Cálcio: 107,80mg Potássio: 240,48g Magnésio: XXX Imagem da composição: Quanto ao sabor, experimentamos a whey hidrolisada de limão. O gosto de limão é bem acentuado, e só devem apreciar o produto aquelas pessoas que realmente gostam do sabor dessa fruta. Até a presente data, esta whey também estava disponível no sabor morango. No que tange à embalagem, também para proporcionar a redução de custos e de valores cobrados do consumidor, a NewNutriton embala a whey em saquinho do tipo refil, e não naquele pote tradicional de whey, com tampa de rosquear. Nem sempre é fácil ou confiável armazenar a whey nesse tipo de saquinho. Por isso, é interessante que você tenha um pote tradicional e lavado de outra whey já consumida para armazenar o produto. Em conclusão, pode-se afirmar que a whey hidrolisada de baixo custo da NewNutrition é uma excelente alternativa aos produtos mais tradicionais do mercado, por um preço muito mais acessível (para compras no Brasil), e com preço competitivo para importações pela Shipito. Portanto, caso você deseje comprar o melhor tipo de whey disponível no mercado (que é a whey isolada e hidrolisada), as melhores opções são a whey de baixo custo da NewNutrition ou a importação da Hydro Whey dos EUA pela Shipito. Oferecemos links para compra rápida dos produtos avaliados nesta matéria, de acordo com as imagens que demonstraram as informações publicadas. Para compras no Brasil: Comprar a Whey Protein Hidrolisada da NewNutrition Comprar a Hydro Whey da ON Para compras nos EUA e importação sem imposto pela Shipito: Cadastrar-se grátis na Shipito Comprar a Hydro Whey da ON Comprar a VP2 da AST Sports Science
  29. 1 point
    A proteína é um nutriente vital para os seres vivos, pois consiste em uma macromolécula presente em todas as células de organismos vivos. Como os carboidratos e as gorduras, as proteínas contêm átomos de carbono, hidrogênio e oxigênio, diferindo-se pela presença, principalmente, de nitrogênio (16% da molécula), juntamente com enxofre, fósforo e ferro. As proteínas são formadas por combinações dos vinte aminoácidos em diversas proporções e cumprem funções estruturais, reguladoras, de defesa e de transporte nos fluídos biológicos. Os aminoácidos livres estão em equilíbrio dinâmico na célula e nos fluidos biológicos, o qual é dependente do anabolismo e do catabolismo orgânico, sendo esse processo denominado turnover proteico. Os principais tecidos responsáveis por esse equilíbrio são o muscular e visceral, sendo estas últimas responsáveis pela síntese de proteínas sanguíneas fundamentais na homeostase celular. As melhores fontes proteicas são de origem animal, no entanto, a ingestão de misturas de cereais e leguminosas nos fornecem também as quantidades de aminoácidos necessárias para a síntese proteica. As proteínas ocupam uma posição chave na reparação e na formação de tecido muscular depois do exercício. Ao levantar um peso, os músculos são forçados a se alongar quando prefeririam se contrair. Essa ação causa minúsculas rupturas nas fibras musculares, que são a razão da dor muscular sentida 1 ou 2 dias após o exercício intenso. Em resposta, o organismo faz as fibras musculares aumentarem de tamanho e as fortalece para protegê-las de rompimentos futuros. O material de construção para esse processo provém principalmente da proteína alimentar, desmembrada em aminoácidos durante a digestão. Como explicado anteriormente, os aminoácidos entram na corrente sanguínea e são transportados para as células musculares para serem sintetizados em proteínas. Há dois tipos principais de proteína muscular: actina e miosina. No desenvolvimento muscular, ocorre o aumento quantitativo de actina e miosina, e este processo faz com que as fibras musculares aumentem em diâmetro e força e se contraiam com mais vigor. A digestão das proteínas começa no estômago, com a enzima pepsina secretada no suco gástrico, seguida pela ação das enzimas proteolíticas provenientes do pâncreas e da mucosa do intestino delgado. Essas enzimas não são secretadas na forma ativa, mas como proenzimas ou zimogêneos; posteriormente, pela ação de outros compostos, são ativadas pela perda de uma hidrólise parcial. Assim, por exemplo, ácido clorídrico do estômago desnatura as proteínas e transforma o pepsinogênio em pepsina. Essa enzima começa a clivagem das proteínas dos alimentos, principalmente das ligações envolvendo os aminoácidos aromáticos e a leucina. As proenzimas pancreáticas são ativadas pela enteroquinase do suco intestinal, que transforma o tripsinogênio em tripsina por meio do processo de hidrólise, o qual é continuado por uma ativação em cascata das outras proenzimas pancreáticas pela ação da tripsina. A secreção de enzimas proteolíticas parece ser regulada pela presença de proteína da dieta no intestino delgado. Os eventos que ocorrem no intestino durante a digestão de proteínas estão bem estabelecidos. As enzimas do suco pancreático mostram uma grande especificidade, especialmente nas ligações adjacentes à lisina ou à arginina (tripsina) ou nos aminoácidos aromáticos (quimio-tripsina) e ainda nos aminoácidos alifáticos neutros (elastase). A maior parte da proteína que entra no intestino, quer de origem dietética, quer de origem endógena, é digerida e absorvida na forma de aminoácidos. Para uma ingestão diária média de proteína de 90 a 100g, a contribuição das secreções digestivas endógenas equivale aproximadamente a 60 a 70g, que no intestino são digeridas e absorvidas; proteínas plasmáticas (~2g) e 6 a 12g de proteína aparecem nas fezes. Outro fator importante na absorção das proteínas dos alimentos é a sua digestibilidade, que é definida como a relação entre proteína ou nitrogênio absorvido e proteína ou nitrogênio ingerido. Em geral, as proteínas de origem animal têm digestibilidade ao redor de 90 e 95%, como se verifica no leite, na carne e no ovo. As proteínas dos vegetais têm digestibilidade menor. Após a absorção intestinal, os aminoácidos são transportados diretamente ao fígado pelo sistema porta. Esse órgão exerce um papel importante como modulador da concentração de aminoácidos plasmáticos. Cerca de 20% dos aminoácidos que entram no fígado são liberados para a circulação sistêmica, cerca de 50% são transformados em uréia e 6% em proteínas plasmáticas. Os aminoácidos liberados na circulação sistêmica, especialmente os de cadeia ramificada (isoleucina, leucina e valina) são depois metabolizados pelo músculo esquelético, pelos rins e por outros tecidos. O destino dos aminoácidos em cada tecido varia de acordo com as necessidades de momento daquele tecido, havendo um equilíbrio dinâmico entre as proteínas tissulares, os aminoácidos ingeridos pela dieta e os aminoácidos circulantes. Há um contínuo processo dinâmico de síntese e catabolismo proteico, específico em cada tecido, denominado, como já vimos, turnover proteico. A vida média de uma proteína corresponde ao tempo que o organismo leva para renovar a metade da quantidade dela. Certas enzimas intracelulares têm vida média de algumas horas. A hemoglobina tem vida média de 120 dias e o colágeno, cerca de 365 dias. Como fonte de energia, as proteínas são equivalentes aos carboidratos, fornecendo 4kcal/g. No entanto elas são consideradas mais “caras” do que os carboidratos, pois demandam maior quantidade de energia para a sua metabolização. Sendo assim, uma condição fundamental para se garantir a adequada utilização pelo organismo da proteína ingerida é que seja satisfeita a necessidade energética, pois a deficiência de energia acarreta em desvio de proteínas a partir de suas funções plásticas e reparadoras em detrimento da produção de energia. Entre os 21 aminoácidos naturais, vários devem estar presentes na dieta para satisfazer as necessidades do organismo, enquanto outros não; em consequência, a qualidade nutricional das proteínas pode ser determinada pelo tipo e pela quantidade de seus aminoácidos constituintes. Alguns aminoácidos são classificados como essenciais porque sua síntese no organismo é inadequada para satisfazer as necessidades metabólicas e devem ser fornecidos como parte da dieta. Esses aminoácidos são: treonina, triptofano, histidina, lisina, leucina, isoleucina, metionina, valina, fenilanina e possivelmente arginina. Ausência ou inadequada ingestão de alguns desses aminoácidos resulta em balanço nitrogenado negativo, perda de peso, crescimento menor em crianças e pré-escolares e sintomatologia clínica. Os aminoácidos não essenciais – alanina, ácido aspártico, asparagina, ácido glutâmico, glicina, prolina e serina – são igualmente importantes na estrutura proteica; no entanto, se houver deficiência na ingestão de um deles, ele pode ser sintetizado em nível celular a partir de aminoácidos essenciais ou de precursores contendo carbono e nitrogênio. Pode parecer que quanto mais material de construção (proteína) o organismo recebe, mais músculo ele desenvolve. Pelo menos é esta a linha de pensamento seguida pelos atletas de força há anos. No entanto, não é bem assim que funciona. Comer o dobro de proteína não dobrará o volume dos músculos. Além disso, outro problema de quem come proteína demais é que o excesso pode ser armazenado no organismo em forma de gordura. Para criar massa muscular é preciso manter um balanço nitrogenado positivo. Mas isso não significa necessariamente que se deve ingerir mais proteína. As células musculares assimilam a quantidade exata de nutrientes de que necessitam para o crescimento, e o treinamento de força contribui para que elas aproveitem melhor as proteínas disponíveis. O exercício de força representa um potente estímulo para a ocorrência de hipertrofia na fibra muscular em humanos. O processo de hipertrofia ocorre quando a taxa de síntese proteica muscular excede a taxa de degradação, acarretando em saldo positivo do balanço proteico muscular. O aumento desse saldo ocorre após uma única sessão de exercício de força, sendo geralmente aceito que o crescimento muscular ocorre após semanas ou meses de treinamento como consequência das elevações crônicas e transitórias na síntese proteica, que supera a degradação proteica durante o período de recuperação entre as sessões consecutivas de treinamento. A síntese proteica muscular pode permanecer elevada por até 48 horas pós- exercício. Visando maximizar o ganho de massa muscular, é necessário otimizar os fatores que promovem a síntese proteica e diminuem a degradação proteica. Não obstante, uma miríade de potenciais fatores pode influenciar no metabolismo proteico muscular, incluindo tipo, intensidade, frequência e duração do exercício, fatores hormonais e a extensão do período de recuperação. Além disso, fatores nutricionais podem influenciar no metabolismo proteico, sendo que tais intervenções nutricionais são comumente difundidas entre atletas e praticantes recreacionais de exercício de força, os quais acreditam que a ingestão de determinados suplementos nutricionais, após uma sessão de treinamento ou durante o treinamento habitual, possa aumentar o ganho normal na hipertrofia da fibra muscular. Há muitos anos tem-se debatido a questão da quantidade de proteína que um atleta deve consumir. Até o início do século passado, a proteína foi considerada o combustível mais importante para a prática de exercícios físicos. Não obstante, naquela época, começaram a se acumular resultados demonstrando que, na realidade, os principais combustíveis utilizados durante o exercício eram carboidratos e lipídeos. Consequentemente, a opinião científica mudou, passando a acreditar que a prática do exercício físico pouco afetava a necessidade proteica. Entretanto, dados recentes obtidos por meio de novas técnicas experimentais indicam que a prática regular de exercícios pode aumentar a necessidade de proteínas e aminoácidos. Esse aumento da necessidade proteica, causado pelo treinamento, pode ocorrer de forma direta, devido a mudanças no metabolismo de aminoácidos, ou indireta, como resultado do consumo insuficiente de energia. Como praticante de treinamento de força ou fisiculturista, o atleta precisa de mais proteína do que uma pessoa menos ativa. Sua necessidade é um pouco maior que os 0,8g diários/kg de peso da DRI, a qual é baseada nas necessidades de quem não pratica exercício. Garantir a ingestão adequada de proteína para a síntese proteica é fundamental para se otimizar o ganho e manutenção de massa magra quando se quer secar. As recomendações variam de acordo com a modalidade esportiva: modalidades de endurance de 1,0 a 1,6g/kg de peso/dia; modalidades de força e explosão de 1,6 a 2,0g/kg de peso/dia; modalidades intermitentes de 1,4 a 1,7g/kg de peso/dia. É extremamente importante que a proteína seja bem distribuída ao longo do dia em todas as refeições para estimular melhor mTOR e otimizar a síntese proteica. A ingestão de carboidratos imediatamente após o exercício de força pode aumentar a subsequente ressíntese de glicogênio quando comparada ao mesmo intervalo de tempo algumas horas posteriormente, mas a ingestão de carboidratos não garante síntese proteica. A ingestão de uma mistura de aminoácidos ou de um hidrolisado de proteínas após uma sessão de exercício de força estimula a taxa de síntese proteica no músculo humano e promove balanço proteico muscular positivo. Isso acontece por conta dos aminoácidos de cadeia ramificada (ACR), ou de um único aminoácido, como a leucina. No que concerne, esta aumenta a fosforilação de proteínas envolvidas na regulação da síntese proteica, a leucina estimula a mTOR, que sinaliza a hipertrofia muscular. Os ACR podem atuar no balanço proteico muscular também por meio da diminuição da lesão e da degradação proteica muscular induzida pelo exercício físico. A proteína é fundamental em todas as fases da vida e em diferentes estados fisiológicos, considerando, nesse caso, também o exercício físico. O aumento da massa muscular, que representa um objetivo perseguido por atletas em todos os tempos, desde a antiguidade até os dias atuais, especialmente por fisiculturistas, é conseguido somente com muito treinamento e dedicação, alimentação adequada, orientação de treinador capacitado, médico e nutricionista. A quantidade de proteína a ser consumida diariamente por atletas e praticantes de atividade física deve ser preconizada e orientada por profissionais capacitados. Somente dessa forma a proteína exercerá seu papel relevante no processo de síntese proteica no decorrer do treinamento de força, ao mesmo tempo que permitirá a ocorrência de um balanço nitrogenado positivo no adulto. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ACADEMY OF NUTRITION AND DIETETICS, AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE, AND DIETITIANS OF CANADA. Canada, 2016. Disponível em: www.dietitians.ca/sports. Acesso em: 10/09/2016. BIESEK, Simone; ALVES, Letícia Azen; GUERRA, Isabela. Estratégias de Nutrição e Suplementação no Esporte. 2 ed. São Paulo: Editora Manole, 2010. KLEINER, Susan M; GREENWOOR-ROBINSON, Maggie. Nutrição para o Treinamento de Força. 3 ed. São Paulo: Editora Manole, 2009.
  30. 1 point
    A cada dia a indústria de suplementação lança uma nova tecnologia, uma nova linha, uma nova denominação, uma nova classificação, uma nova super promessa milagrosa, diferenciada e única. Carregado de nomenclaturas, os suplementos nutricionais vem evoluindo notavelmente em relação à qualidade da matéria prima, concentrações, velocidade de absorção, aromas e sabores que agradam ao paladar, mas muitas vezes com um custo benefício questionável. Que a tecnologia e os estudos nesta área evoluem a cada dia, melhorando cada vez mais a qualidade dos produtos, é indiscutível. Agora afirmar que estas evoluções - carregadas de hiper, super, ultra, mega, pump, nitro, black, power, monster - que trazem junto às promessas, um valor de mercado fora da realidade do público praticante de musculação, garantindo que os resultados são extremamente satisfatórios, aí já é demais! A cada treino, a cada dia, a cada verão, aumenta a população de praticantes de atividades físicas em geral, em partes mal informados, carentes de resultados, objetivando o sucesso em seu programa de treinamento, na busca por modificações rápidas. Hora, com esta situação fica muito fácil explorar a ambição do público insatisfeito com seus avanços naturais, com promessas e estratégias promissoras e tentadoras. Mas nesta indústria inteligente, nasceu uma nova categoria de suplementação: os chamados Suplementos Pré Treino. Bom, antes de explorar sua ação e eficácia, vamos analisar. Para quem treina de maneira programada, séria, centrada, comprometida e objetiva, a sessão de treinamento é um momento sagrado e único. Com isso, além dos objetivos de avanços à médio e longo prazo, o sujeito tem imenso prazer em treinar, em começar a primeira série, em tirar o 100%, o algo a mais, o maior recrutamento muscular possível, e com isto, a maior intensidade desejada. Logo, o crescimento muscular não diz respeito somente ao que ele irá construir como conseqüência do treinamento, mas também ao que ele percebe naquele exato momento que termina uma série máxima até a falha muscular. Então, toda estratégia que lhe beneficiar para o rendimento naquele momento, que torne seu corpo mais resistente, mais forte, mais inchado e vascularizado, e com maior disposição para realizar sempre mais uma repetição, ou utilizar mais um quilograma, terá uma aceitação preferencial deste público. Para estes, não basta os alimentos e suplementos construtores básicos (proteínas, carboidratos, aminoácidos isolados), pois o treinamento é uma competição diária consigo mesmo. É claro que esta categoria também contempla e muito os eternos iniciantes, atletas de Outubro até Dezembro, que acham que é possível uma construção muscular consistente à curto prazo, e que acreditam que apenas estar inchado representa hipertrofia muscular. Mas sobre o efeito e ação dos suplementos pré treino, aí sim a industria caprichou: cada marca, nacionais ou importadas, produziu os seus, com suas promessas tentadoras. Os mais encontrados provavelmente são o Nano Vapor, o Shot Gun, o Super Charge, o Super Pump, o Hemorage, o Blade, o Anabolic Halo, o Trac Extreme, alguns Packs, os precursores de Óxido Nítrico, e até mesmo a consagrada Creatina. Mas o que mesmo eles prometem? Se você procurar poraí encontrará: maior pump no treinamento, maior vascularização, durante e pós treino, maior disposição e energia para realizar o treino, maior concentração mental, aumento no nível de força, melhora na recuperação entre as séries, aumentos extremos de volume muscular, queima de gordura, maior liberação hormonal de anabolismo, redução do catabolismo no treinamento. Perfeito! Quanta coisa boa para um único produto! Quem não deseja tudo isso! Bom, mas a questão não é discutir se isso tudo é bom, se tem algum efeito adverso ou coisas do tipo. Agora compare você o que é prometido, o relato de quem já utilizou, o que realmente modificou-se, e agora, o valor pelo qual são vendidos, principalmente se forem importados. Chama-se custo benefício! Cada produto tem o seu. Mas o que leva estes produtos em frente e mantém seu custo elevado, são as vendas realizadas com sucesso. Afinal, encontramos muitos relatos positivos à favor de um ou outro suplemento pré treino. E por quê? Porque quando realizamos alguma escolha, principalmente se envolve um valor financeiro significativo, é mais natural afirmarmos que foi uma boa escolha, que acertamos, que deu resultado, do que confessar que erramos, que colocamos dinheiro fora, que não foi a melhor estratégia de suplementação, que não deu aquela modificação toda prometida. Atitude natural do ser humano ambicioso. O que estes suplementos pré treino realmente promovem não é discutível. Uns mais, outros menos, tudo bem. Mas as proporções as quais eles se propõem, ai sim. Prometem 80, mas realizam 8. Daí aqueles 200, 300 reais investidos tornam-se caros. Compramos uma coisa e levamos outra. E é assim mesmo. Pra quem não tem paciência e coerência, de trilhar o caminho correto, treinar sério e contínuo, comer e descansar adequadamente, investir em suplementos que pouco modificam à curto prazo, mas que realmente são construtores, ai sim resta escolher estes milagrosos e caros. Só não vamos colocar à culpa do insucesso no treinamento! Fiquem atentos, pois aquilo que você realmente constrói não te abandona à curto prazo, agora modificações agudas podem cessar na hora que você parar de investir.
  31. 1 point
    Assista à entrevista com o atleta de fisiculturismo Alexandre Cardoso e descubra como um desnutrido conseguiu se tornar um campeão de fisiculturismo. Essa história motivacional demonstra que todo mundo pode ter o shape que quiser, basta ser disciplinado e se dedicar. Além do vídeo, publicamos uma entrevista escrita. 1) Nome completo: Alexandre Cardoso e Silva. 2) Como é conhecido(a) no meio do fisiculturismo (apelido): Vin Diesel, Torero, Careca. 3) Data de nascimento: 26/01/1990. 4) Cidade em que nasceu e cidade em que vive atualmente: Brasilia/DF. 5) Qual esporte praticava antes da musculação: Atletismo, durante 10 anos. 6) Quando começou a treinar com pesos e por qual razão: Comecei a treinar com 15 anos, para melhorar o rendimento no Atletismo e porque eu era diagnosticado com desnutrição. 7) O que mudou na sua vida depois que começou a treinar: Tornei-me uma pessoa mais determinada, disciplinada e motivada a alcançar metas. Aprendi que não devo esperar por outras pessoas, caso eu queira algo, devo buscar e batalhar por esse objetivo. 8) Treina sozinho ou com parceiro: Sempre estou cercados de parceiros de treino, ter alguém ao seu lado orientando, corrigindo e ajudando faz toda a diferença. Vamos dizer que tenho vários parceiros, há alguns mais fixos, como é o caso da minha namorada, que treina comigo em média umas 3 vezes na semana. Particularmente, é a melhor parceira para o treino de membros inferiores, os amigos choram muito e acabam puxando o treino para trás. 9) Como é a série atual de treinamento: Geralmente treino ABCDE, um grupo muscular por vez, de maneira bem estruturada e periodizada. A programação em média dura de 3 a 4 semanas, sempre tentando melhorar os fundamentos de hipertrofia. Por ter feito muitos anos de atletismo, tenho facilidade em elaborar treinos intervalados de alta intensidade. Não sou adepto de treinos tensionais, creio que não vale a pena correr os riscos que ele oferece. Não faço e não gosto do aeróbico em jejum, também não acredito em treinos hipercurtos. No entanto, o principal é não tem o que inventar, o treinamento resistido é básico. Vou pela metodologia de tempo sob tensão. 10) Qual é o exercício de musculação preferido: Agachamento livre. 11) Qual é a sua filosofia de treino e motivação: Treinar é uma palavra forte, tento buscar e alcançar o programado, superar o que é difícil de fazer, tentar melhorar a cada repetição. Acredito muito no treinamento, ele faz uma diferença enorme nos atletas e até mesmo nas pessoas que não o são, o treinamento bem feito e intenso não faz mal a ninguém, pelo contrario, só colheremos frutos. Podemos dizer que eu sou o cara que gosta de treinar mais do que qualquer outra coisa na vida, é uma necessidade básica, uma válvula de escape, é tudo. 12) Qual foi a maior carga que já levantou no supino reto e no leg: Em relação o Leg Press, não sou fã de colocar cargas absurdas, troco ele pelo agachamento. Já cheguei a agachar com 190kg, até o talo, nada de 90 graus. Supino reto, 120kg. 13) Como é a sua dieta e suplementação atualmente: Alimentação rica em proteínas, com carbo baixo. Suplementação é bem básica: whey isolado, glutamina e manipulados. 14) Qual é o alimento que mais gosta e que tem mais dificuldade de resistir quando está em dieta para perda de gordura: Tenho muita dificuldade, adoro porcarias, doces e tudo que se imaginar. 15) Sofre alterações de humor quando está em dieta restrita: Muito, fico puto da vida, qualquer coisa me estressa, me tira do sério e sou meio grosso com as pessoas. 16) Quais são os suplementos alimentares (produto e marca) que mais gosta (efeitos ou sabor): Whey Protein, o melhor é o de cookies. 17) Quais são os suplementos alimentares (produto e marca) que menos gosta (efeitos ou sabor) ou que considera desperdício de dinheiro (sem efeitos): Baunilha, não desce de jeito nenhum. 18) Qual foi a melhor experiência nesse tempo todo de treino: Todos os dias aprendo coisas novas, conheço cada vez mais o meu corpo. 19) Quais são as suas medidas corporais (peso, percentual de gordura, circunferência de bíceps e de coxa): Depende do período, na maior parte do tempo, estou com 83kg, 5% de BF e tenho 1,73m. Não sou complexado com medidas, não sei a circunferência dos meus braços e coxas, não faço questão de saber. Meu parâmetro é o espelho. 20) O que as pessoas dizem sobre seu aspecto corporal com musculatura avantajada: As pessoas ficam impressionadas com as minhas coxas. 21) Que dicas daria para quem pretende ingressar no mundo do fisiculturismo: Disciplina e sem mimimi. Falar que vai subir é fácil, o difícil é se preparar e apresentar algo em cima dos palcos. 22) Opinião sobre anabolizantes esteroides: Não sou contra e nem a favor, cada um tem seus objetivos e metas a cumprir. Se quiser usar, é bom buscar um acompanhamento especializado e seguro, mas fique ciente que a conta uma hora vai chegar, tem um preço alto a se pagar (saúde). 23) Quais são os atletas do fisiculturismo nacional e internacional que mais admira: Ronnie Coleman, Arnold Schwarzenegger, Kai Greene, Phil Heath e Felipe Franco. Contatos do atleta: Email: alexandretraining@gmail.com Telefone: 61-99234-9694 Instagram: https://www.instagram.com/alexandrecardosopersonal/ Facebook: https://www.facebook.com/alexandre.cardoso.395 Agradecimentos: Academia Club 22: http://www.club22.com.br
  32. 1 point
    O documentário Bigger Stronger Faster - Is it still cheating if everyone's doing it? (em tradução livre: Maior Mais Forte Mais Rápido - deixa de ser trapaça quando todo mundo trapaceia?) é uma crítica acirrada à cultura norte-americana, onde a população se apresenta contrária ao uso de anabolizantes esteróides nos esportes e para fins estéticos, mas ao mesmo tempo venera atletas que fazem uso de substâncias ilegais. Dentre os famosos que são venerados pelos norte-americanos, e que fazem ou que fizeram uso de anabolizantes esteróides, o filme apresenta Hulk Hogan, Sylvester Stallone, e Arnold Schwarzenegger. Segundo o documentário essas personalidades influenciam crianças, jovens e adultos apresentando físicos extremamente musculosos, mas escondem a verdade por trás das montanhas de músculos: anabolizantes esteróides. O filme apresenta uma realidade obscura dos esportes de elite, que não incomoda apenas o fisiculturismo de alto rendimento, mas praticamente todas as modalidades esportivas que dependem de músculos fortes e rápidos: o doping. Para o documentário, o atleta de elite é compelido a usar anabolizantes para atingir o topo nos esportes, sem os quais nunca seria um campeão, certo que todos os competidores fazem uso de alguma substância proibida. São apresentados no vídeo os casos dos velocistas Ben Johnson e Carl Lewis, do ciclita Floyd Landis e dos jogedores de baseball José Canseco, Barry Bonds e Mark McGwire. No filme são entrevistados médicos, advogados, parlmentares, atletas profissionais e ratos de academia. O autor do documentário critica o pânico que a mídia levanta em torno dos anabolizantes, sem base científica ou prática para tratá-los como drogas homicidas. Apresenta 450.000 como o número de mortes causadas por cigarro a cada ano; 75.000 por álcool; e apenas 3 por anabolizantes esteróides. Nos números de emergência de hospital, o documentário apresenta como primeiro colocado no lista o álcool, como segundo colocado a cocaína, terceiro a maconha, e somente na centésima quadragésima segunda posição os anabolizantes esteróides. Há no documentário depoimento do médico Norm Fost, segundo o qual não haveria dúvida de que os esteróides anabolizantes esteróides causam sérios efeitos colaterais, mas que eles não teriam sido devidamente demonstrados ainda. Também há depoimento do médico Gary Wadler, que é contra os anabolizantes e representa a entidade Antidoping, e que diz que os efeitos colaterais dos esteróides não podem ser demonstrados porque seria antiético. No filme são apresentados os efeitos colaterais da Vitamina C, pelo médico Carlon Colker, e que são muito semelhantes àqueles imputados aos anabolizantes esteróides. Segundo o médico, até amendoim é perigoso, pessoas alérgicas podem morrer por causa dele. Mas não é por isso que o amendoim é proibido para consumo. Um dos irmãos do produtor do documentário, que é usuário de esteróides, diz que sentiu como efeitos colaterais: acne e crescimento de pelos no peito e nas costas. O outro irmão, que também é usuário da droga, afirma que ao usar esteróides tem reduzidas as "bolas do saco". Uma atleta profissional diz que o efeito colateral é o som grosso da voz e o crescimento de pelos. De acordo com o documentário, não haveria alteração de personalidade pelo uso de esteróides, ou ataques de raiva, como é divulgado na mídia. Segundo o documentário, os esteróides anabolizantes têm sim efeitos colaterais, como qualquer outro medicamento, mas eles seriam reversíveis com o fim do uso da droga. São mencionados os seguintes efeitos colaterais: acne, crescimento de pelos, aumento do colesterol, diminuição dos testículos e diminuição dos espermas (até mesmo esterilidade). Todos esses efeitos seriam reversíveis. Para o produtor do documentário, os esteróides não causam calvície (mas podem adiantá-la se for um traço genético). Os esteróides também causam ginecomastia nos homens, e nas mulheres, além de acne e crescimento de pelos, causam engrossamento da voz, problemas menstruais e podem aumentar o clitóris. Alguns desses efeitos não seriam reversíveis. Nas crianças, os esteróides poderiam prejudicar o crescimento dos ossos, mas isso não foi provado. Também não foi provado que os esteróides causam câncer ou problema nos rins. Problemas no fígado seriam causados apenas por esteróides de administração oral. Quanto aos problemas de coração, diz o documentário que não há prova que os esteróides os causem, mas afirma que baixa testosterona também traz problemas de coração. No que toca à agressividade, o documentário afirma que apenas 5% da população apresenta esse efeito colateral. Sobre efeitos colaterais a longo prazo, não se pode dizer nada, porque não há nenhum estudo. Em entrevista, o advogado Rick Collins afirma que a sociedade norte-americana aceita que as pessoas se exponham a inúmeros riscos desnecessários, tais como cirurgias plásticas, lipoaspirações, bungee jump, saltos de pára-quedas, esquiar na neve e assim por diante. Os riscos dessas atividades são tremendos, sem qualquer necessidade. Se todos esses riscos são permitidos, por que não permitir o uso de anabolizantes esteróides para fins estéticos? De acordo com o advogado, os usuários de esteróides são em sua grande maioria (85%) ratos de academia, e não atletas, o que não justificaria a proibição dos esteróides por razões de trapaça nos esportes. No vídeo é apresentada uma entrevista com o médico Wade Exum, diretor do comitê olímpico norte-americano de controle de doping, o qual revelou que mais de 2.000 atletas falharam no antidoping, mas que os resultados foram escondidos. O documentário ainda aborda o caso nebuloso de um adolescente que se suicidou e cujos pais e a mídia culparam os esteróides, o que deu origem a uma lei dura contra os anabolizantes no Congresso norte-americano. No entanto, o adolescente tinha outros problemas completamente alheios aos anabolizantes. Por fim, o filme critica a indústria de suplementos alimentares, a falta de controle sobre os produtos e as propagandas enganosas em torno dela. Em resumo, o documentário é uma forte crítica a alguns valores sociais. Permite-se que o cidadão assuma inúmeros riscos sem necessidade, para fins estéticos ou de prazer, mas não se permite que use esteróides. Cigarro e álcool são drogas que matam milhares de vezes mais do que esteróides, mas são permitidos. Não há demonstração científica de que os esteróides causem mortes, mas eles são os primeiros a serem apontados como causa de morte quando algum de seus usuários falece. E os grandes heróis norte-americanos, produtos de filmes como Rocky, Rambo, Exterminador do Futuro e outros, foram estrelados por pessoas que usam ou usavam esteróides, mas são veneradas pelos mesmos que condenam o uso das drogas. Assista ao filme no YouTube: Obs.: Atenção: Apesar de o documentário criticar a proibição do uso de anabolizantes para fins estéticos, cumpre lembrar que no Brasil a sua venda também é proibida para esse fim. Somente podem ser adquiridos por razões de saúde e com prescrição médica. Não se esqueça que todos os medicamentos têm efeitos colaterais, e o mau uso de anabolizantes pode causar severos efeitos colaterais. Você acha que os anabolizantes esteróides deveriam ser permitidos para fins estéticos? Ninguém duvida que os esteróides anabolizantes proporcinam impressionantes ganhos de força e massa muscular, mas o seu usuário se sujeita a riscos por conta de efeitos colaterais já comprovados, bem como por outros ainda não demonstrados. Se a sociedade aceita o consumo de drogas como o álcool e o cigarro (que comprovadamente causam severos danos à saúde), e de intervenções cirúrgicas de risco para fins estéticos (desnecessárias), deveria também aceitar o uso de anabolizantes por adultos para melhora da massa muscular e aparência geral do corpo? A proibição ou a liberação do uso depende de lei, e a lei, em teoria, decorre da vontade do povo. Criamos em nosso fórum um tópico para que os usuários discutam sobre o uso de anabolizantes esteróides para fins estéticos. Se você é contrário ou a favor, não deixe de expressar a sua opinião. Para participar da discussão, clique no link abaixo:
  33. 1 point
    Certamente você já ouviu falar em lipoaspiração, procedimento cirúrgico em que são retiradas as células de gordura do corpo. É uma técnica extremamente eficaz para eliminar gorduras, porém, é um procedimento muito caro e envolve riscos consideráveis. E lipo sem corte? Você já ouviu falar? Na realidade, não se trata de lipoaspiração, apesar do nome. Trata-se de um procedimento realizado com um aparelho não invasivo (técnica não-cirúrgica, sem corte), que emite ondas que implodem as células de gordura. As células de gordura destruídas são eliminadas pela urina. É um procedimento mais barato que a lipoaspiração e não envolve riscos à saúde. Saiba mais sobre este procedimento no vídeo abaixo: Pessoas que praticam musculação e desejam ter o corpo mais perfeito possível em termos estéticos porem adotar o procedimento de modo complementar aos treinos e dieta. A seguir, apresentamos mais detalhes sobre o procedimento de lipo sem corte: Como este aparelho é chamado? Este aparelho é chamado de BHS 135 ou simplesmente de Lipo sem Corte. Onde ele é fabricado? Este aparelho é importado, sendo fabricado na Argentina, sendo vendido para mais de 40 Países no mundo, a empresa fabricante é a Body Health. Como funciona? O aparelho emite uma onda chamada de cavitação ou ultra-cavitação, sendo considerado como um ultrassom, esta frequência em contato com a gordura faz o choque da mesma criando uma bolha de ar onde em seguida implode, liberando calor, por isso o cliente quando em procedimento deve sempre avisar que esta quente, o aparelho nunca esquenta. Quando esta sendo realizado o procedimento este aparelho tem como função de deixar tudo firme, ele emagrece (perda de medidas) muito rápido e como possui os LEDS o corpo fica firme sem flacidez. Reduz medidas? Cada ser é diferente do outro, tem pessoas que irão perder 1 cm, outros 2 cm, e também tem pessoas que possuem facilidade em perder mais de 4 cm em uma única sessão. Numa única sessão já tive cliente que perdeu 6 cm. Como são as sessões? As sessões podem ser feitas uma vez por semana, se paciente pratica esporte ou faz academia pode ser feito ate duas vezes por semana. Aonde pode ser feito as sessões (local)? As sessões podem ser feitas em duas áreas no mesmo dia, uma no abdômen e outra nos flancos ou pernas frente e posterior, ou braços e costas, o cliente e quem vai indicar onde mais lhe incomoda e assim será feito o procedimento. Duração de cada sessão? A duração de cada sessão vai depender muito do local onde esta sendo trabalhado, um local só vai ser de 20 a 30 minutos (depende tamanho da área a ser tratada), se for feito em dois local no mesmo dia será de 40 minutos a 1 hora, também dependendo do local se tiver muito gordura para ser retirada. Tem contra indicações? Este aparelho e contra indicado para mulheres grávidas, pessoas que tem marca passo, e possuem câncer. Sempre é viável fazer uma avaliação antes com o Terapeuta para evitar quais danos ou futuras complicações. O resultado é visível quando? O resultado do tratamento é visível na primeira sessão, pois é tirada as medidas antes do procedimento e logo em seguida de novo, onde o próprio paciente vê a diminuição do abdômen ou do local que foi tratado. Resultados são duradouros? Quando você perde medidas ou gordura esta gordura não volta mais, sendo só em casos extremos, como disfunção hormonal grave que poderá voltar, mas mesmos assim os resultados são duradouros. O preço deste tratamento? Depende cada caso é um preço, pois tem paciente que quer só um local para tratar e outro dois, por isso varia, em média uma sessão é de R$ 150,00 a R$ 200,00. Na clinica onde realizamos os procedimentos são feitos pacotes que podem ser mais em conta, tudo dependendo do local e área a ser tratada e também a quantidade de sessões. Tem outra forma de observar se esta tendo resultado? Quando o paciente for ao banheiro ira sentir um cheiro mais desagradável ao urinar, também após urinar não de a descarga e volte 10 minutos depois vemos uma bola de gordura em cima da água. As roupas após a primeira sessão vão cada vez ficar mais folgadas. De quanto em quanto tempo posso fazer o procedimento? Os procedimentos podem ser feitos seguidos ate que o paciente esteja satisfeito com o resultado do seu corpo. Também pode ser feito 05 seguidas e parar, como também 10 e assim por diante. Como faço para conseguir este tipo de tratamento? Os procedimentos são feitos em clínicas de estética que possuam o aparelho BHS 135. Para esta matéria, realizamos a sessão na Let's Estética. Agradecemos a todos que tornaram esta matéria possível, principalmente: Let's Estética (SCES trecho 2, Condomínio La Torre, Bloco A, sala 214, ao lado do clube ASSEJUS e próximo da ponte JK, telefone 61-3327 3281) Laerte de Assunção Hansen Jade Palma Lelê Araújo
  34. 1 point
    O Plantinum PRE- é o suplemento alimentar desenvolvido pela Optimum Nutrition para ser consumido antes dos treinos de musculação. O nome do suplemento e o rótulo são discretos, nada espalhafatosos como outros suplementos pré-treino que encontramos no mercado. A Optimum identifica o produto como sendo um pré-treino direcionado à energia e foco. Na embalagem são destacados a l-citrulina, a beta-alanina e a cafeína. No entanto, há mais ingredientes, tais como a vitamina C, PhytoBlend e Capsimax. L-Citrulina O aminoácido l-citrulina é convertido em arginina no corpo, que, por sua vez, é convertida em óxido nítrico (NO). O óxido nítrico relaxa os vasos sanguíneos e durante o treino isso implica em maior fluxo sanguíneo. Esse maior fluxo sanguíneo aumenta a energia, força e inchaço muscular (pump). E por que o Platinum PRE- contém l-citrulina ao invés de arginina? A l-citrulina é melhor absorvida pelo organismo comparada com a arginina. Para aumentar ainda mais a absorção da l-citrulina, o Platinum PRE- contém a forma micronizada da citrulina, o que significa que ela é reduzida ao menor tamanho possível, aumentando a área de absorção. Carnosyn Trata-se de uma forma patenteada do aminoácido beta-alanina, que é um dos mais importantes aminoácidos para serem ingeridos no pré-treino. Inúmeros estudos confirmaram que a beta-alanina aumenta a força, o poder e a resistência muscular. No corpo, a beta-alanina se junta ao aminoácido histidina para formar a carnosina dipeptídeo. Durante o exercício físico, a carnosida impede que as fibras musculares se tornem muito ácidas, permitindo que o musculador treine mais tempo com o máximo de poder e força. DMAE - dimetilaminoetanol (dimethylaminoethanol) O dimetilaminoetanol (dimethylaminoethanol - DMAE) potencializa o aprendizado e a memória ao aumentar os níveis de colina no cérebro. A ingestão de DMAE é mais efetiva do que a ingestão de colina. A DMAE parece inibir a quebra da colina. Com mais colina, o cérebro mantém elevado o nível do neurotransmissor acetilcolina. Maiores níveis de acetilcolina resultam em melhor funcionamento cerebral, mais foco, melhor humor, e mais força muscular. Não confunda o DMAE com a DMAA (1,3-dimethylamylamine, ou methylhexanamine, ou geranium extract), substância proibida pela FDA recentemente (Jack3d Foi Proibido pela FDA - ANVISA dos EUA). Extrato de Suco de Beterraba (Beet Juice Extract) A beterraba é rica em nitratos que agem como doadores de óxido nítrico (NO) no corpo. Ao consumir nitratos, eles são convertidos em nitritos por bactérias presentes na língua. O nitrito digerido é convertido em óxido nítrito. Como esse processo de obtenção de NO é diferente daquele que envolve a arginina, a ingestão de nitratos, juntamente com a citrulina, torna ainda maior a disponibilização de óxido nítrico. Capsimax Capsicum annum é um extrato de pimenta (assim como aquele obtido da pimeta chili). O "calor" ou "apimentado" das pimentas são provenientes do fitoquímico capsaicin, que é a fruta da pimenta. O capsaicin aumenta os níveis do neurotransmissor/ hormônio norepinefrina. Esse hormônio aumenta a taxa metabólica, o que ajuda a queimar mais calorias, reduzir a fome e aumentar a quantidade de gordura usada como fonte de energia. Queimar mais gorduras durante os treinamentos resulta num corpo mais sarado e também aumenta a resistência, uma vez que o glicogênio é preservado. Sabor e Experiência Testamos o Platinum PRE- no sabor fruit punch (tutti-frutti). O produto é bem neutro, sendo bem suave em termos de sabor. No entanto, ao bater o produto em água, ao final da ingestão percebe-se partículas acumuladas no fundo do copo e que ao serem ingeridas provocam ardência semelhante àquela provocada por pimentas. Isso só pode ser em decorrência da capsimax. Não é nada agradável, a não ser que você seja fã de pimenta. No quesito estímulo para o treino, o produto pareceu ser muito semalhante aos demais pré-treinos importados presentes no mercado, causando uma sensação geral de euforia, dando um gás extra para levantar os pesos. Onde Comprar Não temos notícia de importação oficial deste suplemento alimentar para o Brasil, portanto, quem quiser adiquri-lo com segurança terá ir para os EUA, ou realizar importação direta pela internet. Sugerimos comprar o Platinum PRE- no site Bodybuilding.com. Fonte: STOPPANI, Jim. Platinum PRE-, An up-close look at the ingredients in Optimum Nutrition's new pre-workout formula. FLEX, pp. 116, maio de 2013.
  35. 1 point
    Frequentemente somos questionados quanto ao uso desta metodologia e se a mesma funciona mesmo. Perguntas do tipo, “não vai embaçar”, “não vou perder todo o trabalho da semana?” ou “será que eu posso?” são uma rotina em nosso dia a dia. Hoje explicarei em um breve resumo sobre qual é a verdadeira finalidade desse tal dia do lixo. Apesar do dia do lixo ser um alívio para dietas de restrição calórica e aguardado por muitos, a sua real função é a de dar um up no metabolismo quando se fala em dieta restritiva a fim de fazer com que o corpo possa queimar umas calorias extras enganando nosso metabolismo nos dias seguintes. Existe um hormônio chamado leptina, que se produz nas células adiposas dos tecidos gordurosos. Esse hormônio tem a capacidade de controlar a velocidade do seu metabolismo, conforme a dieta vai ficando livre dessa ingestão, seu corpo vai perdendo a capacidade de oxidá-la com facilidade. Assim quando a pessoa começa a sua dieta e a mudar seus hábitos há um tremendo choque de metabolismo acarretando em grandes percas de peso, sendo + 80% gordura corporal. Porém com o passar do tempo cada vez é mais difícil perder gordura, mesmo seguindo a dieta rígida e comendo basicamente o mesmo número de calorias diários. Isso acontece devido a falta de leptina no corpo, por mais que ainda haja um grande acúmulo de gordura corporal as células do tecido adiposo ja estão esgotadas e ai que se encaixa o DIA DO LIXO.
Vale lembrar que essa REFEIÇÃO (e não o dia todo comendo guloseimas) deve ser um adicional a dieta de 500 a 1000 calorias, não é para cometer exageros. Um fella inconsequente poderá comer o triplo disso sem ao mesmo perceber, o que no dia seguinte mais parecerá com filho do Jôhn Balonie do que com um fisiculturista. Levando em consideração que o indivíduo esteja em uma dieta hipocalórica ou controlada durante a semana, o uso de um aumento nas calorias no sábado ou domingo irá evitar o fenômeno chamado metabolic slowdown que seria a queda do metabolismo e consequente perda dos resultados em queima de gordura corporal. Na segunda semana de dieta restritiva o organismo para queimar as mesmas gorduras, precisará de cada vez mais calorias, o que irá acarretar em fadiga de membros locomotores por excesso de cardio, perda de massa magra e maior retenção hídrica, por isso usamos o dia do lixo, ou seja comer mais, QUEIMA MAIS GORDURA. Mas é preciso realizar essa metodologia inteligentemente e não devemos confundir o uso da metodologia com avarezas!!! Alguns fascistas, nazistas, extremistas malucos vão dizer que isso é coisa de gente retardada, ficar fazendo essas dietas, pra que isso!? Bom, a resposta para esses bossais é que a escolha em comer como um porco desenfreadamente ou ter CONTROLE sobre sua nutrição, vida e saúde cabe a pessoa e somente a ELA escolher!!! Cada um escolhe como quer viver e ninguém tem absolutamente nada com isso! Voltando ao assunto do método, alguns podem se queixar sobre estar alguns quilos a mais no dia seguinte, porém isso não passa de retenção de líquidos e glicogênio ao qual seu corpo energizado irá queimar mais calorias do que você estará ingerindo nos dias seguintes, mantendo seu metabolismo acelerado e continuando a queimar mais gorduras. O último ponto a ser salientado porém não menos importante é que orientamos nossos clientes a proporcionar suas calorias conforme seu índice de gordura, ou seja, um fella com um metabolismo acelerado abaixo de 10% de gordura, poderá comer mais que um camarada que estiver com 13-15%. Portanto recomendamos aumentar com calorias mais limpas conforme o bf estiver mais alto e soltar mais proporcionalmente os alimentos conforme seu corpo for respondendo e as gorduras forem sumindo. Lembrem-se, 1 dia! Uma refeição! Não é o final de semana inteiro, como muitos fazem!!!
  36. 1 point
    Esse peixe por muitas vezes sofre preconceito por seu custo tão baixo. No entanto ele é riquíssimo em nutrientes e fonte excelente de proteína e de gordura boa. Assada, grelhada ou na pressão a sardinha pode render vários pratos deliciosos e saudáveis! Como qualquer peixe que se preze, ela é boa fonte de proteína ideal para manter a saúde do tecido muscular: 100g de sardinha assada têm em torno de 30g de proteína. Possui considerável quantidade de fósforo, um mineral que participa da mineralização dos ossos e é excelente fonte de cálcio. 100g deste peixe tem quase a metade de cálcio que uma pessoa deve consumir em média durante o dia inteiro. E é por esses motivos que seu consumo deve ser incentivado para todos! Principalmente para mulheres que estão entrando ou já estão na menopausa e por isso precisam dar uma atenção maior ao consumo deste micronutriente. Para praticantes de atividade física também é excelente, já que o músculo precisa de proteína e cálcio em maiores quantidades. Para quem quer manter ou perder peso também é ótima, uma vez que a proteína promove maior saciedade, diminuindo a fome. Gestantes também deveriam consumi-la, já que as necessidades de proteína e cálcio são maiores nessa fase, além do importante ômega-3 que ajuda no desenvolvimento cerebral do feto. A sardinha não só contém ômega-3 como fornece o ácido graxo em suas melhores variantes: o eicosapentaenóico, conhecido como EPA, e o docosahexaenóico, o DHA. Esse peixe possui esse tipo de gordura porque se alimenta de algas ricas em ômega 3 e por se movimentar muito, assim acumula gordura como reserva energética. Por isso, não vive em águas profundas e geladas como o salmão, mas também possui ômega 3. Esta gordura ajuda a aumentar o colesterol “bom”, o HDL é importante para manter a saúde cardiovascular. O cuidado para comprar o peixe é importante, como deve se fazer com qualquer escolha de peixe: verifique se os olhos estão brilhantes e as brânquias, avermelhadas. Mas não se preocupe com escamas soltas, porque isso é normal nas sardinhas. Fique ainda mais atento ao odor, pois a sardinha nunca deve ter cheiro de ranço, um sinal de oxidação. Procure lugares onde os peixes são vendidos mais frescos, de sua confiança. É importante saber sobre sua preparação! Evite as frituras. Temperaturas muito altas durante algum tempo degradam o ômega-3. Além disso, a fritura a torna mais calórica e menos saudável. Procure fazê-la grelhada, assada, ensopada ou na panela de pressão. Caso faça assada, coloque só um fio de óleo ou azeite, já que o peixe é gorduroso e quando assar vai soltar um pouco de sua própria gordura no tabuleiro. A versão fresca é melhor que a enlatada, mas esta ainda é boa, no entanto, dar preferência à sardinha enlatada em molho e não em óleo. As espinhas menores podem ser engolidas, elas são ótima fonte de cálcio. Acompanhe com saladas, legumes, quinoa cozida! Use a criatividade e fará deliciosos pratos! Receitas: Sardinha Assada Sardinha a Escabeche
  37. 1 point
    Leia a matéria de Gustavo Barquilha Joel e Luis Gustavo da Silva Rodrigues sobre o Deposteron (Cipionato de Testosterona). Nota importante: Ola amigos, A intenção desta coluna não é estimular ninguém a utilizar qualquer tipo de substância ilícita, muito pelo contrário, o objetivo é demonstrar os vários efeitos colaterais que elas trazem com seu uso. Tentamos também na coluna associar as informações cientificas disponíveis na literatura com as informações praticas de atletas e/ou praticantes de musculação do mundo underground das academias. Deposteron (Cipionato de Testosterona) A droga deposteron é uma solução injetável de base oleosa permitindo assim a liberação lenta da testosterona (testosterona sérica), e a base de éster, que permite rápida liberação de testosterona livre na circulação. Sua meia vida é de geralmente 8 dias, porém é recomendado o uso deste medicamento entre duas e quatro semanas (anvisa). Ela apresenta-se como uma solução oleosa límpida, na cor amarela e isenta de partículas estranhas. Esta droga é conhecida por promover rápido ganho de força e volume muscular devido a suas propriedades androgênicas e anabólicas. Esta droga tende a aromatizar facilmente, podendo causar ginecomastia, além de poder aumentar a pressão arterial por reter muita água. É utilizada principalmente fora de temporada, quando o objetivo é ganhar peso, devendo ser evitada no período de definição muscular, devido a retenção hídrica. O Deposteron também tem a fama de atrofiar os testículos mais rapidamente do que qualquer outra droga do mercado, além de ocasionar perdas vertiginosas de força e volume muscular (aumentadas durante o ciclo) tão logo a droga seja descontinuada. No Brasil a NOVAQUIMICA produz o Deposteron, sendo que a caixa com uma ampola é de 200mg/ml. Ela é utilizada no hipogonadismo, climatério e impotência, puberdade retardada masculina , antineoplásico, em câncer inoperável do seio (feminino). O uso da agulha ou seringa úmidas por causar turvação na solução, o que não afeta, entretanto, a efetividade da medicação. Se, porventura, verificar a formação de cristais nas ampolas, o aquecimento e agitação podem proporcionar a redissolução imediata. Não administrar esta droga intravenosamente. - Superdosagem: doses freqüentes podem desencadear sintomas de sobredosagem de remissão lenta, por tratar-se de medicamento, de longa ação. Recomenda-se suspender imediatamente o uso de DEPOSTERON. Este droga pode trazer como efeito colateral reações alérgicas com o uso deste medicamento ou qualquer componente da fórmula, hipertensão, ginecomastia, câncer de próstata, entre muitos outros efeitos. presença ou suspeita de câncer de próstata ou da glândula mamária em homens, presença ou história de tumores no fígado. Mulheres não devem usar esta droga devido ao seu alto nível androgênico, o que pode causar efeitos masculinos nas mesmas, como pêlos e engrossamento da voz. Outros efeitos colaterais podem ser o aumento no número de células vermelhas no sangue (policitemia); aumento de cãibras musculares, nervosismo e depressão, e em casos raros, amarelamento da pele (icterícia), além de outras reações que possam estar associadas ao medicamento. Podem ocorrer reações no local da injeção e reações de hipersensibilidade. Referências http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/BM/BM%5B25634-1-0%5D.PDF Atenção: Anabolizantes esteróides são medicamentos e somente podem ser adquiridos em farmácias sob prescrição médica.
  38. 1 point
    INTRODUÇÃO É mister que os exercícios de alongamento aumentam a flexibilidade, e que esta é de suma importância para a hipertrofia muscular. Porém, há uma grande dúvida, porquê não dizer polêmica sobre o tipo/modelo de alongamento a ser realizado antecedente ao treinamento de força. Existe ainda muita polêmica sobre a realização de exercícios de alongamento precedente a treino de força. Precisamos aqui separar dois conceitos: Alongamento como parte integrante do aquecimento objetivando o aumento da temperatura corporal e o alongamento como treino de Flexibilidade, que Dantas denomina como flexionamento e Achour Júnior denomina como treino de flexibilidade. O primeiro, a literatura já conseguiu demonstrar a utilização correta e necessária, e o segundo, vários estudos têm demonstrado que realmente não se deve ser feito treinamento objetivando o aumento da flexibilidade antecedente ao treino de força. REVISÃO Estudos tem contribuído para demonstrar um efeito negativo do treinamento de flexibilidade antecedente ao treinamento de força (DANTAS ET AL., 2006;SIMÃO ET AL. 2006; ENDELICH ET AL.,2009). Esses estudos indicam que a realização de exercícios de alongamento objetivando a melhoria da flexibilidade prejudicaram o rendimento no treino de força, reduzindo a força dos praticantes. Embora também existam estudos que tenham demonstrado não haver influência no tipo de aquecimento na força muscular (FERMINO, ET. AL., 2005; SIMAÃO, 2004 e SIMÃO, 2009). Nesses estudos, fora demonstrando que a utilização de alongamento como parte integrante do aquecimento não prejudicou a força muscular. Ao contrário, demonstrou um melhor desempenho se comparado com outros modelos de aquecimento. Já no estudo de Almeida (2010), houve uma relação na redução da flexibilidade quando realizado esses exercícios antecedentes ao treino de força, sem no entanto interferir nos ganhos de força. Parece que os estudos demonstram bem que o tipo/modelo de alongamento utilizado irá interferir negativamente ou positivamente no treinamento de força. Então, deve-se separar o treino de flexibilidade do treino de força e deve-se realizar exercícios de alongamento/aquecimento a fim de preparar a articulação (tendões, fáscia muscular, etc) para o treino a ser realizado posteriormente. CONSIDERAÇÕES FINAIS Pelo que parece, os estudos indicam que há uma redução de força se aliar treino de flexibilidade antecedente ao treino de força, no entanto, os estudos sugerem ser importante realizar um trabalho de aquecimento/alongamento antecedente ao treino de força a fim de preparar a musculatura e articulação para o treinamento. REFERÊNCIAS ALMEIDA, Paulo Henrique Foppa de. Efeito crônico do alongamento realizado antes ou após treinamento de força de isquiotibiais na flexibilidade e na força. 2010. Disponível em:< http://dspace.c3sl.ufpr.br:8080/dspace/handle/1884/23080> acesso em 19-05-2013 ENDLICH, Patrick Wander et al. Efeitos agudos do alongamento estático no desempenho da força dinâmica em homens jovens. Rev Bras Med Esporte, Niterói, v. 15, n. 3, p. 200-203, maio/jun. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbme/v15n3/a07v15n3.pdf>. Acesso em: 09 abr. 2011. FERMINO, R.C.; WINIARSKI, Z.H.; ROSA, R.J.; LORENCI, L.G.; BUSO, S.; SIMÃO, R.Influência do aquecimento específico e de alongamento no desempenho da força muscular em 10 repetições máximas. R. bras. Ci e Mov. 2005; 13(4): 25-32. GABRIEL CARDOZO, JULIANA BOSCHER TORRES,ESTÉLIO HENRIQUE MARTINS DANTAS,ROBERTO SIMÃO. Comportamento da Força Muscular após o Alongamento Estático.Revista Brasileira de Cineantropometria Desempenho Humano , Rev. Bras.Cineantropom. Desempenho Hum. 2006;8(4):52-58 PRATI, José Eduardo Lattari Rayol,MACHADO,Sérgio Eduardo de Carvalho ,JACOB SOBRINHO, Antonio Haical, CARVALHO,Mauro Cesar G. de Alencar ,DANTAS, Estélio Henrique Martin. Efeito agudo do flexionamento passivo sobre a força máximaum estudo experimental.Fitness & performance journal, ISSN 1519-9088, Nº. 5, 2006 , págs. 311-317. SIMÃO,Roberto, SENNA, Gilmar, NASSIF, Letícia, LEITÃO, Natália,ARRUDA, Rafael,PRIORE, Monique , SOUTO MAIOR ,Alex , POLITO,Marcos Influência dos Diferentes Protocolos de Aquecimento na Capacidade de Desenvolver Carga Máxima no Teste de 1RM. Fitness & performance journal, ISSN 1519-9088, Nº. 5, 2004 , págs. 261-265. SIMÃO, Roberto ; GIACOMINI,Mateus Beltrame;,DORNELLES, Thaís da Silva Dornelles; MARRAMOM, Maria Gladis Franco;VIVEIROS, Luís Eduardo Viveiros. Influência do Aquecimento Específico e da Flexibilidade no Teste de 1RM. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, 2009,Vol.2;134-140.
  39. 1 point
    Como soubemos, a insatisfação com os resultados alcançados, a busca pela perfeição e a crescente ambição em alcançarmos níveis superiores de hipertrofia muscular/definição muscular/redução de percentual de gordura, leva a indústria de suplementação a uma crescente procura pelas fórmulas ideais para satisfazer seus compradores. Neste ciclo ambicioso, onde o resultado extremo é mais relacionado com os esteróides anabolizantes do que com o treinamento e a alimentação, nasceu uma outra linha de suplementação promissora: os Pré-Hormônios, geralmente importados, e os Estimulantes de Produção/Liberação Hormonal. Baseados na ação dos esteróides anabólicos, esta espécie de suplemento promete uma maior produção e/ou liberação hormonal de Testosterona e de Hormônio do Crescimento, e seria uma escolha intermediária entre a suplementação básica e a “bomba”. O grande atrativo para o público geral é que estes tratam-se de produtos considerados legais, vendido liberadamente (no caso dos vendidos aqui no Brasil), com o julgamento pessoal de não estarmos cometendo um ato moralmente antiético, e ainda, sem os possíveis efeitos colaterais dos esteróides, mas com ação semelhante a estes. Os suplementos conhecidos no Brasil como Pré-Hormônios são classificados como compensadores protéicos, multivitamínicos e minerais, pois em sua composição nutricional só apresentam estes macro e micronutrientes. O chamado estimulante para a liberação de testosterona (ZMA - aspartato de monometionina de zinco), tem sua base nutricional no Zinco, Magnésio e Vitamina B6. Já o estimulante de produção do Hormônio do Crescimento (GH ou HGH), apresenta certa proporção de proteínas, Vitamina C, B6, Cromo e Colina. Estes suplementos são apresentados com nomenclaturas atrativas ao consumidor, como estimulantes do Potencial Genético, ou ainda em conjunto, como Combo Genético. Então na verdade não são Pré-Hormônios, mas no máximo possíveis estimulantes de produção hormonal. E deles não podemos esperar as mesmas modificações corporais esperadas dos hormônios ou pré-hormônios, pois os resultados vendidos pelas empresas desta linha de suplementos são baseados em pesquisas envolvendo a Testosterona e o hormônio do Crescimento, e não o Zinco, o Magnésio, o Cromo, e as Vitaminas B6 e C. Portanto, cria-se apenas a relação, entre o que podemos esperar dos verdadeiros hormônios (incluidos em pesquisas), e da composição química do produto nacional. Considero um pouco injusto cobrarmos do Zinco, do Magnésio e das Vitaminas o crescimento muscular, a redução de massa gorda e a definição muscular que os hormônios realizam. Que a Testosterona e o Hormônio do Crescimento são dois hormônios primários no crescimento muscular e no gasto lipídico, não resta dúvida alguma. Mas ainda existe uma distância imensa entre o que estes hormônios promovem e o que estes “anabolizantes naturais” são capazes de alcançar. Os verdadeiros Pré-Hormônios são substancias que ocorrem naturalmente no organismo, assim como são os hormônios. No caso da Testosterona, são os precursores deste hormônio principal, produzidos na glândula adrenal. Entre eles estão o Colesterol, seguido em cadeia pela Pregnenolona, a Dehidroepiandrosterona (DHEA), a Androstenediona, para ai sim ser convertida em Testosterona. Mas veja bem, esta linha de suplementação é mais promissora que à anterior, mas não pelos resultados obtidos em pesquisas experimentais, e sim por tratar-se de produtos importados, não produzidos e sem liberação para venda aqui no Brasil. Sendo assim, existem duas possíveis relações que garantem o interesse do público leigo na aquisição dos pré-hormônios importados: a crença que tudo que é importado, preferencialmente dos EUA, apresenta melhor qualidade que os produtos nacionais. Qualquer porcaria importada, tratando-se de suplementos, tem credibilidade no Brasil. Mas poucos sabem que somente os pré-hormônios (quando declarados no rótulo) e a efedrina têm venda proibida por lá, e que lá pode-se lançar e vender qualquer suplemento, desde que declare-se uma meia dúzia de vitaminas que ali estão, ocultando a real composição. E o segundo motivo que atrai o interesse de alguns menos informados, diz respeito à associação entre a proibição da venda de um produto e sua real potencialidade. Ou seja, tudo que é proibido é que dá resultado! Se os Anabolizantes são tão potentes e tem sua venda proibida, então os suplementos proibidos são os que mais se assemelham a ação dos anabolizantes. Tratando-se de pré-hormônios, e importados então! Sujeitos assim, que desejam um produto não indicado para ingerir, deveriam experimentar um ciclo de Creolina com Soda Cáustica! Segundo autores mais renomados na área do treinamento de alta intensidade (não apenas cientistas teóricos), existe um consenso que os PHs, referindo-se tão somente aos verdadeiros pré-hormonais, tendem a apresentar à longo prazo efeitos indesejados semelhantes aos próprios hormônios, de maneira mais pronunciada que os efeitos anabólicos esperados. Além de apresentarem um valor de venda altíssimo, os PHs podem apresentar efeitos androgênicos notáveis, semelhantes aos envolvidos com drogas mais efetivas, além de possível hepatotoxidade por tratar-se de comprimidos ingeridos via oral, sendo processados inevitavelmente pelo fígado. Em relação aos efeitos anabólicos, as modificações são muito pequenas, se relacionarmos ao custo financeiro que apresentam. Podem sim apresentar modificações satisfatórias em sujeitos com deficiência de produção natural de testosterona, tendo portanto ação repositora, não construtora. Agora para atletas que já fizeram uso de alguma droga verdadeiramente anabólica, a ação destes pré-hormônios poderá deixar a desejar. Agora tratando-se desta linha de suplementação vendida liberadamente no Brasil, todo e qualquer comentário favorável (como ação anabolizante primária) parece ser informação de má fé, ou simplesmente desinformação. Analisando a tabela nutricional podemos constatar que estes não passam de suplementos compensadores de baixo nível. Nem ação repositora hormonal eles apresentam. Ação hormonal verdadeira e considerável só poderá ser notada com a administração de hormônios ou seus respectivos pré-hormônios, de GH ou Testosterona. Se realizarmos uma simples comparação de composição química/nutricional entre os suplementos “chamados Pré-Hormônios produzidos no Brasil” (ou até mesmo aqueles importados e com venda liberada aqui), e os produzidos nos EUA (com venda proibida no Brasil), poderemos fortalecer ainda mais nossas convicções de que ainda está por vir (se é que uma dia existirá) um produto considerado natural e com mesmo efeito anabólico dos conhecidos esteróides anabolizantes. Estudos vão e virão, e o Treinamento Intenso, a Dieta, a Suplementação básica Construtora e o Descanso continuam à ser as estratégias mais eficazes, para quem tem paciência e consciência.
  40. 1 point
    A primeira dieta cetogênica, dieta do cetônico ou dieta da proteína foi criada por um médico americano: trata-se da Dieta do Dr. Atkins Scardale. Alguns profissionais na área de nutrição esportiva fizeram alterações para adaptá-la ao culturismo e conseguir um nível maior de volume muscular com a maior definição possível. Cada um nomeou sua dieta de maneira diferente, a exemplo do Dr. Mauro Di Pasquali com a sua Dieta Anabólica, e de outro americano e guru dos esteróides que a chamou de Body Opus Diet. O regime alimentar proteinado restringe o consumo de carboidratos, fazendo com que o organismo utilize a gordura como fonte de energia principal, assim, o indivíduo elimina peso rapidamente mantendo a massa muscular. A mudança no metabolismo provoca um condição chamada cetose, que diminui o apetite e cria uma sensação de bem-estar. A cetose foi identificada pelo Dr. Alfred Bauer em 1962; é um estágio no catabolismo que ocorre quando o pâncreas converte gorduras em ácidos graxos e corpos cetônicos. Frise-se que a cetose acontece quando o organismo usa os depósitos de gordura como fonte energética (quando não há mais glicogênio). As dietas restritivas de carboidratos promovem um rápido emagrecimento, mas elas podem ser perigosas para pessoas acima do peso ou obesas que apresentam maiores riscos às doenças do coração. Stephen Lloyd, numa apresentação promovida num encontro ocorrido no Colégio Americano de Cardiologia (American College of Cardiology), explanou que descobriu, num estudo feito em ratos, que altos níveis de gordura e poucos carboidratos desregulam a quantidade de açúcar no sangue, o que prejudica a energia metabólica no músculo cardíaco. Tais dietas também diminuem as chances de sobrevivência caso ocorra um ataque do coração. Fontes: Revista Muscular Development de junho/2012 à pág. 82 http://musclemassablog.site.br.com/?p=1849 http://www.tuasaude.com/dieta-cetogenica/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Cetose
  41. 1 point
    A relação entre o treinamento de musculação e uma adequada ingestão protéica já está bem estabelecida. No entanto, devido às poucas opções de alimentos fonte de proteína disponíveis, a suplementação alimentar acaba sendo praticamente inevitável para aqueles que levam uma rotina de treinamento mais intensa. Na década de 70, essa suplementação era realizada basicamente com claras de ovos desidratadas. Na década de 80, além da albumina, a proteína de soja e alguns compostos de aminoácidos também foram muito utilizados. Quando eu iniciei meus treinamentos de musculação, bem no início dos anos 90, a albumina ainda reinava no mercado, mas já se começava a falar em whey protein. Sempre recomendo para meus atletas e pacientes que a grande maioria da ingestão diária de proteínas deve ser proveniente de fontes alimentares como: carnes vermelhas magras, aves, peixes, frutos do mar, ovos, derivados do leite e soja (em alguns casos). No entanto, em algumas situações (imediatamente antes ou após o treino), a utilização de suplementos alimentares pode proporcionar maiores benefícios – como a velocidade de absorção, por exemplo. Além de momentos em que a ingestão de um alimento sólido torna-se complicada (ou você comeria um filé de peito de frango na frente do seu chefe em uma reunião bem no meio da tarde?). Nos dias atuais, temos uma grande variedade de suplementos protéicos disponíveis no mercado. Isto é fantástico, mas de nada adianta essa grande oferta, se não houver um consumo adequado desses produtos. Neste artigo iremos discutir os suplementos protéicos mais comuns e como poderiam ser utilizados. Whey protein Sem dúvida a whey protein é o suplemento mais vendido atualmente. Todo esse destaque é merecido, visto que essa proteína, proveniente do soro do leite, apresenta efeitos positivos no combate de alguns tipos de câncer, ação antioxidante (glutationa - excelente para otimizar o processo de recuperação), estimula a síntese protéica (rica em leucina), dentre outros efeitos. Um benefício da whey protein não muito comentando e muito importante, seria a capacidade de aumentar o fluxo sanguíneo para os músculos. A whey contém peptídeos que inibem certa enzima (ACE) que possui ação vasoconstritora. Isto proporciona um maior fornecimento de nutrientes, hormônios anabólicos (GH e testosterona) e oxigênio para os músculos durante o exercício. O resultado seria uma melhor performance durante o treinamento e uma ótima recuperação/regeneração após. Devido a sua capacidade de ser absorvida rapidamente, os melhores horários para o uso de whey protein seriam: desjejum, logo antes e logo após o treino. Dentre as formas desse suplemento encontradas no mercado (concentrada, hidrolisada, isolada, isolada micro particulada), a hidrolisada e a isolada micro particulada são as que possuem a maior velocidade de absorção. Caseína Micellar Cerca de 80% da proteína do leite é caseína. Possui grande concentração de glutamina, que possui inúmeros benefícios para um indivíduo engajado em um treinamento intenso, fortalecendo o sistema imune e estimulando a síntese protéica. A caseína é conhecida pela sua velocidade de absorção mais lenta do que a whey protein, sendo perfeita para ser utilizada como complemento protéico de refeições intermediárias e antes de dormir. Alguns estudos apresentam benefícios em utilizar caseína micellar em conjunto com whey protein imediatamente após o treino. Inclusive alguns bodybuilders de sucesso, vêm utilizando essa fórmula e afirmam obter grandes resultados. Proteína do Leite Isolada Este suplemento (milk protein) apresenta os benefícios protéicos do leite (caseína e whey protein), com remoção de praticamente toda lactose e gordura encontradas no leite. Fornece geralmente cerca de 85% de proteína, apresentando uma velocidade de absorção mais lenta do que a whey protein. Portanto, é uma excelente escolha para ser utilizada nas refeições intermediárias e antes de dormir. Proteína da Carne em Pó Embora possa parecer estranho, os suplementos a base de proteína da carne bovina possuem uma rápida absorção. É removida toda a gordura da carne, restando os aminoácidos e outras substâncias interessantes, como a creatina. São ótimas opções para quem possui intolerância à lactose e/ou outras substâncias presentes no leite de vaca. Devido à capacidade de rápida absorção, é uma boa alternativa para ser utilizada no desjejum, logo antes e logo após o treinamento. Proteína da Clara do Ovo - Albumina Apesar de já ter tido seus anos de glória, a albumina ainda pode ser muito bem utilizada, visto seu alto valor biológico. A albumina é rica em BCAAS e em arginina, auxiliando respectivamente na síntese protéica e no estímulo a produção de óxido nítrico. A clara do ovo contém mais de 40 diferentes tipos de proteína, mas cerca de 55% é albumina. Possui uma absorção mais rápida do que a caseína micellar e mais lenta do que a whey protein. Pode ser muito bem utilizada nas refeições intermediárias e/ou antes de dormir (com caseína). A albumina é muito conhecida por seus efeitos quanto ao aumento da flatulência. Uma sugestão seria mastigar muito bem os alimentos se estiver usando essa suplementação. Com isto, a ingestão de ar reduziria consideravelmente. Como tudo que entra, tem que sair... Bom, façam o teste e verão que funciona. Proteína da Soja Muitos adeptos da musculação simplesmente desprezam a proteína de soja devido à presença de fito estrógenos, com o medo de reduzir a produção endógena de testosterona. Diversos estudos já comprovaram de que esta relação é uma falácia. A proteína isolada de soja é uma excelente fonte protéica, inclusive do aminoácido arginina. Este aminoácido auxilia nos níveis de óxido nítrico e hormônio do crescimento. Também possui uma excelente concentração de antioxidantes. Em períodos de redução da gordura corporal, a proteína isolada de soja apresenta um ótimo papel, visto que apresenta um auxílio no controle do apetite e melhor ajuste dos hormônios tireoidianos. Apresenta velocidade de absorção mais lenta do que a whey protein e mais rápida do que a caseína. Alguns estudos demonstram que sua utilização pode ser bem útil em conjunto com a whey protein tanto no período pré como no período pós treino. O uso no período pré-treino se justificaria devido à presença de arginina e o uso no período pós-treino devido à presença dos antioxidantes. Uma outra dica seria o uso de proteína isolada de soja em conjunto com caseína micellar e albumina nas refeições intermediárias, fazendo portanto, um mix protéico da mais alta qualidade. Como vimos, temos ótimas opções de suplementos protéicos disponíveis no mercado. Tudo irá depender da necessidade, características da dieta e disponibilidade financeira. Lembre-se que grandes campeões do passado como Arnold Schwarzenegger, Sergio Oliva, Franco Columbo, Frank Zane, dentre outros, não possuíam toda esta variedade a disposição e mesmo assim conseguiram resultados fantásticos! O grande determinante do sucesso ainda é a determinação de cada um! Para evitar um uso inadequado da suplementação alimentar, busque sempre orientação com um nutricionista esportivo.
  42. 1 point
    HIDRATAÇÃO X MUSCULAÇÃO Nosso corpo é composto 70% por água. Só esse dado deveria bastar para explicar a importância da água no treino de musculação (e em qualquer área da vida relacionada a saúde). Apesar disso, muita gente continua ignorando a importância da hidratação. Considerando-se que há perdas significativas de líquidos e minerais durante o exercício físico, a hidratação adequada é fundamental para que o rendimento físico e saúde não sejam prejudicados. Durante a prática esportiva, a taxa de transpiração é altamente variável, oscilando entre 1 e 2 litros de líquidos por hora de exercício. A diminuição de água no nosso corpo acarreta diminuição da capacidade máxima de desempenho durante a atividade física. É importante ressaltar que a desidratação antecede a sede, dessa forma, ao sentir sede o esportista já está desidratado podendo assim apresentar efeitos deletérios à performance e saúde. Estudos comprovam que uma mistura apropriada de líquido com carboidratos e eletrólitos podem melhorar o desempenho do atleta. Dessa forma, o objetivo maior da inclusão de eletrólitos nas bebidas esportivas é a reposição do que foi perdido no suor. Quanto aos carboidratos, estes além de melhorarem a palatabilidade, têm um efeito mínimo no esvaziamento gástrico e estimula a absorção de líquidos e eletrólitos no intestino delgado. Vale lembrar que a concentração ideal de carboidratos para atingir esses benefícios é de 60 a 80 g/L. Um bom exemplo de uma bebida esportiva adequada quanto aos eletrólitos e aos carboidratos é o soro caseiro, com custo infinitamente menor do que as bebidas esportivas industrializadas. Porém, sua palatabilidade pode ser desagradável para algumas pessoas. Enfim, qual bebida devo tomar na prática da musculação? Além da água que é hipotônica, os isotônicos são as bebidas mais indicadas e devem ser ingeridas de forma alternada com a água. Além de serem à base de água possui em sua fórmula sais minerais e carboidratos (6 a 8%), ideais para reposição de líquidos e eletrólitos perdidos através do suor durante atividade física. Como as concentrações de eletrólitos são semelhantes ao sangue humano, a absorção desse líquido é muito rápida. E mais, por apresentar baixa quantidade de carboidratos se comparado com outras bebidas (sucos e refrigerantes), não há sobrecarga do aparelho digestivo. Além disso, durante a atividade física esses carboidratos fornecem energia para os músculos que estão em exercício. Lembrando que os refrigerantes e sucos adoçados são hipertônicos e nessa condição dificultam a hidratação e devem ser evitados antes, durante e após o esporte. Vale ressaltar que só há necessidade de consumi-los se você perder mais de 2% de peso corporal durante a atividade física. Uma forma fácil de verificação é você pesar-se antes do exercício e imediatamente após, aplicando a fórmula abaixo: PESO PÓS -TREINO X 100 - 100 ______________________ PESO PRÉ-TREINO Resultado menor ou igual a 2: só a água será suficiente; Resultado maior que 2: beba um isotônico, além da água; Nos dois casos, o resultado dessa fórmula também indica a quantidade (em litros) que você deve ingerir. Segue alguns exemplos de isotônicos: água de coco, Gatorade, Sportade, Marathon, Tafman E. E LEMBRE-SE SEMPRE: HIDRATE-SE ANTES, DURANTE E DEPOIS DE ATIVIDADE FÍSICA.
  43. 1 point
    DEXTROSE vs MALTO vs FRUTOSE. Quem vence essa briga? Os carboidratos são a principal fonte de energia alimentar para os seres humanos e também a mais abundante fonte de alimentos encontrada no planeta. A digestão dos carboidratos inicia-se na boca, e posteriormente no duodeno, onde ocorre a maior parte da digestão dos carboidratros. Sua absorção só ocorrerá após toda a hidrólise, que irá formar os monossacarídeo que serão levados à corrente sanguínea. Resumindo, todos eles vão virar glicose no final das contas. Então quais as diferenças? As principais “diferenças” entre malto e dextrose, são mínimas, o mesmo podemos dizer para o preço das duas. A dextrose tem Índice Glicemico de 111 e a malto de 105. Se o seu objetivo for usar dextrose ou malto para a reposição de glicogênio perdido durante o treino e elevação da insulina para aumentar a absorção de outros nutrientes como proteína, tanto uma como outra vai conseguir fazer o trabalho com eficácia, mas se você não sabe com qual delas você tem melhores resultados, faça como a maioria dos culturistas fazem, prepare uma dose com 50% de dextrose e 50% de malto e os seus problemas estarão resolvidos Em treinamento intenso necessitamos estar com os estoques de glicogênio hepático e principalmente muscular bem abastecidos para não entrarmos em catabolismo. Ao entrar em catabolismo, o fígado inicia um processo denominado gliconeogênese, que é o recrutamento de aminoácidos (proteína) para a formação de energia ocorrendo um consumo de massa muscular magra como fonte de energia. As reservas corporais de glicogênio não passam de 500g na maioria dos indivíduos, sendo que 100g esta no fígado e 400g no músculo com um resíduo de cerca de 5g no plasma sanguineo. Portanto, um dos fatores cruciais e não menos importante que a ingestão pré-treino é a reposição do glicogênio muscular e hepático no pós-treino. Quando falamos de carboidratos para reposição, é preciso verificar alguns fatores de suma importância para que o objetivo seja atingido com eficiência. Os carboidratos , como foi dito acima, sempre formarão um monossacarídeo (forma mais simples de carboidrato). Após absorvidos, estes monossacarídeos chegarão até as células priorizando a formação de ATP (adenosina trifosfato). O ATP é a fonte principal de energia em nosso organismo e a glicose é a forma mais rápida do organismo formar o ATP. A síntese de glicogênio é feita apenas pela glicose. A frutose, que é um outro monossacarídeo encontrado em abundância na maioria das frutas, não entra na via da glicolise aeróbica para a formação de ATP. A frutose formará diidroxiacetona e gliceraldeído que é uma via importante para a formação de triglicerídeos (gordura), o que não é o interesse de nenhum de nós atletas de musculação. Portanto, a abordagem dos carboidratos no pós-treino estaria totalmente focada nos polissacarídeos como a maltodextrina ou mesmo no monossacarídeo como a dextrose, ambos de rápida absorção e índice glicêmico alto, mesmo a malto sendo um carbohidrato com ligações complexas. Assim, quando os músculos necessitarem de ATP irão buscar energia nos estoques de glicogênio muscular onde a glicose está armazenada. Contudo, ao término de exercícios físicos, geralmente os estoques de glicogênio muscular estão escassos e o miócito (célula do tecido muscular) necessita de glicose para reabastecer esses estoques de glicogênio. Como a glicose é a principal fonte de energia para a produção de ATP, a reposição com maltodextrina ou dextrose seria o melhor caminho, desprezando as fontes de frutose que serviriam para formar gordura. As recomendações para ingestão de carbo pós-treino variam muito assim como a ingestão pré-treino que varia de acordo com a atividade fisica, duração e intensidade. De forma geral podemos sugerir de 0,7 a 3g por kg de peso de 2 em 2h de acordo com a necessidade individual. Espero que este texto tenha esclarecido algumas dúvidas. Bons treinos a todos.
  44. 1 point
    A beta-alanina é um aminoácido beta (outra classe de aminoácidos que não estão inclusos na síntese protéica, ganho de massa, etc.) que juntamente com a histidina é responsável pela síntese de um importante neutralizador da fadiga localizada/queimação dos músculos – a carnosina. A presença de maiores quantidades de carnosina nos músculos é capaz de evitar e até mesmo retardar a formação do vilão dos exercícios intensos - o ácido lático – que causa dor e queimação local, fazendo com que você diminua a intensidade ou até mesmo pare o exercício por não aguentar mais. Basicamente, quanto maior a quantidade de carnosina, melhor o desempenho físico. Assim, o aumento dos níveis de carnosina através da suplementação com beta-alanina, eleva a capacidade de bloquear o efeito acidificante do hidrogênio, atrasando a fadiga e melhorando a performance. Porém, a suplementação direta com carnosina não seria válida, uma vez que essa substância é facilmente quebrada no estômago e intestino, então sua suplementação não teria efeito algum, mas, suplementando beta-alanina você terá o benefício no aumento das concentrações de carnosina nos músculos e sangue. Quanto maior a concentração de carnosina nos músculos e sangue, mais facilmente o pH sanguíneo será mantido, evitando acidificação e queimação. Lembrando que a beta-alanina irá oferecer benefícios somente para pessoas com um nível intenso de treinamento em exercícios como: artes marciais, sprints, musculação pesada, spinning, corrida/ciclismo de alta velocidade, etc. Diversos estudos comprovaram que há aumento de força, performance e resistência muscular quando a suplementação com beta-alanina é feita por pelo menos 20 dias. Como suplementar? Use de 5-7g de beta-alanina em alguma refeição antes de treinar. O efeito começa a ser notado após 10-15 dias de uso e o suplemento não possui efeitos colaterais, nem contra-indicação. A beta-alanina parece ser um suplemento promissor, então uma sugestão é: alterne ciclos com creatina e beta-alanina, assim você não se acostuma a nenhuma das substâncias (o que pode reduzir seus resultados) e se mantém o ano inteiro forte, resistente e com a performance máxima! Bons treinos! REFERÊNCIAS: KLEINER, Susan M.; GREENWOOD-ROBINSON, Maggie. Power Eating. Human Kinetics. United States, 2007. MELTZER, Shelly; FULLER, Cecily. Eating for Sport: a practical guide to sports nutrition. New Holland. London, 2005. MAUGHAN, Ronald J.; BURKE, Louise M. Nutrição esportiva. Editora Artmed, 2004.
  45. 1 point
    Estou cansado de ouvir gente hipócrita e estúpida difamando a nossa classe. Dizendo que somos burros, bombados, que só temos músculos demais e cérebro de menos. Ouço ainda que somos bitolados, fechados em um mundo egoísta, e malucos. Desde que iniciei no esporte, minha vida mudou, e garanto que foi pra melhor. O fisiculturismo nos ensina valores que muitas vezes estão escondidos em nossos espíritos . Espíritos que são amontoados por vícios que a sociedade impõe. Comodismo, preguiça, indiferença, são malefícios impostos direta e indiretamente em nossas vidas de forma tão avassaladora que deixamos escondido aquilo que deveria realmente ser ressaltado, ou que pelo menos eu julgo que merecia ser ressaltado. O que você aprende com o Fisiculturismo além de técnicas para criar um corpo escultural? O que nos diferencia dos demais? Disciplina: Não existe um fisiculturista que não tenha isso como um dos principais valores. A disciplina, a insistência, o foco na missão é o que traz os resultados que a maioria não tem. Determinação: Quantas vezes você traça um objetivo e deixa pra lá? Desiste por dificuldades? Seja no que for, um fisiculturista aprende a nunca desistir, a ser determinado e ir até o fim em seus objetivos Dor: Todo fisiculturista sofre, passa fome ou então come o que odeia. Sente a dor de cada treino, a dor de cada lesão, a dor dos sacrifícios pelo seu objetivo. Isso só os torna mais fortes. Saúde: Enquanto a sociedade impõe que o homem feliz ideal é aquele que bebe cerveja, fuma e se acaba na noite, o atleta preza por sua saúde , alimentação regrada e bons hábitos. Poderia ficar horas mais aqui falando sobre os benefícios extra musculares que o fisiculturismo causa na vida das pessoas. Experimente pegar estes valores e aplicar na sua vida fora da academia. Com certeza começará a ser mais bem sucedido em todos os seus projetos.
  46. 1 point
    O uso de esteróides anabolizantes diminui a expectativa de vida? Dentre os vários mitos criados em relação à utilização de esteróides anabolizantes, figura um que certamente é senso-comum por parte do público leigo – aquele que diz que usuários deste tipo de recurso morrem mais cedo. O que, a princípio, parece ser uma idéia que já foi respaldada por vários artigos científicos, na verdade merece um olhar mais atento e necessidade de uma capacidade interpretativa da parte dos que enveredam na leitura desses estudos. O universo do uso de recursos ergogênicos é, em sua essência, amparado por conhecimentos estritos em bioquímica e farmacologia – embora muito freqüentemente apareçam “gurus” com visões controversas, como foi o caso de Dan Duchaine, cuja literatura underground inclusive causou sérios danos na saúde de seus seguidores – mas não deixa de ser um ambiente restrito aos atletas e preparadores, extremamente fechado ao mundo externo. Por esta razão é existe uma distância imensa entre a realidade vivida por essas pessoas e aquelas que se propõem a realizar pesquisas e estudos sobre o tema. Um estudo em particular, intitulado Exposure to Anabolic-androgenic Steroids Shortens Life Span in Male Mice (exposição a esteróides anabólico-androgênicos reduz expectativa de vida em ratos machos), publicado em 1997 pela ACSM– American College of Sports Medicine, reforça a idéia – confirmando o senso-comum – de que a utilização de esteróides androgênicos anabólicos pode reduzir o tempo de vida daqueles que o utilizam. O estudo foi feito com ratos machos adultos, que receberam uma dosagem múltipla de diferentes tipos de AAEs, como cipionato de testosterona, metiltestosterona e noretandrolona. O tempo de administração foi de seis meses. Foram divididos dois grupos: um onde foram feitas dosagens moderadas e outro com altas dosagens. A quantidade utilizada ficou entre cinco a vinte vezes o usualmente empregado na terapêutica. A forma de administração foi por implante sub-cutâneo. Após um ano da interrupção do uso dos AAEs, 52% das cobaias do grupo alta dosagem haviam morrido, enquanto no grupo de dosagem moderada morreram 35% dos ratos. As autópsias revelaram que em ambos os grupos os animais tinham desenvolvido tumores hepáticos, renais e uma série de lesões em órgãos como coração, pulmões e nos gânglios linfáticos. À primeira vista, este parece ser o resultado que mais corrobora com o senso-comum. De fato, o uso destes farmacológicos pode representar também em humanos, especialmente aqueles que os utilizam para fins de melhora no desempenho atletico, uma diminuição da longevidade. Mas procuremos analisar a situação com olhar mais detalhado. Segundo Chris Street, o estudo não foi conclusivo porque houve uma enorme discrepância entre os protocolos utilizados no experimento em relação aos utilizados pelos atletas, especialmente fisiculturistas. Com efeito, as combinações feitas no experimento estão longe de ser as mesmas praticadas no mundo do bodybuilding, powerlifting ou qualquer outro esporte. Os pesquisadores utilizaram drogas altamente androgênicas e por um período ininterrupto e bastante extenso. Considerando o tempo de vida de um rato Wistar (utilizado no estudo), que é de cerca de 34 meses, no máximo, o tempo de dosagem proporcional a um ser humano seria de 12 anos ininterruptos! As administrações de AAEs por fisiculturistas geralmente são feitas em ciclos, de duração moderada, usualmente duas a três vezes ao ano. Provavelmente nenhum atleta deva ter feito o uso por um período de 12 anos sem pausa. Também há disparidades, como já foi citado, na natureza das drogas consumidas. As preparações feitas por fisiculturistas normalmente não combinam três drogas de alto perfil androgênico simultaneamente. O ideal seria que fossem feitas pesquisas que se assemelhassem mais à realidade dos atletas a fim de que se colhessem resultados mais fidedignos, condizentes com a situação real. Sem sombra de dúvida, há estreita relação entre a utilização de AAEs e ocorrência de diversas patologias, porém devemos lembrar que existem as predisposições genéticas para cada enfermidade. Imagine que, todos os anos pessoas são acometidas por problemas que normalmente são associados ao uso de ergogênicos, sem contudo nunca os terem utilizado. Uma das provas que esta idéia não é de todo verdadeira é a longevidade de vários fisiculturistas profissionais como Arnold, Lee Haney, Vince Taylor, Larry Scoot, Robby Robinson, Ed Corney, Dave Draper e muitos outros. A despeito do que possa aparentar, mesmo não encontrando verossimilhança entre o experimento e a realidade vivida pelos atletas, não há como garantir que a utilização tanto dos AAEs ou de qualquer outro farmacólogico seja completamente segura e livre de riscos. Os preparadores o fazem sempre considerando a relação risco-benefício e ainda assim sob estrita vigilância e monitoramento. Não parece nada prudente aventurar-se nessa jornada sem possuir o mínimo embasamento teórico; não há nenhuma garantia nesse aspecto. Entretanto, podemos chegar à conclusão de que, se a sua genética não se relaciona com os problemas advindos do uso de AAEs, provavelmente não serão eles que diminuirão seu tempo de vida. Quem sabe a culpa não seja dos analgésicos? BONS TREINOS E ATÉ A PRÓXIMA!
  47. 1 point
    O Brasil era o último país do mundo que ainda não havia liberado a comercialização de suplementos de creatina, a liberação anunciada pela Anvisa é extremamente positiva e abre caminho para, algum dia, a substância ser usada pela população em geral, e por idosos especialmente, até mesmo mais do que em atletas. Em termos de segurança, isso já é um fato. Ela não é uma substância salvadora, mas seus efeitos terapêuticos são extremamente promissores, por mais que a creatina tenha sido maltratada nos últimos anos. Pesquisas atuais avaliam o uso de creatina no tratamento de diabéticos. Ela melhora o controle metabólico em caso de diabetes. Auxiliando a colocar açúcar do sangue para dentro do músculo. É similar à metformina, o medicamento antidiabetes mais empregado. Há estudos também, para aferir efeitos da creatina no campo da cognição em geral, melhorando memória e aprendizagem. A Creatina foi descoberta em 1835 por um cientista francês. A creatina ainda é considerada o suplementos alimentar mais popular e para atletas e outros desportistas. Encontrada naturalmente em carnes vermelhas a creatina é um derivado de aminoácidos, mais comumente, metionina, glicina e arginina. É utilizada para ganho de força e para desenvolver massa muscular. A creatina inicialmente não ficou tão conhecida e se tornou popular somente nos anos 90. Há muitos estudos que provam que seu uso é seguro e eficaz. A Creatina tem duas funções principais: Quando é tomada, há um notável aumento no tamanho das células musculares. Ela atua como uma fonte de trifosfato de adenosina (ATP), que é uma fonte imediata de energia, e isso leva indiretamente ao crescimento dos músculos. Existem três tipos principais: Creatina Monohidrato: É considerada o mais comum de todas as creatinas. Quando uma molécula de creatina é misturada com água, torna-se a creatina monohidratada. A composição da creatina monohidratada é quase sempre 88% de creatina com 12% de água. Em outras palavras, 880 mg de creatina está presente em cada grama de creatina monohidratada. Hoje em dia, a creatina monohidratada é micronizada para melhor absorção. No entanto, monohidrato de creatina tem as suas desvantagens.Parece não ser tão eficaz quando quando comparadas aos estudos no nível molecular. Não há penetração na célula muscular. Uma vez que é hidrofílica, não há penetração nas camadas lipídicas. É dependente de outros nutrientes para o transporte de energia. Não há transporte eficiente por meio lipídico. O inchaço é um dos seus principais efeitos colaterais. Creatina Citrato: A solubilidade em água é uma das razões para a popularidade do citrato de creatina. Em palavras simples, quando colocadas em água, dissolve-se facilmente e rapidamente. citrato de creatina é um produto de ácido cítrico ligado as moléculas de creatina. A teoria é que a combinação de ácido cítrico e creatina dá energia muscular relativamente maior do que citrino sozinha. No entanto, isso ainda não foi comprovado na prática. Desvantagens da Creatina Citrato: Nível de creatina é 40% inferior ao que é encontrado na mono. Citrato de creatina é caro quando comparado a creatina monohidratada. Fosfato de Creatina: A creatina é ligada a uma molécula de fosfato, que resulta em fosfato de creatina. Ele atua como uma fonte de trifosfato de adenosina e dá mais energia para fisiculturistas e atletas. Desvantagens de Fosfato de Creatina: [*]Ele é menos eficaz quando comparado a creatina monohidratada. [*]É cara. Creatina Malato: Como o nome sugere, quando o ácido málico, liga-se a creatina, malato de creatina se forma. Acredita-se que a malato tem um maior potencial do que a mono, uma vez que o mesmo é necessário para a criação de energia. Creatina Ester: É chamada creatina etil éster e formada pela ligação de uma molécula de éster a creatina. Ela foi criada no centro médico da Universidade de Nebraska pela mistura de um ácido com álcool. Diz-se que pode permear a membrana celular de forma eficaz. Poucos estudos foram realizados com essa creatina para afirmar que ela é realmente melhor que a monohidratada. Além de todos esses, existem creatinas efervescente e de magnésio que são menos usadas. Para uma revisao rapida veja aqui o rendimento da creatina "livre" se você tomar 5 gramas de cada suplemento de creatina Creatine Monohidrato rende 4,40 gramas de creatina A creatina fosfato rende 3,12 gramas de creatina Creatina citrato rende 2 gramas de creatina
  48. 1 point
    Reportagem da revista ISTOÉ de 11 de dezembro de 2009 trata de pesquisa em torno dos danos que podem ser causados pelo uso de anabolizantes esteroides. Acompanhe: Medicina & Bem-estar | N° Edição: 2092 | 11.Dez - 21:00 O dano dos Anabolizantes Pesquisa inédita revela que essas substâncias degeneram a saúde do coração, do cérebro e elevam o risco de morte súbita Mônica Tarantino Pela primeira vez, a medicina conseguiu descrever o impacto provocado pelo uso de esteroides anabolizantes no coração e no cérebro. Em um estudo que teve duração de quatro anos, a cardiologista Janieire Alves, da Unidade de Reabilitação Cardíaca e Fisiologia do Exercício do Instituto do Coração, de São Paulo, avaliou 40 homens com idades entre 18 e 40 anos que assumidamente se automedicavam com doses regulares dessas substâncias havia dois anos. Essas drogas imitam o hormônio masculino testosterona e são usadas com a finalidade de aumentar a massa muscular e reduzir a fadiga. Os prejuízos ao corpo são impressionantes. “Os usuários apresentam um risco cinco vezes maior de ter acidente vascular cerebral, parada cardíaca ou morte súbita do que a população em geral”, afirma a médica Janieire. As conclusões do trabalho serão publicadas em maio de 2010 pela mais renomada revista científica de medicina do esporte, a “Medicine & Science in Sports & Exercise”, do American College of Sports Medicine. “É um avanço mundial no conhecimento sobre a utilização desses compostos”, afirma Carlos Eduardo Negrão, que participou da pesquisa. Os voluntários do estudo foram submetidos a testes de sangue e a exames para medir a capacidade pulmonar e cardíaca de oxigenar o corpo a cada quatro meses. Porém, essa exigência reduziu o número final de participantes. Só 12 fizeram todos os testes. Além disso, dois tiveram morte súbita e um ficou com câncer de fígado. Os exames revelaram uma preocupante redução do colesterol bom (HDL) e o aumento do ruim (LDL) e dos níveis de pressão arterial (leia mais no quadro), o que eleva o risco de entupimento dos vasos sanguíneos cerebrais e do coração. A cardiologista Janieire também identificou uma intensa mudança no ritmo do sistema nervoso simpático, que regula a contração dos vasos, a aceleração dos batimentos cardíacos e a concentração do hormônio noradrenalina no sangue. Essas modificações aumentam o esforço do coração para bombear o sangue. “Há casos em que os músculos e áreas do próprio coração recebiam apenas 40% do sangue necessário”, diz a cardiologista. A associação dessas alterações aumenta as chances de insuficiência cardíaca precoce. O que os pesquisadores não conseguiram saber é se esses efeitos são reversíveis, com a interrupção do uso. “Não foi possível ter essa resposta porque os voluntários voltavam a tomar as substâncias quando sentiam uma perda de massa muscular”, lamenta Janieire. A “bomba” é ainda pior Nova pesquisa alerta para os perigos dos anabolizantes. E revela que eles podem levar à morte súbita de seus usuários Por Monica Tarantino O efeito dos anabolizantes sobre o coração e o cérebro é muito mais perigoso do que se suspeitava. Pesquisa recente, coordenada pela cardiologista Janieire Nunes Alves, da Unidade de Reabilitação e Fisiologia do Exercício do Instituto do Coração, em São Paulo, revelou que os usuários dessas substâncias têm cinco vezes mais riscos de sofrer um derrame ou parada cardíaca. E que o uso de anabolizantes pode causar câncer e até levar à morte súbita. Confira, abaixo, a entrevista exclusiva que a especialista concedeu a ISTOÉ Online. ISTOÉ – Quem participou da sua pesquisa? Janieire Alves – Homens com idade entre 18 e 40 anos que tomavam essas substâncias havia dois anos. Para achá-los, eu fui a várias academias, especialmente a algumas em que se sabia serem pontos de consumo regular de anabolizantes, para perguntar quem gostaria de participar da pesquisa. Mas foi muito difícil conseguir voluntários. As pessoas têm muito medo de ser expostas. Eles só aceitaram participar com a garantia de sigilo absoluto de seus nomes. Um dos motivos é a sua participação em competições, pois o uso de anabolizantes é ilegal. Consegui 40 pessoas, mas apenas 12 fizeram todos os testes necessários. ISTOÉ – Os testes de rotina, feitos por atletas, não detectam os anabolizantes? Janieire Alves – Detectam, mas há vários meios de mascarar esses resultados durante o período de competições. Para fazer nosso estudo, por exemplo, a sensibilidade do teste de urina feito inicialmente para atestar o uso foi aumentada dez vezes. Esses exames foram realizados em parceria com a professora Regina Moreau, no Laboratório de Toxicologia da Faculdade de Farmacologia da USP. ISTOÉ – Como essas substâncias são ingeridas? Janieire Alves – Por injeção ou via oral. No grupo estudado, vi que o uso se dá em ciclos. As pessoas tomam por cerca de dois meses, depois param algum tempo e voltam quando sentem que a musculatura começa a diminuir. ISTOÉ – Algum dos voluntários deixou de tomar anabolizantes depois de conhecer mais sobre os efeitos que essas drogas estavam provocando no organismo? Janieire Alves – Não. De todas as pessoas que participaram, apenas três aceitaram receber apoio psicológico para não usar mais. Um deles estava com sintomas iniciais de câncer de fígado, que é outro efeito colateral do uso constante dessas drogas. ISTOÉ – Os anabolizantes causam alguma dependência física ou psicológica? Janieire Alves – Pude observar que a maioria dos voluntários manifesta um transtorno de imagem conhecido como vigorexia. Por mais musculosos que estejam, eles se vêem pequenos e, por isso, precisam ganhar mais massa muscular. É praticamente o oposto da anorexia, em que a pessoa se julga gorda, ainda que isso não corresponda ao peso apontado pela balança ou à imagem refletida no espelho. ISTOÉ – Qual é a substância mais consumida? Janieire Alves – No grupo analisado, o estanozolol. É uma droga injetável, indicada para uso veterinário. Ela é mais consumida por ser mais acessível e de baixo custo. Promove a recuperação da musculatura dos animais. Mas existem dezenas de outras substâncias. ISTOÉ – A musculatura obtida com anabolizantes é igual a conquistada com muita malhação? Janieire Alves – Nosso estudo mostrou que o ganho excessivo de musculatura, o aumento do tamanho do músculo cardíaco e alterações de pressão acontecem também com as pessoas que praticam musculação em alta intensidade, ou participam das competições de halterofilismo, porém em magnitude muito inferior àqueles que tomam anabolizantes. Na população estudada por nós, identificamos que há uma piora significativa da irrigação dos tecidos. Em testes para avaliar a capacidade cardíaca e respiratória, vimos que essas pessoas ganham força, mas não têm condicionamento ou resistência equivalentes. ISTOÉ – Existe uma dose segura de anabolizantes? Janieire Alves - Os anabolizantes são substâncias análogas à testosterona, fabricada nos testículos. Se ela já existe em quantidade suficiente no organismo, doses adicionais inibirão a produção orgânica (natural). A questão é que as substâncias sintéticas não são aceitas da mesma forma que a testosterona natural por outras glândulas, o que inicia um desequilíbrio na troca de mensagens entre os hormônios que regulam os ritmos do corpo. Em consequência, isso leva aos efeitos indesejáveis. Na minha opinião, não se deve tomar se não existe carência provada em exames laboratoriais. O estudo que fizemos fornece sólido embasamento científico mostrando que, para o sistema cardiovascular, essas substâncias são muito deletérias. Elas agem, por exemplo, sobre a glândula supra-renal, estimulando a maior liberação de noradrenalina, que pode aumentar o risco de desenvolvimento de arritmias cardíacas (alterações do ritmo cardíaco), podendo levar até à morte súbita. FONTE: Revista ISTOÉ, edição 2092 http://www.istoe.com.br/reportagens/27630_O+DANO+DOS+ANABOLIZANTES?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage
  49. 1 point
    Brócolis é um desses alimentos em que a ciência descobre novas propriedades benéficas a cada dia. Ele nos abastece sem nos encher. Ele contém propriedades anticancerígenas e outros nutrientes que também combatem outras doenças. Estudos recentes relataram que o brócolis contém um elemento químico (fitoquímico) que inibe o desenvolvimento da bactéria H Pylori! Helicobacter pylori (H Pylori) é a causa principal de gastrite e úlcera estomacal. Infelizmente, estudos têm mostrado uma correlação entre repetidos ataques de H Pylori com o câncer no estômago. A H Pylori tem provado ser uma variedade muito obstinada de bactéria como alguns de nós devem saber depois de múltiplas dosagens de antibióticos durante o período de infecção recorrente. Os fitoquímicos encontrados no brócolis, de acordo com esses estudos, têm demonstrado inibir o desenvolvimento, em culturas de células humanas e de ratos, até de variedades da bactéria resistentes a antibióticos. O que é um fitoquímico? Fitoquímicos são compostos não-nutrientes encontrados em plantas que têm atividade biológica no corpo humano. O brócolis também contém grande quantidade de vitamina C, e levando-se em consideração o peso contém mais vitamina C do que a laranja (1 xícara de brócolis tem quase o dobro de vitamina C do que uma laranja). Brócolis também contém vitamina A, potássio, cálcio e 5 gramas de fibras alimentares por xícara. Com 25 calorias por xícara cru ou 15 calorias por 1/2 xícara cozido, brócolis nos dá muitas razões para comê-lo freqüentemente. A radiação UV (UVR) é um carcinógeno completo que desencadeia uma série de eventos patológicos, incluindo danos diretos ao DNA, geração de oxidantes reativos que causam peroxidação de lipídios e danificam outros componentes celulares, iniciando inflamação e supressão da resposta imune. Em busca de alternativas para reduzir os efeitos danosos da exposição solar excessiva, pesquisadores norte-americanos encontraram excelentes resultados na utilização de broto de brócolis. O estudo destaca que o sulforafane não absorve a radiação ultravioleta, mas atua no nível celular para tal resultado. A substância também induz a formação de proteínas protetoras na pele, efeito que dura vários dias. Comer brócolis regularmente reduz o risco do homem desenvolver formas agressivas de câncer de próstata, sugere uma pesquisa feita nos Estados Unidos e publicada no Journal of the National Cancer Institute. A equipe do National Cancer Institute dos Estados Unidos e do Cancer Care de Ontário, no Canadá, questionou sobre os hábitos alimentares de pacientes diagnosticados com a doença. Uma porção semanal de brocolis foi associada a uma queda de 52% no risco de desenvolver uma forma agressiva da doença. Informação é poder e nesse caso, saúde também! Espero que vocês aproveitem a informação e utilizem esse poderoso alimento com mais freqüência. Abraço a todos!
  50. 1 point
    Gostaria de sentir-se motivado(a) todos os dias? Sentir vontade de ir à academia, clube, etc, na maior disposição? Saiba como manter-se motivado(a) na busca por um shape melhor, e mais saudável!!! Programação de treinamento com amigo: De tempos em tempos, mude de parceiro de treino e ou combine com ele(a), mudanças na programação de treinamento de ambos. Programação de treinamento assistida: Caso você siga uma uma programação de treinamento feita por um profissional de educação física, na academia ou clube onde você treina, solicite alteração da mesma, com base no seu objetivo, biotipo, e outros detalhes importantes, para que seja feito a alteração de forma personalizada, afinal você é único(a). Em ambos os casos, a “medida” é preventiva, afinal a última coisa que você deseja é a estabilizacão de resultados, então, quando a rotina de treinamento com ou sem parceiro, se tornar monótona, e ou fácil demais, é o momento de mudar. Avalie-se sempre: O fato de você por algum motivo, não ter treinado bem, ou como gostaria, determinado grupo muscular, em algum dia da semana, não é razão para trocar de série, mandar o parceiro de treino passear… Outro erro comum, é achar que a troca de série vai trazer resultados imediatos, como se fosse a salvação da lavoura, este recurso de nada adiantará se não houver dedicação, empenho e sobretudo uma análise anterior do todo que a envolve. Você sabe o que você quer? Por mais incrível que possa parecer, um percentual bastante considerável de pessoas que não conseguem ficar de bem com espelho e auto-estima, e ou se mostram insatisfeitas c/ os resultados obtidos (muitas vezes resultados insignificantes), mesmo fazendo atividade física seja essa qual for. Sabem o por quê? A pessoa deseja mudar, mas não sabe direito o que quer. Uma semana a garota deseja pernas da ultima gostosona do ultimo BBB, na proxima semana, gluteos de uma “fruta”, depois abdomen de passarela. E os caras seguem os modismos também, alguns se guiam por datas (geralmente Point’s Party, Raves, etc), e se dividem: os adeptos do Johnny Bravo’s Shape, e ou Lyoto Machida, passando por Kelly Slater, chegando em Jesus…aquele da Madonna, e quem sabe pro proximo ano um “trabalhinho mais forte” p/ um shape mais Jay Cutler ou Dexter Jackson, ou quem sabe Victor Martinez, ou Edu Correa. É impossível atingir um objetivo desconhecido! Faça algumas perguntas pra você mesmo(a). Você está fazendo atividade física? As respostas à questões feitas e respondidas por você são fundamentais. A chave 1 para a conquista de um objetivo é ter um, não se consegue ter aquilo que não se deseja e ou não é sabido. Não existe nada a ser feito em prol do Aumento da sua Motivacão, frente a um objetivo desconhecido, e principalmente que não seja seu, é como xixi, ninguém pode fazer por você, por mais solidário que seja a intenção do outro(a). Estipule uma meta com data Este recurso, ajuda a imprimir um rimo (subconsciente), para alcancar seu objetivo e funciona como um estímulo diário. Obs: Determine um objetivo plausível de êxito, a princípio dê preferência à “pequenas metas”, ou seja aquelas que podem ser conquistadas (de acordo com seu empenho) em um prazo consideravelmente curto, pois quanto mais próximo (a) o Objeto de Desejo, Maior será Empenho para tê-lo. Este é um “mecanismo” para aumentar sua motivacão, a intenção aqui é manter você focado(a). Faça mais que começar: Leve essa meta para outros lugares além da academia. Não proponho uma alienação, e ou que você se torne um(a) Ms./Mr. Fitness ou um(a) bitolado de academia, desejo que este seja um ponto de partida para você adicionar práticas saudáveis no seu dia-a-dia, porque os objetivos que você almeja, certamente não serão resultados provenientes somente do período em que você esteja em atividade na academia, clube. Sabe aquele tipo de situação típica, quando você vai a um restaurante, come aquela feijoada completa, porem acompanhada de coca diet? Então, o que acha de colocar uma mensagem introspectiva (para você), no seu MSN, Orkut, Agenda, sites de relacionamento em geral, na mão, onde você quiser? Escolha e escreva oque você merece ler…agora! Trilha sonora pode fazer toda diferença Principalmente para aqueles(as) que treinam sozinhos (as), e ou fazem exercicios aeróbios, essa é uma estratégia simples e funcional (minha tabua de salvação. I hate do it!!!). Semanalmente troque, adicione ou delete músicas do seu Ipod ou mp3. Monte uma Seleção pensando em músicas que lhe motivem de alguma forma, e ou te faça lembrar de algo que, lhe dê prazer e te faça sentir orgulho de si mesmo(a). ***Vale Tudo Love Songs… Nada contra também às mela-cueca Music, umificador de calcinha ou chifres ao alto music, se o estilo musical escolhido por você, lhe impulsiona a dar um gás na esteira, ou fazer 10 minutos a mais, sem problemas, Manda ver! Planejamento minimiza falhas Planeje o que você vai comer durante o dia seguinte, coloque isso no papel, word, PDF, geladeira, o lugar Não importa, Não esqueça de escrever o que você NÃO vai comer também. Esse é um formato “Inconsciente de ordem a sua mente. Programa de recompensa O adestramento não funciona somente para o meu e o seu cachorro, somos capazes de adestrar nossas ações. Lembre-se das razões pelas quais é prudente adestrar um Rottweiler (exemplo real, meu pequeno urso). Afinal é um cão forte, grande, e se ele não souber “quem manda”, certamente ele não poderá desfrutar o melhor da vida junto ao seu dono. Imagine uma visita chegando a sua casa, e seu pequeno caozinho faz algo comum aos caes, tais como: subir na pessoa como forma de dizer oi, marcar territorio em qualquer lugar, apaixonar-se pela perna da sua avó, latir a todo instante, afinal ele quer atenção e se expressar como você, ou simplesmente não lhe obedecer? Sem dúvida, este pobre cão, por não ter recebido uma educação na linguagem adequada, terá que ficar isolado nos momentos mais legais junto a familia, como festa, casa de praia, brincadeiras com crianças, sem contra na frustação do dono, etc… É mais ou menos isso que, por vezes acontece quando não se tem domínio sob nossas atitudes, em algum momento, e ou situação você vai se isolar, ou se sentir isolada(o) de alguma forma. Seguem exemplos clássicos, dos quais se você não vivenciou, provavelmente já deve ter presenciado, ou ouvido dizer de exemplo semelhante. -(Meninas): Abdicar-se de um final de semana em um clube ou churrasco da empresa em que trabalha, ou pior na empresa onde trabalha seu marido, namorado, ou ir a praia com amigos, namorado(a), por não estar “in shape”, sem coragem de colocar o biquini que gostaria; -Sentir-se inferiorizada ou mal, porque a namorada, amiga, acompanhante de um amigo do grupo deixa todos do grupo de boca aberta, inclusive seu namorado ou cara que você esteja afim, (com razão, a menina está um arraso); -(Meninos): Resolve não ir com a galera, devido a circunferencia da linha abdominal, estar mais saliente do que deveria, afinal ela está centimetros à frente da linha peitoral; -Nem tirar a camiseta, alegando um motivo ridículo, ou pior, ver sua namorada, ficante, ou aquela que você imaginava “estar no esquema”, flertando com um carinha do grupo, visivelmente mais preparado que você; Parece bobagem, mas me diga, quem nunca, viu, ouviu ou se sentiu em situação parecida? São exemplos claros que estamos deixando as rédeas das nossas atitudes, frouxas demais, e igual ao cão, que não foi devidamente adestrado para desfrutar o melhor da vida junto as pessoas que ele mais ama, você corre um grande risco de como um Rottweiler que, não aprendeu a sentar-se, a pedir, a latir somente quando é devido, etc, passar boa parte da vida amarrado no fundo do quintal, servindo apenas para proteger seu territorio, comendo, dormindo e vendo a vida passar a sua frente. A princípio tudo isso pode parecer teoria barata, mas reflita e analise seu comportamento profundamente e sob vários ângulos diferentes, e acredite que você pode mudar seus (mal) habitos com a mesma facilidade que você deixou as fraudas, algumas criancas demoram mais, outras menos, mas todos nos aprendemos em prol da socialização. Missão cumprida - presentei-se Monitore-se semanalmente, a cada final de semana veja tudo o que você se dispos a fazer vs. o que você conseguiu cumprir. Manteve-se no seu propósito? PARABÉNS, você Merece um Prêmio. Porém não pode ser algo qualquer, este presente tem que valorizar todo seu esforço durante toda a semana, (logo não pode ser um prato de sobremesa, tao pouco a ida a qualquer junk food, nem a restaurante bacana e comer até explodir). Que tal uma massagem, uma surpresa para alguém especial? Meninos: (algo simples como, comprar e enviar pelo correio/entregador uma calcinha comestivel, um gel, juntamente c/ convite p/ algum lugar cheio de 2as. 3as. intencões, (ou qualquer elemento que agrade ambos) só pra apimentar sua comeração). Meninas: algo como uma lingerie mais sexy do que tem usado, ou uma Mensagem Provocante no Celular, ou ainda coloque algo que, chame a atenção dele de forma positiva é claro, (note nao troque os brincos e espere que ele note, afinal, ao menos que ele seja a exceção a regra, homens não se ligam nesses detalhes). Ou qualquer outro “elemento” que sirva p/ você, como um “Marco”, o Início da sua Transformação, principalmente Emocional e Mental, porque estas devem ser as Pilastras que vão segurar o resto: Mudança Exterior. Lembre-se que esta Avaliação é, feita por você e, se você não conseguir ser honesto(a) com você mesmo(a), certamente seu Problema não é Falta e ou dificuldade em manter-se Motivado(a), e sim Falta de Amor Próprio. Se a semana foi dificil ok, na próxima você terá oportunidade de corrigir os erros cometidos, mas não Minta pra você, porque o Espelho não mentirá! Procure variação Saudável do seu Cardápio, você não precisa comer a mesma coisa, todos os dias, em todas as refeições. Faca um check list com todos os itens e, tente randomiza-los, dentro deste contexto, não se esqueça de estar o mais perto possível do “correto”, refeições a cada 3 horas por exemplo; Trocar oleo de cozinha por Azeite; etc. Não se acanhe e nem seja preconceituoso(a), se preciso, lance mão de Suplementos Alimentares, não só como Coadjuvantes na Caminhada Rumo ao seu Objetivo, mas também como artíficio prático, para lhe ajudar a manter uma alimentacão saudável e longe dos Junk Foods, evitando ao máximo a privação de nutrientes por um periodo Maior que 3 horas. Costumo dizer que, quase tudo que é novo é motivo de desconfiança ou descrença num primeiro momento, (para aqueles que ainda oferecem resistência), mas a Suplementação Alimentar é tão é útil e funcional quanto a máquina de lavar roupa, louça, ferro de passar; por acaso em dias atuais é comum, ver pessoas se negando a lavar roupa nas maquinas cada vez mais modernas so porque sua bisavo lavava no tanque, rio? Na Minha Opinião Pessoal (não estou aqui para ditar Regras, simplesmente abordando uma possibilidade de mudança em prol da praticidade em tornar as coisas mais viaveis de serem executadas e ou seguidas, como por exemplo comer a cada 3 horas). Os Suplementos Alimentares devem ser usados de forma Personalizada, assim como seu Programa de Treinamento, não é tudo que cabe ao seu amigo, que será a melhor opção pra você, se estiver pensando em procurar ajuda de um nutricionista: ATENÇÃO, procure um(a) Nutricionista que tenha especialiação em Nutrição Esportiva, caso contrário, corre-se o risco de ter informações que não condizem com suas reais necessidades, acredito ser praticamente impossível falar sobre algo do qual não se tem domínio e ou conhecimento aprofundado. Na minha opinião, grande parte dos Profissionais formados em Nutrição, são contra o uso de Suplemento Alimentar pela falta de conhecimento e ou conhecimento Superficial, exceto os Profissionais que fizeram algum tipo de Especialização na area Esportiva, e estão aptos a dizer o que lhe cabe e o que não deve ser usado. Vide regra os Suplementos de Base são: Whey Protein: usado principalmente pós treino, para todas e ou a maioria das Modalidades Esportivas. BCAA's e Aminoácidos em Geral: usados geralmente antes e pós treino, favorecendo uma Recuperação Mais Rápida, com isso criando um ambiente mais propicio para Aumento da Performance. Repositores e Enérgeticos: podem ser usados, (de acordo com cada caso, objetivo e atividade fisica), antes, durante e ou depois do treino, para reposicão de eletrolíticos, aumento da Resistencia. Exemplos: maltodextrina, gel repositores (mais usados para endurance em geral como trilha, maratona etc). Em Suma…Faca um Resumo disso tudo: -Meta Desejada c/ Prazo Estipulado; -Escreva Quantos dias por semana você está comprometido(a), e irá para academia, clube, etc., -Converse com seu Personal Trainer, Instrutor ou Parceiro de Treino sobre a Mudança da sua Programação de Treinamento, -Anote o que você vai comer no dia seguinte, -Faça sua seleção musical, -Escolha e escreva qual sera sua Recompensa. -Coloque a Data e Assine! Esse Método pode parecer apenas Mais um Artigo com uma “receitinha”. Mas Acredite, é bem Mais do que pode parecer, este artigo descreve uma série de mecanismos por mim utilizados empiricamente, dado minha necessidade de manter-me focada na minha carreira como Atleta, afinal não são todos os dias que acordamos com saco de dizer: _Bom dia, belo dia!!! Assim como você, muitas vezes eu tive vontade de acordar mais tarde, de não treinar, de comer aquilo que não podia, além dos problemas e obstáculos do dia-a-dia comum, que podem lhe afastar do seu Propósito. Estes mecanismos descritos acima, fizeram parte do meu Adestramento Pessoal, e ainda fazem da minha vida, as vezes com mais ou menos intensidade, utilizando um, dois, três ou todos tópicos dependendo das minhas reais necessidades. Porem este artigo tem meramente o intuito de relatar de forma descritiva uma “Técnica Funcional”, por mim utilizada, como ferramenta de incentivo à pessoas que estejam com dificuldade em manter-se motivado, seja para competir em qualquer modalidade esportiva, ou qualquer outro objetivo não competitivo e prol de um estilo de vida mais saudável. ***Neste ultimo tópico: “assinatura contractual”, é uma forma inconsciente (consciente) de ordenação e comprometimento, você assina um contrato com ESPELHO, ou seja a Representação Visual mais Fiel de Você mesmo(a), lembre-se… ”O Espelho Nunca Mente!!!”*** AUTORA: PATRÍCIA MELLO Consultoria Exclusiva p/ Clientes VIP www.MegaNutri.com.br - Especializada em Saúde! E-mail: Equipe@MegaNutri.com.br Tel: (11)9569-9644 / (11)4979-5143 Skype: PatriciaMello.IFBBPro Dúvidas sobre treinamento, nutrição ou suplementos alimentares? Patrícia Mello tira as suas dúvidas! Envie suas dúvidas para equipe@meganutri.com.br e no mês que vem publicaremos as respostas para as 5 perguntas selecionadas pela atleta.
This leaderboard is set to Sao Paulo/GMT-03:00
×
×
  • Create New...